Você está na página 1de 20

ESTADO DE MATO GROSSO

PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER


SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
ESCOLA MUNICIPAL FÁBIO RIBEIRO DA CRUZ

PLANO DE AULA ENSINO FUNDAMENTAL I e II


Professor (a): Emanoelly de Fatima de Souza
Turma: 6° ANO C
Carga horária: 8 horas
QUINTA AULA - PROJETO
Área de conhecimento ( BNCC):
(X ) Linguagens
( ) Matemática
( ) Ciências da natureza
( ) Ciências humanas
( ) Ensino Religioso

SUSTENTABILIDADE

COLIDER/MT
2021
1 – INTRODUÇÃO

Atualmente, a sustentabilidade é o tema global na qual podemos sempre


envolver ao meio escolar, um desafio que levamos para melhorar nossa casa, “planeta
terra”. O desenvolvimento sustentável é um conceito socioeconômico e ambiental que
controla estratégias e ações para atender às necessidades atuais da sociedade sem
prejudicar as gerações futuras e ao meio ambiente, sempre defendendo, mantendo e
apoiando essa causa. Contudo, observamos que cada disciplina, podem informar de
maneiras diversificadas a mesma solução ao assunto abordado.
Conceitos sobre a importância da educação física da escola de ensino sofrida por
mudanças de sua implementação de uma questão no currículo escolar. Primeiro
acreditamos que a educação física tinha a função de cuidar do corpo e dos hábitos que
melhoraram a qualidade de vida, essa concepção era higienismo. Na Europa, com
enorme preocupação com a inclusão de exercícios físicos no currículo escolar, houve
grande apoio para as primeiras escolas de ginásticas europeias responsáveis por esses
exercícios e sua inclusão de exercícios na escola.
A problematização do meio ambiente permitirá ao aluno além do conteúdo da
educação física, como a diversificação da cultura corporativa, seus benefícios, o
desenvolvimento de um pensamento crítico, permitindo a aquisição da capacidade total
de uma determinada situação, se esta condição atual for a ligação para um meio de
prosperar, e se algo pudesse ser feito por esse medicamento ser preservado, ou mesmo
melhorado. Assim, o tema do desenvolvimento da sustentabilidade, como um conteúdo
congruente ao da demonstração da cultura corporal pode transformar o pensamento dos
alunos da situação desse tema diariamente.

2- OBJETIVOS

2.1 – OBJETIVOS GERAIS

O objetivo geral é a compreensão do aluno, relacionado ao tema


“sustentabilidade” na área Educação Física. Na qual irá contribuir sua perspectiva de
conhecimento sobre o corpo e meio ambiente.
2.1.1 – COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS (BNCC)

CONHECIMENTO

Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo


físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar
aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e
inclusiva.

AUTOCONHECIMENO E AUTOCUIDADO

Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo- se


na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e
capacidade para lidar com elas.

RESPONSABILIDADE E CIDADANIA

Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência


e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos,
inclusivos, sustentáveis e solidários.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

O objetivo específico do projeto é a qualidade de vida, que envolvem na virtude


do nosso meio ambiente. O conteúdo estabelecido no decorrer do projeto, não só
contribuirá ao indivíduo, e sim a sociedade e a sustentabilidade. Dessa forma, com
nosso corpo e ações provocadas por nossas novas atitudes, na qual beneficiará a
qualidade de vida e saúde, onde consequentemente, cooperaremos para a longevidade
dos seres vivos no planeta terra para próximas gerações.

3- HABILIDADES ( BNCC )

3.1 – ENSINO FUNDAMENTAL/ ANOS FINAIS/ 6° ANO – 7°ANO


(EF67EF08): experimentar e fruir exercícios físicos que solicitem diferentes
capacidades físicas, identificando seus tipos (força, velocidade, resistência,
flexibilidade) e as sensações corporais provocadas pela sua prática.
(EF67EF09): construir, coletivamente, procedimentos e normas de convívio que
viabilizem a participação de todos na prática de exercícios físicos, com o objetivo de
promover a saúde.
(EF67EF10): diferenciar exercício físico de atividade física e propor alternativas para a
prática de exercícios físicos dentro e fora do ambiente escolar.

