Você está na página 1de 15

Questão 1:

A produção de primores na região agrária do Algarve é favorecida, entre outras razões, pela

(A) elevada radiação solar global durante o inverno.


(B) elevada amplitude térmica ao longo do ano.
(C) fraca insolação durante o inverno.
(D) fraca radiação ultravioleta ao longo do ano.
Questão 2:

A sociedade em que vivemos, dentro de vinte a quarenta anos, será muito diferente da que conhecemos.

A população portuguesa poderá ser inferior a oito milhões, e espera-se que a natalidade e a fecundidade não sejam
superiores aos valores de hoje.

Fonte: A. Barreto, Cenários, Previsões e Políticas: os portugueses em 2030, Lisboa, Fundação Francisco Manuel
dos Santos, 2013, p. 39 (consultado em outubro de 2018). (Texto adaptado)

A evolução da estrutura etária de 2007 para 2017 explica-se, para a base e para o topo, respetivamente,

(A) pela redução da taxa de fecundidade e pelo aumento da taxa bruta de mortalidade.

(B) pela redução da esperança de vida e pelo aumento da taxa de fecundidade.

(C) pela redução da taxa bruta de natalidade e pelo aumento da esperança de vida.

(D) pela redução da taxa bruta de mortalidade e pelo aumento da taxa bruta de natalidade.
Questão 3:

O projeto Windfloat Atlantic, que está a ser implementado a 20 km ao largo de Viana do Castelo, consiste na
instalação de plataformas flutuantes no mar, ancoradas em profundidade, para a criação de um parque eólico
offshore inovador, por comparação com as tecnologias já aplicadas em mares pouco profundos.

Apresente duas condições físicas que favorecem a implementação deste tipo de projetos.
Questão 4:

As alterações demográficas ocorridas em Portugal, nas últimas décadas, têm tido repercussões nos âmbitos social,
económico e territorial, que devem estar no centro da reflexão sobre as políticas públicas.

Fonte: TERRITÓRIO PORTUGAL. Onde o país encontra o futuro, PNPOT I Alteração, ESTRATÉGIA, 20 julho
2018, Lisboa,

Direção-Geral do Território, 2018, p. 21, in pnpot.dgterritorio.pt (consultado em outubro de 2018). (Texto adaptado)

Na Figura 3A, está representado o perfil de vulnerabilidade social por aglomerado populacional, em 2017, e a
projeção da perda demográfica (%), em Portugal continental, em 2030. Na Figura 3B, está representada a rede
urbana de Portugal continental, em 2011.

O padrão espacial da rede urbana de Portugal continental, observável na Figura 3B, caracteriza-se

(A) pela concentração de cidades de média dimensão no interior do país e pela dispersão de cidades

de pequena dimensão no litoral do país.

(B) pela concentração de cidades médias nas áreas metropolitanas e pela dispersão de cidades

médias no interior do país.

(C) pela existência de uma rede equilibrada de cidades de grande, média e pequena dimensão, em Portugal
continental.

(D) pela existência de uma rede equilibrada, com um elevado número de cidades de média dimensão, em Portugal
continental.
Questão 5:

A Figura representa a distribuição de captações de águas minerais naturais, em Portugal Continental.

Associadas a muitas destas captações, existem estâncias termais cujas águas, com propriedades medicinais, são
utilizadas na prevenção e no tratamento de algumas doenças.

1. O maior número de captações de águas minerais naturais, de acordo com a Figura , ocorre nos distritos de

(A) Vila Real, Porto e Guarda.

(B) Aveiro, Porto e Viseu.

(C) Braga, Aveiro e Guarda.

(D) Viseu, Vila Real e Braga.

2. Uma água mineral natural caracteriza-se por ser

(A) bacteriologicamente própria, de circulação superficial e não gaseificada, na origem.


(B) incolor, de circulação subterrânea profunda e com propriedades físico-químicas muito variáveis, na origem.

(C) incolor, de circulação superficial e com temperatura perto de zero graus, na origem.

(D) bacteriologicamente própria, de circulação subterrânea e com propriedades físico-químicas estáveis, na origem.

