Você está na página 1de 15

Quí.

Professor: Xandão
Monitor: Gabriel Pereira

Quí.
Termoquímica: mistura dos casos: 19
Exercícios específicos jul

EXERCÍCIOS
1. No processo de produção de ferro metálico (Fe), ocorre a redução do óxido ferroso (FeO) com
monóxido de carbono (CO) de acordo com a equação representativa da reação:

FeO(s) + CO(g) → Fe(s) + CO2(g)

Considere os seguinte dados:

Substância Hf 0 (kJ mol)


FeO(s) − 272,0
CO(g) −110,5
CO2(g) − 394,0

a) Indique o tipo de ligação química envolvida em cada substância química reagente deste processo.
b) Calcule o valor, em kJ mol, do calor envolvido na produção do ferro metálico a partir do óxido
ferroso.

2. Quando usada para tratar um corte na pele, a água oxigenada, a 25 C e pressão de 1atm, sofre
decomposição, formando água e liberando oxigênio gasoso, de acordo com a equação:

2 H2O2 ( ) → 2 H2O ( ) + O2(g) + 200 kJ

Dados: H = 1; O = 16.
a) Calcule a quantidade de energia liberada para a decomposição de 34 g de água oxigenada a
25 C e pressão de 1atm.
b) Nessas condições e considerando a constante universal dos gases como sendo igual a
0,082 atm  L  mol−1  K −1, calcule o volume de oxigênio formado na decomposição de 34 g de

Quí.
água oxigenada.

3. AR MAIS LIMPO

O ar que os paulistanos respiram está menos poluído. Um estudo recente feito por cientistas do
IAG/USP revelou que, nos últimos 30 anos, caiu consideravelmente a concentração de acetaldeído na
atmosfera da Região Metropolitana de São Paulo. Esse poluente, que faz parte do grupo dos aldeídos,
é liberado principalmente pelo escapamento de veículos movidos a etanol. Além de provocar irritação
nas mucosas, nos olhos e nas vias respiratórias e desencadear crises asmáticas, os aldeídos são
substâncias carcinogênicas em potencial. De acordo com os resultados da pesquisa, a queda na
concentração deve-se basicamente a dois fatores: aperfeiçoamento da tecnologia de motores
automotivos e políticas públicas implementadas no país nas últimas décadas voltadas ao controle da
poluição do ar.
(Adaptado de: Revista Pesquisa FAPESP, n. 224, p. 69)
Para responder a esta questão, utilize o texto.
a) Considere a reação de formação do acetaldeído a partir da combustão incompleta do etanol.
CH3 − CH2 − OH + 1 O2 → CH3 − CH = 0 + H2O
2
Utilizando os valores de energia de ligação dados a seguir, calcule a entalpia dessa reação e reescreva-
a na forma de uma equação termoquímica.

ligação energia média (kg mol)


C−C 347,0
C−H 413,0
C−O 357,4
C=O 773,5
O −H 462,3
O−O 493,2

b) Sabendo que a concentração média de acetaldeído medida nesse estudo foi de 5,4 partes por
bilhão (mg m3 ), calcule a concentração desse poluente em mol .
Dados: massas molares (g/mol): H = 1,0; C = 12,0; O = 16,0.

4. A produção do etanol a partir da cana-de-açúcar pode ser esquematizada pela sequência:

O processo se inicia com a trituração da cana, seguido pela moagem para a obtenção do melado, que
é separado do bagaço pela técnica de separação 1. Em seguida, adiciona-se ao caldo obtido o

Quí.
fermento, formado por leveduras do gênero Saccharomyces, que se alimentam da sacarose e
produzem etanol e gás carbônico. Após a fermentação, o produto passa pela técnica de separação 2
para a obtenção do etanol com 96% de pureza

a) Cite os nomes das técnicas de separação 1 e 2.

b) A tabela apresenta o poder calorífico do bagaço de cana seco e do etanol:

material poder calorífico (kJ  kg−1)


bagaço de cana seco 4.400
etanol 6.900

Considerando a massa molar do etanol igual a 46 g  mol−1, determine a massa de bagaço, em gramas,
que deve ser queimada para produzir a mesma quantidade de calor obtida na combustão de 1mol de
etanol.
5. A reação de termita, esquematizada, é uma importante reação fortemente exotérmica, explorada nas
mais diversas aplicações, desde experimentos didáticos à utilização como solda em grandes peças
metálicas.