4 – FUNDAMENTAÇÃO

De um modo geral, alimentos industrializados se referem a alimentos que


passaram por uma série de etapas, adicionando outros ingredientes e produtos químicos.
A maioria desses produtos exige muitos procedimentos, como o nome sugere, eles são
produzidos diretamente na indústria e daí entregues em nossas mesas. Geralmente são
produtos prontos ou semi prontos para o consumo.
No processo de produção, os alimentos podem passar por várias etapas, como
defumação, concentração, fermentação, congelamento, filtragem, resfriamento,
desidratação, fritura, fatiamento, pasteurização, mistura, padronização e emulsificação.
Cada um desses processos mencionados acima tem uma função para os alimentos. Pode
conferir mais sabor e textura, aumentar a cor, estender a vida útil, evitar que estraguem
durante o transporte e armazenamento e até mesmo usar mais partes comestíveis.
Alimentos industrializados fazem mal à saúde? Pode ser que as dietas ricas em
produtos industriais sejam geralmente mais calóricas, menos nutritivas e também
contenham aditivos químicos. Isso aumenta o risco de problemas cardiovasculares e
outras doenças. Devido à grande quantidade de mistura de substâncias e à grande
quantidade de processos, geralmente são ricas em açúcar, contêm grande quantidade de
aditivos (corantes, conservantes e agentes de textura), baixo teor de nutrientes e alto teor
de gorduras ruins.
Entendemos que contém diversos produtos que são um perigo para o corpo, pelo
fato de os produtos serem modificados com produtos químicos, que podem trazem
malefícios, além desse risco ao nosso corpo, muitos desses produtos são entregues com
materiais que prejudica ao meio ambiente.
Baseando-se na sua própria legislação para estabelecer responsabilidades e
princípios de gestão relacionados, os resíduos de embalagens são atualmente
considerados um fluxo específico de resíduos. Hoje, um terço do lixo doméstico é
composto por embalagens. Após apenas um uso, cerca de 80% da embalagem será
descartada! Como nem todos podem reciclar, essa quantidade contribui para o excesso
nos aterros. Isso é quando os resíduos realmente vão para o depósito de lixo, porque é
gerada uma grande quantidade de resíduos de embalagens, nas cidades grandes,
geralmente a população tem o hábito de jogar e fazer entulhos em terrenos baldios,
jogando seu lixo e assim incentivando outros praticar o mesmo ato, sem ter o mínimo de
consciência do estrago no meio ambiente.

