Você está na página 1de 160

Osteologia

do Crânio
dos Animais
Domésticos
Crânio
• O crânio forma uma construção rígida composta de diversos ossos, a
maioria deles pareados.
- Ele envolve e protege o encéfalo
- os órgãos sensoriais de visão, olfato, audição, equilíbrio e paladar
- além de acomodar parte dos tratos respiratório e alimentar superiores.

• Projeções ósseas formam pontos de fixação para a musculatura facial


e mastigatória.
• Os ossos individuais do crânio:
- são unidos firmemente por suturas;
- já a mandíbula e o aparelho hioideo são ligados ao crânio por articulações.
Cabeça
Formada por 29 ossos (12 pares). Base da cavidade craniana
• Ossos Frontais
• Osso Occipital
• Alguns ossos participam da formação de • Osso Etmóide
mais de uma área da cabeça. • Osso Esfenóide
• Divisões da cabeça: • Ossos Temporais
Caixa craniana. Face
• Ossos Frontais • Frontal
• Ossos Parietais • Mandíbula
• Maxilas
• Osso Occipital
• Zigomáticos
• Lacrimais
• Nasais
Osso occipital
• O osso occipital forma a parede nucal do crânio e pode ser dividido em
- parte basal (corpo);
- parte escamosa;
- e partes laterais.

• Esses ossos formam um anel que circunda a medula espinhal, o forame


magno.
Osso occipital
Osso occipital
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso occipital
• A parte basal constitui a parte caudal da base do crânio.

- Ela se situa em posição rostral ao forame magno, onde se conecta ao


basisfenoide através de uma sutura cartilaginosa.

• Na face ventral, encontram-se os:


- tubérculos musculares pareados (fixação dos flexores da cabeça e do pescoço).
Osso occipital
• Tem superfície côncava formando a fossa craniana caudal que se
subdivide em depressões rostral e caudal :

- depressões rostral (abrange a ponte)


- e a depressão caudal {abrange a medula oblonga (bulbo)}

• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à


bula timpânica.

• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal


formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso occipital
• A parte escamosa situa-se em posição dorsal às partes laterais e aos
côndilos occipitais, completando dorsalmente o forame magno.

- Sua face externa é demarcada por sulcos agudos, a crista nucal.


- Em ruminantes, a crista nucal se restringe à linha nucal saliente.

• A crista nucal é facilmente palpável e pode ser usada como ponto de


referência, juntamente com as asas do atlas, para coletar líquido
cérebro-espinhal.
Osso occipital
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso occipital
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso occipital
• O sulco mediano bem-definido, a crista sagital externa surge a partir da
crista nucal em carnívoros e no equino.

• A protuberância occipital externa constitui projeções triangulares


medianas com a base voltada para a base do crânio e propicia fixação para
o ligamento nucal.

- Em carnívoros, a crista occipital externa mal definida se prolonga da protuberância


occipital externa até o forame magno.
Osso occipital
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• As partes laterais do osso occipital formam os limites laterais do forame
magno.
- Elas incluem os côndilos occipitais, que se unem ao atlas para formar a articulação
atlanto-occipital.

• Lateralmente aos processos condilares, os processos paracondilares


propiciam fixação aos músculos específicos da cabeça.

• Os processos paracondilares são alongados no suíno, mais curtos em


ruminantes e no equino e em formato de botão nos carnívoros.
- Acredita-se que sejam processos transversos rudimentares análogos aos das
vértebras cervicais.
Osso occipital
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso occipital
• A fossa condilar ventral, a qual forma a extremidade do canal do nervo
hipoglosso, por onde atravessa o nervo hipoglosso, situa-se entre os
processos paracondilares e condilares.
- Essa fossa é contínua à fossa condilar dorsal.
Osso occipital
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• O osso temporal do recém-nascido compõe-se de três partes distintas,
que se fusionam mais tarde:

● Parte escamosa;
● Parte petrosa com processo mastoide;
● Parte timpânica.
Osso temporal
Osso temporal
• A face cerebral da parte escamosa contribui para a formação da parede
lateral da cavidade craniana.
- Ela se une aos ossos frontal, parietal e esfenoide em suturas ósseas firmes.

