Você está na página 1de 14

Universidade Federal do Ceará – UFC

Campus de Quixadá - Curso de Sistemas de Informação


TGA – 2010.1 Paulo Ivo Alves Pordeus
Professor João Ferreira de Lavor

Teoria Geral da
Administração (TGA)
Quixadá
2010.1
Paulo Ivo Alves Pordeus
Matrícula: 0324085

Portfólio – Teoria Geral da


Administração – TGA
Quixadá
2010.1

SUMÁRIO

Introdução____________________________________________________03.

Que Bom_____________________________________________________05.

1.1 Características da Teoria clássica da Adm._________________________05.

1.2 Caracterizações da Adm. Por Fayol______________________________06.

2.0 Características da Administração Cientificam ______________________06.

2.1 segundo período da Administração Cientifica______________________07.

2.2 Terceiro Período da Administração Cientifica______________________07.

3.0 Estudos dos Conceitos________________________________________07.

3.1 Necessidades que movem o ser Humano__________________________08.

4.0 Abordagem Humanística da Administração________________________09.

5.0 Estilos de liderança_____________________________________________09.

6.0 Que Pena_____________________________________________________09.

7.0 Que tal_______________________________________________________10.

Conclusão________________________________________________________11.
3

INTRODUÇÃO

No estudo da disciplina de TGA conhecemos um pouco sobre Administração e suas


principais teorias, bem como seus principais representantes. Estudamos os principais
Conceitos de Administração que é a condução racional das atividades de uma Organização e
também do planejamento, direção, comando e controle das atividades dentro da mesma.

Dessa forma a administração é imprescindível para a existência, sobrevivência e


sucesso das Organizações. Aprendi que a administração das organizações tem aspectos
exclusivos em que o administrador define estratégias e planeja aplicações para resolução de
problemas. E que, embora o profissional seja um excelente administrador, pode realizar seu
trabalho de forma eficiente e eficaz em uma organização e em outra não. Para obter sucesso
precisa desenvolver as habilidades técnicas, humanas e conceituais.

Observamos que à medida que o administrador se desenvolve profissionalmente


precisa, cada vez mais, desenvolver suas habilidades conceituais para não limitar sua
empregabilidade, ou seja, sua capacidade de conquistar e manter-se num emprego.

Tais habilidades requerem certas competências pessoais para serem colocadas em


ação com êxito. As competências (qualidade de que é capaz de analisar uma situação,
apresentar soluções e resolver assuntos ou problemas) na administração foram definidas como
competências duráveis e são elas: Conhecimento – Todo acervo de informações, conceitos,
ideias, experiências, aprendizagens que o administrador possuiu a respeito de sua
especialidade; Perspectiva – capacidade de colocar o conhecimento e ação.

Em aplicar o conhecimento na análise das situações e na resolução de problemas e


condução dos negócios; e Atitude – comportamento pessoal do administrador frente às
situações com que se defronta no seu trabalho. Estilo pessoal de fazer as coisas acontecerem,
maneira de liderar, de motivar, de comunicar. Ser ativo e pró-ativo.

Além disso, o administrador executa papeis interpessoais que se dividem em


representação, liderança e ligação; informacionais se dividem em monitoração, disseminação
e porta-voz; e decisórios se dividem empreendimento, resolução de conflitos, alocação de
recursos e negociação. Vimos também, que ao longo dos séculos, a administração sofreu
influencias das diversas civilizações, da Igreja Católica e das Organizações Militares.
4

Estudamos diversas teorias com abordagens diferenciadas em seis variáveis, a saber:


tarefas, pessoas, estruturas, ambientes, tecnologia e competitividade. Essas teorias dividem-se
em Teoria da Administração Científica com ênfase nas Obras de Frederick W. Taylor, Teoria
Clássica da Administração com ênfase nas Obras de Henri Fayol, Abordagem Humanística da
Administração, Neoclássica, Estruturalista, Comportamental e Teoria Geral dos Sistemas.

