Você está na página 1de 112

Reta Final SEFAZ CE

- AFO

PROF. LUCIANA MARINHO


Orçamento público

PROF. LUCIANA MARINHO


Orçamento público

• INTEGRAÇÃO PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO


Giacomoni • CURTO PRAZO
• OPERACIONAL

• PREVISÃO E AUTORIZAÇÃO.
• PERIODICIDADE Aliomar Baleeiro
• ARRECADAR RECEITAS E EXECUTAR
DESPESAS
01. ( CESPE – TCE/RJ/2021)

O governo pode deixar de executar despesas fixadas na lei orçamentária anual, à


exceção de casos específicos previstos na legislação vigente.
02. ( CESPE – CODEVASF - Analista em Desenvolvimento Regional
Administração/2021 )

Com relação ao orçamento público, julgue o item seguinte.

Orçamento público é um mecanismo de controle político dos órgãos de


representação sobre o Poder Executivo, independentemente das mudanças
ocorridas nas funções do Estado.
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS

PROF. LUCIANA MARINHO


PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS

PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO


Unidade ou Totalidade • O orçamento deve ser
(Art. 2°, Lei 4.320/64) UNO
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS

PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO

Anualidade ou Período de tempo Crédito especiais e


Periodicidade extraordinários.
(Art. 2°, Lei 4.30/64)
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO
Orçamento Bruto Todas as receitas e despesas
(Art. 6º , 4.320/64) constarão da Lei de
Orçamento pelos seus totais,
vedadas quaisquer
deduções.
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS

PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO

Universalidade Todas as Receitas


(Art. 2°, art. 3° e art. 4° da Lei + (Receita extra
4.30/64) Todas Despesas orçamentárias)
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO

Exclusividade Não se pode incluir dispositivo Abertura de créditos


(Art. 165, ,8, CF/88) estranho à LOA suplementares e contratação
de operações de crédito,
ainda que por antecipação de
receita, nos termos da lei.
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO
Não afetação Vedada a vinculação de • Repartição Constitucional
(Art. 167, IV, CF) receita de • Saúde
• Manutenção e
impostos desenvolvimento do ensino
• Garantias e contragarantias às
operações de créditos,
inclusive ARO.
• Atividades da Administração
Tributária.
NOVIDADE: Emenda Constitucional nº 109, de 2021

PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA
Não afetação É vedada a criação de fundo público,
quando seus objetivos puderem ser
alcançados mediante a vinculação de
receitas orçamentárias específicas ou
mediante a execução direta por
programação orçamentária e financeira
de órgão ou entidade da administração
pública.
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO
Discriminação Na Lei de Orçamento a • Programas especiais de
(Art. 5º , Lei 4.320/64) discriminação da despesa far- trabalho.
se-á no mínimo por
elementos.
• Reserva de contingência
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO
PRINCÍPIO DA PROIBIÇÃO Gestor não pode transpor, Atividades de ciência,
DO ESTORNO remanejar ou transferir recursos tecnologia e inovação,
(Art. 167, VI) sem autorização do legislativo. com o objetivo de
viabilizar os resultados
de projetos restritos a
essas funções (Art. 167,
§ 5º ).
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO
PRINCÍPIO DO Art. 167,III, CF ( Regra de Ouro)
EQUILÍBRIO
ORÇAMENTÁRIO
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO
Unidade de Caixa Cada ente possuir um único
caixa
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS
PRINCÍPIO REGRA EXCEÇÃO
PRINCÍPIO DA
LEGALIDADE

PRINCÍPIO DA
PUBLICIDADE

PRINCÍPIO DA
TRANSPARÊNCIA
ORÇAMENTÁRIA
03. ( CESPE – TCE/RJ/2021)

O princípio orçamentário da programação determina que as receitas e despesas sejam


integralmente programadas no orçamento, sendo vedada qualquer dedução.
04.( CESPE – TCE/RJ/2021)
Acerca das disposições da Lei Complementar n.º 101/2000 (Lei de
Responsabilidade Fiscal) e da Lei n.º 4.320/1964, de transferências voluntárias,
julgue os seguintes itens.
As cotas de receitas de transferência obrigatória entre entes públicos devem ser
incluídas como despesa no orçamento do ente transferidor.
05. ( CESPE – CODEVASF - Analista em Desenvolvimento Regional
Administração/2021 )
Com relação ao orçamento público, julgue o item seguinte.

