Você está na página 1de 21

CENTRO PAULA SOUZA

226- ETEC PERUS

TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Gustavo Pereira do Carmo

Eliane Rodrigues dos Santos

John Rodrigue da Silva

Vinícius Marques da Silva

Vinícius Pelegrini Bacci

DTCC

São Paulo

2021
Gustavo Pereira do Carmo

Eliane Rodrigues dos Santos

John Rodrigue da Silva

Vinícius Marques da Silva

Vinícius Pelegrini Bacci

DTCC

Trabalho apresentado ao componente


curricular DTCC para obtenção de menção
parcial referente ao quarto semestre. Profª
Rebeca.

São Paulo

2021
Sumário

Introdução.....................................................................................................................4

Resumo........................................................................................................................5

Problemas nas empresas sem a esteira.......................................................................6

Objetivo........................................................................................................................8

Objetivos Especificos....................................................................................................9

Justificativa.................................................................................................................10

Revisão bibliográficas.................................................................................................11

Componentes.............................................................................................................12

CLP.............................................................................................................................13

Sensores....................................................................................................................14

Cilindro Pneumático....................................................................................................17

Motor DC....................................................................................................................18

Sistema supervisório..................................................................................................19

Fluxograma................................................................................................................20

Composição da Esteira...............................................................................................21
Introdução

Nestes últimos anos, nota-se uma grande mudança nos esquemas de


produção, tem-se como justificativa a grande competição que há entre as empresas e
o grande desenvolvimento das tecnologias que envolvem microprocessadores, robôs,
inteligência artificial, redes de comunicação, entre outras. Todas as diversas
estratégias de produção visam um objetivo de aumentar a competitividade, significa
aumentar a competição em termos de custo, disponibilidade inovação, qualidade,
dentre os meios para atingir esse objetivo está aí a automação industrial.

A automação industrial consiste em manipular vários processos na indústria por


meios mecânicos e automáticos, substituindo o trabalho humano por diversos
equipamentos.

O processo de automatização das indústrias tem aumentado gradativamente,


propiciando ganho da quantidade e qualidade da produção, simultaneamente,
oferecendo preços melhores para os consumidores. Seu avanço está ligado, em
grande parte, ao avanço recente da microeletrônica, o qual invadiu os setores
produtivos das indústrias. O processo de automação não atinge apenas a produção
em si, substituindo o trabalho braçal por robôs e máquinas computadorizadas, mas
também propicia enormes ganhos de produtividade ao integrar tarefas distintas com
a elaboração de projetos, o gerenciamento administrativo e a produção.

O uso de esteiras é realizado pelas indústrias de automação, como uma forma


eficaz de otimizar o processo produtivo. Atualmente a indústria precisa estar
constantemente atualizada para se destacar no campo competitivo. Entre os principais
meios utilizados para melhorar o desempenho das indústrias é o uso de
manipuladores e softwares de comunicação. Este projeto propõe o desenvolvimento
de uma esteira para levar peças de um ponto a outro, a existência de um sensor ao
longo da esteira é capaz de diferenciar o tamanho da peça e um manipulador será
responsável por separá-las em suas respectivas caixas.

4
RESUMO

Esta monografia apresenta o projeto de um sistema de controle de uma


esteira seletora de peças de metal a partir de uma seleção de tamanho no início que
é controlada através do hardware CLP (Controlador Logico Programável). Logo,
quando os sensores ópticos, indutivos e capacitivos, pela combinação de
acionamentos detectarem que a peça transportada está de acordo com o tipo
desejado, o processo continuará normalmente e após a passagem da tal pela
detecção será realizada simultaneamente a contagem do produto e depois ele será
armazenado em um compartimento específico. Porém, caso haja uma peça fora do
padrão adotado no início, os sensores irão detectá-la, logo, a esteira irá parar e a
retirada será realizada pelo operador.