Apresento neste portfólio os conteúdos estudados e comentários pessoais a respeito


dos mesmos, destacando os pontos positivos e negativos, minhas dificuldades e minhas
expectativas sobre os assuntos, enfim, uma síntese do meu aprendizado durante este semestre.
Ao final estão os anexos das aulas e textos complementares que foram vistos durante este
curso. Destaco ainda neste parágrafo minha nota de auto-avaliação e acredito que mereço nota
5,0 (máxima do portfólio) não por ter aprendido todo o conteúdo ou achar que tenha feito um
excelente trabalhos neste portfólio, mas pelo esforço que tive e por ter me surpreendido com
tal esforço e dedicação com que tenho estudado a fim de obter êxito nesta disciplina de TGA.
5

 1.0 Que Bom:

Neste tópico apresento e defino tudo aquilo que gostei de aprender durante este semestre
na disciplina de TGA, e comentários pessoais sobre os mesmos,destaco ainda a importânci
deles para a sociedade e para as pessoas.

No estudo da disciplina de TGA, foram abordados vários temas para estudo, mais o que
mais me chamou a atenção foram as teorias que fundamentam a administração como a
conhecemos. Dentre essas teorias as que mais me chamaram a atenção foram a Teoria clássica
da Administração, e a Teoria da Administração Cientifica, que tiveram como fundadores o
europeu Henri Fayol, e o americano Frederick Winslow Taylor, respectivamente. Aprendi que
cada uma dessas teorias tinha características distintas, e que mesmo assim tinham um ideal em
comum, o de maximizar a produção e a qualidade tanto dos produtos quanto dos operários.
Abaixo segue as principais características de cada uma das teorias citadas acima.

1.1Características da Teoria clássica da Administração:

Henri Fayol (1841-1925), o fundador da Teoria clássica, nasceu em Constantinopla e


faleceu em Paris, vivendo as consequencias da Revolução industrial e, mais tarde, da Primeira
guerra mundial. Formou-se em engenharia de minas e entrou para uma empresa metalúrgica e
carbonífera onde fez sua carreira.

Segundo Fayol a administração é função distinta das demais funções da empresa, como
finanças, produção e distribuição, a administração compreende cinco funções: planejamento,
organização, comando, coordenação e controle. A empresa era considerada um sistema
racional de regras e de autoridade, que justifica sua existência na medida em que atende ao
objetivo primário de fornecer valor, na forma de bens e serviços, a seus consumidores.

Ele considerava a empresa um sistema racional de regras e de autoridade, que justifica sua
existência na medida em que atende ao objetivo primário de fornecer valor, na forma de bens
e serviços, a seus consumidores. Essa ideia aplica-se a qualquer tipo de organização, embora
Fayol tivesse usado a indústria.O trabalho do dirigente consiste em tomar decisões,
estabelecer metas, definir diretrizes e atribuir responsabilidades aos integrantes da
organização, de modo que as atividades de planejar, organizar, comandar, coordenar e
controlar estejam numa sequência lógica.
6

1.2 Fayol caracterizava a administração com o processo chamado de POCCC, ou seja,


planejamento, organização, comando, coordenação, controle. Ode o planejamento consistia
em examinar o futuro e traçar um plano de ação a médio e longo prazo, a organização: em
montar uma estrutura humana e material para realizar o empreendimento, o comando: manter
o pessoal em atividade em toda a empresa, coordenação: reunir, unificar e harmonizar toda a
atividade e esforço, controle: cuidar para que tudo se realize de acordo com os planos e as
ordens.

Fayol sugeriu ainda que as organizações possuíam seis funções básicas:

1. Funções técnicas: relacionadas com a produção de bens ou de serviços;

2. Funções comerciais: compra, venda e permutação;

3. Funções financeiras: procura e gerência de capitais;

4. Funções de segurança: proteção e preservação dos bens e das pessoas;

5. Funções contábeis: inventários, registros, balanços, custos e estatísticas;

6. Funções administrativas: integração de cúpula das outras cinco funções.

2.0 Características da Administração Científica:

A teoria da administração cientifica esta dividida em três períodos distintos onde o


primeiro período visava basicamente pagar salários melhores e reduzir custos unitários de
produção. Pra isso a administração deveria aplicar métodos científicos de pesquisa e
experimentos para formular princípios e estabelecer processos padronizados que permitissem
o controle das operações fabris. Ou seja, os empregados deveriam ser cientificamente
selecionados e colocados em seus postos com condições de trabalho adequadas para que as
normas pudessem ser cumpridas. Taylor afirmava ainda que a administração precisaria criar
uma atmosfera de íntima e cordial cooperação com os trabalhadores para garantir a
permanência desse ambiente psicológico.
7

