Você está na página 1de 5

RESOLUÇÃO SEPM Nº 696

DE 06 DE AGOSTO DE 2020

ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA


O RECEBIMENTO DE DOAÇÕES DE
BENS MÓVEIS.
Página 10 da Poder Executivo do Diário Oficial
do Estado do Rio de Janeiro (DOERJ) de 10 de
Agosto de 2020
Secretaria de Estado de Polícia Militar
ATO DO SECRETÁRIO
RESOLUÇÃO SEPM Nº 696 DE 06 DE AGOSTO DE 2020
ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA O RECEBIMENTO DE DOAÇÕES
DE BENS MÓVEIS.
O SECRETÁRIO DE ESTADO DE POLÍCIA MILITAR DO RIO DE JANEIRO, no
uso das suas atribuições legais e tendo em vista o disposto no art. 24, § 1º do Decreto nº
46.223, de 24.01.18, no art. 170 da Lei nº 287, de 09.09.1979, no Decreto nº 45, de 20.12.18
e no Processo nº SEI-35/076/004217/2019,
RESOLVE:
Art. 1º - O recebimento de doações de bens móveis oriundos de pessoas físicas ou jurídicas
têm por finalidade precípua salvaguardar o interesse público e se perfazem com a
transferência da posse e propriedade de forma voluntária e gratuita, sem qualquer ônus ou
encargo, devendo sempre observar os princípios que regem a Administração Pública.
Art. 2º - O disposto nesta Resolução aplica-se ao recebimento de doações de bens móveis
em geral, no âmbito da Secretaria de Estado de Polícia Militar, cujos donatários sejam
pessoas físicas ou jurídicas, ressalvadas as hipóteses em que a doação possua um rito
diferenciado estabelecido em acordos de cooperação ou instrumentos específicos.
Parágrafo Único - A presente normatização não se aplica ao recebimento de bens móveis
em doação por parte da Diretoria Geral de Saúde e Diretoria Geral de Odontologia, o que
será objeto de resolução específica.
Art. 3º - É competente para opinar sobre a aceitação de doação pura e simples de bens
móveis oriundos de pessoas físicas ou jurídicas:
I - o Diretor de Abastecimento, quando a doação tiver por objeto bens móveis em geral,
excluídos material bélico e viaturas;
II - o Chefe da 4ª Seção do Estado Maior Geral quando a doação tiver por objeto Material
Bélico;
III - o Diretor de Transporte quando a doação tiver por objeto viaturas.
Art. 4º - As autoridades nominadas nos incisos do Artigo 3º, em suas respectivas áreas de
competência, deverão constituir Comissões Permanentes para verificação da viabilidade e
pertinência da aceitação dos bens que se pretende doar, devendo ser publicada em Boletim
Ostensivo.
§ 1º - As Comissões Permanentes mencionadas no caput deste artigo deverão ser compostas
por três integrantes, sendo um Oficial (a quem caberá a presidência) e no mínimo um
membro com conhecimento técnico ou experiência na área específica (bens móveis, viaturas
ou material bélico).
§ 2º - As Comissões Permanentes de que trata o caput deste artigo permanecerão ativas por
prazo indeterminado, sendo possível a substituição dos seus membros ao longo do tempo,
sempre por indicação do Chefe da 4º Seção do Estado Maior Geral, do Diretor de
Abastecimento ou Diretor de Transporte, em suas respectivas áreas de competência.
Art. 5º - A aceitação da doação pura e simples de bens móveis, material bélico e viaturas,
oriundos de pessoas físicas ou jurídicas no âmbito da SEPM deverá observar os
procedimentos abaixo.
I - a pessoa física ou jurídica interessada em doar deve protocolar, em qualquer
unidade da SEPM, documento formal endereçado a uma das autoridades
nominadas no Artigo 3º (de acordo com o bem a ser doado), fazendo constar
expressamente em seu texto a intenção de doar, a localização dos bens e
contato da pessoa responsável pela sua guarda, devendo anexar
obrigatoriamente minuta de Termo de Doação, que, em obediência ao disposto
no Art. 24, § 2º, do Decreto Estadual nº 46.223/18 deverá conter:
a) dados completos do doador;
b) a descrição detalhada do bem;
c) valor de aquisição e/ou valor contábil líquido do bem;
II - se o doador for pessoa física, deve anexar fotocópia da cédula de identidade ao Termo de
Doação;
III - se o doador for pessoa jurídica, deve anexar documento que comprove a constituição e
funcionamento da empresa, acompanhado de documento pessoal de identificação do
signatário do termo de doação e bem como procuração ou documento que comprove sua
competência para doar;
IV - compete à unidade que receber a documentação inicial promover sua digitalização,