• O longo processo zigomático surge da face temporal da parte escamosa.


- Ele se prolonga lateral e rostralmente até se unir com o processo temporal do osso
zigomático, formando o arco zigomático.

• A base do processo zigomático se expande para formar a face articular da


articulação temporomandibular.
Osso temporal
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A fossa mandibular é delineada caudalmente pelo processo retroarticular.

- Embora os carnívoros não sejam dotados de tubérculo articular, eles apresentam um


processo retroarticular particularmente bem-desenvolvido.

• A porção caudal da parte escamosa forma o processo occipital;


• A face ventral forma o processo retrotimpânico, o qual circunda o meato
acústico externo caudalmente.

• O forame retroarticular se projeta na direção caudal a este último


processo e forma a extremidade do meato temporal.
- O meato temporal é rudimentar no gato e no suíno.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A parte petrosa é a porção caudoventral do osso temporal e faz limite com
as partes escamosa e timpânica.

- Ela envolve a orelha interna com a cóclea, o vestíbulo e os canais semicirculares.

• Sua face medial contém o poro acústico interno que leva ao meato
acústico interno, por onde atravessam os nervos cranianos da face:

- o nervo facial e os ramos de audição e de equilíbrio;


- o nervo vestibulococlear.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso temporal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso parietal
• O parietal é um osso par que forma a maior parte dorsolateral da parede
craniana.
• Caudalmente, ele faz limite com o osso occipital e rostralmente com o osso
frontal.
• A face externa pode ser dividida em:
- um plano parietal, formando a parede dorsal do neurocrânio;
- e um plano temporal, formando a parede lateral.
- o bovino apresenta um plano nucal adicional, o qual contribui para a formação da porção
nucal do crânio.
Osso parietal
Osso parietal
• A face interna se caracteriza por sulcos vasculares e diversas depressões e
elevações, as quais correspondem aos sulcos e giros do encéfalo.

- No equino e no suíno, a face interna é caracterizada pela crista sagital interna mediana,
a qual é acompanhada pelo sulco do seio sagital dorsal.

• A porção caudal da face interna do osso parietal apresenta uma projeção


medial, a qual constitui parte do tentório cerebelar ósseo em carnívoros e
equinos.
Osso parietal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso parietal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso interparietal
• O interparietal localiza-se centralmente entre o osso occipital e o osso
parietal

- com o qual se fusiona durante a idade adulta, exceto no gato, onde as suturas ainda são
visíveis no animal adulto.

• Os processos do tentório sobre a face cerebral se fusionam com processos de


denominação semelhante dos ossos parietal e occipital, formando o tentório
cerebelar ósseo.
Osso interparietal
Osso interparietal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide
• O osso esfenoide forma a parte rostral da base do neurocrânio e é
composto por dois segmentos semelhantes, o pré-esfenoide na parte
rostral e o basisfenoide na parte caudal.

• Cada osso é composto por um corpo mediano e asas lateralmente.

• Em humanos, esses ossos se fusionam cedo, enquanto em mamíferos


domésticos adolescentes eles são separados por uma sutura
cartilaginosa, que se ossifica no adulto.
- Portanto, eles são tratados como ossos separados na anatomia veterinária.
Osso esfenoide
Osso esfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide – pré-esfenoide

• O corpo e as asas do pré-esfenoide compõem as partes ósseas da fossa


craniana rostral e se articulam com o basisfenoide na direção caudal.

• O canal óptico ósseo se prolonga de cada extremidade dessa fenda sobre


as asas do pré-esfenoide, onde atravessa o nervo óptico.
- A face externa das asas do pré-esfenoide contribui para a formação da órbita e do
canal óptico, enquanto a face interna forma parte da cavidade craniana.
Osso esfenoide – pré-esfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide – pré-esfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide – basisfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide – basisfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide – basisfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso esfenoide – basisfenoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• Os ossos frontais pares situam-se entre o crânio e a face e estão unidos na
sutura interfrontal.

• Cada osso frontal envolve, dependendo da espécie, uma ou mais cavidades


aéreas, os seios frontais.

