Você está na página 1de 5

O Evangelho de Mateus - 1

LIÇÃO 5
O Sermão do Monte 17 Assim sendo, toda árvore boa
A justiça e os frutos produz bons frutos, mas a árvore
ruim dá frutos ruins. 18 A árvore
boa não pode dar frutos ruins, nem
TEXTO BÍBLICO a árvore ruim produzir bons
frutos. 19 Toda árvore que não
Mateus, 7.1-6, 15-23 produz bons frutos é cortada e
atirada ao fogo. 20 Portanto, pelos
1 Não julgueis, para que não sejais seus frutos os conhecereis. 21
julgados. 2 Pois com o critério Nem todo aquele que diz a mim:
com que julgardes, sereis julgados; ‘Senhor, Senhor!’ entrará no
e com a medida que usardes para Reino dos céus, mas somente o
medir a outros, igualmente que faz a vontade de meu Pai, que
medirão a vós. 3 Por que reparas está nos céus. 22 Muitos dirão a
tu o cisco no olho de teu irmão, mim naquele dia: ‘Senhor, Senhor!
mas não percebes a viga que está Não temos nós profetizado em teu
no teu próprio olho? 4 E como nome? Em teu nome não
podes dizer a teu irmão: Permite- expulsamos demônios? E, em teu
me remover o cisco do teu olho, nome, não realizamos muitos
quando há uma viga no teu? 5 milagres?’ 23 Então lhes
Hipócrita! Tira primeiro a trave do declararei: Nunca os conheci.
teu olho, e então poderás ver com Afastai-vos da minha presença,
clareza para tirar o cisco do olho vós que praticais o mal.
de teu irmão. 6 Não deis o que é
sagrado aos cães, nem jogueis aos
porcos as vossas pérolas, para que
não as pisoteiem e, voltando-se,
vos façam em pedaços. 15
Acautelai-vos quanto aos falsos
profetas. Eles se aproximam de
vós disfarçados de ovelhas, mas no
seu íntimo são como lobos Referências Cruzadas
devoradores. 16 Pelos seus frutos Lucas 6.37-38, 6.41,46; João 8.7;
os conhecereis. É possível alguém
Romanos 2.1; Mateus 6.14,
colher uvas de um espinheiro ou
figos das ervas daninhas?  12.35; Marcos 4.24; Romanos
2.1; I Coríntios 13.2, Tiago 2.18,
Lições de Escolas Bíblicas – Assemb. De3.12;
DeusJoão 15.6. Bandeirantes
- Ministério
O Evangelho de Mateus - 2

julgamentos que faziam. Um


INTRODUÇÃO bom exemplo é o caso da mulher
que cometeu adultério. É
O sermão do monte está no possível ver os escribas e
centro do discurso de Jesus, fariseus com a intenção de levar
principalmente quando instruiu Jesus a uma postura de conflito.
seus discípulos e faz Nesse caso, Jesus responde-lhes
recomendações com relação ao com base no que entendia como
comportamento deles. É nele que justo, “julgar com o mesmo peso
encontramos o real sentido do com que gostaria de ser
evangelho de Jesus. O autor julgado”, ou seja: “quem nunca
coloca os ensinos de Jesus de errou seja o primeiro a julgar”
maneira que orienta seus leitores (Jo, 8.1-11). O texto de Mateus
com relação ao método utilizado 7.1-6 quer dizer que há um peso
por Jesus para discipular. A no julgamento que pode reverter
partir desse conjunto de para a direção daquele que julga.
orientações, Jesus apresenta sua
perspectiva de justiça e de Na concepção de Jesus, todos
comportamento em relação ao cometem pecado e devem
que queremos ter como retorno reconhecer isso quando forem
para a vida. Vejamos o que o julgar alguém. Observe: “Não
evangelho de Mateus apresenta julgueis, para que não sejais
para nós na sequência do Sermão julgados”, “com o critério com
do Monte. que julgardes, sereis julgados”
“com a medida que usardes para
1. A VISÃO DE JUSTIÇA EM medir [...] medirão a vós”,
MATEUS? “reparas tu o cisco no olho de teu
Hoje há uma demanda intensa irmão, mas não percebes a viga
por justiça, principalmente por que está no teu próprio olho?”.
parte daqueles que tem a Para Jesus, o exemplo de justiça
obrigação de cumprir e fazer deve partir daquele que vai
cumprir a lei. Na época de Jesus, julgar, para dar moral e exemplo
não foi diferente, pois cobrou de aos demais, “Tira primeiro a
seus discípulos serem justos. No trave do teu olho, e então
caso dos judeus, Jesus teve poderás ver com clareza para
vários embates com relação aos tirar o cisco do olho de teu
Lições de Escolas Bíblicas – Assemb. Deirmão.”.
Deus - Ministério Bandeirantes
O Evangelho de Mateus - 3

