Você está na página 1de 4

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

2º TRIMESTRE – 2021
ETAPA DE ENSINO - ENSINO MÉDIO

DOCUMENTO CURRICULAR ORIENTADOR: CURRÍCULO PRIORIZADO

DISCIPLINA: Arte SÉRIE: 2ª

NÚMERO DE AULAS PREVISTA PARA O TRIMESTRE: 14 PERÍODO: 24/05 a 10/09/2021

EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL: Angélica M. G. Rodrigues

LINGUAGEM CONTEÚDOS CONTEÚDOS CONHECIMENTOS PRÉVIOS OBJETIVOS


ARTÍSTICA ESTRUTURANTES ESPECÍFICOS

● Artes visuais ● Elementos ● Barroco Brasileiro Compreender os elementos que estruturam e Compreender os elementos que estruturam e
● Dança Formais ● Ritmos Africanos organizam as artes visuais e sua relação com os organizam as artes visuais e sua relação com
● Música ● Composição ● Neoclassicismo movimentos e períodos. os movimentos e períodos e os elementos que
● Movimentos e ● Romantismo estruturam e organizam as artes visuais e sua
períodos ● Danças típicas do Compreender os elementos que estruturam e relação com a sociedade contemporânea.
século XVIII organizam a música e sua relação com o
● Músicas típicas do movimento e período. Compreender os elementos que estruturam e
século XVIII organizam a música e sua relação com o
● Danças típicas do Compreenda os elementos que estruturam e movimento e período e identificar e produza
século XIX organizam a dança e sua relação com os diferentes possibilidades de técnicas e modos de
movimentos e períodos. composição musical.

Compreender o significado da dança na Reconhecer os modos de estruturar e compor as


sociedade contemporânea, em outras épocas e artes visuais na cultura de diferentes povos.
na mídia.
Analisar a produção em dança nas diferentes
perspectivas históricas e culturais.

Produzir trabalhos de dança com enfoque na


arte como ideologia e como fator de
transformação social.

Identificar e produzir diferentes possibilidades


de técnicas e modos de composição
musical.

ENCAMINHAMENTOS Encaminhamentos/estratégias para o professor que dará a aula, para isso é muito importante considerar:
METODOLÓGICOS
Tanto para o formato da aula online quanto para o presencial, é importante que professor crie um clima de empatia e proximidade.
Faça perguntas ao longo da aula, pensando na realidade do estudante. (Você já foi ao teatro? Já fez alguma peça? Qual o seu cantor preferido?).
Outro elemento que se faz necessário é a retomada dos possíveis conteúdos que foram trabalhados no ano anterior, assim como prever a
retomada aula a aula. É muito importante o professor fazer conexão entre uma aula e outra, entre o conteúdo antes trabalhado, sua continuidade
ou o início de um novo conteúdo. Lembramos, que a explanação do conteúdo deve ter sempre como foco os objetivos de aprendizagem,
relacionando-os aos conteúdos do livro didático e dos documentos norteadores. A maneira como a aula é conduzida e a utilização dos recursos
utilizados também colaboram, e muito, para a aprendizagem dos estudantes.
Indique filmes e séries que contemplem o conteúdo, sugira atores, cantores e estilos musicais e demonstre como a arte está presente no cotidiano
dos estudantes.
Na etapa do Ensino Médio, pretende-se que o(a) estudante aprofunde e redimensione os seus conhecimentos, ao desenvolver argumentos,
reflexões e produções a partir de estratégias mais sofisticadas de compreensão e leitura de mundo. Os saberes artísticos e o desenvolvimento
destas capacidades são fundamentais para que os(as) jovens criem senso de responsabilidade pelo mundo e assumam o protagonismo mediante
mudanças e renovações, por meio de uma educação capaz de formar sujeitos transformadores.
Além disso, é indicado o uso de diferentes mídias como instrumentos de leitura diante das manifestações artísticas (teatro, dança, artes visuais e
música), a apresentação de imagens e vídeos para apropriação e apreciação de diversas obras de arte e a pesquisa de sons e trilhas sonoras para
compreensão de música e paisagem sonora.
No que se refere as artes visuais, os estudantes podem desenvolver competências e habilidades na interpretação e criação de imagens ao serem
apresentados a diversas possibilidades de articulações e combinações entre os elementos da linguagem visual, às materialidades, aos diversos
processos de criação, além dos discursos e contextos em que as imagens são criadas. Já, nas linguagens cênicas, os conceitos propõem a
aprendizagem sobre movimento, corpo, gesto, comunicabilidade, recursos cênicos, jogos teatrais, improvisação com foco em processo de criação
e compreensão das linguagens artísticas do teatro e da dança. E, na abordagem de ensino da música o professor deve procurar oferecer atividades
para o conhecimento e a formação musical, como os conceitos de tempo e espaço, noções de ritmo e melodia, bem como a prática de
interpretação, improvisação, criação e agenciamento de materiais
Nas aulas de Arte também é possível a utilização de metodologias ativas, estratégias de ensino que localizam o estudante como protagonista no
processo de aprendizagem, de forma ativa e comprometida. Alguns exemplos dessas metodologias são: a Sala de Aula Invertida, que pode ser
articulada à proposta de pesquisa e utilização de ferramentas tecnológicas; a gamificação dos conteúdos, que pode ser encaminhada pelo(a)
professor(a) de maneira digital ou analógica, ou seja, transformar determinados conteúdos ou atividades tradicionais em jogos educativos que
instiguem a participação dos(as) estudantes.

