Você está na página 1de 11

MÓDULDO DE GESTÃO DE PROJECTOS

Área Científica: Gestão


Módulo: Gestão de Projectos
Carga horária total: 15 horas

I. OBJECTIVOS DO MÓDULO E PLANO TEMÁTICO

O módulo de gestão de projectos visa a dotar os participantes de ferramentas


teóricas e práticas que permitam planificar, organizar, monitorar e avaliar a
implementação de projectos, sejam eles de âmbito social ou empresarial. Os
participantes deverão ser capazes de apresentar e aplicar soluções a problemas
reais que surgem no âmbito da implementação de projectos, de modo a assegurar a
eficiência e eficácia no alcance dos resultados de um projecto.

Concluído o módulo, os participantes devem ser capazes de:

 Descrever as características de um projecto e as fases da sua


implementação;
 Aprimorar o seu perfil de gestor de projecto
 Analisar a consistência dos aspectos chaves necessários para o sucesso da
implementação de um projecto social ou de investimento
 Fazer o uso das diferentes áreas de conhecimento de suporte a gestão de
projectos no dia a dia da execução de projectos
 Planear as actividades, organizar os recursos e atribuir responsabilidades de
forma eficiente no âmbito da execução de projectos
 Monitorar o progresso da implementação do projecto e os seus resultados e
ajustar o que for necessário para minimizar desvios rumo aos objectivos e
metas
 Gerir eficazmente o tempo do projecto para o cumprimento dos prazos do
projecto
 Construir confiança, cometimento, colaboração e espírito de sucesso sobre a
equipa do projecto
 Aplicar os princípios da comunicação efectiva e liderança em gestão de
projectos.

Page 1
II. ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS E ESTRATÉGIAS DE AVALIAÇÃO

2.1. Metodologia de ensino-aprendizagem

Para o alcance dos objectivos propostos neste, serão priorizadas actividades que
estimulem e facilitem a aprendizagem. Buscar-se-á interacção constante com os
participantes e, para o efeito, propõem-se as seguintes actividades: aulas expositivas
dialogadas, debates e estudos de caso, vídeos, imagens. O processo de ensino e
aprendizagem consistirá em aulas teóricas numa proporção aproximada de 30% do
tempo, aulas práticas 60% e avaliações 10%.

i. Expositivo-explicativo

O facilitador irá expor e explicar os principais conceitos e conteúdos da formação


através de uma apresentação de exemplos práticos, fazendo uso da experiência dos
participantes e reduzindo a linguagem técnica para a mais simplificada possível. A
formação será acompanhada por slides, contendo apenas tópicos de discussão,
palavras-chave, ilustrações, figuras que irão facilitar a compreensão e absorção dos
conteúdos expostos.

ii. Participativo

O facilitador irá encorajar os participantes a se engajarem activamente durante todas as


fases da formação, através de sessões de perguntas e respostas, sessões interactivas,
nas quais poder-se-ão partilhar questões do dia-a-dia ou práticas sobre os tópicos.

iii. Brainstorming

No início de discussão de cada tópico ou questão, o facilitador irá encorajar e motivar


os participantes a falarem livremente sobre a questão ou tópico, a forma como eles
vêem e percebem certos aspectos. A ideia é obter quantas respostas for possível para
mostrar os diferentes ângulos de vista para a mesma questão e propiciar um ambiente
para alcançar o melhor entendimento sobre as questões ou aspectos a serem
abordados.

iv. Estudos de casos

Page 2
O facilitador irá preparar casos hipotéticos e reais, assim como cenários que vão
permitir os participantes aplicarem na prática as técnicas e ferramentas ministradas.

v. Materiais de Capacitação (Manual, Slides, Vídeos, Textos)

Será entregue aos participantes todos os materiais de formação relevantes de forma


antecipada. Será igualmente elaborado um relatório final da formação que irá
contemplar todas as fases da capacitação, desde o momento de abertura, os conteúdos
ministrados, os exercícios práticos, o engajamento dos participantes e o balanço final
da capacitação, contendo recomendações sobre a maximização dos conhecimentos
adquiridos na formação no seu dia a dia profissional.

2.2. Estratégias de avaliação

A avaliação da aprendizagem neste módulo consistirá na comparação entre os


resultados obtidos nos testes diagnósticos final e inicial, bem como o feedback diário e
final sobre o processo da formação a ser dado pelos participantes.