ABSTRACT

This monograph presents the design of a control system of a treadmill


selector metal parts from a size selection at the beginning which is controlled via
hardware PLC (Programmable Logic Controller Therefore, when the inductive, optical,
and capacitive sensors detected by the combination of the can is transported in
accordance with the desired type, the process continues normally and after the
passage of such detection will be performed simultaneously by counting the product
and then it is stored in a specific compartment. However, if there is a can off the
standard adopted earlier, sensors will detect it, so the treadmill will stop, and the
withdrawal will be performed by the operator.

5
Problemas nas empresas sem a esteira.

Bom, um exemplo são empresas de logística, pois eles têm uma demanda grande de
mercadoria, que precisa ser selecionada e colocada separadamente por localidade.
Os funcionários que trabalham de 10 ou 12 horas no dia, ficam separando e colocando
em caixas para colocar nos caminhões e organizar em um tempo X, para fazer o
transporte da mercadoria para um outro lugar onde recebe os produtos. Com a
instalação da ESTEIRA AJTOMATIZADA você economiza tempo na hora de separar
os produtos sendo assim “PLASTICOS E METAIS” o operador só irá ter 2 a 3
trabalhos na esteira

1- Observar o processo;
2- Observar caso tiver um problema no processo;
3- Embalar e organizar dentro do caminhão.

Aí vem a pergunta “E CASO A PEÇA ESTIVER ERRADA?”

- O sensor irá recusar os produtos e irá ser descartado para um container de


lixos “caso a peça estiver quebrada ou algum problema de fábrica”, o operador
após o descarte, irá avisar o sistema e iram avaliar o produto para devolver o
produto em devido lugar ou acabar descartando em lixos separados como
“APENAS PLÁSTICOS E UM OUTRO APENAS METAIS”.

Bom? Caso pare o processo? O que fazer?

A empresa vai receber um manual de toda a máquina “PLANTA”, e então os


operadores iram receber um curso prévio de caso de emergência ou pane elétrico,
mas caso contrário irá ser instalado um painel de controle para trabalhar normalmente,
e um outro para caso de pane, automaticamente já ligara o outro para continuar o
processo e conceder o serviço sem parar.

Qual o tempo de uso?

Pode trabalhar o tempo de um operador comum em fábrica, sem parar, e pode se


dizer que o processo ficar contínuo caso, tiver 2 períodos na empresa.

O que ajudará no processo?

6
A empresa não terá perca de lucro para pagar 10 funcionário para ter o Processo de
separação, a cada 10 funcionário, a empresa nessa parte atuará apenas 2 a 3
operador, e o tempo de uso será contínuo, rápido e eficiente.

7
OBJETIVO

O objetivo é projetar uma esteira que transporte, selecione e conte peças,


sendo que, a triagem é feita por meio de um sistema lógico constituído de dois
sensores indutivos controlados por um CLP, que quando acionados, fazem com que
pistões pneumáticos sejam acionados e que seja feita a remoção das peças. A
estratégia desse trabalho foi analisar exclusivamente uma parte do processo que diz
respeito à seleção das peças . Do ponto de vista geral, essa é uma enorme vantagem,
pois muitas das empresas atuais utilizam sistemas de comparação manual, com
peças padrão ou mesmo dispositivos passa/não passa. Com base nesses dados, foi
possível realizar uma análise técnica para a automação desta parte do processo. O
ganho é enorme se levar em conta o investimento aplicado, a confiabilidade do
processo, a não utilização de recurso humano, que pode ser utilizada em outras áreas
e a diminuição do tempo ciclo da linha de produção.

Hipótese base

Redução de custos operacionais, agilidade no processo e liberação de


operários de operações repetitivas; possibilitando o aumento do ritmo de trabalho e
produtividade e, portanto, apresentando um menor custo operacional.

Para alcançar o objetivo geral deste projeto, procura-se alcançar os


seguintes objetivos.

8
OBJETIVOS ESPECIFICOS

• Demonstrar as vantagens em usar uma esteira seletora de peças em


relação ao trabalho manual;
• Verificar os custos econômicos do projeto;
• Analisar a eficiência da operação da esteira seletora de peças.

