Você está na página 1de 16

Construções Geométricas

APRESENTAÇÃO

Nesta Unidade de Aprendizagem trabalharemos as construções geométricas. Este conhecimento


será útil para a elaboração de desenhos técnicos feitos de modos tradicionais ou em meio
computacional.

Bons estudos.

Ao final desta Unidade de Aprendizagem, você deve apresentar os seguintes aprendizados:

• Nomear as entidades de desenho.


• Identificar as entidades de desenho que compõem uma forma complexa.
• Combinar diferentes entidades para construir uma forma geométrica complexa.

DESAFIO

Ao seu redor existem vários objetos que podem ser representados por vistas. Esses objetos
podem ser caixas, porta-joias, estojos, copos, telefones, abajures, grampeadores, etc.

Se você pesquisar na Internet, irá encontrar a representação em vistas desses objetos ou, se já
tiver experiência de desenho, pode fazer um esboço.

De posse da vista escolhida, vamos agora descobrir a composição geométrica do desenho.


Identifique linhas, arcos, círculos, ângulos, curvas e pontos.

INFOGRÁFICO

Acompanhe no infográfico as primeiras construções geométricas que são abordadas nesta


Unidade de Aprendizagem.
CONTEÚDO DO LIVRO

Tenha sempre em mente que a representação dos objetos é feita por meio das entidades
geométricas que permitem a construção dos desenhos.

Não importa a ferramenta utilizada, se conhecermos bem as construções geométricas. Teremos o


nosso desempenho na representação mais efetivo quanto mais conhecermos as entidades de
desenho geométrico.

Acompanhe um trecho da obra Comunicação Gráfica Moderna, de Frederick E. Giesecke.

Boa leitura.
G455c Giesecke, Frederick E.
Comunicação gráfica moderna [recurso eletrônico] /
Frederick E. Giesecke ... [et al.] ; traduçãoAlexandre Kawano ...
[et al.]. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre : Bookman, 2008.

Editado também como livro impresso em 2002.


