Você está na página 1de 19

Membranas celulares

*Membrana plasmática
-Bicamada lipídica: porção hidrofílica e porção hidrofólicas
-Possui espessura entre 6 e 10nm.
-Não é possível ver a membrana nem as organelas pela microscopia óptica, mas é possível
ver na microscopia eletrônica, que aumenta certa de 100.000 vezes a imagem, como pode-se ver na
imagem abaixo:

-As membranas ajudam a manter a integridade estrutural da célula e das organelas


membranosas, já que é um envoltório.
-As membranas também são essenciais para a permeabilidade seletiva da célula (escolhe o
que entra ou não na célula) → meio intracelular é diferente do meio extracelular
-Apresenta proteínas que garantem a comunicação entre outras células e ajudam, portanto,
na interação célula-célula (o organismo é integrado e precisa se comunicar)
-Faz o reconhecimento de antígenos e de células estranhas (possui proteínas que funcionam
como receptores) → o contato da célula com antígenos, por exemplo, faz com que a célula saia do
seu estado de repouso, tornando-se ativa, isto é, sai da sua hemostasia (equilíbrio). Isso acontece a
todo momento no nosso organismo.
-Independente do tipo de célula que a membrana se encontra, já proteínas, lipídeos e
carboidratos, podendo variar quantidade de cada uma dessas substâncias de célula para célula.
-Os fosfolipídeos são anfipáticos (possuem parte polar e parte apolar). Eles também possuem
características assimétricas. A parte polar está projetada para fora da célula e para dentro, já que o
nosso organismo é feito basicamente de água → princípio que faz com que a bicamada lipídica seja
como é.
-A membrana plasmática é um mosaico fluido. Mosaico pois outras estruturas estão
organizadas de forma aleatória e diferente, dependendo do tipo de célula, como proteínas, glicídeos
e lipídeos. Fluido porque seus componentes estão em constante movimento.

-Movimentos de fosfolipídeos e proteínas de membrana: rotação, flip-flop (acontece com menor


frequência), deslocamento lateral
*Proteínas de membrana:
-Periféricas interna ou externa: não atravessam a membrana por completo. Geralmente esse
tipo de proteína de membrana está ligada a carboidratos e a filamentos do citoesqueleto, dando
sustentação à célula.
-Transmembrana ou integrais: atravessam completamente a bicamada lipídica. Geralmente
funcionam como canais para a permeabilidade seletiva.

*Hidratos de carbono:
-Glicolipídeos: cerobrosídeos
-Glicoproteínas: oligo ou polissacarídeos (GAGs → glicosaminoglicanos)

*Glicocálice:
-É composto de glicoproteínas e glicolipídeos voltados para a face externa da membrana
plasmática
-Funções:
*Proteção contra agressões mecânicas e químicas (ex: proteção contra enzimas
digestivas)
*Sinalização
*Reconhecimento e adesão celular
*Isolamento elétrico do axônio
*Atração de cátions
*Especificidade do sistema ABO → glicocálice específico da membrana das
hemácias
*Obs: Todos os anticorpos são glicoproteínas

*Permeabilidade na membrana:
-É o controle da passagem de moléculas pela membrana

→ Transporte passivo:
-Não gasta ATP
-Ocorre sempre a favor de um gradiente, tendendo a um equilíbrio
-Tipos:
*Difusão simples: Moléculas que fazem a difusão simples atravessam livremente a
bicamada lipídica, não necessitando de nenhuma proteína para fazer essa passagem. Gases e
moléculas de baixo peso molecular são exemplos de substâncias que podem fazer tal tipo de
transporte passivo.
*Difusão facilitada: Para que esse transporte ocorre, é necessário a ajuda de
proteínas transmembranas, como a permease, ou canais iônicos (proteínas integrais que permitem a
passagem de moléculas com carga).

→ Transporte ativo:
-Ocorre, obrigatoriamente, pelas permeases (proteínas integrais ou transmembranas)
-Possui gasto de energia
-É feito contra um gradiente (de concentração ou eletroquímico)
-Moléculas maiores e de maior peso molecular, por exemplo, entram ou saem da membrana
por meio desse tipo de transporte.
Obs: informações que valem tanto para a difusão facilitada quanto para o transporte ativo:
-Mono transporte (uniporte): Apenas uma molécula atravessa a membranas
-Co-transporte (simporte): Duas moléculas atravessam ao mesmo tempo a membrana,
sendo que ambas vão para ao mesmo lado da membrana por meio de uma proteína integral
-Contra-transporte (antiporte): Duas moléculas atravessam a membrana, usando uma
mesma proteína integral, porém elas vão para lados opostos da membrana.

