Você está na página 1de 52

Gênesis 1-3: complementarismo vs.

igualitarismo 1

Profa. Dra. Alessandra Castilho Ferreira da Costa


Tópicos Avançados em Linguística Teórica e Descritiva
PPgEL/UFR
Introdução 2
• Na aula passada (10/06/2021), vimos que MacGregor (2018) argumenta que a
proibição de fala pelas mulheres na igreja (1 Co. 14:34) é uma posição dos homens
coríntios refutada por Paulo nos versículos 36-38. Uma das evidências apontadas
pelo autor é a referência à lei (“como também ordena a lei”, versículo 34), que não
pode ser uma referência ao Velho Testamento, já que não há aí nenhuma lei
proibindo mulheres de falarem em assembleias. MacGregor identifica como fonte
dessa proibição o discurso rabínico, a Lei Oral, como se verifica na Mishná Ketubá.

• Todavia, complementaristas, isto é, defensores da proibição de fala das mulheres,


argumentam que a Lei referida seria Gênesis 3:16: “o teu desejo será para teu
marido, e ele te dominará”.
Nesta aula (17/06/2021), discutiremos duas interpretações de Gênesis 1-3:
a interpretação complementarista e a igualitarista e analisaremos 6
argumentos de um ponto de vista linguístico.
3
Posição Complementarista: O homem é o Posição Igualitarista: O homem e a mulher
líder da mulher (supremacia masculina) têm a mesma dignidade e podem exercer as
mesmas funções
1. A raça humana é chamada de “homem” e 1. O nome 'āḏām é dado por Deus à
não de “mulher”. Gênesis 1:26-27 humanidade (homens e mulheres), sendo
diferente de ’îš (“homem” ou “marido”).
Gênesis 1:27
2. O homem tem autoridade sobre a mulher 2. Os animais foram criados antes do homem.
porque foi criado antes dela. Gênesis 2:7; Além disso, Deus deu ao homem e à mulher o
21-22. mesmo domínio sobre a terra. Gênesis 1:28
3. A mulher foi criada para ajudar o homem 3. A mulher foi criada como uma força igual
e não o inverso. Gênesis 2:18 (ê·zer kə·neḡ·dōw) ao do homem e não a ele
subserviente. Gênesis 2:18
Posição Complementarista: O homem Posição Igualitarista: O homem e a
é o líder da mulher (supremacia mulher têm a mesma dignidade e podem
masculina) exercer as mesmas funções
4. Adão dá nome à mulher, o que 4. Dar nome não significa ter autoridade
significa que ele tem autoridade sobre sobre o que é nomeado. No mesmo livro,
ela. Gênesis 2:23; Gênesis 3:20 uma escrava (Hagar) dá nome a Deus.
Gênesis 16:13. Dar nome é reconhecer,
discernir.
5. Deus manda o homem dominar a 5. Deus avisa a Eva que o homem usará de
mulher. Gênesis 3:16 tirania. O verbo expressa futuridade e não
ordem. Gênesis 3:16
6. A culpa da queda é da mulher, mas 6. Ambos pecaram, mas o pecado de Adão
Adão foi responsabilizado porque era o foi mais grave, pois ele sabia que a
líder. Gênesis 3:6 serpente mentia e ainda responsabilizou
ao próprio Deus por seu pecado. Gênesis
3:12
5

Argumento Complementarista 1
Gênesis 1:26-27 6

E disse Deus: Façamos o homem (‫אדם‬, 'āḏām) à


nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e
domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves
dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e
sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
E criou Deus o homem (‫אדם‬, 'āḏām) à sua
imagem; à imagem de Deus o criou; homem e
mulher os criou.
O homem é o líder porque Deus chama a raça
humana de “homem” e não de “mulher”? 7