ISBN 978-85-7780-375-0

1. Engenharia gráfica – Desenho técnico. I. Título.

CDU 744

Catalogação na publicação: Renata de Souza Borges CRB-10/Prov-021/08


CAPÍTULO 4 • CONSTRUÇÕES GEOMÉTRICAS E FUNDAMENTOS DO MODELAMENTO 79

VISÃO GERAL a linha se estender indefinidamente, você pode desenhar o com-


primento da sua conveniência e deixar suas extremidades sem
as as técnicas de desenho tradicional e de desenho por marcação. Quando as extremidades são indicadas em uma linha
emas CAD baseiam-se na construção de elementos geo- com pequenas barras transversais, é então determinado um seg-
tricos básicos. Pontos, retas, arcos e círculos são os elemen- mento desta linha. Os termos comumente usados para descrever
básicos usados para criar os mais complexos desenhos bi-
as linhas são ilustrados na Figura 4.2.
ensionais.Você deve entender as técnicas de construções
ométricas para que seja possível desenhar no papel ou Conjuntos de linhas retas ou curvas são paralelas se a me-
m sistemas CAD, ou para aplicar técnicas geométricos na nor distância de cada ponto de uma linha à outra linha for cons-
ução de problemas. tante. O símbolo comumente utilizado para representar linhas
Usando um sistema CAD, é possível criar modelos de obje- paralelas é | |, e para linhas perpendiculares é ⊥. A maioria dos
tridimensionais que possam ser usados diretamente para a sistemas CAD permite especificar que duas linhas serão perpen-
dução de peças.Técnicas de modelamento sólido em CAD diculares usando algum tipo de ferramenta de snap; permite ain-
uerem o entendimento dos sólidos geométricos e de como
da o traçado de linhas paralelas passando em um ponto ou a uma
s são criados e combinados para formar peças mais com-
xas. Esse mesmo entendimento é útil na interpretação e vi- distância específica de uma outra linha. No esboço, a indicação
lização de desenhos. Provavelmente, você usará programas de que duas linhas são perpendiculares pode ser feita através de
D em vez das técnicas de desenho com instrumentos ilustra- um quadrado desenhado junto ao ponto de interseção das linhas.
nesta seção; assim, relacione estes conhecimentos com as
nicas de CAD quando necessário. Algumas construções 4.2 ÂNGULOS
ométricas são mais fáceis usando um sistema CAD, mas para
maioria dos casos a dificuldade é a mesma. A diferença é
Um ângulo é formado por duas linhas que se interceptam. O
e você estará usando ferramentas atualizadas. símbolo ∠ é normalmente utilizado para indicar um ângulo. A
Para técnicas de esboço, tenha em mente que seu esbo- medida de um ângulo é geralmente expressa em graus. Existem
deve manter as relações geométricas. Por exemplo, linhas 360 graus (360o) em uma circunferência (Figura 4.3).
e parecem perpendiculares em um esboço serão interpre- Um grau é dividido em 60 minutos (60’) e um minuto é divi-
as como perpendiculares, a menos que sejam cotadas de dido em 60 segundos (60”). O ângulo designado por 37o 26’10” é
ro modo. É possível usar o símbolo ⊥ como indicativo que lido como 37 graus, 26 minutos e 10 segundos. Para indicar ape-
as linhas devem ser perpendiculares. Do mesmo modo, ele-
ntos que pareçam ser tangentes em um esboço são assu-
nas minutos, coloca-se 0o em frente do número de minutos, como
dos deste modo, a menos que apresentem uma notação em 0o 30’. Os ângulos também podem ser medidos em graus de-
erente na cotagem e nas notas. cimais, por exemplo 45,20o. Outros sistemas, tais como grados e
Primitivas geométricas – como pontos, retas, círculos e ar- radianos, também são usados para medir ângulos.
– são elementos básicos com os quais você deve estar fa- Diferentes tipos de ângulos são ilustrados na Figura 4.3.
arizado quando fizer esboços ou usar um programa CAD. A Dois ângulos são ditos complementares se somam 90 graus e são
mpreensão da geometria de um desenho permitirá a cons- suplementares se somam 180 graus. Os ângulos podem ser dese-
ção de esboços claros e geometricamente precisos utili-
do sistemas CAD.
nhados por aproximação, utilizando um transferidor, ou com um
programa CAD quando um desenho de precisão é necessário. Os
sistemas CAD especificam o ângulo exato para uma linha usan-
4.1 PONTOS E LINHAS do uma variedade de métodos, por exemplo graus decimais,
graus, minutos, e segundos; radianos, grados e rumo.
ponto representa uma localização no espaço ou em um dese-
e não tem largura, altura ou profundidade. Em um esboço,
ponto é representado pela interseção de duas linhas, por uma
uena barra transversal sobre uma linha, ou uma pequena cruz.
onto nunca é representado por uma simples marca no papel
O TA
VERTICAL

m a ponta do lápis, uma vez que são mais facilmente mal inter- ID RE O
TA IN ID
LINHA

RE F DE IN LINHA
DE F
ados e tornam o esboço sujo e amador. Exemplos de esboços HA IN TO DE
LIN NTO EN O HORIZONTAL
GM NT
pontos são mostrados na Figura 4.1. IM
E
SE IM
E
PR PR
Uma linha foi definida por Euclides como “a que tem com- COM
C OM
mento sem largura”. Uma linha reta é a menor distância entre
s pontos e é comumente referida apenas como uma linha. Se
S S
HA HA
LIN LIN S
AR
ES
S RE UL
PONTO PONTO PONTO LA LA DIC
LE I CU EN
A RP
PA
R
END SP
E
RP HA
PE LIN

GURA 4.1 Pontos. FIGURA 4.2 Linhas.


