Você está na página 1de 127

Como Desvendar Mentiras

André Rossiter
Sumário

Apresentação ……………………………………….. 2
Teorias e Fundamentos Iniciais …...…………….... 3
Os Sinais da Mentira . ……………………………. 43
Mapa das Emoções ….……………………………. 58
Analisando os Olhos ………………………………. 64
O Aperto de Mãos …………………………………… 68
Linguagem Corporal ……………………………….. 79
Micro Expressões Faciais ………………………….. 99
Analisando Imagens Digitais ……………………… 117

1
A Quem se Destina esse Livro

Mais que um livro sobre a arte de desvendar mentiras como


ciência, esta obra aborda a linguagem corporal de maneira
ampla e assertiva.
Um grande guia para jornalistas, políticos, empreendedores,
publicitários, marqueteiros, profissionais da área de segurança
pública ou privada, negociantes, vendedores, ou profissionais
que lidam com a imagem ou comunicação, com objetivo de
que possam se expressar de forma mais harmoniosa,
assertiva e, com isso, alcançar e influenciar cada vez mais
pessoas por intermédio de seu discurso e imagem.
Outro aspecto intrigante sobre este livro é a capacidade que o
mesmo apresenta no contexto de autoconhecimento de cada
um, por intermédio da análise de sua própria linguagem
corporal e coerência entre o que dizemos e o que
expressamos com o nosso corpo.

2
A Mentira como Ciência

A Arte de Desvendar Mentiras é, na verdade, uma ciência


Epistemológica, ou seja, a junção de ciências exatas e
humanas. O fator humano na arte de desvendar mentiras
como ciência torna frágil a atribuição de análises de discursos
como verdades irrefutáveis.
Ter consciência dos fatores humanos como limitantes numa
análise é um grande diferencial no perfil do entrevistador ou
pessoa que deseja se tornar um especialista na área.
Inclusive, ao longo do tempo, no estudo e entendimento
histórico de especialistas em desvendar mentiras, podemos
observar diversas condenações injustas e/ou equivocadas.
Vale salientar que uma pessoa que não saiba que está
mentindo não irá apresentar sinais da mentira em sua
linguagem corporal. Isso poderia ocorrer, até certo ponto, no
auto engano sobre a mentira, por meio da crença deturpada
sobre a verdade, pelo desconhecimento de que o que a
pessoa propaga é mentira, ou pela repetição de uma mentira
que irá fazê-la tornar-se uma “verdade”.

3
Psicopatas ou sociopatas, por não apresentarem sentimento
ou emoções em relação às suas ações danosas, podem,
também, não apresentar os sinais da mentira em sua
linguagem corporal.
Devemos sempre ter em mente que uma análise completa,
profissional, e mais próxima de um resultado real deve levar
em conta: a linguagem corporal, a paralinguagem (diz respeito
a análise do discurso no contexto falado quanto ao sentido do
que se diz e a forma que se diz pela entonação de voz,
frequência, volume e timbre), a conexão entre o discurso no
sentido cronológico, interligação entre os fatos do mesmo
discurso e, por fim, o papel do ambiente como um todo, além
de que todos esses fatores devem ser analisados dentro de
um contexto.
O papel do entrevistador é fundamental, pois a forma que
você se veste, a forma que você se expressa pela linguagem
corporal ou tom de voz, o perfume que você usa e a sua
própria aparência irão influenciar nas respostas da pessoa.
Aspectos culturais da região que a pessoa mora (influência do
inconsciente coletivo), o nível de educação da pessoa no que
toca a escolaridade, a classe social e as condições financeiras
ao longo da vida são aspectos que irão interferir na linguagem
e, consequentemente, na sua análise de forma muito
significativa.
Tenha em mente que a perspectiva de realizar uma
anamnese completa, inclusive sobre o histórico e intervenções

4
médicas, poderiam interferir nas expressões e análises de
uma pessoa. Por exemplo, pessoas que usam botox, que
tiveram um derrame, uma lesão no cérebro, problemas nos
nervos e as mais variadas situações ou intervenções médicas
podem sofrer influência na linguagem de forma muito ampla.

5
Os Motivos que Levam as Pessoas a Mentir

Fatores como educação, religião, governo e sociedade podem


levar as pessoas a mentir diante de algumas situações em
que falar a verdade represente uma ameaça ou traga uma
punição, segundo M. Sidman (1999, 2009).

Demais motivos, segundo a psicologia:


1 - Tirar alguma vantagem;
2 - Se proteger ou evitar um conflito;
3 - Para não magoar a outra pessoa ou proteger alguém;
4 - Esconder alguma coisa, situação ou história;
5 - Para lhe testar;
6 - Por prazer (por incrível que possa parecer);
7 - Desvio de caráter ou doença.

Elementos que caracterizam a Mentira:


1 - Omitir parte da verdade;
2 - Alterar ou distorcer a verdade;
3 – Propósito.

6
Engenharia Social e a Arte de Hackear a Mente Humana

Agora que ​já vimos a perspectiva da mentira como patologia


veremos um pouco sobre Engenharia Social, a ciência que
estuda a arte de enganar pessoas de forma profissional.
A Engenharia Social é um dos segmentos da Segurança da
Informação que invade ou hackea a mente humana como elo
mais fraco de qualquer estrutura de segurança.
A Engenharia Social estuda o ser humano e a sua maneira de
interagir com as pessoas de acordo com o seu papel social, e
utiliza estes conhecimentos para tirar vantagens das pessoas,
inclusive pelo entendimento diferenciado sobre o valor de
informações que, a princípio, para alguém despreparado,
sejam muito simples.
Exemplo:​ Tendo em vista que os funcionários tendem a
respeitar o seu chefe, um engenheiro social vai fazer a vistoria
de seu carro novo. Ao chegar no Detran ele vê uma pessoa
com uma plaqueta no peito de nome Roberto com os dizeres
“gerente geral” e memoriza isso.
Ao chegar no pátio para fazer a vistoria ele fala para pessoa
que o atendeu: “Oi, sou amigo de Roberto, gerente geral. Ele

7
disse que você poderia agilizar minha vistoria, pois vou sair
pra almoçar com ele. Se desejar pode falar com ele”.
O funcionário, no intuito de agradar o seu superior, acaba
concluindo a vistoria sem sequer ver o carro de verdade. Você
pode pensar que isso é irreal, mas tenha certeza que
acontece e que existem pessoas muito bem treinadas sobre a
perspectiva de enganar pessoas.

8
Mitomania

Nem sempre a mentira está associada a um ato planejado. Ao


menos no sentido consciente de suas ações, a mesma pode
estar ligada a um distúrbio ou doença mental, comumente
conhecida como pseudologia fantástica, ou ​mitomania​.
O mentiroso patológico chega a ter dificuldade de entender o
que é verdade e o que é mentira em seu discurso.
É importante entender que o auto engano ou as falsas
memórias apresentam um discurso diferente na perspectiva
de entendimento sobre a verdade nos sinais do corpo.
Dentre os motivos que levam uma pessoa a mentir de forma
patológica, o mais comum diz respeito a questões de
aceitação social, que supervaloriza as crenças da pessoa em
relação a suas angústias.
Devemos ter em mente que a mentira promovida pelo
mentiroso patológico é muito diferente da mentira que tem um
objetivo escuso em sua essência. Enquanto a motivação do

9
mentiroso patológico é emocional, a mentira promovida pela
pessoa de má fé ou má índole tem um objetivo claro.
A Mitomania deve ser tratada como uma doença e não um
distúrbio de caráter.

10
Proxêmica na Comunicação Não Verbal

Analisada e difundida pelo antropólogo Edward T. Hall, a


análise proxêmica leva em conta o estudo da distância
existente entre as pessoas nas relações humanas, por meio
dos padrões listados abaixo:
1 - Distância Íntima -​ 0 a 45 cm - relacionado à interações
íntimas
2 - Distância Pessoal​ - 45 cm a 1 metro e 20 centímetros -
relacionado à relações de amizade
3 - Distância Social -​ 1 metro e 20 centímetros a 3 metros e
50 centímetros - relacionado às relações de amizade entre as
pessoas.
4 - Distância Pública -​ Acima de 3 metros e 50 centímetros -
está relacionado à comunicação e relação pública entre
pessoas que não se conhecem ou não tem aproximação.

Entender as relações de espaço físico entre as pessoas


ajudará a criar interações mais saudáveis. Você poderá se

11
tornar um comunicador mais coerente, mais agradável e, com
certeza, mais assertivo e influente.
A comunicação não verbal abrange:​ Cinesia (movimento do
corpo), proxêmica (uso e organização do espaço físico),
paralinguagem (comunicação verbal, tom, timbre, frequência,
velocidade e os mais diversos parâmetros da voz), tacêsica
(linguagem do toque), fisionomia (características físicas do
corpo).
Além de estudar o espaço entre as pessoas na interação
humana, a proxêmica estuda o posicionamento das pessoas
no espaço a nível de entendimento do ser humano.
Tenha em mente que os aspectos culturais, regionais e tudo
relacionado ao ser humano como indivíduo irá influenciar a
sua postura e posicionamento no espaço e tempo.

