Você está na página 1de 6

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI


PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO
DIAMANTINA – MG
www.ufvjm.edu.br

ANÁLISE DA BNCC

Junho/ 2021
Rio Piracicaba/MG
Introdução

Em busca de conhecimento sobre a BNCC, este trabalho vem apresentar a


grande importância que o documento normativo Base Nacional Comum
Curricular, tem no dia a dia de uma instituição de ensino.
Com o intuito de descrever o caminho trilhado pela BNCC , entende- se
que o referido acima tem um grande papel , por sua relevância e importância
no currículo assumindo oficialmente através de definições contendo
concepções de educação para formação do cidadão.
A Educação Nacional, através de estudos e pesquisas desdobrou-se em
busca de mudanças do campo educacional.
A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento que
tem por intuito a unificação do ensino por meio dos “direitos de
aprendizagem”, norteando diversos conteúdos para todo o território
nacional. Com a igualização dos conteúdos, habilidades houve preparação dos
educadores para esta organização representativa.
Ela está dividida em três partes: uma referente à Educação
Infantil, outra, ao Ensino Fundamental e, a terceira, ao Ensino Médio. As duas
primeiras já foram concluídas. A BNCC do Ensino Médio, envolta em polêmicas
e discussões, ainda não foi finalizada. Em comum, essas três partes
compartilham as dez competências que foram definidas para a educação
básica: conhecimentos, habilidades, atitudes e valores que estimulam ações
que pretendem contribuir para a transformação da sociedade, tornando-a mais
humana, socialmente justa e voltada para a preservação da natureza.
Para cada nível a BNCC estabelece os direitos de aprendizagem e
desenvolvimento, na Educação Infantil, a BNCC estabelece – Conviver,
Brincar, Participar, Explorar, Expressar e Conhecer-se. Já no Ensino
Fundamental está estruturada de uma forma mais conhecida, apresentando
componentes curriculares divididos em cinco áreas de conhecimento:
Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Ensino
Religioso. Cada área de conhecimento apresenta competências especificas de
área, que explicitam como as dez competências gerais se expressam, e as
competências específicas de cada componente curricular, que estão listadas
de acordo com unidades temáticas. As unidades temáticas listam os objetos de
conhecimento e as habilidades que devem ser desenvolvidas pelos alunos. No
Ensino Médio provavelmente seguirá essa mesma estrutura.
Na Geografia, foi incorporada desde os anos iniciais do Ensino
Fundamental, uma mudança estrutural importante, abordando uma proposta de
pensamento espacial e o raciocínio geográfico, aproximando os objetivos de
aprendizagem, possibilitando ao educador apropriação dos conteúdos
procedimentais. 
A BNCC de Geografia

Incorporada desde os anos iniciais do Ensino Fundamental, uma mudança


estrutural importante da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Este
documento fornece a proposta de o estudante trabalhar o pensamento espacial
e o raciocínio geográfico.

“A Base reforça a ideia da Geografia como um componente importante para


entender o mundo, a vida e o cotidiano. Desenvolver nos estudantes o
raciocínio geográfico, articulando alguns princípios , significa dotá-los de mais
uma forma de perceber e analisar criticamente a realidade”, afirma a professora
Sônia Castellar, da Universidade de São Paulo (USP).

Entende- se que este componente faz com que os alunos desenvolvam o


pensar geográfico nos pequenos detalhes como, identificar uma paisagem na
janela de seu quarto, descrevendo-a, ou aprender a observar e criticar os
dados sobre os casos da COVI-19 mostrados no site da prefeitura da prefeitura
de sua cidade. Uma relação em que mesmo estando em outro estado
entenderia os estudos abordados.

A BNCC traz novas dimensões para a realização dessa leitura de mundo.


“Antes, o estudo do componente estava mais pautado na leitura, na
interpretação da paisagem e em um aluno mapeador consciente. Trabalhando
o pensamento espacial e raciocínio geográfico.

Descrevendo o material para o estudo da Geografia, foram criados


cinco unidades temáticas, subdivididas em objetos de conhecimento e
habilidades (objetivos de aprendizagem). Organizando-se em uma construção
progressiva dos conhecimentos geográficos, trabalhando os objetivos e
conteúdos a partir de diferentes linguagens.

As cinco unidades temáticas são: 


1. O sujeito e seu lugar no mundo
2. Conexões e escalas
3. Mundo do trabalho
4. Formas de representação e pensamento espacial
5. Natureza, ambientes e qualidade de vida

Em sala de aula, observar os fenômenos planetários, de base natural,


como abalos sísmicos ou mudanças climáticas, e até mesmo de base social,
como um desmoronamento ocasionado pelo desmatamento das encostas,
estimula o estudante aguçando sua curiosidade de entender por que aquilo
acontece. É preciso estimular as crianças e jovens a pensarem de que forma o
acontecimento presente está relacionado com outros ao longo do tempo: como
a questão de causalidade, e com a localização, como as condições
geográficas.
De acordo com os especialistas, a aplicação dos princípios desse
raciocínio, em sala de aula, também vão preparar o estudante para perceber e
questionar tudo o que se materializa no espaço. Se perguntarmos porque algo
está exatamente ali, naquelas coordenadas, será necessário pesquisar
processos e identificar para que e para quem servem esses objetos
construídos. O mesmo vale para locais onde não há construção. Por que não
se construiu ali? Quem se beneficia desse “vazio”?