Fe2O3 (s) + 2A (s) → A 2O3 (s) + Fe(s)

a) Ao misturar os reagentes dessa reação, qual a massa necessária de alumínio para reagir 16 g de
Fe2O3 ?

b) Calcule a variação de energia livre da reação de termita a 1600 C.


Dados: M(g  mol−1) : A = 27; Fe = 56; O = 16.

Reação ΔGT = 1600C (kJ mol−1)


4 2
A + O2 → A 2O3 −800
3 3
2Fe + O2 → 2FeO −325
6FeO + O2 → 2Fe3O4 −168
4Fe3O4 + O2 → 6Fe2O3 −90

6. Considere os seguintes valores das entalpias-padrão da síntese do HC , a partir dos mesmos regentes
no estado gasoso.

HC (g) : H0 = −92,5kJ  mol−1

HC ( ) : H0 = −108,7kJ  mol−1

Calcule a entalpia-padrão, em kJ  mol−1, de vaporização do HC e nomeie duas mudanças de estado


físico dessa substância que sejam exotérmicas.

7. O hidrogênio tem sido apontado como possível fonte de energia do futuro. Algumas montadoras de
automóveis estão construindo carros experimentais que podem funcionar utilizando gasolina ou
hidrogênio líquido como combustível.

Considere a tabela a seguir, contendo dados obtidos nas mesmas condições, sobre a energia
específica (quantidade de energia liberada pela combustão completa de 1 g de combustível) e o

Quí.
conteúdo de energia por volume (quantidade de energia liberada pela combustão completa de 1 L de
combustível), para cada um desses combustíveis:

Energia Específica Conteúdo de energia por volume


Combustível
(kJ / g) (103 kJ / L)
Gasolina Líquida 47 35
Hidrogênio Líquido 142 10

a) Com base nos dados da tabela, calcule a razão entre as densidades da gasolina líquida e do
hidrogênio líquido (dgasolina( ) dhidrogênio( ) ). Mostre os cálculos.

b) Explique por que, embora a energia específica do hidrogênio líquido seja maior do que a da gasolina
líquida, o conteúdo de energia por volume do hidrogênio líquido é menor do que o da gasolina líquida.
8. A tabela, a seguir, mostra as entalpias padrão de formação ΔHof a 25°C.

ΔHof mol
kJ
Substância Fórmula
Metanol CH3 OH( ) 238,6
Etanol C2H5OH( ) 277,7
Gás carbônico CO2( g) 393,5
Água H2O( v ) 241,8

O metanol já foi usado como combustível na fórmula Indy, com o inconveniente de produzir chama
incolor e ser muito tóxico. Atualmente, utiliza-se etanol, proveniente da fermentação do caldo na cana-
de-açúcar, o mesmo utilizado em automóveis no Brasil.
a) Compare a quantidade de energia liberada (kJ) pela combustão de 1,00g de metanol com a
produzida por 1,00g de etanol. Justifique sua resposta.
b) Se um automóvel da fórmula Indy gastar 5 litros de etanol (d=0,80g/mL) por volta em um
determinado circuito, calcule a energia liberada (kJ) pelo seu motor em cada volta.

