Você está na página 1de 6

Exercícios de Física professorpinguim.

com

Mecânica – Lista 13 (m) – Energia Mecânica

1. (Ufg 2006) Um bloco de massa igual a 0,5 kg é abandonado, o movimento ascendente do projétil, ou seja, desde o instante do
em repouso, 2 m acima de uma mola vertical de comprimento 0,8 seu lançamento até o instante no qual ele atinge a altura máxima.
m e constante elástica igual a 100 N/m, conforme o diagrama. Calcule o trabalho, em joules, realizado pela gravidade terrestre
(força peso) sobre o projétil durante este intervalo de tempo.
Despreze a resistência do ar ao longo da trajetória do projétil.

6. (Uerj) Um mico, que fazia piruetas sobre a cabeça de um


elefante, deixou seu chapéu, de massa igual a 50g, escorregar
pela tromba do elefante, a partir do repouso, de uma altura h
igual a 2,0m, como ilustra a figura a seguir.

a) Calcule o menor comprimento que a mola atingirá.


b) Determine o comprimento da mola no ponto em que o
corpo atingiu a maior velocidade durante a queda.
Considere g = 10 m/s£.

2. (Ufpe 2004) Um bloco de massa m = 0,1 kg comprime uma


Sabendo que a velocidade v no ponto B é 2,0m/s, determine a
mola ideal, de constante elástica k = 100 N/m, de 0,2 m (ver
energia dissipada pelo atrito no percurso entre A e B.
figura). Quando a mola é liberada, o bloco é lançado ao longo de
uma pista lisa. Calcule a velocidade do bloco, em m/s, quando ele
7. (Ufpe 2006) Um pequeno bloco, de massa m = 0,5 kg,
atinge a altura h = 1,2 m.
inicialmente em repouso no ponto A, é largado de uma altura h =
1,6 m. O bloco desliza, sem atrito, ao longo de uma superfície e
colide, no ponto B, com uma mola de constante elástica k=100
N/m (veja a figura a seguir). Determine a compressão máxima da
mola, em cm.

3. (Unesp) Um corpo de massa 3,0kg desloca-se livremente, em


movimento retilíneo uniforme, sobre uma superfície horizontal
perfeitamente lisa, com velocidade de 4,0m/s. A partir de certo
momento, a superfície se torna áspera e, devido à força de atrito
constante, o corpo pára.
a) Calcule a energia dissipada pela força de atrito que atuou no
corpo. 8. (Ufscar 2005) Quino, criador da personagem Mafalda, é
b) Sabendo que a força de atrito atuou por 2,0s, calcule o módulo também conhecido por seus quadrinhos repletos de humor
(intensidade) dessa força. chocante. Aqui, o executivo do alto escalão está prestes a cair
em uma armadilha fatal.
4. (Ufpe 2006) Uma bolinha presa a um fio de comprimento L =
1,6 m que está fixado no teto, é liberada na posição indicada na
figura (ponto A). Ao passar pela posição vertical, o fio encontra
um pino horizontal fixado a uma distância h = 1,25 m (ver figura).
Calcule o módulo da velocidade da bolinha, em m/s, no instante
em que a bolinha passa na altura do pino (ponto B).

Considere que:
- o centro de massa do tubo suspenso, relativamente à parte
5. (Ufpe 2006) Um pequeno projétil, de massa m = 60 g, é
inferior do tubo, está localizado a uma distância igual à altura da
lançado da Terra com velocidade de módulo V³ = 100 m/s,
cartola do executivo;
formando um ângulo de 30° com a horizontal. Considere apenas
- a distância do centro de massa do tubo até o topo da cartola é

