Você está na página 1de 20

1

Os 12 Sais de Schussler e suas propriedades Postado por: Luiz Terapeuta

Calcarea fluorica (Calcium fluoratum) D6


Encontra-se no esmalte dos dentes, nos ossos e nas células da epiderme, sobretudo onde
exista tecido elástico. O agente descarga o aparelho circulatório e fortalece os pequenos
vasos sanguíneos. Além disso, estimula a reabsorção dos endurecimentos vasculares.

Indicações Terapêuticas:
Perda de elasticidade dos vasos sanguíneos (hemorroidas, varizes, arteriosclerose).
Doenças ósseas e dentárias (propensão a cáries, etc), lesões discais, moléstias articulares,
raquitismo infantil, endurecimento dos tecidos e glândulas, debilidade postural,
envelhecimento prematuro da pele.

Também se discute a conveniência de administrar Calcium fluoratum como agente de apoio


em todas as doenças tumorais. Atua lentamente e deve-se tomar durante longos períodos
de tempo.

Calcarea phosphorica (Calcium phosphoricum) D6


É o sal mais abundante no organismo humano. É o agente bioquímico responsável pela
construção e o fortalecimento de todas as estruturas do organismo; fundamentalmente
configura a massa óssea dura, ainda que está presente em todas as células. Calcium
phosphoricum actua sobre as membranas celulares limitantes e intervém na síntese
proteica.

Indicações Terapêuticas:
Como o Calcium fluoratum, recomenda-se administrar de preferência com o Calcium
phosphoricum, está indicado em todas as doenças ósseas e dentárias, fracturas
complicadas que demoram a soldar, anemia, processos pulmonares, alterações de tipo
nervoso, astenia, transtornos do sono (especialmente em lactentes, durante a infância e em
épocas de desenvolvimento e crescimento). Também se administra nos transtornos
menstruais, durante a gravidez e na convalescença. Calcium phosphoricum é um agente
bioquímico de efeito lento que se recomenda tomar durante longos períodos de tempo. O
agente é ideal para pessoas anêmicas, pálidas, de aspecto adoentado; os seus sintomas
acentuam-se pela noite e podem piorar em condições de repouso.

Calcarea sulphurica (Calcium sulfuricum) D6


Encontra-se no fígado e vesícula biliar. Assim como a Silicea, tem uma grande utilidade em
todos os processos purulentos. Aumenta a coagulação sanguínea e estimula o
metabolismo.

Indicações Terapêuticas:
Abcessos, furúnculos, antrax, inflamações do tecido conjuntivo, amigdalites purulentas,
catarro brônquico purulento, cistite e nefrite, resfriado crônico que afeta os seios nasais
2

com secreções purulentas, sanguinolentas e fétidas; fístulas anais, reumatismo crônico e,


finalmente, também em pacientes com insônia, perda de memória e vertigo.

Ferrum phosphoricum D12


A importância do ferro (Ferrum) no organismo é essencial e não há dúvida do papel vital
que desempenha no nosso organismo. O ferro não só é um componente imprescindível da
hemoglobina como se encontra em todas as células, intervém em múltiplos processos
enzimáticos e exerce funções importantes nos mecanismos de defesa frente às infecções.
Na infância é necessário para um crescimento normal. Pela mesma razão é imprescindível
também durante a menstruação, na gestação e no período de latência. A proporção de
ferro no organismo é de 4 a 5 gramas, de que três quartas partes correspondem à
hemoglobina.

Indicações Terapêuticas:
É o agente bioquímico para todas as doenças súbitas e para todos os processos
inflamatórios e febris em estado inicial. Está indicado em doenças infantis, estados
anêmicos, dores, feridas, hemorragias, contusões, distorções articulares, sobrecargas
físicas, alterações da perfusão sanguínea com sintomas reumatoides, gastrite catarral
aguda com dor e vômitos e diarreias estivais acompanhadas de febre.

Kalium muriaticum (Kalium chloratum) D6


O potássio faz parte de todas as células, sobretudo leucócitos e eritrócitos. Como o sódio,
possui efeitos fisiológicos específicos sobre a excitabilidade nervosa e muscular. Além disso
intervém na síntese proteica e na utilização dos hidratos de carbono (efeito ativador do
metabolismo). Em conjunto pode-se afirmar que o potássio é um componente
imprescindível do organismo. O deficit de potássio causa alterações patológicas em
diversos tecidos (músculo cardíaco e músculos esqueléticos, entre outros).

Indicações Terapêuticas:
Kalium chloratum está considerado em bioquímica como o agente principal no tratamento
anticatarral de diversos órgãos e mucosas e nos catarros acompanhados de secreções
fibrinosas-espesas (segundo estádio de inflamação) que formam uma massa branca, branca
fina ou branca viscosa, tanto se se trata de placas brancas finas na pele ou membranas
sólidas de cor branca localizadas nas mucosas. Prescreve-se principalmente Kalium
chloratum para o tratamento de afecções otorrinolaringológicas (ORL) e oculares
caracterizadas por inflamação fibrinosa, também em processos pulmonares e pleurite
fibrinosa, bronquite, reumatismo, tendovaginite, verrugas, reações de vacinas,
queimaduras, etc.

Kalium phosphoricum D6
É o sal orgânico mais significativo para a célula e é particularmente importante para o soro,
os leucócitos, os distintos tecidos do organismo e as células cerebrais, nervosas e
musculares. O deficit de potássio produz esgotamento destes órgãos, em ocasiões
3

acompanhado de transtornos psíquicos, ânimo depressivo, ansiedade, abatimento e perda


de memória.

Indicações Terapêuticas:
Kalium phosphoricum é o agente funcional bioquímico de mais utilidade no tratamento das
doenças agudas e crônicas e estados de esgotamento. Está indicado em estados nervosos,
depressões, esgotamento. Melancolia, histeria, insônia de origem nervosa, apatia
intelectual, perda da memória, debilidade muscular, lombalgias, alterações cardíacas de
tipo nervoso, sensação de ansiedade com palpitações (síndrome do pânico), etc. assim
como medida de apoio no tratamento das cardiopatias orgânicas, em hemorragias,
paresias, perda de força em processos infecciosos, estados infecciosos e inflamatórios com
secreções fétidas (“antisséptico interno”).

Kalium sulphuricum D6
Encontra-se nas células da epiderme e células epiteliais da pele e mucosas, normalmente
junto ao ferro, que o apoia na sua função de transporte de oxigênio na célula e de que se
serve para ativar o metabolismo celular. Kalium sulphuricum é para o terceiro estádio de
inflamatório com secreções viscosas amareladas, já que o Ferrum phosphoricum é para o
primeiro estádio de inflamação (inflamação seca sem secreção) e Natrum muriaticum
(Kalium chloratum) para o segundo estádio de inflamação (secreções viscosas).