2.1 Segundo Período da Administração Cientifica

Em seu segundo período que segue a publicação do segundo livro de Tylor a


administração cientifica defendia que ela era uma combinação de ciência em lugar de
empirismo, harmonia em vez de discórdia, cooperação e não-individualismo, rendimento
máximo em lugar de produção reduzida, desenvolvimento de cada homem a fim de alcançar
maior eficiência e prosperidade. A partir disso foi desenvolvido um sistema que visava
organizar as tarefas, esse sistema se chamava Organização Racional o Trabalho (ORT). Esse
sistema baseava-se na divisão das tarefas de acordo com a capacidade, a eficácia e a eficiência
de cada funcionário.

2.2 Terceiro Período da Administração Cientifica

Já em seu terceiro período a Administração cientifica tinha como uma de suas idéias
fundamentais que a produtividade resulta da eficiência do trabalho e não da maximização do
esforço. Que a questão não é trabalhar duro, nem depressa, nem bastante, mas trabalhar de
forma inteligente. Até hoje essa ideia não se firmou completamente, uma vez que ainda tem
quem acredite que a produtividade é mais elevada quando as pessoas trabalham muito sem
interrupção.

3.0 Estudo dos Conceitos

Como já dito essas foram as duas teorias que mais me chamaram a atenção neste
primeiro contato com a disciplina de TGA. Claro que elas não foram as únicas coisas que me
chamaram atenção, dentre o vários conteúdos estudados uma das coisas que mais gostei foi a
absorção de vários conceitos. O contato com esses conceitos é enriquecedor, pois com isso há
um crescimento enorme da minha capacidade de agir corretamente diante de uma situação,
pois uma vez que se conhece as características de uma determinada coisa, no caso os
conceitos, com certeza ela será melhor utilizada, tornando-se assim um profissional eficaz.
Dentre os conceitos estudados os que certamente serviram como base para meu crescimento
pessoal foram os seguintes:

O conceito de Homem Social: Ou homo social é a concepção do ser humano motivado por
recompensas e sanções sociais e simbólicas em contraposição ao homo economicus (motivado
por recompensas e sanções salariais e materiais).

Liderança: É a influência interpessoal exercida em uma situação e dirigida por meio do


processo da comunicação humana para a consecução de um determinado objetivo.

Valencia: É a qualidade adquirida por objetos, pessoas ou situações em um grupo dinâmico de


forças psicológicas.
8

Manipulação: É o processo por meio do qual se induz e condiciona a pessoa a fazer algo como
se fosse de sua vontade, quando, na verdade, ela faz o que os outros querem.

Liderança: É a influência interpessoal exercida em uma situação e dirigida por meio do


processo da comunicação humana para a consecução de um determinado objetivo.

Autoridade: Significa o direito de dar ordens e esperar obediência. Está relacionado com a
posição que o administrador ocupa formalmente na organização.

Eficiência: Significa fazer as coisas bem feitas e corretamente de acordo com o método
preestabelecido. A eficiência corresponde a 100% do tempo padrão estabelecido pelo estudo
de tempos e movimentos.

Ergonomia: Do grego ergon (trabalho) e nomos (uso, regulamentação) é a ciência que estuda
os ritmos e métodos de trabalho no intuito de melhor adaptação do homem no processo de
trabalho. É também denominada engenharia humana.

Divisão do Trabalho : Significa a divisão de tarefas entre os indivíduos ou grupos sociais, de


acordo com a posição que cada um deles ocupa na estrutura social e nas relações de
propriedade. Cada pessoa ou grupo torna-se um especialista para realizar um tipo específico
de atividade.

Trabalho: É toda atividade humana voltada para a transformação da natureza, no sentido de


satisfazer uma necessidade. Trata-se de um dos fatores de produção para os economistas,
juntamente com a natureza e o capital.

O contato com esses conceitos é enriquecedor, pois com isso há um crescimento enorme da
minha capacidade de agir corretamente diante de uma situação, pois se uma pessoa conhece as
características de uma determinada coisa, no caso os conceitos, com certeza ele saberá usá-la
melhor.

