Você está na página 1de 2

Nome: Kamila Almeida de Morais Prof.

Marisa Ferraro
3°ETIM Meio Ambiente- Uso e ocupação do solo- 05/03/2021

Uso e ocupação do solo no Vale do Paraíba


A ocupação do Vale do Paraíba iniciou-se no século XIV, durante a
colonização do Brasil, com a chegada de bandeirantes e colonos, que
percorriam o estado de São Paulo na busca por metais preciosos e indígenas
escravos, para utilizarem da sua mão de obra. Porém, com o início do ciclo do
ouro, o Vale do Paraíba passa a ser explorado em busca desse minério tão
valioso. Entretanto notou-se que no território não havia grande presença do
mesmo, assim sendo considerado um território pobre.
Com a descoberta do ouro no estado de Minas Gerais, os bandeirantes
começaram a utilizar o Vale do Paraíba como passagem, ou seja, como uma
rota para chegar até os aluviões de ouro, poucos deles ficaram e se fixaram
nessa região. Os poucos homens brancos que decidiram se estabelecer no
vale, plantavam alimentos e criavam vacas, com o intuito de venderem aos
viajantes que seguiam em rumo às minas de ouro. Além disso, alguns deles
também eram donos de pousadas, que serviam como suporte aos viajantes.
Com a grande crise da produção mineral das Minas Gerais, o Vale do
Paraíba passa a ganhar importância, pois houve a introdução do café, que foi
um grande contribuinte para o desenvolvimento da economia. O vale destacou-
se com o cultivo do café, pois era uma área com muitas terras desocupadas e
possuía as condições perfeitas para sua produção. Através da prática das
atividades agrícolas, teve um drástico aumento no processo de desmatamento
em comparação as coivaras (queimadas em pequena escala realizadas por
índios) o que resultou no desgaste do solo, tornando-o infértil.
Devido ao enorme desgaste causado a natureza através das plantações,
houve uma queda na produção de café, fazendo com que a região perdesse,
na época, a sua maior e mais importante fonte de renda. O clima que era um
fator atrativo, teve suas características alteradas em razão das queimadas, o
que também ocasionou o surgimento de pragas nas plantações.
Depois da crise da produção de café, devido as restritas condições
ambientais do Vale do Paraíba, a pecuária leiteira mostrou-se como a única
atividade econômica promissora, tendo em vista que a maior parte das terras
se tornaram um grande pasto. Porém, o solo antes já desgastado pela
monocultura cafeeira e que agora era pisoteado pelo gado, ficando cada vez
mais compacto, deixou de fornecer capim, que era o principal alimento dos
gados leiteiros, assim resultando na diminuição da criação de animais, e
consequentemente, na redução da renda das famílias que habitavam o Vale.
Depois de um determinado período, as indústrias começam a crescer no
Vale. As indústrias químicas, petroquímicas e processadores de metais
pesados instaladas na nossa região, fizeram com que fatores de desigualdade
social e deficiência ambiental, aumentassem, tendo como resultado uma região
totalmente degradada, com industriais altamente poluentes e perca de recursos
naturais.
Como falado anteriormente, o uso e ocupação do Vale do Paraíba
acarretou diversos impactos ambientais, tais como a danificação do solo, as
mudanças climáticas e o desmatamento. Portanto, o desequilíbrio ecológico no
Vale, é evidente até os dias atuais.