Você está na página 1de 22

EQUILÍBRIO DE UM CORPO

Prof. Dr. José Roberto Pereira Rodrigues

Departamento de Engenharia Química


CCET/UFMA
INTRODUÇÃO

b) As paredes de um reservatório de
pressão deve ter resistência
apropriada para suportar a pressão
a) O eixo de interna, etc.
transmissão de uma
máquina deve ter
dimensões adequadas
para resistir ao torque
a ser aplicado
 EQUILIBRIO :

o Condição de um sistema em que as forças que sobre ele


atuam se compensam, anulando-se mutuamente.

• Corpo extenso é aquele cujas dimensões não são


desprezíveis em relação às medidas envolvidas.

Ex.: Um Planeta estudado de perto é um corpo extenso.

• Corpo pontual, também conhecido como partícula ou


ponto material, ao contrário do corpo extenso, suas
dimensões são desprezíveis em relação as medidas
efetuadas.
 EQUILÍBRIO DE UMA PARTÍCULA

• Uma partícula esta em equilíbrio quando está em repouso


se originalmente se achava em repouso.

 Condições de equilíbrio de um corpo rígido

• Equações vetoriais de equilíbrio :

Obs.: Para manter o equilíbrio, é necessário satisfazer a


1ª lei do movimento de Newton:
 Partícula submetida a um sistema de forças coplanares

Obs.: Para a equação vetorial seja


satisfeita, as componentes x e y da
força devem ser iguais a zero.
Portanto

• Equações escalares de equilíbrio :


 Diagrama de corpo livre – D.C.L

Diagrama espacial : Um esboço


mostrando as condições físicas do Diagrama de Corpo Livre: Um
problema. esboço mostrando apenas as forças
que atuam sobre a partícula
escolhida para análise.
Mola
Polia

 DCL

Cabos
•Método para Traçado do diagrama de Corpo Livre

Etapa 1:
_Imagine o corpo como que isolado do que o cerca, desenhando
(esboçando) seu contato.
Etapa 2:
_Indique nesse esboço todas as forças e conjugados (binários) que
atuam no corpo. Inclua também as dimensões do corpo necessárias
para o cálculo dos momentos das forças
Etapa 3:
As forças e conjugados conhecidos devem ser anotados com seus
módulos e direções adequados. São usadas letras para representar
os módulos é ângulos diretores das forças e conjugados que
estejam desconhecidos (indicação do sentido).
 EQUILÍBRIO DE UM CORPO RÍGIDO

• Um corpo está em equilíbrio quando


a resultante de todas as forças que
agem sobre ele é nula.
 Equilíbrio de um corpo rígido : Duas dimensões
 Equilíbrio de um corpo rígido : Três dimensões

Obs.: Essa equações podem ser resolvidas para no máximo seis


incógnitas.
 Condições de equilibrio em duas dimensões
Condições de equilíbrio em três dimensões
 Membros Submetidos a Duas e a Três Forças

• Membros submetidos a Duas Forças

_Para o equilíbrio das forças e dos momentos, é necessário que a


força resultante FA, que atua no ponto A do membro, seja de mesmo
módulo e direção da força resultante FB, que atua no ponto B, porém
de sentido oposto.
 Membros Submetidos a Duas e a Três Forças

• Membros submetidos a Três Forças

_Se um membro é submetido a


três forças, então é necessário
que elas sejam concorrentes
ou paralelas para que o
membro fique em equilíbrio.

OBS: Se duas das três forças


são paralelas, o ponto de
concorrência, O, é
considerado como estando no
“infinito” e a terceira força tem
que ser paralela às duas para
que ocorra a interseção nesse
“ponto”. (SFx = 0; SFy = 0)
• ESTUDO DE CASO:

1 - Trace o diagrama de corpo livre da viga uniforme


mostrada na figura. A viga tem uma massa de 100kg.
• ESTUDO DE CASO:

2 - Trace o diagrama de corpo livre da manivela ABC


mostrada na figura e determine o número de forças
componentes desconhecidas.
ESTUDO DE CASO:

3 - Determine a força em cada cabo para o equilíbrio da


caixa de 200Kg. O cabo BC permanece na horizontal devido
o rolete em C, e AB tem um comprimento de 1,5m. Dado:
y=0,75m.
 DCL
i) Determinação do ângulo (  ) a partir da geometria da figura :

ii) Condição de equilíbrio :

Você também pode gostar