Há diversas soluções para essa etapa, nos dias atuais, algumas empresas estão
iniciando seus procedimentos de embalagens recicladas, na qual poderá se decompor
mais rápido, mas tem muito a fazer. O cidadão está preocupado com seu corpo
futuramente, e vão a buscar de alimentos orgânicos e frescos, alguns plantam e colhem
seu próprio alimento, na qual ajudam no seu bem estar e ao meio ambiente, deixando de
lado produtos químicos na sua alimentação e automaticamente deixando de contribuir
para poluição com embalagens. Se todos tiverem um pouco de consideração, entenderão
o que é o certo a se fazer, comprando produtos que favorece em ambas partes.
Com o avanço da tecnologia, a mídia tenta nos lembrar que nosso planeta pode
mudar devido a intervenções incontroladas e insignificantes no meio ambiente.
Exemplos disso são: acumulação de carbono na atmosfera, tsunamis, falta de água
potável, inundações, desertos, etc. Portanto, com o desaparecimento dos recursos
naturais, a demanda por recursos naturais está aumentando.
Desta forma, sustentabilidade é um termo usado por cientistas para medir a
escala dos recursos naturais de que necessitamos. Em função de calcular o número de
ecossistemas necessários para produzir os recursos que utilizamos e absorver os
resíduos que criamos, portanto, a sustentabilidade de um país, uma cidade ou uma
pessoa vai depender da produção de produtos, bens e serviços que os sustentam Estilo
de vida sem comprometer a capacidade das gerações futuras de atender às suas próprias
necessidades. Aqui estão alguns estilos de vida mais equilibrados e amigáveis que
podem contribuir para o nosso planeta:
Transporte: Com o aumento do número de carros, tem causado diversos
congestionamentos nas ruas e vias principais, e a quantidade de gás depositado em
nossa atmosfera também aumentou, contribuindo enormemente para o aquecimento
global.
Alimentos: A diminuição do consumo diário de proteínas (carnes vermelhas), produtos
industrializados e fast food impede a produção de embalagens, que rapidamente se
transformam em escombros e também contribuem para uma alimentação saudável.
Casas: Edifícios desorganizados, por vezes construídos em encostas de montanhas e /
ou ribeirinhas, por isso ocorrem frequentemente deslizamentos de terra e inundações.
Consumo: O aumento do consumismo é um dos fatores mais propensos a reduzir as
reservas de energia. Por exemplo: uso excessivo de eletricidade.
Hábitos: alimentação, moradia, consumo e transporte. São costumes diretamente
relacionados aos recursos naturais e às opções de lazer.
Os hábitos acima devem ser pontuados, pois o exercício físico é extremamente
importante para a promoção da saúde e alteração do risco de quedas, suscetibilidade a
doenças crônicas e outras complicações. A hipótese de fortalecer a educação física no
ambiente escolar na interface ambiental é identificar os alunos do ambiente natural
relacionados ao ambiente em que vivem, conceituar as medidas tomadas e a prática de
atividades ao ar livre, e estimular a importância da o meio ambiente e sua proteção.
Você pode se perguntar: Para se preparar para a educação ambiental, quais atividades
podem ser realizadas e informá-los sobre essas atividades?
Passeios, excursões, cuidados e proteção ao meio ambiente em locais onde são
praticados esportes, exposições de atividades temáticas, debates ambientais e grupos de
discussão e acampamentos de lazer são atividades que conscientizam os alunos sobre a
proteção do meio ambiente. Atividades de preparação de brinquedos, como, boliche de
cone, xadrez de papelão, jogo de damas reciclado, torneio de pneus, tiro ao alvo, tiro ao
cesto, etc., são apenas algumas das atividades que também podem ser realizadas neste
tipo de escola.
Esporte e Meio Ambiente, pois por meio desse tipo de construção, as crianças
despertam mais valores na comunidade, refletindo a importância da convivência na
sociedade. A educação ambiental é fruto de um processo político sensível às questões
ambientais e está presente em diversos ambientes, como escolares e não escolares, com
informações e diretrizes locais, internacionais, nacionais ou regionais.
Desde sua implantação como disciplina dos currículos escolares, muitas
mudanças ocorreram no conceito da importância da Educação Física nas escolas.
Segundo a pesquisa de SOARES (1994), a cultura física do esporte é o conhecimento
que constitui o conteúdo da educação física, que utiliza ginástica, esporte, luta, capoeira,
esportes de aventura, hábitos físicos alternativos, jogos, circo e dança. representante. O
PCN traz sugestões de como lidar com os conteúdos pedagógicos e relaciona alguns dos
principais temas que a sociedade deve atentar para manter o equilíbrio, chamados de
“temas horizontais”. O objetivo desta pesquisa é estudar a relação entre meio ambiente e
educação física na perspectiva da cultura física do esporte, mostrando assim que os dois
temas podem ser combinados.
Ao mesmo tempo, o objetivo desta pesquisa é propor uma proposta de
organização de alguns conteúdos que relacionem temas ambientais com conteúdo
esportivos. Para (PCN / BRASIL 1998), o papel da educação e do meio ambiente é
proporcionar aos alunos a possibilidade de estabelecer um mundo de justiça social e
equilíbrio ecológico.
Isso exige que qualquer indivíduo planetário assuma responsabilidades coletivas
e pessoais, o que interfere na maneira como a sociedade organiza suas prioridades no
dia a dia. Esse tipo de interferência só pode ocorrer quando há um construto que produz
o conceito de assimilação de valor.
A problematização do ambiente possibilitará aos alunos desenvolverem o
pensamento crítico sobre os diversos ambientes que descobrem, além de desenvolverem
os conteúdos do currículo de educação física (como a diversidade da cultura corporal e
seus benefícios), adquirindo assim uma compreensão do ambiente. A capacidade de
conduzir sua própria análise em uma determinada situação, se a situação atual é a
melhor condição para a prosperidade da mídia e se certas medidas podem ser tomadas
para manter ou mesmo melhorar o meio ambiente. Portanto, o desenvolvimento de um
tema ambiental horizontal que seja consistente com a cultura física do esporte pode
mudar o pensamento dos alunos sobre o tema no cotidiano.

6- MATERIAIS E MÉTODOS

O presente trabalho foi realizado através de pesquisas bibliográficas, onde foram


coletados dados e informações em livros, artigos, teses, revistas e sites já publicados.
Segundo Cervo, Bervian e da Silva, (2007, p 61.) a pesquisa bibliográfica “constitui o
procedimento básico para os estudos monográficos, pelos quais se busca o domínio do
estado da arte sobre determinado tema.” Dessa forma, foi feito uma abordagem
qualitativa que nos possibilitou a compreensão sobre o conhecimento da
sustentabilidade na disciplina de Educação Física. Na pesquisa qualitativa nós buscamos
explicar o porquê do tema escolhido e aprofundar nas informações obtidas.

