Você está na página 1de 2

Comentário sobre o livro História da Redenção

CAPÍTULO 1 – A queda de Lúcifer

1 - A luz de Lúcifer no céu.

Com um alto cargo nas cortes celestiais Lúcifer era um anjo cujo caráter e inteligência ultrapassava ao de
seus colegas. Sua testa extremamente larga destacava isso de forma evidente. A luz que emanava de si era
para os outros, motivo de admiração e respeito mútuo. Mesmo assim, a autoridade permanecia ao Filho de
Deus, pois sua inerência divina com o PAI vazia dEle único e, sendo assim, participante da criação de tudo
especialmente na de Lúcifer. Ou seja, a luz de Lúcifer não era motivo de vangloria ou exaltação, ter um
cargo elevado no céu não justificava pôr alguém acima de todos, mas estabelecer ordem. Pois no universo de
Deus todos são participantes independente de qual cargo ou luz especial é nos dada. Devíamos nos sentir
honrados, pois mesmo Deus, podendo governar e administrar todo o universo sentado em seu trono, ainda
nos da a oportunidade para ser um com Ele em seus assuntos.

2 – Cristo um com o Pai.

Temos a oportunidade (que não é nos dada na bíblia, não desfavorecendo ela é claro) de ter com mais
detalhes a cena onde começa o maior mistério do universo: Lúcifer cria dentro de si um enorme
questionamento que para todo o universo, e especialmente para nós, é motivo de grande dúvida: como um
ser perfeito conjectura sobre o seu lugar pondo em mente que Deus não é justo por escolher seu filho como
igual a Ele? É realmente frustrante, como quando estamos assistindo um filme sobre as origens de um super-
vilão e vemos a revoltante escolhe que levaria lá na frente a dor e o sofrimento de nossos personagens
amados. Mesmo que passássemos uma eternidade inteira ainda assim seria impossível esquadrinhar a
superfície das razões que levaram Lúcifer a fazer o que fez. Mas antes que alguém questione: “Ah, se eu não
souber sobre como tudo começou, de como foi que surgiu o pecado, vai ser difícil para mim acreditar que
Deus não esconde alguma coisa, que Ele tem algo que não quer contar.” . De certa forma sim, há coisas que
Deus omiti e oculta porque ainda não estamos prontos para adquirir tal conhecimento, essas informações nos
serão revelados quando a eternidade for uma realidade concreta em nossas vidas, ou seja quando estivermos
no céu. Para todo o ser humano o conselho de Deus é que nós procuremos estudar e viver as verdades que
ele revelou, porque estas sim implicam em nossa salvação. Saber, por exemplo: se haverá ou não
dinossauros no céu não implica em nossa salvação, ou seja, não estou dizendo que devemos demonizar toda
a curiosidade que não se aplique as implicações das verdades reveladas; quero dizer que deve haver um
limite controlado para que não percamos de vista o valor das verdades reveladas e o valor de se perguntar se
no céu vai ter isso ou aquilo, pois o segundo é bom para que a gente exercite a imaginação, este recurso nos
dado por Deus. Então, quando o assunto é: “Por que Lúcifer pensou na ideia do pecado enquanto era um ser
perfeito?”, Nossa melhor resposta é: Lúcifer fez a sua escolha que, para mim, não faz sentido. Porém, tendo
em vista que há um mal, recebi instruções claras de que esse mal, por mais que eu não consiga compreendê-
lo, tem um prazo de validade e até que o seu fim venha ficarei firme ao lado do meu Deus, pois na luta
contra o bem e o mau Lúcifer não fez nada por mim em contraste com Deus que enviou seu único filho para
morrer em meu lugar. O sofrimento não é em vão e mesmo que Satanás venha me dizer que ele é o senhor
de tudo, tenho as evidencias de sua mentira e as provas verídicas de um Deus que tudo sabe.

3-

Você também pode gostar