“Deus não chamou a raça humana de “mulher”. Se “mulher” tivesse


sido a designação mais apropriada e iluminadora, sem dúvida, Deus a
teria usado. Ele nem mesmo concebe um termo neutro como
"pessoas". Ele nos chamou de “homem”, o que antecipa a liderança
masculina mostrada claramente no capítulo dois, assim como
“homem e mulher” no versículo 27 prenuncia o casamento no
capítulo dois. A liderança masculina pode ser pessoalmente
repugnante para as feministas, mas tem a virtude de explicar o texto
sagrado”. (ORTLUND, 1991: 88 Trad. Alessandra C. F. da Costa)
A palavra hebraica ‫'( אדם‬āḏām) (CLINES 2003) 8
• A forma hebraica ‫'( אדם‬āḏām) significa “vermelho”. Sua raiz é o verbo 'āḏam
(pintar de vermelho, ser vermelho), do qual vem também o vocábulo ’ă·ḏā·māh
(= terra), que ocorre em Gênesis 2:7. Há, nesse versículo, um jogo de palavras
entre “Adam” (vermelho) e “Adamah” (o pó da terra): quer dizer, seres humanos
são criaturas da terra.
• Uma curiosidade: a palavra “humano”, em português, tem sua raiz no latim
“humus” (= solo)
• Clines (2003: 298) afirma que a expressão ‫ אדם‬não carrega em sua semântica o
traço de gênero. Quando usada para se referir a um indivíduo, significa “ser
humano”; quando usada coletivamente, significa “humanidade”. Em ambos os
casos, não há referência ao gênero masculino.
• Por exemplo, em Números 31:35, essa forma é usada para falar de um grupo de
mulheres.
Números 31:35 na Bíblia Interlinear 9
‫ֶֶ֕נפֶ ׁש‬ ‫כָּל־‬ ‫זָּכָּ ָ֑ר‬ ‫ִמ ְׁׁשכַּ֣ב‬ ‫י ְָּׁד ֖עּו‬ ‫ֹֽלא־‬ ‫אֲ ֶ ֶׁׁ֥שר‬

The In all A man By lying known not who


persons with
pessoas Em todas Um Deitando- conhecera não que
homem se com m
‫ַ֨הנ ִׁ֔ ִָּׁשים‬ ‫ִמן־‬ ‫אָּ ִָּׁ֔דם‬ ‫וְׁנֶ ַּ֣פֶ ׁש‬ ‫ָּ ֹֽאלֶ ף׃‬ ‫ֹלׁשים‬
֖ ִ ‫ּוׁש‬
ְׁ ‫ְׁׁש ֶׁ֥נַ֥יִם‬

Women of persons And thousand And thirty two


mulheres das pessoas e mil Trinta e dois

E das mulheres que não conheceram homem algum, todos os seres


humanos trinta e dois mil.
A palavra hebraica ‫'( אדם‬āḏām) (CLINES 2003)
(continuação) 10
• É um termo genérico que se aplica à coletividade de humanos ou a
um indivíduo humano como exemplo da raça humana, sem
consideração do sexo.

• Por exemplo, em Gênesis 6:2, essa forma aparece na expressão


“filhas dos homens”, que NÃO significa “filhas dos machos”, mas
“filhas dos seres humanos” em oposição a “filhos de Deus”
(=anjos).

• Viram os filhos de Deus (hā·’ĕ·lō·hîm) que as filhas dos homens


(hā·’ā·ḏām) eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas
as que escolheram. Gênesis 6:2
A palavra hebraica ‫'( אדם‬āḏām) (CLINES 2003)
(continuação) 11
• 'āḏām ocorre mais tarde como nome próprio do primeiro humano
(Gênesis 4.

• Nas ocorrências em que não é nome próprio, a palavra é


acompanhada por um artigo definido, como nome comum (designação
da espécie humana).

• Em línguas não androcêntricas (isto é, que não trazem “homem” como


designação de humanidade), o termo utilizado é “ser humano”. Este é
o caso do alemão, em que o termo “Mensch” (ser humano, pessoa)
aparece no lugar de “Adam” e NÃO o termo “Mann” (homem/ ’îš).
Mensch (em alemão, ser humano, pessoa)/
'āḏām 12

• Und Gott sprach: Lasset uns Menschen (‫אדם‬, 'āḏām)


machen, ein Bild, das uns gleich sei, die da herrschen
über die Fische im Meer und über die Vögel unter
dem Himmel und über das Vieh und über die ganze
Erde und über alles Gewürm, das auf Erden kriecht.
27 Und Gott schuf den Menschen (‫אדם‬, 'āḏām) zu
seinem Bilde, zum Bilde Gottes schuf er ihn; und
schuf sie als Mann und Frau. Gênesis 1:26-27
(Lutherbibel)
A palavra hebraica ‫'( אדם‬āḏām) (CLINES 2003)
(continuação) 13

• Em Gênesis 2:23, 'āḏām é usado com artigo definido (hā·’ā·ḏām), como nome
comum, no sentido de “ser humano” (na trad. em port., como nome próprio)
e, para contraste entre os sexos, no mesmo versículo, os termos usados são
’îš (homem) e ’iš·šāh (mulher).