Indicações Terapêuticas:
Em inflamações crônicas de todo o tipo, afecções cutâneas descamativas, catarros de
mucosa purulentos crónicos (nariz, ouvidos, faringe, brônquios, conjuntiva, etc.); também
em catarros gastrointestinais, hepatite, nefrite, dor articular reumática e, em geral, para a
estimulação de todos os processos de eliminação e desintoxicação. O paciente apresenta
um estado anímico dominado pela melancolia e pela ansiedade; os sintomas acentuam até
ao entardecer e habitações muito tempo fechadas; alivia e melhora em espaços abertos
com ar puro e fresco.

Magnesia phosphorica D6
É o analgésico e antiespasmódico bioquímico por excelência. O magnésio ocupa o segundo
lugar em importância depois do potássio entre os sais minerais do organismo humano.
Aproximadamente a metade encontra-se no esqueleto, um terço no sistema muscular e o
resto reparte-se entre nervos, cérebro, medula espinal, eritrócitos, fígado e glândulas
tiroides. O magnésio intervém em múltiplos processos enzimáticos. Possui propriedades
antitrombóticas e antialérgicas e influi sobre a excitabilidade neuromuscular e a função
cardíaca (prevenção do enfarto do miocárdio, entre outros). O magnésio diminui o
metabolismo basal e reduz os níveis de colesterolemia.

Indicações Terapêuticas:
Quadros espasmódicos de todo o tipo, cólicas e algias, neuralgias em todo o corpo,
sensação de opressão na região cardíaca e tendência a enxaqueca. O seu efeito é
destacável no tratamento de quadros clínicos do tipo cólica, flatulência, meteorismo,
4

problemas da dentição e tosse convulsa em crianças e diarreias aquosas acompanhadas de


dor abdominal.

Natrum muriaticum (Natrum chloratum) D6


Dos sais sódicos do organismo, o Natrum chloratum é o que tem a maior importância
biológica. É absolutamente vital (essencial). Enquanto que o potássio está localizado na sua
maior parte nas células, aproximadamente a metade do sódio se encontra no líquido
extracelular e outro terço nos ossos e tecidos cartilaginosos. No estômago e no rim
também existem concentrações intracelulares de sódio relativamente altas.

Indicações Terapêuticas:
Anemia, clorose, anorexia, perda de peso, catarro das mucosas com secreção serosa,
catarro gastrointestinal acompanhado de diarreia aquosa, hipoacidez, hipo galactose no
puerpério, obstipação por atonia intestinal, hemorroidas, sensação de formigamento e
entumescimento das extremidades, erupções cutâneas e exsudativas, dor reumática,
cefaleias, enxaquecas, lacrimação, ptialismo, neurastenia, histeria e falta de iniciativa. Piora
os sintomas pela manhã, por esforço psíquico e clima úmido-frio. Muita sede, apetência por
comidas salgadas; melhora com ar quente e seco ou também com ar puro mais fresco.

Natrum phosphoricum D6
Está muito estendido por todo o organismo: em células nervosas, nos músculos, nos
eritrócitos e no tecido conjuntivo. Mantém o ácido úrico em solução para a eliminação
através do rim. Natrum phosphoricum é importante para a eliminação dos produtos
metabólicos. Também desempenha uma função essencial na troca de ácido carbónico
(efeito tampão) e no metabolismo do ácido láctico que o organismo produz a partir do
glucógeno com o trabalho muscular.

Indicações Terapêuticas:
Natrum phosphoricum é um agente neutralizador de eficácia provada nas hiperacidoses de
todo o tipo. Tem aplicação no tratamento de doenças agudas e crónicas (sobretudo em
crianças) por transtornos metabólicos, excesso de ácido clorídrico, pirose, vômitos ácidos,
diarreias de fermentação, no reumatismo, ciática e gota. Também está indicado em
adenites, inflamações oculares, amigdalites, faringites com eructos azedos, cistites, cálculos
renais e biliares e erupções cutâneas com secreções amarelas de consistência cremosa.

Natrum sulfuricum D6
Não se encontra nas células como nos líquidos tecidulares. Tem por missão
descongestionar o organismo, eliminar toxinas do metabolismo, desintoxicar o organismo e
activar o fluxo biliar.

Indicações Terapêuticas:
Em todas as doenças dos órgãos de excreção (fígado, vesícula biliar, rim, bexiga); também
em erupções cutâneas, feridas antigas, úlceras exsudativas das pernas, edemas, infecções
gripais e moléstias reumáticas. Natrum sulphuricum está indicado em pacientes com
5

sensação permanente de frio que não aquecem mesmo tapados. São irritáveis, indiferentes
e depressivos. Os sintomas, que em muitos casos apresentam-se periodicamente, são mais
acentuados pela manhã, em dias úmidos e em ambientes úmidos (em casa). As secreções
são aquosas e de cor verde-amarela.

Silicea D12
É imprescindível ao organismo (essencial) como componente do tecido conjuntivo. Silicea é
importante para a constituição da pele e mucosas e para o crescimento de unhas, cabelo e
ossos. Aumenta a capacidade de resistência e a resistência mecânica dos tecidos
(“cosmético bioquímico”). Os pulmões, os gânglios linfáticos e as glândulas suprarrenais
contêm quantidades importantes de Silicea. O silício, como componente principal da
Silicea, é depois do oxigênio o segundo elemento mais frequente na superfície terrestre.
Silicea está relacionado de forma especial com o metabolismo do cálcio. O ácido silícico
intervém junto a outras substâncias na assimilação do cálcio contido nos alimentos. Ativa a
formação do colágeno e estimula a atividade dos fagócitos (“células devoradoras”), tão
importantes para a defesa do organismo frente às infecções.

Indicações Terapêuticas:
Silicea, juntamente com Calcium sulphuricum, o meio principal contra as inflamações
agudas e crônicas supurativas de todo o tipo. Também está indicada nos casos de paredes
vasculares distendidas (varizes, hemorroidas, etc), doenças das unhas e cabelo, adenite e
endurecimentos ganglionares, processos de cicatrização, fístulas ósseas, cáries, raquitismo,
treçolhos e suores noturnos. Ativa a reabsorção de hematomas e derrames e reduz níveis
sanguíneos de ácido úrico (ver também Natrum phosphoricum).

