Você está na página 1de 20

UNOPAR

LICENCIATURA EM HISTÓRIA

LEANDRO GABRIEL BRANCO ALVES

RELATÓRIO DO
ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II- ENSINO MÉDIO

Jaraguá do Sul
2020
LEANDRO GABRIEL BRANCO ALVES

RELATÓRIO DO
ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO-ENSINO MÉDIO

Relatório apresentado à Unopar como requisito


parcial para o aproveitamento da disciplina de
Estágio C. Obrigatório-Ensino Médio da
Licenciatura em História.

Jaraguá do Sul
2020
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO..............................................................................................................4
1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS..................................................................................5
2 PLANEJAMENTO ANUAL......................................................................................3
4 O PROCESSO DE GESTÃO ESCOLAR...............................................................7
5 ATUAÇÃO DA EQUIPE PEDAGÓGICA NO ACOMPANHAMENTO DO
DESENVOLVIMENTO DA DISCIPLINA.................................................................8
6 PLANOS DE AULA.................................................................................................9
CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................11
REFERÊNCIAS...........................................................................................................12
INTRODUÇÃO

Este exposto busca relatar o estudo e desenvolvimento da presente etapa de


estágio obrigatório curricular para o curso de Licenciatura em História.
A etapa é composta por tópicos, os quais, são explorados no transcorrer do
estudo. O material fornecido serviu de apoio para a produção de textos e, estes,
pretendem traçar perspectivas e analisar como vem sendo proposto o ensino de
História nos dias atuais.
Percebe-se que, diante dos desafios cotidianos aos quais os professores
muitas vezes se deparam dia a dia, a absorção do conteúdo, bem como, seu próprio
desenvolvimento metodológico, devem envolver cada vez mais o contexto e a
realidade em que tanto os educadores quanto alunos, sintam-se representados,
como parte do processo. Nesse aspecto, novas metodologias de ensino e
elaboração de aulas, e a democratização dos conselhos populares e APPs
(Associação de Pais e Professores), podem ser decisivos na qualidade da produção
de conhecimento e pensamento crítico.
Novas perspectivas sobre os temas propostos para esta etapa de
aprendizagem escolar são inseridas e pesquisadas. Nesse contexto, este estudo
tenta compreender de que formas este conhecimento pode ser produzido em sala de
aula, aliado ao uso de tecnologias e tendências que possibilitem explorar o caráter
subjetivo do aprendizado de História.
São usados neste trabalho, o estudo de vários autores especialistas, cujo
trabalho serviu de inspiração e base teórica de desenvolvimento.
Este relatório busca apresentar também, leis, documentos, obras e estudos
que podem ser essenciais para a compreensão da realidade atual do estudo e
aprendizado de História, onde pretende esclarecer alguns pontos das funções
pedagógicas, elementos teóricos e práticos da gestão escolar e diretrizes
curriculares.
É apresentado ainda neste presente trabalho dois modelos de planos de
aula, compostos por elementos que buscam novas propostas de atividades dentro
da sala de aula.
1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS

Percebe-se neste contexto do debate das novas tecnologias utilizadas no


ensino de História, alguns elementos que podem auxiliar no desenvolvimento da
aprendizagem em sala de aula.
O professor, visto do ponto de vista de um mediador, pode e deve se utilizar
de tecnologias para que o processo pedagógico se torne mais dinâmico e atualizado
com a grande velocidade de circulação e informação que presenciamos hoje.
Neste contexto, o aluno e o educador traçam mutuamente, mesmo que de
forma involuntária, novas relações de aprendizado, pois, ao contrário de as aulas
parecerem como monólogos do professor, as interações que as tecnologias podem
trazer mudam de forma significativa a troca e produção de conhecimento.
Analisando as experiências que as dúvidas dos estudantes podem produzir
através de seu próprio contato com as tecnologias, mesmo que de forma pouco
criteriosa, instiga o questionamento de ambos, o educador e o aluno. Esta pesquisa
pelas respostas e comparadas com outros pontos de vista, pode ser o fator que fará
diferença no pensamento crítico futuro.
Os equipamentos que o educador traz para a sala de aula e os utiliza de
forma a favorecer novas descobertas podem ser aliados na hora da demonstração
aplicada de imagens ou buscas na rede, bem como em sua reprodução em
plataformas digitais, em forma de arquivos de música, fotos, softwares, dentre
outros.
Para Karasinski (2013) “a tecnologia envolve o desenvolvimento de aparelhos
que lidam com a distribuição da informação de forma cada vez mais veloz,
abrangendo um número crescente de pessoas e realizando cálculos cada vez mais
avançados”. As tecnologias habilitam aos professores disponibilidade de informação
e tornar as aulas mais versáteis:

