Você está na página 1de 45

1

Idade Antiga:
Grécia e Roma

Professora Aldenise Silva


2
Localizando cronologicamente
3

Grécia Antiga
4
Fases da História da Grécia

• A civilização cretense ou minoica (2000-1450 a. C.).


• A civilização micênica (1450-1200 a. C.).
• Período Homérico (séc. XII – VIII a. C.).
• Período Arcaico (VIII a.C. -VI a.C.).
• Período Clássico (VI a. C. – V a. C.).
• Período Helenístico (IV a. C. – II a. C.).
5
Geografia e natureza

Mapa 2: Grécia continental e


insular.

Relação entre natureza


e economia comercial:
Mapa 1: Ao norte, Europa;
Ao sul, África; Terras pouco férteis
Ao leste, Ásia Proximidade dos
mares (Mediterrâneo,
Jônico e Egeu)
6
Fontes históricas para
estudo da Grécia antiga
7 Como os gregos se organizavam?
Política descentralizada
• Período Pré-Homérico (2000 – 1200 a. C.)
• O Genos (gené): comunidade formada por uma
grande família. Produção para subsistência. Com o
tempo, o chefe (pater) do genos mais poderoso
tornou-se rei (grande proprietário de terras).
• Genos >>> semente das cidades-Estado.

• Período Homérico (1150 – 800 a. C.)


• A cidade-Estado (pólis): centro político e geográfico
independente. Cada cidade tinha seu governo, sua
moeda e seus deuses.
• Território agrícola + centro urbano + acrópole
8
Período Arcaico (VIII a.C. -VI a.C.) –
consolidação da pólis grega
• Atenas
• Esparta
• Mégara
• Corinto
• Mileto
Etc.

Acrópole de Atenas
9 Atenas: mudanças
políticas
• Antes de Clístenes
• Aristocracia (governo dos melhores – os eupátridas: bem-
nascidos)
• Insatisfação de artesãos, comerciantes e soldados, que
queriam participar da vida política; e dos camponeses,
que exigiam o fim da escravidão por dívidas.
• Reformas de Sólon (594 a. C.): elimina a escravidão por
dívidas, mas mantém privilégios de classe.
• Depois de Clístenes (508 a.C.)
• Reformas populares: todos os cidadãos passavam a
participar da Eclésia (assembleia popular), não
importando a condição financeira.
• Democracia (demos + kratos = poder do povo), exercida
de forma direta.
10
Ou seja...

• A forma política da pólis Atenas passa de

aristocracia para democracia.

Democracia: forma de governo em que todos os


cidadãos participam da vida política igualmente.
Para o filósofo Aristóteles, a liberdade
democrática era a melhor garantida quando os
cidadãos alternavam-se na condição de
governantes e governados.
11 E quem era considerado cidadão
em Atenas?

• Homens livres maiores de 21


anos, nascidos em Atenas, de
pais e avós atenienses.

• Então, quem ficava de fora


da democracia???
12

Mulheres,
escravizados e
estrangeiros
13 Ser mulher em
Atenas...

• Casamento precoce.
• Dependência financeira.
• Submissão ao marido.
• Sendo pobres, trabalhavam fora de casa.
• Habitantes do espaço privado (gineceu).
• Ausência de direitos políticos.

• O filósofo Platão defendia a inclusão da mulher no


funcionamento da pólis (República, 452a).
14 Esparta, uma cidade com cara de
acampamento militar
• Pólis fundada pelos dórios.
• Lacônia, Península do Peloponeso.
• Uma das primeiras pólis a criar um governo
constitucional.

• Sociedade (agrária e oligárquica)


• Espartanos: descendentes dos dórios.
• Periecos: descendentes de povos
conquistados.
• Hilotas: servos que executavam trabalho
forçado; propriedade pública.
15
Política em Esparta

• Oligarquia: governo de uma minoria.


• Esparciatas (homoioi): homens espartanos com 30
anos ou mais.

• Órgãos:
• Diarquia: dois reis.
• Gerúsia: conselho de anciãos.
• 5 Éforos: Controlavam os assuntos de educação,
administração e guerra, além de fiscalizar as
atividades dos reis. Mandatos curtos.
16
Educação em Esparta

• Militarizada. Objetivo:
formar hoplitas (guerreiros).
• Obediência e aptidão física.
• Meninos separados da
família aos sete anos.
17
Ser mulher em Esparta
• Eram vistas como
colaboradoras do
Estado, por gerarem
guerreiros.
• Participavam de
reuniões públicas.
• Dedicavam-se a
jogos esportivos, em
público. Cena do filme 300.
18

ROMA ANTIGA
19 Roma: civilização antiga que exerceu
mais influência sobre o mundo
ocidental.

• A língua portuguesa é filha do latim romano.


• O Cristianismo >> nasce no Império Romano, Otávio
difunde-se rapidamente a partir de Roma. Torna-se Augusto
religião oficial do Império.
• Direito >> liberdade de pensamento;
>> o culpado não precisa produzir provas
contra si mesmo.
• Engenharia
20
21 Contribuição romana na língua:
o Latim

Português Espanhol Italiano Francês


Afetividade Afetividad Affetività Affectivité
Verdade Verdad Verità Vérité
República República Repubblica République

Latim: affectivam, veritas, res publica


22
As fontes para o estudo de Roma
• Literárias.
• Cultura material: arquitetura, escultura.
• “Grafites”.
• Moedas.
• Ruínas da tragédia de Pompeia.
23
24 TUDO ISSO NUMA CIDADE
QUE NASCEU COMO UMA
PEQUENA ALDEIA DE
PASTORES

Mapa da Península Itálica. (VICENTINO; DORIGO, 2013, p.148).


