Você está na página 1de 3

Cinco passos para conquistar uma boa colocação no mercado

de trabalho
26-07-2013
*Por Robson Zukurov

Em meio a um cenário mundial repleto de incertezas, onde indicadores revelam dados


preocupantes em relação ao mercado de trabalho, sobretudo, aos jovens que buscam colocação
profissional, fica no ar a seguinte dúvida: o que fazer para conseguir um bom emprego?
Além de estudos que indicam o aumento na taxa de desemprego em nível mundial, relatórios da
Organização Mundial de Trabalho (OIT) revelam que a maior parcela de desempregados está na
faixa etária de 15 a 24 anos, exatamente aqueles que estão na fase de buscar o primeiro
emprego. Entretanto, quero chamar atenção a outros aspectos a serem considerados nesta
análise, até para que os nossos jovens percebam que a realidade não é tão desanimadora quanto
alguns números mostram.
Se observarmos somente os dados, podemos pensar que não está ao nosso alcance melhorar as
nossas chances de conseguir um emprego, principalmente se estivermos dentro da faixa etária
mencionada acima. Mas não é bem assim, pois existem diversos aspectos e condições que estão
em nossas mãos e podem mudar a nossa sorte no mercado de trabalho, reforçados também por
alguns indicadores e pesquisas. Aqui apresento um passo a passo:
Qualifique-se - A falta de qualificação básica aparece como um fator mais determinante do que a
idade, como revelam dados do IBGE, onde 53,6% dos desempregados não possuem o ensino
médio completo. Sendo assim já conseguimos identificar um primeiro aspecto importante para o
ingresso, ou reingresso, no mercado de trabalho. Existem várias opções de supletivos
autorizados pelo MEC, inclusive com alternativas de ensino à distância, para que este aspecto
possa ser corrigido. Resolvida a necessidade da qualificação mínima, vamos a outras questões
que comprometem a aprovação em processos seletivos.
Faça um currículo bem elaborado - Para conseguir passar em um processo seletivo, é
necessário primeiramente participar do processo e para chegar a esta etapa é fundamental ter um
currículo bem elaborado e direcionado aos reais objetivos. De nada adianta enviar milhares de
currículos sem que estes estejam atrativos e adequados. O currículo deve destacar as
informações que sejam relevantes à vaga que estamos

buscando, com informações breves e organizadas de forma a chamar a atenção da empresa,


resultando em nossa convocação para o processo seletivo. Para quem nunca elaborou um, e
muitas vezes não sabe nem por onde começar, existem diversos modelos disponíveis na internet
gratuitamente, que podem oferecer um ponto de partida.
Atualize-se - Estar atualizado sobre as noticias do país e do mundo, o mercado de trabalho, o
ramo de atividade que se pretende atuar, a profissão que vai exercer e pesquisar sobre a
empresa que o convocou para o processo seletivo são aspectos que contribuirão para um melhor
desempenho técnico e também emocional, uma vez que o candidato se sentirá mais confiante e
preparado.
Controle o emocional - Quando participamos de processos seletivos, é natural que o
nervosismo apareça, uma vez que saímos da zona de conforto e até mesmo profissionais
experientes ficarão nervosos. A chave é ter o controle emocional necessário para equilibrar o
nervosismo a um nível que não comprometa o desempenho. Faça exercícios de respiração para
equilibrar os batimentos cardíacos e o possível tremor.
Pratique - A preparação é fundamental para um bom desempenho nos processos seletivos, mas
como se preparar? A resposta é mais simples do que se imagina, assim como andar de bicicleta,
quanto mais praticamos, melhor será o desempenho. Mesmo em diferentes metodologias de
processos seletivos, diversas questões serão comuns a todos eles. São elas: falar sobre você,
seu histórico profissional, seus objetivos, o que gosta de fazer, qualidades e defeitos, além das
perguntas mais utilizadas, como por exemplo, como é para você trabalhar em equipe?, Por que
devemos contratá-lo?, Conte uma situação que lhe desagrada no ambiente de trabalho?, entre
outras. Devemos nos preparar para o processo, praticando em voz alta, preferencialmente, em
frente a um espelho, onde podemos observar as nossas expressões faciais, repetidas vezes. O
objetivo é melhorar a desenvoltura ao falar destes aspectos, facilitando o raciocínio e foco no
propósito em questão. Não devemos decorar e sim praticar. No momento do processo não
falaremos exatamente igual, mas as ideias, a linha de raciocínio, clareza nas informações e
desenvoltura serão muito melhores.
Dando a devida atenção a todos esses pontos, o nervosismo diminuirá e a confiança, segurança
e desenvoltura aumentarão, juntamente com as chances de aprovação no processo seletivo.
Assim, fazendo a nossa parte e cuidando dos aspectos que estão ao nosso alcance conquistar
uma boa colocação no mercado de trabalho será apenas uma questão de tempo, e um tempo
breve.
*Robson Zukurov é sócio da Roma Treinamentos, consultor em Recursos Humanos e especialista
em Técnicas de Apresentação, Oratória e Liderança.
http://www2.uol.com.br/canalexecutivo/notas131/2607201315e.htm

1)Você acredita que está em condições de enfrentar o mercado atual?

2)Abaixo estão relacionadas as perguntas mais comuns durante uma entrevista de emprego. Como você as
responderia?

a)Conte um pouco sobre você.

b)Quais são seus pontos fortes?

c)Quais são os seus pontos fracos?

d)Por que você quer trabalhar nessa empresa?

e)Por que você saiu do seu último emprego?

f)O que você sabe de nossa empresa?

g)De qual conquista pessoal você mais se orgulha?

h)Conte sobre algum problema que você enfrentou em seu emprego anterior (ou durante algum projeto em
sua faculdade) e como você lidou com isso.

i)O que você espera fazer nos próximos cinco anos?


j)Quais são suas expectativas de salário?

Você também pode gostar