12
O estudo da proxêmica revela que a pessoa que está
sentada de frente para a porta tem mais autoridade do que
alguém sentado de costas para a porta.
Em segunda posição de poder estão as pessoas sentadas
na lateral, no local de maior destaque quanto a visibilidade,
pois poderão olhar de frente para o maior número de
pessoas à mesa.
Em uma mesa redonda essa hierarquia não existe. Ela
transmite a ideia de maior igualdade ou autoridade entre as
pessoas que estão sentadas. Ao longo do tempo, grandes
líderes usaram essa premissa para se destacar, pois o
chefe é alguém que tem um cargo ou contexto de poder
com o outro, já o líder se faz reconhecer como tal, e pra
isso, não precisa necessariamente usar um posicionamento
de poder ou autoridade com os demais.

13
Verdades Análogas, Percepção e Cognição

Uma das situações mais frágeis ao tentar desvendar mentiras


é a consciência da existência de verdades análogas, como
você pode observar na imagem acima.
A fragilidade destas verdades análogas é que, nem sempre, a
percepção do diferente é tão fácil de ser percebida e, nesse
caso, a crença no que o outro diz pode parecer irreal ou
necessitar de fé, à medida que entendemos fé como a ideia
de acreditar no que não conseguimos ver ou entender. É fácil
entender que pessoas venham a ser julgadas de forma injusta
pelas mais diversas situações relacionadas a momentos que
existam verdades análogas.
Já a Percepção é decorrente de nossos aparelhos perceptivos
(visão, tato, paladar, olfato, audição) e a cognição é o sentido
que damos a estes.
A fragilidade na percepção pode ser entendida e estudada
mais a fundo no modelo da trindade, de Michael Posner. Ele
relata que temos um grande número de ferramentas para

14
captar o mundo ao nosso redor e que, apesar de
relativamente limitado (nossa visão é pior que a da águia,
nossa audição é pior que a do morcego que a usa como sonar
e assim por diante), essas nossas ferramentas captam mais
do que conseguimos captar de forma consciente e, por isso,
nossa percepção é seletiva.
Exemplo: O barulho de pessoas falando no aeroporto é
incrível. Por outro lado, se alguém chamar o seu nome, este
som irá ativar a sua atenção.
Já a cognição diz respeito à maneira que interpretamos os
sinais captados por nossa percepção. A sociedade em que
vivemos, nossa condição financeira, nossas experiências de
vida, nossa capacidade intelectual, humor, entre outros
fatores, irão influenciar o nosso entendimento sobre um
mesmo fato.
Exemplo: Existem países que as pessoas achariam normal
casar com várias mulheres. No Brasil essa condição é
considerado um crime, previsto no código civil brasileiro. Isso
tem mudado e recentemente existem casos em que a justiça
aceitou realizar união estável de uma pessoa com mais de 2
parceiros, mas para ilustrar é bem significativa a dualidade de
entendimento sobre um mesmo símbolo.

15
Entendendo porque o Corpo Fala. A Somatização.

O corpo humano tem uma lógica de funcionamento, fator esse


que é comprovado pela facilidade que a medicina tem em
consertar ou minimizar as limitações corporais que, por
ventura, a nossa história ou DNA podem trazer.
O homem primitivo não bebia, praticava esportes, dormia
cedo e morria em média 50 anos mais cedo que nós em 2017.
Temos uma estimativa de vida média de 80 anos, mesmo
quando levamos uma vida repleta de vícios, pouco sono, má
alimentação, dentre outras mazelas impostas pela exposição
midiática, estimulando o consumismo de forma perversa e
muito eficaz.
A capacidade de expressar no corpo o que sentimos é
conhecida pela psicologia como somatização e, de maneira
menos científica, perceba que nossa alimentação define o
nosso corpo e escreve nele quase que como os rabiscos que

16
produzimos num caderno. A diferença é que a somatização
leva em conta aspectos mais sutis desta escrita ou linguagem
corporal de sentimentos e emoções que são expressas no
corpo.
Exemplo: Uma pessoa triste abaixa a cabeça, isso acontece
porque abaixando a cabeça a pessoa diminui a entrada de ar,
o coração bombeia menos sangue para o resto do corpo e
isso causa uma sensação de depressão respiratória, mesmo
que em baixo nível. Isso expressa a necessidade que o corpo
tem de sentir o que a cabeça, espírito ou alma sentem.
A percepção e entendimento dessa linguagem corporal é
disponível para todos, em maior ou menor grau, de acordo
com a sensibilidade de cada um em perceber o outro ou a
capacidade de se conhecer no sentido mais amplo da palavra.
Independente de sua sensibilidade para captar estes sinais,
se você parar para estudar os mesmos, irá diminuir a
perspectiva de erro no entendimento da linguagem corporal
das pessoas e, muito possivelmente, irá conseguir se
expressar melhor e de maneira mais consciente.

17
O Inconsciente Coletivo e a Linguagem Corporal

Por mais incrível que possa parecer, mesmo as coisas que


você não acredita exercem uma grande influência em você
como ser humano.
Somos singular em nossa existência num sentido muito
amplo, mas o convívio em sociedade nos impõe vários valores
que independem de nossas crenças sobre os mesmos, e são
muito bem descritos na teoria da hierarquia das necessidades
de Maslow.
Nossas ações impactam e transformam o outro, como pode
ser visto na teoria X e Y de Mcgregor ou na Terceira Lei de
Newton (Ação e Reação). Nossas palavras são a propagação
de ondas sonoras, elaboradas por vibrações feitas pela língua
que, ao chegar no outro, tem a capacidade de fazê-los pensar
sobre o passado, refletir sobre o futuro, lhe tirar um sorriso no
presente ou podem ser tão fortes ao ponto de,
fisiologicamente, lhe arrancar uma lágrima no presente
momento.
Ao perceber o impacto de nossa comunicação e existência no

18
outro, conseguimos entender de forma mais racional a força
que o coletivo exerce sobre o indivíduo singular, assim como
sua recíproca se torna uma verdade.
Um exemplo prático pode ser observado em instituições
focadas no tratamento de pessoas com transtorno mentais,
onde pessoas que nunca tiveram uma religião apresentam
complexos relacionados a existência de Deus.
Entender que existem circunstâncias em que podemos ser
influenciados pelos mais diversos aspectos sociais ou
culturais, sem perceber de forma consciente o que de fato
acontece, nos dá uma chance de avaliação mais justa sobre a
linguagem corporal das pessoas que observamos, pela
abertura que a humildade sobre nossas crenças como
verdade absoluta nos dá na capacidade de ouvir, ver e
perceber o outro sem bloqueios ou julgamentos precipitados.
Tenha em mente que pior que a ignorância sobre os fatos é a
ilusão de conhecimento, que bloqueia e inibe a iniciativa
cultural, intelectual ou qualquer aspecto em busca de um
entendimento maior do que de fato acontece ao nosso redor e
com as pessoas como um todo.

19
Análise e Construção do Símbolo

Entender a teoria geral das representações ou semiótica na


comunicação, e origem da linguagem irá ajudar a entender a
linguagem corporal e a importância do contexto de forma mais
racional.
Imagine, por exemplo, a imagem de um gato. A mesma
poderia ser descrita como um animal ou como um gato
propriamente dito. As duas análises da imagem estariam
corretas, mas teriam um significado diferente, ainda mais se
usadas no contexto de análise de símbolos diferentes ou
complementares.
Faça a mesma analogia para a bola do desenho e observe
que ela pode ser entendida como um círculo, uma esfera ou
uma bola propriamente dita. Com isso entendemos que um
mesmo símbolo tem diferentes representações.

20
Perceba que, ao mesmo tempo que símbolos têm diferentes
representações, o sutil erro na análise de um símbolo ou o
simples fato de interpretar o mesmo de forma um pouco
diferente irá mudar, e muito, o contexto da soma destas
interpretações ou análises e o resultado pode, em alguns
momentos, soar ofensivo ou apenas distorcido da realidade,
podendo ser objetivo ou amplo na etimologia ou origem do
sentido literal do símbolo.
Diante da sutileza e fragilidade sobre a perspectiva de
analisar e interpretar símbolos sugiro, de forma repetida, que
tome cuidado ao expor suas análises como verdades
absolutas.
Mentirosos profissionais, vendedores, marketeiros, etc,
estudam símbolos, gestos, cores, tom de voz e linguagem
corporal aceitos pelas pessoas ao seu redor, pois entendem
que a afinidade decorrente destas análises conscientes ou
inconscientes no convívio das pessoas irá influenciar na
capacidade de analisar e influenciar os que estão ao seu
redor, o que na área comercial é chamado de rapport (termo
da psicologia para criar sintonia e empatia com a pessoa).