E disse Adão (hā·’ā·ḏām): Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha
carne; esta será chamada mulher (’iš·šāh), porquanto do homem (’îš) foi
tomada. Gênesis 2:23 (ACF)

Da sprach der Mensch (hā·’ā·ḏām): Die ist nun Bein von meinem Bein und
Fleisch von meinem Fleisch; man wird sie Männin (’iš·šāh) nennen, weil sie
vom Manne (’îš) genommen ist.
O homem é o líder porque Deus chama a raça
humana de “homem” e não de “mulher”? 14

(i) Deus não chamou a raça humana de “homem” (ser masculino),


mas de 'āḏām (ser humano), sem consideração de gênero.

(i) Além disso, se a lógica desse argumento fosse seguida com


relação ao termo “ekklesia” (igreja; substantivo feminino no
grego) e à metáfora da "noiva" de Cristo, os complementaristas
teriam de interpretar tais ocorrências no Novo Testamento como
indicação de liderança da mulher.
15

Argumento Complementarista 2
Gênesis 2:21-22 16

Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado


sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma
das suas costelas, e cerrou a carne em seu
lugar; E da costela que o Senhor Deus tomou
do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a
Adão.
O homem tem autoridade sobre a mulher
porque foi criado antes dela? 17
“Alguns comentaristas defendem a subordinação feminina com base nessa ordem de
eventos. [...] eles inferem que [...] o Yahwista fazia da mulher um segundo sexo
subordinado e inferior. Mas o último pode ser o primeiro, como o teólogo bíblico e o crítico
literário sabem. Assim, o relato yahwista chega ao clímax, não ao declínio, com a criação
da mulher. Ela não é um pensamento secundário; ela é o clímax. O próprio Gênesis 1 apoia
essa interpretação, já que lá homem e mulher são de fato a última e verdadeira coroa de
todas as criaturas. O último também é o primeiro, em que o início e o fim são paralelos.
Na literatura hebraica, as preocupações centrais de uma unidade frequentemente
aparecem no início e no final como um dispositivo de inclusio [inclusão]. Gênesis 2
evidencia essa estrutura. A criação do homem primeiro e da mulher por último constitui
uma composição em anel em que as duas criaturas são paralelas. De forma alguma a
ordem deprecia a mulher.” (TRIBLE, 1973: 35-36. Trad. Alessandra Castilho F. da Costa)
O movimento em Gênesis 2 não é do superior para o inferior, mas da
incompletude para a perfeição. A mulher é criada como o clímax, a
culminação da história. Ela é a obra-prima da criação.
(DAVIDSON, 1988: 248-249, Trad. Alessandra C. F. da Costa) 18
Dia 3

Dia 2 Dia 4

Dia 1
Gênesis 1 Dia 5

Início: Formação do homem Dia 6 (culminância): criação do ser humano

Gênesis 2 Culminância: Formação da mulher


Figura 1: Estrutura em anel em
Gênesis 1-2. Fonte: Alessandra C. F.
da Costa
O homem tem autoridade sobre a mulher
porque foi criado antes dela? 19

• “[...] a composição em anel sugere uma interpretação da mulher e


do homem como iguais. Em ambos os episódios, só Yahweh cria.
Para a última criação, o Senhor Deus "fez cair um sono profundo
(tardemah) sobre o homem". O homem não participa da formação
da mulher; ele está fora disso. Ele não exerce nenhum controle
sobre a existência dela. Não é participante, nem espectador, nem
consultor no nascimento dela. Como o homem, a mulher deve sua
vida exclusivamente a Deus. ” (TRIBLE, 1973: 37. Trad. Alessandra
C. F. da Costa)
Por que a criação da mulher é o clímax de
Gênesis 2? (SIGVARTSEN, 2015: 129) 20
• O Criador dos humanos agora criou um ser humano cujo corpo
pode criar outros humanos (Gênesis 4:1);

• Mais importante ainda, Gênesis 3:15 e 3:20 revelam que a mulher


dará à luz um filho específico que esmagará a cabeça da serpente,
a fonte de todo o mal; portanto, ela será "a portadora do
salvador“;