• Com base em sua localização, o osso frontal pode ser dividido em quatro
segmentos:
● Escama frontal;
● Parte orbital;
● Face temporal;
● Parte nasal.
Osso frontal
Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• A escama frontal faz limite com os ossos nasal e lacrimal em
animais de grande porte e se restringe à parede da cavidade
orbital em carnívoros.
- Ela se prolonga lateralmente para formar o processo zigomático, o qual
constitui parte da margem supraorbital superior.

• O processo zigomático se articula diferentemente de espécie para espécie.

• A órbita óssea é recortada pela glândula lacrimal, que se situa sob o processo
zigomático ou sob o ligamento orbital, respectivamente.
Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• A escama frontal separa-se da face temporal pela linha temporal, a qual se
prolonga caudalmente como crista sagital externa.
- Embora ela seja uma estrutura proeminente no cão, no equino e no bovino, ela é
insignificante nos outros mamíferos domésticos.

• Em ruminantes cornuados, a terminação caudal da escama frontal é onde se


localizam as bases ósseas pares para os processos cornuais, que sustentam os
cornos.
Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso frontal
• A parte nasal é a extensão rostral do osso frontal e é cercada rostralmente
pelo osso nasal e lateralmente pelo osso lacrimal.

• A parte orbital forma a parte principal da parede medial da cavidade orbital,


que recebe a incisão ventral do forame etmoidal.

- No equino, o forame etmoidal se abre na junção entre os ossos frontal e esfenoide.


Osso frontal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso etmoide
• O osso etmoide situa-se na base das paredes orbitais e contribui para a
formação das partes cranial e facial do crânio.

• A lâmina cribriforme separa o osso etmoide da cavidade craniana.

• No plano mediano, uma lâmina perpendicular óssea divide o etmoide em


dois cilindros:
- as paredes dorsais e laterais que se projetam os pares de labirinto etmoidal.
- o labirinto etmoidal compõe-se de frágeis conchas ósseas, os etmoturbinados, entre
as quais situa-se o meato etmoidal preenchido com ar.
Osso etmoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso etmoide
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso etmoide
• O osso etmoide situa-se na base das paredes orbitais e contribui para a
formação das partes cranial e facial do crânio.

• A lâmina externa do osso etmoide compõe-se da lâmina tectória, lâmina


basal, ventralmente, e das lâminas orbitais pares extremamente finas em
cada lado.

• A lâmina cribriforme separa o osso etmoide da cavidade craniana.


• No plano mediano, uma lâmina perpendicular óssea divide o etmoide em
dois cilindros:
- as paredes dorsais e laterais que se projetam os pares de labirinto etmoidal.
- o labirinto etmoidal compõe-se de frágeis conchas ósseas, os etmoturbinados, entre
as quais situa-se o meato etmoidal preenchido com ar (Fig. 1-17).
Osso etmoide
• O osso etmoide situa-se na base das paredes orbitais e contribui para a
formação das partes cranial e facial do crânio.

• A lâmina externa do osso etmoide compõe-se da lâmina tectória, lâmina


basal, ventralmente, e das lâminas orbitais pares extremamente finas em
cada lado.

• A lâmina cribriforme separa o osso etmoide da cavidade craniana.


• No plano mediano, uma lâmina perpendicular óssea divide o etmoide em
dois cilindros:
- as paredes dorsais e laterais que se projetam os pares de labirinto etmoidal.
- o labirinto etmoidal compõe-se de frágeis conchas ósseas, os etmoturbinados, entre
as quais situa-se o meato etmoidal preenchido com ar (Fig. 1-17).
Osso nasal
• O osso nasal forma o teto da cavidade nasal e apresenta uma face externa
côncava.

- exceto em algumas raças de gatos, suínos e equinos, os quais apresentam um nariz


convexo.

• A crista etmoidal situa-se na face interna e forma a ligação para a concha


nasal dorsal.

• Os ossos nasais pares unem-se medialmente em margem rombuda, através


de uma sutura plana.
Osso nasal
• Os processos rostrais formam o ápice do osso nasal, se projeta além dos ossos
que se localizam ventralmente em relação a ele, e assim forma a incisura
nasoincisiva entre o osso nasal e o osso incisivo.
Osso nasal
Osso nasal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso lacrimal
• O osso lacrimal é um osso pequeno localizado próximo ao ângulo medial do
olho, formando segmentos da órbita e da parede lateral da face.