21
Denotação e Conotação da Imagem

Ao entender a linguagem corporal como uma forma de


comunicação, podemos fazer diversas analogias à
comunicação propriamente dita e, ao estudar as relações
multidisciplinares que existem na mesma, iremos alcançar um
entendimento maior da linguagem corporal ou qualquer forma
de comunicação em si.
Quando nos referimos a Denotação, estamos falando do
sentido literal do que é dito ou expresso. Exemplo: O Leão é
um animal feroz.
Quando nos referimos a Conotação, estamos falando do
sentido figurado, este sentido irá depender até certo ponto das
experiências de vida de cada um, sua cultura geral, aspectos
sociais do local em que a pessoa vive, situação financeira,

22
dentre os mais diversos aspectos que impactam na forma que
vemos e entendemos o mundo.
Exemplo: Aquele homem é um leão.
Observe a imagem deste artigo e veja que a moça faz
menção a uma imagem conotativa de um avião ao dar a
comida para o garoto e, ao fundo, você pode observar a
imagem denotativa de um avião indo em direção a família e o
garoto nitidamente assustado com a situação.
Esse tipo de contexto é muito usado no marketing para
construir marcas. Está expresso em nossa linguagem no
sentido mais amplo e aplicado diariamente em nossa
comunicação com as pessoas ao nosso redor.
Entender a perspectiva de análise conotativa e denotativa
alerta sobre a fragilidade da análise da linguagem corporal de
forma isolada ou como uma verdade absoluta e irrefutável.

23
Polissemia e Homonímia na Linguagem Corporal

Ao abordar aspectos relacionados a ambiguidade na


comunicação, tenho como objetivo maior alertar sobre a
perspectiva de dualidade e ambiguidade de sentido nos sinais
da linguagem corporal, usando aspectos teóricos da
comunicação de forma mais ampla e completa possível.
Uma palavra ou imagem com vários sentidos representa
polissemia.
Exemplo:​ Letra pode significar uma letra do alfabeto ou a
letra de uma música.
Enquanto que a homonímia se caracteriza quando temos
duas palavras com significados distintos e fonética similar.

24
Exemplo:​ Manga que comemos e manga da camisa. Elas
têm a mesma fonética e sentidos completamente diferentes.
Na linguagem corporal este conhecimento tem dois sentidos
clássicos. O primeiro, diz respeito ao entendimento da
possibilidade de dualidade no sentido da linguagem corporal
e, o segundo, diz respeito a análise dos sinais corporais que
transmitimos quanto ao sentido do que desejamos expressar,
pois, a linguagem corporal mais coerente torna a nossa
comunicação mais influente sobre as pessoas que interagem
conosco.

Cuidado com o Nexo no Discurso das Pessoas

A maioria das pesquisas sobre comunicação afirmam que a


nossa atenção sobre o discurso falado das pessoas gira em
torno de menos de 20% no que se é dito e os outros 80%
dependem da linguagem corporal, empatia com as vestes e
aparência da pessoa, tom de voz, volume, frequência dessa
voz, dentre outros.
Quando falamos de Nexo, falamos sobre o sentido de verdade
ou coerência no que se diz, só que nem sempre algo que faz
sentido é verdade e ter isso em mente nos possibilita pensar
sobre o que ouvimos com mais parcimônia e, com isso,
estamos mais propensos a pesquisar sobre o que ouvimos
antes de tomar qualquer discurso como verdade absoluta.
Exemplo: Empresas alegam que o papel reciclado é melhor

25
para natureza e pelos custos com a preocupação social e
ambiental, além da sustentabilidade o mesmo é vendido mais
caro.
A verdade é que, segundo o livro O Marketing na Era do Nexo
de Zé Luiz Tavares e Walter Longo, descobri que a
reciclagem do papel emite até 7 vezes mais poluentes que o
papel novo, embasados numa análise científica feito por um
grupo da USP.
Existem muitos motivos para se mentir e o dinheiro é uma das
maiores motivações. Com isso, profissionais estão cada vez
mais gabaritados para criar e apresentar argumentos que
fazem sentido mas que nem sempre são verdade.
Não estou criando juízo de valor, tampouco generalizando um
fato isolado ou profissionais. O objetivo deste capítulo é
ressaltar a importância de se refletir sobre o que ouvimos no
sentido de atribuir a essas informações o sentido de verdade
absoluta apenas pelo sentido de verdade que a mesma possa
apresentar.

26
A Arte de Fazer Perguntas para Desvendar Mentiras

Pode parecer fácil fazer perguntas, mas o questionamento


certo faz uma grande diferença na perspectiva de desvendar
mentiras.
Imagine que as perguntas têm de excluir possibilidades, ser
capaz de criar integridade na relação dos fatos ou entre os
fatos, deve distinguir fatos de especulações.
As respostas devem ser anotadas para que num momento
posterior a ideia de refazer perguntas possa fazer com que a
pessoa caia em contradição, ou não, no que diz como
representação de verdade ou mentira num discurso.
Se eu lhe pedisse que imaginasse qualquer pessoa ao redor
do mundo, Imagine pra isso que no mundo existem 7,2
bilhões de pessoas, sabia que com uma média de 30
perguntas uma pessoa poderia expor exatamente em quem
você está pensando? Isso mesmo.

27
Isso é feito pela arte de fazer perguntas relacionando
informações que excluem perspectivas.
Exemplo: Se eu pergunto se o seu personagem é homem ou
mulher já eliminamos 50% de toda população em média e a
sequência de perguntas feitas irá fazer justamente isso.
Você pode ver esse exemplo em prática e comprovar o que
estou dizendo no site do gênio adivinha (akinator -
http://pt.akinator.com​).
Devemos entender que existem palavras que não passam de
palavras, e palavras que valem como informação. A diferença
está no significado que estas palavras têm no entendimento
dos fatos que as mesmas relatam ou representam. Esse é um
ponto crucial para poder se fazer perguntas e analisar
respostas de forma mais eficiente no entendimento de
verdades ou mentiras descritas pelas pessoas.

28
O Envolvimento Emocional e o entendimento da Mentira

Observe que a imagem influencia diretamente na perspectiva


das pessoas interagirem ou não com quem está ao seu redor.
Entendemos, de forma consciente, os fatos explícitos de
forma literal na imagem, mas é importante que você saiba que
outros fatores podem estar vinculados a imagem sobre um
contexto de valores culturais e que isso irá lhe influenciar
inconscientemente de acordo com valores culturais,
experiências de vida, dentre outros fatores.
Devemos ter em mente que o inconsciente influencia as
nossas ações conscientes, mesmo que de forma mais sutil,
mas influenciam.
O especialista em Neurociência Pedro Calabrez da Neurovox

29
afirma que o estado mental da paixão se equipara ao estado
de demência temporária (Você pode conferir mais sobre isso
no link ​https://youtu.be/dlKiKN1sm9A​ aos 11 minutos e 16
segundos do vídeo).
Com isso conseguimos entender a necessidade de estar
atentos aos nossos sentimentos e emoções em relação aos
que estão ao nosso redor e a perspectiva que isso tem na
nossa capacidade de avaliar ou entender, de fato, as pessoas.
Uma vez que o profissional ou estudioso sobre a arte de
desvendar mentiras, ou ler a linguagem corporal consegue
entender melhor as suas limitações e fatores que influenciam
ou podem influenciar sua análise coerente e mais próxima da
verdade, este profissional se torna mais hábil para fazer
qualquer avaliação que uma pessoa que não conhece suas
limitações.
O entendimento da influência de nossas emoções em nossas
atitudes ou análises pode diminuir a perspectiva de erro de
forma significativa na perspectiva de desvendar mentiras e
entender os sinais da linguagem corporal.

30
Heterogenética na Linguagem Corporal

Por Heterogenético se entende palavras que mudam de


gênero de uma língua para outra e, no estudo da linguagem
corporal, este conhecimento é muito significativo se fizermos
uma alusão a linguagem corporal no homem e na mulher
sobre a perspectiva de sentido diferente na análise de seus
gestos.
Um homem bebendo tem sentido diferente de uma mulher
bebendo.
Felizmente muitos preconceitos de gênero tem sido
superados, mas a nível de estudo é importante entendermos a
estimativa de sentido diferente na interpretação da linguagem
corporal do homem e da mulher.
Usei uma imagem e interpretação mais gritante neste artigo
para chamar atenção para questão heterogenética na
linguagem corporal.