Mecânica – Lista 13 (m) – Energia Mecânica - Pingüim pag.1


3,2 m; é necessário transformar aproximadamente 4,2J de energia
- a vertical que passa pelo centro de massa do tubo passa mecânica para se obter 1cal. Numa experiência similar, deixava-
também pela cabeça do executivo; se cair um corpo de massa 50kg, 30 vezes de uma certa altura. O
- o tubo tem massa de 450 kg e, durante uma queda, não sofreria corpo estava preso a uma corda, de tal maneira que, durante a
ação significativa da resistência do ar, descendo com aceleração sua queda, um sistema de pás era acionado, entrando em
de 10 m/s£; rotação e agitando 500g de água contida num recipiente isolado
- comparativamente à massa do tubo, a corda tem massa que se termicamente. O corpo caia com velocidade praticamente
pode considerar desprezível. constante. Constatava-se, através de um termômetro adaptado
a) Após esmagar a cartola, sem resistência significativa, com que ao aparelho, uma elevação total na temperatura da água de
velocidade, em m/s, o tubo atingiria a cabeça do executivo? 14°C.
b) Para preparar a armadilha, o tubo foi içado a 5,5 m do chão Determine a energia potencial total perdida pelo corpo e de que
pela própria corda que posteriormente o sustentou. Determine o altura estava caindo.
trabalho, em J, realizado pela força peso na ascensão do tubo.

9. (Ufu 2004) João, em um ato de gentileza, empurra uma


poltrona para Maria, que a espera em repouso num segundo
plano horizontal (0,8 m abaixo do plano de João). A poltrona tem
uma massa de 10 kg e Maria tem uma massa de 50 kg. O chão é
tão liso que todos os atritos podem ser desprezados, conforme
figura 1.
A poltrona é empurrada de A até B, partindo do repouso em A.
João exerce uma força constante igual a 25 N, na direção
Despreze os atritos nas polias, no eixo e no ar.
horizontal. Em B a poltrona é solta, descendo a pequena rampa
Dados: calor específico da água: c=1cal/g °C g=9,8m/s£.
de 0,8 m de altura. Quando a poltrona chega com uma certa
a) Ep = 7000J; h = 0,5m.
velocidade (v) em Maria, ela senta-se rapidamente na poltrona,
b) Ep = 29400J; h = 2m.
sem exercer qualquer força horizontal sobre ela, e o sistema
c) Ep = 14700J; h = 5m.
poltrona + Maria escorrega no segundo plano horizontal,
d) Ep = 7000J; h = 14m.
conforme figura 2.
e) Ep = 29400J; h = 60m.

12.
12 (fUVEST) A figura adiante representa um plano inclinado CD.
Um pequeno corpo é abandonado em C, desliza sem atrito pelo
plano e cai livremente a partir de D, atingindo finalmente o solo.
Desprezando a resistência do ar, determine:

Considerando a aceleração da gravidade como 10 m/s£, calcule:


a) o trabalho realizado por João no percurso AB.
b) a velocidade (v) da poltrona ao chegar em Maria.
c) a velocidade do sistema poltrona + Maria, após Maria sentar-se
na poltrona.
a) O módulo da aceleração 'a' do corpo, no trecho CD, em m/s£.
10.
10 (Ufpe 2004) Um bloco de massa mL = 100 g comprime uma Use para a aceleração da gravidade o valor g=10m/s£.
mola de constante elástica k = 360 N/m, por uma distância x = b) O valor do módulo da velocidade do corpo, imediatamente
10,0 cm, como mostra a figura. Em um dado instante, esse bloco antes dele atingir o solo, em m/s.
é liberado, vindo a colidir em seguida com um outro bloco de c) O valor da componente horizontal da velocidade do corpo,
massa m‚ = 200 g, inicialmente em repouso. Despreze o atrito imediatamente antes dele atingir o solo, em m/s.
entre os blocos e o piso. Considerando a colisão perfeitamente
inelástica, determine a velocidade final dos blocos, em m/s. 13.
13 (UFC)Uma partícula move-se no sentido do eixo x, com
velocidade inicial v³ e energia total E³. A partícula penetra numa
região onde a energia potencial U varia com a posição, de acordo
com o gráfico mostrado na figura a seguir.

11.
11 (PUC-SP) A experiência de James P. Joule, determinou que
Mecânica – Lista 13 (m) – Energia Mecânica - Pingüim pag.2
17. (Ufpe 2005) Um objeto é abandonado a partir do repouso,
em t = 0, no topo de um plano inclinado. Desprezando o atrito,
qual dos gráficos a seguir melhor representa a variação da
energia cinética do objeto em função do tempo?