9
Justificativa e escolha do tema

Qualquer tipo de indústria, para que possa funcionar dentro dos parâmetros para
quais foi projetada, deve utilizar os mais diversos tipos de equipamentos para facilitar
o processo produtivo. A logística de distribuição deve entregar os materiais no ponto
certo com qualidade. Um bom layout de almoxarifado é aquele que facilita o trabalho,
racionaliza o espaço e possibilita rápida identificação dos materiais (MARTINS;
LAUGENI, 2001). a esteiras permite a baixa de estoques de peças, conferência de
produtos, equalização da remessa de componentes de um produto para a montagem
sem ficar peça sobrando ou faltando, tendo assim eficiência e otimização nos
processos industriais e na gestão dos estoques. Este trabalho apresenta a elaboração
do protótipo de um sistema de armazenamento contendo uma selecionadora de peças
com esteira. O principal escopo desse trabalho é provar a viabilidade de projetar e
construir um sistema completo de armazenamento automatizado de peças com
recursos que vão do básico ao avançado, sem necessidade de grande investimento
financeiro.

10
Componentes

• Um Motor DC responsável pela movimentação da esteira;

• Um Sensor Óptico que detecta fim de curso à esquerda;

• Um Sensor Indutivo para a detecção de peças metálicas;

• Um Sensor Capacitivo capaz de detectar qualquer peça (metálicas e não metálicas);

• Um Cilindro Pneumático para rejeição de peças.

11
Revisão bibliográfica

Automação (do latim Automatus, que significa mover-se por si só é um sistema


automático pelo qual os mecanismos verificam seu próprio funcionamento, efetuando
medições e introduzindo correções, sem a necessidade da interferência do homem.
Em seu uso moderno, a automação pode ser definida como uma tecnologia que utiliza
comandos programados para operar um dado processo, combinados com retroação
de informação para determinar que os comandos sejam executados corretamente,
frequentemente utilizada em processos antes operados por seres humanos, é a
aplicação de técnicas computadorizadas ou mecânicas para diminuir o uso de mão-
de-obra em qualquer processo, especialmente o uso de robôs nas linhas de produção.
A automação diminui os custos e aumenta a velocidade da produção, um conceito
mais abrangente de automação pode ser definido como a

Integração de conhecimentos substituindo a observação, os esforços e a decisões

Humanas por dispositivos (mecânicos, elétricos e eletrônicos, entre outros) e


softwares

Concebidos por meio de especificações funcionais e tecnológicas, com o uso de


Metodologias.

12
CLP

O Controlador Lógico Programável (CLP) ou pela sigla de expressão inglesa PLC


(Programmable Logic Controller), é um equipamento que através de uma de suas
linguagens, no caso a usada é a neste trabalho Ladder, programa microprocessadores
que basicamente controlam no geral toda a parte de comandos elétricos através de
suas Entradas (I) e Saídas (Q).

"Aparelho eletrônico digital que utiliza uma memória programável para o


armazenamento interno de instruções para implementação de funções específicas,
tais como lógica, sequenciamento. temporização, contagem e aritmética para
controlar, através de módulos de entradas e saídas, vários tipos de máquinas ou
processos. Um computador digital que é utilizado para desempenhar as funções de
um controlador programável é considerado dentro deste escopo. Estão excluídas as
chaves amborés e outros tipos de sequenciadores mecânicos”.

Abaixo se encontra a Figura 1, onde mostra a composição física do CLP140IF:

13
Sensor indutivo

Os sensores de proximidade indutiva são empregados nas aplicações em

locais que necessitem um nível de vedação e robustez como, por exemplo: óleos em
geral e vibrações. Este dispositivo tem como princípio a abertura ou fechamento de
seus chaveamentos elétricos internos quando acionado a partir da permeabilidade
magnética emitida pelo produto que se aproxima do sensor, mas, não a toca. Os
contatos variam de acordo com o modelo, podendo ter contatos NA. As modificações
do comportamento do oscilador são de moduladas e interpretadas pelo trigger de
modo a obter-se uma saída de sinais high-low, ou seja, uma onda quadrada bem
definida, capaz de excitar um circuito de potência, tal como um transistor ou um
efetuar um chaveamento sobre bobinas de relés, pequenos contatores, ou mesmo
circuitos lógicos. (Normalmente aberto) que fecha contato quando o sensor é
acionado, e NF (Normalmente fechado) que abre quando o sensor é acionado.