O facilitador irá no início da capacitação irá administrar um teste diagnóstico sobre os


conteúdos da capacitação a fim de medir o grau de entendimento sobre os conteúdos
que serão objecto de capacitação. O teste diagnóstico inicial será acompanhado pela
partilha de expectativas a fim de ajustar (caso seja necessário) a metodologia e os
conteúdos principais da capacitação.

De igual forma, no fim da capacitação, o facilitador irá administrar outro teste


diagnóstico para medir o nível de alcance dos objectivos da capacitação e comparar os
dois estágios (o inicial e o final) dos formandos.

2.3. Medidas para evitar a contracção ou transmissão do covid-19

No âmbito das medidas tomadas pelo Governo para evitar a propagação do COVID-
19, sem comprometer os resultados de ensino e aprendizagem, serão tomadas as
seguintes precauções:

 Distanciamento social com separação entre as cadeiras da formação de pelo


menos 2 metros (o tamanho da sala deverá ser amplo e bem ventilado)
 A desinfecção contínua dos espaços de uso comum
 O uso máscaras e álcool em gel de todos os participantes

Page 3
III. PLANO TEMÁTICO

Horas
Nr. Temas Teórico-
Teóricas Práticas Total
Práticas
Gestão, Projectos e
1 1 0 0 1
Gestor de Projectos
Concepção e Análise de
2 1 0 2 3
Projectos
Principais áreas de
3 conhecimento da Gestão 1 1 0 2
de Projectos
Actividades da Gestão de
4 1 0 4 5
Projectos
Comunicação e Liderança
5 1 0 3 4
em Projectos
Total 5 1 9 15

IV. PLANO ANALÍTICO

Page 4
Aula nº Tema Conteúdos Métodos de
Ensino/Técnicas
1.1. Gestão
1. Gestão,
1.2. Projectos Exposição dialogada.
Projectos e
Dia 1 1.2.1. Características de Projectos Debates em plenária.
Gestor de
1.2.2. Fases e o ciclo do projecto Video
Projectos
1.4. O perfil de um Gestor do Projecto

Dia 1 2.1. Problemas | Oportunidades


2. Concepção e
2.2. Análise do contexto (PEST e SWOT) Exposição dialogada.
Análise de
2.3. Planeamento Estratégico Debates em plenária.
Projectos
2.5. Análise de Projectos Sociais Dinâmica de grupo
2.6. Análise de Projectos de Investimento Vídeos

3.1. Gestão de Risco


3.2. Gestão de Stakeholders Exposição dialogada.
Dia 2 3. Principais 3.3. Gestão Financeira Debates em plenária.
áreas de 3.4. Gestão de Pessoas
conhecimento 3.5. Comunicação
da Gestão de 3.6. Gestão de Qualidade
Projectos 3.7. Gestão de Tempo
4.1. Planear
4.1.2. Objectivos Exposição dialogada.
Dia 2 e 3 4. Actividades 4.1.3. Recursos; Debates em plenária.
da Gestão de 4.1.4. Descrição e organização do trabalho (work Dinâmicas de Grupo
Projectos break schedule) Vídeos
4.2. Executar
4.2.2. Actividades do projecto
4.2.3. Prazos (início & fim)
4.2.4. Modelo PERT (program evaluation and
review technique)
4.3. Monitoria e Avaliação
5.1. A equipa do projecto
5.1.1. Construção de relacionamentos
5.1.2. Como inspirar confiança à equipa
5.1.3. Construção de cometimento
5.1.4. Construção de um espírito de sucesso
5. Comunicação Exposição dialogada.
5.1.5. Trabalho em conjunto
Dia 4 e Liderança na Debates em plenária.
5.1.6. Disponibilização de Recursos
Gestão de Dinâmicas de Grupo
5.2. Princípios orientadores de um gestor/líder
Projectos Vídeos
5.2.1. Linguagem Verbal
5.2.2. Inteligência Emocional
5.2.3. Feedback
4.2.4. Princípios de escuta activa
4.2.3. Princípios gerais de liderança

