Você está na página 1de 1

5

9
LEITE, Yonne; FRANCHETTO, Bruna. “500 anos de línguas indígenas no Brasil”. In: Suzana A. M.
Cardoso, Jacyra A. Mota, Rosa Virgínia Mattos e Silva (orgs), Quinhentos Anos de História
Linguística do Brasil. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia, 2006.
MASSINI-CAGLIARI, Gladis.; CAGLIARI, Luiz Carlos. Fonética. In Mussalim, F. & Bentes, A. C.
(orgs.) Introdução à Linguística I. São Paulo: Cortez, 2003.
MOORE, D.; STORTO, L. As Línguas Indígenas e a Pré-História. Pena, S. D. J. (org.), Homo brasilis.
São Paulo: FUNPEC-Editora, 2002.
MORI, A. C. Fonologia. In: Mussalim, F. & Bentes, A. C. (Orgs.) Introdução à Linguística I. São
Paulo: Cortez, 2003.
SANDALO, M. F. S. Morfologia. In Mussalim, F. & Bentes, A. C. (orgs.) Introdução à Linguística.
São Paulo: Cortez, 2003.
WETZEL, L. (org.). Estudos fonológicos das línguas indígenas brasileiras. Rio de Janeiro: Editora da
UFRJ. 1995.

Linguística textual

Ementa: Leitura e produção de textos. Exame da diversidade textual. Orientação dos conhecimentos
específicos concernentes ao campo da Linguística Textual. Desenvolvimento dos principais tipos de
textos, segundo seus fundamentos epistemológicos.
Objetivos:
Compreender o surgimento do campo dos estudos sobre o texto.
Estudar Conhecer o funcionamento textual considerando as categorias internas ao texto e as de
superfície;
Compreender o funcionamento do texto considerando os tipos de gêneros.

Bibliografia básica:
BASTOS, Lúcia K. Coesão e coerência em narrativas escolares. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
CHIAPPINI, Lígia. (Org.) A circulação dos textos na escola: um projeto de formação-pesquisa. São
Paulo: Cortez, 1998.
CITELLI, Adilson. O texto argumentativo. São Paulo: Scipione, 1994.
FARACO, Carlos; TEZZA, Cristovão. Prática de texto: língua portuguesa para nossos estudantes
universitários. Petrópolis: Vozes, 1992.
FAULSTICH, Enilde L. de J. Como ler, entender e redigir um texto. Petrópolis: Vozes, 1997.

Bibliografia complementar:
GALVES, Charlotte et al (Org.) O texto: leitura e escrita. 3ª ed. Campinas: Pontes, 2002.
GARCEZ, Lucília H. do C. A escrita e o outro: os modos de participação na construção do texto.
Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1998.
GERALDI, João Wanderlei (Org.) O texto na sala de aula. 3ª ed. São Paulo: Ática, 2001.
GUIMARÃES, Eduardo. A articulação do texto. São Paulo: Ática, 1992.
KOCH, Ingedore. G. V. O texto e a construção de sentidos. São Paulo: Contexto, 1997.
. A i nte r -a çã o pe l a li ng uag em . 3. e d. Sã o Pa ul o: Co nt e xt o, 19 97.
ORLANDI, Enni P. Leitura: perspectivas interdisciplinares. São Paulo: Ática, 1988.

Semântica da Enunciação

Ementa: Fundamentos dos estudos da língua e enunciação na relação com a história, o sujeito e o
político, articulados à análise do discurso. Análise do acontecimento no espaço enunciativo e como se
mobiliza a enunciação a partir dos conceitos fundadores: memorável, referência, designação, domínios
semânticos de determinação, reescrituração e nomeação. Estudo crítico de conceitos da Semântica
Enunciativa, tal como desenvolvida por Ducrot e pelas teorias do discurso no Brasil, com ênfase na
história de sua constituição e nas práticas analíticas.
Objetivos: Compreender a emergência do campo da semântica da enunciação em suas relações com
outras unidades de estudo.