• Por causa desse aspecto vivificante da mulher, Eva (Havvah ou


Hayyah) [= Vida] é reconhecida como a mãe de todos os viventes
(Hay), outro jogo de palavras em hebraico.
O homem tem autoridade sobre a mulher porque
foi criado antes dela? 21
Conclusão 1: A ênfase de Gênesis 1 está na unidade e igualdade entre os sexos, sem
espaço para liderança exclusivamente masculina(cf. SIGVARTSEN 2015: 128):
1. O homem e a mulher são criados à imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1.27);
2. Ambos recebem a mesma tarefa: dominar sobre os animais e a terra (Gênesis 1: 26,
28);
3. Ambos recebem a mesma benção de Deus (Gênesis 1:28);
4. Deus fala deles e com eles usando os pronomes plurais "eles" e "vós", além da forma
plural dos imperativos - frutificai, multiplicai, enchei, sujeitai, dominai (Gênesis 1:
28-29);
5. Ambos recebem a mesma dieta de Deus (Gênesis 1:29).
Conclusão 2: A estrutura literária em anel demonstra que essa igualdade também vale
para Gênesis 2 (cf. TRIBLE, 1973).
Conclusão 3: Se a ordem cronológica fosse critério de autoridade implícito na narrativa,
os animais teriam autoridade sobre Adão.
Um comentário da professora sobre o
argumento da ordem da criação 22

• Do ponto de vista linguístico, uma correlação entre ordem da criação e autoridade é


uma inferência não indicada no texto por meio de pistas linguísticas. Trata-se de uma
expectativa do leitor, estando no nível puramente pragmático. Eisegesis.
• Embora Gênesis 1-3 não indique qualquer hierarquia relacionada à ordem da criação,
alguns intérpretes argumentam que esta é uma doutrina paulina, em 1 Co. 11:8.
• Todavia, como MacGregor (2018) demonstrou, a citação por Paulo do discurso
oponente dos judaizantes é atribuída, por vezes, indevidamente ao próprio Paulo,
que o introduz especificamente para refutá-lo.
• Eu (Alessandra) identifico esse mesmo mecanismo de refutação em 1. Co. 11. No
versículo 8, Paulo cita o argumento judaizante da ordem da criação, refutando-o nos
versículos 11-12 (ver figura a seguir): não só a mulher vem do homem, também o
homem vem da mulher.
Refutação do Refutação do
argumento de argumento de que a
Mecanismo de citação/refutação que a mulher foi
criada para
ordem de criação
indica a liderança
Figura 2: Mecanismo de citação/refutação em 1 Co. ajudar o homem exclusivamente
11:8-12. Fonte: Alessandra C. F. da Costa e não o inverso. masculina.

1 Coríntios 11:8-12
Porque o homem não provém Todavia, nem o homem é
da mulher, mas a mulher do
sem a mulher, nem a
homem. Porque também o
homem não foi criado por
mulher sem o homem, no
Judaizante
causa da mulher, mas a mulher Senhor. Porque, como a
por causa do homem. mulher provém do homem,
Portanto, a mulher deve ter assim também o homem
Paulo
sobre a cabeça sinal de provém da mulher, mas
poderio, por causa dos anjos. tudo vem de Deus.

“O homem não provém da mulher” CONTRADIÇÃO “O homem provém da mulher”


Também identifico a retomada por Paulo da estrutura em anel presente em
Gênesis 1-2, que se opõe à estrutura hierárquica do argumento judaizante
(Fig. 3 abaixo. Fonte: Alessandra C. F. da Costa)
24
Dia 3
1. Co. 11:12
Dia 2 Dia 4

Dia 1 Gênesis 1 Dia 5

A mulher
Tudo O homem
Início: Formação do
Dia 6 (culminância): vem do vem de vem da
homem mulher
criação do ser homem Deus
humano
Gênesis 2 Culminância:
Formação da mulher
25

Argumento Complementarista 3
Gênesis 2:18 26

E disse o Senhor Deus: Não é


bom que o homem esteja só;
far-lhe-ei uma ajudadora
idônea para ele. (ACF)
O homem é o líder, porque a mulher foi
criada para ajudá-lo e não o inverso? 27

• “[...] a mulher é a ajudante do homem. O homem não foi criado


para ajudar a mulher, mas o inverso é verdadeiro. [...] Logo, era
Eva igual a Adão? Sim e não. Ela era sua igual espiritualmente e,
diferentemente dos animais, ‘a ele adequada’. Mas ela não era sua
igual no sentido de que era sua ajudante. Deus não criou o homem
e a mulher de maneira indiferenciada, e sua mera masculinidade e
feminilidade identificam seus respectivos papéis. Um homem,
apenas em virtude de sua masculinidade, é chamado para liderar
por Deus. Uma mulher, apenas em virtude de sua feminilidade, é
chamada a ajudar por Deus.” (ORTLUND, 1991: 91 Trad. Alessandra
C. F. da Costa)
Gênesis 2:18
E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; 28
far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. (ACF)

• Uma pergunta: Será que o texto bíblico ensina que as


mulheres são meramente destinadas a serem
assistentes dos homens e a eles subalternas?