COMUNICAÇÃO GRÁFICA MODERNA

4.3 TRIÂNGULOS beça de um parafuso está inscrita em um círculo, o diâmetro do


triângulo é uma figura plana limitada por três lados retos. A círculo será a medida entre os vértices opostos do hexágono. Se
ma dos ângulos internos de um triângulo é sempre 180 graus. é circunscrito ao círculo, o diâmetro do círculo é a distância en-
triângulo retângulo tem um ângulo de 90 graus, e o quadra- tre os lados dos opostos do hexágono.
da hipotenusa é igual à soma do quadrado dos outros dois (ca-
s). Qualquer triângulo inscrito em um semicírculo é um 4.6 CÍRCULOS E ARCOS
ngulo retângulo e a hipotenusa coincide com o diâmetro. Es- Um círculo é uma curva fechada em que todos os pontos estão a
nformação pode ser útil em esboços e construções. Exemplos uma mesma distância de um ponto denominado centro. A ex-
riângulos são mostrados na Figura 4.4. pressão circunferência se refere à linha que limita o círculo. O
comprimento da circunferência é igual ao seu diâmetro multipli-
4.4 QUADRILÁTEROS cado por π (chamado pi, que é igual a aproximadamente
quadrilátero é uma figura plana limitada por quatro lados 3,1416). Outros elementos do círculo estão ilustrados na Figura
s. Se os lados opostos são paralelos, o quadrilátero é também 4.8.
paralelogramo. Alguns quadriláteros são mostrados na Fi-
a 4.5. 4.7 CONSTRUÇÕES E CAD
A maioria dos sistemas CAD têm um conjunto de ferramentas
4.5 POLÍGONOS que lhe permite encontrar rapidamente e com facilidade o ponto
polígono é uma figura plana limitada por linhas retas. Se o médio de um segmento ou arco, ou desenhar uma linha perpen-
gono tem ângulos e lados iguais, é denominado polígono re- dicular ou paralela a outra linha. Essas operações básicas não se-
ar. Alguns polígonos são mostrados na Figura 4.6. rão descritas aqui. Construções complexas, entretanto, requerem
uma série de passos, a criação de uma geometria de construção
RMAS INSCRITAS E CIRCUNSCRITAS precisa, ou funções que o sistema CAD não pode fornecer. Nes-
polígonos regulares são freqüentemente descritos e dimen- ses casos, o entendimento dos métodos de construção básica é
nados por sua característica de inscrição ou circunscrição em
círculo. Exemplos de polígonos inscritos e circunscritos são
strados na Figura 4.7. Se uma forma hexagonal tal como a ca- VÉRTICE
ALTURA
LA
DO

DO
LA

BASE
TRIÂNGULO TRIÂNGULO TRIÂNGULO TRIÂNGULO
EQUILÁTERO ISÓSCELES ESCALENO RETANGULO
Todos os lados iguais 2 lados iguais Nenhum dos lados Um ângulo
MENOR Todos os ângulos iguais 2 ângulos iguais ou ângulos iguais de 90º
QUE 90º

ARCO ÂNGULO RASO ÂNGULO ÂNGULO


COMPLETO OU DE MEIA VOLTA RETO AGUDO

MAIOR
QUE 90º
TRIÂNGULO RETANGULO INSCRITO
EM UMA SEMICIRCUNFERÊNCIA
Assume no ponto C na semicir-

ÂNGULO ÂNGULOS ÂNGULOS Teorema de


OBTUSO COMPLEMENTARES SUPLEMENTARES Pitágoras cunferência. ⬍ACB = 90º

GURA 4.3 Ângulos. FIGURA 4.4 Triângulos.

PARALELOGRAMAS

LADOS LADOS LADOS OPOSTOS


OPOSTOS IGUAIS DOIS SEM
LADOS E PARALELOS E
ÂNGULOS PARALELOS ÂNGULOS LADOS LADOS
IGUAIS, ÂNGULOS
IGUAIS E IGUAIS, OPOSTOS OPOSTOS IGUAIS PARALELOS PARALELOS
ÂNGULOS IGUAIS IGUAIS
PARALELOGRAMO QUADRILÁTERO
QUADRADO RETÂNGULO LOSANGO PROPRIAMENTE DITO TRAPÉZIO QUALQUER

FIGURA 4.5 Quadriláteros.


CAPÍTULO 4 • CONSTRUÇÕES GEOMÉTRICAS E FUNDAMENTOS DO MODELAMENTO 81

Inscrito Circunscrito
9 LADOS =
ENEÁGONO
3 4 5 6 7 8
10 LADOS =
LADOS LADOS LADOS LADOS LADOS LADOS
DECÁGONO
12 LADOS =
TRIÂNGULO QUADRADO PENTÁGONO HEXÁGONO HEPTÁGONO OCTÓGONO DODECÁGONO

FIGURA 4.6 Polígonos regulares.

S VÉRTICES LADOS
ICE S
DO S
É RT TOS OPOSTOS OPOSTOS
LA STO
V OS O
OP OP

FIGURA 4.7 Hexágonos inscritos e circunscritos.