Muitas vezes conhecemos as contundente, pois o judeu sabia


pessoas pelos julgamentos que exatamente o que Jesus queria
elas fazem dos outras. É comum dizer.
ver pessoas que fazem
Seguindo a mesma lógica da
julgamentos severos quebrando
mensagem com que iniciou o
as regras que eles mesmos
evangelho, Mateus 3.8, ele se
lançam sobre as outras pessoas.
aprofunda no tema quando
Esses são os falsos moralistas,
apresenta a ideia da árvore e seus
em público ensinam e pregam
frutos.
um dilema, mas na vida privada
fazem outra, como os hipócritas. “toda árvore boa produz bons
Não podemos esquecer o que frutos” (v. 17). O fruto é o meio
Jesus disse “o meu jugo é suave, pelo qual Jesus interpreta a
e o meu fardo e leve.” qualidade da árvore. Uma árvore
(Mt,11.30). Jesus não chamou não pode simular fruto, não pode
seus discípulos para serem prometer fruto, ela apenas
escravos de um julgo impossível frutifica ou não. A beleza da
de ser carregado, mas para a árvore não indica que seu fruto
liberdade “Se, pois, o Filho vos será bom. A única maneira de
libertar, verdadeiramente sereis saber se o fruto está bom é
livres” (Jo, 8.36). experimentando e avaliando seu
sabor. E, para entender isso,
2. A ÁRVORE E SEUS
precisamos saber que os frutos
FRUTOS
como uva, azeitona, tâmara,
Em Israel a terra deve ser bem romã e outras comuns em Israel,
aproveitada, já que é cercada de devem ser capazes de passarem
desertos e água salgada. Num por processos que a tornem
clima como esse não se deve duradouras, ou seja, conservadas
desperdiçar espaça com uma para durarem até a próxima
planta ou árvore que não seja colheita. Da uva se faziam os
capaz de retribuir com algum vinhos, da azeitona se fazia o
fruto. Mesmo aquelas que azeite, a tâmara era ressecada
produzem frutos, tais frutos para servir de mistura na refeição
devem atender à necessidade de matinal ou como sobremesa e as
quem as plantou. Dessa forma, o romãs serviam para os sucos e
ensino de Jesus conseguiu ser vinagres. Mas é
Lições de Escolas Bíblicas – Assemb. Deimportante
Deus - Ministério Bandeirantes
O Evangelho de Mateus - 4

entender que a qualidade devia A maldade e a malícia por trás


ser boa, para que durassem até a daquilo que fazemos é o pior dos
próxima colheita. sentimentos. Muitos erram, mas
reconhecem sua fraqueza e
Quando Jesus ensina que os dependência, mas muitos erram,
frutos devem ser bons, quer dizer ignoram sua fragilidade, julgam as
que devem ser capazes de serem outras que cometem o mesmo erro
transformados em produtos com julgo insuportável. Deus está
duradouros. Portanto, quer saber vendo, dele nada se esconde. O
se uma árvore é boa? “pelos seus falso discurso será, em algum
frutos os conhecereis” (v. 20). momento, desmascarado, a árvore
cortada e lançada ao fogo (v. 19).
Todas as atitudes e obras são
avaliadas a partir de seus Clamar a Deus e não reconhecer
resultados. Uma bela atitude ou nossa fragilidade e dependência
um bom exemplo será realmente dEle é um ato de rebeldia que será
boa ou ruim se permanecer com cobrado. Usar o nome de Deus
qualidades duradouras. É nessa para julgar os fracos é só mais um
avaliação que Deus manifesta agravante para o dia em que
sua onisciência, pois sabe tudo também formos julgados, “Muitos
dirão [...] ‘Senhor, Senhor! [..]
por trás das ações dos homens.
temos nós profetizado em teu
Não adianta uma árvore ter belas
nome? [...] expulsamos demônios?
folhas, lindas flores, ou seja,
[...] não realizamos muitos
uma excelente aparência, é milagres?’ [...] lhes declararei:
preciso apresentar bons frutos. Nunca os conheci [...] vós que
Deus sonda o mais profundo, praticais o mal. (v. 21-23)
onde os olhos não são capazes de
enxergarem, “Eu, Yahweh, o
SENHOR, sondo profundamente
o coração e examino a mente dos
homens, a fim de entender cada
pessoa de acordo com a sua MOUNCE, Robert H. Novo
atitude, conforme as suas obras” Comentário Bíblico Contemporâneo -
(Jr, 17.10). Mateus: Ed. Vida, 1996.
Engana-se quem acredita que MAURIAC, François. Vida de Jesus:
Lições
Deus de Escolas
não está, o Bíblicas
tempo –todo,
Assemb. Denovela.
Deus - Barcelona:
Ministério Bandeirantes
Plaza & Janes
avaliando nossos atos. Editores. 1985.
O Evangelho de Mateus - 5

Lições de Escolas Bíblicas – Assemb. De Deus - Ministério Bandeirantes

Você também pode gostar