Você está na página 1de 6

AULA 3 RADIOLOGIA EM ODONTOPEDIATRIA

Importância da radiografia em odontopediatria:


 Observar a questão do desenvolvimento dos dentes permanentes em relação ao
aspecto clínico.

Áreas teciduais críticas:


 Pele: câncer
 Osso: leucemia
 Gônadas: mutações; infertilidade; mutação fetal
 Olhos: catarata...
 Tireoide: câncer
 Mamas: câncer
 Glândulas salivares: câncer

Principio ALARA
“tão baixas quanto racionalmente exequíveis”
Comissão Internacional de Proteção Odontológica:
 - Proteger seus indivíduos e descendentes
 - Evitar efeitos não estocásticos: dose muito alta de radiação que pode levar a algum
condição.
 - Limitar a ocorrência desses eventos estocásticos em limites aceitáveis: independe da
dose.
 Tomar cuidado com a exposição das crianças, evitando repetir radiografias a depender da
colaboração da criança.

Redução do risco (cuidados com a criança ou paciente):


 - Idade da criança (talvez não é necessário impor a criança ao procedimento)
 - Necessidade de tratamento
 - Condicionamento (esclarecimentos ao paciente sobre o procedimento, com detalhar para
que a criança não se assuste com a radiografia, por exemplo).
 - Coordenação motora
 - Tamanho da boca da criança – quanto ao filme e posicionadores adequados para cada
idade e dente a ser radiografado)
 - Ânsia
 - Posicionamento da cadeira e do aparelho do raio X (angulação, tempo de exposição)
deixando a colocação do filme por último.
 - Brincar dizendo que a proteção de chumbo é a capa do homem de ferro.
 - Dar orientações aos pais quanto à necessidade e benefícios da radiografia.

Recomendações:
 Instrução e familiarização com aparelho
 Posicionar cone e depois colocar o filme
 Tamanho do filme compatível com a boca da criança: não quer dizer que não irá usar o
filme adulto, mas geralmente será o infantil.
 Região mais fácil deve ser primeiro
 Prender a atenção da criança (técnica da distração)
 Uso do avental plumífero
 Usar filmes radiográficos adequados à idade
 Realizar a técnica correta
 Tempo de exposição
 Distância foco-filme
Proteção ao operador:
 Uso do avental plumífero
 Evitar ficar atrás da ampola
 Nunca ficar na direção do feixe
 Evitar segurar o filme na boca do paciente
 Dispositivo de retardo deve possibilitar ao profissional uma distancia de 2 metros
 Medidor de radiação (mais para funcionários de raio x ) (decitometria)
 Auxilio da mãe ou responsável, para segurar o filme para realizar a técnica.

Benefícios – Indicações
Avaliar:
 Atividade de cárie
 Crescimento e desenvolvimento
 Anomalias
 Defeitos genéticos
 Condições patológicas
 Traumas

Critérios de seleção para prescrição radiográfica:


 Tipo de dentadura
 Risco a cárie
 Lesões de caries primárias ou recorrentes
 Áreas de interesse
 História de anomalia na família

Contraindicações:
Ausência de lesões cariosas e presença espaços entre molares decíduos (evitar
exposições desnecessárias).

Tipos de filmes:
Pequeno de borda mais redonda

Radiografias comuns em pacientes odontopediátricos:

Técnicas intrabucais:

1. Técnicas periapicais:
Quando a criança tiver o 1°M permanente, radiografar com filme de adulto para poder abranger as
raízes.
- Germes girovertidos podem causar reabsorção irregular das raízes decíduas.

- Outras indicações: Dentes supranumerários, dentes retidos ou anquilosados,


dentes natal (criança nasce com o dente, avaliar se tem mobilidade, agenesia,
entre outros) neonatal (erupciona até 30 dias), Dens in Dente.

- Traumatismo dental: é importante ter uma radiografia padronizada, porque


para o tratamento de trauma, se faz varias tomadas radiográficas ao longo do
tempo. Com isso deve-se avaliar tudo, lamina dura, espaço periapical, dente
como um todo.

- Terapia pulpar: então a radiografia vai nos guiar na tomada de decisão


quanto ao tratamento, se é necessário endodontia, restaurações com remoção seletiva, exodontia,
entre outros. - Controle e acompanhamento com base nas radiografias;
Técnicas:
- Técnica da Bissetriz
Na Maxila:

Na Mandíbula:

- Técnica do Paralalelismo:
 Proporcionada pelos posicionadores

- Técnica de localização de CLARK:


 Muda a região de incidência para pegar o dente em outro ângulo.
2. Bitewings – Interproximal
 - Pode adaptar uma fita crepe para “montar” uma haste para a interproximal.

3. Técnica oclusal modificada:


 indicada em crianças menores (dificuldade de
 posicionador e adaptação do filme radiográfico), em casos de trauma. Crianças
 com lesão de carie na região oclusal.
 Usar o filme de adulto
 O cone do aparelho deve ser posicionado na ponta do nariz e o feixe central
 de raios X deve coincidir com uma...

Técnica oclusal de mandíbula


Obs: procurar na literatura ESTÁGIO DE NOLLA, ORTODONTIA

Técnicas extrabucais:

1.Técnica lateral do nariz:


 Em casos de intrusão, dependendo da força a raiz pode ir pra
vestibular ou palatina, fazendo a lateral do nariz pode ser observado, auxiliando na
tomada de tratamento.
 Se a intrusão for para palatina, a raiz pode causar dano ao germe do dente, que é
formado na palatina.

2. Técnica lateral da maxila

3. Técnica de Steinberg – Braumer :


 Filme na posição da região vestibular e incide do lado
oposto. (tem sobreposição de imagem).

Adaptações:
 Usar pinça hemostática pra ajudar a criança a segurar, bem na pontinha do filme para
não interferir.
 Palito de sorvete, envolvendo com Rolopac no filme e pedir pra criança segurar
 Roletes de algodão.

Radiografia panorâmica
 Avaliação das patologias bucais
 Avaliação Desenvolvimento ósseo e dentário
 Observações de seios maxilares
 Exame prévio de ATM;
 Observação bilateral
 Exame de traumatismos
 Documentação ortodôntica

-Vantagens:
 Visão em conjunto
 Facilidade de adaptação
 Tomada única
 Baixa dose de radiação
-Desvantagens:
 Excessiva sobreposição de imagens
 Deficiente na avaliação de cárie

Tomografia
Erros na técnica e no processamento
 Tempo de realização
 Posicionamento incorreto do avental de chumbo
 Uso do posicionador
 Posicionamento incorreto do filme radiográfico
 Execução da técnica radiográfica – para não alonga ou encurtar, formar meia-lua, entre
outros.
 Erro de processamento

Quando se distância o foco, tem que aumentar o tempo de exposição


Interpretação radiográfica
 Tomar cuidado na questão do germe entre as raízes dos decíduos, porque a raiz pode
estar mais posicionada para palatina, por exemplo.
 Na questão de traumatismo, a angulação da radiografia pode alterar a imagem e o
diagnostico.
 Imagem> criança de 5 anos e após 3 meses.

Tabela de protocolos para exame radiográfico


Arquivamento
 Nome da criança
 Data do exame
 Dente do exame radiográfico
 Montagem certa da radiografia
Controle de infecção
 Principal risco de contaminação por saliva em áreas de trabalho e equipamento
Considerações finais
 Saber indicar os diferentes tipos de radiografia.
 Aplicar a técnica correta.
 Utilizar os dispositivos que facilitam sua execução, além de evitar exposições e repetições
desnecessárias.

Você também pode gostar