Você está na página 1de 7

A Tabela Periódica - organização dos elementos

Tabela Periódica: Evolução e organização dos elementos.

Desde Antoine Lavoisier (1743 – 1794), que escreveu a primeira lista extensiva
de 33 elementos e distinguiu metais de não metais, até aos nossos dias, a organização
dos elementos sofreu grandes alterações.

A estrutura actual da Tabela Periódica deve-se essencialmente a Mendeleev


que, ao ordenar os elementos segundo o número atómico crescente e respeitando as
semelhanças de propriedades (químicas e físicas), agrupou os elementos em
“famílias”, formando uma primeira tabela que, depois de reorganizada, se veio a
designar por Tabela Periódica.

Johann Dobereiner (1829) Alexandre Chancourtois

Fig. 2- A Hélice Telúrica


Fig. 1- Lei das Tríades
John Newlands Mendeleev (1869-1871)

Fig. 3 - Lei das oitavas

Fig. 4- Tabela Periódica (TP)

1
Localização dos elementos na Tabela Periódica.

Até ao momento são conhecidos 116 elementos que se dispõem em linhas


verticais e horizontais,

Às linhas verticais da TP dá-se a designação de grupos (numerados de 1, 2, …


18) e às linhas horizontais a designação de períodos (1 a 7).

Período – conjunto dos elementos dispostos numa mesma linha que, da esquerda para
a direita, aumenta o número atómico de uma unidade.
Grupo – conjunto dos elementos dispostos numa mesma coluna e que possuem igual
número de electrões de valência.
Muitas grandezas químicas ou físicas estudadas ao longo dos anos foram relacionadas
com a periodicidade dos elementos químicos, sendo o valor da grandeza representado junto
do respectivo símbolo. Estas grandezas aumentam ou diminuem consistentemente ao longo
dos grupos ou ao longo dos períodos - por exemplo, a electronegatividade aumenta ao
percorrer cada período e diminui ao percorrer cada grupo.

Na Tabela Periódica, os grupos I e II incluem os elementos de todos os períodos que se


situam, respectivamente, na primeira e segunda colunas, a contar da esquerda; os grupos III,
IV, V, VII, e VIII incluem os elementos de todos os períodos que formam as seis colunas da
Tabela que se situam na sua parte direita.
Os elementos que ocupam a parte central do Quadro Periódico, pertencentes aos
períodos largos, designam-se por elementos de transição e têm propriedades diferentes dos
elementos representativos.

2
GRUPO I DA TP: OS METAIS ALCALINOS
O grupo I da TP é constituído por seis elementos muito semelhantes nas suas
propriedades físicas e no seu comportamento químico: o lítio, o sódio, o potássio, o rubídio, o
césio e o frâncio.
1 - Propriedades físicas.
Todos os elementos deste grupo são sólidos à temperatura ambiente, muito pouco
duros, excelentes condutores do calor e da electricidade.
2 - Propriedades químicas.
Os metais alcalinos não se encontram livres na natureza devido à sua extrema
reactividade. Expostos ao ar oxidam-se rapidamente; por essa razão, só as superfícies recém-
formadas apresentam brilho metálico.

GRUPO II DA TP: OS METAIS ALCALINO-TERROSOS


O grupo II da Tabela Periódica comporta seis elementos, o berílio, o magnésio, o cálcio,
o estrôncio, o bário e o rádio, muito semelhantes entre si, como acontecia com os metais
alcalinos, mas em que a gradação das propriedades é muito mais acentuada, ao longo do
grupo.
1 - Propriedades físicas
Todos os elementos deste grupo apresentam carácter metálico acentuado, embora
menos que os do grupo I; designam-se por metais alcalino-terrosos. São moles, mas menos
que os elementos do grupo I; a dureza, como nos metais alcalinos, decresce ao longo do
grupo, à medida que o número atómico cresce. São sólidos à temperatura ambiente, bons
condutores do calor e da electricidade.
2 - Propriedades químicas
Os metais alcalino-terrosos, tal como os metais alcalinos, não se encontram livres na
Natureza. A causa disso está na grande reactividade que apresentam, inferior, contudo, à dos
elementos do grupo I;