Na pesquisa qualitativa, o cientista é ao mesmo tempo o sujeito e o objeto de


suas pesquisas. O desenvolvimento da pesquisa é imprevisível. O
conhecimento do pesquisador é parcial e limitado. O objetivo da amostra é de
produzir informações aprofundadas e ilustrativas: seja ela pequena ou grande,
o que importa é que ela seja capaz de produzir novas informações
(DESLAURIERS, 1991, p. 58).

Conforme a metodologia sempre buscou mostrar que todos podem estar


praticando novas atitudes para beneficiar nosso corpo e meio ambiente, visando o
melhor para futuras gerações e presente momento a todos.

7 – CRONOGRAMA

CRONOGRAMA QUINTA AULA – 1° SEMANA


SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA
7° ANO B (05/04) 6° ANO A (06/04) 6° ANO C (07/04) 6° ANO B (08/04) 8° ANO A (09/04)
7° ANO B (19/04) 6° ANO A (20/04) 6° ANO C (21/04) 6° ANO B (22/04) 8° ANO A (23/04)
7° ANO B (03/05) 6° ANO A (04/05) 6° ANO C (05/05) 6° ANO B (06/05) 8° ANO A (07/05)
7° ANO B (17/05) 6° ANO A (18/05) 6° ANO C (19/05) 6° ANO B (20/05) 8° ANO A (21/05)
7° ANO B (31/05) 6° ANO A (01/06) 6° ANO C (02/06) 6° ANO B (03/06) 8° ANO A (04/06)
7° ANO B (14/06) 6° ANO A (15/06) 6° ANO C (16/06) 6° ANO B (17/06) 8° ANO A (18/06)
7° ANO B (28/06) 6° ANO A (29/06) 6° ANO C (30/06) 6° ANO B (01/07) 8° ANO A (02/07)
7° ANO B (12/07) 6° ANO A (13/07) 6° ANO C (14/07) 6° ANO B (15/07) 8° ANO A (16/07)

CRONOGRAMA QUINTA AULA – 2° SEMANA


SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA
9° ANO B (12/04) 7° ANO A (13/04) 9° ANO A (14/04) 8° ANO C (15/04) 8° ANO B (16/04)
9° ANO B (26/04) 7° ANO A (27/04) 9° ANO A (28/04) 8° ANO C (29/04) 8° ANO B (30/04)
9° ANO B (10/05) 7° ANO A (11/05) 9° ANO A (12/05) 8° ANO C (13/05) 8° ANO B (14/05)
9° ANO B (24/05) 7° ANO A (25/05) 9° ANO A (26/05) 8° ANO C (27/05) 8° ANO B (28/05)
9° ANO B (07/06) 7° ANO A (08/06) 9° ANO A (09/06) 8° ANO C (10/06) 8° ANO B (11/06)
9° ANO B (21/06) 7° ANO A (22/06) 9° ANO A (23/06) 8° ANO C (24/06) 8° ANO B (25/06)
9° ANO B (05/07) 7° ANO A (06/07) 9° ANO A (07/07) 8° ANO C (08/07) 8° ANO B (09/07)

8- CONSIDERAÇÕES FINAIS

Em relação à pesquisa sobre as relações entre o meio ambiente e a educação na


perspectiva da cultura do corpo do movimento, tínhamos numerosas referências que
mostraram que existe a possibilidade de um trabalho de ensino eficaz, e o número de
estacionamentos é importante para o treinamento de estudantes.
A elaboração de uma proposta para a organização do conteúdo que estava
relacionada ao ambiente temático com algum conteúdo de educação física para a
segunda escola primária, foi apresentada como um segmento de professores que querem
trabalhar o meio ambiente em suas aulas, do que os professores Será um dos
responsáveis pela efetiva construção dos valores desses jovens.
Isso vem com um simples propósito, organizando algum conteúdo básico com
elevações que os valores relacionados ao ambiente na água serão construídos. Outros
professores devem ser consultados para avaliar a proposta de sugerir possíveis
mudanças. As novas notas sobre tópicos entre tópicos, ou em relação a questões
ambientais são dos extremamente exportadores para essa ideia ser disseminada aos
vários professores.

REFERÊNCIAS
BRASIL. Ministério da Educação e do Esporte. Secretaria da Educação Fundamental.
Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física. Brasília: MEC, 1997. 96p. Acesso
em: 16/04/2021.

CERVO, Amado Luiz., BERVIAN, Pedro Alcino., SILVA, Roberto da., Metodologia
Científica Disponível
em<http://fumec.bv3.digitalpages.com.br/users/publications/9788576050476> Acesso
em: 16/04/2021.

