Você está na página 1de 3

SEMINÁRIO DE COMBUSTÃO INDUSTRIAL

TEMA: COMBUSTÃO E GASIFICAÇÃO DE BIOMASSA

BIOMASSA: QUAL A DIFERENÇA ENTRE COMBUSTÃO E GASIFICAÇÃO?


A biomassa de eucalipto, em linhas gerais, é o resíduo orgânico que resulta das árvores.  É
uma matéria prima que armazena grande quantidade de carbono, oxigênio, hidrogênio e de
energia, além de ser uma fonte renovável de baixo custo e rápido acesso. Em aspectos
químicos, sua composição é parecida com a gasolina e óleo diesel – porém,
diferentemente desses dois, a biomassa (hidrocarboneto) já apresenta oxigênio em sua
estrutura.  Nos casos dos três combustíveis, é a reação com o ar que libera a energia contida
nas ligações químicas.  Tal reação com o oxigênio só ocorre quando há condições que a
possibilitam como temperatura, pressão e a equação ar/combustível balanceada, conforme
explica o estudo Combustão e gasificação de biomassa sólida, publicada pelo Ministério
de Minas e Energia em 2008. Há quatro principais tecnologias que extraem com mais
eficiência a energia da biomassa: combustão com turbina a vapor, combustão com
motor a vapor, gasificador com motor ciclo Otto, gasificador com motor ciclo diesel.  É
possível observar, pela denominação dada às tecnologias, que são dois os métodos para que a
energia seja obtida. Mas quais as diferenças entre gasificação e a combustão de
biomassa? Enquanto a combustão precisa de mais oxigênio para gerar a energia, a
gasificação ocorre com a relação ar/combustível com muita falta de ar.  Em linguagem
química, “se for colocado mais ar que o necessário estequiométrico, a temperatura da chama
diminui, podendo chegar ao apagamento.” Esta é a mistura e denominada pobre. Se, ao
contrário, se utilizar a razão ar/combustível menor que a razão estequiométrica (mistura rica),
vai gerar falta de oxigênio na reação. Neste caso, “pouco calor será liberado, novamente
baixando a temperatura da chama e podendo chegar ao apagamento” (p. 73).   A combustão
gera calor e produz gases e sólidos chamados inertes (que não reagem): CO2, H2O e
cinzas. Tal calor é usado em processos industriais. Já a gasificação não libera calor em
excesso e produz gases que, mais tarde, podem reagir. Estes podem ter uso como insumo
em outros processos químicos ou serem utilizados como combustível em motores de
combustão interna, por exemplo.

Roteiro
1. O que é uma biomassa
2. Rotas de conversão da biomassa
2.1 Combustão direta
2.2 Gasificação
2.3 Diferença entre combustão e gasificação
3. Quais tecnologias extraem com mais eficiência a energia da biomassa
3.1 Centrais a combustão utilizando turbinas ou motores a vapor
3.2 Centrais com gasificação utilizando motores do ciclo Otto ou Diesel
4. Aplicabilidade da biomassa
URLs consultadas:
https://www.ecycle.com.br/biomassa/#Aplicabilidade-da-biomassa
https://potencialflorestal.com.br/biomassa-qual-a-diferenca-entre-combustao-e-gasificacao/
http://www.palotina.ufpr.br/portal/bioenergia/wp-
content/uploads/sites/5/2017/05/Fabiano_Bisinella_Scheufele_2017-PPGB-Biomassa.pdf
http://www.palotina.ufpr.br/portal/bioenergia/wp-content/uploads/sites/5/2016/07/PPGB-
Biomassa-2020.pdf
Capítulos consultados – Combustão e Gasificação de Biomassa Sólida:
Cap. 2 Princípios para Uso de Biomassa como Combustível
Cap. 3 Caracterização Energética da Biomassa Vegetal
Cap. 4 Pré-tratamento da biomassa
Cap. 5 Processos de Conversão Energética da Biomassa

COMBUSTÃO DIRETA
- Tecnologia de conversão mais antiga e difundida
-A biomassa é um combustível rico em voláteis ¾ de seu peso.

A combustão é seguida em 6 etapas consecutivas:

1. Secagem

2. Emissão de voláteis

3. Ignição dos voláteis

4. Queima dos voláteis em chama

5. Extinção da chama de voláteis

6. Combustão do resíduo de carbono (coque)

✓Voláteis se desprendem e são queimados sobre o leito.

✓Fluxo de ar:

▪ Primário – coque

▪ Secundário – combustão de voláteis

Gaseificação

Processo de conversão de um material de caráter sólido ou líquido, que contenha carbono em sua
composição em gases combustíveis

Você também pode gostar