O princípio orçamentário da universalidade consiste em integrar, em um único


documento legal, todas as receitas previstas e todas as despesas fixadas para
cada esfera de poder e em cada exercício financeiro.
06. (CESPE – Procurador – Pref. de Campo Grande/MS – 2019)

Vige no ordenamento jurídico brasileiro o princípio da anualidade orçamentária:


nenhum tributo será cobrado no exercício financeiro sem prévia autorização
orçamentária.
07. (CESPE – Analista de Gestão – Administração – SLU/DF – 2019)

De acordo com o princípio da anualidade, o orçamento público deve ser


elaborado e autorizado para um exercício financeiro, que, no Brasil, vai de 1.º de
abril de determinado ano a 31 de março do ano seguinte.
Técnicas orçamentárias

PROF. LUCIANA MARINHO


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS

3 Dimensões: objeto de
gasto, programa de trabalho
e planejamento.
2 Dimensões: objeto de
gasto e programa de
trabalho

1 Dimensão: objeto de
gastos.
TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS

Orçamentos tradicional ou clássico Orçamentos de Desempenho

➢ Falta de planejamento da ação governamental. ➢ Enfatiza o resultado dos gastos.


➢ Mero instrumento contábil. ➢ Ênfase no desempenho organizacional.
➢ Despreocupação do gestor público com o ➢ Tem Planejamento, mas sem vinculação com
atendimento das necessidades da população. orçamento.
ORÇAMENTO- PROGRAMA

➢ Classificação Funcional – Programática.


➢ Planejamento da ação do Governo (programas de trabalho, projetos e atividades).
➢ Objetivos e metas.
➢ Elo entre o planejamento e orçamento.
➢ Programas.
➢ Racionalidade e eficiência.
➢ Visibilidade dos resultados e benefícios gerados para a sociedade.
➢ Instrumento de programação econômica.
TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS

ORÇAMENTO BASE ZERO


➢ Análise crítica
➢ Justificativa
➢ Priorização

➢ O cidadão
ORÇAMENTO ➢ Transparência
PARTICIPATIVO
➢ Processo legislativo
08. (CESPE – CODEVASF - Analista em Desenvolvimento Regional Administração/
2021 )
Com relação ao orçamento público, julgue o item seguinte.

A definição prévia e clara dos objetivos governamentais é condição para a adoção de um


orçamento-programa.
09. (CESPE – Analista Judiciário – Contábeis – TJ/PA - 2020)

A técnica-orçamentária que utiliza o orçamento com função precípua de controle


político é chamada de orçamento clássico.
10. (CESPE – Analista de Gestão – Administração – SLU/DF – 2019)

No orçamento-programa, o aspecto jurídico do orçamento sobrepõe-se ao aspecto


econômico.
11. (CESPE – Analista Judiciário – TJ/AM – 2019)

Tanto no orçamento de desempenho quanto no orçamento-programa, a classificação da


despesa é feita de acordo com o objetivo final do gasto.
12. (CESPE – Técnico Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018)

O orçamento-programa consiste no processo de elaboração de orçamento que exige dos


gestores, a cada novo exercício, a justificativa detalhada dos recursos solicitados.
Instrumentos de planejamento: PPA,
LDO e LOA

PROF. LUCIANA MARINHO


INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO NA CONSTITUIÇÃO

PPA 2020 -2023

LDO LDO LDO LDO

LOA - 2020 LOA - 2021 LOA -2022 LOA - 2023


PLANO PLURIANUAL

D Administração Pública Federal


Despesas de capital
REGIONALIZADA O Outras delas decorrentes
Programas de duração continuada
M
PLANO PLURIANUAL
Art. 167 da CF/1988

INCLUSÃO PPA OU LEI que


autorize

Crime de responsabilidade.
Planos e Programas Nacionais, Regionais e Setoriais

Planos e programas nacionais

PPA
Lei de Diretrizes Orçamentárias na CF/1988
Art. 165 da CF/1988 (NOVIDADE)

LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS


✓ Metas e prioridades
✓ Política fiscal e respectivas metas
✓ Elaboração da LOA,
✓ Alterações na legislação tributária
✓ Agências financeiras oficiais de fomento.
Anexo com previsão de agregados fiscais e a
proporção dos recursos para investimentos

