Você está na página 1de 5

Aula 2 – Técnico em administração – Administração de recursos Humanos iniciando

com TGA

Estado atual da Teoria Geral da Administração: Atualmente TGA estuda a


administração das empresas e demais tipos de organizações do ponto de vista de
interação e interdependência entre as cinco variáveis principais, cada uma objeto
específico de estudo por parte de uma ou mais correntes da Teoria administrativa. As
cinco variáveis básicas são:
 ____________
 ____________
 ____________
 ____________
 ____________

A administração hoje é o resultado histórico integrado da contribuição cumulativa de


numerosos precursores, cada um no seu campo de atividade, desenvolveu e divulgou
suas obras.
A história nos mostra que a maioria dos empreendimentos teve uma estrutura piramidal
retratando uma estrutura hierárquica concentrando no vértice as funções de poder e
decisão. Sofreram esta influência na época: Organização militar, Organizações Sociais,
Organizações políticas, Organizações econômicas e Igreja.

Incluir figura (pirâmide)

No decorrer histórico da humanidade até o início do século XX a Adm. se desenvolveu


com uma lentidão impressionante.

Influências nas teorias da Administração:

1. Influência da Organização Militar: A organização militar influenciou


enormemente o desenvolvimento das Teorias da Adm, através de:
 Organização Linear
 Unidade de comando
 A escala hierárquica
 A Centralização de comando
 Descentralização da execução Estado Maior(1665) staff
 Princípios da Direção

Todas as ordens tinham seus objetivos bem definidos e esclarecidos pois a obediência
cega jamais leva a uma execução inteligente de qualquer coisa.

Influência da revolução Industrial: Em 1776 houve a invenção da máquina a vapor


(James Watt), quando colocada em produção provocou uma nova concepção de
trabalho, com as seguintes mudanças:

1
 Alterou a estrutura social e comercial;
 Houve mudanças de ordem política, social e econômica;
 Provocou mudanças em um século maior do que o último milênio

Primeira parte da Revolução Industrial: (1780-1860)– Primeira revolução Indusdtrial ou


revolução do carvão e do ferro.
 Mecanismo industrial substitui o artesão;
 Aplicação da forma motriz (a força do vapor);
 Desenvolvimento do sistema fabril (fábricas);
 Transporte e comunicação (trem, telégrafo, selo postal, telefone).

Segunda parte da revolução Industrial: (1860-1914) – Segunda revolução Industrial ou


revolução do Aço e da Eletricidade.
 Substituição do ferro pelo aço;
 Substituição do vapor pela eletricidade;
 Desenvolvimento da máquina automática
 Domínio da indústria pela ciência;
 Transformações radicais nos transportes e nas comunicações;
 Em 1880, Dailer e Benz constroem automóveis na Alemanha;
 Henry Ford indica a produção de seu modelo T em 1908;
 Em 1906, Santos Dumont faz a primeira experiência com avião;
 Desenvolvimento da forma de organização capitalista;
 Pequenos artesões e suas máquinas juntaram-se a outros formando assim as
oficinas e esta série de fusões criou as fábricas;
 Produção mecanizada reduziu custos, aumentou a produção e provocou aumento
da demanda;
 Houve necessidade de grande contingente de pessoas nas fábricas;
 Houve a divisão do trabalho;
 Simplificação das operações;
 Tarefas semi-automatizadas e repetitivas;
 Divisão de tarefas (pessoas sem qualificação);
 Surgiu a pluralidade de máquinas e operários;
 Jornada de trabalho de 12/13 horas;
 Condições de trabalho perigosas e insalubres provocando acidentes e doenças
em larga escala;
 Crescimento industrial baseado no empirismo;
 Intensa migração de mão-de-obra do campo para as cidades;
 Surto acelerado de urbanização sem planejamento;
 Surge uma nova classe social o proletariado;
 Problemas de gerenciamento;
 Salários baixos;
 Baixo padrão de vida;
 Surgem os primeiros conflitos entre a classe operária e os proprietários;
 Surgem as leis trabalhistas (saúde) Inglaterra;
 O Capitalismo transformou o operário em uma massa anônima.

2
2. Influência da Igreja Católica: Ao longo dos séculos a igreja católica estruturou
suas organizações, com uma hierarquia de autoridade, um estado
maior(assessoria) e a coordenação funcional para assegurar integração. A
organização hierárquica da igreja é tão simples e eficiente que sua enorme
organização mundial pode operar sob o comando de uma só cabeça executiva: O
Papa. A estrutura da organização eclesiástica serviu de modelo para as
organizações, que passaram a incorporar princípios e normas administrativas
utilizados pela igreja católica.