• Ele se articula com o osso frontal, o osso zigomático e a maxila em todos os


mamíferos domésticos.

• A face lateral do osso lacrimal pode ser dividida em:


- uma face orbital;
- e uma face facial.

 as quais são separadas pelas margens supraorbital e infraorbital, respectivamente.


Osso lacrimal
Osso lacrimal
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso zigomático
• O osso zigomático situa-se em posição ventrolateral ao osso lacrimal e forma
segmentos da órbita óssea e do arco zigomático.

• O arco zigomático forma-se pela união do processo temporal do osso


zigomático e o processo zigomático do osso temporal.

• Ele se prolonga em direção ao osso frontal, como o processo frontal, em


todas as espécies, exceto no equino.

• O processo frontal se articula com o processo zigomático do osso frontal em


ruminantes para formar a margem supraorbital.
Osso zigomático
Osso zigomático
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso zigomático
• O forame jugular situa-se nas duas laterais da parte basal, adjacente à
bula timpânica.
• No suíno e no equino, as bordas laterais agudas e finas da parte basal
formam a fissura petro-occipital profunda, juntamente com a parte
petrosa do osso temporal onde se forma o forame lacerado.
Osso zigomático
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso zigomático
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso zigomático
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso zigomático
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A maxila é par e forma a base óssea de grande parte da porção facial do
crânio:
- ela contribui para a formação das paredes laterais da face;
- das cavidades nasais e orais e;
- do palato duro.

• Trata-se do maior osso da face, que se articula com todos os ossos faciais,
podendo ser dividida em vários segmentos:
Maxilas (ossos)

● Corpo com:
– Face facial externa;
– Face nasal interna;
– Face pterigopalatina;
– Face orbital no gato e no equino;
● Processo alveolar;
● Processo palatino;
● Processo frontal em carnívoros;
● Processo zigomático.
Maxilas (ossos)
• O forame infraorbital saliente se abre dorsal e rostralmente à extremidade
rostral da crista facial.

• Essa é a abertura externa do canal infraorbital, que atravessa do forame da


maxila pela fossa pterigopalatina ventral à órbita.

• Por esse canal passam a artéria, a veia e o nervo infraorbitais, este último um
derivado do nervo facial.

• O forame infraorbital pode ser usado como um ponto de referência palpável


para anestesia perineural do nervo infraorbital.
Maxilas (ossos)
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A parede lateral do corpo da maxila forma a face externa da face, que se
caracteriza por uma ondulação horizontal, a crista facial, a qual é
particularmente evidente no equino, menos distinta em ruminantes e no
suíno, e insignificante em carnívoros.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face nasal apresenta uma ondulação marcante, a crista conchal, onde se
fixa a concha nasal ventral (= maxiloturbinado).

• A parte óssea do canal lacrimal se abre na face nasal da maxila no forame


lacrimal, o qual se posiciona dorsalmente à crista facial em equinos e
ventralmente nos outros mamíferos domésticos.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)

• O processo alveolar encerra as cavidades para os dentes, os alvéolos


dentários e, em sua margem livre, a margem alveolar.

• Os alvéolos são separados por septos interalveolares transversos.

• A margem interalveolar se estende entre o canino e o primeiro molar.

• A face facial inferior da maxila apresenta elevações lisas produzidas pelas


raízes do dente.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)

• O processo palatino é uma lâmina óssea transversal que emerge do processo


alveolar e encontra seu par contralateral na sutura palatina mediana.

• Ele forma o palato duro ósseo juntamente com o osso palatino, com o qual se
articula caudalmente.

• No sentido rostral, ele se articula com partes do osso incisivo na formação da


fissura palatina óssea.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)

• A face nasal do processo palatino forma a crista nasal, à qual o vômer se fixa.

• Na face oral encontra-se o forame palatino maior, cuja localização varia entre
as espécies domésticas.

• O processo palatino envolve partes do seio palatino.


Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Maxilas (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso incisivo
• Os ossos incisivos pares compõem-se de corpo e dos processos nasal,
palatino e alveolar.