• Vejamos algumas outras traduções.


Algumas Traduções de Gênesis 2:18 29
• O Senhor Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só. Vou dar-lhe uma auxiliar que
lhe seja adequada (ê·zer kə·neḡ·dōw). (Bíblia Ave Maria)
• Então Jeová Deus disse: “Não é bom que o homem fique sozinho. Vou fazer-lhe uma
ajudadora, como complemento dele (ê·zer kə·neḡ·dōw). (Tradução do Novo Mundo)
• Então o Senhor Deus declarou: "Não é bom que o homem esteja só; farei para ele
alguém que o auxilie e lhe corresponda (ê·zer kə·neḡ·dōw)". (NVI)
• Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma
auxiliadora que lhe seja idônea (ê·zer kə·neḡ·dōw). (ARA)
• Depois o SENHOR disse: — Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer para ele
alguém que o ajude como se fosse a sua outra metade (ê·zer kə·neḡ·dōw). (NTLH)
ê·zer kə·neḡ·dōw 30

• Freeman (1983): “Creio que a tradução costumeira


dessas duas palavras, apesar de sua adoção universal,
está errada. Isto não é o que se intenciona transmitir
com essas palavras. Elas deveriam ser traduzidas de
modo a expressarem aproximadamente “um poder
igual ao do homem”. (Trad. Alessandra C. F. da
Costa)
ê·zer kə·neḡ·dōw (FREEMAN, 1983) 31
• A palavra hebraica ˓ezer ̄ é uma combinação de duas raízes,
uma ˓-z-r significando “resgatar”, “salvar”, e a outra g-z-r ́
significando “ser forte”.

• A palavra ˓ezer ̄ podia significar tanto “salvar” (˓-z-r) ou ser


forte (g-z-r ́ ). A raiz ˓-z-r sempre foi interpretada como
“ajudar”, uma mistura das duas nuances.

• A palavra ˓ezer ̄ ocorre 21 vezes no Velho Testamento.

• Em 8 delas, a palavra significa “salvador” (Salmo 70:5; Êxodo


18:4; Oséias 13:9; Salmos 20:2, 121:1, 121:2, 124:8 e 146:5).
1º sentido de ˓ezer = “salvador”
(FREEMAN, 1983) 32

• Quanto a mim, sou pobre e necessitado;


apressa-te, ó Deus. Tu és o meu socorro
(ez·rî) e o meu libertador (ū·mə·p̄al·ṭî) ;
Senhor, não te demores! Salmos 70:5
2º sentido de ˓ezer = “força”
(FREEMAN, 1983) 33
• Em outros usos, a raiz ˓ezer ̄ significa “força”. Por exemplo, em
Deuteronômio 33:26, encontramos a seguinte passagem:

• Bem-aventurado tu, ó Israel! Quem é como tu? Um povo salvo pelo


Senhor, o escudo do teu socorro (‘ez·re·ḵā), e a espada da tua
majestade; por isso os teus inimigos te serão sujeitos, e tu pisarás
sobre as suas alturas. Deuteronômio 33:29

• A conclusão do versículo 29 fala da derrota dos inimigos de Israel - uma


indicação clara de que ˓ezer ̄ nesse exemplo tem o sentido de "força".

• Outras passagens com o mesmo sentido: Deuteronômio 33:7, Salmos


33:20, 89:20, 115:9-11, Ezequiel 12:14, Isaías 30:5 e Daniel 11:34.
˓ezer em Gênesis 2:18
(FREEMAN, 1983) 34

• Em Gênesis 2:18, quando Deus fala do ser que


Ele criará para aliviar a solidão do homem,
certamente o sentido não é de salvador do
homem, mas de uma força como a homem,
superior à dos animais.
kə·neḡ·dōw (FREEMAN, 1983) 35

• É um hapax legomenon, ou seja, ocorre uma única vez na Bíblia.

