Você está na página 1de 27

PROF.

RENATO FERNANDES
1
Violência contra crianças e
adolescentes na sociedade brasileira

PROF. RENATO FERNANDES


2
Compreendendo o tema

agressão, agressividade, aspereza,


brutalidade, ferocidade, hostilidade,
violência
selvageria, irritabilidade, cólera, ira,
irascibilidade, barbárie.

PROF. RENATO FERNANDES


3
Art. 2º Considera-se criança, para os efeitos
Crianças e desta Lei, a pessoa até doze anos de idade
adolescentes incompletos, e adolescente aquela entre
doze e dezoito anos de idade.

PROF. RENATO FERNANDES


4
O Ministério da Saúde limita a adolescência
Crianças e
em indivíduos entre 10 e 24 anos, e a
adolescentes
maioridade é determinada aos 18 anos .

PROF. RENATO FERNANDES


5
A OMS – Organização Mundial da Saúde
define limites cronológicos da adolescência
entre 10 e 19 anos, e a ONU – Organização
Crianças e das Nações Unidas entre 15 e 24 anos,
adolescentes critérios utilizados para fins estatísticos e
políticos. O período de 20 a 24 anos é
utilizado para definir os termos jovens e
adultos.

PROF. RENATO FERNANDES


6
Art. 4º É dever da família, da comunidade, da
sociedade em geral e do poder público
assegurar, com absoluta prioridade, a
Sociedade efetivação dos direitos referentes à vida, à
brasileira saúde, à alimentação, à educação, ao
esporte, ao lazer, à profissionalização, à
cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade
e à convivência familiar e comunitária.

PROF. RENATO FERNANDES


7
Realidade brasileira

PROF. RENATO FERNANDES


8
www.gov.br
PROF. RENATO FERNANDES
9
Três crianças ou adolescentes são
abusadas sexualmente no Brasil a
cada hora.

Notificações registradas no Ministério da Saúde.


Levantamento realizado por O Globo.

PROF. RENATO FERNANDES


10
2018
PROF. RENATO FERNANDES
11
 A cada 7 minutos uma criança ou um
adolescente, entre 10 e 19 anos de idade,
morre em algum lugar do mundo, vítima de
homicídio ou de alguma forma de conflito
armado ou violência coletiva.
 Somente em 2015, a violência vitimou mais
de 82 mil meninos e meninas nessa faixa
etária.

Relatório Um Rosto Familiar: A Violência na Vida de Crianças e


Adolescentes, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef ).

PROF. RENATO FERNANDES


12
PROF. RENATO FERNANDES
13
 A violência mais atendida nas unidades de saúde, contra crianças e
adolescentes de 0 a 13 anos, é o estupro, que ocorre na própria casa da
vítima em 58% dos casos.
 http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/impacto_violencia_sau
de_criancas_adolescentes.pdf
 Os agressores são na maior parte os próprios pais, padrastos, familiares,
namorados ou pessoas conhecidas das vítimas.

 Atlas da Violência 2018.

PROF. RENATO FERNANDES


14
Sociedade ainda tem dificuldade de entender que crianças e
adolescentes são atores sociais portadores de direitos.
Intolerância familiar em relação ao menor.
 Negligência social – descaso da sociedade em cuidar do desenvolvimento
da saúde física e mental da criança e do adolescente.
Fragilidade das políticas públicas em promover o respeito à criança e ao
adolescente.

PROF. RENATO FERNANDES


15
Sociedade ainda tem dificuldade de
entender que crianças e adolescentes são
atores sociais portadores de direitos.
Intolerância familiar em relação ao menor.

 Negligência social – descaso da sociedade


em cuidar do desenvolvimento da saúde
física e mental da criança e do
adolescente.
Fragilidade das políticas públicas em
promover o respeito à criança e ao
adolescente.
PROF. RENATO FERNANDES
16
Fatores culturais também têm um peso importante quando falamos de
violência sexual contra crianças e adolescentes, sobretudo em relação à
mulher.
 E neste universo entra a questão de gênero, os rituais sobre iniciação
sexual, tradições de grupos específicos, um forte apelo ao consumo,
erotização infantil, entre outras coisas.

PROF. RENATO FERNANDES


17
 A falta de informação também é um ponto crítico, sobretudo no que
tange ao abuso ou violência sexual.
 Desde como abordar temas relativos à sexualidade até sobre os
organismos que podemos contar e como e onde notificar. Esse último
ponto contribui para a subnotificação dos casos que não nos permite
ter um cenário real do problema no país.

PROF. RENATO FERNANDES


18
 Outro fator que contribui para subnotificação é a dependência dos
companheiros no orçamento familiar – o que pode explicar em muitos
casos a falta de notificação quando o pai ou padrasto são os autores da
agressão.

PROF. RENATO FERNANDES


19
Refletir sobre o papel de cada um e cada grupo na
sociedade e como isso impacta na vulnerabilidade de
crianças e adolescentes a violência é fundamental.

PROF. RENATO FERNANDES


20
 A violência é um substantivo plural e tem diversas manifestações. Sua
ocorrência está muitas vezes baseada em uma relação de poder sobre a
vítima.
Esse poder pode ser tanto econômico, geracional, de força física, de
classe social, ou mesmo de gênero.

PROF. RENATO FERNANDES


21
Repertório sociocultural

PROF. RENATO FERNANDES


22
Carlos Drummond de Andrade
Só resta ao homem
(estará equipado?)
a dificílima dangerosíssima viagem
de si a si mesmo:
colonizar
civilizar
humanizar
o próprio homem.
Poesia e Prosa. 5ª ed. Rio de Janeiro. Ed. Nova Aguilar
PROF. RENATO FERNANDES
23
Caminho da Vida
O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
A cobiça envenenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódios... e
tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.
Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A
máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.
Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis.
Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência,
precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será
perdido.

(Charles Chaplin.O Último discurso, do filme O Grande Ditador)

PROF. RENATO FERNANDES


24
Zigmunt Bauman, sociólogo polonês

A cultura do sacrifício está morta.


Deixamos de nos reconhecer na
obrigação de viver em nome de
qualquer coisa que não nós
mesmos.

PROF. RENATO FERNANDES


25
Visconde de Tocquiville, pensador político e
historiador francês (1805-1859)

Quando o passado não ilumina o


futuro, o espírito vive em trevas.

PROF. RENATO FERNANDES


26
Jacques Lacan, psicanalista francês

O comportamento individual é reflexo


das morais da coletividade.

PROF. RENATO FERNANDES


27