Levando em conta o gráfico anterior, analise as afirmativas a


seguir.
I - a velocidade da partícula no ponto A é menor do que v³;
II - a velocidade da partícula aumenta entre os pontos A e C;
III - a velocidade da partícula no ponto C é zero;
IV - a velocidade da partícula nos pontos B e D é a mesma;

14.
14 (UFLavras) Uma mola encontra-se comprimida por dois
blocos de massa mL=1kg e m‚=3kg, sobre uma mesa horizontal
sem atrito. A energia potencial elástica armazenada na mola é
600J. Ao soltarmos os dois blocos, mL se desloca para a direita e 18.
18 (Ufrrj) Numa fábrica, vários copos de vidro são enchidos com
m‚ para a esquerda. Suas velocidades vL e v‚ são: doce. Desde a máquina que os enche, no nível "A", até os
a) vL = 10 m/s; v‚ = 30 m/s operários que os tampam, no nível "B", os copos são deslocados
b) vL = 10 m/s; v‚ = 10 m/s por uma esteira, como mostra a figura a seguir.
c) vL = 30 m/s; v‚ = 10 m/s
d) vL = 60 m/s; v‚ = 60 m/s
e) vL = 2 m/s; v‚ = 5 m/s

15.
15 (Unicamp) Um pára-quedista de 80kg (pessoa + pára-quedas)
salta de um avião. A força da resistência do ar no para quedas é
dada pela expressão:
F = - bV£ Considerando que na posição "A" cada copo está em repouso e a
onde b = 32 kg/m é uma constante e V a velocidade do pára- 1,6 m do solo; que ao longo do movimento até "B", de altura 1 m,
quedista. Depois de saltar, a velocidade de queda vai a ação das forças de atrito é desprezível e que o valor da
aumentando até ficar constante. O pára-quedista salta de 2.000 aceleração da gravidade local é 10 m/s£, pode-se afirmar que o
m de altura e atinge a velocidade constante antes de chegar ao módulo da velocidade escalar final do copo no nível "B", em m/s,
solo. é igual a
a) Qual a velocidade com que o pára-quedista atinge o solo? a) 2Ë3. b) 2Ë4. c) 2Ë5.
b) Qual foi a energia dissipada pelo atrito contra o ar na queda d) 3Ë3. e) 3Ë4.
desse pára-quedista?
19.
19 (Pucpr 2005) Um corpo de massa 1 kg desce, a partir do
16.
16 (Fgv 2006) Mantendo uma inclinação de 60° com o plano da repouso no ponto A, por uma guia que tem a forma de um
lixa, uma pessoa arrasta sobre esta a cabeça de um palito de quadrante de circunferência de 1 m de raio. O corpo passa pelo
fósforos, deslocando-o com velocidade constante por uma ponto B com uma velocidade de 2 m/s, segue em trajetória
distância de 5 cm, e ao final desse deslocamento, a pólvora se retilínea na superfície horizontal BC e pára no ponto C.
põe em chamas.

Considere g = 10 m/s£ e analise as proposições:


I. A energia cinética do corpo ao passar pelo ponto B é 2 J.
Se a intensidade da força, constante, aplicada sobre o palito é 2 II. Houve perda de energia, em forma de calor, no trecho AB.
N, a energia empregada no acendimento deste, III. A energia potencial gravitacional, do corpo, na posição A em
desconsiderando- se eventuais perdas, é relação ao plano horizontal de referência é 30 J.
Dados: sen 60° = (Ë3)/2; cos 60° = ½ IV. Não houve perda de energia, em forma de calor, no trecho
a) 5Ë3 × 10−£ J. b) 5 × 10−£ J. c) 2Ë3 × 10−£ J. BC.
d) 2 × 10−£ J. e) Ë3 × 10−£ J. Está correta ou estão corretas:
a) somente IV b) somente II e IV c) somente I e II
d) somente I e) todas

