Você está na página 1de 47

Copyright © Escola de Mindfulness Funcional – EMF, 2021. Todos os direitos reservados.

Sumário

Apresentação 3
1 Como utilizar o Guia 4

2 Aulas Abertas (On-line) de Mindfulness Funcional – MF 5


3 Planejamento da Aula Aberta (On-line) de Mindfulness Funcional – MF 9
2
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi 13

52 Roteiros de Aulas Abertas On-line de Mindfulness Funcional – MF 25


Referências 47
Apresentação
A Escola de Mindfulness Funcional – EMF elaborou este guia com a
finalidade de orientar o(a) instrutor(a) que pretende ministrar Aulas Abertas (on-
line) de Mindfulness Funcional. A parte inicial é uma revisão conceitual, baseada
nas aulas do Nível I da Formação Profissional em Mindfulness Funcional,
especialmente nas lições 14 – Roteiros e 15 – Roteiros e Planejamento.
Relembramos sobre como planejar aulas, incluindo a estrutura de um roteiro
de Aula Aberta (on-line) de Mindfulness Funcional, conforme ensinado no Nível I
da Formação em MF. Em seguida, há uma parte com “10 dicas de ouro” que
foram extraídas das orientações de Alan Pogrebinschi sobre as aulas abertas no
canal Supervisão do MM.
Por fim, compilamos 21 roteiros de Aulas Abertas (on-line) de Mindfulness
Funcional ministradas ao vivo por Alan, através do Zoom que poderão ser Se, no calor do grupo, surgir algum
imprevisto e você julgar que o roteiro
utilizados pelo(a) instrutor(a) de MF em suas próprias aulas. não está dando conta das
contingências reais na sua frente,
Esperamos que esse material seja um incentivo para que você ofereça faça algo que dê conta! Seu
compromisso é com a função: ajudar
muitas aulas abertas que ajudem as pessoas a se conectarem e superarem o o ser humano à sua frente, a forma é
apenas um meio. ~ Alan
isolamento social, principalmente em contextos de distanciamento físico. 3 Pogrebinschi
1 Como utilizar o Guia

Na seção sobre Planejamento da Aula Aberta (on-line) Mindfulness


Funcional – MF, consta a estrutura de um roteiro que deve ser utilizada para o
planejamento das suas aulas. Os roteiros de Aulas Abertas (on-line) de MF
ministradas por Alan Pogrebinschi poderão ser, totalmente ou parcialmente,
replicados pelo(a) instrutor(a) de MF. Em cada meditação está identificado o
alvo funcional (Modelo ACL) que foi trabalhado. Se você tiver alguma dúvida,
reveja as aulas que estão no Painel do Aluno.
Você pode escolher um roteiro completo para reproduzir na aula ou
escolher meditações de diferentes roteiros para compor uma aula,
conforme a estrutura do roteiro. Pode haver alguma situação em que o
roteiro ou a meditação precisará sofrer ajustes. O que deve orientar a
melhor escolha é o contexto, as contingências do grupo de participantes
que consistem na matéria mais importante da aula.
4
2 Aulas Abertas (On-line) de Mindfulness Funcional®
As Aulas Abertas de Mindfulness Funcional - MF podem ter participantes que
nunca fizeram MF nem qualquer tipo de meditação e são totalmente, gratuitas.
Nesse tipo de aula, oferecemos práticas com maior leveza para promover
autoconhecimento e conexões duradouras que nutram amizades verdadeiras entre
as pessoas, potencializando as mudanças comportamentais.
No MF, as meditações são funcionais, individuais ou interpessoais e requerem a
interação entre os participantes. As principais bases do MF são o Modelo ACL
(Consciência, Coragem e Amor) da FAP (Psicoterapia Analítica Funcional), criado por
Mavis Tsai e Robert Kohlenberg e no Hexaflex de ACT (Terapia de Aceitação e
Compromisso) de Steven C. Hayes, Kirk D. Strosahl e Kelly G. Wilson.
Todas as Meditações Interpessoais do MF são baseadas nesses modelos teóricos,
mencionados anteriormente, que devem ser utilizados para a elaboração de aulas
de MF, sejam estas presenciais ou on-line. As meditações e mantras de MF são
definidos, a partir do modelo ACL e de acordo com o tema escolhido para a aula.

5
Meditação Interpessoal do Mindfulness Funcional
É utilizada num contexto interpessoal íntimo, de forma estruturada para treinar
flexibilidade psicológica (mindfulness com valores e ação comprometida). Esse
contexto interpessoal íntimo é criado através de interações que seguem a
sequência de Consciência-Coragem-Acolhimento.

A MEDITAÇÃO INTERPESSOAL É MEDITAÇÃO INDIVIDUAL NO MF


COMPOSTA PELAS SEGUINTES
DIMENSÕES: É feita de forma guiada no início da Aula Aberta e em
○ Intensidade períodos de silêncio entre as fases das meditações
○ Adequação a diferentes contextos/culturas interpessoais (no caso online, em Aulas Presenciais
○ Alvos no modelo ACL (perspectiva horizontal) também temos meditações guiadas entre as fases das
○ Processos do Hexaflex trabalhados meditações interpessoais). As meditações guiadas e as
○ Tipologia: mantras, "muitas palavras” ou não-verbal instruções para os períodos de silêncio são feitas visando
(não costumamos ter meditações do tipo “ensaio” ou treinar os 4 processos do lado esquerdo do Hexaflex de
“da vida real” em Aulas Abertas) ACT.