• No Mishnaic hebraico da mishná, a raiz keneged significa "igual",


como no famoso ditado:
"O estudo da Torá é igual (keneged) a todos os outros mandamentos.“
• Não há base para traduzir keneged como "adequado" ou
"apropriado", como os tradutores fazem quando descrevem a mulher
como uma "ajudante adequada".
• Conclusão: Eva é criada para ser diferente dos animais: uma força
igual à de Adão.
36

Argumento Complementarista 4
O homem é o líder, porque ele deu nome aos
animais e à mulher? (RAMSEY, 1988) 37
• Algumas passagens do Velho Testamento parecem indicar o ato de
nomear como um ato de exercício de autoridade sobre a pessoa
nomeada: Gênesis 41:45, 2 Reis 23:34; 2 Reis 24:17.
• Há também passagens em que guerreiros nomeiam regiões
conquistadas: Números 32:41-42; Josué 19:47; Juízes 18:29; 2
Samuel 5:6-9.
• Embora os pais deem nome aos filhos, isso não tem influência em
seu caráter ou destino. Portanto, aqui não é um caso de controle,
mas uma convenção.
• Vários nomes dizem respeito a algo já acontecido e não por vir a
acontecer: Gênesis 26:21; Gênesis 29:33; Gênesis 30:6; Josué 5:9;
1 Samuel 4:21.
O homem é o líder, porque ele deu nome aos
animais e à mulher? (RAMSEY, 1988) (continuação) 38

• Todavia, há exemplos que refutam essa noção, indicando que


nomear não é o mesmo que exercer autoridade.
• Em Gênesis 16, Hagar, a escrava egípcia, maravilha-se de seu
encontro com Deus. É difícil imaginar que o narrador queira dar a
entender que a escrava exerceu, com isso, algum controle sobre
Deus.
E ela chamou o nome do Senhor, que com ela falava: Tu és Deus que
me vê; porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê?
Gênesis 16:13
O homem é o líder, porque ele deu nome aos
animais e à mulher? (RAMSEY, 1988) (continuação) 39

• Em Gênesis 26:17-21, os servos de Isaque e os de Gerar brigam por


causa de poços de água. Embora Isaque perca a posse deles (e,
portanto, qualquer autoridade), ele nomeia tais poços de Eseque e
Sitna.
• Quer dizer, exercer autoridade ou domínio não é um aspecto
inerente ao ato de nomear. Antes, o que está em jogo é o
exercício de discernimento.
• Por exemplo, quando Isaque, em seu caminho a Harã, passou a
noite em um lugar em que teve uma visão, ele chamou o lugar de
“Betel”, que quer dizer “Casa de Deus”. Outros exemplos nesse
sentido seriam Gênesis 32:31 e Gênesis 33:20.
O homem é o líder, porque ele deu nome aos
animais e à mulher? (RAMSEY, 1988) (continuação) 40

• Em Gênesis 2, quando Adão dá nome aos


animais, esse é um ato de discernimento.
• Em Gênesis 2:22, a exclamação de Adão é
um ato de reconhecimento e descoberta,
não de domínio e autoridade.
Um comentário da professora sobre o ato de
nomear 41

• Para Eugenio Coseriu, o ato de nomear é um universal linguístico,


isto é, todas as línguas veiculam um tipo de conteúdo, que é a
designação. Todavia, no nível histórico, cada língua fixa seus
próprios significados por meio do seu léxico específico.
• Coseriu entende que a linguagem pode ser concebida de 3 pontos de
vista: como energeia (= criação), dynamis (= conhecimento) e
ergon (= produto).
• Do ponto de vista coseriano, a nomeação dos animais e da mulher
em Gênesis é, ao mesmo tempo, um ato de criação da própria
língua, de seu léxico (energeia); um ato de criação de conhecimento
sobre o mundo (dynamis) e um ato de fixação desse conhecimento
por meio de expressões linguísticas (ergon).
42

Argumento Complementarista 5
“Ele te dominará”: uma ordem ou uma
previsão? 43

• E à mulher disse: Multiplicarei


grandemente a tua dor, e a tua
conceição; com dor darás à luz filhos; e
o teu desejo será para o teu marido, e
ele te dominará. Gênesis 3:16
“Ele te dominará”: não é uma ordem ou lei. 44
Embora este texto [Gênesis 3:16] apenas preveja como alguns maridos tirarão vantagem de suas
esposas quando as esposas se voltam para seus maridos depois de se afastarem de Deus, alguns
argumentam que este segundo verbo deveria ser traduzido como “ele te governará”. Isso tornaria a
declaração obrigatória com a força de uma ordem dirigida a todos os maridos para governar suas
esposas. A gramática hebraica mais uma vez não permitirá essa construção. O verbo contém uma
declaração simples de futuridade; não há uma sugestão de obrigação ou normatividade neste
verbo. [...]
Embora muitos defendam a crença de que 1 Coríntios 14:34 se refere a Gênesis 3:16 quando
registra: “As mulheres devem permanecer caladas nas igrejas. Elas não podem falar, mas devem
estar em submissão, como diz a Lei”, não posso concordar. Quando os coríntios se referiram à lei
(parece que Paulo está respondendo a uma pergunta anterior que escreveram para ele), foi à lei
judaica encontrada no Talmud e na Mishná que eles se referiram. Lá foi ensinado que uma mulher
não deve falar e que ela deve ficar em silêncio, mas isso não é ensinado no Antigo Testamento! A
única maneira concebível de uma pessoa ligar Gênesis 3:16 com 1 Coríntios 14: 34-35 seria se a
passagem de Gênesis dissesse que os maridos devem governar sobre suas esposas. Visto que tal
formulação do versículo se provou impossível, esta referência deve ser abandonada.
(KAISER JR/DAVIDS/BRUCE/BRAUCH 2010, 98-99)
Comentário da professora sobre tempo e
modo verbal e a expressão de modalidade 45