O avanço das tecnologias de informação possibilitou a criação de


ferramentas que podem ser utilizadas pelos professores em sala de aula, o
que permite maior disponibilidade de informação e recursos para o
educando, tornando o processo educativo mais dinâmico, eficiente e
inovador, possibilitando a interação digital dos educandos com os conteúdos
(BRASIL ESCOLA, 2019).

Sendo assim, percebe-se que um enorme avanço na discussão sobre uma


maior inserção das tecnologias vem sendo feito, e isso decorre da carência de
também se discutir políticas públicas que fomentem recursos para a educação no
país.
As escolas necessitam de internet que seja capaz de atender toda demanda
de pesquisa da instituição, e equipamentos que possam suprir as necessidades
práticas do cotidiano escolar. A sociedade, de modo a valorizar a educação pública,
mobiliza o avanço das pautas educacionais, e isso pode pressionar o poder público
para que mais recursos sejam disponibilizados nesse sentido.
Observa-se que o uso das tecnologias, especificamente para a disciplina de
História na sala de aula, pode auxiliar na conexão do aluno com o conteúdo de
forma mais impactante e próxima. As imagens de grandes guerras ou de
importantes eventos históricos, vídeos, sons, podem trazer uma vivência mais direta
e realista do que se está transmitindo em comparação por exemplo, se a aplicação
da matéria se dê apenas por meio da leitura.
2 PLANEJAMENTO ANUAL

1. Qual a proposta do professor quanto aos conteúdos a serem trabalhados pela


disciplina para a respectiva série do Ensino Médio.

2. Quais os objetivos da disciplina nessa fase do ensino.


R: Os conteúdos básicos do ensino médio poderão ser discutidos com temas
históricos por meios de interações espaço-temporal, pois estes conteúdos sugerem
desenvolver a análise das temporalidades. A estrutura será permeada pela
abordagem de tópicos como as relações de trabalho, relações de poder e relações
culturais.
A disciplina se apresentará discutindo temas como o trabalho escravo, servil,
assalariado e o trabalho livre; urbanização e industrialização, o Estado e as relações
de poder, cultura e religiosidade, dentre outros

3. Quais as metodologias, os recursos e as formas de avaliação.


R: Para o Ensino Médio, a metodologia de ensino se dá em volta de temas
históricos. Os conteúdos terão como finalidade a discussão de um tema/problema
proposto. Portanto, é necessário ressaltar que a História Temática será utilizada
quando os conteúdos em desenvolvimento oportunizar tal metodologia pedagógica.
O rumo metodológico propriamente dito será contido de ideias, diálogos, análise de
textos , iconografias, mapas históricos e filmes, produção individual e coletiva de
textos históricos, solução de exercícios, leitura, discussão e entendimento de textos;
solução de questionários; elaboração de mapas históricos, trabalhos em grupos,
pesquisas, idas ao laboratório de informática; comparação de resultados obtidos
entre os trabalhos; elaboração de considerações que apontem a relação entre os
dados pesquisados sobre diferentes assuntos, revistas; textos didáticos e
paradidáticos.
3 PROPOSTA DE ATIVIDADE PARA ABORDAGEM DOS TEMAS
CONTEMPORÂNEOS TRANSVERSAIS DA BNCC

TCT Multiculturalismo
Objetivo Exercitar a empatia, o diálogo, a
resolução de conflitos e a cooperação,
fazendo-se respeitar e promovendo o
respeito ao outro e aos direitos humanos,
com acolhimento e valorização da
diversidade de indivíduos e de grupos
sociais, seus saberes, identidades,
culturas e potencialidades, sem
preconceitos de qualquer natureza.
Atividade Proposta Interdisciplinaridade Com TCTS
Articulados
Área de Conhecimento Ciências Humanas e Sociais
Habilidade ( texto com o código) (EM13CHS402) Analisar e comparar
indicadores de emprego, trabalho e
renda em diferentes espaços, escalas e
tempos, associando-os a processos de
estratificação e desigualdade
socioeconômica.
Avaliação Trabalho escrito em forma de pesquisa e
texto dissertativo argumentativo sobre o
racismo estrutural no Brasil, abordando
suas origens, condições de
desenvolvimento e seu impacto social
nos dias de hoje no que diz respeito ao
mundo do trabalho, de gênero e relações
de poder na sociedade capitalista atual.
4 CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS
DIGITAIS

