Você está na página 1de 3

Outro importante conceito refere-se à convergência de mídias, e seus efeitos já são

sentidos. Muitas empresas estão agrupando seus recursos e talentos por meio de alianças e
uniões com outras empresas, para tornar o mercado eletrônico uma realidade. Parte de suas
motivações pode incluir a redução de risco de incerteza sobre a qual se forma este eventual
mercado global e as aplicações que o CE (Comércio Eletrônico) terá. (p.20)

O termo CE tem estado irrevogavelmente ligado à idéia de convergência de indústrias


centradas em informação, que até hoje estavam isoladas – conteúdo, armazenamento, redes,
aplicações de negócios e meios de consumidores. Convergência, amplamente definida, é a
junção de componentes eletrônicos de consumidor, televisão, publicação, telecomunicações e
computadores, com a finalidade de facilitar novas formas de comércio, baseadas em
informação. Convergência de multimídia aplica-se à conversão de texto, voz, dado, imagem,
gráficos e vídeo com movimentação à completa, em conteúdo digital. Convergência entre
mídias refere-se à integração de várias indústrias – mídia de entretenimento, publicação e
comunicação, baseadas em conteúdo de multimídia. (p. 21)

Direcionando o fenômeno de convergência, obtêm-se alguns avanços tecnológicos


simples, como:

• convergência de conteúdo: traduz todos os tipos de conteúdo de informação – livros,


documentos de negócios, vídeos, filmes, música – em informação digital. Uma vez
convertida em forma digital, a informação pode facilmente ser processada, pesquisada,
classificada, valorizada, convertida, comprimida, criptografada, replicada, transmitida etc.,
nas formas que são convenientemente aderentes aos sistemas de processamento de
informações atuais;

• convergência de transmissão: comprime e armazena informações digitalizadas para


que elas possam viajar pelos fios de telefone e cabos existentes. Novas técnicas de
switching e outras rupturas tecnológicas permitem a todos os tipos de informações
alcançarem as residências. Isto inclui a convergência de equipamentos de comunicação
que provê os meios para transmitir voz, dado, imagem e vídeo – tudo sem refazer as
conexões das redes vizinhas;
• convergência de meios de acesso à informação: tem a sofisticação de funcionar como
computadores e televisões. Outros exemplos são o telefone ubíquo1, com máquina de
fax, modem e monitores de vídeos internos, capazes de receber fax, e-mail e vídeo. (p.
22)

A convergência refere-se ao fato de alguns setores econômicos e tecnológicos estarem


convergindo para um mesmo ponto comum; ou seja, no passado atuavam de maneira
separada ou no máximo tinham alguma interdependência e atuação integrada. Essa situação
configura como uma realidade a ser considerada pelas empresas que desejam inserir-se no
ambiente digital.

Os setores econômicos que melhor representam esta convergência são os de


computação, incluindo hardware e software, de comunicação e de conteúdo. Os
computadores, com sua redução de custo, miniaturização e crescente variedade de
alternativas, juntamente com os respectivos softwares, também com seu barateamento,
diversidade e facilidade de uso, passaram a ser amplamente utilizados por todos os níveis de
empresas e por um número cada vez maior de pessoas. Essa situação passou a exigir que
esse setor voltasse sua atenção para a conectividade e comunicação entre esses
equipamentos e softwares, independente de fornecedores ou marca.

Por outro lado, o setor de comunicação, já bastante aquecido com a necessidade


mundial de conexão entre as empresas e pessoas, utilizando os meios tradicionais, passou a
1
Que está ao mesmo tempo em toda parte. (Minidiconário Aurélio, 1988, 2ª ed. 3ª impressão)
ser exigido em prover maiores e melhores meios de comunicação de uma forma geral e
especificamente entre os computadores e suas várias redes. Com o advento da Internet2 e a
proliferação de computadores, no ambiente tecnológico, e a globalização, no ambiente
empresarial, o setor de comunicação te sido desafiado a resolver os problemas de infra-
estrutura e propor novas soluções para o ambiente digital.

Com a crescente comunicação entre os computadores, seja para a integração negócio-


a-negócio, negócio-a-consumidor, intra-organizacional ou mesmo entre as pessoas de uma
forma geral, surgiu, ou melhor, ganhou mais importância a área de conteúdo. Em outras
palavras, toda a comunicação feita refere-se a um conteúdo que deve ser planejado,
elaborado e utilizado, em suas várias formas.

Com isso, os setores econômicos passaram a convergir para formar uma integração
tão forte que praticamente representa um novo setor composto dessas três áreas. De forma
similar, as áreas organizacionais das empresas passaram a ter responsabilidade também pelo
ambiente que integrou estas atividades, ou seja TI3, Comunicações e Conteúdo, não sendo
mais possível administrar essas áreas de forma isolada. O que também é verificado no
ambiente essencialmente tecnológico, que passou a integrar definitivamente essas três
tecnologias e suas soluções, como uma coisa só. (p. 106)

ALBERTIN, Alberto Luiz. Comércio Eletrônico: modelo, aspectos e contribuições de sua


aplicação. Colaboração de Rosa Maria de Moura. 5. ed. atu. e amp. São Paulo: Atlas, 2004.

2
Intercontinental Networks. (n.a.)
3
Tecnologia da Informação (n.a.)