V. PLANO DE AULA/AGENDA DE FORMAÇÃO: 4 DIAS

Page 5
I DIA
HORA ACTIVIDADE INTERVENIENTES
08:00 – 8:15  Chegada e inscrição dos participantes
 Notas de Boas vindas CBS
0: INTRODUÇÃO DA FORMAÇÃO
08:15 - 08:45  Apresentação dos participantes;
 Partilha de expectativas
 Estabelecimento regras
 Apresentação de objectivos e programa da TODOS
facilitação
 Teste diagnóstico para os participantes
I: GESTÃO, PROJECTOS E GESTOR DE PROJECTOS
08:45 – 9:45  Gestão
 Projectos FACILITADOR
 Características de Projectos
 Fases e o ciclo do projecto
 O perfil de um Gestor do Projecto
II: CONCEPÇÃO E ANÁLISE DE PROJECTOS (SOCIAIS)
10:00 – 12:00  Problemas | Oportunidades
 Análise do contexto (PEST e SWOT)
 Planeamento Estratégico FACILITADOR
 Análise de Projectos Sociais
 Análise de Projectos de Investimento
 Vídeos, Dinâmicas e Exercícios Práticos

II DIA

Page 6
HORA ACTIVIDADE INTERVENIENTES
08:00 – 8:15  Chegada e inscrição dos participantes TODOS
III: ÁREAS DE CONHECIMENTO DA GESTÃO DE PROJECTOS
08:15-10:15  Gestão de Risco
 Gestão de Stakeholders
 Gestão Financeira FACILITADOR
 Gestão de Pessoas
 Comunicação
 Gestão de Qualidade
 Gestão de Tempo
 Vídeo, Dinâmica de Grupo e Exercícios
Práticos
IV: ACTIVIDADES DA GESTÃO DE PROJECTOS
10:30 – 12:00  Planear: objectivos – recursos; descrição
do trabalho (work break schedule); e
organização
 Executar: actividades do projecto;
timings (início & fim) inter – relação FACILITADOR
(network)
 Encerramento do dia TODOS

III DIA

HORA ACTIVIDADE INTERVENIENTES


08:00 – 8:15  Chegada e inscrição dos participantes TODOS
IV: ACTIVIDADES DA GESTÃO DE PROJECTOS
08:15-12:00  Planear: objectivos – recursos; descrição
do trabalho (work break schedule); e
organização
 Executar: actividades do projecto;
timings (início & fim) inter – relação
(network) FACILITADOR
 Modelo PERT (program evaluation and
review technique) para gestão de
projectos
 Controlar – monitoria; comparação;
revisão; acção
 Vídeo, Dinâmica de Grupo e Exercícios
Práticos
 Encerramento do dia TODOS

Page 7
IV DIA
HORA ACTIVIDADE INTERVENIENTES
08:00 – 8:15  Chegada e inscrição dos participantes TODOS

V COMUNICAÇÃO E LIDERANÇA NA GESTÃO DE PROJECTOS


08:15-11:15  A equipa do projecto
 Construção de relacionamentos
 Como inspirar confiança à equipa FACILITADOR
 Construção de cometimento
 Construção de um espírito de sucesso
 Trabalho em conjunto
 Disponibilização de Recursos
 Vídeo, Dinâmica de Grupo e Exercícios
Práticos
 Princípios orientadores de um
gestor/líder
 Linguagem Verbal
 Inteligência Emocional
 Feedback
 Princípios de escuta activa
 Princípios gerais de liderança
11:15-12:00  Notas de Encerramento TODOS
 Teste diagnóstico Final
 Feedback dos participantes
 Recepção de Certificados
 Foto Família
 Momento de Confraternizaçã0

 FIM

VI. ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS E ESTRATÉGIAS DE AVALIAÇÃO

Page 8
Metodologia de ensino-aprendizagem

Para o alcance dos objectivos propostos neste, serão priorizadas actividades que estimulem
e facilitem a aprendizagem. Buscar-se-á interacção constante com os participantes e, para o
efeito, propõem-se as seguintes actividades: aulas expositivas dialogadas, debates e
estudos de caso, vídeos, imagens. O processo de ensino e aprendizagem consistirá em
aulas teóricas numa proporção aproximada de 30% do tempo, aulas práticas 60% e
avaliações 10%.

Expositivo-explicativo

O facilitador irá expor e explicar os principais conceitos e conteúdos da formação através de


uma apresentação de exemplos práticos, fazendo uso da experiência dos participantes e
reduzindo a linguagem técnica para a mais simplificada possível. A formação será
acompanhada por slides, contendo apenas tópicos de discussão, palavras-chave,
ilustrações, figuras que irão facilitar a compreensão e absorção dos conteúdos expostos.

Participativo

O facilitador irá encorajar os participantes a se engajarem activamente durante todas as


fases da formação, através de sessões de perguntas e respostas, sessões interactivas, nas
quais poder-se-ão partilhar questões do dia-a-dia ou práticas sobre os tópicos.