6
Modelo Consciência, Coragem e Amor - ACL

Ver vídeo no YouTube com Alan apresentando o


Modelo ACL também ajuda a planejar as aulas de
Mindfulness Funcional.
https://youtu.be/8hlloTc8C0w

Figura 1: O Modelo ACL, tradução e adaptação de Maitland et al (2017)

7
Modelo Hexaflex de ACT

Momento presente – atenção no aqui e agora


de modo fluido, flexível e voluntário.

Valores – direções de vida escolhidas,


Aceitação – atitude de abertura, combinação de verbos e advérbios, que
curiosidade, não julgamento. Foco em descrevem como queremos expressar nosso
cuidado com aqueles que amamos (seja nós
sentir bem o que está presente. mesmos, pessoas próximas, ou seres de uma ou
mais categorias com quem nos importamos).

Desfusão Cognitiva – observar os


Ações com compromisso – ações que nos
pensamentos com curiosidade imparcial. levam em direção aos nossos valores.
Self como contexto – distinção entre
experimentador e experiência. Senso de eu
mais estável, que é um contexto, no qual a Figura 2: Hexágono da Flexibilidade Psicológica (Hexaflex) de ACT. Tradução e adaptação
experiência acontece. de Wilson; Strosahl &Hayes (2012).

8
3 Planejamento da Aula Aberta (On-line) de
Mindfulness Funcional

Ao planejar uma aula aberta de MF, defina as


atividades para 1h a 1h30 de duração, mantendo uma
margem de tempo para os imprevistos. Você pode
escolher um tema para aula, mas as práticas devem ter
menor intensidade do que nas aulas presenciais. Essas
práticas devem ser realizadas num processo gradativo,
conforme a estrutura do roteiro dada a seguir.

9
Estrutura de Roteiro da Aula Aberta de Mindfulness Funcional –
MF (on-line)

Duração: no máximo 1h30


1. Recepção de participantes e ajustes técnicos de áudio e vídeo. (5 a
8 min)
2. Apresentação de instrutores, como representantes da EMF. Breve
apresentação sobre o MF como uma tecnologia social na linguagem
mais adequada ao contexto do grupo. Explicar a estrutura da aula
que será realizada, convidando os participantes para fazer uma nova
conexão com o grupo. (8 min).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando
processos do Hexaflex. (8 a 12 min)
Compartilhamento sobre a experiência (5 a 15 min).
10
Estrutura de Roteiro da Aula Aberta de Mindfulness Funcional
– MF (on-line)

4. Meditação interpessoal com mantra (leve) em pares, utilizando uma das relações do
Modelo ACL e um ou mais processos do Hexaflex (3 a 6 min) – salas simultâneas.
- Falante se expressa, se revela com coragem
- Ouvinte acolhe o falante com aceitação, validação.
Compartilhamento sobre a experiência (5 a 15 min).
5. Opcional – se houver tempo: Meditação interpessoal com mantra mais evocativo em
pares ou Meditação Interpessoal com muitas palavras, utilizando os alvos do modelo
ACL e um ou mais processos do Hexaflex (3 a 6 min) – salas simultâneas.
Compartilhamento sobre a experiência
6. Meditação Interpessoal com mantra ou Meditação Interpessoal com Muitas Palavras
em pequenos grupos de 3 a 6 pessoas, utilizando preferencialmente a relação 4 do
modelo ACL (“Receber Amor”) e um ou mais processos do Hexaflex (3 a 6 min) – salas
simultâneas.
Compartilhamento final (5 a 15 min - observar o tempo para encerramento da aula).
11
Orientações Gerais
para as diferentes atividades de uma Aula Aberta On-line

Meditação guiada – o(a) instrutor(a) conduz a meditação para os participantes, começando a conexão
com o “momento presente” (Hexaflex) e depois trabalhando outros processos do hexaflex (pelo menos
mais um).

Meditação Interpessoal com mantras – evoca autorrevelação/validação (Modelo ACL), em pelo menos
um dos mantras, se houver mais de uma meditação. Busca trabalhar outras relações do modelo ACL
quando há mais de um mantra. Quando fizer a explicação da meditação, o(a) instrutor(a) deve oferecer
uma demonstração autêntica, preferencialmente, com outro(a) instrutor(a).

Meditação Interpessoal de muitas palavras - Quando fizer a explicação da meditação, o(a) instrutor(a)
deve oferecer uma demonstração autêntica com outro(a) instrutor(a), podendo convidar alguns
participantes para complementar o tamanho do grupo que fará.