3. A utilização crescente das águas termais, para fins terapêuticos e para outros fins favoráveis à saúde, tem
contribuído para a revitalização das áreas onde se inserem as termas, porque

(A) a maior utilização das termas promove a oferta hoteleira e desenvolve o comércio e os serviços.

(B) o turismo termal está mais vocacionado para a população idosa e com baixo poder de compra.

(C) o turismo termal está centrado em áreas urbanas, o que contribui para o aumento do êxodo rural.

(D) a maior utilização das termas incrementa a agricultura extensiva e a recuperação de produtos tradicionais.

4. Uma gestão adequada da água, que garanta às populações o fornecimento em quantidade e em qualidade,
sobretudo a sul do rio Tejo, pressupõe

(A) a aposta na dessalinização das águas do mar e o aumento da extracção de águas subterrâneas fósseis.

(B) o aumento do consumo de água nos períodos de menor precipitação e o aumento da frequência e da diversidade
de análises à água de consumo.

(C) o investimento na construção de infra-estruturas de armazenamento de água e a protecção das águas a montante
das captações.

(D) a redução da área destinada às culturas de regadio e a limitação do consumo de águas de nascente engarrafadas.

5. As captações de águas para abastecimento público destinadas ao consumo humano estão legalmente protegidas,
pois a qualidade da água é alterada pela

(A) ocorrência de fenómenos sísmicos e vulcânicos, que adicionam metais pesados à sua composição.

(B) edificação de infra-estruturas, de equipamentos e de habitações, que geram efluentes de natureza variada.

(C) redução dos caudais de exploração nos furos de captação em anos secos consecutivos.

(D) impermeabilização dos solos cobertos por florestas temperadas muito antigas.
Questão 6:

A floresta é um recurso renovável de grande importância estratégica para Portugal, pois pode contribuir para o
desenvolvimento sustentável do espaço rural.

Para potenciar o rendimento do sector florestal português, devem ser adotadas medidas como

(A) a privatização da floresta pública e o cultivo exclusivo de espécies endémicas.

(B) o emparcelamento das áreas florestais e a certificação de produtos do sistema florestal.

(C) o parcelamento das áreas florestais e a diversificação das espécies plantadas.

(D) a nacionalização da floresta privada e o cultivo preferencial de espécies de crescimento rápido.


Questão 7:

A construção de barragens na bacia do rio Douro foi implementada, fundamentalmente, nos anos 50 e 60 do século
XX, prosseguindo até à atualidade.

De acordo com a rede hidrográfica representada na Figura 2, os subafluentes do rio Douro com barragens,
existentes ou previstas, são

(A) o Tua e o Beça.

(B) o Tâmega e o Tuela.

(C) o Tuela e o Azibo.

(D) o Coa e o Azibo.


Questão 8:

O Documento A descreve um exemplo de uma prática agrícola sustentável que está a ser implementada em
Portugal, no contexto do projeto PROVE – Promover e Vender. Este projeto promove a venda direta do produtor ao
consumidor.

Uma das vantagens do sistema de comercialização de proximidade adotado pelo produtor agrícola, referido no
Documento A, é

(A) consolidar a partilha e a confiança entre o produtor e os consumidores.

(B) valorizar as tradições culturais através da oferta de produtos exógenos.

(C) fornecer os mercados abastecedores regionais ao longo do ano.

(D) assegurar o autoaprovisionamento dos mercados locais e regionais.


Questão 9:

A Figura 2 representa um extrato da planta da cidade de Aveiro, que se caracteriza pela baixa altitude e por um
relevo muito suave, atingindo o seu ponto mais baixo na foz do rio Vouga. O canal fluvial que atravessa a Baixa da
cidade (Fotografia A) liga a área lagunar do Vouga ao edifício da antiga fábrica de cerâmica (Fotografia B),
atualmente com outras ocupações, como o Centro Cultural e de Congressos.

Fonte: Plano Municipal de Mobilidade de Aveiro. Relatório de diagnóstico e caracterização, 2012, p. 7, in


www.cm-aveiro.pt (consultado em novembro de 2018). (Texto adaptado)

A principal matéria-prima utilizada nas fábricas de cerâmica são os recursos minerais não metálicos, como

(A) o talco e o lítio.

(B) o caulino e o feldspato.

(C) o urânio e a calcite.