DIÂMETRO ÂNG E
UL
IA
=
x3 O ENT
NC NG
TE

TA
Ê

.1

AN
CIRCUNFER

RA
41

DR

R
6

IO

TO
UA

O CIRCUNFERÊNCIAS
ETR SE
DIÂM
Q

RA CONCÊNTRICAS
I O CENTRO
CORDA E
SEG NT
M ENT CA
O SE
SE
A RCO MICÍR C ULO CIRCUNFERÊNCIAS
EXCÊNTRICAS

FIGURA 4.8 O círculo/a circunferência.

. Os exemplos a seguir apresentam ferramentas para o dese-


manual. Você pode relacioná-las com qualquer sistema a
D que estiver usando. Para propósito de esboço é fundamen-
o entendimento da geometria implícita no esboço, mas não há b
essidade de grande precisão. Se necessário, você pode usar c
bolos ou notas para maior clareza do esboço.

4.8 TRAÇANDO UM TRIÂNGULO DADAS AS


MEDIDAS DOS LADOS
am os lados a, b e c, como na Figura 4.9: b a b

c c
Desenhe um dos lados, por exemplo c. Desenhe um arco
com raio igual ao lado a.
Desenhe um segundo arco com raio igual ao lado b.
Desenhe os lados a e b a partir da interseção dos arcos. FIGURA 4.9 Traçando um triângulo dados os lados.
COMUNICAÇÃO GRÁFICA MODERNA

com o diâmetro AB igual ao lado dado s. Usando A como centro


Passo a passo 4.1 e a medida de r como raio, desenhe um arco ou círculo que inter-
Obtendo a bissetriz de um ângulo cepta o primeiro semicírculo em C. Desenhe os segmentos de re-
ta AC e CB para completar o triângulo retângulo.

4.10 CONSTRUINDO UMA MEDIATRIZ


A figura da direita mostra o Uma mediatriz é uma linha perpendicular que divide um seg-
ÂNGULO DADO
ângulo BAC a ser dividido. mento em duas partes iguais. Esta é uma construção muito útil
porque a mediatriz de qualquer corda de um círculo passa no seu
centro. A Figura 4.11 mostra um segmento AB a ser dividido em
QUALQUER RAIO duas partes iguais por uma linha perpendicular.
CONVENIENTE
1. Crie um arco de raio I. Com centro em A e em B, desenhe arcos iguais com raio
grande r. maior que a metade de AB .
r
II. Una os pontos de interseção dos arcos (D e E) através de
uma reta. A linha DE intercepta o segmento AB em C, seu
ponto médio.
2. Crie arcos com raios r’ li- r' = r' r' III. A linha DE será a perpendicular no ponto médio de AB .
geiramente maiores que
metade do segmento BC,
r'
para se encontrarem em
D.
SEGMENTO OU
ÂNGULOS IGUAIS ARCO DADOS

3. Crie a linha AD, que é a


bissetriz do ângulo. BISSETRIZ

Um triângulo também pode ser definido pelas medidas de


s lados e o ângulo entre eles, ou pela medida de um lado e os
s ângulos adjacentes. Uma vez que estas são construções fa-
mente executadas usando um sistema CAD ou um transferi-
não serão apresentadas.

4.9 TRAÇANDO UM TRIÂNGULO RETÂNGULO


DADOS A HIPOTENUSA E UM LADO
a desenhar um triângulo retângulo conhecendo-se a hipotenu-
um dos lados, como na Figura 4.10, desenhe um semicírculo

CENTRO
c

PERPENDICULAR
s
a b

s
LADOS
DADOS r

FIGURA 4.11 Dividindo um segmento de reta e um arco de cir-


GURA 4.10 Traçando um triângulo retângulo. cunferência em duas partes iguais.
CAPÍTULO 4 • CONSTRUÇÕES GEOMÉTRICAS E FUNDAMENTOS DO MODELAMENTO 83

Passo a passo 4.2


Dividindo um segmento em partes iguais
1. Desenhe uma linha de construção verti-
cal em um dos extremos do segmento
SEGMENTO DADO
Dicas práticas
dado. Partes proporcionais
Dividindo um segmento em partes
proporcionais
2. Fixe o zero da escala no outro extremo
do segmento. Imagine que seja necessário dividir um seg-
mento AB em três partes proporcionais a
2, 5 e 9.
Desenhe uma linha vertical no ponto B. Es-
colha uma escala conveniente para um total
de 9 unidades e fixe o zero da escala em A.
3. Gire a escala até que o número de divi-
sões necessárias coincida na linha ver-
tical (por exemplo, três unidades para
dividir em três partes).