3.1 Necessidades que movem o ser humano

Uma das coisas dentre as quais estudamos e que também gostei muito foram as
necessidades humanas, que se dividem em três tipos, e em uma hierarquia representada a
seguir: Necessidades Fisiológicas: são as necessidades primárias, vitais ou vegetativas,
relacionadas com a sobrevivência do indivíduo: alimentação, sono, atividade física, satisfação
sexual, abrigo e proteção contra os elementos e de segurança física contra os perigos.

Psicológicas: são necessidades secundárias e próprias do homem. Necessidade de


segurança íntima, autodefesa, procura de proteção contra o perigo, ameaça ou privação.
Necessidade de Participação: a aprovação social, o reconhecimento do grupo, o calor humano,
a vontade de fazer parte de um grupo são necessidades que levam o homem a viver em grupo
e socializar-se. Necessidade de autoconfiança refere-se à maneira pela qual cada pessoa se vê
9

e se avalia, ao auto-respeito e à consideração que tem para consigo mesma. Necessidade de


afeição, dar e receber afeto, amor e carinho.

Necessidades de auto-realização: são as mais elevadas e decorrem da educação e da


cultura da pessoa. São raramente satisfeitas em sua plenitude, pois o ser humano procura
maiores satisfações e estabelece metas crescentemente sofisticadas. É o impulso de realizar o
próprio potencial e de estar em contínuo autodesenvolvimento.

4.0 Abordagem Humanística da Administração

Como já citado as principais coisas que gostei de ter estudado foram as teorias
administrativas, onde já foram citadas acima as duas principais teorias. Outra teoria que
também estudamos e que certamente possui um conteúdo muito rico é a Teoria Humanística
da administração, essa teoria consistia basicamente na revolução conceitual: a transferência da
ênfase antes colocada na tarefa (administração científica) e na estrutura organizacional (teoria
clássica) para ênfase nas pessoas que trabalham ou que participam nas Organizações. Dos
aspectos técnicos e formais para o psicológico e social. Teoria das Relações Humanas nos
EUA, em 1930.

5.0 Estilos de Liderança

Autocrática - o líder fixo as diretrizes, sem qualquer participação do grupo.

Democrática - as diretrizes são debatidas e decididas pelo grupo, estimulando e assistido pelo
líder.

Liberal (laissez-faire) - há liberdade total para as decisões grupais ou individuais, e mínima


participação do líder.

6.0 Que pena:

Neste tópico explicitarei algumas coisas das quais não gostei tanto na disciplina como
nos métodos usados para aplicá-la. E uma de minhas observações mais fundamentais é a de
que o senhor não tire pontos de mim pelo conteúdo desse tópico, uma vez que o mesmo foi
uma exigência do senhor.
10

No estudo da disciplina de TGA uma das coisas que mais senti vontade de fazer e que
não fizemos, foi aprofundar mais os nossos conhecimentos sobre as outras teorias
administrativas como, a Teoria Neoclássica, Teoria comportamental, Teoria Dos Sistemas
entre outras, pois com o estudo dessas teorias aumentaríamos mais ainda o nosso
conhecimento, nos ajudando assim a compreender e melhor cada problema relacionado a elas.

As quais andei pesquisando um pouco e aprendi que essas são respectivamente :

A corrente eclética e pragmática baseada na atualização e rendimento da teoria clássica e na


ênfase colocada nos objetivos. A corrente baseada na psicologia organizacional e que
redimensiona os conceitos de Teoria Das Relações Humanas. É a corrente que trata as
organizações como sistemas abertos e em constate interação. E intercâmbio com o meio
ambiente.

Já relativo aos métodos de ensino não gostei principalmente do método usado na


correção das provas, pois algumas das questões tanto minhas como dos meus amigos eram
consideradas erradas apenas pela falta de algumas palavras, que se colocadas na resposta não
a alterariam em nada. Outro ponto que vale a pena ser destacado e que as respostas das provas
deveriam está absolutamente iguais as respostas apresentadas nos slides, caso contrario eram
consideradas erradas, quando poderiam ser consideradas ao menos incompletas.

Outro ponto fraco é que as aulas de TGA foram todas praticamente iguais, ou seja,
mudavam apenas o conteúdo, tornando as aulas monótonas, e dificultando assim tanto o nosso
entendimento do conteúdo como a escrita o portfólio, ora cá entre nós, é muito difícil escrever
dez paginas sobre uma coisa que é igual toda semana.

