Você está na página 1de 2

O FALSIFICACIONISMO DE KARL POPPER

Segundo Popper, a verificação não é um procedimento logicamente correto. A estratégia da verificação


assenta no raciocínio indutivo. Este é baseado na lógica do condicional e, como sabemos, nenhuma lei
lógica autoriza que a afirmação do consequente possa levar à verdade do antecedente.

A adoção da estratégia indutivistas, assenta no critério da verificação, então na perspetiva de Popper, ser
substituída por outro critério mais seguro, chamado critério da refutação. A sua estratégia não é a de
procurar verificar hipóteses, mas a de criar hipóteses de elevado conteúdo empírico que possam ser
refutadas. As leis e as teorias científicas seriam tanto mais verdadeiras quanto mais resistissem à sua
falsificação. Este é o aspeto inovador do método de Popper. Popper propõe a substituição do método
indutivo por um modelo hipotético dedutivo que assenta, não na verificabilidade das hipóteses, mas na sua
falsificabilidade.

Perspetiva de Popper:

1. Problema de demarcação- o que distingue teorias científicas das não científicas


2. Em que condições é científica uma teoria? Uma teoria é científica se for verificável. Uma teoria é
científica se for confirmável. Uma teoria é científica se for falsificável- Critério de Popper.
3. Qual o critério para dizer que uma teoria científica é melhor do que outra?

Problema de demarcação: consiste em encontrar um critério que permita separar ciência de pseudociência.
Será científica a teoria que se submete a testes destinados a falsificá-la e assim a refutá-la. A ciência
distingue-se da pseudociência porque procura falsificar e não verificar ou confirmar as suas hipóteses. As
teorias que não são refutáveis por alguma observação possível não são científicas e são cientificamente
tanto mais úteis quanto mais riscos correrem nas previsões que fazem.

Em que condições é científica uma teoria:

 Uma teoria é científica se for verificável: Segundo Karl Popper, as teorias científicas incluem leis, e
estas são enunciados universais, para uma hipótese ser verificável todos os casos particulares passados,
presentes e futuros tinham de ser observados, o que é impossível. O critério da verificabilidade não
serve, e a verificação não permite distinguir teoria científicas de não científicas. A estratégia da
verificação pode incorrer na falácia da afirmação do consequente. Esta forma de raciocinar encontra
problemas lógicos. A afirmação ou confirmação do consequente- deduzida da hipótese- não é prova
válida da verdade e do antecedente.
 Uma teoria científica se for confirmável: o que significa dizer que uma teoria é confirmável? Significa
dizer que pode ser parcialmente verificada pela experiência, pelo confronto com os factos. Mas esta
forma de raciocinar é indutiva, e a indução não nos dá garantias quanto à verdade da conclusão. Quanto
maior for o número de casos ou exemplos de acordo com a hipótese, maior será a probabilidade de esta
ser verdadeira, mas o processo de confirmação é sempre inconclusivo. Não é logicamente impossível
que uma observação refute o que a proposição enunciava. Dizer que podemos verificar parcialmente
enunciados universais é reconhecer que não estamos a confirmar enunciado universal nenhum. Se
falarmos de leis científicas- enunciados ou proposições universais- e reconhecemos que não podemos
verifica-las nem as confirmar empiricamente, então não devemos concluir que não é possível distinguir
teorias científicas de teorias não científicas? - Em suma nunca podemos saber se uma teoria ou hipótese
científica é verdadeira, por maior que seja o número de casos acumulados a seu favor. No entender de
Popper, não é possível verificar ou confirmar empiricamente as hipóteses científicas.
 Uma teoria é científica se for falsificável: Para Popper a teoria deve ser posta à prova com testes
severos, isto é, testes onde a probabilidade de a hipótese falhar é elevada. As hipóteses não devem ser
defendidas no sentido de procurar acumular casos que as verifique- devem arriscar-se em testes
críticos. Não podemos, mediante a observação e a experimentação, mostrar que as nossas hipóteses são
verdadeiras. A única coisa que, segundo Popper, os cientistas podem fazer é mostrar ou que são falsas
ou que ainda não foi aprovada a sua falsidade. Se verificar ou confirmar uma proposição universal é
impossível, o mesmo já não acontece com a sua refutação ou negação. E o que dizer se uma hipótese,
ao ser posta à prova, resistir aos testes a que a submetemos? Segundo Popper só temos direito de dizer
que não foi refutada e que temos razões para a aceitar, ou seja, para continuar a trabalhar com ela. Diz-
se então que foi corroborada. Será uma boa teoria, digna de confiança, mas não foi demonstra

Você também pode gostar