Conforme descrito na situação-problema proposta o uso das metodologias


ativas pode ser de grande relevância no desenvolvimento de novas soluções para
melhoria do ensino nos dias de hoje.
Existem inúmeras variações destas metodologias, cada uma com suas
especificidades. Portanto, cada seguimento e disciplina pode optar pelo método o
qual servirá melhor aos objetivos e desafios propostos, no contexto da realidade
escolar em que se está trabalhando. Deve ser observado, questões como viabilidade
de recursos financeiros e de infraestrutura, por exemplo.
A metodologia que considero de melhor aplicação para este projeto, a qual
pode se apresentar com um potencial bastante inovador e transversal é a
Aprendizagem Baseada em Projeto – ABP.
Segundo Lorenzoni (2016), a aprendizagem baseada em projetos possibilita
que aprender e o fazer sejam inseparáveis. Assim, com o PBL (Project Based
Learning) tem a ver diretamente com o contexto sendo explorado, e a criação a
partir do conhecimento. Especialmente na etapa final, a produção de resultados, é
que a tecnologia enriquece o processo: alunos podem utilizar multimídia, fazendo
uso de gráficos e tabelas, vídeos, aplicativos, ferramentas, para que se organizem e
programem-se com eficácia.
O professor pode ser apenas quem vai fazer a introdução, porém sem
detalhar demais o estudo com informações:

É importante ressaltar que, nessa metodologia, não cabe ao professor


expor todo o conteúdo para que, então, a turma comece a trabalhar. São os
próprios alunos que vão buscar os conhecimentos necessários para atingir
seus objetivos, contando com a orientação do educador – portanto, um
mesmo projeto realizado por grupos distintos pode chegar a resultados
completamente diferentes e, inclusive, acrescentar aprendizados diferentes.
(LORENZONI, 2016, p.1)

Neste contexto, os estudantes têm a oportunidade de, mediante pesquisas


próprias, poder realizar o desenvolvimento do trabalho, sempre sob a orientação e
supervisão do educador
Segundo Lorenzoni (2016), existem alguns passos que podem nortear o
projeto:
1. Pergunta motivadora
2. Desafio proposto
3. Pesquisa e conteúdo
4. Cumprindo o desafio
5. Reflexão e feedback
6. Responda a pergunta inicial
7. Avaliação do aprendizado

Para que estes passos possam ser explorados, Lorenzoni (2016), ainda
ressalta alguns aspectos essenciais para a elaboração do estudo:

1 Conteúdo significativo
2 Pergunta instigante
3 Protagonismo do aluno
4 Habilidades do século 21
5 Pesquisa e inovação
6 Feedback e revisão
7 Produto e apresentação

Observa-se que, este modelo de metodologia pode possibilitar a abordagem


de inúmeros assuntos de forma transversal, e, estruturado de forma concisa e
concreta, pode aumentar o interesse dos estudantes na produção do próprio
conhecimento, utilizando de pesquisa própria, possibilitando também, a diminuição
de formas de ensino engessado e unilateral.
3 O PROCESSO DE GESTÃO ESCOLAR

1. Como o regimento e o PPP se aplicam nas ações do cotidiano da escola.


R: O primeiro passo de um novo integrante da escola, para que possa então situar-
se das atividades desenvolvidas por ela e seus colaboradores, é conhecer e se
inteirar totalmente do regimento escolar, pois este documento é uma parte
importante no processo de conhecimento e familiarização com a escola. Todas as
atividades dos professores e demais funcionários, e como eles deverão proceder
para melhor aproveitamento da experiência escolar, estão contidos no PPP e no
regimento interno. São documentos norteadores, com força de lei, que servirão de
base para todas as ocasiões. O PPP representa todos os setores, e cada um dos
mesmos, contribui para sua formulação e execução.
Estes documentos são vivos e dinâmicos, ou seja, não são estáticos com relação a
passagem do tempo, de forma a serem atualizados de acordo com as novas
demandas que a sociedade impõe.
As funções atribuídas ao processo de gestão e administração serão atribuídas a
equipe de diretoria, o qual poderá delegar, orientar e executar tarefas referentes a
gerência geral escolar.