31
O ambiente e o seu contexto também irão influenciar a
postura do homem e da mulher de maneira diferente.
Exemplo: Imagine que a esposa vai levar o marido para fazer
o exame de próstata. Ao chegar no consultório a letra da
música que está tocando diz: “quero ver você não chorar, não
olhar pra trás, nem se arrepender do que faz…”. O
desconforto do homem em relação a música poderá, e
deverá, ser maior que o incômodo da mulher e isso irá se
expressar na linguagem corporal deles de maneira diferente,
até pela circunstância e contexto cultural do que o exame de
próstata representa para o homem e para mulher.

32
Mensagem Subliminar e Mensagem Subentendida

Entendemos por mensagem subliminar mensagens que são


impostas de forma escondida, por trás da comunicação das
pessoas ou da mídia, de forma visual ou auditiva.
Já por mensagem subentendida nós temos o contexto de
histórias que transmitem uma mensagem além do que se é
expresso.
Observe que não estou levando em conta o objetivo ou
intenção por trás das mensagens subentendidas ou
subliminares, pois o meu interesse nessa abordagem é o

33
entendimento de que estas mensagens podem criar maior ou
menor intimidade com a pessoa ou meio que a transmite, e
alertar sobre a perspectiva de que isso pode influenciar sobre
o nosso entendimento de verdades ou mentiras num discurso.
Captamos que separar verdades e fatos pode ser mais difícil
do que aparenta e estar atento a estes fatores nos torna
menos suscetível a erros na análise da linguagem corporal
das pessoas.

Quando a Mentira nos Interessa?

Inicialmente pode parecer loucura a ideia de se sentir atraído


por uma mentira, mas quando mentir para si mesmo é mais
fácil que mudar isso, é mais conveniente e comum do que
você possa imaginar se não estiver acostumado a estudar a
mente e comportamento humano.

34
Exemplo: Alegar que não consegue fazer dieta porque as
pessoas da sua casa lhe tentam comendo de tudo na sua
frente. Perceba que culpar os outros pelo sobrepeso é mais
fácil do que se privar de comer o que é errado.
Mesmo que esse tipo de atitude não seja construtiva para vida
de ninguém, o auto engano é muito conveniente e ele
acontece com todos, mesmo que de maneira mais ou menos
intensa de pessoa para pessoa.
Apesar das pessoas afirmarem repudiar a mentira, elas
desejam algumas mentiras e as abraçam como verdades.
Exemplo: Imagine um adolescente que pergunta: você me
ama para sempre? Não precisa ser especialista na arte de
desvendar mentiras para saber que amar para sempre aos 19
anos é muito tempo, que para sempre é muito pouco provável,
mas, por outro lado, se você respondesse: levando em conta
a média aritmética dos meus últimos relacionamentos eu diria
que para sempre seria o equivalente a 3 meses com margem
de erro de 1 mês para mais ou para menos.
Você estaria correndo um sério risco de levar um tapa na cara
e ficar solteiro. Não estou levando em conta a melhor opção,
nem é este o meu papel neste livro. A minha análise é sobre a
perspectiva de entendimento a respeito d aceitar a mentira
como algo conveniente, já que pessoas mal intencionadas
utilizam isso na hora de lhe manipular.

35
O Dogmatismo

Quando falamos de Dogmatismo, estamos nos referindo a


fatos em que as pessoas costumam tomar as suas opiniões
como fatos irrefutáveis. De um modo geral, estão muito
relacionados à política, religião e futebol. Mas existem
diversos fatores e situações em que as pessoas tomam suas
crenças como verdades e se fecham para ouvir ou entender o
que as pessoas ao seu redor pensam a respeito, se essas
crenças forem diferentes das suas.
Existem momentos diferentes em que devemos estar atentos
ao dogmatismo.
O primeiro: Como entrevistador, entrar no mérito de questões
em que as opiniões se sobrepõe aos fatos pode criar um
bloqueio nas respostas que a pessoa irá lhe dar e, com
certeza, na maneira que a pessoa irá lhe ver no caso de você
pensar diferente do mesmo e manipular ou trabalhar com esta
questão é relativamente frágil.
O segundo: Como comunicador, vendedor ou entrevistado,
devemos ter em mente que criar um clima de antipatia sobre

36
quem somos poderá, e muito possivelmente irá, influenciar na
percepção que os outros terão sobre quem somos de maneira
negativa.
Recomendo que temas relacionados ao dogmatismo sejam
evitadas.

A Influência do Ponto de Vista

Seja para desvendar mentiras ou entender a linguagem


corporal, é importante entender que a linguagem transmite
sinais que podem variar de acordo com a perspectiva que
vemos, ou por intermédio de quem ouvimos e analisamos os
fatos.

37
Se, por um lado, uma imagem vale e fala mais que mil
palavras, tenha em mente que as imagens também podem
iludir.
Conseguir parar, raciocinar e pesquisar o que as pessoas nos
dizem é um grande sinal de sabedoria e aumenta a sua
chance de desvendar mentiras de maneira eficiente.
Saiba que mentirosos profissionais se aproximam de você,
repetem e falam a verdade no intuito de conquistar a sua
confiança, para depois poder lhe enganar.
Somos educados desde crianças a ter cuidado com os
estranhos, quando quem mais nos prejudica e nos engana
são as pessoas próximas, para quem um dia abrimos a nossa
guarda.

38
Entendimento Avançado das Imagens

Segundo o semiólogo Roland Barthes, temos:


1 - a cena literal onde o cenário, objetos, gestos,
enquadramento, posição, iluminação e roupas influenciam o
nosso entendimento do que observamos;
2 - a cena cultural onde os valores históricos, associados aos
elementos da cena literal, criam a nossa perspectiva e
entendimento do que observamos;
3 - o contexto verbal que abrange os 2 pontos que
trabalhamos a imagem.

39
Conheça as 3 Dimensões da Imagem

A dimensão funcional -​ Diz respeito ao propósito da imagem


quanto a sua função ou utilidade.
A dimensão conceitual -​ Entender a relação histórica ou
antropológica da imagem em relação a sua perspectiva no
que toca a sua função ou utilidade.
A dimensão emocional -​ Diz respeito à relação entre o
sentido da imagem e os momentos de vida do ser humano. É
relativamente parecida com a dimensão funcional, só que na
dimensão emocional as bases de entendimento da imagem
estão relacionadas a arquétipos que marcam momentos de
nossas vidas.
Ao fazer uma análise profissional tente criar um roteiro escrito
com segregação das dimensões da imagem em seu relatório.

40
Axioma na Perspectiva de Desvendar Mentiras

Por Axioma entendemos algo que é previamente considerado


uma verdade, com base na alegação de que nada pode ser e
não ser simultaneamente, pela premissa da contradição, de
Aristóteles.
Um exemplo claro de Axioma na linguagem corporal: Uma
mulher alega que tenha sofrido agressão do marido e ao fazer
um exame de corpo de delito se percebe que a mesma não
apresenta nenhuma marca de violência.
O Axioma da alegação exigiria que uma pessoa que afirma ter
sofrido violência corporal apresente algum sinal sobre essa
declaração, e a contradição dos fatos previstos por um axioma
sobre a situação é possível, apenas, pelo entendimento de
uma verdade como pré requisito para uma alegação e o

41
entendimento de que uma contradição sobre uma verdade
absoluta caracteriza uma mentira.
Também temos de estar atentos quanto à ideia de crenças
sobre verdades absolutas na perspectiva de entender ou
interpretar as pessoas, para que estas crenças não venham a
nos fechar ou bloquear sobre o entendimento mais amplo e
eficiente de quem está à nossa frente.
Também podemos encontrar verdades absolutas num
conceito conhecido como Silogismo Aristotélico, que se
caracteriza pela argumentação lógica perfeita.

Exemplo:​ Todo Baiano é Brasileiro, mas nem todo Brasileiro


é Baiano.

Observe que a verdade por trás da argumentação de nosso


exemplo constitui uma argumentação lógica perfeita mas,
para isso, é preciso ter o entendimento de que a Bahia fica no
Brasil e que o Brasil é maior que a Bahia, de forma que o
discurso lógico depende, em muitos momentos, de Axiomas.
Ou seja, de entendimentos sobre o que está sendo dito ou
explicitado em nossa linguagem de forma ampla.

42
Os Sinais da Mentira

43
1 - Os Olhos

Coçar os olhos pode ser um sinal da mentira. Funciona


como se a pessoa não desejasse ver a mentira
que está contando.

44
2 - A Boca

Coçar ou tapar a boca pode ser um sinal de mentira.


Funciona como se a pessoa
desejasse reprimir a mentira que está contando.

