Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS - UEA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA - EST


a
2 Lista de Exercícios de Álgebra Linear II - Engenharia (Ciclo Básico)

QUESTÕES

Transformações Lineares.
Questão 1. Determine quais das seguintes funções são transformações lineares:
(a) F : R → R denida por F (x, y) = (x + y, x − y);
2 2

(b) G : R2 → R denida por G(x, y)


= xy ; 
a b
(c) H : M2×2 (R) → R dada por H = a + d;
c d
(d) S : P2 → P3 dada por S(at2 + bt + c) = at3 + bt2 + ct + 1; 
a b
(e) N : P3 → M2×2 (R) denida por N (at + bt + ct + d) =
3 2
.
  c d
2x x − y
(f) T : R2 → M2×2 (R), onde T (x, y) = .
x+y 2y
Questão 2. Considere V = Mn×n (R) e seja B em V . Dena a função T : V → V por

T (A) = AB + BA

para toda matriz A em V . Mostre que T é uma transformação linear.


Questão 3. Mostre que a função T : Mm×n (R) → Mn×m (R), denida por T (A) = At , é
uma transformação linear.
Questão 4. Determine uma transformação linear:
(a) T : R3 → R2 tal que T (1, 0, 0) = (2, 0), T (0, 1, 0) = (1, 1) e T (0, 0, 1) = (0, −1);
(b) T : R2 → R3 tal que T (1, 1) = (3, 2, 1) e T (0, −2) =(0, 1, 0).  
1 0 0 1
(c) T : P2 → M2×2 (R) tal que T (t2 + 1) = , T (t + 1) = e T (1) =
  0 0 0 0
0 0
.
1 0
(d) T : R2 → P3 (R) tal que T (1, 1) = t2 − 1 e T (1, −1) = t3 + 1.
Questão 5. Determine o núcleo e a imagem das seguintes transformações lineares. Deter-
mine quais destas transformações são injetivas e quais são sobrejetivas.
(a) T : R3 → R2 , em que T (x, y, z) = (x − y, x − z);
(b) T : Pn → Pn+1 , em que T (p(t)) = tp(t);  
1 −1
(c) T : M2×2 (R) → M2×2 (R), em que T (A) = M A sendo M = ;
−4 4
(d) T : P2 → R4 , em que T (ax2 + bx + c) = (a + b, 2b + c, a + 2b − c, c).
Questão 6. Dados T : U → V linear e injetora e u1 , u2 , . . . , uk vetores L.I em U , mostre
que {T (u1 ), T (u2 ), . . . , T (uk )} é L.I.
Questão 7. Mostre que se T : V → W é uma transformação linear, então:
(a) ImT é um subespaço de W .
(b) Ker T é um subespaço de V .
Questão 8. Considere a transformação linear T : R3 → R3 dada por

T (x, y, z) = (3x + y, −2x − 4y + 3z, 5x + 4y − 2z).

Determine se T é invertível. Em caso armativo, encontre T −1 .


Questão 9. Sejam α = {(1, −1), (0, 2)} e β = {(1, 0, −1), (0, 1, 2), (1, 2, 0)} bases de R2 e

1
 
1 0
R3 , respectivamente, e [T ]αβ =  1 1 .
0 −1
(a) Encontre T .  
1 0
(b) Encontre uma base γ de R3 tal que [T ]αγ =  0 0 .
0 1
Questão 10. Seja V o espaço vetorial de matrizes 2 × 2 com base
       
1 0 0 1 0 0 0 0
β= , , , .
0 0 0 0 1 0 0 1
 
a b
Se T : V → R é dada por T
2
= (a + d, b + c), encontre [T ]βα , onde α é a base
c d
canônica de R2 .
Questão 11. Seja T : P2 → P2 a transformação linear T (p(t)) = p(2t + 1). Encontre [T ]β
β

em relação à base β = {1, t, t2 }.