DESLAURIERS J. P. Recherche Qualitative. Montreal: McGraw Hill, 1991.


Disponível em: < https://lapecpp.files.wordpress.com/2011/05/tfg-kauan-
gonc3a7alves.pdf> Acesso em: 16/04/2021.

MARINHO, A. SCHWARTS, G. M. Atividades de aventura como um conteúdo da


educação física: Reflexões sobre seu valor educativo. www.efdesportes.com/ Revista
digital. Buenos Aires. Ano 10. N 88. Setembro 2005. Acesso em: 16/04/2021.

MEDINA, J.P.S. A educação física cuida do corpo... e ´´mente´´. 2 Edição. São


Paulo: Papirus Editora, 1983. NETO, L.S, VENÂNCIO,L, OKIMURA, T.,
ULASOWICZ. SISTEMATIZAÇÃO DE CONTEÚDOS TEMÁTICOS NA
EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: UMAPROPOSTA DE PROFESSORES-
PESQUISADORES, Congresso Paulista de Educação Física na ESEF, Jundiaí, Junho
2011. Acesso em: 16/04/2021.

SABINE, M.A.C, OLIVEIRA, V.K, Construindo valores humanos na escola, Editora


Papirus 2 edição 2005. Acesso em: 16/04/2021.

AULA 1 – PROJETO (07/04)


RECICLAGEM

Neste tópico, trabalharemos um conceito que pode ser responsável pelas


comodidades dos efeitos causados pela poluição em nosso planeta, reciclagem. Este
hábito da vida é algo que deve ser adquirido pela sociedade, portanto, interfere na
reciclagem nos dois fatores que ocorrem na natureza para obter energia, constantes para
a manutenção do conforto diário. Esta medida é responsável por colocar o volume de
resíduos depositados na natureza, uma vez que seremos re-conservadores descartáveis
para o nosso próprio benefício.

Reciclagem é o processo em que há a transformação do resíduo sólido que não seria


aproveitado, com mudanças em seus estados físico, físico-químico ou biológico, de
modo a atribuir características ao resíduo para que ele se torne novamente matéria-
prima ou produto, segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

 Símbolo da reciclagem: o que significa?

Ela faz parte dos três "R's" ou "erres": reciclagem, reutilização e redução. Como
a reciclagem consiste em reprocessar um item, ela é diferente da reutilização (em que
há apenas a utilização do item para outra função) e da redução (que consiste em
diminuir o consumo de determinados produtos).

Mas essa "definição fria", apesar de importante, não nos leva à origem da história nem
ajuda a entender qual a importância da reciclagem. Além de se perguntar "o que é
reciclagem”, você já imaginou “como surgiu” a prática de reciclar as coisas? Vamos
começar da origem: o lixo.

Consequentemente, o corretor dos sujeitos serve para a preservação das


matérias-primas, uma vez que a energia que será feita de matéria virá de tanques
recicláveis, constituindo os dois fatores desenvolvidos. Podemos ver essas vantagens
com os seguintes exemplos, o uso da cana de produção de energia, é responsável pela
preservação de alguns acidentes como óleo. Use materiais recicláveis para fabricar as
correções funcionais, como cadeiras, mesas, lâmpadas, etc.
Desta forma, estamos revitalizando que algumas matérias-primas são
degradadas. Além disso, um volume de resíduos depositados em nosso planeta é
removido. No entanto, a reciclagem pode ser feita, materiais que são possíveis para
separar a população. Esta é a residência de reciclagem, lixo separado, de modo que as
pessoas que trabalham com este serviço podem desenvolver seus cuidados e, portanto,
ajudar na conservação do planeta. Nós não dizemos que o eu sou incapaz de usar
materiais recicláveis para si próprios para seus lucros.
O primeiro passo e razão para que a reciclagem seja uma forma eficaz e,
consequentemente, para o planeta e a separação de resíduos. Este conteúdo se conectará
à classificação de jogos. Jogos que podem ter objetivos diferentes e ter suas regras de
acordo com o objetivo, a especificidade e intencionalidades dos sujeitos. Nesse caso,
podemos aprimorar a conexão entre os blocos de conteúdo quando acreditamos que os
jogos parecem ser compostos de materiais educacionais.
Para Freire (2009), qualquer importância pedagógica para a formação do
indivíduo e quanto é mais rica do que é constituída. O material pedagógico promove
mais do que o desenvolvimento da própria atividade, é responsável por uma
concentração anterior dos regulamentos que permitiram este resultado final. Ou seja,
para este jogo mencionado, as medidas anteriores e o trabalho de grupo devem ser
realizados. Portanto, acreditamos que quando o professor usa materiais recicláveis para
a área de trabalho de alguns jogos que podem discutir com sucesso a questão ambiental.
Os alunos podem visualizar como sua configuração cria vantagens para nós.
Para esta conexão, o professor deve explorar a sua criatividade e seus alunos
pensarem como materiais recicláveis (garrafas, jornais, plugues de plástico, bolas de
insetos, pneus, etc.) podem estar envolvidos um design de algum tipo de jogo, e desde
que criaram A reflexão para o preço do aluno é relevante (livre de 2009).
AULA 2 – PROJETO (21/04)