3. Influência dos pioneiros e empreendedores:


 As estradas de ferro do século XIX foram o empreendimento empresarial de
maior vulto;
 Surgiram por consequência as urbanizações;
 Antes de 1850, não existia a necessidade do administrador;
 Após 1850, surgiu o mercado de aço e ferro para ferrovias, trens, construção,
etc...
 Surge o monopólio(truste) do: óleo, aço, conservas, cobre e alumínio;
 Com o crescimento das organizações surge a figura dos gerentes profissionais,
que se preocupavam com as vendas e as compras;
 Surgem os atacadistas, as redes de distribuição de vendas;
 Em 1880, surgem empresas como: General Eletric, com organização própria,
com departamento de vendas, produção, marketing, compras, engenharia,
financeiro, etc..
 Surge a empresa integrada e multidepartamental;
 Proprietários deram lugar a gerentes assalariados;
 Nesta época houve o crescimento vertical;

Teorias da Administração

Escolas: Clássica, relações humanas;


Teorias: Estruturalista, Burocracia, dos sistemas, comportamentalista, desenvolvimento
organizacional e abordagem contingencial.

A escola clássica ou teoria clássica da administração divide-se em dois grupos:


1. Estabelecido por Taylor chamado Administração Científica.
2. Estabelecido por Fayol, denominado Teoria Clássica da administração

A escola de administração científica, tem como ênfase nas tarefas e seu nome deriva da
aplicação de métodos científicos.

Taylor (1856-1915)

Foi o fundador da administração científica, iniciou seus experimentos e estudos pelo


trabalho de operário e mais tarde generalizou as suas conclusões para a administração e
teve sua obra registrada como primeiro período 1903 e o segundo período em 1911.
Iniciou sua vida como operário em 1878, passando após para capataz, contra-mestre,
chefe de oficina e engenheiro em 1885, quando se formou.

3
O primeiro período Taylor inicia-se por volta de 1903, onde o sistema de pagamento era
por peça ou tarefa, o que levava o patrão a forçar muito o ritmo de produção, criando
conflitos com os empregados e levando esses a reações que afetavam negativamente a
produção. Taylor começou a examinar essa problemática, realizando estudo de trabalho,
desenvolvendo técnicas de racionalização do trabalho por meio de estudo de tempos e
movimentos e com isto chegou as seguintes conclusões:
1. O objetivo da administração é pagar salários melhores e reduzir custos unitários
de produção;
2. Para tal objetivo a administração deve aplicar métodos científico e estabelecer
processos padronizados que permitam o controle das operações;
3. Os empregados devem ser selecionados e colocados em seus postos com
condiçõe4s de trabalho adequadas para que as normas possam ser cumpridas;
4. Os empregados devem ser trinados para aperfeiçoar suas aptidões e executar as
tarefas, a fim de cumprir uma produção normal;
5. Deve haver uma atmosfera de cooperação entre administração e trabalhadores,
para garantir um ambiente psicológico adequado.

Em uma fase posterior que foi o segundo período de Taylor, onde publicou o seu livro
“Princípios da administração Científica” (1911) onde concluiu que não bastava a
racionalização do trabalho operário, mas que as indústrias de sua época padeciam de
males que poderiam ser agrupados em três fatores:
1. Vadiagem sistemática por parte dos operários;
2. Desconhecimento pela Gerência das rotinas de trabalho e o tempo necessário
para sua realização;
3. Falta de uniformidade das técnicas ou métodos de trabalho.

Conclusão do Livro foi que a baixa produtividade do trabalho que chegava a um terço
do que seria o normal, decorre não apenas do operário, mas também de um sistema
defeituoso de administração, aos métodos ineficientes de organização e falta de
uniformidades das técnicas e métodos de trabalho.
Taylor verificou que os operários aprendiam a maneira de executar as tarefas do
trabalho por meio da observação dos companheiros vizinhos. Notou que isto levava a
diferentes métodos para fazer a mesma tarefa e uma grande variedade de instrumentos e
ferramentas diferentes em cada operação.

Objetivos do estudo de tempos e movimentos:

1. Eliminação de todo o desperdício de esforço humano;


2. Adaptação dos operários à tarefa;
3. Treinamento dos operários;
4. Especialização do operário;
5. Estabelecimento de normas de execução do trabalho.

Finalizando, Taylor foi o idealizador da divisão do trabalho e especialização dos


operários, do desenho de cargos e tarefas, dos incentivos salariais e prêmios de
produção, das condições de trabalho, da padronização e da supervisão funcional.

4
5

Você também pode gostar