2020
PLDO 2021 2021 (LDO) 2022 2023

exercício a que se refere dois exercícios subsequentes


Lei Orçamentária Anual na CF/1988

§ 5º A lei orçamentária anual compreenderá:

I – o orçamento fiscal

II - o orçamento de investimento

III – o orçamento da seguridade social


Lei Orçamentária Anual na CF/1988

Art. 167. São vedados:

I - o início de programas ou projetos não incluídos na lei orçamentária anual;

VII - a concessão ou utilização de créditos ilimitados;

VIII - a utilização, sem autorização legislativa específica, de recursos dos


orçamentos fiscal e da seguridade social para suprir necessidade ou cobrir
déficit de empresas, fundações e fundos.
Lei Orçamentária Anual na CF/1988

• Demonstrativo regionalizado do efeito das RENÚNCIAS DE


RECEITAS

• PREVISÕES DE DESPESAS para exercícios seguintes


13. (CESPE – TCE/RJ/2021)
A vigência da lei orçamentária anual deve coincidir com a vigência da respectiva lei de
diretrizes orçamentárias.
14. ( CESPE – CODEVASF – ADMINISTRADOR/2021)

O plano plurianual é o documento que traz as diretrizes, os objetivos e as metas de médio


prazo da administração pública, no qual são previstas, por exemplo, as grandes obras
públicas a serem realizadas nos quatro anos seguintes à elaboração do plano.
15. ( CESPE – CODEVASF - Analista em Desenvolvimento Regional
Administração/2021 )

Com relação ao orçamento público no Brasil, julgue o item subsequente.

Vigente por um período de quatro anos, o plano plurianual deve estabelecer, em âmbito
nacional, as diretrizes, os objetivos e as metas para as despesas de capital e os programas
de duração continuada.
Sistema de Planejamento e de
Orçamento Federal

PROF. LUCIANA MARINHO


Sistema de Planejamento e de Orçamento Federal

• Planos nacionais, setoriais e regionais


de desenvolvimento econômico e
social.
Formular • Plano plurianual, as diretrizes
orçamentárias e os orçamentos anuais
Finalidade • O planejamento estratégico nacional

• Gerenciar o processo de planejamento e orçamento federal.

• Promover a articulação com os Estados, o Distrito Federal e


os Municípios.
Sistema de Planejamento e de Orçamento Federal

Art. 3 - O Sistema de Planejamento e de Orçamento Federal


compreende as atividades de elaboração, acompanhamento e avaliação
de planos, programas e orçamentos, e de realização de estudos e
pesquisas socioeconômicas.
Sistema de Planejamento e de Orçamento Federal

Art. 4 - Integram o Sistema de Planejamento e de Orçamento


Federal:

I - o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, como órgão


central;
II - órgãos setoriais;
III - órgãos específicos.
Sistema de Planejamento

Central
MINISTÉRIO
DA
Específicos ECONOMIA Setoriais

MINISTÉRIO MINISTÉRIO
SOF SEST SEPLA
X Y
16. ( CESPE – TCE/RJ/2021)

A competência do Sistema de Planejamento e de Orçamento Federal no âmbito


setorial restringe-se a aprovar os planos elaborados pelos diversos órgãos da
administração pública direta.
17. ( CESPE – TCE/RJ/2021)

Cada órgão setorial de planejamento e orçamento é responsável pela elaboração da


proposta das unidades orçamentárias sob sua supervisão.
18. (CESPE – Analista Judiciário – TJ/AM – 2019)

Os órgãos setoriais de planejamento e de orçamento dos Poderes Legislativo e


Judiciário se submetem a orientação normativa do órgão central de planejamento
do Poder Executivo
19. (CESPE - Técnico Judiciário – Área Administrativa – STM – 2018)

Os órgãos integrantes do SPOF realizam o acompanhamento e a avaliação dos


planos e programas respectivos de todos os poderes e órgãos da administração
pública federal.
20. (CESPE – Analista Judiciário – Administrativa – STM - 2018)

Se houver incompatibilidade entre as normas de planejamento de determinado


estado e as normas correspondentes da União, a responsabilidade de identificar o
problema e procurar os mecanismos de compatibilização será do sistema de
planejamento e de orçamento federal.
Ciclo Orçamentário