45
3 - O Ouvido

Coçar o ouvido pode ser um sinal da mentira. Funciona


como se a pessoa não desejasse
ouvir a mentira que está contando.

46
4 - O Nariz

Coçar o nariz pode indicar mentira. Um sinal tão clássico


que, desde pinóquio, é um marco caricato.

47
5 - Afrouxar a gravata ou colarinho

Quando uma pessoa mente a pressão arterial sobe e, por


isso, acaba por afrouxar a gravata ou colarinho e com isso
esse sinal se torna um indício de mentira.

48
6 - Transpirar acima da média

Uma pessoa que está mentindo tem um aumento da


pressão arterial, além de que a tensão, nervosismo,
ansiedade ou timidez poderiam fazer uma pessoa transpirar
mais que o normal e indicar mentira.

49
7 - Coçar a garganta

Inconscientemente uma pessoa que mente tem dificuldade


de digerir a mentira e, por isso, acaba coçando a garganta
como se indiretamente isso o ajudasse a digerir ou lidar
com a mentira que está contando.

50
8 - Gestos adaptativos

Roer as unhas, olhar para o relógio ou qualquer gesto do


tipo adaptativo demonstram ansiedade sobre o discurso ou
assunto debatido e, por isso, pode ser um indício de
mentira.

51
9 - Ritmo, volume e timbre de voz

O medo de ser descoberto por contar uma mentira pode


deixar uma pessoa tensa emocionalmente, mesmo que em
baixa escala, e isso poderia afetar o ritmo, volume e timbre
da voz de uma pessoa, além de ser um indício de mentira.

52
10 - Virar a face ou desviar o olhar

Ao mentir, uma pessoa pode se sentir constrangida e, por


isso, pode vir a desviar o olhar. Por outro lado, bons
mentirosos entendem isso e podem vir a olhar mais que o
normal para a vítima da mentira, por isso a melhor maneira
de usar esse sinal em sua análise é estar atento a
mudanças no padrão normal da pessoa e isso pode ser
mais complexo e difícil que possa aparentar inicialmente.

53
11 - Análise de Incoerências no Discurso

Apesar do grande foco da arte de desvendar mentiras estar


na disparidade da linguagem corporal, o discurso das
pessoas é um dos indicativos mais fortes.
Algumas verdades da fala são irrefutáveis, conhecidas
como silogismo aristotélico.
Exemplo: Todo baiano é brasileiro,
mas nem todo brasileiro é baiano.

54
12 - Elevar o Ombro

Encolher os ombros, elevar unilateralmente ou balançar o


corpo movendo o horizonte dos ombros é um forte indício
de mentira, catalogado por Paul Ekman.
Funciona inconscientemente, como se a pessoa desejasse se
esquivar do que fala porque está desconfortável, do mesmo
jeito que desviar o olhar, só que sobre os ombros as pessoas
têm menos controle desse tipo de gesto.

55
13 - Analisando os Olhos

Existe um padrão sobre a movimentação de nossos olhos em


relação aos nossos pensamentos. Entender esse padrão pode
ajudar a decifrar a verdade ou a mentira no discurso das
pessoas com quem conversamos.
O centro do olho na altura do centro denota algo que ouvimos
ou criamos no campo auditivo. Já o centro do olho voltado
para cima indica que estamos pensando em algo que vimos.
Por fim o olho voltado para baixo indica que estamos
pensando em algo que vivenciamos.

56
14 - Análise das Micro e Macro Expressões Faciais

O nosso corpo expressa as nossas emoções. Na psicologia


esse fato é conhecido como somatização.
Quando falamos de micro ou macro expressões faciais
estamos nos referindo à somatização das emoções da face.
De modo geral, podemos interpretar a verdade ou a mentira
com muita eficiência no discurso das pessoas, quando
apresentam incoerência entre o que dizem e o que
expressam, seja em sua face ou em sua linguagem corporal.
As micro e macro expressões das emoções primárias são
universais, duram frações de segundos na micro expressões e
um pouco mais nas macro expressões.
Para se parametrizar o consenso do que seriam as respostas
emocionais coerentes das micro e macro expressões ou da
linguagem corporal, Paul Ekman criou o mapa das emoções.

57
Mapa das Emoções

58
Mapa das Emoções. Como acontecem? Quais são?

---- O mapa das emoções foi desenvolvido por Paul Ekman,


uma das maiores sumidades internacionais sobre o assunto.
Esse mapa mostra o estado inicial e o estado final das
emoções e debate, acima de tudo, a percepção do indivíduo e
a mudança psicológica destas emoções em sua linguagem
corporal para análise comportamental das pessoas.

Apesar de termos 7 emoções primárias segundo Paul Ekman


(surpresa, medo, felicidade, tristeza, raiva, desprezo e nojo), o
mapa das emoções se resume em 5 categorias. São elas:
medo, tristeza, felicidade, desprezo e raiva.

Para cada grupo de emoções desse mapa, iremos encontrar


uma variedade de respostas emocionais ligadas às mesmas.
Confira um modelo detalhado nos mapas individuais a seguir.

59
1 - Vamos entender os estágios do medo:
inquietação, nervosismo, ansiedade, temor, desespero,
pânico, horror ou terror

respostas ao medo
1 - Evitar - Manter-se fisicamente afastado de alguém.
2 - Congelar - Incapacidade de responder.
3 - Preocupar-se - Prever a possibilidade de um
dano/prejuízo.
4 - Retirar-se - Se afastar, física e mentalmente, de um
cenário/ameaça.
5 - Gritar, pedir ajuda.
6 - Retirar-se - se afastar física e mentalmente da ameaça.
7 - preocupação - prever antecipadamente dano ou prejuízo

60
2 - Vamos entender os estágios da raiva:
aborrecimento, frustração, exasperação, argumentatividade,
amargura, vingança, fúria

respostas a raiva
1 - Discordar de forma que pode agravar um conflito.
2 - Agressivo passivo - Ações indiretas que expressam raiva.
3 - Insulto - Palavras ofensivas, podem aumentar o conflito.
4 - Reprimir - Expressar verbalmente algo que gera
desacordo.
5 - Gritar - Perder controle verbal e disparar palavras
ofensivas
6 - Ferver - Expressar raiva por mau humor.
7 - Suprimir - Tentar reprimir a raiva para evitar um conflito.
8 - Força física - Agredir fisicamente uma pessoa.
9 - Minar - Tomar medidas para tornar alguém mais fraco.

3 - Vamos entender os estágios do desprezo:


antipatia, aversão, desgosto, repugnância, repulsa,
aborrecimento, nojo

respostas ao desprezo
1 - Permitir - Ficar fisicamente afastado do objeto, evitar
pensar

61
2 - Desumanizar - Tratar alguém como se não fosse humano
3 - Vomitar - Literalmente vomitar em relação a emoção ou
sentimento do desprezo ou nojo
4 - Retirar - Afastar se física ou mentalmente do objeto ou
cena

4 - Vamos entender os estágios da tristeza:


decepção, desânimo, desassossego, resignação, desamparo,
miséria, desespero, pesar, tristeza, angústia

respostas a tristeza
1 - Sentir vergonha - Vergonha pelo sentimento de perda.
2 - Chorar - Expressar tristeza pela perda através de ações.
3 - Protestar - Reivindicar o objeto da perda.
4 - Ruminar - Pensar obsessivamente na emoção.
5 - Buscar conforto - Buscar ajuda ou suporte de outros.
6 - Retirar - Afastar-se fisicamente.

5 - Vamos entender os estágios da felicidade:


prazer sensorial, regozijando-se, alegria, diversão, alegria
sádica, alívio, paz, orgulho, superação, felicidade fraternal,
maravilha, excitação, ecstasy

respostas a felicidade

62
1 - Exclamar - Expressar prazer vocalmente aos outros
2 - Engajar - Conectar - compartilhar o sentimento de prazer
sem desejar causar ciúmes
3 - Exultante - Desfrutar da inveja dos outros por seu prazer
ou felicidade ou prazer sádico
4 - Indulgência - Permitir experimentar o prazer de bons
sentimentos
5 - Manter - Fazer o que for necessário para manter os bons
sentimentos
6 - Saborear - Aprecie os bons momentos em torno de uma
experiência ou por vivenciá-las
7 - Procure mais - Tente aumentar os sentimentos agradáveis

63
Analisando os Olhos

64
Introdução a Análise dos Olhos

Você já deve ter escutado que os olhos são o espelho da


alma. Sim, eles dizem muito a respeito de uma pessoa.
Quando eles estão voltados para parte superior, de modo
geral, a pessoa está pensando em algo que viu. Quando na
linha do horizonte do centro óptico, a pessoa está pensando
em algo que ouviu. Quando o mesmo está para baixo indica
que a pessoa está pensando em algo que viveu ou que está
construindo de forma interna.