Qual a origem da reciclagem


Desde que o mundo é mundo, o lixo existe. Os nômades já descartavam os restos dos
animais que caçavam e, à medida em que o homem foi ficando mais “civilizado”, a
quantidade de lixo produzida por ele também aumentou.

De acordo com um estudo da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), as


civilizações antigas (como os hindus) já dispunham de sistema de esgoto, além de
pavimentação nas ruas. Os israelitas, por exemplo, possuíam regras explícitas de como
descartar seus excrementos e os restos dos animais sacrificados, bem como os
cadáveres e o lixo produzido no reino.

Na Idade Média, sabe-se que várias cidades italianas tinham normas para a destinação
de objetos e carcaças de animais, assim como a eliminação de águas paradas e a
proibição de lixo e fezes nas ruas.

Foi também na Idade Média que surgiram os primeiros serviços de coleta de lixo.
Inicialmente, estes eram prestados por particulares, mas quando fracassavam, optava-se
pelo serviço público – que era exercido pelos carrascos da cidade e seus auxiliares,
tendo muitas vezes a ajuda das prostitutas.

Porém, na segunda metade do século XIX, com a Revolução Industrial, houve um


aumento significativo na produção de lixo, causando graves impactos sanitários. Foi
necessário programar novas medidas para amenizar a complicada situação dos bairros
operários e também dos bairros nobres.

No século XX, a questão do lixo já não girava em torno apenas do descarte de materiais
orgânicos. O destino de todo esse lixo (inclusive o industrial) também consistia em um
grande problema, tanto que até a metade do século, EUA e Europa jogavam grande
parte do lixo coletado nos mares, rios e áreas limítrofes.

Contudo, até aquele momento, o mundo nunca havia produzido tanto em todos os
aspectos imagináveis. A Revolução Industrial trouxe consigo novos patamares de
produção e, a partir desse momento histórico, a situação do descarte se tornou algo mais
complexo e preocupante. Se antes o lixo era constituído apenas de material orgânico,
agora ele tem características diversas: pode ser eletrônico, radioativo, industrial,
químico, entre outros.

Com isso, surgiu a necessidade de pensar em alternativas que não fossem simplesmente
estocar todo esse lixo em aterros ou descartá-lo de forma irregular no ambiente, já que a
maior parte do "lixo moderno" demora muito mais tempo para se desintegrar
naturalmente. Assim, a reciclagem assumiu um papel importante diante de tal
necessidade.

A questão da reutilização também não é nova. O uso da matéria orgânica como adubo,
por exemplo, é uma tradição que se perpetua por séculos - além da possibilidade de
enterrar seus resíduos orgânicos para enriquecer a terra, hoje também se usa a técnica
da compostagem.

AULA 3 – PROJETO (05/05)

O que é reciclagem?
Entender o que é reciclagem é simples: trata-se de pegar algo que não tem mais
utilidade e transformá-lo novamente em matéria-prima para que se forme um item igual
ou sem relação com o anterior. Isso é feito de várias maneiras e vemos o resultado desse
processo no nosso cotidiano.

Esse é o caso de alguns bens de consumo, como latas de alumínio, papel de escritório


e recipientes de plástico. Esses materiais são reciclados em grandes quantidades. Aliás,
a reciclagem desse tipo de material era comum no início do século XX, quando muitos
produtos eram reutilizados devido às crises econômicas (como a de 1929) e às guerras
mundiais. Na década de 1940, produtos como o náilon, a borracha, papel e muitos
metais eram racionados e reciclados, para ajudar a suportar o esforço da Segunda
Guerra Mundial (1939-1944).
Após esse período de recessão, países como os EUA viveram momentos de grande
prosperidade econômica que impulsionaram uma cultura de consumo e desperdício. No
caso da Europa – que ficou praticamente destruída após a guerra –, a implantação
do Plano Marshall (que estabelecia ajuda de 17 bilhões de dólares dada pelos EUA a
países devastados pela guerra) ajudou a reconstrução econômica de nações como
Inglaterra, França, Alemanha e Itália.