(D) o gesso e o volfrâmio.


Questão 10:

O tecido empresarial da região pode beneficiar do estabelecimento de parcerias com instituições do ensino superior,
como a Universidade de Aveiro,

(A) por implicar o aumento de economias de escala nas empresas.

(B) por assegurar a gestão técnica administrativa das empresas.

(C) por fomentar a modernização do processo produtivo nas empresas.

(D) por garantir o financiamento de tecnologia de ponta nas empresas.


Questão 11:

O sistema de transportes nacional sofreu, nas últimas décadas, uma profunda transformação.

A atividade económica do termalismo, que tem beneficiado da melhoria ocorrida nas infraestruturas rodoviárias,
contribui para

(A) promover o turismo sénior e dinamizar os desportos radicais de montanha.

(B) fixar mão de obra qualificada e promover o turismo de saúde e bem-estar.

(C) fixar população ativa qualificada e potencializar o turismo cinegético.

(D) promover a oferta hoteleira de luxo e desenvolver o comércio grossista.


Questão 12:

Em Portugal, a agricultura é uma atividade importante pelo emprego, pela ocupação do solo e pela
multifuncionalidade.

De acordo com as Figuras 3A e 3B, os países onde predominam NUTS II com uma dimensão média das
explorações agrícolas superior a 50 ha são, entre outros,

(A) a Suécia, a República Checa e a Alemanha.

(B) a Espanha, a Suécia e a Alemanha.

(C) a Dinamarca, o Reino Unido e a Espanha.

(D) a República Checa, o Reino Unido e a Dinamarca.


Questão 13:

A Figura representa a distribuição, em Portugal, do número de explorações agrícolas e da SAU, por classes de
SAU, em 1999 e 2009. As percentagens correspondem ao peso de cada classe de SAU no total nacional, em cada
ano.

1. A estrutura fundiária portuguesa, de acordo com os dados da Figura 3, caracteriza-se, quer em 1999, quer em
2009, por apresentar

(A) mais de 75% de explorações com dimensão inferior a 5 ha.

(B) mais de 25% de explorações com dimensão entre 0 e 1 ha.

(C) menos de 50% de explorações com dimensão entre 1 e 5 ha.

(D) menos de 20% de explorações com dimensão igual ou superior a 5 ha.

2. O aumento, de 1999 a 2009, da dimensão média da SAU das explorações agrícolas com 50 e mais hectares
verificou-se, sobretudo, nas regiões agrárias

(A) de Trás-os-Montes e da Beira Interior.

(B) do Ribatejo e Oeste e do Alentejo.

(C) do Ribatejo e Oeste e da Beira Interior.

(D) de Trás-os-Montes e do Alentejo.

3. De entre as razões que explicam que Portugal tenha perdido cerca de 111 000 explorações agrícolas, entre 1999 e
2009, pode referir-se

(A) o incentivo à utilização da rotação de culturas, com recurso ao pousio.

(B) o apoio ao modo de produção biológico através de fundos comunitários.

(C) a obrigatoriedade da aplicação de set-aside nas explorações de maior dimensão.

(D) a fraca competitividade do sector agrícola português face ao espanhol.


4. A agricultura portuguesa, além das deficiências estruturais que o gráfico da Figura evidencia, caracteriza-se

(A) pela feminização do sector agrícola e pela elevada percentagem de mão de obra agrícola a tempo completo.

(B) pela elevada qualificação profissional dos produtores agrícolas e pelo custo elevado dos fatores de produção.

(C) pela predominância de mão de obra familiar e pelo envelhecimento dos produtores agrícolas.

(D) pela reduzida dimensão económica das explorações e pelo elevado número de sociedades agrícolas.

5. A dinamização do sector agrícola português passa, entre outras medidas,

(A) pela redução do custo dos fatores de produção agrícola e pelo incentivo ao associativismo dos produtores.

(B) pela utilização de organismos geneticamente modificados e pelo aumento do número de blocos por exploração.

(C) pela limitação das exportações de produtos agrícolas e pelo aumento da qualificação dos agricultores.

(D) pela diminuição do preço dos produtos no produtor e pelo aumento do controlo da qualidade dos produtos.

Você também pode gostar