Além da posição (cima, centro e abaixo) o olhar pode variar


para o lado esquerdo de quem fala ou direita de quem vê e,

65
nesse momento, de modo geral, indica que a pessoa está
pensando em algo que viu, ouviu ou viveu. Já do lado oposto
a pessoa estaria criando uma vivência visual, auditiva ou
interna.
Tenha em mente apenas que algumas pessoas podem ter o
lado do olho invertido, da mesma maneira que temos
canhotos e destros.

Quando piscar pode indicar Mentira

Os olhos precisam ser lubrificados e para isso existem as


glândulas lacrimais que nos fazem piscar em média 24 vezes
por minuto.
Uma pessoa cansada chega a piscar 40 vezes por minuto,
mas o mais interessante é que uma pessoa que pisca 40
vezes por minuto e não está cansada pode indicar que está
mentindo ou que está insegura em relação ao que está
dizendo.

66
Esse sinal também pode ser interpretado como um
afastamento sobre o que a pessoa fala.

Dilatação da pupila

A dilatação da pupila poderia vir a indicar que alguém usou


algum tipo de droga, mas é preciso estar atento pois, quando
uma pessoa se interessa de forma física por outra pessoa,
também pode vir a dilatar a pupila.
Inclusive uma curiosidade a respeito desse fato é que o jantar
a luz de velas é uma forma inconsciente de criar um clima
romântico, pois a meia luz de um ambiente iluminado apenas
por velas deixa a pupila dilatada e isso cria um clima
romântico nesse tipo de jantar.
Esse fato traz à tona a reflexão sobre como a linguagem
corporal tem força e nos influencia em nosso dia a dia, creia a
pessoa nesse conhecimento ou não.

67
o Aperto de Mãos

68
Visão Profissional e Caráter investigativo: Aperto de Mãos

A primeira vez que o aperto de mãos foi visto e explorado de


maneira profissional foi no encontro do presidente Nixon com
Elvis Presley em dezembro de 1970.
Quando observamos uma imagem, a mesma tem uma
influência direta sobre os fatores objetivos do que qualquer
um, em qualquer lugar, poderia ver na imagem. Em segundo
lugar temos temos a influência cultural, regional e cognitiva
que cada um sofre em decorrência dos valores antropológicos
de seu contexto de vida individual e, por fim, o contexto
escrito, que também sofre todos os impactos objetivos e
contextuais que a imagem sofre.
Sobre a perspectiva de desvendar mentiras, devemos
entender que a nossa interação com o outro irá gerar
sentimentos e emoções que podem interferir nas respostas
diretas ou indiretas que as pessoas transmitem. Esse

69
entendimento permite compreender que em algum momento
as respostas do outro poderão estar mais relacionadas ao
reflexo de nossa postura que a um comportamento do
indivíduo.
Tenha em mente que as incertezas são características de
pessoas esclarecidas, pois as pessoas convictas de algo se
fecham para opiniões contrárias.
Pessoas que trabalham com comunicação em massa,
marqueteiros, profissionais de branding, psicólogos e muitos
profissionais estão envolvidos em criar diálogos, expressar
linguagem corporal e produzir imagens com objetivo
comercial.
Não estou rotulando a mídia como diabólica ou desprovida de
princípios morais e éticos, mas considero acreditar na
democracia da informação, utópico se levarmos em conta que
a mídia é mantida por interesses de corporações privadas.
Ao longo das próximas páginas você irá ver uma análise
sobre cada tipo de aperto de mãos.

70
O Aperto de Mãos Ideal

Tenha em mente que temos necessidade de interação e


respeito diferente, de acordo com as pessoas que
interagimos.
Exemplo: A nossa postura como profissional tem de ser
diferente de nossa postura como pai, a nossa postura como
marido e mulher é diferente em relação às nossas amizades e
assim sucessivamente.
A nossa dependência ou necessidade de interação com as
pessoas mudam com muita frequência pelos mais diversos
motivos. Com isso, tenha em mente que não existe um aperto
de mãos ideal para todas as situações.
Estude o simbolismo dos apertos de mãos que ensinamos e
use de acordo com o objetivo de sua interação ou
comunicação com o próximo.
Certifique-se apenas de evitar os tipos de aperto de mão que

71
transmitem mensagens destrutivas sobre a perspectiva de sua
imagem.
Especialmente com o advento das mídias sociais, o cidadão
comum chega a ter mais poder de expressão do que um
jornalista de renome em jornal de grande circulação.
Pessoas constroem imagem ou marcas com base em
imagens e diálogos. Agora que você também tem um grande
poder de comunicação, use o seu estudo sobre linguagem
corporal para criar um contexto sobre a sua imagem que seja
coerente com seus objetivos e sua personalidade.

Palma da mão para cima: Submissão

72
Palma da mão para baixo: Poder

Palma da mão paralela: Igualdade

73
Duas palmas das mãos: Intimidade

Bater com os Punhos: Informalidade

74
Aperto de mãos entre polegares: Informalidade

Esmagador de Ossos: Agressividade, hostilidade

75
Apertar e Rodar as Mãos e Pulso: Agressividade, hostilidade

Aperto na ponta dos dedos: Fraco (hesitante), forte


(agressividade)

76
Apertar com as mãos molhadas: Falta de higiene, desleixo

Aperto de mãos rápidos: Desatenção

Aperto de mãos demorados: Desespero

Um bom aperto de mãos deve ser feito olhando no rosto da


pessoa que você está interagindo, do contrário, poderia
transparecer desatenção.

77
Linguagem Corporal

78
Tipos de Expressões da Linguagem Corporal

A linguagem corporal possui 3 tipos de expressões: imutáveis


(características que não mudam a menos que passem por
uma intervenção como por exemplo a cor da pele, tamanho do
nariz, estrutura óssea), lenta (quando as mudanças ou
expressões são reflexo de reações repetidas ao longo do
tempo como as rugas da pele ao longo dos anos ou nosso
peso como expressão de nossa alimentação) e por fim as
expressões rápidas (micro expressões faciais ou linguagem
do corpo como resposta, reação ou reflexo de nossa interação
com o mundo em nosso redor).

As expressões imutáveis falam um pouco de nossa genética,


as lentas de nossas escolhas e personalidade e as rápidas
são a resposta imediata à nossa interação com o mundo,
pessoas ou objetos ao nosso redor.

79
Tipos de Sinais da Linguagem Corporal

Para se analisar a linguagem corporal, é importante separar a


mesma de acordo com alguns parâmetros, segundo alguns
dos maiores autores do assunto em suas pesquisas.

Emblemáticos ​- Gestos fortes que expõem um sentido para


alguém que está longe da pessoa.

80
Ilustradores ​- Gestos que visam ilustrar a nossa
comunicação, podem ser planejados ou inconscientes.

Um gesto ilustrador pode ser emblemático, a diferença está


no contexto de seu uso.

Adaptativos ​- Gestos em que a pessoa se toca, toca a outra


pessoa ou algum objeto.

Um dos sinais adaptativos mais clássicos diz respeito a tocar


e olhar o relógio como forma de expressar desconforto com
um assunto ou pressa para um compromisso.

Esses sinais também podem sofrer mutações ao longo do


tempo.

81
Exemplo: O gesto clássico de olhar e tocar o relógio, que de
modo geral expressa desconforto, pode vir a ser um sinal de
que o seu telefone está tocando, já que o mesmo pode ser
acoplado ao celular, e isso não representaria,
necessariamente, desconforto.

Mímicos ​- Gestos que imitam os gestos de outra pessoa.


Poderia facilmente ser confundido com um gesto emblemático
no primeiro momento, a diferença seria a “imitação”.

82
Técnicos ​- Gestos como o que os guardas de trânsito fazem
para ilustrar que o motorista tem que parar o carro.

Codificados ​- Gestos como os que os surdos fazem para se


comunicar (Libras).

83
Simbólicos ​- Gestos que envolvem uma certa complexidade
em sua elaboração, como a ilustração de rodar os dedos em
torno da orelha para indicar que alguém é louco ou tapar o
ouvido para expressar que não deseja ouvir o que a outra
pessoa está dizendo.

Alternativos ​- Já fizemos analogia à palavras de mais de um


sentido e a análise da linguagem corporal. Por gestos
alternativos temos o entendimento do gesto que tem mais de
um sentido.

Relíquias ​- Tipo de gesto que ultrapassa, em permanência, a


situação que o gerou.

