Você está na página 1de 9

OS 11 SUPREMOS

1
OS 11 SUPREMOS

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

O QUE É?

O Supremo Tribunal Federal (STF) é o órgão máximo do


Poder Judiciário. Conforme estabelecido pelo art. 102 da
Constituição Federal, ao STF, compete salvaguardá-la.
Dentre outras atribuições, cabe aos ministros da Corte
processar e julgar: a ação direta de inconstitucionalida-
de1 de lei ou ato normativo federal ou estadual e a ação
declaratória de constitucionalidade2 de lei ou ato norma-
tivo federal; o Presidente da República, o Vice-Presiden-
te, os membros do Congresso Nacional, seus próprios
1 A ação direta de inconstitucionalidade (ADI) argue inconstitucionalidade de lei,
ato normativo federal ou estadual. A ADI pode ser proposta pelo Presidente da Repúbli-
ca, pelos presidentes do Senado, da Câmara dos deputados ou de assembleia legislativa,
pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por partido político e por entidade sindical
de âmbito nacional.

2 A Ação declaratória de constitucionalidade (ADC) é uma ação judicial proposta


com o objetivo de tornar certo judicialmente que uma dada norma é compatível com a
Constituição.

2
OS 11 SUPREMOS

Ministros e o Procurador-Geral da República nas ações


penais comuns; as causas e os conflitos entre a União
e os Estados, a União e o Distrito Federal, ou entre uns
e outros, inclusive as respectivas entidades da adminis-
tração indireta.

A partir da Emenda Constitucional 45/2004, introduziu-


-se a possibilidade de o Supremo Tribunal Federal aprovar,
após reiteradas decisões sobre matéria constitucional,
súmula com efeito vinculante3 em relação aos demais
órgãos do Poder Judiciário e à administração pública di-
reta e indireta, nas esferas federal, estadual e municipal.

QUAIS OS CRITÉRIOS JURÍDICOS PARA SER


MINISTRO DO STF?

De acordo com o art. 101 da Constituição Federal,


para ser apto ao cargo, o pleiteante deve ser brasileiro
nato com mais de 35 anos e menos de 65 anos de idade,
apresentar notável saber jurídico e reputação ilibada.

3 O caráter vinculativo da súmula expressa uma exigência de que todos os Tribu-


nais e juízes, bem como a Administração Pública, sigam a orientação adotada pelo STF,
sob pena de anulação da decisão judicial.

3
OS 11 SUPREMOS

COMO OS MINISTROS DA CORTE


SÃO ESCOLHIDOS?

O parágrafo único do mesmo art. 101 estabelece que o


processo de nomeação do Ministro do Supremo Tribunal
Federal tem início com indicação do Presidente da Repú-
blica. Após isso, o indicado deve ser aprovado pela maio-
ria absoluta do Senado Federal, cuja deliberação é prece-
dida de argüição pública pela Comissão de Constituição,
Justiça e Cidadania desta Casa Legislativa.

Uma vez que a posse tenha ocorrido, o Ministro só poderá


perder o cargo por renúncia, aposentadoria compulsória
- que acontece aos 70 anos de idade - ou impeachment.

A Constituição Federal atribuiu ao Senado Federal a com-


petência para processar e julgar os Ministros do Supremo
Tribunal Federal nos crimes de responsabilidade. A conde-
nação é proferida somente por dois terços dos votos do
Senado Federal, limita-se à perda do cargo, com inabilita-
ção, por oito anos, para o exercício de função pública, sem
prejuízo de demais sanções judiciais que sejam cabíveis.

4
OS 11 SUPREMOS

COMPOSIÇÃO

O Supremo Tribunal Federal é composto por onze


ministros, que formam o Plenário do Tribunal. O STF
também apresenta duas Turmas, que são constituídas
por cinco Ministros. Cada uma das Turmas é presidida
pelo mais antigo dentre seus membros, por um período
de um ano, vedada a recondução, até que todos os seus
integrantes tenham exercido a Presidência, observada a
ordem decrescente de antiguidade.