Mecânica – Lista 13 (m) – Energia Mecânica - Pingüim pag.3


20.
20 (Pucpr 2005) Um estudante de 60 kg escala uma colina de d) - cinética e elástica - cinética e elástica – gravitacional
150 m. No corpo desse estudante, para cada 20 J de energia e) - cinética e elástica - cinética e gravitacional - gravitacional
convertidos em energia mecânica, o organismo desprende 100 J
de energia interna, dos quais 80 J são dissipados como energia 24.
24 (Ufu 2005) Em torno de 1850, o físico James P. Joule
térmica.Adote g = 10 m/s£ e considere as seguintes proposições: desenvolveu um equipamento para medir o equivalente mecânico
I. O corpo do estudante tem uma eficiência de 20% na conversão em energia térmica. Este equipamento consistia de um peso
de energia interna para energia mecânica. conhecido preso a uma corda, de forma que quando o peso caía,
II. A energia potencial gravitacional do estudante no topo da um sistema de pás era acionado, aquecendo a água do
colina é de 90 kJ, em relação à base da colina. recipiente, como mostra a figura.
III. A energia interna que o estudante desprendeu durante a
escalada foi de 450 kJ.
Estão corretas:
a) todas b) Nenhuma está correta.
c) apenas I e III d) apenas II e III e) apenas I e II

21.
21 (Pucsp 2005) A figura representa o perfil de uma rua formada
por aclives e declives. Um automóvel desenvolvia velocidade de
10 m/s ao passar pelo ponto A, quando o motorista colocou o
automóvel "na banguela", isto é, soltou a marcha e deixou o Joule usou um peso de massa M = 10 kg, caindo de uma altura
veículo continuar o movimento sem ajuda do motor. Supondo que de 5 m, em um local onde a aceleração da gravidade valia 10
todas as formas de atrito existentes no movimento sejam capazes m/s£. Deixando o peso cair 5 vezes, Joule observou que a
de dissipar 20% da energia inicial do automóvel no percurso de A temperatura dos 400 g de água do recipiente aumentou em 1,5
até B, qual a velocidade do automóvel, em m/s, ao atingir o ponto °C.Dado: calor específico da água: 1 cal/°C.g
B? Com base no experimento de Joule, pode-se concluir que
a) 2500 J de energia potencial transformaram-se em 600 cal de
calor.
b) 4,17 cal correspondem a 1 J.
c) a quantidade de calor recebida pela água foi de 0,6 cal.
d) energia potencial e quantidade de calor nunca podem ser
comparadas.
a) 2 b) 2Ë5 c) 5Ë2 d) 8 e) 10
25.
25 (Unesp 2006) No final de dezembro de 2004, um tsunami no
22.
22 (Uerj 2005) Um veículo consumiu 63,0 L de gás natural para oceano Índico chamou a atenção pelo seu poder de destruição.
percorrer uma distância de 225 km. A queima de 28,0 L de gás Um tsunami é uma onda que se forma no oceano, geralmente
natural libera 1,00 × 10§ J de energia. A energia consumida, em criada por abalos sísmicos, atividades vulcânicas ou pela queda
joules, por quilômetro, foi igual a: de meteoritos. Este foi criado por uma falha geológica reta, muito
a) 5,10 × 10§ b) 4,50 × 10¦ comprida, e gerou ondas planas que, em alto mar, propagaram-
c) 1,00 × 10¥ d) 2,25 × 10¤ se com comprimentos de onda muito longos, amplitudes
pequenas se comparadas com os comprimentos de onda, mas
23.
23 (Uff 2005) O salto com vara é, sem dúvida, uma das com altíssimas velocidades. Uma onda deste tipo transporta
disciplinas mais exigentes do atletismo. Em um único salto, o grande quantidade de energia, que se distribui em um longo
atleta executa cerca de 23 movimentos em menos de 2 comprimento de onda e, por isso, não representa perigo em alto
segundos. Na última Olimpíada de Atenas a atleta russa, mar. No entanto, ao chegar à costa, onde a profundidade do
Svetlana Feofanova, bateu o recorde feminino, saltando 4,88 m.A oceano é pequena, a velocidade da onda diminui. Como a
figura a seguir representa um atleta durante um salto com vara, energia transportada é praticamente conservada, a amplitude da
em três instantes distintos. onda aumenta, mostrando assim o seu poder devastador.
Considere que a velocidade da onda possa ser obtida pela
relação v = Ë(hg), onde g = 10 m/s£ e h são, respectivamente, a
aceleração da gravidade e a profundidade no local de
propagação. A energia da onda pode ser estimada através da
relação E = kvA£, onde k é uma constante de proporcionalidade e
A é a amplitude da onda. Se o tsunami for gerado em um local
com 6 250 m de profundidade e com amplitude de 2 m, quando
chegar à região costeira, com 10 m de profundidade, sua
Assinale a opção que melhor identifica os tipos de energia
amplitude será
envolvidos em cada uma das situações I, II, e III,
a) 14 m. b) 12 m. c) 10 m. d) 8 m. e) 6 m.
respectivamente.
a) - cinética - cinética e gravitacional - cinética e gravitacional
26. (ITA 2006) Um anel de peso 30 N está preso a uma mola e
b) - cinética e elástica - cinética, gravitacional e elástica - cinética
desliza sem atrito num fio circular situado num plano vertical,
e gravitacional
conforme mostrado na figura.
c) - cinética - cinética, gravitacional e elástica - cinética e
gravitacional