• Os ossos incisivos formam a porção rostral da parte facial do crânio e


compõem parte da abertura para a cavidade nasal e o teto do palato duro.

• O corpo do osso incisivo apresenta duas faces, a face palatina côncava e a


face labial convexa.

• Ele se prolonga rostralmente para formar o processo alveolar.


Osso incisivo
• O processo alveolar forma entradas cônicas, os alvéolos dentários para os três
dentes incisivos de cada lado.

• O processo alveolar do osso incisivo se une à maxila caudalmente, formando


a margem interalveolar:
- é relativamente longa em equinos;
- mas curta em suínos e carnívoros.

O processo palatino do osso incisivo encontra seu par contralateral na linha


média; eles podem estar solidamente fusionados na sutura interincisiva
(carnívoros e suíno) ou deixar uma fenda estreita, a fissura interincisiva (suíno e
ruminantes).
Osso incisivo
Osso incisivo
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso incisivo
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso palatino

• Os ossos palatinos pares situam-se entre a maxila e os ossos esfenoide e


pterigoide.

• Eles se dividem em:


- uma lâmina horizontal a qual forma parte do palato duro;
- e uma lâmina perpendicular, a qual forma parte das paredes lateral e dorsal do meato
nasofaríngeo;
- e as coanas, as aberturas entre as cavidades nasais e a parte nasal da faringe.
Osso palatino

• A margem livre da lâmina horizontal se dirige ao meato nasofaríngeo.


- Ela forma a parte caudal do palato duro com a qual se liga o palato mole.

• A lâmina perpendicular se une à lâmina horizontal em um ângulo reto e se


prolonga até os ossos esfenoide e pterigoide caudalmente, e às paredes da
órbita rostralmente.
- Ela se prolonga no plano medial para formar a lâmina esfenoetmoidal, a qual se articula
com a base do etmoide e do vômer.
Osso palatino
Osso palatino
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso palatino
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso palatino
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso palatino
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Vômer

• O vômer é um osso ímpar que se prolonga da região das coanas até a


cavidade nasal, onde se fixa à crista nasal mediana no assoalho da cavidade
nasal.

• Sua parte basal se prolonga até a crista nasal da lâmina horizontal do osso
palatino em carnívoros, enquanto nos ruminantes ela se une ao processo
palatino da maxila.
Vômer
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Vômer
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso pterigoide

• O osso pterigoide é uma placa óssea delgada entre o osso esfenoide e a


lâmina horizontal do osso palatino que forma parte das paredes dorsal e
lateral da cavidade nasofaríngea.

• Sua margem livre forma um pequeno processo no formato de gancho, o


hâmulo pterigóideo, que se projeta além da margem das coanas, e é bastante
desenvolvido no equino.
Osso pterigoide

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• As duas metades da mandíbula se desenvolvem na mesoderme craniana do


primeiro arco branquial e se articulam firmemente no ângulo mentual,
formando a sincondrose mandibular média.

- Essa união fibrosa normalmente se completa durante o primeiro ano após o nascimento
no suíno e no equino, mas pode ocorrer mais tarde, ou então permanecer bipartida em
carnívoros e ruminantes.

Cada metade pode ser dividida em:

● Corpo da mandíbula, que contém os dentes;


● Ramo da mandíbula.
Mandíbula (ossos)
Mandíbula (ossos)

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• O corpo da mandíbula pode ser subdividido em:


- uma parte incisiva, que contém os dentes incisivos;
- e uma parte molar caudal, que contém os dentes molares.

• A parte incisiva compõe-se de:


- uma lâmina horizontal com face convexa em direção aos lábios e;
- uma face côncava em direção à língua, as quais se encontram no arco alveolar.
Mandíbula (ossos)

• A parte molar apresenta uma face bucal lateral e uma face lingual medial, as
quais são separadas pela margem ventral.

• A parte caudal da margem alveolar dorsal forma as entradas que contêm as


raízes dos dentes molares.

• A parte rostral onde não há dentes da margem dorsal entre o canino e o


primeiro molar se chama margem interalveolar ou diastema, que é mais longa
em equinos e ruminantes.
Mandíbula (ossos)

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• O corpo da mandíbula contém o canal mandibular, por onde passam a artéria e


a veia mandibulares e o nervo alveolar mandibular.