Compartilhamento (Feedback) - deve ser feito após cada meditação para que as pessoas falem sobre a
experiência que tiveram, promovendo a tomada de consciência sobre si e o outro. O(A) instrutor(a)
deve orientar os participantes para falarem sobre o impacto da experiência para si mesmo (usando a
primeira pessoa), seja sobre o que sentiram ou ouviram. A recomendação é para o(a) participante fazer
uma apreciação sobre a vivência sem análises, julgamentos ou aconselhamentos. O compartilhamento
também funciona como um “termômetro” sobre o impacto das meditações propostas para os
participantes, bem como para o grupo. O que ajuda a orientar a condução da aula e se necessário, fazer
ajustes nas explicações, demonstrações das práticas, por exemplo.
12
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi
1 Os recortes Vertical e Horizontal do Modelo ACL
A dinâmica vertical faz o recorte em Coragem e Acolhimento (Consciência é pré-condição para os
outros dois). Com ela criamos o "ritmo" das meditações interpessoais. Alternadamente, num par cada um
emite um comportamento de coragem e de acolhimento. Por exemplo, no mantra "No meu coração eu
tenho...", falar isso é o movimento de coragem. O ouvinte vai responder com acolhimento dizendo "Eu
ouvi que você... e está tudo bem".
Em outras meditações, o acolhimento pode ser "não-verbal”, por exemplo com o olhar. Ou ainda, em mantras
bem simples, como "bom dia", "bom dia", o mantra serve, simultaneamente, como coragem e acolhimento. O
importante é verificarmos se acontece a coragem e se a coragem é devidamente reforçada (acolhida). Numa
meditação com pequeno grupo, em que um de cada vez é o foco, geralmente, o falante está no papel da coragem e o
resto do grupo, no de acolhimento (nas meditações de pequenos grupos que focam na relação ACL-4 o participante
em foco costuma ser o ouvinte e está na posição de “receber amor”, que também está do lado esquerdo do modelo
ACL e é um movimento de coragem que reforça o acolhimento recebido do grupo de falantes).
O recorte horizontal nos permite nos posicionarmos quanto ao tipo de dinâmica coragem-acolhimento que vai
acontecer. Se vai ser da expressão emocional respondida com segurança, pedido respondido com dar etc. Cada
relação horizontal (são 4) é um par que tem um componente de coragem e outro de acolhimento (a relação 4
também, mas de um jeito um pouco diferente). Então por exemplo, no mantra "bom dia", "bom dia", há a expressão
emocional respondida com segurança no mantra "No meu coração tem..." há autorrevelação respondida com
validação e por aí vai.

13
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi

2 Mantras de Expressão Emocional / Segurança são diferentes


de mantras de Autorrevelação / Validação
Meditações de autorrevelação não são meditações de expressão emocional
mesmo que esse processo possa acabar sendo trabalhado. No MF tomamos
cuidado de desenhar meditações para isolar cada um dos processos para
aumentar a probabilidade de emissão dos comportamentos dessas classes, ou
no mínimo para ficar muito mais claro quando o comportamento não foi
emitido. Nos mantras de expressão emocional não se completa com nenhuma
palavra ou mesmo nem se usa palavras, para justamente focar só na expressão
emocional e não facilitar cair na autorrevelação (que pode, em alguns contextos,
ter a função de esquiva da expressão emocional).

14
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi

3 A importância de trabalhar todos as 4 relações do modelo


ACL, e não só Autorrevelação / Validação
São 4 as relações ACL e é muito importante trabalhar de forma equilibrada
as outras (expressão emocional pura, pedir/dar, receber amor). É,
especialmente, importante encerrar as aulas abertas com a relação 4 do
modelo ACL.

4 Porque terminar as Aulas com meditações em pequenos


grupos trabalhando a Relação 4 do ACL
A ideia de terminar sempre com o receber amor se baseia em pesquisas
que mostram que a última experiência em uma intervenção/evento é a que dá
o tom para como o evento será lembrado posteriormente. E geralmente
trabalhar o “receber amor” é muito reforçador e positivo. Essa também é
minha experiência comparando efeitos de terminar de diferentes maneiras.

15
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi
Pesquisas mostram que, a maneira como terminamos uma experiência tem um impacto
desproporcional sobre como a experiência é lembrada. Por isso, buscamos terminar as
Aulas Abertas sempre com experiências muito reforçadoras e que provocam sentimentos
positivos. As meditações da Relação 4, feitas em grupo, costumam ser as mais potentes
nesse sentido (receber amor de muitas pessoas ao mesmo tempo).
Também temos evidências de que determinados comportamentos relacionados ao
pertencimento aos grupos são aprendidos de forma especial, através de "rituais de grupo",
nos quais os grupos se comportam de forma rítmica com movimentos, música e imitação
mútua. Pensem em rituais de grupo que fazem parte de todas as culturas (na nossa cultura,
temos os exemplos das torcidas em estádios de futebol, gritando juntos em ritmo e
participantes em templos religiosos cantando juntos). Pela importância dos
comportamentos ligados ao pertencimento de grupos para o MF, nós buscamos trazer esses
elementos nessas meditações no final da Aula Aberta.
Fazemos assim porque nos mantras essa relação muitas vezes não é trabalhada tão
frequentemente como as outras e receber amor de um grupo de uma vez, pode ser muito
forte sem ser tão invasivo, como seria com uma pessoa na mesma intensidade.

16
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi

5 O feedback
Para algumas pessoas, pode ser difícil fazer uma apreciação apenas com o que
o falante disse (por ser algo breve). Por isso, pode ajudar aos ouvintes lhes dizer
que podem, como alternativa a apreciação, simplesmente, refletir o que o falante
disse (repetir o que ouviu) e dizer que está aqui com ele/ela ou que está tudo bem.

6 Foco no conteúdo positivo nas Aulas Abertas

Geralmente, buscamos não fazer nenhuma meditação com foco no "negativo''


em aulas abertas. Essas aulas devem ser gostosas como brincadeiras, mesmo que
profundas. O “positivo” pode ser tão profundo quanto o "negativo''. Lembrando
que, o que chamo de "negativo'' aqui é focar, diretamente, no que é,
provavelmente, aversivo para os participantes da meditação.

