Você está na página 1de 7

Manuel António Rodrigues Lobão

ELABORAÇÃO DE TRABALHOS
ACADÉMICOS

Instituto de Estudos Superiores


Financeiros e Fiscais
Março 2011
Redes de Informação – Trabalho Individual -1 Turma B-Learning_

Manuel António Rodrigues Lobão

ELABORAÇÃO DE TRABALHOS
ACADÉMICOS

Trabalho apresentado no âmbito da disciplina


Redes de Informação,
Do Professora Vasco Marques,
Turma B-Learning

Instituto de Estudos Superiores


Financeiros e Fiscais
Março 2011
__________________________________________________________________________
Manuel António Rodrigues Lobão 2
Redes de Informação – Trabalho Individual -1 Turma B-Learning_

__________________________________________________________________________
Manuel António Rodrigues Lobão 3
Redes de Informação – Trabalho Individual -1 Turma B-Learning_

Índice
Índice 4
Introdução 5
Apresentação da Empresa 6
Estratégias 7

__________________________________________________________________________
Manuel António Rodrigues Lobão 4
Redes de Informação – Trabalho Individual -1 Turma B-Learning_

Introdução

O mercado de software de gestão é geralmente muito segmentado, sem uma


liderança visível em relação ao mercado. A entrada em Portugal de Multinacionais
obrigou as empresas Portuguesas a melhorar a sua performance a vários níveis. Por
um lado, a qualidade dos produtos nacionais que começaram a sofrer mais
actualizações e novas funcionalidades. Por outro lado, essas melhorias também se
fizeram sentir ao nível do suporte técnico, aliás, os produtos de software de gestão
feitos em Portugal são bastante bons, por isso, na maioria dos casos, o principal
factor de diferenciação não é o produto em si, mas sim os serviços associados a
essas empresas.
Deparamos muitas vezes com, revendedores de longos anos, questões que
são básicas para poder dar suporte ao software.
As empresas Portuguesas tem o mesmo acesso a informação e formação das
ferramentas que utilizam para produzir os seus produtos do que as suas
concorrentes Multinacionais. O software que as Multinacionais produzem tenta
responder a problemas de variados mercados, enquanto as Empresas Portuguesas
tem uma melhor resposta as questões Nacionais.
As SoftwareHouses criam programas e vendem licenças de utilização, é
necessário ter especial atenção a este ponto porque numa análise ao número de
licenças vendidas não indica o número de Clientes a trabalhar, isto é se uma
Empresa estiver representada no Porto e em Lisboa poderá ter que adquirir duas
licenças de utilização mas só existe um Cliente.

__________________________________________________________________________
Manuel António Rodrigues Lobão 5
Redes de Informação – Trabalho Individual -1 Turma B-Learning_

Apresentação da Empresa
A XXX foi criada em 1981 com sede em Lisboa e está representada em
Lisboa, no Porto e em Leiria por empresas associadas.
Ao longo da sua existência tem desenvolvido um conjunto de Produtos
orientados para Gestão Administrativa das empresas na área dos “micro” e
minicomputadores, sendo fornecedora exclusiva de programas para algumas
marcas conceituadas de computadores em Portugal, Angola e Moçambique.
O primeiro Produto desenvolvido pela Empresa foi na área do pagamento de
salários, mais tarde designado por Gestão de Pessoal.
Toda a programação foi desenvolvida em Cobol para sistemas operativos
WINDOWS, LINUX e UNIX, nas seguintes linguagens:
RM-Cobol e Microfocus-Cobol
Este Software é comercializado, quer directamente, quer sobretudo através
de uma vasta rede de Revendedores autorizada.

__________________________________________________________________________
Manuel António Rodrigues Lobão 6
Redes de Informação – Trabalho Individual -1 Turma B-Learning_

Estratégias
Para uma presença no Facebook da empresa XXX iria apostar num banner
de publicidade com hiperligação para a página, externa ao Facebook, da empresa.
Este banner deve aparecer a um certo conjunto de pessoas com as seguintes
características:
1. Residentes em Portugal, Angola e Moçambique
2. Ter mais de 18 e menos de 65 anos
3. Instituições de Ensino Superior quando consultadas
Para empresa XXX, que não efectua publicidade, este será o melhor caminho
a seguir. Uma presença com uma pagina torna-se muito complicado, obriga a ter
alguém com capacidade de resposta as solicitações dos clientes, logo isto iria trazer
confusão com a assistência técnica ao Software.
Para a empresa XXX seria um bom caminho uma página no Facebook,
partindo do princípio que todos os clientes pagam um contrato de assistência, a
página seria um óptimo caminho na assistência, pois com um fórum activo os
clientes poderiam responder eles próprios a dúvidas de outros clientes, abrir-se
discussões sobre novas funcionalidades no Software, recolhendo e colocando em
votação as funcionalidades propostas.
Numa dimensão superior a empresa XXX poderia optar por criar varias
paginas por produto para poder receber respostas mais especificas sobre o produto.

__________________________________________________________________________
Manuel António Rodrigues Lobão 7