Você está na página 1de 20

Harmonia e Análise Musical

Funções Harmônicas
Parte 5

2020
ADRIANO JUSTINO MOREIRA
Conteúdo
Funções Harmônicas – notas alheias à tonalidade principal.
• Alterações simples (alterações cromáticas):
ü Acorde de Sexta Aumentada Italiana;
ü Acorde de Sexta Aumentada Germânica;
ü Acorde de Sexta Aumentada Francesa;
ü Acorde de Sexta Aumentada Napolitana.
Acordes de Sextas Aumentadas
• Usados para ampliar o discurso do sistema tonal.
• São acordes provenientes do modo menor (empréstimo modal).
• Possuem origem na Cadência Frígia – semicadência que ocorre no
modo menor (iv6 – V) e, em relação a essa origem, possuem função de
subdominante.
• Nascem de um prática de se acrescentar um cromatismo
melódico à resolução da voz superior.
Acorde de Sexta Aumentada Italiana (it6+)

• Com a incorporação de tal cromatismo em sua estrutura, surge o acorde de


sexta italiana.

• Tal intervalo de sexta aumentada passa a ser característico desse acorde, e a


nomenclatura faz alusão ao estado do acorde (em primeira inversão).
• De uma forma geral, exigem uma resolução na dominante, podendo, também,
passar pelo o acorde de tônica na segunda inversão (i6/4).
Construindo o Acorde de Sexta Aumentada Italiana (it6+)

Em Dó menor:
a. Escrevemos a escala menor pedida (Dó menor);
b. Formamos uma sexta aumentada a partir do sexto grau;
c. Acrescentamos uma terça maior a partir da fundamental.
Esse é um acorde invertido construído sobre o sexto grau de uma escala.
Em Dó Maior:
a. Escrevemos a escala maior pedida (Dó Maior);
b. Abaixamos o sexto grau meio tom;
c. Formamos uma sexta aumentada a partir do sexto grau;
d. Acrescentamos uma terça maior a partir da fundamental.
Acorde de Sexta Aumentada Germânica (ger6+)

• Quando o acorde de sexta aumentada passa pelo acorde de tônica na


segunda inversão (i 6/4), ele é chamado de acorde de sexta (aumentada)
germânica.

• O intervalo de quinta justa em sua estrutura o distingue dos outros


acordes de sexta aumentada.
Construindo o acorde de Sexta Aumentada Germânica (ger6+)

Em Dó menor:
a. Escrevemos a escala menor pedida (Dó menor);
b. Formamos uma sexta aumentada a partir do sexto grau;
c. Formamos um acorde Maior a partir da fundamental.
Esse é um acorde invertido construído sobre o sexto grau de uma escala.
Em Dó Maior:
a. Escrevemos a escala maior pedida (Dó Maior);
b. Abaixamos o sexto grau meio tom;
c. Formamos uma sexta aumentada a partir do sexto grau;
d. Formamos um acorde Maior a partir da fundamental.
Acorde de Sexta Aumentada Francesa (fr6+)

• Quando o acorde de sexta aumentada antecipa a quinta do acorde de


dominante, ele é chamado de acorde de sexta (aumentada) francesa.

• O intervalo de quarta aumenta em sua estrutura o distingue dos outros


acordes de sexta aumentada.
Construindo o acorde de Sexta Aumentada Francesa (fr6+)

Em Dó menor:
a. Escrevemos a escala menor pedida (Dó menor);
b. Formamos uma sexta aumentada a partir do sexto grau;
c. Acrescentamos uma terça maior a partir da fundamental;
d. Acrescentamos uma quarta aumentada a partir da fundamental.
Em Dó Maior:
a. Escrevemos a escala maior pedida (Dó Maior);
b. Abaixamos o sexto grau meio tom.
c. Formamos uma sexta aumentada a partir do sexto grau;
d. Acrescentamos uma terça maior a partir da fundamental;
e. Acrescentamos uma quarta aumentada a partir da fundamental.
O acorde de sexta napolitana (II nap)

• Nasce sobre um acorde de subdominante.


O acorde de sexta napolitana (II nap)

• Possui uma quinta (alterada) transformada por uma substituição


cromática.
O acorde de sexta napolitana (II nap)

• Atualmente, há um consenso entre autores de ”que este acorde é


formado tendo como base o segundo grau da escala abaixado meio tom
e sobre ele é formado um acorde maior” (KOENTOPP, 2010, p. 147)
Acorde de Sexta Aumentada Napolitana (IInap)

Em Dó menor:
a. Escrevemos a escala menor pedida (Dó menor);
b. Abaixamos o segundo grau meio tom;
c. Formamos um acorde maior sobre o grau que alteramos;
d. Invertemos esse acorde para a primeira inversão.
Acorde de Sexta Aumentada Napolitana (IInap)

Em Dó Maior:
a. Escrevemos a escala maior pedida (Dó Maior);
b. Abaixamos o segundo grau meio tom;
c. Formamos um acorde maior sobre o grau que alteramos;
d. Invertemos esse acorde para a primeira inversão.
No trecho abaixo, temos a utilização de um acorde de sexta
• A tonalidade dó# menor.
• No segundo tempo do terceiro compasso temos o segundo grau ré#
abaixado meio tom (ré bequadro).
• O baixo do acorde está com o fá # e temos a presença de uma nota lá
natural na voz superior, construindo um acorde de Ré maior em
primeira inversão.
• Logo, o acorde trabalhado pelo compositor é de sexta napolitana.

Você também pode gostar