17
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi
Nas aulas abertas em que há uma proporção significativa de participantes vindo
pela primeira vez, na minha experiência, focar no “negativo” mesmo que numa
meditação pode levar a muito menos gente a voltar na aula seguinte. Por isso, a
recomendação de não focar no "negativo'' (aversivo) em aulas abertas. E se focar, pelo
menos a última meditação deve focar no “positivo” (potenciais reforçadores).
O mantra "eu não quero", assim como os outros mantras "negativos" como o "me
ajuda", como eu disse no Encontro Presencial e na Aulas Práticas Intensivas, não deve
ser utilizado em aulas abertas. Só recomendo usar ou quando estamos em um grupo
regular ou quando vamos ter os participantes por muito mais tempo (como numa
Iniciação em MF), não numa aula aberta. Testei, bastante, diversos tipos de evocação
em Aulas Abertas, e evocações de conteúdo "negativo" e evocações "fortes", de um
modo geral, causam muita ressaca de vulnerabilidade. Por mais que pareça que todos
estão se entregando (e o estão), o resultado de longo prazo, para grande parte das
pessoas, costuma ser muito comprometido. Já mexemos muito, trabalhando
conteúdos positivos e que mesmo que, durante a aula os participantes "entrem" na
meditação, isso não significa que foi bom para eles.
18
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi

7 Tomar cuidado com as palavras, algumas dicas:

Se for focar no negativo, o que não é recomendado em Aulas Abertas, nunca fazemos isso com
palavras que possam ser julgadoras como dizer "ele fez algo não muito bom". É melhor falar algo
como "fez algo que despertou pensamentos de autocrítica" ou "não foi sua melhor versão".
Nunca queremos dizer para o outro ser ou sentir algo diretamente, como "aceite isso", "seja
bondoso". Podemos dizer que aceitamos isso e que desejamos que o outro se trate de forma
bondosa. Isso pode parecer sutil, mas faz muita diferença.
“Sentir-se seguro”, geralmente, é um termo muito usado na nossa cultura para justificar a
esquiva experiencial. O trabalho com a “Aceitação” visa nos ensinar a irmos em direção aos nossos
valores mesmo quando não estamos nos sentindo “seguros”, nesse sentido. Se o “seguro” tem
uma conotação racional justificada, do tipo “eu não me sinto seguro de pular do avião sem
paraquedas”, não é a este “seguro” que estamos nos referindo. Na nossa cultura usamos muito
essa expressão para justificar a ideia de que primeiro precisamos sentir de determinada forma
para depois agir. No MF, ensinamos que não importa o que estamos sentindo, sempre podemos
agir em direção aos nossos valores.

19
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi

Sugestão de alternativa: em vez de se falar como cada um quer se sentir,


falar algo que cada um deseja que a vida, universo, existência dê pra si mesmo
(Paz, felicidade, até mesmo segurança). Pode ser diferente, mesmo que sutil,
dizer: “eu desejo que a vida me dê segurança'', do que dizer “eu quero me
sentir seguro”.
Em vez de, falar muito em emoções negativas, sugiro usar mais termos
como: emoções difíceis ou desafiadoras. Não há nenhum problema em falar
de emoções negativas, mas insistir muito nesse rótulo negativo pode
fortalecer um julgamento sobre essas emoções. Além disso, para muita gente,
as emoções ditas positivas são as mais desafiadoras, como por exemplo,
quando alguém recebe carinho ou elogios e não consegue estar presente a
isto.

20
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi
8 A linguagem usada nas meditações interpessoais não é metafórica
Em geral, mesmo sendo leve, a gente procura treinar comportamentos que são
transferíveis para o dia a dia (como falar de um sentimento, dar um bom dia
expressivo, fazer um som que expresse seu estado presente, revelar quem ama, pedir
algo que precisa do outro, reconhecer algo na outra pessoa etc.). Mantras que pedem
para dizermos que tipo de “personagem” ou “flor” somos, por exemplo, não remetem
a uma topografia que tem muita probabilidade de ajudar no dia a dia.