• A abertura caudal do canal mandibular é o forame da mandíbula na face


medial da mandíbula;
- ele atravessa rostralmente, ventral aos alvéolos dentários, e termina no forame mentual
na face lateral da margem interalveolar.
Mandíbula (ossos)

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• A margem ventral do corpo da mandíbula é marcada por uma reentrância lisa, a


incisura dos vasos faciais, onde os vasos da face e o ducto parotídeo se curvam
ao redor do osso.
- Esse é o local onde se costuma palpar o pulso do equino.

• Os forames mentual e mandibular podem ser usados como pontos de


referência para anestesia perineural.
Mandíbula (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• O ramo da mandíbula é uma placa óssea vertical que se prolonga do corpo da


mandíbula em direção ao arco zigomático.
- sua face lateral se caracteriza pela fossa massetérica, a qual é o local de fixação do
músculo masseter;
- e sua face medial pela fossa pterigóideo, que é o local de fixação do músculo pterigóidea
medial.

• A parte caudoventral do ramo mandibular forma o ângulo da mandíbula, o


qual projeta um processo em forma de gancho em carnívoros, o processo
angular
Mandíbula (ossos)

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• A extremidade livre do ramo da mandíbula compõe-se do processo condilar e


da cabeça da mandíbula alongada transversalmente para a formação da
articulação temporomandibular caudalmente.

• Rostralmente, ele se prolonga para formar o processo coronoide, onde o


músculo temporal se insere. Esses dois processos são separados pela incisura
da mandíbula.
Mandíbula (ossos)
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Mandíbula (ossos)

• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,


que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso hioide, aparelho hióideo
• O osso hioide seus componentes cartilaginosos individuais se ossificam no
início da vida e se unem para formar sincondroses firmes.

• Os ossos hioides posicionam-se entre os ramos da mandíbula na base da língua


e atuam como um mecanismo de suspensão para a língua e a laringe.

• Ele pode ser dividido em duas partes.


- a primeira parte se conecta com a língua e a laringe hióideo e é considerada o aparelho
hióideo, equivalente ao do humano.

- a segunda parte segue a direção dorsal, articulando-se com o osso temporal e é chamada
de aparelho de sustentação.
Osso hioide, aparelho hióideo
• Parte principal do hioide corresponde à do humano e possui três
componentes:

● Basi-hioide ou corpo;
● Tireo-hioide;
● Cerato-hioide.

• O basi-hioide é um osso transverso ímpar curto situado na musculatura da


base da língua.
- Sua margem rostral encerra medialmente o processo lingual, o qual é longo no
equino e mais curto nos ruminantes.
Osso hioide, aparelho hióideo
• O tireo-hioide se projeta caudalmente a partir do basi-hioide, com o qual se
fusiona em ruminantes e equinos, em direção à cartilagem tireóidea da
laringe, com a qual forma uma articulação móvel.

• O cerato-hioide se articula com o basi-hioide e o tireo-hioide caudalmente e


com o epi-hioide proximalmente e, dessa forma, conecta o hioide com o
aparelho de sustentação.
Osso hioide, aparelho hióideo
• O aparelho de sustentação une os ossos hioides ao crânio de modos diferentes
para cada espécie:

• Ele se compõe de três partes:

● Corpo proximal ou tímpano-hioide;


● Corpo médio ou estilo-hioide;
● Corpo distal ou epi-hioide.
Osso hioide, aparelho hióideo
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Osso hioide, aparelho hióideo
• A face interna do crânio apresenta diversas depressões pouco profundas,
que se ajustam à face do cerebelo e aos vasos sanguíneos basais.

• A face interna caracteriza-se pela protuberância occipital interna.

• Carnívoros e equinos apresentam um processo a mais, o processo do


tentório o qual forma o tentório cerebelar ósseo, juntamente com os
processos de nome semelhante dos ossos parietal e interparietal.
Obrigado por sua atenção! ! !
.

Marcos Levi
🎓🎓 ⚕ MedVet - 9/10 FAT –* Ba/FSA
@vet.marcoslevi *

Você também pode gostar