9. Fullerenos são compostos de carbono que podem possuir forma esférica, elipsoide ou cilíndrica.
Fullerenos esféricos são também chamados buckyballs, pois lembram a bola de futebol. A síntese de
fullerenos pode ser realizada a partir da combustão incompleta de hidrocarbonetos em condições
controladas.
a) Escreva a equação química balanceada da reação de combustão de benzeno a C 60.
b) Fornecidos os valores de entalpia de formação na tabela a seguir, calcule a entalpia da reação padrão
do item a.
Espécie  f H (kJ.mol−1)
H2O ( ) 286
C6H6 ( ) 49
C60 ( s ) 2327

10. Considere a decomposição da água oxigenada, em condições normais, descrita pela equação:

H2O2( ) → H2O( ) + 1 O2( g) ΔH = −98,2 kJ mol


2

Com base na informação sobre a variação de entalpia, classifique a reação como exotérmica ou
endotérmica e justifique sua resposta.

Quí.
Calcule a variação de entalpia na decomposição de toda a água oxigenada contida em 100 mL de uma
solução aquosa antisséptica que contém água oxigenada na concentração de 3 g 100 mL.

11. Qual o valor do calor liberado (em kJ), na reação de hidrogenação do benzeno líquido ao cicloexano
líquido, na pressão padrão constante e temperatura ambiente por mol de H2( g ) consumido?
Considere as seguintes entalpias de formação padrão em 298 K:
f H0
(benzeno líquido) = +49 kJ  mol–1
e f H0
(cicloexano líquido) = –155 kJ  mol –1
.
12. O metanol sofre combustão total, formando dióxido de carbono e vapor de água.

Substância Calor padrão de formação a 25°C (kJ. mol-1)


H2O(g) -241,8
CO2(g) -393,5
CH3OH(g) -239,0

a) Escreva a equação química balanceada da reação de combustão do metanol.


b) Calcule o calor de combustão da reação, em kJ.mol 1 , com base nos valores da tabela abaixo.
c) Calcule a massa de CO2 (em gramas), produzida na combustão de 128 gramas de metanol.

13. O chumbo e seus derivados têm muitas aplicações: baterias, tubulações, solda, cerâmica, protetor
contra radiações (Raio X), entre outras. Entretanto, é tóxico para o organismo, sendo preciso muito
cuidado com seu manuseio.
a) A aplicação mais conhecida é a bateria de chumbo em meio de ácido sulfúrico. Quando essa
bateria é descarregada, o chumbo metálico é oxidado a sulfato de chumbo e o dióxido de chumbo
é reduzido a sulfato de chumbo. Quais são os números de oxidação do chumbo nas substâncias
citadas?
b) Um dos compostos que pode ser usado para preparar sais de chumbo é o óxido de chumbo.
Usando as reações abaixo, encontre a variação de entalpia para a formação do óxido de chumbo
sólido, a partir do chumbo metálico e do oxigênio gasoso.
Pb(s) + CO(g) → PbO(s) + C(s) Ho = −106,8 kJ

2 C(s) + O2(g) → 2 CO(g) Ho = −221,0 kJ


c) A reação de formação do PbO(s) é exotérmica ou endotérmica? Justifique sua resposta.
d) Se 310,5 g de chumbo metálico reagirem com oxigênio suficiente para formar óxido de chumbo,
qual a quantidade de calor (em kJ) envolvida no processo? Esse calor é absorvido ou liberado?

14. Sob certas circunstâncias, como em locais sem acesso a outras técnicas de soldagem, pode-se utilizar
a reação entre alumínio (A ) pulverizado e óxido de ferro (Fe2O3 ) para soldar trilhos de aço. A
equação química para a reação entre alumínio pulverizado e óxido de ferro (III) é:

2A (s) + Fe2O3 (s) → A 2O3 (s) + 2Fe(s)

O calor liberado nessa reação é tão intenso que o ferro produzido é fundido, podendo ser utilizado
para soldar as peças desejadas. Conhecendo-se os valores de entalpia de formação para o
A 2O3 (s) = −1676 kJ / mol e para o Fe2O3 (s) = −824 kJ / mol, nas condições padrão (25°C e 1

Quí.
atmosfera de pressão), calcule a entalpia dessa reação nessas condições. Apresente seus cálculos.