9 Não fazemos perguntas para reflexão, análise


Os mantras, em geral, não são para se pensar muito, não é algo tão específico e
filosófico. Porque é mais para se autorrevelar do que para se autoanalisar. Não é
análise, é revelação. Além disso, quando o mantra é sobre um contexto muito
específico que nem todos podem ter na sua história ou serem capazes de perceber
na sua experiência atual, muitos podem não saber como responder,
autenticamente. E com isso pode responder de qualquer forma o que "pensam"
que deveriam responder.
21
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi
Mesmo numa “Meditação de Muitas Palavras”, queremos fazer algo mais focado e
estruturado. Focado significa ter um tema bem definido e concreto, estruturado significa que
damos uma estrutura para isso acontecer. Como exemplo de “Meditação de Muitas Palavras”
que temos foco e estrutura: na “Meditação da Conversa Difícil” (que não fazemos em Aulas
Abertas) o foco está numa conversa difícil, concreta e a estrutura é fazer o papel de ter a
conversa aqui e agora. Na “Meditação do Amigo”, o foco é se apresentar e a estrutura é fazer
isso da perspectiva de um amigo. Queremos sempre sair dos contextos conhecidos de
"refletir e conversar sobre temas" porque isso é feito há séculos e não tem nos levado muito
longe. Daí que damos mais ênfase e estrutura com base nos princípios do MF para mudar o
contexto e treinar habilidades diferentes, que não costumam ser treinadas.
Meditações de MF não são análises. São expressões emocionais e dar segurança,
autorrevelação e validar, pedir e dar. São menos parecidas com uma palestra e mais
parecidas com uma dança ou um canto. São menos prosa e mais poesia. Pedem muito
mais do coração e muito pouco da razão. O mundo está cheio de filósofos e atividades que
pedem reflexão, o MF traz algo diferente. Uma meditação de MF se parece mais com um
canto improvisado, a poesia de um repentista, uma brincadeira que crianças gostam de
fazer escondidas dos pais. O MF não é analítico, pelo contrário, estamos tentando "minar"
a "mente analítica" por alguns instantes e dar mais abertura à experiência direta.
22
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi
A prática de MF, embora totalmente embasada em ciência, na sua expressão se
parece muito mais com uma arte, uma brincadeira. Nós instrutores, conhecemos a
Ciência e toda a análise por trás dessa prática. Mas para aqueles que praticam, a
experiência de MF é muito menos de ter participado de um debate ou reflexão, é
mais de ter vivido de um momento de canto ou dança de roda ou mesmo de uma
brincadeira favorita de criança. Já temos muita gente fazendo reflexões e debates
e isso não mudou o ser humano com a profundidade que precisamos. Nós
estamos aqui para fazer algo diferente, não queremos falar com a razão dos
participantes, buscamos falar direto ao coração e pedimos que nos respondam de
lá também.
Uma aula aberta de MF, necessariamente, é algo divertido. As meditações se
parecem com brincadeiras - mesmo que sejam brincadeiras muito sérias! Se a
linguagem e o tom da aula aberta e das meditações não é algo que um grupo de
pessoas dentro da população-alvo acharia divertido, então vale a pena
revisarmos.
23
4 10 Dicas da Supervisão com Alan Pogrebinschi
10 Não usamos vídeos gravados durante as aulas abertas de MF
Não usamos vídeos externos em aulas abertas de MF. Entendo o valor de vídeos
externos e já participei (como participante e como facilitador) de muitas aulas com
vídeos externos. Mas foi uma decisão muito consciente manter isso fora do roteiro de
aulas abertas (presencial ou on-line). Eu costumo falar disso nas minhas aulas
abertas. O MF foi criado já em pleno século XXI, com amplo acesso à vídeos no
YouTube. O tempo em que estamos todos juntos para meditar é um momento raro.
Podemos ver os vídeos a qualquer momento e não necessitam do instrutor nem dos
outros participantes.
Nas aulas abertas, que já duram tão pouco, privilegiamos o tempo em que estamos
juntos para fazermos aquilo que só podemos fazer nesses momentos: praticar juntos,
meditar juntos, receber uma meditação guiada que não é gravada e portanto, é
influenciada pela presença de todos, compartilhando juntos nossa experiência. Essa é
a mensagem que queremos passar: como as aulas abertas que são um espaço
"sagrado", no qual o importante é a interação entre nós e que tudo que é gravado
pode ser feito em outra hora.
24
5 Roteiros de Aulas Abertas (On-line)
de Mindfulness Funcional – MF
Todos os roteiros que serão apresentados, a seguir,

foram aplicados por Alan Pogrebinschi em aulas

abertas, via Zoom. Em cada meditação está

identificado o alvo funcional (Modelo ACL) que foi

trabalhado, conforme a seguinte legenda:


● ACL-1: Expressão Emocional / Segurança.
● ACL-2: Autorrevelação / Validação.
● ACL-3: Pedir / Dar.
● ACL-4: Receber amor.
25
Roteiro 1
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.

2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).

3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.

Compartilhamento sobre a experiência.

4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-2 (salas simultâneas):

Falante: Conta uma situação difícil para o outro em até 2 frases.

Ouvinte: [NOME], ouvi que você dizer que [...] e está tudo bem. E eu estou aqui com você!

As duas pessoas se alternam como falante e ouvinte.

Compartilhamento sobre a experiência.

5. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-2 (salas simultâneas):

Contar para o grupo um momento que foi difícil falar dele, mas que ao mesmo tempo seria muito bom falar disso para alguém

(mais do que a situação, falar sobre o sentimento). Quando o falante terminar o seu relato, todos os que escutaram vão falar

como se sentiram; o que o tocou durante o relato, o que admirou na pessoa.


Compartilhamento sobre a experiência.

26
Roteiro 2
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
Explicação e demonstração da meditação com um dos instrutores presentes.
A primeira pessoa fala o mantra, completando a frase A, a outra pessoa ouve e responde com a frase B. Envia aviso para
trocar de papéis, o falante será ouvinte e vice-versa.
A: “Eu amo muito [alguém] e eu [...]” (faz uma declaração sobre o que sente por essa pessoa).
B: [NOME], eu ouvi você dizer que ama muito [...] e me senti [...] (fala como se sentiu impactado).
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
Falante: Pensar em alguém que é difícil para expressar o seu amor (não necessariamente, quem você não gosta). Contar
quem é a pessoa e dizer uma ou duas frases para ela.
Ouvinte diz como se sentiu impactado ao ouvir o que foi falado. Observação: pode repetir a pessoa. Depois falante e ouvinte
trocam.
6. Meditação interpessoal de muitas palavras em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-4 (salas simultâneas):
Cada pessoa conta ao grupo de quem gostaria de receber amor e carinho. O grupo ouve e depois fala algo para o falante,
acolhendo-o.
Compartilhamento sobre a experiência.