Discussão e trabalhos em grupo

Em alguns momentos da formação, no caso de exercícios práticos, os participantes serão


divididos em grupo e irão discutir algumas questões que serão apresentadas para todos no
final.

Brainstorming

No início de discussão de cada tópico ou questão, o facilitador irá encorajar e motivar os


participantes a falarem livremente sobre a questão ou tópico, a forma como eles vêem e
percebem certos aspectos. A ideia é obter quantas respostas for possível para mostrar os
diferentes ângulos de vista para a mesma questão e propiciar um ambiente para alcançar o
melhor entendimento sobre as questões ou aspectos a serem abordados.

Estudos de casos

O facilitador irá preparar casos hipotéticos e reais, assim como cenários que vão permitir os
participantes aplicarem na prática as técnicas e ferramentas ministradas.

Materiais de Capacitação (Manual, Slides, Vídeos, Textos)


Page 9
Será entregue aos participantes todos os materiais de formação relevantes de forma
antecipada. Será igualmente elaborado um relatório final da formação que irá contemplar
todas as fases da capacitação, desde o momento de abertura, os conteúdos ministrados, os
exercícios práticos, o engajamento dos participantes e o balanço final da capacitação,
contendo recomendações sobre a maximização dos conhecimentos adquiridos na formação
no seu dia a dia profissional.

Estratégias de avaliação

A avaliação da aprendizagem neste módulo consistirá na comparação entre os resultados


obtidos nos testes diagnósticos final e inicial, bem como o feedback diário e final sobre o
processo da formação a ser dado pelos participantes.

O facilitador irá no início da capacitação irá administrar um teste diagnóstico sobre os


conteúdos da capacitação a fim de medir o grau de entendimento sobre os conteúdos que
serão objecto de capacitação. O teste diagnóstico inicial será acompanhado pela partilha de
expectativas a fim de ajustar (caso seja necessário) a metodologia e os conteúdos principais
da capacitação.

De igual forma, no fim da capacitação, o facilitador irá administrar outro teste diagnóstico
para medir o nível de alcance dos objectivos da capacitação e comparar os dois estágios (o
inicial e o final) dos formandos.

VII. PERFIL DO FACILITADOR


Page 10
Egas Daniel é Pós-Graduado em Gestão de Empresas e Licenciado em Economia com
distinção pela Universidade Eduardo Mondlane. Possui certificados de formação profissional
nas áreas de Gestão de Finanças Públicas pela Rhodes University (África do Sul),
Administração Pública e Liderança pela University of South Africa (UNISA), Planeamento,
Gestão, Monitoria e Avaliação de Projectos pela MS Training Centre for Development
Cooperation na Tanzania e outras formações no Quénia e dentro do país.

Actualmente é Country Economist pela London School of Economics sob direcção conjunta
com a University of Oxford. É, igualmente, docente de Economia de Moçambique e
Finanças Públicas pela Universidade de Maputo e de Economia no Instituto Superior de
Ciência e Tecnologia de Moçambique (ISCTEM), bem como, pesquisador no Centro de
Investigação do ISCTEM (CISCTEM).

Desde 2017, trabalha como Consultor, Pesquisador e Formador da PROSOLVE-Research


& Development, onde tem apoiado organizações nas componentes de Desenho, Análise,
Gestão, Monitoria e Avaliação de Projectos Sociais e de Investimento.Foi neste contexto
que desenvolveu a prática e domínio no uso de ferramentas estatísticas para análise e
visualização de dados com Excel, SPSS, STATA, E-views, R-Studio.

Trabalhou como Oficial de Projecto do programa regional Patnership for Social


Accountability Monitoring in Southern Africa de 2016 a 2019, Gestor de Projectos
financiados pela União Europeia de 2017 a 2019 e Coordenador de Monitoria e Avaliação
pelo Grupo Moçambicano da Dívida durante 5 anos, desde 2014.

Foi Director Financeiro da CHITA - Consultoria e Despacho Aduaneiro durante 2 anos


(2017-2019).

Durante a sua carreia académica e profissional, teve várias distinções a destacar: vencedor
das XI Jornadas Científicas do Banco de Moçambique (2019), seleccionado como jovem
líder africano no programa ALI da Embaixada dos EUA (2018), melhor graduado da
Faculdade de Economia, melhor aluno do país e vencedor de olimpíadas de matemática.

Page 11

Você também pode gostar