Para o ensino da Arte, ainda não foram formulados Descritores específicos, porém alguns Descritores da Língua Portuguesa podem ser
contemplados como no D03 - Inferir o sentido da palavra ou expressão e o D04 - Inferir uma informação implícita em um texto. É importante
ressaltar que a partir das múltiplas linguagens que passaram a constituir os textos/discursos contemporâneos, principalmente em decorrência do
DESCRITORES
uso das tecnologias digitais de informação e comunicação, os estudos sobre multimodalidade/multissemiose ampliaram o conceito de letramento
para a noção de multiletramento, uma vez que esse último abarca o letramento em campos, como o da imagem, da expressão corporal, da música
e de outras semioses que vão além do texto escrito.

O método avaliativo que conseguirá melhor contemplar as especificidades do componente, conjugando a avaliação por competências e o
desenvolvimento dos objetivos de aprendizagem, é a ação avaliativa processual, pois permite a análise da trajetória do/a estudante em seus
AVALIAÇÃO processos de: apropriação dos saberes específicos de cada uma das linguagens artísticas, fruição e construção de sua poética, por meio da
articulação entre os objetos de conhecimento e conteúdos específicos.

Neste documento, apresentaremos, abaixo, algumas possibilidades de instrumentos avaliativos que o/a professor/a poderá adequar e optar pelos
que estabelecerem um diálogo mais significativo com as suas realidades, além disso, vale ressaltar que estas sugestões podem ser devolvidas de
forma digital ou analógica.

● Portfólio e Diário: em que o/a estudante narra sua trajetória individual e/ou do seu grupo. Este tipo de material pode ser construído por
meio de imagens, textos, recortes, etc. e pode ser utilizado em processos futuros de autoavaliação.
● Exposições, mostras, apresentações: que podem ser desenvolvidos de maneira individual e/ou coletiva. Neste momento, tanto o/a
professor/a quanto o/a estudante (em um processo de autoavaliação) pode analisar o agenciamento das habilidades no processo de
construção dos objetos artísticos e o produto final.
● Debates: são importantes no processo de análise e apreciação dos objetos artísticos, tanto de artistas apresentados quanto dos trabalhos
desenvolvidos pelos próprios/as estudantes, mobilizando, principalmente, as seis dimensões do conhecimento, vistas anteriormente.
● Seminários: em que os/as estudantes apresentarão as capacidades que permeiam a argumentação, comunicação, reflexão, apropriação
dos conhecimentos e pesquisa.
● Autoavaliações: são muito pertinentes para que os/as estudantes compreendam sua trajetória e consigam revisitar seus processos e
intencionalidades, oportunizando o aperfeiçoamento e ampliando sua criatividade.

Desta maneira, a avaliação em Arte deve considerar as práticas dos/as estudantes de modo individual e/ou coletivo, o diagnóstico de conhecimento
prévio deles, abrindo espaço para que possam expor e refletir sobre suas experiências anteriores, contribuindo na compreensão das diferentes
relações entre os saberes artísticos e a área de linguagens.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Caderno da Educação. Cadernos de Expectativas de Aprendizagem. SEED/DEB-PR, 2012.

REFERÊNCIAS E __________. Diretrizes Curriculares da Educação Básica: Arte. Curitiba: SEED, 2008.
BIBLIOGRAFIA
CONSULTADA __________. Referencial Curricular do Paraná: princípios, direitos e orientações. Educação Infantil e componentes curriculares do Ensino
Fundamental. 2018. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/bncc/2018/referencial_curricular_parana_cee.pdf.
Acesso em: 29 jan 2021.
PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Currículo Priorizado da Rede Estadual de Ensino 2021. Curitiba. SEED/DDC/PR, 2021.

Você também pode gostar