Repertório – Sais de Schüssler


Acidez gástrica
Natrum phosphoricum D6: na hiperacidez – 1 comprimido depois de cada refeição.
Natrum chloratum D6: no déficit de ácidos gástricos – 1 comprimido 6 vezes ao dia antes
das refeições.
Acne juvenil
Natrum phosphoricum D6: 1 comprimido 6 vezes ao dia durante um período de tempo
prolongado.
Silicea D6: em pústulas purulentas – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Acúfenos
Calcium fluoratum D6 + Silicea D6: 1 comprimido 5 vezes ao dia a longo prazo.
Alterações cardíacas nervosas
Kalium phosphoricum D6: 1 comprimido 5 vezes ao dia a longo prazo.
Magnesium phosphoricum D6: Como tranquilizante em afecções cardíacas mais intensas,
palpitações, etc. 1 comprimido dissolvido em água quente cada 10 minutos.
Aftas (fungos, muguet, inflamação da mucosa bucal)
Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido 5 vezes por dia.
Kalium chloratum D6: em mucosas com saburra de cor branca ou branco brilhante. 1
6

comprimido em cada hora.


Kalium phosphoricum D6: em saburras com bordas de cor vermelha nas comissuras dos
lábios, sem saburra lingual – 1 comprimido cada hora.
Alergias, prevenção de, respiratórias
Ferrum phosphoricum D6 – tomar na 1ª e 2ª semana.
Magnesium phosphoricum D6 – tomar na 3ª e 4ª semana.
Kalium sulfuricum D6 – tomar na 5ª e 6ª semana.
2 comprimidos em jejum e antes de deitar.
Alopecia
Natrum clorathum D6 + Silicea D6 + Kalium phosphoricum: 1 comprimido 4 vezes ao dia, a
longo prazo.
Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Ambliopia
Natrum chloratum D6: Na debilidade nervosa geral – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Silicea D6: em ambliopias que aparecem ao mínimo esforço 1 a 2 comprimidos 3 vezes ao
dia a longo prazo.
Natrum chloratum D6: em lágrimas e dor ocular que aparece ao ler – 1 comprimido 6 vezes
ao dia.
Amigdalite
Natrum phosphoricum D6 + Ferrum phosphoricum D6: Em casos agudos e crónicos – 1
comprimido cada 3 em 3 horas.
Magnesium phosphoricum D6: Nas amigdalites crónicas – 1 comprimido diluído em água
quente 4 vezes ao dia a longo prazo.
Silicea D6: em amigdalites purulentas – 1 comprimido cada 2 horas.
Calcium sulfuricum D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia a longo prazo.
Anemia
Ferrum phosphoricum D6 + Calcium phosphoricum D6: 2 comprimidos 3 vezes ao dia.
Anorexia
Kalium phosphoricum D6: Em transtornos psíquicos nervosos – 1 comprimido cada 3 horas.
Calcium phosphoricum D6 + Natrum chloratum D6: em casos de debilidade geral, anemia,
produção deficiente de sucos gástricos, náusea, vómitos – 1 comprimido 3 vezes ao
dia, respectivamente.
Natrum phosphoricum D6: em hiperacidez, pirose, gastralgias depois de comer (pós-
prandial).
Kalium chloratum D6: em casos de afecção hepática, língua branca-escura, bulimia – 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Arteriosclerose (calcificação das artérias)
Calcium fluoratum D6: o agente mais importante, se procede, tratamento a longo prazo – 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Silicea D12: Impede a progressão da arteriosclerose – 1 comprimido 3 vezes ao dia a longo
prazo.
Magnesium phosphoricum D6: no aparecimento de moléstias cardíacas espasmódicas – 1
comprimido 5 vezes por dia.
7

Kalium phosphoricum D6: em estados de ansiedade, opressão cardíaca, fases depressivas –


1 comprimido por dia.
Asma (asma brônquica)
Kalium phosphoricum D6: no ataque, em pacientes com nervosismo como sinal dominante
– 1 comprimido cada 5 minutos. Em continuação seguir 1 comprimido cada 2 horas.
Magnesium phosphoricum D6: no ataque, frequentemente na relação com dor abdominal
espasmódica – 1 comprimido cada 5 minutos.
Kalium phosphoricum D6: no estado entre ataques – 1 comprimido cada 2 horas.
Kalium chloratum D6: em casos com escarros brancos muito viscosos e sensação de
opressão cardio-pulmonar, no ataque – 1 comprimido cada 15 minutos para depois passar
a Kaium phosphoricum D6 + Magnesium phosphoricum D6 + Natrum suphuricum D6 em
tempos húmidos – 1 comprimido cada hora.
Calcium fluoratum D6: em casos de dispneia intensa e enfisema, expectoração difícil de
pequenas agregações de muco amarelado. Também em combinação com Silicea D6 para o
fortalecimento do tecido pulmonar atómico – 1 comprimido cada 3 horas.
Kalium sulfuricum D6: em ataques vespertinos e nocturnos assim como depois de comer –
1 comprimido cada 2 horas.
Atonia intestinal (ver obstipação)
Blefarite
Ferrum phosphoricum D6: em inflamações e eritemas extensos – 1 comprimido 5 vezes ao
dia.
Natrum phosphoricum D6: nas pálpebras coladas – 1 comprimido 5 vezes ao dia. Em caso
necessário em alternância com o preparado precedente.
Silicea D12 – Em crostas purulentas nas pálpebras – 1 comprimido três vezes ao dia.
Bócio
Magnesium phosphoricum D6: 1 comprimido dissolvido em água quente 5 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6: em bócios nodulares duros – 1 comprimido 3 vezes ao dia a longo
prazo.
Bronquite
Ferrum phosphoricum D6: anti-inflamatório principal – 1 comprimido cada meia hora.
Kalium chloratum D6: depois do agente precedente se aparece suor – 1 comprimido de
hora a hora.
Magnesium phosphoricum D6: em tosse espasmódica intensa – 1 comprimido dissolvido
em água quente cada 5 minutos.
Cãibras dos escrivães (veja-se em espasmos)
Cãibras das panturrilhas (veja-se em espasmos)
Cálculos biliares (veja-se também em colecistite)
Natrum sulphuricum D6: no estado entre ataques.
Natrum phosphoricum D6: durante 3 a 4 dias com intervalos de três semanas – 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Magnesium phosphoricum D6: em cólicas biliares e espasmos – 1 comprimido dissolvido
em água quente cada 5 a 10 minutos.
8