27
Roteiro 3

1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
Explicação e demonstração da meditação com um dos instrutores presentes.
A primeira pessoa fala o mantra, completando a frase A, a outra pessoa ouve e responde com a frase B.
Envia aviso para trocar de papéis, o falante será ouvinte e vice-versa.
A. Eu fico feliz ou triste quando [...]
B. Eu ouvi que você fica feliz ou triste quando [...] E eu estou aqui com você!
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-2 (salas simultâneas):
Meditação de muitas palavras: cada pessoa conta ao grupo “O que você pode fazer diferente quando
está triste ou feliz?”
Feedback dos participantes sobre o impacto que sentiu ao ouvir as pessoas.

28
Roteiro 4
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.

2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).

3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.

Compartilhamento sobre a experiência.

4. Meditação interpessoal com muitas palavras em pares – ACL-2 (salas simultâneas):

Cada pessoa fala para a outra sobre coisas boas, gostosas que sente aqui e agora, especialmente, aquelas mais sutis que não

costumamos notar.

Enviar aviso para trocar de papéis, o falante será ouvinte e vice-versa e para fazerem feedback.

Compartilhamento sobre a experiência.

5. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-3 (salas simultâneas):

Cada pessoa pede ao grupo fazer algo bom, gostoso e o grupo todo faz o que foi pedido, se for possível. Se não for possível,

oferecem outra ação para substituir o pedido.

Enviar aviso para trocar de pessoa e para fazerem o feedback.

Compartilhamento sobre a experiência.

29
Roteiro 5

1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.

2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).

3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.

Compartilhamento sobre a experiência.

4. Meditação interpessoal em pares – ACL-3 (salas simultâneas):


Fazer uma troca de carinhos, pedindo e recebendo da outra pessoa: A primeira pessoa faz o seu pedido,
falando a segunda pessoa o que precisa receber. A outra pessoa ouve o pedido e faz o carinho, narrando o
que está dando e como se sente, ao fazer isso. Se não for possível atender o pedido, ela pode dizer que não é
possível e oferece algum carinho para aquela que fez o pedido.
Enviar avisos para trocar de papéis (quem recebeu o carinho, vai fazer o seu pedido da mesma forma) e para
o tempo do feedback.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-2 (salas simultâneas):
Cada pessoa conta ao grupo sobre um relacionamento que teve que envolvia um enfoque positivo sobre o
toque e descrevendo, detalhadamente, um momento que vivenciou o toque nesse relacionamento.
Compartilhamento sobre a experiência.

30
Roteiro 6
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento.
4. Mantra interpessoal em pares – ACL-2 (salas simultâneas): “O que o seu coração pede?”
A: [NOME], o meu coração pede [....].
B: [NOME], eu desejo que você tenha [....] no seu coração.
As duas pessoas se alternam, falando sobre o que o coração pede.
Avisar o tempo para encerrar.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal de “aniversário – bombardeio de amor” em pares – ACL-4 (salas simultâneas):
A: [NOME], eu desejo pra VC [...].
B: Fica ouvindo, recebe em silêncio.
Quando o falante terminar, pode fechar os olhos para sentir o impacto do que ouviu. [Pausa]
Avisar para fazer a troca de papéis B fala para A e ficam se alternando até terminar o tempo.
Compartilhamento sobre a experiência.
6. Meditação interpessoal em grupos de 5 a 6 pessoas – ACL-2 (salas simultâneas): Desejar e oferecer algo ao mundo que pode ser
o país, a família, um grupo maior de pessoas.
A: Eu desejo [...] para o mundo e ofereço [...].
Grupo (juntos): [NOME], você desejou [...] ao mundo e ofereceu [...].
Uma pessoa de cada vez, fala o que deseja ao mundo e o que oferece.
Avisar do tempo para trocar de pessoa e compartilhamento sobre a experiência.
Compartilhamento sobre a experiência.

31
Roteiro 7
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
i. A partir da 2ª interação, confirmar ou não o “chute” do outro sobre como nos sentimos.
ii. Contar algo no outro que nos faz sentir de algum jeito. Por exemplo, “Quando vejo seu sorriso me sinto feliz”, ou “quando
ouço a sua voz meu coração se aquece” ou “olhando o desenho na sua camiseta tenho vontade de rir”, etc.
iii. “Chutar” como o outro se sente sobre você agora, depois desta revelação, baseado em algo que o outro está fazendo ou
que você vê ou ouve no outro. Por exemplo, “acho que você se sentiu encabulado com o que eu disse” ou “acho que você se
emocionou” ou “acho que você achou engraçado” ou “acho que você ficou triste” etc.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal de muitas palavras em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-2 (salas simultâneas):
i. Cada pessoa fala para o grupo sobre a sua atual rede de suporte.
ii. Identifica uma pessoa a mais que poderia fazer parte dessa rede, mas ainda não faz.
iii. As outras pessoas do grupo falam uma ou 2 frases de feedback para cada pessoa.
Avisar o tempo para trocar de falante.
Compartilhamento sobre a experiência.

32
Roteiro 8

1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-2(salas simultâneas):
A: Quando eu era criança eu fazia [....] que hoje não faço mais/tanto
B: [NOME], eu imaginei você criança assim e senti [...]
A e B alternam, falando e respondendo.
Compartilhamento da experiência na sala principal.
5. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-1 (salas simultâneas):
O grupo fica rindo à toa durante 3 minutos. Depois, na sala principal, todos ficam em silêncio e observando
como se sentem, o que está diferente.
Compartilhamento da experiência na sala principal.
6. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-4 (salas simultâneas):
Cada pessoa ficará em foco para o grupo falar com ela como se fosse um bebê, usando sons e tom melódico
nas palavras, incluindo o nome da pessoa, frequentemente.
Compartilhamento sobre a experiência.