2. Discorra sobre 3 (três) aspectos abordados pelo diretor que você destaca como
mais importantes.
R: O primeiro aspecto que considero relevante é a importância desse processo de
desenvolvimento do PPP e do regimento ser a base do cotidiano escolar, pois, a
partir do momento em que as diretrizes envolvem todos os setores de forma
objetiva, e que estes setores participam da sua elaboração e execução, pode tornar-
se menor a probabilidade de conflitos futuros, já que esta base é comum para o
norteamento de todos.
Segundo aspecto importante é o fato de os documentos escolares serem dinâmicos
e não estáticos. Esta movimentação, geralmente para frente, permite que a
comunidade ande na mesma página que a escola e vice-versa, já que as
experiências externas trazidas pelos alunos e colaboradores, dão a cor e a forma
para o ambiente escolar, e este, necessidade de estar, ao meu ver, em constante
transformação.
4 ATUAÇÃO DA EQUIPE PEDAGÓGICA NO ACOMPANHAMENTO DO
DESENVOLVIMENTO DA DISCIPLINA

1. Escolha e conceitue três atribuições da equipe pedagógica que auxiliam o


professor a organizar o Plano de Trabalho Docente.

Os profissionais, dentro do contexto de que são responsáveis pelo caráter


educacional que se objetiva, tem uma atribuição de pensar na diversidade e um
olhar voltado na função social da escola. Segundo, deve ser próprio do pedagogo,
observar o comportamento do aluno, com a participação interativa dele com a
escola, mas com sua comunidade e sua família. Terceiro, precisa conhecer o
entorno da comunidade onde a escola está inserida, para que sua equipe contemple
as necessidades daquele grupo ao entorno como prioridade.

2. Exemplifique de que maneira a equipe pedagógica poderá orientar o professor,


tendo como referência a utilização do Projeto Político Pedagógico e da Proposta
Curricular.
A relação interpessoal entre os colegas de trabalho, muitas vezes é mediada pelo
pedagogo, pois este vai orientar o educador a valorizar a experiência coletiva e
colaborativa, na estruturação e avaliação dos processos.
Na elaboração dos documentos da escola e sua aplicação haverá a participação do
pedagogo e também na indicação a cursos de capacitação e processos que auxiliem
no desenvolvimento da transmissão de conhecimento e aprendizagem estudantil.

.
5 PLANOS DE AULA

6.1 PLANO DE AULA 1

Plano de Aula
Identificação Disciplina HISTÓRIA
Série Ensino Médio
Turma A
Período Matutino
Conteúdo  Contexto
sociopolítico e
econômico
europeu no século
XIV

Objetivos Objetivo Geral


1. Identificar e
analisar diferentes
formas de
apropriação ou de
expropriação dos
meios de produção
pelos/dos
trabalhadores.

Objetivos Específicos
 Identificar
diferentes
maneiras de
distribuir os
produtos
obtidos pelo
trabalho
humano
 Compreend
er o
processo de
urbanização
como parte
das
transformaç
ões nas
formas de
produção e
organização
social
 Identificar e
analisar
diferentes
formas de
extrair,
produzir e
trocar
alimentos e
outros
produtos ao
longo da
História

Metodologia 1) Os alunos
assistirão a um
vídeo sobre o tema
2) Farão a leitura
do conteúdo
trazido pelo
professor (livro
didático)
2) Os alunos se
dividirão entre
duas classes: a
burguesia ( dona
dos meios de
produção) e a
operária ( a que
vende sua força de
trabalho.
3) O grupo da
burguesia terá de
em forma de
apresentação oral,
defender sua
classe, justicando
plausivelmente os
motivos históricos
pelos quais estão
ocupando aquela
posição
4) O grupo dos
operários farão o
mesmo.
5) Ao final das
duas
apresentações, um
debate, sobre os
aspectos positivos
e negativos, na
visão dos alunos,
desta forma de
organização social
Recursos  Livros didáticos,
imagens e textos
impressos, power
point e vídeos
(multimídias)
Avaliação 1) O grupo melhor
argumentação teórica, a
melhor e a maior
criatividade, receberá
nota máxima
Referências http://www.educacao.pe.g
ov.br/portal/upload/galeria
/7801/Conteudos_de_Hist
oria_EM.pdf
6.2 PLANO DE AULA 2