*Obs: Bomba de Na+ e K+


-A bomba de Na+ e K+ visa reestabelecer as concentrações normais de Na+ e K+ na célula
-Usando como exemplo o impulso nervoso e sabendo que a célula em repouso possui mais
Na+ fora e mais K+ dentro (em repouso ela é positiva por fora e negativa por dentro), vamos fazer
o seguinte raciocínio: no início do impulso nervoso os canais de passagem do Na+ se abrem e
ocorre a entrada de grande quantidade de Na+ no interior da célula, fato que promove a
despolarização celular, fazendo com que o meio intracelular fique carregado positivamente e o meio
extracelular carregado negativamente. Após isso, abrem-se os canais de passagem de K+ e,
portanto, há a saída de tal íon da célula, fato que promove a repolarização celular, isto é, o meio
intracelular fica carregado negativamente e o meio extracelular fica carregado positivamente. Dessa
forma, após a ocorrência desse impulso nervoso, há na célula uma inversão da concentração normal
de Na+ e de K+, ou seja, agora há mais Na+ dentro da célula e mais K+ fora da célula. Assim, a
bomba de Na+e K+ começa a agir, retirando, de cada vez, 3 Na+ em excesso de dentro da célula e
colocando-o para fora da célula e levando 2 K+ em excesso de fora da célula para dentro da célula,
reestabelecendo a concentração normal de tais íons, isto é, mais Na+ fora da célula e mais K+
dentro da célula.
-Sai 3 Na+ e entra 2K+ na célula.
-Há gasto de ATP para isso
-O objetivo é manter o desequilíbrio de cargas
*Exocitose:
-Captação de substâncias para dentro da célula
-Membrana sofre invaginação (modificação no citoesqueleto)
-Pode ser do tipo pinocitose (englobamento de moléculas dissolvidas) ou fagocitose
(englobamento de moléculas maiores e sólidas)
*Exocitose
-Expulsão de substâncias para fora da célula
*Especialização da superfície celular

-Domínio apical (parte de cima da célula):


-Microvilos
*Estruturas em forma de dedo
*São fixos (não se movimentam)
*Possuem alta capacidade de absorção
*Não são vistos por microscopia óptica
*Estão presentes, por exemplo, em célula intestinais

-
-Estereocílios
*São imóveis
*Podem ser visto na microscopia óptica
*São mais longos que os cílios. Comparando um esterocílio com os outros,
pode haver maiores e menores (não possuem um tamanho igual)
*São mais aleatórios e espaçados que os cílios
*São presentes no epidídimo (sistema reprodutor masculino)
*Aumentam a superfície de contato
-Cílios e flagelos
*São móveis
*Possuem funções parecidas e são histologicamente iguais
*São maiores que os microvilos
*Conseguem ser vistos na microscopia óptica
*Estão mais bem distribuídos
*Organização 9 + 2 do citoesqueleto, que permite, assim, uma mobilidade
(estão associados a proteínas motoras)
*Cílios ajudam na propulsão do mudo no trato respiratório, por exemplo
*Flagelos permitem a movimentação do espermatozoide
*Síndrome dos cílios imóveis → síndrome de kartagener. Nessa síndrome, a
proteína dineína (proteína motora) que se associa aos microtúbulos não é secretada ou então é
defeituosa. Dessa forma, pode acontecer infecções respiratórias recorrentes e esterilidade, já que a
capacidade de movimentar o muco e os espermatozoides não existe.
Obs: Axonema: organização do citoesqueleto + associação da dineína (proteína
motora)
-Domínio lateral: proporcionam mais aderência, comunicação e contato entre as células
-Zônula de oclusão
*Possui proteínas ocludinas e claudinas, por exemplo
*Funcionam como um lacre entre as células
*Têm função de ocluir, bloquear, impedir a comunicação e a passagem de
substâncias entre células vizinhas
*É possível ser visto na microscopia eletrônica
*Forma um cinturão na célula
-Junção de adesão
*Aderência
*Proteínas: caterinas, vinculinas, filamentos de acitina
-Desmossomos
*Mantém a aderência, de modo mais forte que a junção de adesão
*Ajudam na resistência e no estresse mecânico em tecidos mais susceptíveis
a atritos e a esses eventos. Ajudam as células as continuarem juntas em situações como as descritas.
*Possuem uma placa em cada célula vizinha e entre essa placa há proteínas
que mantém a placa próxima. Filamentos intermediários do citoesqueleto passam entre a placa, por
exemplo.

Obs: Pênfigo vulgar: doença autoimune que destrói a desmoglina (proteína presente
entre as placas do desmossomo), gerando destruição dos desmossomos. Isso causa extravasamento
de fluidos, bolhas e infecções, já que as células vão se afastando.
-Junção comunicante (GAP)
*Permitem uma grande comunicação entre as células vizinhas
*Conexões formadas por 6 conexinas → formam um canal hidrofílico
(permite a passagem de moléculas com carga)
*Presente, por exemplo, no músculo cardíaco, neurônios, tecido epitelial →
precisam de conexões rápidas.
*Obs: Complexo juncional = junção de oclusão + junção de adesão + desmossomos (nessa
ordem)

-Superfície basal:
-Hemidesmossomos:
*Dão apoio, sustentação e aderência
*É uma placa ligada à base (lâmina basal) pela integrina.
*Mantém as células estáveis no domínio basal (grande força de ligação)

Você também pode gostar