Ferrum phosphoricum D6: depois do desaparecimento da dor, para prevenir o


desenvolvimento de uma colecistite – 1 comprimido cada meia hora.
Calos
Calcium fluoratum D6 + Silicea D6: 1 comprimido cada 2 horas.
Cancro
Magnesium phosphoricum D6: 2 comprimidos em jejum.
Calcium phosphoricum D6: 2 comprimidos antes de deitar. Ou tomar 2 sais antes de cada
refeição, os dois em dias alternados.
Cataratas
Kalium phosphoricum D6: como complemento ao resto das medidas terapêuticas, em
função sempre das características individuais de cada caso.
Catarro faríngeo (veja-se em “faringite”)
Catarro gástrico (veja-se em “gastrite”)
Catarro vesical (cistite)
Ferrum phosphoricum D6: no primeiro estado inflamatório, com dor, febre e micção
imperiosa – 1 comprimido cada meia hora.
Kalium chloratum D6 + Silicea D12: no segundo estado inflamatório, geralmente crónico; a
urina é escura, turva e contém muco espesso de cor clara – 1 comprimido cada 2 horas.
Magnesium phosphoricum D6: na retenção de urina e espasmos da musculatura vesical – 1
comprimido diluído em água quente cada meia hora.
Cefaleias
As cefaleias ou cefalalgias podem ser um sintoma das mais diversas enfermidades – tratar
as enfermidades básicas ou adjacentes! -, Mas também podem aparecer de forma isolada.
O termo migrana utiliza-se para definir uma cefaleia hemicraneal muito intensa que se
apresenta em forma de crise, frequentemente acompanhada de vómitos, e que se acentua
com os efeitos da luz e do ruído.
Ferrum phosphoricum D6: em dores opressivas com congestão da cabeça, vertigo,
frequentemente acompanhadas de vómitos e transtornos visuais – 1 comprimido cada
meia hora.
Kalium phosphoricum D6: em cefaleias de etiologia nervosa com irritabilidade, insónia ou
que aparecem como consequência de uma situação de stress e aborrecimento – 1
comprimido cada meia hora.
Natrum chloratum D6: depois de enfermidades consecutivas e transtornos do sono,
cefaleias depois das manhãs até à noite, também em miúdas adolescentes – 1 comprimido
cada meia hora.
Magnesium phosphoricum D6: em cefaleias críticas, espasmódicas, terebrantes (dor que
produz a sensação de uma broca a penetrar nos tecidos), sobretudo na região occipital,
com um clarão diante dos olhos – “siete caliente” ou 1 comprimido cada meia hora.
Silicea D12: especialmente indicado depois de um grande esforço intelectual ou na
“cefaleia do estudante”, também em pessoas hipersensíveis e debilitadas – 1 comprimido
cada meia hora.
Natrum sulphuricum D6: sobretudo em cefaleias acompanhadas de transtornos digestivos e
cefaleias que pioram com o movimento e a exposição à luz – 1 comprimido cada meia hora.
9

Natrum phosphoricum D6: depois de um consumo excessivo de álcool com náuseas e


eructos ácidos – 1 comprimido cada meia hora.
Ciática
Kalium phosphoricum D6: em casos agudos – 1 comprimido cada meia hora depois de
acabar com a dor.
Magnesium phosphoricum D6: em dores de tipo espasmódico que melhoram com o calor
ou aquecimento, a cada meia hora.
Calcium phosphoricum D6: em dores nocturnas, parestésicas, sobretudo na região coxal – 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Siicea D12: em casos crónicos – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Colecistite
Natrum sulphuricum D6 + Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido cada meia hora.
Kalium phosphoricum D6: em quadros com febre crescente – 1 comprimido cada hora.
Kalium chloratum D6: depois da fase aguda – 1 comprimido cada hora.
Cólicas
Magnesium phosphoricum D6: para o tratamento sintomático em geral – “siete caliente”
ou 1 comprimido dissolvido em água morna cada meia hora.
Cravos (espinha na pele) (veja em acne)
Conjuntivite
Ferrum phosphoricum D6: anti-infamatório principal na secreção purulenta de muco
branco – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Kalium chloratum D6: em caso de lacrimação muito intenso e secreções de muco fluido,
claro – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Natrum kloratum D6: 1 comprimido cada ¼ de hora.
Natrum sulphuricum D6: em crianças escrofulosas com pus amarelo-esverdeado e vesículas
na conjuntiva – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Silicea D12: na supuração amarela viscosa persistente.
Comoção cerebral
Ferrum phosphoricum D6 + kalium phosphoricum D6: como tratamento de apoio de
manutenção dos quadros febris, sobretudo em caso de perda de sensibilidade.
Natrum sulphuricum D6: em perdas permanentes da capacidade cerebral – 1 comprimido
cada hora.
Magnesium phosphoricum D6: em transtornos visuais permanentes – 1 comprimido cada
hora.
Contusões ((veja-se “traumatismos”)
Constipação comum – resfriado
Ferrum phosphoricum D6: antes dos primeiros sintomas de constipação – 1 comprimido
cada ¼ hora.
Natrum chloratum D6: em constipações com secreção nasal serosa irritativa – 1
comprimido cada ½ hora.
Magnesium phosphoricum D6: em constipações com crises de espirros frequentes – “Siete
caliente” ou 1 comprimido dissolvido em água morna cada ¼ de hora.
Kalium sulphuricum D6: em casos de obstrução nasal – 1 comprimido cada hora.
10

Silicea D6: em constipações crónicas, também em corizas secas com nariz irritado – 1
comprimido 6 vezes ao dia.
Crianças, insónia, medo e ansiedade
Kalium phosphoricum D6 – 2 comprimidos em jejum.
Calcium phosphoricum D6 – 2 comprimidos antes do almoço.
Magnesium phosphoricum D6 – 2 comprimidos antes de deitar.
Duração de tratamento: 4 a 6 semanas.
Crianças, deficit de atenção
Kalium phosphoricum D6 – 2 comprimidos em jejum.
Calcium phosphoricum D6 – 2 comprimidos antes do almoço.
Magnesium phosphoricum D6 – 2 comprimidos antes de deitar.
Duração de tratamento: 4 a 6 semanas.
Crosta láctea
Natrum phosphoricum D6 – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Dentição infantil
Calcium phosphoricum D6 + Calcium fluoratum D6: para activar a erupção dental – 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Ferrum phosphoricum D6: em moléstias febris da dentição – 1 comprimido 6 vezes ao dia.
Magnesium phosphoricum D6: em inflamações dolorosas – 1 comprimido dissolvido em
água quente cada hora.
Desmame medicamentoso
Natrum sulphuricum D6: 1 comprimido 6 vezes ao dia.
Diarreia
Ferrum phosphoricum D6 + Kalium chloratum D6: em fezes claras, muco-sanguinolentas e
também pastosas – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Kalium phosphoricum D6: fisgadas sem disposição com dor tipo cólica, sensação de ardor
intestinal, diarreia de odor fétido.
Magnesium phosphoricum D6: em deposições líquidas com dor abdominal tipo cólica que
melhora aplicando calor e adoptando uma postura de dobrado – 1 comprimido cada ¼ de
hora.
Natrum chloratum D6: em diarreia muco-serosa que não cessa e que provoca irritação na
região anal, alternando eventualmente com obstipação.
Natrum phosphoricum D6: em fezes de odor acre, sobretudo em crianças pequenas com
saburra na língua amarelada – 1 comprimido cada ½ de hora.
Natrum sulphuricum D6. em diarreia crónica que obriga a levantar-se de madrugada e que
piora com tempo húmido – – 1 comprimido cada ½ de hora.
Silicea D12: em formas purulentas – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Doenças cutâneas crónicas
Kalium sulfuricum D6 – 2 comprimidos em jejum.
Calcium phosphoricum D6 – 2 comprimidos antes do almoço.
Natrium phosphoricum D6 – 2 comprimidos antes de deitar.
Em caso de prurido (urticária) juntar magnesium phosphoricum D6.
Duração de tratamento: de 3 a 6 semanas.
11