Mecânica – Lista 13 (m) – Energia Mecânica - Pingüim pag.4


a) Ë2gR/3 b) Ë3gR/2 c) Ë6gR/2
d) 3ËgR/2 e) 3ËgR

Considerando que a mola não se deforma quando o anel se


29. Um carrinho escorrega sem atrito em uma montanha russa,
encontra na posição P e que a velocidade do anel seja a mesma
partindo do repouso no ponto A, a uma altura H, e sobe o trecho
nas posições P e Q, a constante elástica da mola deve ser de
seguinte em forma de um semicírculo de raio R. Qual a razão
a) 3,0 × 10¤ N/m
H/R, para que o carrinho permaneça em contato com o trilho no
b) 4,5 × 10¤ N/m
ponto B?
c) 7,5 × 10¤ N/m
d) 1,2 × 10¥ N/m
e) 3,0 × 10¥ N/m

27. (UFRJ 2006) Um trilho em forma de arco circular, contido em


um plano vertical, está fixado num ponto A de um plano
horizontal. O centro do arco está em um ponto O desse mesmo
plano. O arco é de 90° e tem raio R, como ilustra a figura 1.
Um pequeno objeto é lançado para cima, verticalmente, a partir
da base A do trilho e desliza apoiado a ele, sem atrito, até o
ponto B, onde escapa horizontalmente, caindo no ponto P do
plano horizontal onde está fixado o trilho. A distância do ponto P
ao ponto A é igual a 3R como ilustra a figura 2.
a) 5/4
b) 4/3
c) 7/5
d) 3/2
e) 8/5
Gabarito

1. a) 0,3 m b) 0,75 m
2. 4 m/s.
3. a) 24 J b) 6,0 N
4. v = 5,0 m/s.
5. - 75 J
6. 0,90 J.
Calcule o módulo da velocidade inicial ¬³ com que o bloco foi 7. 40 cm.
lançado, em função do raio R e da aceleração g da gravidade. 8. a) 8,0m/s b) -2,5 . 10¥J (aprox.)
9. a) 100 J b) 6m/s c) 1m/s
28. (Ita 2005) Um objeto pontual de massa m desliza com 10. 2 m/s.
velocidade inicial «, horizontal, do topo de uma esfera em 11. [B]
repouso, de raio R. Ao escorregar pela superfície, o objeto sofre 12. a) 6,0 m/s£ b) 10,95 m/s c) 6,19 m/s
uma força de atrito de módulo constante dado por f = 7mg/4™. 13. [C]
Para que o objeto se desprenda da superfície esférica após 14. [C]
percorrer um arco de 60° (veja figura), sua velocidade inicial deve 15. a) 5,0 m/s b)1,6 . 10§ J
ter o módulo de 16. [B]
17. [B]
18. [A]
19. [C]
20. [A]
21. [E]
22. [C]
23. [C]
24. [A]
Mecânica – Lista 13 (m) – Energia Mecânica - Pingüim pag.5
25. [C
26. [A]
27. V³ = 2ËgR.
28. [A]
29. [D]

Mecânica – Lista 13 (m) – Energia Mecânica - Pingüim pag.6