3 SEGMENTOS IGUAIS
4. Faça marcas leves em cada posição.

5. Desenhe linhas de construção verticais passando em


cada posição.
Rotacione a escala até que a nona unidade
divisão de segmentos em partes iguais tem aplicação, coincida com a linha vertical. Ao longo da
r exemplo, para o desenho de (a) roscas de parafusos, escala, marque as posições corresponden-
) arranjo de estruturas e (c) degrau de escadas. tes a 2, 5 e 9 unidades. Desenhe linhas ver-
ticais por esses pontos.

Os sistemas CAD permitem o traçado rápido de mediatrizes.


a maneira de traçar a mediatriz é desenhar uma reta perpen-
ular ao segmento dado em um ponto qualquer. Depois, basta
vê-la para o ponto médio do segmento usando uma ferramen-
al como snap-to-midpoint.
COMUNICAÇÃO GRÁFICA MODERNA

C A D E M S E R V I Ç O
Object Snaps

Traçando uma linha que possa pelo centro de um círculo, através do recurso ‘Autosnap’ do AutoCAD
R.14.

RECISÃO chamada de "object snaps" em AutoCAD e algo similar na


omo no desenho com instrumentos, é muito importante maioria dos outros softwares. Por exemplo, quando você
onstruir com precisão seu desenho quando se usa um siste- quer encontrar o extremo exato de um segmento de reta ou
a CAD. Quando você está criando um desenho manual- arco, você pode selecionar a ferramenta "object snap" para
ente, a precisão de 1/40 avos da escala do desenho é "endpoint" e, então, clicar na linha ou arco. O programa
onsiderada aceitável. Se o seu desenho é criado na esca- CAD usará a informação armazenada no banco de dados
de 1”:400’, as medidas tomadas no desenho devem estar do desenho para encontrar o ponto exato, e o cursor do sis-
entro de mais ou menos 10 pés. Tenha em mente que, ge- tema CAD será automaticamente movido para aquela po-
lmente, não é uma boa idéia tomar medidas a partir do sição.
esenho. Em vez disso, deve-se ler as cotas fornecidas no de- Com a finalidade de criar desenhos precisos, você deve
enho. usar esta ferramenta ou algum outro método, tal como digi-
Crie seus desenhos usando o sistema CAD com preci- tar as coordenadas exatas, para desenhar com precisão.
ão, de modo que possam ser úteis. Quando você imprimir
s desenhos definitivos, a precisão do seu dispositivo de saí- USANDO "SNAPS"
a pode introduzir uma pequena variação. A maioria das O AutoCAD Versão 14 para Windows fornece os seguintes
mpressoras apresenta uma precisão de, pelo menos, 1/300 object snaps que você pode usar para criar rapidamente a
e polegada e a maioria dos plotters, na faixa de 1/1000 de geometria do desenho com precisão:
olegada.
Tracking Desloca o cursor para o ponto imaginário
de interseção de caminhos restringidos de
OBJECT SNAPS x e y a partir de um ponto. A posição é de-
maioria dos sistemas CAD oferecem uma ferramenta para terminada pela direção na qual você mo-
iar e selecionar com precisão a geometria do desenho –
CAPÍTULO 4 • CONSTRUÇÕES GEOMÉTRICAS E FUNDAMENTOS DO MODELAMENTO 99

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

1 Tracking 9 Snap to Tangent


2 Snap to From 10 Snap to Perpendicular
3 Snap to Endpoint 11 Snap to Insertion
Caixa de diálogo das 4 Snap to Midpoint 12 Snap to Node
5 Snap to Intersection 13 Snap to Nearest
configurações do recurso
6 Snap to Apparent 14 Snap to Quick
Autosnap do AutoCAD R. intersection 15 Snap to None
14 7 Snap to Center 16 Object Snap Setting
8 Snap to Quadrant