15. No metabolismo das proteínas dos mamíferos, a ureia, representada pela fórmula (NH 2)2CO, é o
principal produto nitrogenado excretado pela urina. O teor de ureia na urina pode ser determinado
por um método baseado na hidrólise da ureia, que forma amônia e dióxido de carbono.

A seguir são apresentadas as energias das ligações envolvidas nessa reação de hidrólise.

ligação energia de ligação (kj.mol-1)


N-H 390
N-C 305
C=O 800
O-H 460

A partir da fórmula estrutural da ureia, determine o número de oxidação do seu átomo de carbono e a
variação de entalpia correspondente a sua hidrólise, em kJ.mol -1.
16. O ácido nítrico é muito utilizado na indústria química como insumo na produção de diversos produtos,
dentre os quais os fertilizantes. É obtido a partir da oxidação catalítica da amônia, através das reações:

Pt
I. 4 NH3 (g) + 5 O2 (g) ⎯⎯⎯⎯→ 4 NO(g) + 6 H2O(g)
1000C
II. 2 NO(g) + O2 (g) 2 NO2 (g)
III. 3 NO2 (g) + H2O( ) 2 HNO3 (aq) + NO(g)

Calcule as entalpias de reação e responda se é necessário aquecer ou resfriar o sistema reacional nas
etapas II e III, para aumentar a produção do ácido nítrico. Considere as reações dos óxidos de
nitrogênio em condições padrões (p = 1 atm e t = 25 °C), e as entalpias de formação (ΔHf ) em
kJ  mol−1, apresentadas na tabela.

NO NO2 HNO3
Substância H2O( )
(g) (g) (aq)

(
ΔHf kJ  mol−1 ) +90,4 +33,9 285,8
173,2

17. A amônia (NH3) é usada na produção de fertilizantes nitrogenados, na fabricação de explosivos e de


plásticos.
Na indústria, a amônia pode ser obtida a partir de seus elementos constituintes, por um processo
denominado Processo de Haber (reação a seguir), em homenagem ao químico alemão Fritz Haber que
desenvolveu esse método de síntese em altas pressões.

N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g)


H° = - 92,2 KJ mol-1 a 25°C

a) A decomposição da amônia é um processo endotérmico? Justifique.


°
, a 25 °C, quando são produzidos 0,340 g de amônia.
c) O que ocorre ao equilíbrio quando se retira NH 3 durante a sua produção no Processo Haber?

Quí.
GABARITO
Exercícios

1. a) Tipos de ligação química envolvida nos reagentes:


FeO(s) : ligação iônica
CO(g) : ligação covalente ou molecular.

b) Cálculo do valor, em kJ mol, do calor envolvido na produção do ferro metálico a partir do óxido
ferroso:
FeO(s) + CO(g) → Fe(s) + CO2(g)
−272,0 kJ −110,5 kJ 0,0 kJ −394,0 kJ
H = Hprodutos − Hreagentes
H = [0,0 − 394,0] − [ −272,0 − 110,5]
H = −11,5 kJ / mol

2. a) Cálculo da quantidade de energia liberada na decomposição de 34 g de água oxigenada:


2 H2O2 ( ) → 2 H2O ( ) + O2 (g) H = −200 kJ
2  34 g 200 kJ liberados
34 g E
E = 100 kJ liberados

b) Cálculo do volume de oxigênio formado:


P = 1 atm
T = 25 + 273 = 298 K
R = 0,082 atm  L  mol−1  K −1,
2 H2O2 ( ) → 2 H2O ( ) + 1 O2(g)
2  34 g 1mol
34 g 0,5 mol
P V = nR T
1 V = 0,5  0,082  298
V = 12,218 L