inserção no Sistema SEI e o imediato encaminhamento à autoridade competente para
opinar sobre a aceitação da doação, de acordo com o disposto no Artigo 3º desta resolução;
V- a autoridade competente para opinar sobre a aceitação da doação, de acordo
com o previsto no Artigo 3º desta resolução, cumpre encaminhar os autos à
Comissão Permanente, mencionada no Artigo 4º, de acordo com a área
atuação;
VI - a Comissão Permanente terá um prazo máximo de quinze (15) dias úteis a contar do
recebimento dos autos para se deslocar ao local onde os bens estiverem, fazer uma análise
detalhada e recomendar ou não a sua aceitação, devendo consignar os argumentos em um
Relatório de Vistoria e restituir o processo à Autoridade que o remeteu;
VII - a Autoridade mencionada no inciso anterior deverá analisar o processo, opinar
motivadamente pela aceitação ou não dos bens e encaminhar os autos eletrônicos ao
Subsecretário de Gestão Administrativa;
VIII - cabe ao Subsecretário de Gestão Administrativa, diante dos documentos produzidos
no processo e de forma justificada, ratificar ou não o posicionamento da Autoridade
mencionada no inciso anterior e encaminhar os autos eletrônicos ao Titular da Pasta para
decisão definitiva;
IX - o Titular da Pasta, ao decidir pelo não recebimento da doação, deve
restituir os autos ao Subsecretário de Gestão Administrativa para fazer a
comunicação formal da decisão ao interessado em doar e acostar via da
comunicação aos autos do processo como medida prévia ao seu arquivamento;
X - o Titular da Pasta, ao decidir definitivamente pelo recebimento da doação,
deve determinar o prosseguimento da instrução, restituindo o processo ao
Subsecretário de Gestão Administrativa;
XI - cabe ao Subsecretário de Gestão Administrativa determinar o recebimento e exame dos
bens e instrução dos autos com o termo assinado, que deverá ser produzido:
a) na Diretoria de Abastecimento, em se tratando de bens móveis em geral;
b) na Diretoria de Transporte, em se tratando de viaturas;
c) na 4ª Seção do Estado Maior Geral, em se tratando de Material Bélico;
XII - após o recebimento e exame dos bens, o processo deve ser encaminhado ao Titular da
Pasta para assinatura do Termo de Doação como Donatário, após consulta à Assessoria
Jurídica, caso assim entenda, e publicação do extrato do termo de doação em Boletim
Ostensivo, devendo ser acostadas ao processo eletrônico vias do Termo de Doação assinado
e da publicação do extrato;
XI - em se tratando do recebimento de bens móveis em geral, de acordo com o disposto no
Artigo 3º, inciso I desta resolução, após a juntada da publicação do extrato do Termo de
Doação em Boletim Ostensivo, o processo deverá ser remetido à Diretoria de Abastecimento
e seu prosseguimento deverá observar as regras seguintes:
a) compete ao Diretor de Abastecimento coordenar a distribuição dos bens, devendo
instruir os autos com os documentos produzidos e remeter o processo à Unidade
recebedora;
b) compete à unidade designada para receber os bens fazer sua incorporação patrimonial,
instruir os autos com os documentos produzidos, consignar o número de inventário
atribuído e remeter o processo à Diretoria de Patrimônio para homologação;
c) na Diretoria de Patrimônio deve ser feita a homologação da incorporação patrimonial,
publicação da incorporação em Boletim Ostensivo (devendo ser acostada via da publicação
aos autos), realização do lançamento contábil (com a juntada dos documentos
comprobatórios) e restituição do processo à Unidade recebedora para ciência;
d) a Unidade recebedora deve consignar a ciência da conclusão do procedimento e restituir
os autos à Diretoria de Patrimônio;
e ) não havendo nenhuma providência adicional a ser adotada, o Diretor de Patrimônio
poderá determinar o arquivamento dos autos e prosseguir com a fiscalização das unidades
quanto aos procedimentos de gestão dos bens móveis recepcionados, nos termos da
legislação e atos normativos vigentes;
XII - em se tratando do recebimento de viaturas, após a juntada da publicação do extrato do
Termo de Doação em Boletim Ostensivo, o processo deverá ser remetido à Diretoria de
Transporte e seu prosseguimento deverá observar as regras seguintes:
f) compete ao Diretor de Transporte coordenar a incorporação patrimonial das viaturas,
instrução dos autos com os documentos produzidos (com indicação do número de inventário
atribuído) e remessa do processo à 4ª Seção do Estado Maior Geral para homologação
(transcrição);
a ) compete à 4ª Seção do Estado Maior Geral homologar (transcrever) a incorporação
patrimonial das viaturas em Boletim Interno Reservado de Material Bélico, consignar essa
informação aos autos, determinar quais unidades devem receber os bens e restituir os autos
à Diretoria de Transporte;
b) compete à Diretoria de Transporte coordenar a distribuição efetiva dos bens, juntando
documentos aos autos, bem como promover o envio do processo à Diretoria de Patrimônio
para providências relativas ao lançamento contábil;
c) na Diretoria de Patrimônio deve ser feita a realização do lançamento contábil (com a
juntada dos documentos comprobatórios) e restituição o processo à Diretoria de Transporte;
d) não havendo nenhuma providência adicional a ser adotada, o Diretor de Transporte
poderá determinar o arquivamento dos autos e prosseguir com a fiscalização das unidades
quanto aos procedimentos de gestão das viaturas recepcionadas, nos termos da legislação e
atos normativos vigentes.
XIII - em se tratando de Material Bélico, após a juntada da publicação do extrato do Termo
de Doação em Boletim Ostensivo, o processo deverá ser remetido à 4ª Seção do Estado
Maior Geral e seu prosseguimento deverá observar as regras seguintes:
a) compete ao Chefe da 4ª Seção do EMG remeter o processo ao Depósito Central de
Munições - DCMUN para os registros de praxe e incorporação patrimonial do Material
Bélico recepcionado;
b) compete ao Depósito Central de Munições - DCMUN fazer a incorporação patrimonial do
material bélico recebido, instruir os autos com os documentos produzidos, consignar o
número de inventário atribuído ou número de controle e remeter o processo à 4ª Seção do
Estado Maior Geral para homologação (transcrição);
c) compete à 4ª Seção do Estado Maior Geral homologar (transcrever) a incorporação
patrimonial do Material Bélico em Boletim Interno Reservado, consignar essa informação
aos autos, determinar (quando for o caso) para qual unidade o material bélico deverá ser
distribuído e restituir os autos ao Depósito Central de Munições - DCMUN;
d ) compete ao Depósito Central de Munições - DCMUN promover a distribuição efetiva do
Material Bélico (quando for o caso), juntando documentos aos autos, e remeter o processo à
Diretoria de Patrimônio para providências relativas ao lançamento contábil;
e) na Diretoria de Patrimônio deve ser feita a realização do lançamento contábil (com a
juntada dos documentos comprobatórios) e restituição o processo à 4ª Seção do Estado
Maior Geral;
f) não havendo nenhuma providência adicional a ser adotada, o Chefe da 4ª Seção do
Estado Maior Geral poderá determinar o arquivamento dos autos e prosseguir com a
fiscalização das unidades quanto aos procedimentos de gestão do Material Bélico
recepcionado, nos termos da legislação e atos normativos vigentes.
Art. 6º - A partir da entrada em vigor desta Resolução, será expressamente vedado o
recebimento de bens em doação diretamente pelas Unidades, sem a obediência aos
procedimentos ora disciplinados.
Parágrafo Único - Ficam excluídas do caput deste artigo as unidades subordinadas à
Diretoria Geral de Saúde e Diretoria Geral de Odontologia, até a edição de resolução
específica para disciplinar a matéria no âmbito desses setores.
Art. 7º - Os casos omissos nesta Resolução serão analisados com base na legislação em
vigor acerca do tema e, caso perdure tal omissão, a questão deverá ser submetida ao Titular
da Pasta.
Art. 8º - O descumprimento injustificado das prescrições dispostas nesta resolução
ensejará a instauração de procedimento apuratório no âmbito administrativo, sem prejuízo
das demais esferas de responsabilização.
Art. 9º - Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação, revogando as
disposições em contrário, notadamente o item 12.4 da Portaria PMERJ nº 0940/2018,
publicada no BOL da PM nº 153 de 31/10/2018.
Rio de Janeiro, 06 de agosto de 2020

ComGer PM ROGÉRIO FIGUEREDO DE LACERDA


Secretário de Estado de Polícia Militar
Id: 2264138