ve o cursor após especificar o primeiro Insertion Desloca o cursor para um ponto (ponto de
ponto. inserção) onde foi inserido texto ou grupo
de objetos chamados de block.
om Estabelece um ponto de referência tem-
porário a partir do qual outro ponto deve- Nearest Desloca o cursor para um ponto definido
rá ser selecionado. no desenho ou ponto de um objeto que
esteja mais próximo do ponto relacionado.
ndpoint Encontra os extremos de um elemento
geométrico, tal como segmentos de retas Quick Usado em conjunto com outros object
e arcos. snaps para encontrar o primeiro ponto se-
lecionável em vez de um ponto mais próxi-
idpoint Encontra o ponto médio de elementos
mo do centro do cursor, aumentando as-
geométricos.
sim a velocidade de seleção.
tersection Encontra a interseção de dois elementos
Autosnap Permite selecionar várias características
geométricas.
para as quais se aplica o object snap. Du-
pparent rante a seleção, o marcador do Autosnap
tersection Encontra a interseção real ou visual (onde mostra na tela quando seu cursor está pró-
uma linha pode interceptar a outra no es- ximo de uma possível característica geo-
paço 3-D). métrica. Ao aceitar, a característica é sele-
cionada. Autosnap pode ser ligado ou des-
enter Encontra o centro de um arco, círculo ou ligado para facilitar a seleção de outros
elipse. pontos, se for necessário.
uadrant Encontra os pontos a 0, 90, 180 ou 270 graus
(quadrantes) de um arco, círculo ou elipse. Object snaps são uma das mais importantes ferramentas
erpendicular Desloca o cursor para o ponto que forma- que se deve aprender a aplicar quando se aprende a usar
ria um alinhamento perpendicular com ou- um sistema CAD. Através da construção da geometria exa-
tro objeto. ta, seus desenhos tornam-se modelos do seu projeto que po-
dem ser usados para tomar medidas, determinar se as par-
angent Desloca o cursor para o ponto de um obje- tes se encaixarão na montagem, calcular áreas, volumes e
to que tangencia um outro objeto. propriedades de massa.
ode Desloca o cursor para um ponto definido
no desenho.
Encerra aqui o trecho do livro disponibilizado para
esta Unidade de Aprendizagem. Na Biblioteca Virtual
da Instituição, você encontra a obra na íntegra.
DICA DO PROFESSOR

Mesmo quando utilizamos ferramentas e técnicas de CAD, o conhecimento das técnicas de


desenho geométrico se mostra de grande valia.

Assista ao vídeo e identifique algumas das principais construções geométricas.

Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!

EXERCÍCIOS

1) Em construções geométricas, o que é um ponto?

A) Um lugar concebido e assumido como posição, porém sem extensão no espaço.

B) É algo que surge somente quando temos o encontro de duas retas.

C) É algo encontrado somente nos extremos de segmentos de reta.

D) É algo encontrado nas retas e nunca nos planos.

E) É uma pequena circunferência que surge do encontro entre uma reta e um plano, sendo
esta a forma que o define.

2) O que é segmento de reta?

A) É a distância delimitada entre dois pontos de uma reta.

B) É algo sem início, sem fim e sem espessura. Infinita.


C) Do grego segmentum, recorte que vai do ponto A ao infinito.

D) São as retas que tangenciam arcos.

E) É o mesmo que ângulo da reta. São sinônimos.

3) O que é um ângulo agudo?

A) Ângulo maior que 90o.

B) Ângulo menor que 90°.

C) Ângulos que somados a outro resultam em 90o.

D) Ângulos que somados a outro resultam em 180o.

E) É o ângulo mais aberto, 180o.

4) O que é um triângulo isósceles?

A) O triângulo isósceles apresenta todos os seus ângulos internos maiores que 90o.

B) O triângulo isósceles apresenta todos os lados iguais.

C) O triângulo isósceles apresenta em um de seus vértices um ângulo reto.

D) O triângulo isósceles não apresenta nenhum de seus lados ou ângulos iguais.

E) O triângulo isósceles apresenta um eixo de simetria que é perpendicular à base e contém o


vértice.

5) O que são linhas paralelas?

A) São retas que se interceptam em um ponto no espaço.

B) São retas cujos vértices se encontram em um ponto muito distante.

C) São retas equidistantes em toda a extensão.

D) São retas que se encontram em um único ponto. Tal ponto é denominado P.

E) São retas que não mantêm sempre a mesma distância entre si.

NA PRÁTICA

Veja como Renato conseguiu solucionar a tarefa proposta pelo seu chefe, no escritório onde
trabalha.
SAIBA MAIS

Para ampliar o seu conhecimento a respeito desse assunto, veja abaixo as sugestões do
professor:

Construção da mediatriz e da bissetriz com régua e compasso

Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!

Construções geométricas

Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!