84
Introdução à Arquétipos na Análise Comportamental

O estudo dos arquétipos foi criado em 1919 por Carl Gustav


Jung, que era discípulo de Sigmund Freud. Os arquétipos
fazem parte de histórias de vida que muitos passam no
decorrer da vida de forma repetida durante muitos anos, e que
estão entranhados no inconsciente coletivo e individual de
cada um em nossa sociedade.
Na análise comportamental e no estudo sobre a linguagem
corporal, muitas destas emoções são estereotipadas em
sinais que, independente da intensidade, são reveladas e
expostas na nossa comunicação verbal e/ou não verbal.
Entender o sentido destes sinais irá lhe dar uma perspectiva
mais ampla, coerente, racional e eficiente sobre as análises
que você vier a fazer da linguagem corporal das pessoas ao
seu redor.
Esses arquétipos são muito utilizados no Marketing para criar
marcas com envolvimento emocional e apelo comercial mais
fortes.

85
Criador: Se pode ser imaginado, poderá ser criado

Explorador: Não levante cercas a minha volta

Fora da Lei: As regras são feitas para serem quebradas

86
Bobo da Corte: Se eu não puder dançar, não quero fazer
parte de sua revolução

Amante: Só tenho olhos pra você.

Prestativo: Ama o teu próximo como a ti mesmo.

Cara comum: Homens e mulheres são criados igualmente.

87
Inocente: Somos livres para sermos nós mesmos.

Governante: O poder não é tudo, é só o que importa.

Sábio: A verdade irá lhe libertar.

88
Mago: Tudo pode acontecer.

Herói: Onde há vontade, há um caminho

Fluxo de Energia: Fluxo natural das coisas no imediato.

89
Lúdico: Necessidade de carinho, pertencer ao grupo. O sonho
no sentido mais lindo ou a ideia da criança perdida.

Posse: Desejo de fortuna, sexo, onde só a abundância pode


colocá-lo num nível superior.

Guerreiro: Força para lutar, estereótipo de Rambo.

90
Socializando: Desejo de estabelecer relação com as pessoas.

Cenas do Cotidiano: Momento de profundidade emocional,


amor e família.

Formalização: Necessidade de estabelecer princípios morais.

91
Racional: Habilidade de atuação da mente sem a interferência
da emoção.

Grande Meta: Luta e determinação para vencer obstáculos.

Auto Estima: A experiência de narciso quando vê sua imagem


pela primeira vez refletida no lago.

92
Espírito rebelde: Momento de necessidade de afirmação e
liberdade da energia impulsiva, a liberdade de ser ninguém.

O íntimo: Preenchimento que sentimos ao entrar no próprio


íntimo. Indefinida emoção de riqueza pessoal pelas emoções.

I am a Star: Vaidoso e escultor da própria imagem, procura o


brilho pessoal no ambiente social, charme, presença de
espírito e descontração confiante.

93
Equilíbrio estético: Elegância na atitude diante do mundo,
elegância na postura, senso de justiça, mulheres com graça e
homens com educação.

Exaltação dos Sentidos: A procura de relacionamentos


explosivos, sensualidade e beleza ou a força da fêmea.

O Jogo do Poder: O valor de administrar informação,


inteligência, charme e ousadia.

94
Busca do Inconsciente: Crença na capacidade de
transformação da pessoa. Interesse por experiências
emocionais reveladoras.

O Idealismo: A busca da verdade absoluta e objetivos nobres.

95
Expansão: A verdade dos sentimentos é mais importante do
que o dinheiro.

A Expressão: Pessoas de alta sensibilidade, popularidade e


diversidade.

Líder Visionário: Ele vê na semente de hoje a árvore de


amanhã.

Sentimento Tribal: Refere-se ao estado de espírito de


integração do ser humano.

96
Sentimento Cósmico: Abstração dos opostos e da dualidade
humana.

97
Sensibilidade: A delicadeza natural buscando contato com a
beleza, sutileza e o amor.

98
Micro Expressões Faciais

99
Introdução a Micro Expressões Faciais

Há muito, a linguagem corporal e as micro expressões faciais


vêm sendo estudadas. Durante muitos anos os nossos
ancestrais precisaram da capacidade de interpretar essas
expressões para interagir com os seus semelhantes,
reconhecer perigo ou amigos.

A algum tempo o grande pesquisador Paul Ekman descobriu


um padrão das expressões da face que aconteciam de forma
universal, as micro expressões primárias: surpresa, medo,
raiva, tristeza, alegria, desprezo e aversão ou nojo.

Ele chamou de FACS (facial action code system - sistema de


análise fácil dos movimentos da face). Vou disponibilizar a
seguir as expressões baseadas no sistema de Paul Ekman
para estudos.

Se tiver dúvida sobre a questão relacionada à intensidade da


raiva releia o capítulo sobre o mapa das emoções.

100
Raiva

Aqui iremos observar uma expressão de raiva menos intensa,


mas muito significativa e expressiva.

Nesse modelo a raiva expressada está mais para um


descontentamento que uma raiva intensa propriamente dita.

Observe que a modelo sopra o ar como quem desabafa.

101
Raiva

Aqui iremos observar uma expressão de raiva a nível


intermediário em sua intensidade.

Nesse modelo a raiva expressada pode ser observada na


sobrancelha arqueada para baixo. Muitas vezes a cabeça
também segue esse movimento e a boca fica comprimida
como se a pessoa se segurasse para não dizer algo.

102
Raiva

A seguir você poderá observar uma micro expressão de raiva


que se aproxima da fúria.

Aqui o modelo chega a esboçar um grito de fúria ou raiva


muito intensa que pode ser observada na imagem.

103
Medo

Vamos observar uma expressão de medo relativamente sutil


neste primeiro exemplo. Vale a pena observar bem, pois o
medo é muito facilmente confundido com a surpresa.

A grande diferença é que, no medo, a sobrancelha não se


arregala tanto quanto na surpresa.

104
Medo

Vamos observar uma expressão de medo bem expressiva


nesse segundo exemplo.

Aqui o medo beira o pavor de tão expressivo.

105
Surpresa

Vamos observar uma expressão de surpresa relativamente


sutil nesse primeiro exemplo. Vale a pena observar bem, pois
a surpresa é muito facilmente confundida com o medo.

Observe que a sobrancelha se eleva muito, enquanto que no


medo a sobrancelha quase que não é elevada.

106
Surpresa

Vamos observar uma expressão de surpresa muito forte, que


beira o medo.

A grande diferença aqui é que a pálpebra superior não eleva


tanto quanto no medo.

107
Desprezo

O desprezo é fácil de ser observado pois se caracteriza pela


elevação unilateral da boca e/ou nariz.

A elevação pode ocorrer só na boca, só no nariz, ou em


ambos, a depender da intensidade do desprezo.

Não vamos nos estender além dessa imagem, pois todas são
muito semelhantes e com base nesta você estará bem
respaldado para analisar qualquer expressão similar.

108
Aversão / Nojo

Esta já é uma expressão que pode confundir um pouco o


profissional ou aluno, pois ela tem variações que se
assemelham com a raiva, como no exemplo a seguir.

Observe que a expressão do olhar é de raiva, mas a junção


bilateral do nariz e junção do lábio superior caracterizam
aversão/nojo, segundo Paul Ekman.

109
Aversão / Nojo

Até certo ponto os dentes ficam expostos, e a boca faz um


bico. Em relação ao desprezo, a grande diferença diz respeito
a elevação bilateral, como dito anteriormente.

Também diz respeito a uma micro expressão muito caricata e,


tirando o primeiro exemplo onde o olhar é de raiva, é possível
notar sem dificuldade os seus traços na face.

110
Felicidade

A felicidade é uma das expressões mais facilmente fingidas


pelo ser humano.

O exemplo a seguir é uma expressão caricata da felicidade


genuína, segundo Paul Ekman.

111
Felicidade

A felicidade tem algumas variações interessantes e neste


exemplo vamos ver uma felicidade expressa por um sorriso
meio sádico.

Comum quando alguém consegue apresentar uma mentira


como se fosse verdade, ou sair impune de algo que tenha
feito de errado. Existe, nesse caso, uma leve elevação
unilateral da face junto ao sorriso.

112
Tristeza

A tristeza apresenta as sobrancelhas formando uma seta para


cima, no sentido oposto ao da raiva, e a boca pode estar
arqueada para baixo como no emoticon :(.

O olhar também fica comprimido e os olhos meio que


apertados no momento de tristeza.

113
Tristeza

A tristeza aqui apresenta uma aproximação da sobrancelha no


centro e a boca está arqueada para baixo como no emoticon
:(.

O olhar também fica comprimido e, no exemplo a seguir, você


pode observar a pálpebra superior arqueada para baixo.

114
Tristeza

Aqui a boca de tristeza se caracteriza pelo biquinho feito, com


a suave elevação do lábio inferior para cima, expondo mais a
parte interna do mesmo.

