Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADE DE ODONTOLOGIA
HOSPITAL DE ENSINO ODONTOLÓGICO
COMISSÃO GESTORA
Versão 3 – Março 2021

ENFRENTAMENTO DA COVID-19

Este documento foi elaborado pelos integrantes da Comissão Gestora do Hospital de


Ensino Odontológico (HEO) da FO/UFRGS com a contribuição da COMGRAD – ODO e FONO,
e de representantes das Faculdades de Odontologia da UFRGS.
O texto refere-se às adequações necessárias, a serem instituídas em diversos fluxos do
HEO, atendendo às recomendações de segurança e controle de riscos de disseminação do vírus
SARS-CoV-2.
Esta é a terceira edição deste conjunto de adaptações. Estamos tratando de uma doença
nova, com novas evidências surgindo a cada dia.
Os cuidados envolvem a entrada de todos os ambiente que englobam o HEO – ambiente
hospitalar, atendimentos fonoaudiólogicos, serviço de radiologia, salas de espera e rotinas no
atendimento de pacientes.

FLUXOS E PROTOCOLOS HEO-UFRGS


- Todos os servidores usarão Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados
à função que desempenham.
- Os fluxos de higiene dos ambientes estão sendo revisados e reforçados com a
empresa responsável pela limpeza hospitalar.
- Material educativo digital estará disponível para a comunidade interna e externa
por diversos meios.
- Dispensers com álcool gel estarão disponíveis para atender à comunidade.
- Em todas as filas de espera: entrada, caixa e ingresso no HEO, assim como no interior
do hospital nos serviços de entrega e recebimento de instrumental esterilizado e
material odontológico, o piso será demarcado, determinando o devido
distanciamento entre as pessoas

PORTARIAS
A) Portaria de pacientes:
- Os pacientes terão sua temperatura verificada ao chegar. Se apresentarem
temperatura superior a 37,8 serão orientados a tomarem as medidas cabíveis –
protocolo Ministério da Saúde.

B) Portaria escaninho professores:


- Esta portaria será destinada à servidores e alunos.
- Será organizado, com faixas e catraca, uma limitação do espaço, criando-se um
corredor que possibilitará um maior controle da entrada. A temperatura de todos
será medida e as orientações, caso haja temperatura fora da normalidade, serão
as mesmas dadas aos pacientes.

Importante ressaltar: O setor de acolhimento fará contato telefônico com cada paciente no dia
anterior à consulta, a fim de realizar triagem inicial com relação à presença de sintomatologia ou
presença de caso familiar de COVID-19, além de orientar que não tragam acompanhantes, exceto
nos casos em que houver necessidade de assistência (por exemplo, pacientes pediátricos,
pessoas com deficiência, pacientes idosos, etc.), devendo nestes casos ser recomendado apenas
um acompanhante, que não apresente sintomas, e não seja do grupo de risco para formas
graves de COVID-19.

SALA DE ESPERA
- Serão interditadas de forma intercalada a metade das cadeiras dos espaços, de
forma a se criar o devido distanciamento necessário.
- Haverá controle constante para que não falte sabonete e papel toalha no banheiro
que serve à sala de espera, para que os pacientes possam realizar a higiene das mãos ao
chegarem.
- A sala comportará apenas mobiliário que for passível de desinfecção.
- Serão removidos todos os livros, outros materiais de leitura, brinquedos e outros objetos
que possam ser tocados por outras pessoas e que não possam ser facilmente desinfectados.

ACESSO NO HEO
- Os vestiários (alunos e servidores) deverão ser efetivamente usados, de maneira que
a colocação dos EPIs se faça nestes locais. Armários estão disponíveis para a guarda de roupa
e pertences alhei-os ao ambiente clínico. Estes armários deverão ser trancados durante o turno
de trabalho com a utilização de cadeados pessoais.
- Após o atendimento o Scrub – parte do EPI não descartável – deverá ser colocado em
sacola plástica e levado para a devida higiene em casa. Recomenda-se sapato fechado para
uso exclusivo no HEO. Após o atendimento, este sapato ficará guardado em saco plástico no
armário de cada aluno

Observação importante: O uso exclusivo do SCRUB será obrigatório no retorno das


atividades clínicas para toda a comunidade do HEO.