Dessa forma, tanto Estados Unidos como os países da Europa viveriam anos de
colaboração comercial que trariam novamente êxito econômico, contribuindo muito
para uma sequência de décadas de abundância na fabricação de bens de consumo. Sendo
assim, foi só nos anos 1970 que a reciclagem voltou a fazer parte das discussões sociais,
destacando-se a criação do Dia da Terra - iniciada pelo senador estadunidense Gaylord
Nelson, ativista ambiental, para a criação de uma agenda ambiental.

Como reciclar?
Existem várias formas de destinar seu lixo para reciclagem. Em princípio, se um
produto for reciclável (veja como saber), basta descartá-lo de forma correta nos cestos
apropriados. Porém, nem todos os bairros, condomínios e casas possuem serviço
de coleta seletiva e muitas vezes o descarte pode ser feito por meio de postos
independentes (veja como localizar postos de reciclagem próximos à sua residência).
Em outras ocasiões, a prefeitura municipal se encarrega desse serviço.

Também é importante dizer que o avanço tecnológico pode fazer com que um item que
atualmente não é reciclável, torne-se reciclável no futuro.

 Cores da coleta seletiva: reciclagem e seus significados

Para os que já são recicláveis, é preciso ter alguns cuidados especiais antes de enviá-los
para coleta seletiva. Veja alguns exemplos:

Plástico
Consiste em transformar os plásticos (tanto os oriundos de sobra industrial - sobras
virgens do processo produtivo - quanto os descartados pós-consumo - materiais
recuperados no lixo por meio da coleta seletiva) em pequenos grânulos, que podem ser
utilizados na produção de novos materiais, como sacos de lixo, pisos, mangueiras,
embalagens não-alimentícias, peças de automóveis etc.

Papel
A grande quantidade de papel que é consumida no mundo causa graves problemas
ambientais, como o desmatamento de florestas. Para conter esse problema, uma das
soluções é a reciclagem, que reaproveita o papel usado para produzir outro novo em
folha; a reciclagem é simples e barata.
Caixas de leite
A maioria das embalagens longa vida é feita a partir de uma mistura de materiais com
propriedades diversas. Mesmo assim, é possível reciclá-las. É importante descartar os
materiais recicláveis limpos, para não ocorrer a proliferação de doenças, odores, bem
como para evitar a contaminação de itens recicláveis que estejam no mesmo local, pois
caso ocorra a contaminação, a reciclagem dos materiais contaminados fica mais difícil.

Caixas de pizza
Óleo e gordura da pizza dificultam processo de reciclagem do papelão das caixas. Mas
há alternativas, como criar outras embalagens ou separar as partes da caixa que não
foram manchadas pela gordura, como a superfície, e enviar para coleta seletiva.

Pneus
Não são tóxicos, mas causam problemas. Apesar de não serem compostos de materiais
tão nocivos a ponto de prejudicarem o meio ambiente, os pneus descartados de forma
errada contribuem para a proliferação de doenças, como a dengue. Além disso, somente
no Brasil, 45 milhões de pneus são produzidos por ano e muitos pneus acabam jogados
em rios, o que aumenta a calha dos mesmos, podendo causar transbordamentos. Uma
boa alternativa é recauchutar em uma oficina ou doar para empresas que o reutilizam de
outras formas.

Lâmpadas fluorescentes
Mercúrio e chumbo são metais que estão dentro da lâmpada e podem prejudicar nossa
saúde, portanto é importante tomar cuidado ao descartá-las. Outra medida é assegurar
que as lâmpadas não sejam enviadas para aterros comuns. Por isso, consultar os postos
de reciclagem adequados é essencial.

Lixo eletrônico
Conserte, doe, reutilize ou recicle, mas não jogue seus eletrônicos no lixo comum, pois
eles possuem vários componentes e substâncias que podem causar doenças, como
cádmio, chumbo e mercúrio. Sendo assim, o melhor que você pode fazer é procurar
postos de reciclagem para eletrônicos (acesse a sessão específica para busca de
postos do eCycle) ou tentar devolver os produtos para os fabricantes, que ficarão
responsáveis a dar uma destinação correta a partir da lei de resíduos sólidos.

Amianto
A recomendação é de que o amianto seja descartado juntamente com resíduos tóxicos,
em aterros especializados. O amianto é um material perigoso e que não tem como ser
reutilizado ou reciclado.
O upcycle
Assim como a reciclagem, a prática de upcycling também consiste em dar uma nova
utilidade a algo que foi descartado, porém, com a diferença de não usar energia para
transformar o objeto em matéria-prima. Ou seja, é ainda mais ecológico, pois dispensa a
energia gasta na atividade industrial. Em outras palavras, trata-se de reaproveitamento.

