Você está na página 1de 11

SERVIÇOS COM A PRESENÇA DE H2S

H2S o gás da morte

• Um dos mais temidos agentes de riscos encontrados em alguns


campos de petróleo é o H2S. Também conhecido por Gás Sulfídrico,
Gás de Ovo Podre, Gás de Pântano etc. ele Pode originar-se de
várias fontes e muitas vezes é resultante de processos de
biodegradação. Por exemplo, a decomposição de matéria orgânica
vegetal e animal. Este gás já foi o responsável por diversos acidentes,
sendo alguns deles fatais, pois é extremamente tóxico e inflamável,
exigindo vigilância permanente e um plano de controle de
emergência específico. Em algumas plataformas os empregados
mantêm máscaras de fuga, presas a sua cintura durante as 24 horas
do dia e disponíveis para uso a qualquer momento . Nós seres
humanos também produzimos H2S e o exalamos através da
respiração ( 25 a 200 ppb) e do trato intestinal (25 ppm).
Descubra o que é o gás sulfídrico
• O gás sulfídrico é tóxico, altamente denso e, em 8 ppm (parte por
milhão), já chega a ser prejudicial à saúde humana. Em 10.000 ppm, é
letal, ou seja, os riscos químicos levam à morte. Em solução aquosa,
ele é conhecido como ácido sulfídrico, sendo um grande inimigo dos
trabalhadores que estão constantemente próximos a ele sem os
devidos cuidados.
• A substância é utilizada principalmente na produção de enxofre e de
ácido sulfúrico e traz riscos para quem respira ou tem o contato da
pele com o gás. Em pequenas exposições, o trabalhador pode sofrer
irritação nos olhos, dor de cabeça e fadiga.
• Por isso, além de utilizar os equipamentos de proteção individual
(EPIs), os funcionários de uma empresa que trabalha com o H2S
precisam tomar outras atitudes preventivas para evitar doenças
ocupacionais ou, até mesmo, um afastamento por um período
indeterminado. Inclusive, o gás sulfídrico pode fazer com que o
trabalhador se aposente por invalidez, de acordo com a gravidade da
situação, fora o risco de morte já mencionado.
Características
• Muito tóxico
• Incolor
• Mais pesado que o ar
• Tem odor de ovo podre a baixas concentrações, mas inibe o sentido do olfato
em concentrações elevadas
• Forma misturas explosivas com o ar
• Ataca o aço e selos de borracha rapidamente
• Também conhecido como gás sulfídrico e sulfeto de hidrogênio
• Apesar do termo “gás” o H2S, que é solúvel em água, poderá estar na forma
dissolvida e que, sob certas condições, é liberado para a atmosfera, sob a
forma de gás. Este se for inalado, poderá causar danos à saúde dos seres
vivos. Portanto, se o H2S está em contato com água, esta também o conterá,
liberando-o para a atmosfera.
• Por ter densidade maior que a do ar, são esperadas concentrações mais
elevadas nos pontos mais baixos.
Veja em quais locais é comum a presença do H2S

• O gás sulfídrico está muito presente nas indústrias


petrolíferas e também nas propriedades rurais, em razão do
acúmulo do estrume, principalmente onde há tanques para
estocagem do esterco.
• Como faz parte do ambiente natural, o H2S também se
encontra em fontes termais, plantas de gás natural, gases
vulcânicos, empresas que produzem celulose e também nas
estações de tratamento de esgoto.
• Vale destacar que o gás pode ser produzido por resíduos
humanos e de animais, por conta da degradação bacteriana
da matéria orgânica.
• Podendo ser liberado no ar, na água e no solo, o gás
sulfídrico se espalha rapidamente, permanecendo em
estações de 1 a 42 dias, ou seja, os riscos de acidentes são
altíssimos, como veremos agora.
• Exposição prolongada ao H2S poderá acarretar perda da
sensibilidade ao odor, de intensidade variável de acordo
com a concentração do mesmo. Então, uma pessoa exposta
ao H2S pode pensar que a concentração do gás está
diminuindo, quando na realidade poderá estar
aumentando. A susceptibilidade ao envenenamento pelo
H2S varia de acordo com a concentração e o tempo das
exposições a este gás.
Concentração de H2S (ppm) partes por milhão - efeito
nos seres humanos

•0,3 a 1,0 Detectável pela maioria das pessoas pelo


sentido do paladar, mais do que pelo do odor.
•3 a 5 Facilmente detectável. Odor moderado
•8 Inicia processo de irritação dos olhos. Nível de
exposição permissível para 8 horas de exposição
•20 a 30 Odor forte e desagradável, mas não intolerável.
Provoca tosse e imediata irritação dos olhos. Máxima
concentração permissível para curto período de
exposição (10 minutos por turno de 8 horas)
•50 Pronunciada irritação dos olhos, garganta e pulmões,
mas é possível respirar por alguns minutos.
• 100 Tosse, irritação dos olhos, perda do olfato após 2 a 5
minutos de exposição.
• 200 Inflamação nos olhos e irritação no sistema respiratório
após uma hora de exposição
• 500 Perda da consciência e possível morte em 30 minutos a
uma hora.
• 700 a 1000 Inconsciência imediata, paralisação da
respiração e morte. Poderá resultar em danos cerebrais
permanentes.
• 1000 a 2000 Inconsciência instantânea, com parada
respiratória e morte em poucos minutos. A morte poderá
ocorrer mesmo se houver remoção para ambiente não
contaminado. Ocorrem danos cerebrais.
Como detectar o H2S?
Formas de detecção de H2S na atmosfera:
1.Papel embebido em acetato de chumbo – qualitativo;
2.Tubos colorimétricos (bombas multi-gas) – quantitativo
com margem de erro de 25 a 35%;
3.Equipamentos portáteis de detecção – para um tipo de gás
ou para até 5 tipos diferentes de gases (ex.: Five Star da MSA,
GX 91 e GX 94 da Riken Keiki, Minigas 4 da Neotronics, entre
outros;
4. Sistemas fixos de detecção – são sensores com células
eletroquímicas distribuídas estrategicamente em locais onde
há possibilidade de ocorrência de H2S, levando-se em
consideração que o H2S é mais pesado que o ar.
O que fazer em caso de detecção de H2S?
1.Havendo suspeitas ou detecção de H2S em algum ponto da
instalação, deverão ser adotadas as seguintes orientações:
2.Retirar-se do local e dirigir-se para local bem ventilado;
3.Comunicar imediatamente a sala de controle; A sala de controle
devera acionar imediatamente o técnico de segurança;
4.O técnico de segurança deverá equipar-se com conjunto
autônomo de respiração e detector portátil de gás para monitorar
a presença do gás;
5.Confirmada a presença do gás, e dependendo da quantidade, o
técnico de segurança acionará o plano de ação específico para
cada caso;
Primeiros socorros
1.Equipar-se com conjunto autônomo de respiração;
2.Avaliar o local do acidente;
Regras de ouro

Você também pode gostar