ATENDIMENTO CLÍNICO
No atendimento clínico o grande diferencial da propagação do novo Corona vírus é a
sua disseminação através dos aerossóis. As medidas a seguir visam o controle desta variável:

− Maior potência dos sugadores de saliva – no HEO existem 36 boxes equipados com
bombas à vácuo. A Faculdade de Odontologia irá adquirir um número maior de bombas,
possibilitando assim que, na medida do possível, todos os boxes de atendimento possuam
hemosuctores, que vão proporcionar maior qualidade de sucção de saliva.

− Renovação do ar ambiental - O ar condicionado central instalado no HEO atende às


especificações de filtragem e renovação do ar preconizados para o ambiente clínico.

− Entrada no ambiente clínico – para que se criem corredores limpos para entrada de
professores, alunos, técnicos e pacientes devemos obedecer fluxos pré-determinados:
o Entrada alunos, professores e técnicos: Apoio 2
o Saída alunos, professores e técnicos: Apoios 1 e 2 – nestes locais haverá
estação de desparamentação para toda a equipe, composta por um conjunto
de lixeiras apropriadas, bancadas para apoio de EPIs e soluções desinfetantes
e para higiene das mãos.

o Entrada pacientes: Apoio 3


o Saída pacientes: Apoio 3

Figura1: Mapa HEO incluindo a entrada e saída de alunos e servidores (saída - estação
de Desparamentação) e entrada e saída de pacientes

− Ocupação dos boxes de atendimento – a evidência que determina a medida de 2


metros para o diâmetro do aerossol infectante traz uma necessidade de adaptação do
nosso ambiente clínico. Mapeando o espaço do nosso Hospital observamos a necessidade
de demarcar quais e quantos boxes que podem ser ocupados ao mesmo tempo,
considerando a possibilidade de produção de aerossol. Com isto, todas as atividades
clínicas desenvolvidas deverão se adaptar a esta nova realidade de ocupação do Hospital.

- Atendimentos realizados em dupla com segundo auxiliar circulante– o atendimento


em duplas é fortemente recomendado pela ANVISA, que preconiza a modalidade de
atendimento a quatro mãos para qualificar as medidas de biossegurança. Os atendimentos
contarão com equipes de 3 pessoas. Um operador, um auxiliar de cadeira e uma terceira
pessoa que será responsável por receber o paciente na sala de espera e encaminhá-lo até
a entrada do HEO, onde o aluno auxiliar irá acompanhá-lo até o box de atendimento. Este
segundo auxiliar circulante fará toda a circulação externa e também será responsável pela
busca e entrega de material. Ao final do atendimento, o aluno auxiliar leva o paciente até
a porta do HEO, onde o auxiliar circulante acompanhará o paciente até a saída. Estes
auxiliares circulantes poderão ser tanto alunos da Disciplina de Acompanhamento Clínico,
como Servidores que serão destacados para esta função.

- Atendimento de apenas um paciente por turno – é recomendado que seja atendido um


paciente por turno, tanto para melhor qualificar a biossegurança necessária, como também
para minimizar o contato entre pacientes na sala de espera.

− Adequações no Equipamento de Proteção Individual (EPI)- todos alunos e


servidores que entrarem na áreas clínicas do HEO deverão estar paramentados conforme
descrito abaixo:

✓ Aluno operador- Scrub completo, gorro exclusivamente descartável, capote


descartável gramatura 40g/cm, óculos de proteção, face shield, máscara N95,
luvas, sapato fechado.

✓ Aluno auxiliar- Scrub completo, gorro exclusivamente descartável, capote


descartável gramatura 40g/cm, óculos de proteção, face shield, máscara N95,
luvas, sapato fechado.

✓ Segundo auxiliar ou circulante (alunos do acompanhamento clínico ou servidores)-


ficarão na área ao redor do ambiente clínico (corredor externo) - Scrub completo,
gorro exclusivamente descartável, óculos de proteção, face shield, máscara
cirúrgica, luvas, sapato fechado.

✓ Professores- Scrub completo, gorro exclusivamente descartável, capote descartável


gramatura 40g/cm, capote descartável gramatura 20g/cm (para atendimentos
individualizados), óculos de proteção, face shield, máscara N95, luvas, sapato
fechado.

✓ Técnicos - Scrub completo, gorro exclusivamente descartável, capote descartável


gramatura 40g/cm, óculos de proteção, face shield, máscara N95, luvas, sapato
fechado.

Observação importante: Está proibida a utilização de gorro de tecido, sapatos


abertos, Scrub incompleto ou a isenção de qualquer elemento integrante do
Equipamento de Proteção Individual adequado a sua atuação no HEO.
- Fluxo de orientação de alunos pelos docentes
Para entrar no ambiente clínico:
✓ Retira a roupa pessoal nos vestiários e coloca o Scrub, gorro, óculos de proteção,
máscara N95, face shield e capote gramatura 40g/cm.

