Você está na página 1de 2

A IMPORTÂNCIA DA LITERACIA FAMILIAR

"Se a criança desde cedo fosse posta em contato com obras-primas, seria possível que sua formação se
processasse de modo mais perfeito", afirmou a escritora brasileira Cecília Meireles, definindo como obras-
primas as grandes obras literárias. Sob essa situação, tem ocorrido a discussão do papel dos pais em promover a
proximidade dos filhos com os livros, principalmente, a partir da última Política Nacional de Alfabetização
(PNA), que incentiva a prática da literacia familiar no Brasil. No entanto, tal estratégia tem como desafio a
ausência de hábitos de leitura do próprio núcleo parental.

No filme "As aventuras do avião vermelho", baseado na obra do escritor Érico Veríssimo, o cenário
acontece dentro da imaginação do personagem Fernandinho, que surge a partir das histórias de um livro que seu
pai o presenteou, o qual faz o garoto viajar ao redor do mundo e vivenciar experiências incríveis. O potencial
criativo de uma criança é um dos vários benefícios que o contato com os livros possibilita, dentre os quais
podem ser citados: o aumento do vocabulário, a melhoria da escrita e da comunicação e a formação de opinião.
Dessa forma, para que o desenvolvimento linguístico da criança ocorra, é imprescindível que os pais, desde a
primeira infância, pratique ações que incentivem o hábito da leitura aos filhos, ou seja, efetue, de fato, a literacia
familiar.

Todavia, um dos obstáculos em fomentar a formação de pequenos leitores no ambiente familiar é que,
muitas vezes, faltam dos próprios pais a habilidade da leitura. Isso porque, de acordo com o Indicador Nacional
de Alfabetismo Funcional (INAF), 30% dos brasileiros entre 15 e 64 anos são analfabetos funcionais, ou seja,
não são capazes de interpretar textos simples. Vale ressaltar, que essa falha presente na alfabetização dos adultos
é fruto de uma educação deficiente e de uma ausência do hábito da leitura. Como consequência, os responsáveis
encontrarão dificuldades em repassar aos seus filhos algo que eles mesmos não praticam ou não são capacitados
para tal.

É necessário, portanto, que haja a capacitação dos pais para a promoção da literacia familiar no Brasil.
Para isso, o Ministério da Educação deve proporcionar aos pais, palestras e ilustrações, por meio de oficinas de
leitura nas escolas, sobre o exemplo que a família exerce aos filhos no que diz respeito ao contato com os livros,
e como é fundamental que eles exercitem o hábito da leitura. Além disso, as oficinas devem ensinar aos
responsáveis as práticas necessárias para desenvolverem a literacia familiar, como a narração de histórias, a
leitura dialogada, dentre outras. Assim, espera-se que haja uma formação mais completa da criança, como se
desejava Cecília Meireles.

Você também pode gostar