33
Roteiro 9
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
A: [NOME], a minha vida as vezes, é difícil.
B: [NOME], eu acolho você.
A e B alternam os papéis de falante e ouvinte que acolhe.
Compartilhamento da experiência na sala principal.
5. Meditação interpessoal em pares – ACL-3 (salas simultâneas):
A: Pedir a outra pessoa alguma coisa que VC queira receber agora.
B: Pode responder sim e atender o pedido ou dizer não ao pedido, se for um sim para si mesma.
(alternar papéis)
Compartilhamento sobre a experiência.
6. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-3 (salas simultâneas):
Cada pessoa vai escolher uma música para o grupo cantar junto para ela.
Compartilhamento sobre a experiência.

34
Roteiro 10

1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não
conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com muitas palavras em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
A: Conta um sonho (repete).
B: [NOME], ouvi que o seu sonho é [....]
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em grupos de 4 a 5 pessoas – ACL-2 (salas simultâneas):
Cada pessoa conta o seu sonho e porque ele é importante. As demais pessoas vão se
alternando para falar frases boas sobre o sonho dela para ela ficar ouvindo.
Compartilhamento sobre a experiência.

35
Roteiro 11

1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece
o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
A: Falar de alguém que admira muito (“ame e dê vexame”)
B: Acolhe e aprecia o falante, a partir do que ouviu dele.
Depois trocam de papéis.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em grupos de 3 ou 4 pessoas – ACL-2:
Cada pessoa vai contar sobre alguém que lhe admira ou acreditou em você. (1min30)
As pessoas do grupo acolherão, fazendo apreciação sem dar conselho etc. (1min)
Compartilhamento sobre a experiência.

36
Roteiro 12
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o
MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
PAUSA para se conectarem.
Falante: NOME, eu tenho no meu coração agora [....]
Ouvinte (acolhe): NOME, eu ouvi você dizer que tem [...] no seu coração e está tudo bem!
PAUSA para se conectarem.
As 2 pessoas se alternam falando e ouvindo, acolhendo.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em grupos de 4 ou 5 pessoas – ACL-3 (salas simultâneas):
Cada pessoa vai escolher uma frase de poesia ou música para o grupo todo cantar ou falar,
repetidamente.
Compartilhamento sobre a experiência.

37
Roteiro 13

1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
Usar movimento do corpo e fazer “huuummm” para expressar emoções e sentimentos para a pessoa a sua
frente.
Depois compartilham como se sentiram na experiência.
5. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
Falante: [NOME], olhando para você agora aqui, eu sinto [....]
Ouvinte: [NOME], ouvi você dizer que olhando para mim, você sente [...]
As duas pessoas ficam alternando e depois, compartilham como foi a experiência.
6. Meditação interpessoal em grupos de 4 ou 5 pessoas – ACL-3 (salas simultâneas):
Cada pessoa vai pedir para o grupo fazer um som e um movimento. As pessoas respondem se podem fazer e
se não puderem, falam o que conseguem oferecer e a pessoa que pediu diz se aceita.
Depois, compartilham como foi a experiência.

38
Roteiro 14
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
1º Falante: [NOME], eu aqui e agora, me aceito e me perdoo. [Pausa]
Ouvinte: [NOME], eu ouvi você dizer que se aceita e se perdoa. [Pausa]
2º Falante: NOME, eu aqui e agora, me aceito e me perdoo. [Pausa]
Ouvinte: NOME, eu ouvi você dizer que se aceita e se perdoa. [Pausa]
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em pares – ACL- 2 (salas simultâneas):
Falar sobre alguém que te aceitou e te perdoou.
O ouvinte vai acolher, falando uma apreciação sobre o que ouviu de bom. Trocam de papéis falante e ouvinte
Compartilhamento sobre a experiência.
6. Meditação interpessoal em grupos de 3 pessoas – ACL-4 (salas simultâneas):
Uma pessoa de cada vez é o foco para o grupo falar junto para ela
Grupo: NOME, eu aceito você (ou) nós aceitamos você.
Compartilhamento sobre a experiência.

39
Roteiro 15
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o
MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal em pares (2 – 3 min) – ACL-2 (salas simultâneas):
Falante: NOME, uma pessoa muito importante para mim é [...]
[PAUSA - observa]
Ouvinte: Ouvi que uma pessoa muito importante para você é [...]
[PAUSA - observa]
NOME, uma pessoa muito importante para mim é [...]
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal com mantra em grupos de 3 pessoas – ACL-2 (salas simultâneas):
Cada um(a) fala como uma pessoa que gosta muito de VC e o que ela deseja para o seu bem-estar.
O grupo vai contar o que ouviu.
Compartilhamento sobre a experiência.

40
Roteiro 16
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o

MF.

2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).

3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.


Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
Pessoa toca alguma parte do próprio corpo e fala o que sente:
Falante: [NOME], quando eu me toco em [...] eu sinto [...].
[PAUSA - observa]
Ouvinte: NOME ouvi que quando você toca em [...] você se sente [...] e está tudo bem!
[PAUSA - observa]
5. Meditação interpessoal em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
Ficar chamando o nome da pessoa, como ela preferir ser chamada.
Compartilhamento sobre a experiência.
6. Meditação interpessoal em grupos de 4 ou 5 pessoas – ACL-3 (salas simultâneas):
Cada pessoa escolhe uma música para o grupo cantar e fazer uma dança juntos.
Compartilhamento sobre a experiência.

