Você está na página 1de 1

Se o agente público atua considerando sua

Não existe modalidade culposa conduta como lícita, ainda que esteja Gilberto Freitas
enganado, se não age com má fé explícita e Vladimir Freitassó se abusa
escancarada, inexiste crime. daquilo que tem
Não se admite modalidade tentada
Maioria são crimes
Impróprios
funcionais impróprios

Impedir entrevista
Detenção de 6 meses a 2 anos + multa do preso com advogado
Greco e Cunha (Aplica a Lei 9.099/95 JECRIM)
Nem dolo eventual atribuição de culpa, antes
Funcionais
Próprios persecução sem justa causa

MPB Detenção de 1 a 4 anos + multa


Decretar a condução coercitiva descabida
ou sem prévia intimação

Mero capricho ou satisfação pessoal.


SOMENTE dolo direto e específico - Não comunicar a prisão de alguém ao judiciário
(especial fim de:) Teoria Finalista Nova Lei de Abuso
Beneficiar a si mesmo ou a terceiro;
de Autoridade
Lei n° 13.869/19
Prejudicar outrem; Excesso de poder
Atua além de sua
competência legal
Abuso de
poder/autoridade Contrariamente
a divergência na interpretação da lei ou na Desvio de finalidade ao interesse público/
finalidade pública
avaliação de fatos e provas não configura
abuso de autoridade
Ultrapassar os limites de suas atribuições ou
Não existe pena de reclusão desviar das finalidades administrativas
Servidor ou não

No exercício das funções Penas pena máxima é de 4 anos


ou a pretexto - abuse...

Servidores públicos SEMPRE SERÁ DETENÇÃO + MULTA.


E militares ou equiparados
Sujeito Ativo - (crime próprio):
Agente público (conceito amplo)
L.J.E.

M.P.
Membros
Tribunais ou
conselhos de
contas

Aposentado sozinho

Particular sozinho

Não comete
Exonerado sozinho abuso

Particular
sem ter ciência
mesmo acompanhado