Eczemas (erupções cutâneas)


Calcium phosphoricum D6 + Natrum chloratum D6: em erupções cutâneas secas – 1
comprimido cada 2 horas.
Kalium chloratum D6. em erupções cutâneas exsudativas – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6: em gretas, fissuras, formação de crostas, pele seca. 1 comprimido 3
vezes ao dia.
Natrum chloratum D6 pomada: em eczemas seborreicos em zonas sebosas (face, peito,
costas, região genital).
Esfriamentos (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em profundidade)
Enjoos dos viajantes (veja-se em “enjoos”)
Enjoos
Natrum chloratum D6: como medida de prevenção – 1 comprimido cada 2 horas. Durante a
viagem – 1 comprimido cada ½ hora durante a viagem. Em casos agudos – 1 comprimido
cada 5 minutos.
Natrum phosphoricum D6: dada a variedade das reacções individuais dos afectados, este
pode ser também um preparado de selecção. Como medida de prevenção – 1 comprimido
cada 2 horas. Durante a viagem – 1 comprimido durante a viagem. Em casos agudos – 1
comprimido cada 5 minutos.
Enurese
Natrum sulphuricum D6 + Kalium phosphoricum D6: em casos de debilidade nervosa ou
paralisia da musculatura vesical – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Calcium phosphoricum: em idosos (prostáticos) – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6: em ambos os casos – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Epilepsia
Kalium chloratum D6: como tratamento de apoio da epilepsia – 1 comprimido 5 vezes ao
dia.
Magnesium phosphoricum D6: em quadros com tendência convulsiva muito acentuada.
Ferrum phosphoricum D6: em casos de ataques iminentes – 1 comprimido cada 5 minutos.
Calcium phosphoricum D6: como medida de apoio em casos de grande prostração – 1
comprimido 5 vezes ao dia.
Epistaxis
Kalium phosphoricum D6: em crianças, idosos e pessoas debilitadas.
Kalium chloratum D6: em hemorragias de sangue espesso, viscoso e cor escura.
Natrum chloratum D6: em caso de falta de coagulação (hipocoagulação).
Eructos
Natrum phosphoricum D6: em eructos ácidos, sobretudo depois da ingestão de alimentos
ricos em gorduras – 1 comprimido 4 vezes ao dia.
Natrum sulphuricum D6: em eructos amargos.
Magnesium phosphoricum D6: em eructos que não proporcionam alívio acompanhados de
dor abdominal – 1 comprimido 4 vezes ao dia.
Calcium phosphoricum D6: em eructos ácidos e sensação de ardor no esófago.
Erupção vesicular
Natrum chloratum D6: 1 comprimido 5 vezes ao dia.
12

Erupções cutâneas (veja-se “eczemas”)


Entorses, distorções (veja “traumatismos”)
Espasmos
Magnesium phosphoricum D6: em todas as manifestações espasmódicas – sob a língua ou
1 comprimido dissolvido em água quente cada 5 minutos.
Silicea D12: em espasmos nocturnos, depois de um susto ou em estados de grande
excitação, sobretudo em cãibras das panturrilhas e plantas dos pés – 1 comprimido 5 vezes
ao dia.
Calcium phosphoricum D6: principalmente na dentição, mas também em pessoas anémicas
debilitadas com sensação de frio e entumecimiento; também alternando com Magnesium
phosphoricum D6 – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Espasmos (tiques)
Natrum phosphoricum D6: 1 comprimido cada hora.
Estados de esgotamento
Kalium phosphoricum D6: 1 comprimido cada hora.
Magnesium phosphoricum D6: em casos de inquietude interna, cansaço, depressões – 1
comprimido 6 vezes ao dia.
Estados de ansiedade
Kalium phosphoricum D6: 1 comprimido 6 vezes ao dia.
Estados depressivos
Kalium phosphoricum D6: em perda de memória, irresolução, abatimento, angústia, choro.
Esgotamento psíquico geral – 1 comprimido cada hora.
Estomatite ulcerosa (veja-se em “aftas”)
Escoriações em crianças pequenas
Natrum chloratum D6 + Natrum phosphoricum D6: 1 comprimido cada 2 horas.
Faringite
Ferrum phosphoricum D6: antes dos primeiros sintomas – 1 comprimido cada 5 minutos.
Calcium phosporicum D6: 1 comprimido cada hora.
Kalium phosphoricum D6: em caso de afectação intensa das amígdalas – 1 comprimido
cada 5 minutos.
Kalium phosphoricum D6 + Calcium phosphoricum D6: 1 comprimido cada hora.
Febre (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em profundidade)
Ferrum phosphoricum D6: em febre incipiente – 1 comprimido cada ¼ de hora
adicionalmente.
Kalium phosphoricum D6: 1 Comprimido 6 vezes ao dia.
Febre dos fenos
Natrum chloratum D6 + Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido cada ¼ de hora.
Para a prevenção (profilaxia) ambos preparados simultaneamente – 1 comprimido 3 vezes
ao dia.
Magnesium phosphoricum D6: como tratamento intermédio em crises de espirros e
estados asmáticos – 1 comprimido dissolvido em água quente cada ¼ de hora).
Feridas (veja-se em “queimaduras” e “traumatismos”)
13

Fissuras anais (gretas, rasgos)


