Você está na página 1de 2

PROCEDIMENTO ALTERNATIVO PARA A DETERMINAÇÃO DE FIBRA BRUTA COM NYLON BAGS

Souza G.B.¹; Del Santo V.R ¹. Barioni Jr. W.1

Embrapa Pecuária Sudeste – Rod. Washingtom Luiz Km 234 – São Carlos - SP


gilberto@cppse.embrapa.br; victor@cppse.embrapa.br

Fibra Bruta, Ankon, Nylon Bags

INTRODUÇÃO refluxo, foram lavados por mais duas vezes em


água fervendo por 5 minutos. Para o método
Fibra Bruta é a porção dos carboidratos Ankom foi aplicado o mesmo procedimento,
totais resistente ao tratamento sucessivo com respeitando as massa, concentrações, tempos e
ácido e base diluídos, sendo em maior parte temperaturas, porém os saquinhos foram
constituída por celulose, que apresenta baixa inseridos em um extrator de fibras apropriado da
digestibilidade para a maioria dos animais, com marca ANKOM Fiber Analyzer 220.
exceção dos ruminantes, se tornando fonte de
energia para esses animais, promovendo o bom RESULTADOS E DISCUSSÕES
funcionamento intestinal e estimulando os
movimentos peristálticos. Usando o método de comparação de pares,
O método para a determinação de fibra considerando as 7 observações da nova variável
bruta foi desenvolvido em 1864 por Weende, “D” tem-se: DM = 1,24 e EP = 0,20; (DM± EP =
que segundo o procedimento consiste na 1,24± 0,20) logo o intervalo de confiança da
extração das fibras por meio de uma solução média (DM) será DM= 1,24 ± t6 * EP, sendo o
ácida e posteriormente alcalina. valor t tabelado com 6 graus de liberdade ao
Com o passar dos anos ocorreu várias nível de 5%, t=2,45 ou seja, DM=1,24 ± 0,49 =>
modificações no método de Weende, sendo IC95% (0,75 ; 1,73). DM esta no intervalo de
uma das mais recentes, a utilização de 0,75 a 1,73 demonstrando sempre uma
saquinhos filtrantes de nylon (Nylon filter bags), superioridade de %FB (MS) do método ANKOM,
com o auxilio de um extrator de fibras de 0,75 a 1,73 %FB (MS) a mais do que o
desenvolvido pela ANKON, portanto o objetivo método bequer (Tabela 1). Se o valor zero
do trabalho consiste em comparar esse método estivesse contido nesse intervalo, isto
atual, com um método alteranativo, utilizando-se significaria que em algumas amostras o método
de saquinhos de nylon com o auxilio de Becker bequer apresentaria valor de %FB (MS) superior
e chapa aquecedora. à do ANKON, conferindo a equivalência casual
entre os dois métodos. Para 1% t tabelado é
MATERIAL E MÉTODOS igual a 3,71 portando IC99% (0,50 ; 1,98).
Conclui-se que o método ANKOM gera valores
Foram utilizadas 7 amostras provenientes do de %FB (MS) acima do que o método bequer
Ensaio de Proficiência para Laboratórios de com probabilidade de erro de 1% (p<0,01).
Nutrição Animal, sendo 4 amostras de volumoso Conforme o gráfico da Figura 1, podemos
e 3 de concentrado. Nos nylon bags observar uma tendência sistemática para o
previamente secos e tarados, foram pesados método ANKOM, onde os resultados foram mais
250 mg de amostra, em triplicata. Os saquinhos elevados comparando-se ao método alternativo
com as amostras foram fechados com o auxilio (Bequer).
de uma seladora térmica e inseridos dentro de
um bequer (método 1), com 1700 ml de solução CONCLUSÃO
de H2SO4 1,25% (v/v) (0,1275 mol.L-1) em
ebulição, induzida por chapa aquecedora, por 40 O método alternativo utilizado, segundo
minutos de refluxo, ao término desse período os as observações dos resultados, pode ser
saquinhos foram lavados , duas vezes, em água considerado aplicável para a análise de fibra
fervendo por 5 minutos. Posteriormente as bruta, tornando o procedimento fácil e
amostras foram inseridas novamente no bequer econômico, devido à possibilidade do uso de
com 1700ml de solução de NaOH 1,25% (m/v) nylon bags, como no método ANKOM.
(0,315 mol.L-1), em ebulição por 40 minutos de
Tabela 1. Resultados das análises de fibra bruta (FB) considerando o método padrão e o método
proposto.

Métodos - %FB (MS) DIFERENÇA (D)


Amostra n Ankom Bequer Ankom - Bequer
M ± EP M ± EP M ± EP
Cana açúcar 11/01 3 27,56 ± 0,82 25,52 ± 0,39 2,03 ± 0,80
Farinha de peixe 11/03 3 2,66 ± 0,35 1,99 ± 0,30 0,66 ± 0,63
Capim Tanzânia 11/07 3 32,66 ± 0,10 31,29 ± 0,01 1,37 ± 0,10
Farelo de soja 11/09 3 8,76 ± 0,43 7,33 ± 0,13 1,43 ± 0,56
Farelo de soja ARC1 3 7,79 ± 0,34 6,55 ± 0,06 1,24 ± 0,33
Capim estrela roxa ARV6 3 28,77 ± 0,10 27,68 ± 0,24 1,09 ± 0,20
Capim Tanzânia ARV7 3 31,27 ± 0,10 30,85 ± 0,58 0,42 ± 0,58
Média Geral 21 27,56 ± 4,87 25,52 ± 4,85 1,24 ± 0,20

35,0

30,0

25,0
EE (%, m/m)

20,0

15,0

10,0

5,0

0,0
ARV7 ARV6 ARC1 11/01 11/03 11/07 11/09

Ankom Bequer Amostras


Linear (Ankom) Linear (Bequer)

Figura 1. Gráfico de resultados das análises de fibra bruta das amostras avaliadas.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SILVA, D. J. Análise de Alimentos: métodos químicos e biológicos. 3.ed. – Viscosa: UFV, 2002, 235p.

CECCHI, H.M. Fundamentos teóricos e práticos em análises de alimentos. 2ª. ed. Campinas: 2003, 207p.