Podemos observar esse processo em situações que esbanjam criatividade,


como reaproveitar geladeiras como bibliotecas.

 Upcycle: o que é e exemplos

A tendência do upcycling também vem sendo abraçada pelas indústrias da moda e da


decoração.

AULA 4 – PROJETO (19/05)

Qual a importância da reciclagem


Hoje em dia, com o aumento crescente na produção de resíduos e no lixo oceânico,
a reciclagem é de extrema importância. Muitos países já tem essa preocupação, apoiam
programas ambientais e, consequentemente, de reciclagem. No Brasil, de acordo com a
associação sem fins lucrativos Cempre (Compromisso Empresarial para Reciclagem), o
faturamento das cooperativas de catadores tem sido crescente nos últimos anos e houve
ganhos de produtividade, mas ainda há muito por fazer.

 25 milhões de toneladas de lixo vão para os oceanos todo ano

Um dos próximos passos para manter esse progresso é a formalização da atividade


desempenhada pelos catadores. Além disso, muitos municípios brasileiros ainda não
contam com um serviço de coleta seletiva.

Apesar de conhecermos a importância da reciclagem, ainda são poucos os resíduos


coletados e reciclados no Brasil. Há uma defasagem de infraestrutura para coleta e
processamento e faltam políticas públicas que incentivem a logística reversa e a redução
de embalagens desnecessárias por parte de empresas, por exemplo.
Mesmo que você saiba que um item pode ser reciclável (por conta das informações da
embalagem), isso não significa que ele será efetivamente reciclado. Portanto, é muito
importante reduzir sua quantidade de resíduos - a compostagem doméstica é essencial
para isso em termos de resíduos orgânicos; quanto aos recicláveis, a mudança de hábitos
é fundamental. Sempre que puder, evite embalagens ou use produtos com a embalagem
reutilizada - se não for possível, procure pelo menos por embalagens recicladas e/ou
recicláveis.

 Embalagens sustentáveis: o que são, exemplos e vantagens

É muito importante participar e apoiar ideias verdes que ajudem a disseminar o conceito
de reciclagem no Brasil e no mundo.

AULA 5,6,7 e 8 – PROJETO


(02/06 á 14/07)
RECICLAGEM E JOGOS

Os brinquedos e jogos estimulantes são das ferramentas mais importantes no campo


lúdico para a aprendizagem. Atualmente não é necessário exclusivamente o
investimento em aparatos caros. Com criatividade é possível construir brinquedos
extremamente didáticos e lúdicos para construção de ensinamentos para os pequenos.
Além da vantagem econômica, o uso de materiais recicláveis para confecção de
brinquedos tem relevante importância ainda sob dois aspectos: ambiental e de formação
cognitiva. Na construção destes equipamentos toda tipo de material que seria descartado
na natureza pode ser reaproveitado. Plásticos, ferros e papelões que se tornariam
poluentes viram brinquedos. O meio ambiente agradece a prática. Há uma grande
construção do ponto de vista cognitivo das crianças. Estimular também que elas
observem a criação ou mesmo participem ativamente do processo estimula a
coordenação motora, o raciocínio lógico e o senso de trabalho em equipe. Assim, é de
fundamental importância a introdução dos conceitos de brinquedos feitos com material
escolar no ambiente da educação infantil. Economiza recursos financeiros, protege o
meio ambiente e desenvolve senso lógico e motor nas crianças.

Brinquedos Reciclados com Latas.

Olha que legal essa lista com brinquedos reciclados com latas.
São ideias que podem deixar as brincadeiras muito mais divertidas
e certamente, serão mais prazerosas de fazer e brincar junto com
a criançada.

MATERIAIS :

2 LATAS VAZIAS ( LEITE EM PÓ, TINTA, ENTRE OUTROS).


1 BARBANTE – DE ACORDO COM O TAMANHO DA CRIANÇA
DECORAÇÃO – A ESCOLHA ( UTILIZE A CRIATIVIDADE )

ATENÇÃO: PEÇA AJUDA DO RESPONSÁVEL AO FURAR A LATA

PARA COLOCAR O BARBANTE.

ENTREGA DESSA ATIVIDADE


14/07

ENVIAR ATRAVÉS DE VIDEOS UTILIZANDO O PROJETO FEITO


DURANTE ESSA QUINTA AULA!