Calcium fluoratum D6 + Silicea D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Frieiras
Kalium phosphoricum D6 + Natrum muriaticum D6: 1 comprimido cada ½ hora.
Silicea D6: para a prevenção de uma supuração – 1 comprimido cada 2 horas.
Flatulência
Natrum sulphuricum D6 + Calcium fluoratum D6: 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Magnesium phosphoricum D6: em cólicas com flatulência – “siete caliente” 1 porção cada 5
minutos.
Fungos, Muguet (veja-se em “aftas”)
Furúnculos
Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido cada ¼ de hora.
Silicea D6: acelera a supuração, o estalido do furúnculo e a regeneração tecidular – 1
comprimido cada ¼ de hora.
Calcium phosphoricum D6: em processos de cura lentos, também depois da abertura do
foco de pus – 1 comprimido cada 3 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6: quando o foco de inflamação não se abrange, em feridas com
bordos duros – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Kalium phosphoricum D6: em pus fétido e em múltiplos furúnculos (antrax) – 1 comprimido
cada ¼ de hora.
Gastrite
Ferrum phosphporicum D6: no estado agudo com dor depois das refeições, sobretudo
quando se acompanha de febre – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Magnesium phosphoricum D6: em dores espasmódicas que obrigam a adoptar uma postura
de dobrar-se, em gastrites associadas a náuseas e a vómitos, também em diarreias – 1
comprimido dissolvido em água quente cada 5 minutos.
Natrum phosphoricum D6: em casos de hiperacidez, eructos ácidos, vómitos e pirose,
aversão às gorduras – 1 comprimido cada hora.
Kalium suphuricum D6: em gastrites crónicas com dor e sensação de peso na região
hepática – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Calcium phosphoricum D6: como agente imediato, sobretudo nos quadros associados à dor
depois de ingerir alimentos ou bebidas frias, inclusive em quantidades mínimas e em
acumulação de gases no estômago – 1 comprimido 4 vezes ao dia.
Gota
Ferrum phosphoricum D6 + Kalium chloratum D6: durante o ataque de gota com febre – 1
comprimido cada ¼ de hora.
Natrum phosphoricum D6: em ataques de gota sem febre – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Silicea D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Calcium phosphoricum D6: em casos crónicos, também em patologia bioclimática – 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Silicea D6 + Calcium fluoratum D6: em tofos gotosos – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Gripe (veja-se em “infecções gripais”)
14

Hematomas
Ferrum phosphoricum D6: no estado inicial – 1 comprimido cada ½ hora e, se for
necessário, ao fim de uns dias.
Kalium chloratum D6: 1 comprimido cada 2 horas.
Hemorróidas
Calcium fluoratum D6 + Silicea D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Ferrum phosphoricum D6: em nódulos hemorróidais inflamados – 1 comprimido cada ½
hora.
Magnesium phosphoricum D6: em hemorróidas dolorosas não inflamadas, em espasmos do
esfíncter anal – 1 comprimido dissolvido em água quente cada ¼ de hora.
Kalium phosphoricum D6: em hemorróidas com prurido e ardor intensos – 1 comprimido 5
vezes ao dia.
Hipertensão (veja-se em “pressão arterial”)
Hipotensão
Magnesium phosphoricum D6: em forma de “siete caliente”
Hipotensão (veja-se em “pressão arterial”)
Ictus apoplético (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em profundidade)
Ferrum phosphoricum D6; sempre que o paciente conserve a consiência – 1 comprimido
cada ¼ de hora.
Silicea D12: depois do episódio, também em combinação com Ferrum phosphoricum D6,
recomendando-se manter o tratamento a longo prazo – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Kalium phosphoricum D6: contra as paresias permananentes – 1 comprimido 5 vezes ao
dia.
Incontinência espontânea, ao tossir, espirrar, por pressão, etc
Natrum chloratum D6: 1 comprimido cada hora.
Infecção gripal
Em geral, a infecção gripal caracteriza-se por um estado febril de curta duração que
apresenta grande similitude com uma gripe propriamente dita – enfermidade infecciosa
febril aguda (influenza) -. Os preparados recomendados no tratamento da infecção gripal
devem ser considerados unicamente como medidas terapêuticas de apoio no tratamento
da gripe genuína.
Ferrum phosphoricum D6: o primeiro estado – 1 comprimido cada 10 minutos.
Kalium phosphoricum D6: para o tratamento de manutenção – 1 comprimido cada ½ hora.
Kalium chloratum D6: depois de ter superado o ponto culminante do processo infeccioso –
1 comprimido cada 2 horas.
Inflamação da mucosa bucal (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em
profundidade)
Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido cada ¼ de hora; adicionalmente gargarejos bucais
cada ½ hora com uma solução de 3 comprimidos do preparado dissolvido em água tépida.
Kalium phosphoricum D6: em casos de halitose bucal – 2 comprimidos cada ¼ de hora e
gargarejos bucais cada ½ hora com uma solução de 3 comprimidos do preparado
dissolvidos em água tépida.
15

Insónia
Kalium phosphoricum D6: na insónia de causa nervosa – 1 comprimido 6 vezes ao dia a
longo prazo.
Magnesium phosphoricum D6: em pacientes de grande excitabilidade, palpitações – “siete
caliente” ou 1 comprimido dissolvido em água morna cada ¼ de hora.
Silicea D6: quando uma corrente de pensamentos intensos impede de conciliar o sono – 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Ferrum phosphoricum D6: na congestão cranial, cefaleias, também no climatério – 1
comprimido cada hora.
Irritação do apêndice (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico profundidade)
Ferrum phosphoricum D6 + Kalium chloratum D6: agente terapêutico principal em casos de
sensação de tensão interna, obstipação – 1 comprimido cada hora.
Laringite (veja-se em “rouquidão”)
Lesões do disco intervertebral
Calcium fluoratum D6 + Silicea D6: em ambos os casos 1 comprimido 3 vezes ao dia a longo
prazo.
Lumbago
Ferrum phosphoricum D6: como preparado de selecção perante os primeiros sintomas – 1
comprimido cada ¼ de hora.
Magnesium phosphoricum D6: em lumbagos com dor intensa – “siete caliente” ou 1
comprimido dissolvido em água quente cada 5 minutos.
Calcium phosphoricum D6: lumbagos em idosos – 1 comprimido cada ½ hora
Lombalgias na mulher
Magnesium phosphoricum junto ao tratamento específico + Kalium phosphopricum D6 – 1
comprimido dissolvido em água quente cada ½ hora.
Manifestações parestésicas (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em
profundidade):
Kalium phosphoricum D6: a modo de prova – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Magnesium phosphoricum D6: 1 comprimido dissolvido em água quente 5 vezes ao dia.
Mastites em mães lactantes
Ferrum phosphoricum D6 (nos primeiros sintomas de inflamação e tumefacção para a
prevenção da supuração) + Natrum phosphoricum D6 1 comprimido cada ¼ de hora.
Silicea D6: antes dos primeiros sinais de supuração – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Kalium phosphoricum D6: em febre – 1 comprimido cada hora.
Calcium fluoratum D6: para abrandar as bordas duras do foco de pus – 1 comprimido 5
vezes ao dia.
Migrana (veja-se em “cefaleia”)
Miogelose (veja-se em “miosclerose)
Miosclerose
Calcium fluoratum D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Moléstias das regras (veja-se em “transtornos menstruais”)
Nervosismo, esgotamento nervoso (se for persistente, recomenda-se efectuar um estudo
diagnóstico sintomático)
16