PRIMEIRA TURMA
Ministra Rosa Weber - Presidente
Ministro Marco Aurélio
Ministro Luiz Fux
Ministro Luís Roberto Barroso
Ministro Alexandre de Moraes

SEGUNDA TURMA
Ministro Gilmar Mendes - Presidente
Ministro Celso de Mello
Ministro Ricardo Lewandowski
Ministra Cármen Lúcia
Ministro Edson Fachin

5
OS 11 SUPREMOS

PRESIDENTE DO TRIBUNAL

O Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal são eleitos,


por voto secreto, pelo Plenário do Tribunal, e possuem
mandato de dois anos, sendo vedada sua reeleição.

RELATOR

O juiz relator é o membro do Tribunal responsável


por analisar precipuamente o processo, apresentar um
relatório (resumo do que ocorreu no processo) e o seu
voto (sua decisão a respeito do caso) aos demais partí-
cipes da sua respectiva Turma.

Com base no relatório e no voto produzidos pelo relator,


os outros membros do Tribunal apresentarão seus votos,
nos quais podem se limitar a acompanhar o voto do re-
lator. Quando algum magistrado discorda da posição do
relator, pode proferir seu voto em contrário. Para tanto,
antes, pode solicitar vistas dos autos.

6
OS 11 SUPREMOS

DECANO

Decano é aquele que ocupa o cargo de Ministro do


Supremo Tribunal Federal há mais tempo.

OS JULGAMENTOS

Os Ministros se reúnem, ordinariamente, três vezes du-


rante a semana para o julgamento de processos. Às ter-
ças-feiras, ocorrem as sessões das duas Turmas de jul-
gamento, compostas por cinco Ministros cada, excluído
o Presidente do Tribunal. Às quartas e quintas-feiras, os
onze Ministros reúnem-se nas sessões do Tribunal Pleno.
O art. 93, inciso IX, da Constituição de 1988 prescreve
que “todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciá-
rio serão públicos”.

As sessões de julgamento são conduzidas pelo Presi-


dente do Tribunal. Após a leitura, pelo Ministro relator do
processo, do relatório descritivo da controvérsia cons-
titucional, e das sustentações orais dos advogados e
do representante do Ministério Público, abre-se a opor-
tunidade para que cada Ministro profira seu voto. Nos
processos de controle abstrato de constitucionalidade,

7
OS 11 SUPREMOS

é exigido um quorum mínimo de 8 ministros. A questão


constitucional será decidida se houver pelo menos 6 vo-
tos no sentido da procedência ou da improcedência da
ação. Finalizado o julgamento, cabe ao relator do proces-
so, ou ao condutor do voto vencedor, redigir o acórdão,
que será publicado no Diário da Justiça, publicação diá-
ria, de circulação nacional, da imprensa oficial brasileira.
Além da publicação do acórdão no Diário da Justiça (em
versão impressa e digital), o inteiro teor do julgamento é
disponibilizado a todos na página oficial do Supremo Tri-
bunal Federal (www.stf.gov.br).

8
OS 11 SUPREMOS

OS INDICADOS (ANTIGO AO NOVO)

NOME INDICADO POR ANO IDADE APOSENTADORIA

Celso de Mello José Sarney 1989 44 anos 2020


Marco Aurélio Mello Fernando Collor 1990 43 anos 2021
Gilmar Mendes Fernando Henrique 2002 46 anos 2030
Ricardo Lewandowski Cardoso 2006 57 anos 2023
Cármen Lúcia Luiz Inácio Lula da Silva 2006 52 anos 2029
Dias Toffoli Luiz Inácio Lula da Silva 2009 41 anos 2042
Luiz Fux Luiz Inácio Lula da Silva 2011 57 anos 2028
Rosa Weber Dilma Rousseff 2011 63 anos 2023
Luís Roberto Barroso Dilma Rousseff 2013 55 anos 2033
Edson Fachin Dilma Rousseff 2015 57 anos 2033
Alexandre de Moraes Dilma Rousseff 2017 48 anos 2043
Michel Temer