Questão 12. Sejam T : R2 → R2 e S : R2 → R2 transformações lineares dadas por
T (x, y) = (x + y, 0) e S(x, y) = (−y, x). Encontre expressões para denir:
(a) T + S (b) T ◦ S (c) T 3 (d) S −3 .
Questão 13. Encontre a transformação T do plano R2 que é uma reexão em torno da reta
y = x. Escreva-a em forma matricial.
Questão
√ 14. No plano R2 , uma rotação anti-horária de 45◦ é seguida por uma dilatação de
2. Encontre a aplicação A que representa esta transformação do plano.
Questão 15. Seja T : R2 → R2 uma reexão, através da reta y = 3x.
(a) Encontre T (x, y).  
1 0
(b) Encontre a base α de R tal que [T ]α =
2 α
.
0 −1
Questão 16. Seja T : R3 → R3 onde T (v) é a projeção do vetor v no plano 3x + 2y + z = 0.
(a) Encontre T (x, y, z).
(b) Encontre uma base ordenada β de R3 tal que
 
1 0 0
[T ]ββ =  0 0 0  .
0 0 1
 
1 1 0
Questão 17. Se [I]α  0 −1 1  encontre:
0
α =

 1 0 −1
−1
(a) [v]α onde [v]α0 =  2 
 3 
−1
(b) [v]α0 onde [v]α =  2 .
3
Questão 18. Sejam β1 = {(1, 0), (0, 2)}, β2 = {(−1, 0), (1, 1)} e β3 = {(−1, −1), (0, −1)}
três bases ordenadas de R2 . Encontre:
(a) [I]ββ21 (b) [I]ββ32
 −1
(c) [I]β3
β1
(d) [I]β1 · [I]β2
β2 β3
.
Estabelecer, se possível, uma relação entre estas matrizes mudança de base.

2
 19. Seja
Questão  V oespaço
 vetorial
 de matrizes
 2 × 2 triangulares
  superiores.
 Sejam
1 0 0 1 0 0 1 0 1 1 1 1
β= , , eβ= , , duas bases de
0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 1
V . Encontre [I]ββ .
   
1 2 4 0
Questão 20. Mostre que a matriz A = é semelhante à matriz D = .
3 2 0 −1
Questão 21. Dizemos que uma matriz A é diagonalizável, quando existem uma matriz P,
não-singular, e uma matriz D, diagonal, tais que A = PDP−1 . Mostrar que:
(a) se A é uma matriz diagonalizável, então At (transposta de A) é diagonalizável.
(b) se A é uma matriz diagonalizável, então Ak , k ≥ 1, é diagonalizável.
(Dica: Se B C
e são matrizes quadradas, então B−1 )t = (Bt )−1 (BC)t = Ct Bt )
( e .

Autovalores e Autovetores.
Questão 22. Encontre os autovalores e autovetores correspondentes das transformações
lineares dadas:
(a) T : R2 → R2 dada por T (x, y) = (x + y, 2x + y);
(b) T : R3 → R3 dada por T (x, y, z) = (x, −2x − y, 2x + y + 2z);
(c) T : P2 (R) → P2 (R) dada por T (at2 + bt
 + bt + a;
+ c) = ct2

a b 2c a+c
(d) T : M2×2 (R) → M2×2 (R) dada por T = .
c d b − 2c d
(e) T : M2×2 (R) → M2×2 (R) denida por T (A) = At .
Questão 23. Encontre a transformação linear T : R2 → R2 tal que T tenha autovalores −2
e 3 associados aos autovetores (3y, y) e (−2y, y), respectivamente.
Questão 24. Suponha que c é um autovalor de um operador invertível T .
1
(a) Mostre que é um autovalor de T −1 .
c
(b) Mostre que quando T = T −1 os únicos autovalores de T são 1 ou −1.
Questão 25. Determine os autovalores e os autovetores dos seguintes operadores cujas
matrizes na base canônica
 são:
1 2
(a) A = ;
 0 −1 
1 0 0
(b) A =  −1 0 −2  ;
1 1 3
 
2 0 1 0
 0 2 0 1 
(c) A =  12 0 3 0 .

0 −1 0 0
 
1 0 1 0 1
 0 −1 0 −1 0 
(d) A = 
 
 0 0 0 0 1 .