Kalium phosphoricum D6 para o tratamento sintomático + Calcium phosphoricum D6 1


comprimido 5 vezes ao dia.
Magnesium phosphoricum D6: em neuralgias de natureza espasmódica – “siete caliente”
ou 1 comprimido dissolvido em água morna cada ¼ hora.
Silicea D6: em estados de grande debilidade geral, hipersensibilidade e estados de angústia-
1 comprimido 3 vezes ao dia.
Nevralgia facial
Magnesium phosphoricum D6
Em forma de “siete caliente” cada 2 horas ou 1 comprimido dissolvido em água morna cada
¼ hora.
Obesidade
Antes do pequeno-almoço: Kalium phosphoricum D6, 3 comprimido.
Antes do almoço: Natrum phosphoricum D6, 3 comprimidos.
Antes do jantar: Natrum sulphuricum D6, 3 comprimidos.
Obstipação
Alumina D7 – 5 gotas depois das refeições.
Calcium fluoratum D6: em casos de lassidão intestinal e em hemorróidas – 1 comprimido
cada hora.
Ferrum phosphoricum D6: em casos de função intestinal reduzida com sensação de calor no
recto, em lombalgias e em congestão na cabeça – 1 comprimido cada hora.
Calcium phosphoricum D6: na debilidade generalizada de idosos – 1 comprimido cada hora.
Kalium sulphuricum D6: em sensação de plenitude intensa – 1 comprimido cada hora.
Silicea D12: em puxões sem fezes – 1 comprimido cada hora.
Odontalgias
Ferrum phosphoricum D6: quando não existem indicações odontológicas, p.e., odontalgias
depois de uma constipação – 1 comprimido cada ¼ hora.
Olhos de galo
Calcium fluoratum D6 + Silicea D6: 1 comprimido cada 2 horas.
Panarício (inflamação flegmonosa situada perto das unhas)
Ferrum phosphoricum D6: no estado inicial da inflamação – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Silicea D12: em caso de formação de pus – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6: com fins curativos – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Perda de memória
Kalium phosphoricum D6: 1 comprimido cada hora.
Calcium fluoratum D6: em falhas de memória de etiologia arteriosclerótica – 1 comprimido
3 vezes ao dia. Cabe a possibilidade de combinar ou alternar ambos preparados.
Pirose
Natrum phosphoricum D6: 2 comprimidos em caso necessário.
Magnesium phosphoricum D6: em sintomas de tipo espasmódico – 1 comprimido
dissolvido em água quente cada hora.
Pressão arterial
Calcium fluoratum D6: no aumento da pressão arterial (hipertensão) de base
arteriosclerótica: 1 comprimido 6 vezes ao dia.
17

Ferrum phosphoricum D6: na diminuição da pressão arterial – 2 comprimidos 6 vezes ao


dia.
Prurido
Magnesium phosphoricum D6: sempre que este sintoma não se deva a outra enfermidade
definida (icterícia, diabetes mellitus, etc.) – 1 comprimida cada hora.
Calcium phosphoricum D6: em casos de prurido senil – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6: em pele seca, áspera – 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Prurido anal
Calcium fluoratum D6 + Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido cada 2 horas,
respectivamente.
Queimaduras (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em profundidade)
Ferrum phosphoricum D6: para uso interno em queimaduras em primeiro grau – 1
comprimido cada ¼ de hora.
Natrum chloratum D6: em casos de formação de bolhas, em combinação com Ferrum
phosphoricum D6 – 1 comprimido cada ½ hora.
Silicea D12: em feridas por queimaduras supuradas – 1 comprimido cada 2 horas.
Regeneração do sangue
Calcium phosphoricum D6: 2 antes de cada refeição.
Natrium chloratum D6: 2 antes de cada refeição.
Reumatismo
1. Reumatismo muscular:
Ferrum phosphoricum D6 + Kalium chloratum D6. Em dores musculares ao movimentar-se
– 1 comprimido cada ½ hora.
Magnesium phosphoricum D6: em dores musculares migratórias, terebrantes (diz-se da dor
que produz a sensação de uma broca a penetrar nos tecidos) – “Siete caliente” ou 1
comprimido dissolvido em água quente cada ¼ hora.
Calcium phosphoricum D6: em dor muscular associado a sensação de entumecimento, frio,
um “formigueiro” que se acentua pela noite e em repouso – 1 comprimido 5 vezes ao dia.
2. Reumatismo articular
Ferrum phosphoricum D6: nas fases iniciais, sobretudo nos casos febris – 1 comprimido
cada ¼ de hora.
Kalium sulphuricum D6: em dores migratórias que pioram pela noite – 1 comprimido cada
½ hora.
Magnesium phosphoricum D6: como tratamento intermédio quando a dor é
particularmente intenso – “Siete caliente” ou 1 comprimido dissolvido em água morna cada
10 minutos.
Calcium phosphoricum D6: em reumatismo articular crónico e como tratamento de
manutenção – 1 comprimido 5 vezes ao dia a longo prazo.
Rouquidão
Kalium chloratum D6 em rouquidões associadas a laringites + Kalium sulphuricum D6 1
comprimido cada ½ hora.
Ferrum phosphoricum D6: em esforços das cordas vocais (conferencistas, cantores, etc.) e
em dores de garganta – 1 comprimido cada hora.
18