41
Roteiro 17
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL- 1 (salas simultâneas):
1º Falante toca as mãos no coração: NOME, eu vejo você. (pausa)
2º Falante toca as mãos no coração: NOME, eu vejo você. (pausa)
As duas pessoas falam, alternadamente.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em pares – ACL-3 (salas simultâneas):
1º Falante com as mãos abertas em direção a câmera: NOME, eu preciso de [...] (pausa)
2º Falante com as mãos abertas em direção a câmera: NOME, eu desejo que você receba/tenha [...].
As duas pessoas falam, alternadamente.
Compartilhamento sobre a experiência.
6. Meditação em grupos de 4 ou 5 pessoas – ACL-4 (salas simultâneas):
Uma pessoa de cada vez é o foco e as demais pessoas do grupo falam juntas para ela:
[NOME], eu estou aqui com você.

42
Roteiro 18

1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não
conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
1º pessoa (com a mão no peito): emite um som olhando para outra.
2º pessoa (com a mão no peito): responde com outro som.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em grupos de 4 ou 5 pessoas – ACL-3 (salas simultâneas):
Uma pessoa de cada vez é o foco para falar uma frase, de cada vez e os demais
participantes do grupo devem repeti-la 3 vezes.
Compartilhamento sobre a experiência.

43
Roteiro 19
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
Enquanto as 2 pessoas ficam se movimentando (pendular), uma pessoa chama pelo nome da outra pessoa, como ela preferir
ser chamada.
Usar a voz para transmitir algo para outra pessoa, enquanto chama o nome.
Compartilham sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em pares – ACL-3 (salas simultâneas):
1º Falante diz o que ela deseja.
2º Falante responde que deseja que a pessoa receba o que ela quer.
As duas pessoas se alternam falando e respondendo.
Compartilhamento sobre como cada pessoa se sentiu.
6. Meditação interpessoal em grupos de 4 ou 5 pessoas – ACL-4 (salas simultâneas):
Uma pessoa de cada vez é o foco para receber um abraço e os demais participantes do grupo devem falar ao mesmo tempo:
[NOME], eu te abraço, receba o meu abraço, sente esse abraço.
1 min para cada pessoa receber um abraço. Aviso para trocar de pessoa que receberá o abraço.
Compartilhamento sobre a experiência.

44
Roteiro 20
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
Falante (olha para a pessoa): [NOME], eu vejo você. (pausa)
Ouvinte (olha para a pessoa): [NOME], eu vejo você. (pausa)
As 2 pessoas falam alternadamente.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
Falante (expressar eu te quero bem): ai, ai, ai... (pausa)
Ouvinte (expressar eu te quero bem): ai, ai, ai... (pausa)
As 2 pessoas falam alternadamente.
2 min para compartilhar sobre a experiência.
6. Meditação interpessoal em grupos de 3 pessoas – ACL-3 (salas simultâneas):
Cada pessoa conta sobre algo que gostaria que acontecesse (1min).
As 2 pessoas falam frases sobre o que a pessoa gostaria que acontecesse, como se estivesse vendo acontecer,
alternadamente (1min).
Compartilhamento sobre a experiência.

45
Roteiro 21
1. Recepção dos participantes, identificando quem está participando pela primeira vez e não conhece o MF.
2. Breve apresentação sobre o que é MF e a estrutura da aula aberta de MF (on-line).
3. Meditação guiada individual (com olhos fechados), utilizando processos do Hexaflex.
Compartilhamento sobre a experiência.
4. Meditação interpessoal com mantra em pares – ACL-1 (salas simultâneas):
A: Eu sou [NOME].
B: [NOME] muito prazer em te conhecer.
As 2 pessoas falam alternadamente.
Compartilhamento sobre a experiência.
5. Meditação interpessoal em pares – ACL-2 (salas simultâneas):
Falante: [NOME], eu sou [...] também.
Ouvinte: [NOME], você é [...] também.
As 2 pessoas falam alternadamente.
Compartilhamento sobre a experiência.
6. Meditação interpessoal em grupos de 4 ou 5 pessoas – ACL-4 (salas simultâneas):
Uma pessoa de cada vez é o foco para receber desejos, votos para o final do ano e o próximo de cada pessoa do
grupo.
Compartilhamento sobre a experiência.

46
Referências

EMF. Formação Profissional em Mindfulness Funcional - Nível I, Roteiros e Planejamento de Aulas - Lições 14 e 15.
Hayes, Steven C. Strosahl, Kirk D. Wilson, Kelly G. Terapia de Aceitação e Compromisso: o processo e a prática da mudança consciente.
2. ed., Porto Alegre: Artmed, 2021.
Maitland, D. W. M., Kanter, J. W., Manbeck, K. E., Kuczynski, A. M. Relationship science informed clinically relevant behaviors
in Functional Analytic Psychotherapy: The Awareness, Courage, and Love Model. Journal of Contextual Behavioral Science,
6, 347–359, 2017.
Pogrebinschi, Alan. O Modelo ACL no Mindfulness Funcional. Disponível em: https://youtu.be/8hlloTc8C0w
Saban, M. T. Introdução a terapia de aceitação e compromisso. Belo Horizonte, Ed. Artesã, 2015.
Wilson, K.G., Strosahl, K.D., Hayes, S.C. Acceptance and commitment therapy: the process and practice of mindful change. 2
ed. New York: The guilford press, 2012.
47

Você também pode gostar