• Tipos de modalidade: espacial, temporal, epistêmica e deôntica.


• Interpretação complementarista = leitura deôntica da expressão de
futuridade
• Interpretação igualitarista = leitura temporal da expressão de futuridade.
• Pesquisa de uso dos verbos (gramática, semântica e pragmática) nessa
passagem.
• Relações intertextuais: enquanto o Velho Testamento traz regulamentos
sobre como lidar com filhos desobedientes (Dt. 21:18), não há nenhum
regulamento para a esposa desobediente. Em nenhum lugar do Velho
Testamento há prescrições para que a esposa obedeça o marido (cf. C.J.
Vos, Woman in Old Testament Worship (Diss. Amsterdam; Delft 1968) 46-
47).
46

Argumento Complementarista 6
A culpa da queda é da mulher, mas o homem
foi responsabilizado por ser seu “cabeça”? 47
• Extensa tradição defendendo que Adão foi responsabilizado pelo pecado de Eva por ser seu
“cabeça”.
• Hutchins (2008: 672): Escritores judeus e cristãos culparam Eva pela natureza pecaminosa
e decaída da humanidade durante a maior parte dos últimos dois mil anos. Os escritos
antigos e a pregação moderna têm sido igualmente veementes em sua denúncia de Eva
como uma tentadora perversa e caída. O livro apócrifo de Sirach [Eclesiástico] afirma de
Eva "Foi pela mulher que começou o pecado, e é por causa dela que todos morremos "
(25:24). O igualmente apócrifo Livro dos Segredos de Enoque retrata Eva como a parceira
sexual de Satanás [...] (31: 6) [...]. Essas representações antigas tradicionalmente
encontraram a aprovação do Cristianismo ortodoxo; O exame de John Thompson do
tratamento histórico de Eva resume: "Nem Denis nem Agostinho estão preocupados em
amenizar a culpa de Eva" (113), e Calvino também "vê [Eva] mais culpada do que o
homem, por causa de seu engano, sua sedução do homem, e seu papel de liderança no
advento da mortalidade "(132).
A culpa da queda é da mulher, mas o homem foi
responsabilizado por ser seu “cabeça”? (SIGVARTSEN, 2015) 48
A ênfase em Gênesis 3 é na equalidade. Tanto Adão quanto Eva
• quebraram o mandamento de Deus e comeram do fruto (Gênesis 3:6);
• tiveram os olhos abertos e perceberam que estavam nus (Gênesis 3:7);
• sentiram necessidade de se cobrir (Gênesis 3:7);
• esconderam-se de Deus (Gênesis 3: 8);
• foram questionados e responsabilizados por suas ações (Gênesis 3: 9-13);
• culparam outras pessoas (Gênesis 3: 12-13);
• foram avisados de que experimentariam consequências para suas ações;
• receberam roupas novas de Deus (Gênesis 3:21);
• “tornaram-se semelhantes a Deus, conhecendo o bem e o mal” (Gênesis
3:22);
• receberam como punição a expulsão do Jardim, sem acesso à Árvore de
Vida (Gênesis 3: 23-24).
Anthrōpos = ser humano, humanidade 49

• A expressão grega anthrōpos, no grego, significa “ser humano”