3
GRUPO VII DA TP: OS HALOGÉNEOS
Este grupo inclui cinco elementos, o flúor, o cloro, o bromo, o iodo e o astátio, dos
quais os mais abundantes são o flúor e o cloro. Os elementos do grupo VII da Tabela Periódica
são designados por halogéneos, nome que significa geradores de sais; estes elementos são
dotados de grande reactividade química e reagem com quase todos os elementos.
1 - Propriedades físicas
O estado físico dos halogéneos varia gradualmente ao longo do grupo: o primeiro
elemento, o flúor, é um gás à temperatura ambiente e é difícil de liquefazer; o segundo
elemento, o cloro, é ainda gasoso à temperatura ambiente mas é substancialmente mais fácil
de liquefazer; o terceiro elemento, o bromo, é líquido e o quarto, o iodo, é sólido. Todos estes
elementos são muito tóxicos produzindo queimaduras difíceis de curar.
2 - Propriedades químicas
Os halogéneos são muito reactivos; o seu comportamento químico está de acordo com
as energias de ionização e afinidades electrónicas elevadas que os átomos apresentam. Devido
à sua grande reactividade, estes elementos não se encontram livres na Natureza.

O HIDROGÉNIO, UM ELEMENTO SINGULAR NA TABELA PERIÓDICA


O hidrogénio, o primeiro elemento do Quadro Periódico, apresenta uma configuração
electrónica muito especial. Por ter um único electrão na camada de valência, ela assemelha-se
à configuração electrónica dos metais alcalinos; por lhe faltar apenas um electrão para
preencher completamente a camada de valência, a configuração electrónica do hidrogénio
assemelha-se à de um halogéneo. A química do hidrogénio mostra que ele se assemelha, aos
metais alcalinos e não aos halogéneos. É por esta razão que o hidrogénio se coloca, na Tabela
Periódica, no grupo I. Na realidade, ele constitui, em si só, uma família distinta e não se
enquadra, verdadeiramente, em nenhum grupo da Tabela Periódica.

GRUPO VIII DA TP: OS GASES INERTES


Os gases inertes, o hélio, o néon, o árgon, o crípton, o xénon e o radão, constituem o
grupo VIII da TP. Existem na atmosfera, como gases não combinados; as suas moléculas, no
estado elementar, são monoatómicas, isto é, os átomos encontram-se isolados, sem se
ligarem uns aos outros.

4
Os elementos da Tabela Periódica podem ser classificados como:
Metais: Eles são a maioria dos elementos da tabela. São bons condutores de
electricidade e calor, maleáveis e dúcteis, possuem brilho metálico característico e são sólidos,
com excepção do mercúrio.
Não-Metais: São os mais abundantes na natureza e, ao contrário dos metais, não são
bons condutores de calor e electricidade, não são maleáveis e dúcteis e não possuem brilho
como os metais.
Gases Nobres: São no total 6 elementos e sua característica mais importante é a
inércia química.
Hidrogénio: O hidrogénio é um elemento considerado à parte por ter um
comportamento único.

RAIO ATÓMICO e RAIO IÓNICO


O átomo pode ser considerado esférico e é constituído por um núcleo e uma nuvem
electrónica que não tem limites definidos: os electrões podem encontrar-se a qualquer
distância do núcleo, havendo zonas de maior probabilidade da sua presença.
No entanto, os electrões não se encontram isolados, com excepção dos gases nobres,
mas emparelhados em sólidos cristalinos ou formando moléculas. Nestas situações os seus
centros encontram-se a distâncias mensuráveis e bem definidas.

Variação do raio atómico


O raio atómico decresce, genericamente, da esquerda para a direita ao longo de um
período e aumenta ao longo do grupo de cima para baixo.

5
Propriedades dos elementos e propriedades das substâncias elementares
Não devemos confundir elemento químico com substância elementar e convém
referir, que a TP apresenta valores para diversas propriedades, que não são propriedades dos
elementos, mas sim das substâncias elementares de que o elemento faz parte.

Número atómico, massa atómica relativa, distribuição


Propriedades dos elementos
electrónica, raio atómico, energia de ionização
Propriedades das Estado físico, ponto de fusão, ponto de ebulição, densidade,
substâncias elementares cor…

Em relação ao estado físico:


Sólidas – maior parte das substâncias elementares;
Liquidas – mercúrio e o bromo (são líquidos à temperatura de 25 )
Gases – o hidrogénio, o azoto, o oxigénio, o flúor e o cloro, assim como as substâncias
elementares correspondentes aos elementos do grupo 18.

A classificação em metais, não-metais e semimetais é uma classificação que diz


respeito às substâncias elementares.

Um metal é bom condutor de corrente eléctrica e de calor, é sólido à temperatura


ambiente (excepto o mercúrio), apresenta pontos de ebulição e de fusão muito elevados.
Um não – metal é mau condutor de corrente eléctrica e de calor.
Um semimetal ou metalóide apresenta aspecto e algumas propriedades físicas de
metais e algumas propriedades químicas de não-metal.

6
7