Abaixo se encontra a Figura 2, onde mostra a composição física do sensor indutivo

14
Sensor óptico

Este dispositivo tem princípio igual ao indutivo, a abertura ou fechamento de seus


contatos internos quando acionado, porém, a partir do bloqueio de luz emitido pelo
próprio. Os contatos variam de acordo com o modelo, podendo ter contatos NA
(Normalmente aberto) que fecha contato quando o sensor é acionado, e NF
(Normalmente fechado) que abre quando o sensor é acionado.

Abaixo se encontra a Figura 3, onde mostra a composição física do sensor óptico:

15
Sensores capacitivos

Sensores capacitivos são dispositivos tecnológicos que recebem e respondem a


um estímulo físico/químico ou sinal. Por sua vez, esta tecnologia é baseada nos
princípios do capacitor, podendo detectar a presença de objetos sem o contato destes.
O sensor é acionado quando detecta a presença do objeto a uma certa distância. O
princípio de funcionamento baseia-se na mudança da capacitância da placa detectora
localizada na região denominada sensível.

Abaixo se encontra a Figura 4, onde mostra a composição física do sensor


capacitivo:

16
Cilindro pneumático

Cilindro pneumático ou atuador pneumático linear é o responsável pela


movimentação das partes móveis nos processos de automatização e/ou automação,
e pela aplicação de força. Podemos dizer que são os músculos das máquinas.

Abaixo se encontra a Figura 5, onde mostra a composição física do cilindro


pneumático:

17
MOTOR DC

Um motor DC é um tipo de máquinas elétricas que converte energia elétrica de


corrente contínua em energia mecânica. Os tipos mais comuns dependem das forças
produzidas por campos magnéticos.

Qual é o princípio do funcionamento do motor?

Princípio de funcionamento de um motor de corrente contínua. Um motor é uma


máquina elétrica que converte energia elétrica em energia mecânica. O princípio de
funcionamento de um motor de corrente contínua é que “sempre que um condutor de
corrente é colocado num campo magnético, experimenta uma força mecânica.

Abaixo se encontra a Figura 6, onde mostra a composição física de um motor DC:

18
Sistema supervisório

O sistema supervisório é um conjunto de hardware e software que permite ao


operador ter acesso a informações de um processo. Sua função é coletar dados dos
vários dispositivos de campo, e apresentá-los em formato padronizado e amigável,
permitindo uma eficiente interação com o processo.

São atribuições do sistema supervisório:

• Apresentação de valores de variáveis de processo em tempo real;

• Geração de gráficos de tendência de variáveis de processo;

• Emissão de alarmes;

• Sinalização de estado operacional de equipamentos;

• Ligar e desligar equipamentos;

• Registro de eventos;

• Alteração de parâmetros de operação;

• Parametrização de instrumentos;

• Registro histórico de variáveis de processo;

• Armazenamento, recuperação de dados de equipamentos;

• Emissão de relatórios.

O sistema supervisório está estruturado através de uma série de telas e janelas.


As telas exibem os diversos dados disponibilizados pelo sistema, ocupando todo o
espaço disponível do monitor. As janelas têm as mesmas funções, mas diferem por
ocupar apenas uma parte da tela.

As telas e janelas são classificadas segundo o tipo de informação apresentada:

• Processo / utilidades;

19
Fluxograma

20
Composição da Esteira

A esteira é composta por:

• Um Motor DC responsável pela movimentação da esteira;


• Um Sensor Óptico que detecta fim de curso à esquerda;
• Um Sensor Indutivo para a detecção de peças metálicas;
• Um Sensor Capacitivo capaz de detectar qualquer peça (metálicas e não
metálicas);
• Um Cilindro Pneumático para rejeição de peças;
• Uma chave localizada no painel do CLP, para a seleção da peça a ser rejeitada:
metálica ou não metálica.

21

Você também pode gostar