Quí.
V  12,2 L

3.
a) Teremos:
CH3 − CH2 − OH + 1 O2 → CH3 − CH = O + H2O
2

Reagentes:
5  (C − H) = 5  413,0 = 2065 kJ
1 (C − C) = 1 347,0 = 347,0 kJ
1 (C − O) = 1 357,4 = 357,4 kJ
1 (O − H) = 1 462,3 = 462,3 kJ
1  (O = O) = 0,5  493,2 = 246,6 kJ
2
totalreagentes = +3478,3 kJ
Produtos:
4  (C − H) = 4  413,0 = 1652 kJ
1 (C − C) = 1 347,0 = 347,0 kJ
1 (C = O) = 1 773,5 = 773,5 kJ
2  (O − H) = 2  462,3 = 924,6 kJ
totalprodutos = 3697,1 kJ

 reagentes − produtos
3478,3 − 3697,1 = −218,8 kJ

Eq. termoquímica:
CH3 − CH2 − OH + 1 O2 → CH3 − CH = O + H2O ΔH = − 218,8 kJ / mol
2

b) 1 mol de acetaldeído (C2H4O) tem massa de 44g.


Assim, teremos:
1mol 44 g
x mol 5,4 mg
−4
x = 1,2  10 mol / L
−4
1,2  10 1000L (1m3 )
y 1L
y = 1,2  10 −7 mol / L

4.
a) Separação 1: filtração.
Separação 2: destilação fracionada.

b) Teremos:
1000 g (etanol) 6900 kJ
46 g (etanol) E
46 g  6900 kJ
E=
1000 g
E = 317,40 kJ

1000 g (bagaço) 4400 kJ

Quí.
mbagaço 317,40 kJ
1000 g  317,40 kJ
mbagaço =
4400 kJ
mbagaço  72,14 g

5. a) Teremos:
Fe2O3 = 160; A = 27 g
Fe2O3 (s) + 2A (s) → A 2O3 (s) + Fe(s)
160 g 2  27 g
16 g mA
mA = 5,4 g

b) A partir da tabela fornecida deve-se acertar as etapas intermediárias para chegar-se à global.
Reações ΔGT = 1600C (kJ mol−1)
2A + 1,5O2 → 1A 2O3 −800  1,5 = −1200 (multiplicado por 1,5)
2FeO → 2Fe + O2 +325 (invertido)
2 1 168
Fe3O4 → 2FeO + O2 + = +56 (invertido e dividido por 3)
3 3 3
4 1 90
1Fe2O3 → Fe3O4 + O2 + = +15 (invertido e dividido por 6)
6 6 6

Somando as etapas, teremos:

2A + 1,5O2 → 1A 2O3 ΔG1 = −1200 kJ / mol


2FeO → 2Fe + O2 ΔG2 = +325 kJ / mol
2 1
Fe O → 2FeO + O2 ΔG3 = +56 kJ / mol
3 3 4 3
2 1
1 Fe2O3 → Fe3 O4 + O2 ΔG4 = +15 kJ / mol
3 6
Global
2A + 1 Fe2O3 ⎯⎯⎯⎯ → 1A 2O3 + 2Fe ΔG = ( −1200 + 325 + 56 + 15) kJ / mol
ΔG o = −804 kJ / mol
1600 C

6. Cálculo da entalpia-padrão, em kJ  mol−1, de vaporização do HC :

HC (g) : H0 = −92,5kJ  mol−1

HC ( ) : H0 = −108,7kJ  mol−1


vaporização
1 HC ( ) ⎯⎯⎯⎯⎯⎯
→1 HC (g)
−108,7 kJ −92,5 kJ
ΔHvaporização = −92,5 − ( −108,7)
ΔHvaporização = +16,2 kJ / mol

Mudanças de estado exotérmicas (ocorre liberação de energia): solidificação (líquido → sólido) e


liquefação (gasoso → líquido).

