Você está na página 1de 4

Questões sobre Aristóteles

1. (UESPI) É inegável a contribuição de Aristóteles para a filosofia ocidental.


Conviveu com Platão durante vinte anos, mas se destacou pela amplitude da
sua obra.

Aristóteles:

a) defendeu uma sociedade política democrática, governada por filósofos.

b) não concordou com a teoria platônica do mundo das ideias.

c) criticou os sofistas, defendendo o relativismo moral.

d) era contra a escravidão, defendendo a cidadania para todos.

e) não conseguiu formular um pensamento original, devido às suas concepções


idealistas.

2. (ESPM) Nascido em Estagira (norte da Grécia) no ano de 384 a.C., aos 18 anos
passa a frequentar a Academia, acompanhando as lições de Platão durante duas
décadas. Possuidor de grande fortuna, cercou-se dos livros dos grandes
filósofos e poetas de seu tempo, sendo chamado de O Leitor por Platão. Aos 41
anos é convidado por Felipe para ser educador de Alexandre.

Com a ascensão de Alexandre ao trono, em 336 a.C., retorna para Atenas e


funda o Liceu, ginásio localizado na parte leste da cidade. Sua escola foi
chamada de peripatética, de passeadores, por ser comum dar aulas passeando
pelos jardins”.

(Antonio Carlos Wolkmer. Introdução à História do Pensamento Político)

O texto refere-se ao pensador grego:

a) Protágoras.

b) Anaxágoras.

c) Sócrates.

d) Aristóteles.

e) Heráclito.

3. (UEL PR) De acordo com Aristóteles, a vida consagrada ao ganho, que tem
como fim a riqueza, não é a vida feliz. Portanto, a vida consagrada ao ganho
identifica erroneamente o que é o bem ou a felicidade.
(ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim
da versão inglesa de W. D. Ross. São Paulo: Nova Cultural, 1987. p. 12.)

Qual a principal razão invocada por Aristóteles para rejeitar a vida que tem
como fim último a riqueza?

a) A vida consagrada ao ganho é apenas um meio e não um fim em si mesmo.

b) O acúmulo de bens exteriores representa uma agressão à natureza.

c) A busca de riqueza é um fim acalentado por indivíduos mesquinhos e


egoístas.

d) A vida consagrada ao ganho é modo de vida típico do capitalismo.

e) A riqueza torna as pessoas escravas do dinheiro e, portanto, infelizes.

4. (UFPEL RS) A natureza faz o corpo do escravo e do homem livre diferentes. O


escravo tem corpo forte, adaptado para a atividade servil, o homem livre tem
corpo ereto, inadequado para tais trabalhos, porém apto para a vida do
cidadão.

Na cidade bem constituída, os cidadãos devem viver executando trabalhos


braçais (artesãos) ou fazendo negócios (comerciantes). Estes tipos de vida são
ignóbeis e incompatíveis com as qualidades morais. Tampouco devem ser
agricultores os aspirantes à cidadania. Isso porque o ócio é indispensável ao
desenvolvimento das qualidades morais e à prática das atividades políticas.

ARISTÓTELES (384-322 a. C.). Política [Adapt.].

Esta ideologia foi produzida na (o)

a) Período Homérico e manifesta o pensamento burguês em relação a todas as


classes sociais.

b) Império Romano e apresenta resquícios nas discriminações étnicas vigentes


nos Estados Unidos da América.

c) Antiga Grécia e reflete o preconceito – em relação às atividades manuais –


também presente ao longo da história da sociedade brasileira.

d) Período Arcaico, em Atenas, quando era necessário estabelecer legitimações


para as expansões colonialistas modernas.

e) Idade Antiga, mas foi eliminada, após a Revolução Francesa, pela filosofia
liberal.
5. (UNESP SP) É preciso dizer que, com a superioridade excessiva que
proporcionam a força, a riqueza, […] [os muito ricos] não sabem e nem mesmo
querem obedecer aos magistrados […] Ao contrário, aqueles que vivem em
extrema penúria desses benefícios tornam-se demasiados humildes e rasteiros.
Disso resulta que uns, incapazes de mandar, só sabem mostrar uma obediência
servil e que outros, incapazes de se submeter a qualquer poder legítimo, só
sabem exercer uma autoridade despótica.

(Aristóteles, A Política.)

Segundo Aristóteles (384-322 a.C.), que viveu em Atenas e em outras cidades


gregas, o bom exercício do poder político pressupõe

a) o confronto social entre ricos e pobres.

b) a coragem e a bondade dos cidadãos.

c) uma eficiente organização militar do Estado.

d) a atenuação das desigualdades entre cidadãos.

e) um pequeno número de habitantes na cidade.

6. (UFU-2001) Sobre a teoria das quatro causas de Aristóteles é correto afirmar:


I- É próprio da ciência investigá-las, pois são as causas do movimento e do repouso, ou seja,
da passagem da potência ao ato.
II- A causa eficiente atua sobre a forma, visto ser a matéria o ato a que aspiram os seres.
III- A causa final é própria daquele ser que deve atualizar as potências contidas em sua
matéria para alcançar a finalidade própria.

IV- A forma é o princípio de indeterminação dos seres.


Assinale a única alternativa que apresenta as assertivas corretas.
A) Apenas I e III.
B) I, III e IV.
C) Apenas II e III.

D) Apenas I e II.
7. (UEL-2008) Quatro tipos de causas podem ser objeto da ciência para Aristóteles: causa
eficiente, final, formal e material. Assinale a alternativa correta em que as perguntas
correspondem, às causas citadas.

a) Por que foi gerado? Do que é feito? O que é? Quem gerou?


b) O que é? Do que é feito? Por que foi gerado? Quem gerou?
c) Do que é feito? O que é? Quem gerou? Por que foi gerado?
d) Por que foi gerado? Quem gerou? O que é? De que é feito?
e) Quem gerou? Por que foi gerado? O que é? Do que é feito?

8. (UEM-2008) Elaborando a teoria das quatro causas e a distinção entre ato e potência,
Aristóteles busca explicar a realidade do devir e da mudança a que estão submetidas as
coisas causadas. Assinale o que for correto.
01) Para Aristóteles, a mudança implica uma passagem da potência ao ato; o ato é o estado
de plena realização de uma coisa; a potência, a capacidade que algo tem para assumir uma
determinação.
02) Segundo Aristóteles, tudo que acontece tem suas causas, essas são a explicação ou o
porque de certa coisa ser o que é.

04) Causa material, causa formal, causa eficiente e causa final são os quatro sentidos que
Aristóteles distinque no termo causa
08) Segundo Aristóteles, a causa material e a causa formal de uma coisa são,
respectivamente, aquilo de que a coisa é feita e aquilo que ela essencialmente é.
16) Segundo Aristóteles, a causa eficiente e a causa final de uma coisa são, respectivamente,
o agente que atua sobre essa coisa e o fim que ela se destina.
Soma:________

Você também pode gostar