PROF. LUCIANA MARINHO


O ciclo orçamentário possui 4 etapas :
INCIATIVA: PODER
EXECUTIVO
Elaboração

PODER LEGISLATIVO

Controle e Discussão,
votação e PODER LEGISLATIVO
Avaliação aprovação

Execução
(orçamentária
e Financeira)
PODER EXECUTIVO
DICA CESPE: O CICLO ORÇAMENTÁRIA É MAIOR QUE TRÊS
EXERCÍCIOS FINANCEIROS

2019 2020 2021

Envio

Aprovação
PLOA 2020 2020 PLOA
pelo pelo
executivo: legislativo
31/08 22/12
Segunda Etapa do Ciclo Orçamentário
(Discussão, votação, aprovação, sanção e publicação)

Apreciação e
LEGISLATIVO
aprovação

Sanção e EXECUTIVO
publicação

• Parlamentares propõe emendas

• Executivo envia mensagem


COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E
FISCALIZAÇÃO

➢ Examinar e emitir parecer (PPA, LDO, LOA, créditos


adicionais, planos e programas nacionais, regionais e
setoriais, prestação de Contas PR.
CMO
➢ Exercer o acompanhamento e a fiscalização
orçamentária.
Poder de emenda (art. 166, § 3º)
Emendas da LOA CMO CMO
( 40 membros votam
(Qualquer parlamentar (condicionantes
pode propor) as emendas)
para aprovação)

RECEITA DESPESA

1. Compatíveis PPA e LDO.


2. Recursos necessários (anulação de despesa).
Lei de Responsabilidade Fiscal
Excluídas
Erro ou omissão de ordem técnica ou ✓ Dotações para pessoal e seus encargos;
legal. ✓ Serviço da dívida;
✓ Transferências tributárias constitucionais para
Estados, Municípios e Distrito Federal;
E como o Poder executivo pode propor alteração do PLOA?

➢ Mensagem ao CN (PPA, LDO, LOA e crédito


adicionais).
➢ Não iniciada a votação
➢ Comissão mista da parte cuja alteração é proposta
Execução Orçamentária e Cumprimento
das Metas

Até 30 dias após a publicação dos orçamentos, nos termos em que dispuser a
LDO, o Poder Executivo estabelecerá a programação financeira e o cronograma
de execução mensal de desembolso.

As receitas previstas serão desdobradas, pelo Poder Executivo, em metas bimestrais de


arrecadação, com a especificação, em separado, quando cabível, das medidas de combate à
evasão e à sonegação, da quantidade e valores de ações ajuizadas para cobrança da dívida
ativa, bem como da evolução do montante dos créditos tributários passíveis de cobrança
administrativa.
Controle dos Fluxos de ingresso e dispêndio

Excesso de
A abertura dos créditos suplementares e
Arrecadação especiais.

Frustração da Limitação de empenho e movimentação


financeira
Arrecadação
Execução Orçamentária e Cumprimento
das Metas

Os recursos legalmente vinculados à finalidade específica serão


utilizados exclusivamente para atender ao objeto de sua vinculação,
ainda que em exercício diverso daquele em que ocorrer o ingresso.
Emendas Parlamentares de Execução
Obrigatória

EC 86/2015 e EC 100/2019: Orçamento Impositivo

§ 9º As emendas individuais ao projeto de lei orçamentária serão aprovadas


no limite de 1,2% (um inteiro e dois décimos por cento) da receita corrente
líquida prevista no projeto encaminhado pelo Poder Executivo, sendo que a
metade deste percentual será destinada a ações e serviços públicos de saúde.
Emendas Parlamentares de Execução
Obrigatória

EC 86/2015 e EC 100/2019: Orçamento Impositivo

§ 11. É obrigatória a execução orçamentária e financeira das programações a


que se refere o § 9º deste artigo, em montante correspondente a 1,2% (um
inteiro e dois décimos por cento) da receita corrente líquida realizada no
exercício anterior, conforme os critérios para a execução equitativa da
programação definidos na lei complementar prevista no § 9º do art. 165.
Emendas Parlamentares de Execução
Obrigatória