115
Certificação Internacional em análise de Micro
Expressões Faciais com Paul Ekman

Essa é uma das 2 certificações que possuo no Grupo Paul


Ekman. Você pode tirar a mesma em
https://www.paulekman.com

É preciso falar um pouco de inglês para poder aproveitar ao


máximo, mas, para o teste, se estudar bem e entender os
exemplos aqui apresentados, você tem tudo para conseguir
tirar sua certificação em uma primeira prova.

116
Analisando Imagens Digitais

117
Introdução a Análise de metadados de Imagens Digitais

Habitualmente, as pessoas abrem as fotos ou as visualizam


com algum recurso de visualização de imagem do seu
computador ou aparelho de celular, mas as imagens digitais
são fruto de parámetros de texto e, se você abrir as mesmas
com algum software de texto e tiver algum entendimento
sobre os parâmetros, poderá ver diversos detalhes sobre a
produção de uma imagem, além de perceber que qualquer
imagem possui em sua definição mais de mil palavras.
Se não tiver um software especializado para rastrear dados da
imagem (Photoshop ou Lightroom), você pode usar recursos
da web que, apesar de mais simples e menos eficientes, em
muitos momentos oferecem mais dados sobre a imagem do
que a maioria das pessoas gostariam de compartilhar e por
isso é tão importante conhecer.
Confira análise de metadados da imagem em:
http://metapicz.com/#landing

118
Saiba que algumas imagens poderão apresentar mais ou
menos informações, de acordo com a forma como a mesma
foi capturada ou editorada.

Desvendar Mentiras sobre Imagens Digitais com o Google

Para desvendar mentiras sobre imagens digitais, você pode


acessar o site do Google (​www.google.com.br​) e escolher a
opção de busca por imagens. Em seguida, publique a sua
imagem para que o google faça busca por imagens
semelhantes.
Essa perspectiva é viável e muito eficaz pelo fato de que
encontrar imagens propícias para montagem não é uma tarefa
fácil e, com isso, muitos profissionais acabam buscando as
imagens paralelas para serem editadas na rede mundial de
computadores.
Tenha em mente que este não é um método 100% confiável,
pois uma pessoa com muita ou alguma habilidade fotográfica
poderia facilmente conseguir as imagens por iniciativa própria
e, neste caso, o sistema de análise de mentiras sobre
imagens digitais não seria eficiente.
Confira que o resultado de busca de imagem mostra a
perspectiva de imagens semelhantes, iguais ou com os
mesmos parâmetros de metadados, e se você encontrar 2
imagens ou mais com diferenças significativas, isso poderá
indicar mentira.

119
Metadados da Imagem no Adobe Photoshop

120
Para abrir a opção de metadados da imagem no Adobe
Photoshop, clique em (file - arquivo). Em seguida clique na
opção (file info - informação do arquivo), o atalho é (alt + shift
+ ctrl + i).
Uma vez dentro da opção do painel de metadados, você
poderá ver diversas guias com diferentes grupos de
informações que podem estar mais ou menos completas, de
acordo com a forma de captura ou edição prévia sobre a
mesma.
Essa ferramenta poderia ser usada para descrever o local
onde a imagem foi tirada (no caso da opção de GPS estar
ativa), informar o tipo de câmera utilizada na captura da
imagem, relatar questões relacionadas a direitos autorais
sobre a imagem, contato do autor, palavras chave para
catalogação em mecanismos de busca ou fácil evocação em
meios computacionais e diversas funções que você poderá
observar com mais detalhes seguindo o caminho que
orientamos no início desta página.

Metadados da Imagem no Adobe Lightroom

121
O Adobe Lightroom é um dos programas mais sofisticados a
nível de informações e edição de metadados da imagem, pois
o mesmo usa a ferramenta como forma de armazenar,
catalogar e evocar fotografias em massa, de acordo com
estas informações.
O recurso é focado para fotógrafos profissionais que, ao tirar
muitas fotos, podem usar a ferramenta de metadados como
meio de organizar os trabalhos realizados pelos mais diversos
parâmetros.
Metadados servem tanto para higienização dos dados
(organização ordenada da informação), como tem aplicações
forenses na análise de mentiras.
Uma fotografia fala muito sobre o que ela se propõe a
capturar, pois por meio de uma imagem você pode precisar o
horário que a mesma foi tirada ou as condições ambientais,
você poderia fazer análise sobre os objetos que estão
inseridos na imagem, sobre as pessoas e suas expressões
faciais ou gestos corporais e muitos outros insights que
podem, e devem, ser relacionados a todas as temáticas que
vimos no decorrer do livro.

122
Antropometria para Desvendar Mentiras em Imagens

A Antropometria é a ciência ligada à Antropologia que estuda


a proporção entre as partes do corpo humano. Ela é muito útil
na perspectiva de desvendar mentiras em imagens digitais,
pois é comum que, ao fazer uma montagem, o editor deixe
escapar algumas proporções, até porque muito do trabalho de
montagem ou adulteração de imagens é fruto de um processo
um tanto quanto artístico em integração com técnicas e
práticas sobre ferramentas da área gráfica.
A Antropometria também está ligada à física, biologia,
arquitetura, design de móveis e tem outras aplicações na
medicina ou no desempenho de atletas de elite, mas para a
arte de desvendar mentiras em imagens ela é útil no que toca
o lado artístico e habilidades humanas limitadas no processo
de elaborar montagens ou fazer adulterações fotográficas.
Analise imagens com parcimônia e esteja atento a
possibilidade de diferença de qualidade entre os pixels de
uma imagem num contexto unitário e global da mesma em
seus pedaços isolados e sua equiparação.

123
Escala Métrica na Perspectiva de Desvendar Mentiras em
Imagens

Da mesma maneira que a Antropometria (estudo da relação


de tamanho e proporção entre as partes do corpo), a escala
permite que tenhamos uma ideia sobre dimensões reais de
ambientes em imagens.
Confira o exemplo de proporção nas escalas mais comuns.

Ao averiguar a relação de proporção em imagens digitais por


escala, você consegue analisar discrepâncias ou não das
imagens.
As distorções ocorrem porque, ao fazer uma montagem, muito
do processo é artístico e no lado técnico a negligência em
relação à qualificação profissional da maioria das pessoas,
desleixo ou descomprometimento com o “trabalho”, faz com
que pequenas falhas se tornem perceptíveis em análises mais
aprofundadas.
Existem essencialmente 3 tipos de escalas:

124
1 - Escala Nominal: Diz respeito à medidas que podem ser
iguais ou diferentes.
2 - Escala Ordinária: Utilizada para medir ordenação de
opiniões, salários, etc. Sem as relações de igualdade entre os
elementos analisados da escala nominal.
3 - Escala Métrica: Esse tipo de escala se divide em escala
intervalar, que é utilizada para medir ou quantificar medições
entre distâncias sem um ponto nulo ou unidade natural
encontrada na escala ordinária, e escala de razão ou rácio,
que é a estrutura de métrica com base em princípios
matemáticos com um ponto de nulidade.

Montagens com Photoshop podem Iludir de Forma Muito


eficiente

É muito comum as pessoas acreditarem em tudo que vêem. A


imagem acima, em que estou ao lado de Serginho Groisman,
parece bem verdadeira. A imagem da capa do livro em que
estou do lado de Jô Soares também ilude muitas pessoas.

125
Curioso que publiquei essas fotos no Facebook e mesmo
escrevendo embaixo que nunca fui no programa do Jô ou que
nunca estive com Serginho Groisman, cheguei a receber
ligação de pessoas que disseram que assistiram e amaram a
minha entrevista.
A verdade sobre estas fotos é que o rosto utilizado é o meu,
mas o corpo é das pessoas que estavam na imagem de forma
prévia. A montagem foi facilitada pela equivalência no tom da
pele e proximidade sobre a qualidade das imagens em
comparação entre as mesmas.
Trouxe essas imagens como um alerta de cuidado sobre as
fotos que compartilhamos de nós ou pessoas que amamos
nas mídias sociais, e como alerta sobre a nossa crença de
verdade sobre tudo que vemos como verdades irrefutáveis.
Eu fiz essas montagens para o livro e sei que imaginar ou
acreditar que alguém seria ruim o suficiente para fazer algo do
tipo para iludir alguém com objetivos sofistas pode parecer
loucura ou irreal, mas garanto que existe gente ruim o
suficiente para fazer coisas horríveis, e que estas pessoas
estão mais próximas do que possa aparentar inicialmente.
Inclusive, o meu estudo sobre a arte de desvendar mentiras
nasceu de uma experiência traumatizante e horripilante com
uma pessoa muito ruim que passou por minha vida.
Quanto mais estudo a arte de desvendar mentiras como
ciência, mais chego a conclusão que nunca estaremos 100%
protegidos, mas que pelo menos 90% das mentiras podem ser
desvendadas com um pouco de habilidade e conhecimento
sobre o assunto.

126