Plano de Aula
Identificação Disciplina HISTÓRIA
Série Ensino Médio
Turma B
Período Vespertino
Conteúdo  Movimentos de
resistência à
escravidão
 Revolução
Industrial

Objetivos Objetivo Geral


2. Compreender as
histórias
individuais como
constituintes de
histórias coletivas

Objetivos Específicos
 Reconhecer
, analisar e
valorizar a
participação
dos povos
africanos e
dos afro-
brasileiros
 Reconhecer
, analisar e
valorizar a
participação
de mulheres
de
diferentes
classes
sociais,
grupos
etnicorraciai
s, culturais,
etários e
territoriais
 Compreend
er as
instituições
sociais,
políticas,
econômicas,
culturais e
religiosas
como
criações das
ações
humanas
Metodologia 1)Os alunos
receberão imagens
referentes aos
navios com
pessoas
escravidas trazidas
do continente
africano
2)Receberão
mapas em xerox,
da região onde se
localiza o
continente
africano.
3) Farão análise
destes materiais
junto com o
professor
4) Os alunos
receberão um
mapa do Brasil em
xerox, e do
restante dos
países mostrando,
em números,
comparativamente
quais países teve
a maior chegada
de navios
5) Farão análise
dos dados e das
imagens junto com
o professor
Recursos  Livros didáticos,
imagens e textos
impressos, power
point e vídeos
(multimídias)
Avaliação 1) Será pedido aos
alunos um texto
dissertativo abordando os
motivos os quais eles
consideram mais
relevantes sobre o
processo de escravidão
no Brasil e quais
aspectos os definiram.
Referências http://www.educacao.pe.g
ov.br/portal/upload/galeria
/7801/Conteudos_de_Hist
oria_EM.pdf
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este exposto teve a finalidade de pesquisar e estudar sobre o ensino e


aprendizado de História referente a etapa do Ensino Médio
Conforme destacado neste relatório, o estudo da História pode ter como
característica, possibilitar o contato do aluno com sua própria realidade como ser
social e membro dinâmico da sociedade. Através da sua subjetividade, o
pensamento crítico que ele pode desenvolver através da mediação do educador,
pode vir a ter um papel central em suas relações sociais.
Os projetos políticos e pedagógicos, como visto neste exposto, são
construídos em conjunto com a participação de todos os membros do corpo docente
escolar. É sabido que, ao longo dos anos, as atualizações e até mesmo chegada de
novos documentos e fontes a todo momento, tornam a mobilidade das ideias e dos
projetos, mais fluidos, podendo resultar num ensino atualizado e moderno,
obedecendo é claro, as leis vigentes, normas internas, abrindo espaço sempre para
o contraditório e o questionamento.
Deste modo, a comunidade escolar e a familiar podem caminhar juntas que é
de forma dinâmica, mutável, traçando medidas objetivas sobre pensar o coletivo e o
individual.
Foi elaborado também neste exposto, dois planos de aula que tiveram como
objetivo apresentar novas metodologias ativas, abordando temas transversais,
atuais e de enorme relevância.
REFERÊNCIAS

BRASIL ESCOLA. Uso das tecnologias na educação. Artigo Educação, 2019.


Disponível em: < https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/educacao/uso-das-
tecnologias-na-educacao.htm> Acesso em: 25 set. 2020.

KARASINSKI, Lucas. O que é tecnologia? Tecmundo. 2013. Disponível em: <


https://www.tecmundo.com.br/tecnologia/42523-o-que-e-tecnologia-.htm>. Acesso 
em: 04 out. 2020

LORENZONI, Marcela. Aprendizagem Baseada em Projetos (PBL) em 7 passos.


InfoGeeks, 2016. Disponível em: https://www.geekie.com.br/blog/aprendizagem-
baseada-em-projetos/>. Acesso em: 10 nov 2020.

SILVA, Alison Fagner de Souza e, et al. CONTEÚDOS DE HISTÓRIA POR


BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS
CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO
Acesso em 27 nov 2020. Disponível em <:
http://www.educacao.pe.gov.br/portal/upload/galeria/7801/Conteudos_de_Historia_E
M.pdf