e “humanidade” e é diferente de anēr, “ser masculino”,
• Em Romanos 5:12-21, quando Paulo fala da entrada do pecado
no mundo por causa de um homem, ele não usa a expressão
anēr (homem, ser masculino), mas a expressão anthrōpos (ser
humano, humanidade).
• Quer dizer, a referência pode ser ao casal (Adão e Eva), assim
como ocorre com a palavra 'āḏām em Gênesis 1:27, e não
apenas ao ser masculino/anēr.
• Todavia, há autores que defendem que Adão foi mais culpado
do que Eva.
A culpa da queda é da mulher, mas o homem
foi responsabilizado por ser seu “cabeça”? 50
“¿Qué culpa pueden notar em Eva en no haverse resistido á la
sagacidad del demonio que no adviertan en Adán em haverse mostrado
tan débil á las sugestiones de Eva? Esta fue enganada por una criatura
de superior inteligencia y sagacidad; circunstancia que no ocurrió en
Adán, rebaja mucho respecto de éste, el delito de aquella.
Comió Adán de la fruta, no por haver dado credito á la engañosa
promesa, de que se sirvió la serpiente para persuadir á Eva, sino por
complacer á esta, como dice el Abulense, la qual pecó por ignorância;
porque no conoció el engaño de la serpiente. Por lo que San Pablo, San
Thomas y Scoto afirman haver sido más grave la culpa de Adán.

(Juan Bautista Cubie, As mujeres vindicadas de las calumnias de los


hombres. 1768: 12-14)
Quais circunstâncias agravam ou atenuam a culpa? 51
Grau de Culpabilidade
Circunstâncias Eva Adão
Recebimento da O texto não informa como Eva recebeu Recebeu ordem direta de Deus (Gênesis
Ordem a ordem. Se indiretamente, esse seria 2:16-17)
um atenuante.
Astúcia do agente Persuadida por um ser mais astuto que Persuadido por uma pessoa de igual
da tentação ela própria (a serpente)(Gênesis 3:1). inteligência (Eva) (Gênesis 3:12)
Grau de Menor conhecimento; enganada por Maior conhecimento; sabia que era mentira
Conhecimento uma mentira. e não foi enganado
(Gênesis 3:13; 2 Co. 11:3) (Gênesis 3:12)
Acusação de Acusou a serpente, agente da tentação Não acusou a serpente, agente da tentação,
envolvidos (Gênesis 3:13) que estava ali (Gênesis 3:12);
Acusou a Deus para se justificar
(Gênesis 3:12; Jó 31:33)
Motivação Obter conhecimento e ser como Deus O texto não informa. Pode ter sido motivado
(pode ser visto como positivo ou a agradar à mulher ou, a exemplo de Eva, a
negativo) obter conhecimento e ser como Deus
Referências 52
CLINES, David J. A. ‫אדם‬, the Hebrew for "Human, Humanity". A Response to James Barr. Vetus Testamentum, Vol. 53,
Fasc. 3 (Jul., 2003), pp. 297-310.
CUBIE, Juan Bautista. As mujeres vindicadas de las calumnias de los hombres. Con un Catálogo de las Españolas que
más se han distinguido en Letras y Armas. Madrid: Imp. Antonio Pérez de Soto, 1768.
DAVIDSON, Richard M.. The Theology of Sexuality in the Beginning: Genesis 1-2. Andrews University Seminary
Studies 26 (1988): 121.
FREEMAN, David. Woman, a Power Equal to Man. In: Biblical Archaeology Review 9 [1983]: 56-58.
GEORGE W. RAMSEY. Is Name-Giving an Act of Domination in Genesis 2:23 and Elsewhere? The Catholic Biblical
Quarterly Vol. 50, No. 1, 50th Anniversary Volume (January, 1988), pp. 24-35.
HUTCHINS, Zachary Edwards and Eve: Finding Feminist Strains in the Great Awakening's Patriarch. Early American
Literature, Vol. 43, No. 3 (2008), pp. 671-686.
KAISER Jr, W. C., DAVIDS, P. H., BRUCE, F. F., & BRAUCH, M.. Hard sayings of the Bible. InterVarsity Press, 2010.
ORTLUND, Raymond C. Male-Female Equality and Male Headship (Genesis 1-3). In: Piper, John/Grudem, Wayne
(editors). Recovering Biblical Manhood & Womanhood: A Response to Evangelical Feminism. Wheaton, Illinois:
Crossway Books, 1991, p. 86-104.
PIPER, John; Grudem, Wayne (editors). Recovering Biblical Manhood & Womanhood: A Response to Evangelical
Feminism. Wheaton, Illinois: Crossway Books, 1991.
SIGVARTSEN, Jan A.. “The Creation Order—Hierarchical or Egalitarian?” AUSS 53 (2015): 127–42.
TRIBLE, Phyllis. Depatriarchalizing in Biblical Interpretation. Journal of the American Academy of Religion, Vol. 41,
No. 1 (Mar., 1973), pp. 30-48
WESTFALL, Cynthia Long. Paul and Gender: Reclaiming the Apostle’s Vision for Men and Women in Christ. Michigan:
Baker Academic, 2016.