EC 86/2015 e EC 100/2019: Orçamento Impositivo

§ 12. A garantia de execução de que trata o § 11 deste artigo aplica-se


também às programações incluídas por todas as emendas de iniciativa de
bancada de parlamentares de Estado ou do Distrito Federal, no montante de
até 1% (um por cento) da receita corrente líquida realizada no exercício
anterior.
EC 86/2015 – Orçamento impositivo para emendas individuais

APROVAÇÃO EMENTA PLOA PE ( obrigatoriedade de


• 1,2% RCL prevista no PLOA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E
• Metade para Saúde FINANCEIRA)

Art. 166, § 9º, CF/88 Art. 166, § 11, CF/88


§ 13. As programações orçamentárias previstas nos §§ 11 e 12
deste artigo não serão de execução obrigatória nos casos dos
impedimentos de ordem técnica.
Execução obrigatória das Emendas impositivas

§ 20. As programações de que trata o § 12 deste artigo, quando versarem sobre o


início de investimentos com duração de mais de 1 (um) exercício financeiro ou cuja
execução já tenha sido iniciada, deverão ser objeto de emenda pela mesma
bancada estadual, a cada exercício, até a conclusão da obra ou do
empreendimento.
EC 105/2019: transferência direta de recursos de emendas
parlamentares a Estados, ao DF e a municípios


EC 105/2019: transferência direta de recursos de emendas
parlamentares a Estados, ao DF e a municípios
o Uso livre.
o Repassado diretamente, sem necessidade de
convênio ou qualquer outro instrumento.
o Pertencerá ao ente federado após concluído o
repasse.
Transferência o Aplicado em programações finalísticas das
especial áreas de competência do Poder Executivo.
o Mínimo de 70% para despesas de capital,
exceto encargos da dívida.
o 30% podem ser usados para despesas de
custeio.
EC 105/2019: transferência direta de recursos de emendas
parlamentares a Estados, ao DF e a municípios

o Vinculados à programação estabelecida


Transferência na emenda parlamentar.
com finalidade
definida o Aplicados nas áreas de competência
constitucional da União.
21. ( CESPE – TCE/RJ)
É vedado ao presidente da República propor modificação integral da proposta de lei
orçamentária anual, se uma parte referida proposta tiver sido aprovada na comissão mista
de orçamentos.
22. (CESPE – Analista Judiciário – Contábeis – TJ/PA - 2020)

O processo orçamentário, também denominado ciclo orçamentário, é constituído,


exclusivamente, das seguintes etapas: planejamento; elaboração da proposta; discussão e
aprovação; e execução.
23. (CESPE – Analista Judiciário – Administrativa – TJ/PA - 2020)

No processo orçamentário, após o envio do projeto de lei orçamentária ao Poder Legislativo,


os parlamentares podem apresentar emendas que alterem o texto inicial. Nesse contexto,
para atendimento das demandas, são admitidas emendas que, entre outros requisitos legais,
sejam compatíveis com a lei de diretrizes orçamentárias (LDO).
24. (CESPE – Analista Judiciário – Judiciária – TRT/8 – 2016)

Ao aprovar a LOA, o Poder Legislativo autoriza que o Poder Executivo aplique os recursos
financeiros em gastos necessários à manutenção dos serviços públicos ao longo do exercício
financeiro, o qual não coincide com o ano civil.
25. (CESPE – Técnico Judiciário – Administrativa – TRT/8 – 2016)

De acordo com a Constituição Federal de 1988 (CF), cabe ao Poder Executivo estabelecer o
plano plurianual, as diretrizes orçamentárias e os orçamentos anuais, bem como publicar um
relatório resumido da execução orçamentária após o encerramento de cada bimestre no
prazo de até trinta dias.
26. (CESPE – Auditor Governamental – CGE/PI - 2015)

O projeto da lei orçamentária anual deve ser encaminhado ao Congresso Nacional para
exame por uma comissão mista de deputados e senadores em até seis meses antes do
encerramento do exercício financeiro, de modo que sua devolução para sanção ocorra até o
encerramento da sessão legislativa, pois, caso contrário, não haverá o recesso legislativo.
27. (CESPE – Técnico Administrativo – ANTT – 2013)

No processo de elaboração da proposta orçamentária, a Secretaria de Orçamento Federal


coordena, consolida e supervisiona a elaboração da LDO e da proposta orçamentária da
União, compreendendo o orçamento fiscal e o orçamento da seguridade social.
28. (CESPE – Analista Administrativo - IBAMA – 2013)

O projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) deve ser aprovado em sessões ordinárias ou
extraordinárias separadas, primeiramente no plenário da Câmara dos Deputados, em
seguida no plenário do Senado Federal.
29. (CESPE - Analista em Ciência e Tecnologia– Contabilidade – CAPES - 2012)

Cabe à Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização examinar e emitir


parecer sobre o projeto de lei do orçamento, do plano plurianual, das diretrizes
orçamentárias e de créditos adicionais.
Crédito adicional

PROF. LUCIANA MARINHO


Suplementares Especial Extraordinário
Reforço de dotação orçamentária Não haja dotação Despesas urgentes e
orçamentária específica imprevisíveis
Limitada ao exercício em que
forem autorizados. Autorizados por lei Não é necessária indicar
especial fonte de recursos
Autorizados por lei (LOA)
Abertos por decreto Abertos por medida
Abertos por decreto do Poder provisória
Executivo Recursos disponíveis
justificativa Exceção ao princípio da
Exceção ao princípio da
anualidade
exclusividade Exceção ao princípio da
anualidade
FONTES PARA A ABERTURA DE CRÉDITOS ADICIONAIS

✓ Excesso de arrecadação.
✓ Superávit financeiro do balanço patrimonial do exercício
AUMENTO
anterior.
✓ Operações de créditos autorizadas para esse fim.

✓ Anulação total ou parcial de dotação.


SEM
ALTERAÇÃO ✓ Reserva de contingência
✓ Recursos sem despesas correspondentes.
30. ( CESPE – TCE/RJ/2021)

O crédito adicional constitui dotação isolada da lei orçamentária anual, sendo vedada sua
incorporação no crédito orçamentário.
31. ( CESPE – CODEVASF – Administrador/2021)

Em situações em que o governo reconheça o estado de calamidade pública,


como ocorreu em 2020 devido à pandemia de covid-19, para alocar recursos
adicionais ao orçamento com o objetivo de atender os municípios atingidos,
deve-se utilizar o mecanismo retificador do orçamento denominado crédito
especial.
32. ( CESPE – CODEVASF – Administrador/2021 )

Com base nas informações da tabela apresentada, que mostra contas extraídas em
31/12/20X0 da contabilidade de determinado ente público, julgue os próximos itens.

O referido ente público apurou o valor de excesso de arrecadação de R$ 5.000.000.


33. (CESPE – Auditor de Finanças e Controle – SEFAZ/AL - 2020)

Projeto de lei orçamentária anual (LOA) que não contenha despesas essenciais deverá ser
revisto antes de ser votado, pois os créditos adicionais, que têm a função de ajustar as
dotações da LOA, devem ser usados somente como créditos suplementares e créditos
extraordinários.
34. (CESPE – Analista – Administração - MPE/CE - 2020)

A LOA de 2020 prevê crédito para a construção de um presídio federal com custo total
previsto de R$ 11 milhões. Os pagamentos serão realizados em parcelas durante a execução
da obra, que será desenvolvida em dois anos, com expectativa de conclusão para 2021,
conforme previsto no PPA. Considerando a situação hipotética precedente, caso os recursos
previstos inicialmente sejam insuficientes e haja a necessidade de complementar a dotação
inicial com mais R$ 1 milhão, será necessária a inclusão de crédito adicional extraordinário
no montante de R$ 1 milhão.
35. (CESPE – Analista Judiciário – Administrativa – TJ/PA - 2020)

O prefeito de um município comunicou ao gestor orçamentário a necessidade de verbas


adicionais, não previstas na lei orçamentária, para atender centenas de desabrigados em
decorrência de tempestades e alagamentos que haviam atingido o município. Nesse caso, o
gestor deve solicitar créditos adicionais extraordinários.
36. (CESPE – Auditor Fiscal – SEFAZ/DF - 2020)

O crédito especial cujo ato de autorização seja promulgado nos últimos quatro meses do
exercício financeiro pode ser reaberto e incorporado ao orçamento do ano seguinte, desde
que respeitado o limite do seu saldo.
37. (CESPE – Auditor de Finanças e Controle – SEFAZ/AL - 2020)
A anulação parcial de dotações orçamentárias não é uma fonte de recursos para a abertura
de crédito suplementar.
38. (CESPE – Analista Judiciário – TJ/AM – 2019)

É permitido que os recursos correspondentes a determinada emenda supressiva da despesa


aprovada pelo Congresso Nacional sejam utilizados como fonte de recursos para a abertura
de créditos suplementares e especiais.
Programação e execução orçamentária e
financeira. Descentralização
orçamentária e financeira.