7. a) A partir da tabela, vem:

Quí.
Energia Específica Conteúdo de energia por volume
Combustível
(kJ / g) (103 kJ / L)
Gasolina Líquida 47 35
Hidrogênio
142 10
Líquido

Para 1 L :
1g 47 kJ
mgasolina 35  103 kJ

mgasolina = 0,745  103 g


dgasolina = 745 g / L
Para 1 L :
1g 142 kJ
mH2 líquido 10  103 kJ

mH2 líquido = 0,0704  103 g


dH2 líquido = 70,4 g / L

Cálculo da relação entre as densidades da gasolina e do hidrogênio líquido:

dgasolina 745
= = 10,568  10,6
dH2 líquido 70,4

b) Supondo o volume igual a V, teremos:

dgasolina
= 10,6
dH2 líquido
mgasolina
V = 10,6
mH2 líquido
V
mgasolina
= 10,6
mH2 líquido
mgasolina = 10,6  mH (válida também para 1 litro)
2 líquido
mgasolina  mH2 líquido

Combustível Conteúdo de energia por litro


Gasolina Líquida 35  103 kJ
Hidrogênio Líquido 10  103 kJ

35  103 kJ  10  103 kJ
ou
10  103 kJ  35  103 kJ
H2 líquido Gasolina

Quí.
Conclusão: o conteúdo de energia por volume do hidrogênio líquido é menor do que o da gasolina líquida.

8.
a) Teremos as seguintes equações de combustão:

Para o metanol:

3
CH3 OH( ) + O2 (g) → CO2 (g) + 2H2 O( )
2
−238,6 kJ 0 − 393,5 kJ 2( −241,8 kJ)
H = [ −393,5 kJ + 2( −241,8 kJ)] − [ −238,6 kJ + 0]
H = −638,5 kJ / mol

32 g 638,5 kJ liberados
1g EMe tanol
EMe tanol = 19,95 kJ liberados
Para o etanol:

C2H5 OH( ) + 3O2 (g) → 2CO2 (g) + 3H2O( )


−277,7 kJ 0 2( −393,5 kJ) 3( −241,8 kJ)
H = [ 2( −393,5 kJ) + 3( −241,8 kJ)] − [ −277,7 kJ + 0]
H = − 1234,7 kJ / mol

46 g 1234,7 kJ liberados
1g EE tanol
EE tanol = 26,84 kJ liberados

Portanto o etanol libera mais energia por grama (26,84 kJ > 19,95 kJ).

b) Um automóvel da fórmula Indy pode gastar 5 litros de etanol (d = 0,80 g/mL) por volta em um
determinado circuito, então:

5 L = 5000 mL; de tanol = 0,80 g / mL.


1 mL 0,80 g
5000 mL me tanol
me tanol = 4000 g

1 g(e tanol) 26,84 kJ liberados


4000 g(e tanol) E
E = 107.360 kJ

9.
a) Equação química balanceada da reação de combustão de benzeno a C60 :
10C6H6 ( ) + 15O2 (g) → 30H2O( ) + C60 (s)

b) Teremos:
10C6H6 ( ) + 15O2 (g) → 30H2O( ) + C60 (s)
10( +49 kJ) 0 30( −286 kJ) + 2327 kJ
HRe agentes HPr odutos

H = HPr odutos − HReagentes


H = [30( −286 kJ) + 2327 kJ] − [10( +49 kJ) + 0]

Quí.
H = −6743 kJ / mol C60
H = −674,3 kJ / mol C6H6

10. Como o H  0, concluímos que a reação é exotérmica.

H2O2 ( ) → H2O( ) + 1
2 O2 (g) H = − 98,2 kJ / mol
Libera
34,02 g
98,2 kJ
Libera
3 g
E
E = 8,66 kJ (liberados)  H = − 8,66 kJ / 3 g H2O2 ( )

11.
Reação de hidrogenação do benzeno líquido ao cicloexano líquido:
C6H6 ( ) + 3H2 (g) → C6H12 ( )
+49 kJ 0 − 155 kJ (para 3 mols de H2 )
ΔH = Hprodutos − Hreagentes
ΔH = −155 kJ − ( +49 kJ ) = − 204 kJ
3mols H2 − 204 kJ
1 mols H2 E
E = −68 kJ

O calor liberado será de 68 kJ por mol de H2 .