 0 0 0 −2 0 
0 0 0 0 2
Questão 26. Suponha que v ∈ V seja autovetor de T : V → V e S : V → V , ao mesmo
tempo com autovalores λ1 e λ2 , respectivamente. Encontre os autovalores de:
(a) S + T (b) S ◦ T
Questão 27. (a) Sejam V um espaço vetorial real e T um operador linear sobre V tal que
T 2 = T , isto é, T (T (v)) = T (v) para todo v ∈ V (operador idempotente). Mostre que os
autovalores de T são λ1 = 0 e λ2 = 1.
(b) Sejam V um espaço vetorial real e T um operador linear sobre V tal que T 2 = I , isto

3
é, T (T (v)) = v para todo v ∈ V (operador auto-reexivo). Mostre que os autovalores de T
são λ1 = 1 e λ2 = −1.
(c) Sejam V um espaço vetorial real e T um operador linear sobre V de modo que existe um
número inteiro n tal que T n = 0, isto é, T n (v) = 0 para todo v ∈ V (operador nilpotente).
Mostre que o único autovalor de T é λ = 0.
Questão 28. Considere o operador linear T sobre P3 denido por:

T (p(x)) = p(x) + p0 (x) + x2 p00 (x).


Determine os autovalores e autovetores do operador linear T , descrevendo para cada auto-
valor o subespaço associado.
Questão 29. Determinar o operador linear T : R3 → R3 , cujos autovalores 1 e −1 são
associados aos subespaços
V1 = {(x, y, z) ∈ R3 ; y = 0}
e
V−1 = {reta gerada por (0, 2, 0)}
de R3 , respectivamente.
Questão 30. Seja V = F(R, R) o espaço das funções f : R → R. Considere o subespaço

S = [e2t sen t, e2t cos t, e2t ]


de V e o operador linear D : S → S denido por D(f ) = f 0 (derivada de f ). Considere
ainda as funções f1 (t) = e2t sen x, f2 (t) = e2t cos t e f3 (t) = e2t em V . Determine:
(a) a matriz de D em relação à base β = {f1 , f2 , f3 } de S .
(b) os autovalores de D e as funções de S que são autovetores de D.
Diagonalização de Operadores.
Questão 31. Entre os operadores dados a seguir, verique quais são diagonalizáveis:
(a) T : R → R dada por T (x, y) = (x + y, 2x + y);
2 2

(b) T : R3 → R3 dada por T (x, y, z) = (x, −2x − y, 2x + y + 2z);


(c) T : P2 (R) → P2 (R) dada por T (at2 + bt
 + bt + a;
+ c) = ct2

a b 2c a+c
(d) T : M2×2 (R) → M2×2 (R) dada por T = .
c d b − 2c d
(e) T : M2×2 (R) → M2×2  (R) denida por T (A) = A .
t

1 −2 8
Questão 32. Seja A =  0 −1 0  . Calcule:
0 0 −1
(a) A 100
(b) A1321 (c) An , n ≥ 2.
Questão 33. Sejam T : R → R linear, α = {(1, 0, 0), (0, 1, 0), (0, 0, 1)}, a base canônica
3 3

de R3 , β = {(0, 1, 1), (0, −1, 1), (1, 0, 1)} e


 
2 0 1
[T ]αα =  0 −3 1  .
0 0 −3

(a) Encontre o polinômio característico de T , os autovalores de T e os autovetores corres-


pondentes.
(b) Encontre [T ]ββ e o polinômio característico. Qual observação você faz a este respeito?
(c) Encontre uma base γ de R3 , se for possível, tal que [T ]γγ seja diagonal.
Questão 34. Considere o operador linear T : P1 (R) → P1 (R) dado por:

T (p(t)) = p0 (t) + (t + 1)p(1).

4
Sejam β = {1, 7 − 4t} e γ = {q(t), 2t − 1} bases para P1 (R) tais que
 
3 s
[T ]βγ = .
−1 1

(a) Determine o polinômio q(t) e o parâmetro s ∈ R.


(b) T é um isomorsmo? Em caso armativo, determine o isomorsmo inverso.
(c) O operador T é diagonalizável? Justique sua resposta.
Questão 35. Sejam A e P matrizes quadradas de mesma ordem, com P invertível.
(a) Mostre que se p(t) ∈ Pn (R), então

p(P−1 AP) = P−1 p(A)P.

(b) Mostre que se p é o polinômio característico de A, então

p(P−1 AP) = 0.

Questão 36. Seja P3 o conjunto dos polinômios com grau menor do que ou igual a 3, e a
aplicação derivada de primeira ordem D1 : P3 → P3 denida por D1 (f ) = f 0 .
(a) Mostre que D1 é uma transformação(operador) linear.
(b) Determinar os autovalores e autovetores de D1 .
(c) O operador D1 é diagonalizável? Justique sua resposta.