Kalium phosphoricum D6: em esgotamento nervoso e paralisia das cordas vocais – 1


comprimido cada hora.
Sensação de (bolo faríngeo)
Magnesium phosphoricum D6: 1 comprimido dissolvido em água quente cada ¼ de hora.
Sensação de nós na garganta (veja-se em “sensação de bolo faríngeo”)
Septicemia (imprescindível efectuar um estudo diagnóstico em profundidade)
Kalium phosphoricum D6: Como apoio ao resto de medidas que seja preciso adoptar 1
comprimido cada ¼ de hora.
Sufocos da menopausa
Ferrum phosphoricum D6: 1 comprimido 5 vezes ao dia a longo prazo.
Surdez
Silicea D6 + Calcium fluoratum D6: 1 comprimido 6 vezes ao dia.
Supurações
Silicea D6: em supurações de todo o tipo como apoio a outras medidas em casos agudos – 1
comprimido cada 5 minutos. Em casos crónicos – 1 comprimido 6 vezes ao dia.
Tosse
Ferrum phosphoricum D6: no estado inicial – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Magnesium phosphoricum D6: na crise de tosse espasmódica nocturna sem expectoração –
1 comprimido dissolvido em água quente cada 10 minutos.
Kalium chloratum D6: em escarros filamentosos de difícil expectoração com sensação de
opressão na região cardio-pulmonar – 1 comprimido cada ½ hora.
Natrum sulphuricum D6: em tosse com escarros verdosos e viscosos – 1 comprimido cada ½
hora.
Tosse convulsa (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em profundidade)
Ferrum phosphoricum D6: Como medida de apoio do tratamento habitual nestes casos ou
perante o aparecimento dos primeiros sintomas, inclusive perante a simples suspeita. 1
comprimido cada ¼ de hora.
Magnesium phosphoricum D6: “Siete caliente” ou 1 comprimido dissolvido em água morna
perante cada ¼ de hora.
Os seguintes preparados podem estar indicados de forma adicional em função da
consistência da expectoração:
Kalium chloratum D6: em escarros espessos de cor branca. 1 comprimido cada hora.
Calcium phosphoricum D6: em escarros de aspecto similar a clara de ovo, sobretudo em
crianças debilitadas – 1 comprimido cada hora.
Kalium sulphuricum D6: em escarros viscosos amarelados – 1 comprimido cada hora.
Kalium phosphoricum D6: em geral, em todos os casos de grande prostração e sintomas
nervosos – 1 comprimido cada hora.
Transtornos climatéricos
Ferrum phosphoricum D6 + Magnesium phosphoricum D6: 1 comprimido 6 vezes ao dia
(Magnesium phosphoricum D6, diluído em água quente).
Transtornos menstruais
Magnesium phosphoricum D6: em dores durante o período menstrual, em lombalgias –
“Siete caliente” ou 1 comprimido dissolvido em água morna cada 5 minutos.
19

Magnesium phosphoricum D6: como medida preventiva, 6 dias antes das regras, 1
comprimido dissolvido em água quente cada hora.
Traumatismos (contusões, entorses, distensões, lesões contusas e incisas, hematomas)
Ferrum phosphoricum D6: para uso interno: em todos os traumatismos recentes,
hematomas, etc – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Kalium chloratum D6: em tumefacções de partes moles 1 comprimido cada hora.
Calcium phosphoricum D6: para estimular a formação de consolidação nas fracturas. 1
comprimido 3 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Treçolho
Silicea D6 + Calcium fluoratum D6: 1 comprimido cada 2 horas;
Natrum phosphoricum D6: em crianças escrofulosas – 1 comprimido cada 2 horas.
Úlceras das pernas
Calcium fluoratum D6 + Natrum sulphuricum D6: 1 comprimido cada hora.
Silicea D6: em úlceras supuradas das pernas, 1 comprimido 6 vezes ao dia.
Unhas frágeis e quebradiças
Silicea D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia durante 2-3 meses aproximadamente.
Urticária
Kalium phosphoricum D6 + Natrum chloratum D6: uma primeira fase de tratamento 1
comprimido cada 10 minutos, posteriormente, 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Calcium fluoratum D6 + Silicea D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia a longo prazo.
Ferrum phosphoricum D6: em hemorragias varicosas e flebites. 1 comprimido cada 5
minutos.
Verrugas
Kalium chloratum D6 + Natrum chloratum D6: 1 comprimido 3 vezes ao dia.
Vertigo (recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em profundidade)
Ferrum phosphoricum D6: em vertigos com congestão cranial, 1 comprimido cada 2 horas.
Calcium phosphoricum D6: em idosos com isquemia cerebral, 1 comprimido cada 2 horas.
Kalium phosphoricum D6 em vertigos de causa nervosa e em estados de debilidade +
Magnesium phosphoricum D6 – 1 comprimido dissolvido em água quente 4 vezes ao dia.
Vómitos (Recomenda-se efectuar um estudo diagnóstico em profundidade).
Ferrum phosphoricum D6: Em vómitos ácidos, também em mulheres gestantes, 1
comprimido cada ¼ de hora.
Natrum sulphuricum D6: em vómitos biliosos – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Natrum chloratum D6: em vómitos mucoserosos – 1 comprimido cada ¼ de hora.
Natrum phosphoricum D6: em vómitos de líquido ácido (também em crianças) em enjoos, 1
comprimido cada ¼ de hora.
Magnesium phosphoricum D6: em vómitos espasmódicos, também em enjoos, 1
comprimido cada ¼ de hora.
Calcium phosphoricum D6: em vómitos depois da ingestão de bebidas frias e gelados
(crianças!); principalmente agente antiemético na gravidez, 1 comprimido cada ¼ de hora.
Vómitos da gravidez
Calcium phosphoricum D6: 1 comprimido 6 vezes ao dia.
20

Sal nº 7 – “Siete Caliente”


O Sal de Schussler (nº 7) – Magnesium phosphoricum
O modo conhecido como “siete caliente” ou seja, o “sete a quente” é uma forma de
dissolver os comprimidos em água quente, especialmente eficaz no caso do magnésio. Ele é
por si relaxante e analgésico, se tomado com água quente aumenta a irrigação sanguínea
na mucosa oral e é rapidamente absorvida no sangue e nas células nervosas e musculares.
É o modo mais rápido de aliviar uma dor intensa.

Como o preparar?
Junte 10 comprimidos (5 para crianças) num copo de água quente. Mexa até dissolver os
comprimidos. Beba a soluçãoem pequenos goles para facilitara absorção.
Duração do tratamento
Em geral, os sais devem ser tomados até que o desconforto pare. Podem ocorrer dores
pontuais, mas diminuindo em intensidade. as dores crónicas podem durar vários meses. De
qualquer modo, deve sempre consultar um especialista, se a queixa se prolongar no tempo.
Nota: O artigo requer orientação de um profissional qualificado, não tome nenhuma
medicação sem a orientação de um profissional qualificado.
Por: Dr. João Novaes – Homeopata Especialista
Fonte: http://materiamedicahomeopatica.blogspot.com.br

Você também pode gostar