12.
a) Equação química balanceada da reação de combustão do metanol:
2CH3OH( ) + 3O2 (g) → 2CO2 (g) + 4H2O( )
ou
3
1CH3OH( ) + O2 (g) → 1CO2 (g) + 2H2O( )
2

b) Teremos:
3
1CH3OH( ) + O2 (g) → 1CO2 (g) + 2H2O( )
2
−239,0 0 − 393,5 ( −241,8  2)
H = [ −393,5 + ( −241,8  2)] − [−239,0 + 0] = −638,1 kJ / (mol de me tanol)

c) Teremos:
3
1CH3 OH( ) + O2 (g) → 1CO2 (g) + 2H2O( )
2
32 g 44 g
128 g mCO2
mCO2 = 176 g

13.
a) A reação que ocorre será:

Pb + PbO2 + 2H2SO4 → 2PbSO4 + 2H2O + energia elétrica

Quí.
Assim, os números de oxidação serão:

Chumbo metálico (Pbo ) = zero


Sulfato de chumbo (PbSO 4 ) = +2
Dióxido de chumbo (PbO2 ) = +4

b)
Pb(s) + CO(g) → PbO(s) + C(s) ΔHo = −106,8 kJ

C(s) + 1 O2(g) → CO(g) ΔHo = −221,0 kJ(  2)


2

Pb(s) + 1 O2(g) → PbO(s)


2
ΔH = −106,8 −  1 ( −221,0)
0
 2 
ΔH0 = −217,3 kJ

c) Como o valor de ΔH  0, a reação exotérmica.


d)
1 mol de Pb 207g
x 310,5g
x = 1,5mol
ΔH0 = 1,5  ( −217,3)
ΔH0 = −325,9 kJ (calor liberado)

14.
Teremos:
2A (s) + Fe2O3 (s) → A 2O3 (s) + 2Fe(s)
0kJ - 824 kJ - 1676 kJ 0 kJ
Hreagentes Hprodutos

ΔH = Hprodutos − Hreagentes
ΔH = −1676 − ( −824) = −852 kJ / mol (Fe2O3 (s) e A 2O3 (s))

15.
Número de oxidação do carbono = +4.
Hidrólise da ureia:

(NH2)2CO + H2O → 2 NH3 + CO2

H = (4 × 390) + (2 × 305) + (800 × 1) + (2 × 460) - (6 × 390) - (2 × 800) = - 50 kJ.mol-1

16.
Cálculo da entalpia de reação para II:

2NO(g) + O2 (g) 2 NO 2 (g)


2(+90,4) 0 2(+33,9)

ΔH = HPRODUTOS − HREAGENTES
ΔH = [2(33,9)] − [2(90,4)]
ΔH = −113kJ

Cálculo da entalpia de reação para III:

3NO2 (g) + H2O( ) 2HNO3 (aq) + NO(g) Quí.


3(33,9) -285,8 2(-173,2) +90,4

ΔH = HPRODUTOS − HREAGENTES
ΔH = [2( −173,2) + 90,4] − [3(33,9) + ( −285,8)]
ΔH = −71,9kJ

Como as etapas II e III são exotérmicas (H <0), é necessário diminuir a temperatura para deslocar os
equilíbrios no sentido da síntese de ácido nítrico.

17.
Resolução:

a) Sim. A reação de formação de amônia é exotérmica, pois a variação de entalpia é negativa (H° < 0), isto
significa que a reação inversa (decomposição da amônia), é endotérmica (H° > 0).
b) MM (NH3) = 17,0 g mol-1
17 g ⎯ 1 mol
0,340 g ⎯ n
n = 0,020 mol
De acordo com a equação:
N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g) H° = - 92,2 KJ mol-1 a 25°C
2 mols NH3 ------ liberam 92,2 kJ
0,020 mol NH3 ------ liberam E
E = 0,922 kJ
o
, a 25 ºC, quando são produzidos 0,340 g de amônia é de 0,922 kJ.

c) De acordo com o princípio de Le Chatelier, a reação desloca no sentido de formar mais NH 3.

Quí.