25 Povoamento (séc. X a. C.): latinos,
sabinos, etruscos e gregos
26 Linha do tempo
27 Camadas sociais
romanas na época
da Monarquia

Escravidão por dívidas e por captura em guerras


28 A República (Res publica)

• O poder foi transferido para o Senado → senadores que


fiscalizavam os magistrados, exerciam função
legislativa, controlavam a administração e as finanças.

Representação de um grupo de senadores


romanos, séc. II a. C.. (VICENTINO;
DORIGO, 2013, p.149).
29

Tabela com a estrutura política da República romana. (VICENTINO; DORIGO, 2013,


p.150).
30 As lutas dos plebeus por
igualdade de direitos durante a
República romana (séc. V a. C.)

Por que os plebeus negaram-se a trabalhar?

Oligarquia = Poder político concentrado na elite patrícia.


31 Direitos conquistados com a
paralização dos trabalhos
• Tribunato da plebe (magistrado);

• Lei das doze tábuas (primeiras leis escritas);

• Lei Canuleia (permissão de casamento entre plebeus


e patrícios);

• Leis Licínias-séxtias: cancelamento de parte das


dívidas de plebeus, e conquista de mais um cargo da
plebe entre os magistrados romanos (cônsul).
32
O Império romano (séc. I a. V)

• Império é um Estado que domina


amplos territórios, sob chefia de um
imperador, que reúne povos étnica
e/ou culturalmente distintos e detém
um poder hegemônico em sua área
de influência.

(VICENTINO; DORIGO, 2013, p. 144)


Extensão máxima do Império, com o imperador
33 Trajano, em 117 d. C. (Inclui a Península Ibérica)
34 A economia do Império Romano (séc. II)
35 Governo do primeiro
Imperador, Otávio Augusto

Em torno do ano 1, Roma tinha cerca de 1


milhão de habitantes. A cidade foi
modernizada pelo Imperador.
36 O escravismo na República
romana
Junto com as terras, as populações eram conquistadas nas
guerras.
Escravidão fundamentalmente masculina.
Origens étnicas diversas: egípcios, gregos, macedônios,
asiáticos.
• Funções: serviços domésticos, de
campo (nos latifúndios), gladiadores,
mas também trabalhavam como
médicos, músicos e professores dos
filhos dos ricos.
• Violência: podiam ser vendidos,
Pintura mostrando escravos urbanos
carregando liteira.
torturados, castigados, queimados
https://imagohistoria.blogspot.com.br/2010/08/
o-trabalho-em-diferentes-sociedades_20.html
com ferro em brasa, ou crucificados.
37
A religião (politeísta) Religião depois
da expansão
Durante séculos:
territorial

Divindades da natureza. Zeus – Júpiter


Hera – Juno
Antepassados/ deuses
domésticos (lares). Ares – Marte

Cultuava-se também o
imperador.
38
Jesus e o cristianismo (+- 30 d. C.)

• A religião surge dentro do Império Romano.

• As promessas agradam aos pobres.


Imagem romana
de Jesus Cristo
• O líder é condenado à morte na cruz.

• A religião se expande pelo Império.

• Perseguição aos cristãos. Imagem egípcia


de Jesus Cristo
39
40 • Constantino → Edito de Milão (313 d.C.):
liberdade de culto aos cristãos.

Constantino. Escultura de 320.


(VICENTINO; DORIGO, 2013, p.160).

• Teodósio → cristianismo como religião oficial do


Império (380 d.C.).
41 A crise do Império

Crise do séc. III:


-Diminuição dos impostos arrecadados.
-Conflitos com os povos germânicos.
-Sucessão de imperadores militares.
-Revoltas no campo.
-Aumento dos preços, diminuição das atividades
mercantis, retorno à prática de trocas de produtos.
-Processo de ruralização e regionalização da
economia.
-Enfraquecimento do poder público e
fortalecimento do poder privado.
42 A fragmentação do poder

• A tetrarquia - Diocleciano (293 d.C.) → divisão do


Império em 4 governantes.

• Teodósio em 395 d.C. → divisão em 2 partes: Império


Romano do Ocidente e Império Romano do Oriente.
43 • A queda do Império Romano do Ocidente → séc.
V d.C. (476).

Representação do Império dividido. (VICENTINO; DORIGO, 2013, p.159).


44 • “Invasões bárbaras” → criticando a expressão
(Jérôme Baschet).
Bárbaros → termo usado pelos romanos para denominar
os que viviam além das fronteiras do seu Império e não
compartilhavam seu idioma, costumes e instituições.
• Termo mais adequado → povos germânicos.
• As relações entre romanos e os povos germânicos
(séculos I e II) → os arrendamentos.
• Invasões? (séc. III).

Na charge, o autor brinca com o


sentido da palavra “bárbaro”.
Disponível em:
http://portaldoprofessor.mec.gov.br.
Acesso em: 27 set. 2016.
45 Atividade (no caderno)
Grécia Roma
1. O que eram as cidades- 1. Quais os direitos adquiridos
Estado (pólis) gregas? (p. 46) após as revoltas de plebeus
2. Compare a forma de política contra patrícios, na antiga
de Atenas (p. 48) e Esparta (p. República romana? (p. 59-60)
50), na época Clássica. Em qual
delas havia maior participação 2. Quais as características da
do povo na vida política? escravidão no mundo romano?
3. Com suas palavras, compare (p. 61)
a democracia da antiga Atenas
(p. 48) com a democracia atual
do Brasil. Qual é direta e qual é 3. Que fatores levaram à
indireta? queda do Império Romano?
Qual foi o golpe final? (p. 68-
4. Leia a página 52 com 69)
atenção, e comente os traços
da cultura grega que
permanecem nos dias atuais.

Você também pode gostar