✓ Atendimento aos alunos no box: com luvas descartáveis. Ao término: descarta as luvas,
lava as mãos, e sai do box.

✓ Se o professor tiver que executar algum procedimento que gere aerossol deverá se
cobrir de proteção adicional- capote de gramatura 20g/cm sobre o de gramatura
40g/cm. Ao sair do box: descarta a luva, lava as mãos, descarta este capote mais fino
e lava as mãos.

✓ Fluxo de saída: desparamentação no local indicado dentro do hospital (Figura 1)

− Horários de atendimento- visando maior controle na biossegurança esta Comissão


recomenda fortemente a reorientação dos horários das disciplinas de Clínica da
graduação, de modo que ocupem apenas um turno de trabalho. Esta medida tem como
objetivo um maior controle dos EPIs e esterilização de instrumental.

− Radiografias extraorais - sempre que for possível, deve-se priorizar a utilização de


radiografias extraorais como auxiliares de diagnóstico, como alternativas às radiografias
intraorais. As radiografias intraorais estimulam maior secreção de saliva e podem provocar
tosse em alguns pacientes, podendo piorar o quadro de contaminação. As radiografias
extrabucais serão realizadas no serviço de Radiologia com agendamento prévio.

− Adequação do box para o atendimento infanto juvenil – será proibida a colocação


de quaisquer adereços nos boxes de atendimento, visando a adequada desinfecção dos
espaços de atendimento. O acompanhante do paciente receberá EPI para permanecer no
box, composto de capa plástica, máscara cirúrgica, face shield e gorro descartável.

− Bochechos pré-atendimento – é recomendada a utilização de bochecho com solução


aquosa de clorexidina a 0,12%, 15 ml, por 1 minuto, como assepsia prévia a qualquer
atendimento odontológico realizado no HEO. O objetivo desta medida é reduzir carga
viral de SARS-CoV-2.

− Atendimento com previsão de aerossol – usar isolamento absoluto - este isolamento


possibilita maior controle e proteção para o paciente quanto para o operador e o auxiliar.
Será obrigatório o seu uso sempre que houver atendimento com produção de aerossol.

− Uso da seringa tríplice - deve-se evitar a utilização da seringa tríplice, principalmente


na função spray, determinada quando se aciona os botões de água e ar simultaneamente.
− Planejamento do tratamento- o planejamento dos procedimentos a serem realizadas no
tratamento do paciente vai ser imprescindível neste momento. Todo esforço deve ser feito
para que haja foco na biossegurança e menor desperdício de energia.

− Durante o atendimento – com o objetivo de reduzir ao máximo a geração de aerossóis,


recomenda-se a utilização preferencial de instrumentos manuais, como escavadores de
dentina para remoção de lesões cariosas (evitando o uso de canetas de alta e baixa
rotação); curetas periodontais para raspagem periodontal. Não serão utilizados
equipamentos de ultrassom e jato de bicarbonato de sódio.

− Em relação ao Centro de Distribuição de Materiais (CDM)– Na distribuição dos


materiais os cuidados com a assepsia das embalagens dos produtos utilizados deverá ser
redobrado. O CDM contará com uma área limpa, de retirada de materiais, e uma área
suja, de devolução. Todos são responsáveis por este cuidado. A higienização deverá ser
realizada e deve ser avaliada em todo o fluxo. O processo inicia na Auxiliar de Saúde
Bucal (ASB) que entrega o material na área dita limpa do CDM, para o aluno circulante,
que recebe e entrega o material para o auxiliar na entrada do HEO. Após o atendimento,
os alunos operador e auxiliar fazem a desinfecção dos embalagens dos materiais e
entregam na porta do HEO para o circulante. O circulante retorna o material, devidamente
higienizado na área dita suja do CDM e é recebido pela ASB que novamente reavalia e
reforça a higiene, para repor o material na sua prateleira de origem. A higienização dos
invólucros dos produtos odontológicos deverá ser realizada com gaze embebida em
quaternário de amônio. Fitas no piso orientarão o distanciamento necessário nas filas de
entrega e de retirada de material.