A ideia que está por trás da Base é a de que os estudantes se


desenvolvem aprendendo a olhar o espaço por onde passam e vivem,
captando informações diversas por meio das paisagens e dos lugares em que
transitam. “Os estudos de solo, de relevo, de vegetação e de clima são
importantes para entender o espaço geográfico e as formas de organização da
vida. Mas é fundamental que o estudante compreenda que o espaço geográfico
é constituído e configurado pelas relações entre a humanidade e a natureza,
algo que a aplicação dos princípios geográficos vai facilitar”, afirma o assessor
educacional.

De acordo com a BNCC, as Ciências Humanas devem, assim, estimular uma


formação ética, elemento fundamental para a formação das novas gerações,
auxiliando os alunos a construir um sentido de responsabilidade para valorizar:
os direitos humanos; o respeito ao ambiente e à própria coletividade; o
fortalecimento de valores sociais, tais como a solidariedade, a participação e o
protagonismo voltados para o bem comum; e, sobretudo, a preocupação com
as desigualdades sociais. Cabe, ainda, às Ciências Humanas cultivar a
formação de alunos intelectualmente autônomos, com capacidade de articular
categorias de pensamento histórico e geográfico em face de seu próprio tempo,
percebendo as experiências humanas e refletindo sobre elas, com base na
diversidade de pontos de vista.

Estudando a BNCC
Analisando o documento, na Geografia urbana e rural , a primeira Unidade
temática “O sujeito e seu lugar no mundo”, é a que mais intensifica sobre este
contexto. Orienta-se através das habilidades a serem trabalhadas como:
(EF01GE01) Descrever características observadas de seus lugares de vivência
(moradia, escola etc.) e identificar semelhanças e diferenças entre esses
lugares. (EF01GE02) Identificar semelhanças e diferenças entre jogos e
brincadeiras de diferentes épocas e lugares no contexto regional. (EF01GE03)
Identificar e relatar semelhanças e diferenças de usos do espaço público
(praças, parques) para o lazer e diferentes manifestações. (EF01GE12TO)
Reconhecer-se como indivíduo e parte integrante de um grupo social,
respeitando e valorizando as pessoas ao seu redor, especialmente os idosos.
Na Unidade de Conexões e escalas, também existe a observação e a
integração com a um unidade acima como: (EF01GE04) Discutir e elaborar,
coletivamente, regras de convívio em diferentes espaços (sala de aula, escola
etc.). (EF01GE05) Observar e descrever ritmos naturais (dia e noite, variação
de temperatura e umidade etc.) em diferentes escalas espaciais e temporais,
comparando a sua realidade com outras.
Acredita-se que estas são as mais coerentes para o ensino da Geografia
Urbana e Rural.

Texto a ser abordado

TEMA: O ESPAÇO RURAL E O URBANO: DIFERENTES PAISAGENS

O trabalho e as paisagens
Os seres humanos trabalham para garantir a satisfação de suas necessidades
básicas (alimentação, moradia, vestuário e transporte) e assegurar a sua
existência, produzindo grande quantidade e variedade de produtos, assim
como para procurar ampliar seu acesso a bens materiais e culturais. Você já
parou para pensar em quantas pessoas trabalharam na construção do prédio
onde fica sua escola? Ou quantas pessoas trabalharam no plantio, na colheita,
no transporte e na comercialização das frutas que você consome?
Os produtos que consumimos e os lugares que frequentamos no nosso dia a
dia são o resultado do trabalho de muitas pessoas em diferentes locais.
As principais atividades econômicas da sociedade são o extrativismo, a
indústria, a agropecuária, o comércio e a prestação de serviços. Muitas
paisagens se diferenciam de acordo com a presença ou não dessas atividades.
Há paisagens onde as atividades extrativistas são predominantes. A paisagem
do centro de algumas cidades é caracterizada pela grande quantidade de
comércio e de pessoas circulando nas ruas. Isso ocorre porque o comércio é a
atividade mais importante nesses locais. Já nas áreas rurais, a paisagem pode
ser marcada pela presença de máquinas e pessoas trabalhando na lavoura ou
no trato de animais. Além de o espaço geográfico ser constantemente
transformado pelo trabalho humano, as paisagens também podem se
diferenciar conforme o poder aquisitivo das pessoas que nela vivem, quando os
rendimentos oriundos do trabalho são muito discrepantes.
80 PARA SABER MAIS:
Assista aos vídeos: O trabalho e a transformação do espaço geográfico.
Disponível em:< https://youtu.be/slRk7CE9OjM >. Acesso em: 12 abr. 2021. Os
setores da economia. Disponível em:< https://youtu.be/DosZIMFxC6I >. Acesso
em: 12 abr. 2021.
Leia os textos: Transformação no espaço geográfico. Disponível em<
https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/ transformacao-no-espaco-
geografico.htm .> Acesso em: 12 abr. 2021. Técnica e Tecnologia. Disponível
em:< https://brasilescola.uol.com.br/geografia/tecnica-tecnologia. htm >.
Acesso em: 12 abr. 2021. AT
O texto acima, foi trabalhado no PET 2 do material oferecido pela Secretaria de
Educação de Minas Gerais, um texto onde faz o aluno pensar e refletir sobre as
paisagens e suas necessidades.

Referências

MENDES, Renata. BNCC - aspectos básicos. Disponível em<


http://site.primeiraescolha.com.br/blog-educacao/bncc-aspectos-basicos.>
Acesso em: 12 jun. 2021.

Plano de Estudo Tutorado 2. 6 ano. Disponível em<


https://drive.google.com/file/d/144coVCD2rTbnEpep-rMjXoI5K0BVYPMm/view>
Acesso em: 12 jun. 2021.

Base Nacional Comum Curricular. Disponível em<


http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf>Acesso
em: 12 jun. 2021.