PROF. LUCIANA MARINHO


Programação Financeira e Orçamentária

LRF

Art. 8o Até trinta dias após a publicação dos


orçamentos, nos termos em que dispuser a lei de Cronograma
diretrizes orçamentárias , o Poder Executivo
Mensal de
estabelecerá a programação financeira e o
cronograma de execução mensal de desembolso. Desembolso

CF/88 Art. 165,§ 3º

O Poder Executivo publicará, até 30 dias após o Metas


encerramento de cada bimestre, relatório Bimestrais de
resumido da execução orçamentária. Arrecadação
DESCENTRALIZAÇÃO DO CRÉDITO ORÇAMENTÁRIO

Órgão Central
Órgão Central

Fixação da Empenho Liquidação


Despesa Pagamento
(compromete o (Recebe o bem
ou serviço) (Financeiro)
( libera crédito) crédito)
Ministério B
(repasse)-
Movimentação
Ministério B
externa
UA e UO UA e UO
(Destaque) – Ministério (Dotação) (provisão) –
movimentação – Movimenta credito Movimentação Ministério ( Cota) – UA e UO (sub repasse)
externa de UO interna de Movimenta recurso – movimentação
crédito (LOA) crédito interna
Se ocorrer movimentação de crédito ou de recurso de um ministério para
administração indireta ( mesmos sendo entidade supervisionada daquele
ministério)...

✓ Destaque ( se movimenta crédito)


Movimentação
externa
✓ Repasse ( se movimenta Recurso)
39. (CESPE - Analista Administrativo - EBSERH - 2018)

Os objetivos do decreto de limitação de empenho e movimentação financeira incluem


cumprir com a legislação orçamentária e assegurar o equilíbrio entre receitas e despesas.
40. (CESPE – Analista Judiciário – Administrativa – TRE/PI – 2016)

A programação financeira é um instrumento que foi introduzido pela LRF.


41. (CESPE – Economista e Contador - DPU – 2016)

Após a sanção presidencial à LOA aprovada pelo Congresso Nacional, o Poder Executivo,
mediante decreto, deve estabelecer, em até sessenta dias, a programação financeira e o
cronograma de desembolso mensal por órgãos.
42. (CESPE – Auditor Governamental – CGE/PI - 2015)

Caso seja identificada frustração na arrecadação da receita, durante o acompanhamento da


execução de um orçamento público, mecanismos de ajuste entre receita e despesa deverão
ser propostos pelo Poder Executivo, mediante decreto, e aprovados pelo Poder Legislativo.
43. (CESPE – Analista Judiciário – Administrativa – TJ/PA - 2020)

A descentralização de créditos orçamentários ocorre quando efetuada movimentação de


parte do orçamento para que outras unidades administrativas possam executar as despesas
orçamentárias. Nesse procedimento, obrigatoriamente se preserva a estrutura programática.
44. (CESPE – Analista Judiciário – Contábeis – TJ/PA - 2020)

Os tipos de descentralização de créditos e recursos que podem ocorrer entre duas


universidades federais de estados diferentes são provisão e subrepasse.
45. (CESPE – Auditor Fiscal – SEFAZ/DF - 2020)

O destaque de determinado crédito orçamentário pode ser realizado independentemente de


autorização específica da lei orçamentária anual.
46. (CESPE – Auditor Municipal de Controle Interno - CGM/JP – 2018)

O órgão público que precisar descentralizar dotações do seu orçamento para unidades
gestoras de outro órgão público deverá realizar um destaque.
47. (CESPE – Auditor Fiscal de Controle Externo – TCE/SC – 2016)

Denomina-se repasse a transferência de parte do crédito orçamentário de uma unidade


gestora para entidade integrante da estrutura administrativa de órgão público diverso.
lucianadepaulamarinho

t.me/afoparaconcursos

Cupom: #LUCIANA20

Você também pode gostar