Você está na página 1de 10

Progressão aritmética e geométrica

1) Progressão aritmética
 Definição
Progressão aritmética é uma sequência de números reais cuja diferença entre um termo e seu
antecedente, a partir do segundo, é uma constante.

 Propriedades

2) Progressão geométrica
 Definição
Progressão geométrica é uma sequência de números reais não nulos cujo quociente entre um termo e
seu antecedente, a partir do segundo, é uma constante.

 Propriedades

As progressões aritméticas (PA) possuem algumas propriedades que são bastante úteis na resolução de
problemas, principalmente alguns propostos nos vestibulares.

1ª propriedade: soma dos termos eqüidistantes.

Numa PA, os termos opostos, ou eqüidistantes, ou seja, os que estão à mesma distância do termo central
da PA, têm a mesma soma.
2ª propriedade: média aritmética.

Observe a PA infinita (3, 10, 17, 24, 31, 38, ...).


Se tomarmos três de seus termos:

e fizermos , ou seja, se tirarmos a média aritmética dos termos "da ponta", obteremos

,
que é o termo do meio.

E isso também acontece para quaisquer três termos consecutivos da PA.

No caso de uma PA com um número ímpar de termos, essa propriedade vale para termos opostos:

Há também duas observações que não consideradas propriedades, mas facilitam a resolução de
problemas.

1ª observação: PAs desconhecidas de 3, 4, ou 5 termos.

Sempre que um exercício se referir a uma PA desconhecida com 3, 4 ou 5 termos é útil utilizar:

3 termos - (x - r, x, x + r)

4 termos - (x - 3r, x - r, x + r, x + 3r)

5 termos - (x - 2r, x - r, x, x + r, x + 2r)

Assim, evita-se o uso de muitas incógnitas, pois o natural seria utilizar a, b, c, d, e para os termos
desconhecidos.

2ª observação: decompor os termos em função do 1º termo e da razão.


Em problemas que se referem a termos aleatórios de uma PA, por exemplo, , é útil diminuir o
número de incógnitas, decompondo esses termos por meio da fórmula do termo geral.

Assim, utiliza-se no lugar de no lugar de .

Exercícios resolvidos
1) Achar a razão da PA (x, 2x + 5, 32).

Nesse caso, utilizaremos a propriedade da média aritmética para resolver o problema.

Assim, sabemos que .

Resolvendo a equação, temos:

Logo, a PA é .

E sua razão é .

2) Sabe-se que, numa PA, . Determine-a.

Utilizaremos a 2ª observação para resolver esse problema.

Note que, ao invés de 4 incógnitas, temos agora apenas duas!

Assim,

Temos o sistema:
Subtraindo a segunda da primeira equação, obtemos:

-2r = -6
r = 3.

Substituindo r na primeira igualdade, acharemos a1:

E a PA fica determinada: (4, 7, 10, 13, 16, ...).

Imagine um casal de coelhos recém nascidos, supondo que após um mês esse casal possa procriar e
gere um novo casal de coelhos. Por sua vez, esse novo casal, após um mês, dava origem a um novo
casal. Supondo que a cada procriação não haja nenhuma morte, quantos coelhos seriam gerados em seis
meses?
De acordo com o enunciado do problema, temos a seguinte progressão de números:

1o.
Mês 2o. 3o. 4o. 5o. 6o.
Início

Número de casais de
1 1 2 3 5 8
colelhos

Note que cada número é igual à soma dos dois anteriores. Essa é a famosa seqüência de Fibonacci, com
aplicações em diversas áreas. No exemplo acima tem-se que o primeiro elemento, a1 = 1; o segundo,a2 =

1, a3 = 2 etc. Logo, a sequência será , sendo n o número de elementos da


sequência.

Lei de formação
Para uma sequência ser lógica, ela precisa ter uma lei de formação que determine qual será lógica de seu
escalonamento.
Por exemplo: na sequência de Fibonacci, a regra é que o número seguinte será sempre a soma dos dois
anteriores.

Uma curiosidade: Em (2,3,5,7,11,13,17,...) a sequência dos números naturais primos, a fórmula que
possibilita achar o próximo número, ainda não foi descoberta, você se habilita?

Veja as seguintes sequências:

a) (1,3,5,7,9,11...)

b) (40,35,30,25,20,15,10,5,0,-5,-10,...)

A lei de formação da sequência a) é somar 2 ao número anterior, e na b)diminuir 5.

Toda sequência em que a diferença entre um número e seu anterior é constante recebe o nome
de Progressão Aritmética, ou, simplificadamente, é conhecida pela abreviatura P.A..

A diferença entre os termos é chamado de razão r.


