Você está na página 1de 10

Manual Operacional

Aplicativo

Saque FGTS 19L

Versão: Prefeitura

Janeiro / 2020
Sumário

Introdução............................................................................................................3
1. Instalando o Aplicativo.....................................................................................5
2. Inserindo dados do Decreto.............................................................................6
3. Inserindo dados das áreas afetadas................................................................8
4. Visualizando e Imprimindo a Declaração das áreas afetadas.........................9
5. Gerando arquivo para entrega a CAIXA........................................................10

2
Introdução

O saque do FGTS por Necessidade Pessoal, cuja Urgência e Gravidade


decorram de Desastre Natural foi instituído pela Lei n° 10.878 de 8 de junho de
2004, que acrescentou o inciso XVI ao artigo 20 da Lei no 8.036 de 11 de maio
de 1990:

Art. 1° O caput do art. 20 da Lei no 8.036, de 11 de maio de 1990, passa a vigorar acrescido do
seguinte inciso:

"Art. 20.
............................................................................................................................................
XVI – necessidade pessoal, cuja urgência e gravidade decorra de desastre natural,
conforme disposto em regulamento, observadas as seguintes condições:
a) o trabalhador deverá ser residente em áreas comprovadamente atingidas de
Município ou do Distrito Federal em situação de emergência ou em estado de
calamidade pública, formalmente reconhecidos pelo Governo Federal;
b) a solicitação de movimentação da conta vinculada será admitida até 90 (noventa)
dias após a publicação do ato de reconhecimento, pelo Governo Federal, da situação
de emergência ou de estado de calamidade pública; e
c) o valor máximo do saque da conta vinculada será definido na forma do regulamento.
..............................................................................." (NR)

A regulamentação da Lei no 10.878/04 ocorreu por meio do Decreto no 5.113


de 22 de junho de 2004, que especificou:

a) Prazos para movimentação da conta vinculada:

Art. 1°
.........................................................................................................................................................
§ 1° Para os fins da movimentação de que trata este artigo, o decreto municipal ou do Distrito
Federal que declare a situação de emergência ou o estado de calamidade pública deverá ser
publicado no prazo máximo de trinta dias, contados do primeiro dia útil seguinte ao da
ocorrência do desastre natural.
§ 2° A movimentação da conta vinculada de que trata o caput só poderá ocorrer após o
reconhecimento da situação de emergência ou do estado de calamidade pública em
portaria do Ministro de Estado da Integração Nacional.
§ 3° A solicitação de movimentação será admitida até noventa dias da publicação do ato
de reconhecimento de que trata o § 2o.
(grifo nosso)

b) Delimitação do conceito de desastre natural:

Art. 2° Para os fins do disposto neste Decreto, considera-se desastre natural:


I - vendavais ou tempestades;
II - vendavais muito intensos ou ciclones extratropicais;
III - vendavais extremamente intensos, furacões, tufões ou ciclones tropicais;
IV - tornados e trombas d’água;
V - precipitações de granizos;
VI - enchentes ou inundações graduais;
VII - enxurradas ou inundações bruscas;
VIII - alagamentos; e
IX - inundações litorâneas provocadas pela brusca invasão do mar.

3
c) Forma de comprovação da área atingida pelo desastre:

Art. 3° A comprovação da área atingida de que trata o caput do art. 1o será realizada mediante
fornecimento à Caixa Econômica Federal, pelo Município ou pelo Distrito Federal, de
declaração das áreas atingidas por desastres naturais, que deverá conter a descrição da área
no seguinte padrão:

I - nome do distrito, cidade e unidade da Federação, caso todas as unidades residenciais


existentes no distrito tenham sido atingidas;
II - nome do bairro, cidade e unidade da Federação, caso todas as unidades residenciais
existentes no bairro tenham sido atingidas;
III - nome do logradouro, bairro ou distrito, cidade e unidade da Federação, caso a área
atingida se restrinja às unidades residenciais existentes naquele logradouro; ou
IV - identificação da unidade residencial, nome do logradouro, bairro ou distrito, cidade e
unidade da Federação, caso a área atingida se restrinja a determinada unidade residencial.
§ 1° Para elaboração da declaração referida no caput, deverá ser observada a avaliação
realizada pelos órgãos de defesa civil municipal e do Distrito Federal. (grifo nosso)
§ 2° A declaração referida no caput deverá conter a identificação do Município atingido pelo
desastre natural, as informações relativas ao decreto municipal ou do Distrito Federal e à
portaria do Ministro de Estado da Integração Nacional que reconheceu a situação de
emergência ou o estado de calamidade pública, e a Codificação de Desastre, Ameaças e
Riscos – CODAR*.
* A Codificação adotada pelo Ministério da Integração Nacional passa ser o COBRADE –
Classificação e Codificação Brasileira de Desastres, a partir da Publicação da Instrução
Normativa n° 1, de 24 de Agosto de 2012.

d) O valor a ser sacado e a forma de comprovação do direito ao saque


pelo trabalhador (alterado pelo Decreto 6.885 de 26/06/2009:

Art. 4° O valor do saque será equivalente ao saldo existente na conta vinculada, na data da
solicitação, limitado à quantia correspondente a R$ 6.220,00 (seis mil duzentos e vinte reais),
por evento caracterizado como desastre natural, desde que o intervalo entre uma
movimentação e outra não seja inferior a doze meses.
Art. 5° O titular da conta vinculada que não dispuser de meios para comprovação do endereço
residencial poderá fazê-la com apresentação de declaração emitida pelo Governo municipal ou
do Distrito Federal.

e) A responsabilidade sobre os procedimentos administrativos e


operacionais:

Art. 6° A Caixa Econômica Federal expedirá, no prazo de até dez dias contados da data de
publicação deste Decreto, atos normativos referentes aos procedimentos administrativos e
operacionais a serem observados para a movimentação de que trata o art. 1°.

Com base no artigo 6° do Decreto 5.113/04 a CAIXA estabeleceu por meio de


Circular CAIXA, os procedimentos/documentos para saque por Necessidade
Pessoal, cuja Urgência e Gravidade decorram de Desastre Natural, código de
saque 19L, estando vigente a Circular CAIXA n° 569 de 2012.

4
1. Instalando o Aplicativo

Descompactar o arquivo compactado FGTS19L – Prefeitura.zip e abrir a


ferramenta FGTS19L – Prefeitura.mdb

Observação: O aplicativo só pode ser utilizado em computadores com o


Microsoft Access instalado.

5
2. Inserindo dados do Decreto

Para incluir um decreto, insira todos os dados relativos ao decreto:

– UF e Município: UF e município atingido pelo desastre;


– Decreto Municipal: no do ato municipal que decretou o estado de
emergência / calamidade publica;
– Início e Término da Vigência: inicio e termino da vigência do decreto
municipal;
– Nome do Prefeito e CPF: nome e CPF do prefeito do município atingido, que
ira assinar a declaração.
– COBRADE: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres, sendo
permitido apenas os códigos:
– 1.1.1.2.0 – Terremoto - Tsunami;
– 1.2.1.0.0 - Inundações;
– 1.2.2.0.0 - Enxurradas;
– 1.2.3.0.0 – Alagamentos;
– 1.3.1.1.1 – Ciclones / Ventos Costeiros (Mobilidade de Dunas)
– 1.3.1.1.2 – Ciclones / Mares de Tempestade (Ressacas);
– 1.3.1.2.0 – Frentes Frias / Zonas de Convergência;
– 1.3.2.1.1 – Tempestades – Tornados;
– 1.3.2.1.2 – Tempestades – Tempestade de Raios;
– 1.3.2.1.3 – Tempestades – Granizo;
– 1.3.2.1.4 – Tempestades – Chuvas intensas;
– 1.3.2.1.5 – Tempestades – Vendaval.
– 2.4.2.0.0 – Rompimento de barragens.

Portaria do Gov. Federal e Publicação no D.O.U.: número da portaria


expedida pelo Ministério do Desenvolvimento Regional reconhecendo o decreto
municipal e a respectiva data de publicação no Diário Oficial da União;

6
b) Após inseridos os dados, clique no botão Confirmar:

Observação 1: Caso os campos não estejam habilitados para digitação, clique


no botão Novo Decreto.

Observação 2: Caso deseje alterar algum dado do decreto, clique no botão


Alterar dados.

7
3. Inserindo dados das áreas afetadas
Após cadastrados os dados do decreto, clique no botão Cadastrar / Visualizar
Áreas Afetadas

Botão Cadastrar
- Visualizar
Áreas Afetadas

Na janela que será aberta, insira os dados das áreas afetadas:

Dados das áreas urbanas afetadas

Dados das áreas urbanas afetadas

Observação: Os campos devem ser preenchidos sem acento e


tipo de logradouro (Exemplo: Não incluir “AVENIDA”,
ALAMEDA”, “RUA”) e a numeração das unidades residenciais
deve ser separadas por ponto e vírgula;

8
4. Visualizando e Imprimindo a Declaração das áreas afetadas
Após cadastrados todos os dados necessários, para visualizar e/ou imprimir a
declaração a ser assinada pelo prefeito e entregue a uma agencia da CAIXA,
basta clicar nos botões Visualizar e /ou Imprimir.

5. Gerando arquivo para entrega à CAIXA


Após cadastrados todos os dados necessários, para gerar o arquivo a ser
entregue a uma agência da CAIXA, juntamente com a declaração, basta seguir
os passos abaixo:

a) clicar no botão Gerar arquivo para CAIXA.

b) Selecionar o local onde o arquivo será salvo e informar um nome para o


arquivo, clicando em seguida no botão Abrir.

9
c) Clicar no botão Gerar.

Botão Gerar, para gerar


arquivo a ser entregue em
uma agência da CAIXA.

d) Ao ser concluída a operação será exibida a mensagem “Arquivo gerado com


sucesso!”

e) Grave o arquivo em um pendrive para entrega em uma agência da CAIXA.

10

Você também pode gostar