Você está na página 1de 3

ESCOLA MUNICIPAL OLINDA DE PAULA MAGALHÃES

Ensino Fundamental II

Material de Matemaática – TAI


Professora Karolyne Rozendo

O SISTEMA NUMÉRICO ROMANO

Já foram contadas e escritas muitas histórias sobre os romanos. Foram


feitos também alguns filmes sobre sua época. Filmes que mostram a arquitetura,
a crença, os costumes, as batalhas e os grandes imperadores desse povo. Você
já viu algum deles? Se você observar bem alguns cenários construídos nestes
filmes, vai reparar em um outro elemento do cotidiano dos romanos: os números.
Eles estavam por toda a cidade de Roma, principalmente no alto de alguns
prédios, em muros e em lápides.

Cerca de 2.800 anos atrás, Roma era apenas um povoado de origem


etrusca. Os etruscos eram chamados de “tirrenos” pelos gregos e dominaram a
região por muito tempo, transformando a pequena aldeia de pastores em uma
cidade. Começava assim a história do grande império, que organizou um forte
exército, dominou dezenas de outros povos e, há cerca de 2.200 anos, já era o
centro econômico e político da região que cercava o Mar Mediterrâneo.

Estas são apenas algumas informações sobre a civilização romana. Deu


para ter uma ideia da importância deste povo? Pois é, um povo tão importante e
com tantas terras, autoridades, prédios e pessoas não podia deixar de lado os
números. Contar também fazia parte da vida dos romanos.

O latim, língua dos romanos, foi adotado por muitas regiões de seu
império. Por isso os números romanos foram difundidos e adotados por muitos
povos, estando presentes ainda hoje nas nossas vidas. Quer uma prova? Eu
aposto que você já viu alguns deles na sua aula de matemática...Se não viu
ainda, pode aprender agora!

Na numeração romana eram utilizadas letras para simbolizar quantidades:


I, V, X, L, C, D e M. Na verdade, estes símbolos, que hoje são identificados como
letras por nós, eram resultado da transformação de outros símbolos mais
antigos.

Mas a que valores os símbolos romanos se referiam? Vamos lá:

I=1 C=100

V=5 D=500

X=10 M=1000

L=50
Assim sendo, para escrever um número onde alguns desses valores se
somavam os romanos escreviam os símbolos lado a lado:

VI (5 + 1) = 6
XII (10 + 2) = 12
LIII (50 + 3) = 53
CX (100 + 10) = 110

Existiam regras curiosas neste sistema. A primeira dizia que quando um


sinal está à esquerda de outro com valor superior, diminui-se dele. Vamos a
alguns exemplos:

IV (5 – 1) = 4
IX (10 – 1) = 9
XL (50 – 10) = 40
XC (100 – 10) = 90
CD (500 – 100) = 400
CM (1000 – 100) = 900

Para ler XCVI, os romanos observavam o símbolo de maior valor, no caso


deste número, o C, que representa cem. Como existe um X a sua esquerda,
subtrai-se dez de cem e então temos noventa. Continuando, temos o símbolo V,
que tem valor cinco e o símbolo I, que tem valor um. Somando estes dois últimos,
temos seis. Concluímos que o número XCVI equivale a 96 na nossa numeração.

A segunda regra dizia que quando um sinal está à direita de outro com
valor superior, soma-se com ele. Vamos ver os exemplos:

XI (10 + 1) = 11

VIII (5 + 2) = 7

Uma terceira regra diz que um mesmo símbolo não pode ser repetido lado
a lado por mais de três vezes. Observe os exemplos:

300 = CCC (correto)

400 = CCCC (errado)

o certo é: 400 = CD (500 – 100)

Você consegue ler o número abaixo?

MMMCMXCIX
ATIVIDADE
2) Passe do nosso sistema de numeração para o sistema de numeração romano e vice-
versa.

a) 789 ___________________ i) LXIX____________________

b) 985 ___________________ j) CLIII ____________________

c) 180 ___________________ k) CDIII ____________________

d) 427 ___________________ l) XLVII ____________________

e) 1287 ___________________ m) MCCLVI _________________

f) 3884 ___________________ n) MMDIV __________________

g) 5973___________________ o) MMMDXLV ______________

h) 9009 __________________ p) MDCCCLXXXVIII ______________

Você também pode gostar