Fórmula do enésimo termo
Pela definição de P.A., a fórmula do segundo termo é:

Logo pode-se deduzir que para um termo qualquer :

Fórmula da soma de um a P.A.


Um professor de matemática, tentando manter a classe quieta, propôs um problema: somar todos os
números de 1 a 100. Para a surpresa do professor, logo em seguida, um aluno, Karl Friedrich Gauss
(mais tarde um grande matemático) deu a resposta: 5.050.
Surpreso, o professor perguntou como Gauss conseguira o resultado tão rapidamente e ele explicou seu
raciocínio:

Ele notou que o 1o número mais o último era igual a 101 e que o 2o mais o penúltimo também era igual a
101:

como existem 50 destes termos tem-se:

Logo, ele descobriu a seguinte fórmula da soma de termos de uma P.A.:


Progressão geométrica
Soma de um número finito de termos
Numa progressão geométrica (PG) com um número finito de termos é possível calcular a soma desses
termos, a exemplo do que ocorre com a progressão aritmética (PA).

Somar os termos da PG significa fazer

ou, ainda,

Para encontrarmos uma expressão para calcular essa soma, multiplicaremos por "q" os dois membros da
igualdade acima:

E, subtraindo a 1ª igualdade da 2ª:

Eis a fórmula da soma dos termos de uma PG finita.

No caso de uma PG com razão igual a 1, como, por exemplo, (2, 2, 2, 2, 2), essa fórmula não funciona,
pois o denominador seria zero.

Nesse caso, a soma é igual ao número de termos multiplicado pelo 1º termo:

PGs infinitas
Mas existe, ainda, outro caso: o das PGs infinitas.

Numa PG do tipo (2, 6, 18, 54, ...) não seria possível calcular exatamente a soma de termos que crescem
infinitamente. Essa soma seria infinita.

Porém, em casos em que a PG é decrescente, ou seja, possui razão 0 < q < 1, a soma é bastante
intuitiva.

Considere, por exemplo, uma pessoa que possui uma barra de chocolate e não quer vê-la acabar tão
cedo. Essa pessoa decide, então, que vai comer sempre a metade do pedaço que ela tiver.

Assim, no primeiro dia comerá a metade da barra inteira. No segundo dia, a metade da metade que
sobrou do dia anterior. No terceiro dia, comerá a metade do pedaço do dia anterior, e assim por diante.
Esses pedaços consumidos formam uma PG infinita (considerando-se que a pessoa conseguiria dividi-la

sempre) e decrescente: .

Porém, a soma de todas essas quantidades seria igual à barra toda, ou seja, 1.

Logo, é possível determinar a soma desse tipo de PG infinita, por meio da expressão:

Exercícios resolvidos
1) Comprei um terreno e vou pagá-lo em 8 prestações crescentes, de modo que a primeira prestação é de
100 unidades monetárias - e cada uma das seguintes é o dobro da anterior. Qual o valor do terreno?

Como sabemos o total de prestações (8), vamos calcular o valor do terreno por meio da soma da PG
finita, pois as prestações estão em PG de razão 2.

Logo, o valor do terreno é de 25500 unidades monetárias.

2) Dê a fração geratriz da dízima periódica 0, 8888...

Podemos escrever a dízima da seguinte forma:

0, 8888... = 0, 8 + 0, 08 + 0, 008 + 0, 0008 + ..., o que seria igual à soma da PG infinita

.
A fração geratriz é, então, o valor da soma dessa PG.

3) Resolver a equação .
Mais uma vez, aplicaremos a fórmula da soma da PG infinita, pois o 1º membro da equação é uma PG
infinita e decrescente.

Assim como a progressão aritmética, a progressão geométrica (PG) é uma maneira de estabelecer uma
sequência de números. Neste caso, no entanto, em vez de uma soma como elemento constante, temos
uma multiplicação.

Imagine uma progressão em que a lei de formação seja a multiplicação do termo anterior por um número.
A progressão com esta lei de formação chama-se Progressão Geométrica ou P.G.. Exemplo:

(2,4,8,16,32,64,...)

O quociente entre dois números consecutivos é igual a 2.

Fórmula da PG: do enésimo termo


Pela definição de PG, a fórmula de um termo é:

Logo pode-se deduzir que para um termo qualquer :

(*)
Fórmula da soma de um a P.G.
Como não temos o gênio de Gauss, que descobriu a fórmula das Progressões Aritméticas num estalo, a
dedução da fórmula da soma de uma P.G. é um pouco mais trabalhosa.

Em uma P.G. a soma dos n primeiros termos será:

(**)

Multiplicando-se os dois termos por q tem-se:

Como

Tem-se

(***)

Fazendo (**) menos (***) obtemos:

Como de (*)

Logo:
para (pois é óbvio que com q = 1 não existe P.G.)