Você está na página 1de 3

UNIFAN

Meu Caro Amigo José estive lembrando fortemente de você. Aqui nos Estados
Unidos surgiu um grande estudioso da Psicologia do desenvolvimento que tem
trazido um inovador conceito sobre o processo de aprendizagem. Acredito ser
essa teoria a resposta das várias indagações levantada por você em nosso
grandes diálogos sobre caminhos de uma aprendizagem significativa. Acredito
que venha ajudar na construção de projetos com seus alunos no Centro
Universitário FAN.

Sei que busca a um tempo um suporte teórico e metodológico a dar a


sustentação as hipóteses levantadas por você, em sua pesquisa sobre a como
conseguir realizar uma aprendizagem significativa. Na última semana estive em
uma conferência promovida pela Sociedade de Psicologia Americana e fiquei
encantado pelo conferencista o Dr. David Ausubel. Ao escuta-los tive a certeza
de cada pergunta levantada por você já tinha uma resposta possível.

Inicialmente em uma síntese o Dr. Ausubel define que o melhor caminho para a
construção de uma aprendizagem significativa se faz a partir do levantamento
prévio do conhecimento dos estudantes, como tem sugerido para começamos
a ministrar aulas. Como diz é importante começar com conceitos mais gerais
para depois irmos para o desenvolvimento de conceitos mais específicos dos
temas discutidos em sala de aula.

Para esse pesquisador meu amigo de docência a aprendizagem significativa se


dar a partir de ideias a serem expressas de forma simbólica ou a da
experiência de vida escolar dos alunos. Quando essas antigas ideias começar
a interagir com os novos conhecimentos, internamente começa uma
aprendizagem de valor significativo. Por esse fator se faz necessário tomar
como base os conhecimentos prévios desses alunos, para uma amplificação do
conhecimento e também para um avanço e aprofundamento de novos
conhecimentos. Como propõem você, quando sempre reafirma a necessidade
de todos nós na escola compreenderem que a experiências e vivencias que
precedem aos alunos antes da sala de aula precisam ser mais valoradas.

Sobre isso ele também afirma: quando não há um conhecimento prévio a


grande chances para aprendizagem ter dificuldade de acontecer de forma
plena e significativa. Ele entende que o conhecimento prévio pode ser um
conceito ou qualquer coisa ao qual o aluno tem uma vivência, uma experiência
e isso será importante para absorver uma nova ideia. Esse conhecimento
prévio ele denominou de subsunção, parece um nome estranho ao sentido
dele.

Curioso foi escutar que para ele a estrutura cognitiva se caracteriza pela
diferenciação progressiva e a reconciliação integradora. O primeiro seria como
diz sempre você a ampliação da aprendizagem, ou seja você tem um
conhecimento prévio e você amplia ou o aumenta. Em resumo ele é
diferenciado porque ele progride. Engraçado parece que ele esteve em nossas
conversas sobre aprendizagem.

Ah sobre a reconciliação ele a define como se essa fosse uma releitura do


conhecimento, ou seja uma nova roupagem, uma reconfiguração da
aprendizagem ou remodelação, é como a aprendizagem passasse a ter um
nível mais avançado ou hard como se diz aqui. E interessante que esses dois
conceitos parecem acontecer de forma simultânea e é isso que faz
aprendizagem significativa acontecer.

Ela falou que para o aluno aprender ele precisa de uma predisposição, imaginei
inicialmente que não temos isso em nosso público, mas depois entendi o que
realmente ele quis dizer. A predisposição seria que os alunos tem
conhecimentos prévio ou seja é predisposto por já ter algo e quando chega o
novo se avança, espero que tenha entendido, fique confuso também.

Meu Grande amigo essas foram as principais anotações, pois nem sempre
compreendo bem o que se fala em inglês, abraço a você e logo estaremos
juntos com nossos debates.

Seu amigo Rennan Pinto de Oliveira


07 de maio de 2020, Feira de Santana

Você também pode gostar