− Ao finalizar o atendimento –
✓ o operador e o auxiliar de cadeira recolhem o material contaminado e o
colocam em caixa plástica fechada. Estes materiais serão embebidos em quaternário
de amônio antes de serem entregues ao auxiliar circulante. A limpeza com este
produto deve ser feita em todas as caixas, gaveteiros, carrinho, mala com
instrumental, pranchetas, potes, etc, que estiverem se mantido no box durante o
trabalho.
✓ logo após os alunos dirigem-se à estação de desparamentação.

- Desparamentação - alunos, professores, técnicos receberão treinamento para


paramentação e desparamentação. Nas duas estações de desparamentação haverá
auxílio e assistência de técnico treinado para este fim.
Este procedimento obedece a ordem a seguir, sempre intercalada com higienização das
mãos com álcool gel:
1. Luvas,
2. Capote,
3. Face shield,
4. Máscara N95,
5. Óculos,
6. Gorro.
o Logo após sair da área clínica do HEO, alunos técnicos e professores irão com scrub
e com o face shield já higienizado até o vestiário. No vestiário trocam scrub por sua
roupa pessoal. O scrub deve ser guardado em saco plástico fechado e deve ser
levado para higienização em casa (sempre ao final de cada turno).
o O aluno que irá lavar seu material, sairá da área clínica do HEO e irá ao expurgo.
Usará luvas grossas especiais para limpeza do instrumental, o face shield já
higienizado na desparamentação no ambiente clínico do HEO, máscara N95 e
colocará sobre seu scrub uma capa plástica. Na saída do expurgo, lava, seca e
guarda a luva de borracha em caixa plástica específica para esse fim, descarta a
capa plástica, desinfeta o face shiled, pega seu carrinho com materiais e dirige-se
ao vestiário para trocar scrub por sua roupa pessoal.

− Central de Material Esterilizado (CME) - Fitas no piso orientarão o distanciamento


necessário nas filas de entrega e de retirada de material.

− Laboratório de Prótese - os moldes e modelos deverão passar por desinfecção com


Glutaraldeído. Os modelos devem ser acondicionados em sacos plásticos, antes de serem
colocar nas caixas.
Este trabalho foi desenvolvido por:
(em ordem alfabética)

CD. Aline Martins Justo


Profa. Berenice Barbachan e Silva
Fonoaudióloga Brunah Brasil
Profa. Clarissa Fatturi Parolo
T. A. Emi Itakura Kuamoto
Profa. Erissandra Gomes
Prof. Jefferson Sanada
T. A. Letícia Moreira
T. A. Marcos Machado
T. A. Maurício Antonioli Schmitz
Profa. Nádia Assein Arus
Prof. Pantelis Varvaki Rados
Profa. Patrícia Weidlich
Prof. Vicente Castelo Branco Leitune

Referências
RDC Anvisa nº 42, de 25 de outubro de 2010, que dispõe sobre a obrigatoriedade de
disponibilização de preparação alcoólica para fricção antisséptica das mãos, pelos serviços de
saúde do país:

https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/publicacoes/category/higieni
zacao-das-maos

Norma Técnica da ANVISA) 04/2020

Manual de Segurança do Paciente: limpeza e desinfecção de superfícies, publicado pela


Anvisa e disponível no link:
https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/publicacoes/item/seguranca-
do-paciente-em-servicos-de-saude-limpeza-e-desinfeccao-de-superficies

Vídeo de colocação e retirada do EPI - Anvisa: https://youtu.be/G_tU7nvD5BI

Manual de boas práticas de biossegurança para ambientes odontológicos 2020- Faculdade


ILAPEO, ITI Brasil, apoio CFO

Guia Interino para Minimização de Riscos de Transmissão de COVID-19 na Prática


Odontológica. Tradução e Adaptação do Guia da American Dental Association – UFPEL

Orientações aos cirurgiões-dentistas para o atendimento odontológico no enfrentamento à


COVID – 19. UFRN 2020.

COVID-19: Procedimentos em Clínicas, Consultórios ou Serviços de Saúde Oral dos Cuidados


de Saúde Primários, Setor Social e Privado. Ministério da Saúde Portugal.
Planejamento para enfrentamento da COVID 19. Comissão de Biossegurança – COMBIO –
Curso de Odontologia – Universidade Federal de Pernambuco.

Flores, IL; Henz, SL; Neves, M; Parolo, CF, Weidlich, P; Rados, PV. Is there a risk of chemical
burn of oral mucosa using hydrogen peroxide mouthwash against SARS-CoV-2?
J. Oral Diag. 2020; 05:e20200010 / DOI: 10.5935/2525-5711.20200010

Você também pode gostar