7.0 Que tal:

Uma das minhas sugestões e que sejam passados mais trabalhos e que seja descartada
a ideia do portfólio, seria muito melhor fazer um trabalho a cada tema estudado que um
trabalho que abrange todos os temas. Acho que se feito dessa maneira o conhecimento seria
ainda melhor aproveitado, pois os conteúdos ainda estariam frescos na memória e seriam
ressaltados novamente na resolução do trabalho.

Outra sugestão é que as aulas fossem um pouco mais interativas, e que fosse buscado
um modelo de aula diferencial, que prendesse a atenção os alunos, em vês de desprendê-lo.
Um exemplo desse diferencial citado seria exatamente a aplicação de trabalhos, listas de
exercícios, mas claro tudo de forma que não sejam considerados demasiados. Uma outra
sugestão minha é que a aula fosse um pouco mais descontraída, ou seja, uma aula em que o
professor não vai lá para frente e só fala e fala a respeito do conteúdo tentando enfiá-lo a força
na cabeça dos alunos, acho que uma boa atitude que mude isso seriam o professor mudada de
assunto de vez em quando nem que seja só por um pequeno instante, ou tentar mostrar como
ele dever ser colocado na vida real, algo desse tipo.
11

Conclusão

A Teoria Geral da Administração evolui de tal maneira que, para um estudo mais
detalhado desta evolução, foram identificadas várias escolas de Administração. Dentro da
escola Clássica da Teoria da Administração, encontramos a Teoria da Burocracia, que na
metade do século XX, surgida do enfraquecimento da Teoria Clássica e da Teoria das
Relações Humanas, que estavam em conflito.

Os estudos de Max Weber serviram de inspiração para uma nova teoria administrativa,
que serviu de objeto de pesquisa para a realização deste trabalho. Será abordada a origem da
Teoria da Administração, como surgiu o modelo burocrático de Weber, quais as
características, vantagens e disfunções da burocracia, além de que, baseado em outros autores
que estudaram o processo burocrático, entender melhor os vários tipos de autoridades, de
organização de estruturas de poder, além de uma gama de outros conceitos relevantes para a
conclusão da pesquisa.

A Teoria Geral da Administração mostra o efeito cumulativo e gradativamente


abrangente das diversas teorias com suas diferentes contribuições e diferentes enfoques.
Todas as Teorias Administrativas são válidas, embora cada qual valorize uma, ou alguma das
cinco variáveis básicas. Na realidade, cada teoria administrativa surgiu como uma resposta
aos problemas empresariais mais relevantes de sua época. E, neste caso, todas elas foram
bem-sucedidas ao apresentarem soluções específicas para tais problemas. De certo modo,
todas as Teorias Administrativas são aplicáveis às situações atuais, e o Administrador precisa
conhecê-las bem para ter a sua disposição um naipe de alternativas adequadas para a situação.

A TGA estuda a Administração das organizações e empresas do ponto de vista da


interação e interdependência entre as cinco variáveis principais: tarefa, estrutura, pessoa,
tecnologia e ambiente. Elas constituem os principais componentes no estudo da
Administração das organizações e empresas. O comportamento desses componentes é
sistêmico e complexo: cada um influencia e é influenciado pelos outros. Na realidade, a
adequação e integração entre essas cinco variáveis constituem o desafio da Administração.

Com tudo isso aprendemos que a administração é o processo de planejar, organizar, dirigir e
controlar o uso de recursos a fim de alcançar objetivos organizacionais. A tarefa da
Administração é interpretar os objetivos propostos pela Organização e transformá-los em ação
organizacional por meio de planejamento, organização, direção e controle de todos os
esforços realizados em todas as áreas e em todos os níveis da Organização.

Neste parágrafo incluo minha nota de auto-avaliação e acredito que mereço nota 5,0
(máxima do portfólio) não por ter aprendido todo o conteúdo ou achar que tenha feito um
excelente trabalhos, mas pelo esforço que tive e por ter me surpreendido com tal esforço, e
mais ainda pela dedicação com que tenho estudado a fim de obter êxito nesta disciplina de
TGA.
12

Bibliografia

Chiavenato , Idalberto,19 36 -
C458i Introdução à teoria geral da administração / Idalberto Chiavenato. - 3. ed. -
3. ed. São Paulo : McGraw-Hill do Brasil,1983.