Você está na página 1de 12

Dietas não convencionais

Prof. Arthur da Silva Gomes

Por que?
O que emagrece mais???
Preferências Razões
alimentares fisiológicas Filosóficas
Em quanto tempo?
Religiosas
(ou crendices Sociais e
Culturais econômicas
Qual é a estratégia mais efetiva? populares)

EXEMPLOS...
Dietas da moda
Os Adventistas têm recomendado fortemente seu
distinto estilo de vida por mais de 140 anos embora,
atualmente, somente o uso de álcool e tabaco e o
consumo de alimentos biblicamente impuros como a Dieta da Dieta de
Dieta da Sopa
carne de porco, sejam proibidos. Proteína Beverly Hills

Além disso, a igreja recomenda que os Adventistas Dieta da Lua Dieta de


evitem o consumo de outras carnes (bovina, frango e Detoxificação
peixe), café, chá preto e outras bebidas que contenham
cafeína, alimentos refinados e condimentos.

1
Dieta da Proteína: consiste no consumo de carboidratos para o
Dieta da Sopa: dieta para emagrecer que tem uma semana de duração e o
mínimo possível, substituindo-os por proteínas. principal alimento é, como o nome indica, a sopa de repolho. A dieta da
sopa é baseada na sopa de repolho, que pode ser comida sem restrições,
quanto mais sopa comer mais vai emagrecer e mais peso consegue perder.
Dieta de Beverly Hills: Do primeiro ao décimo dia, o cardápio é
composto somente por frutas (a criadora da dieta consumiu Dieta da Lua: Essa dieta preconiza que as mudanças de fases da lua
somente abacaxi e seus seguidores não fugiram à regra). Na influenciam os líquidos do nosso corpo. Por isso, ela baseia-se na ingestão
segunda etapa (do 11º ao 20º dia), eliminam-se as frutas e apenas de líquidos com baixo teor de calorias, por 24h, nos dias de
entram os carboidratos como massas, pães, cereais e arroz. mudanças das fases ou quatro vezes por mês (basta ver no calendário).
Nestes dias, todo alimento sólido é proibido e a pessoa deve consumir
Na terceira fase, que vai do vigésimo primeiro dia até o final, no sopas batidas, beber muita água (mais de 3 litros), chás e cafés, sempre
trigésimo quinto, saem os alimentos das primeiras fases e entram sem açúcar, e iogurtes.
as proteínas como carnes, leite e ovos. Não há limitação de
Dieta de Detoxificação: os carboidratos e proteínas estão em refeições
quantidade em nenhuma das três fases. Durante todas elas, a
separadas. Esse é o princípio da dieta higienista, que otimiza o processo
pessoa deve comer cinco vezes ao dia. Nos lanches da segunda e digestivo, acelera as reações do metabolismo, a queima de gordura e
terceira etapas é recomendado uma fatia de abacaxi ou uma promove uma rápida desintoxicação.
porção de outra fruta, desde que tenha baixa caloria.

Dietas da moda Veganismo


× Grupos mais vulneráveis • Adota uma filosofia baseada nos direitos
(proteção) aos animais
Idosos Adolescentes Obesos
• Vegan (1º de novembro – Dia do Vegano)

qRestrição total de alimentos de origem animal


ou que contenham ingredientes de origem animal.
Atletas e Artistas qRejeição total a artigos de pele, lã e afins que
treinadores
implique exploração animal.
qEvitam o uso de medicamentos, cosméticos e
produtos de higiene e limpeza que tenham sido
testados em animais.

Veganismo Vegetarianismo
Adotada por várias razões:
Muito importante diferenciar a ideologia vegana • Saúde
da dieta vegetariana. Veganismo não é dieta, qRedução do risco de doenças crônicas e
mas sim uma ideologia baseada nos direitos degenerativas: Obesidade, HA, diabetes, câncer.
animais, que obviamente pressupõe uma
• Ecologia (racionamento de recursos naturais)
alimentação estritamente vegetariana.
• Ética (bem-estar animal)

• Espirituais (budistas, hindus, adventistas)

2
Vegetarianismo Vegetarianismo
• Segundo a American Dietetic Association: • Segundo a Vegetarian Society of United Kingdom (+ 3
classes):
• LACTO-VEGETARIANISMO: além dos vegetais, inclui
também o leite e produtos lácteos; • FRUTARIANISMO: determina a ingestão de alimentos
muito pouco cozidos ou processados, consistindo
• OVO-LACTO-VEGETARIANISMO: semelhante ao lacto-
principalmente de frutas cruas, grãos e frutos
vegetarianismo, porém permite também a ingestão de
oleaginosos;
ovos.
• VEGETARIANISMO ESTRITO OU RESTRITO: regime
alimentar no qual todo e qualquer alimento de origem • SEMI-VEGETARIANISMO: termo utilizado para definir

animal é excluído, denominando-se o seu seguidor indivíduos que restringem apenas as carnes vermelhas,
vegan. podendo se alimentar com carnes de aves
(polovegetarianos) e peixes (pescivegetarianos).

Vegetarianismo Vegetarianismo
• Segundo a Vegetarian Society of United Kingdom (+ 3 • Outros:
classes):

• OVO-VEGETARIANOS: além dos vegetais, inclui também


• MACROBIÓTICA: seguida por razões espirituais ou o ovo.
filosóficas, objetivando a manutenção do balanço entre os
alimentos classificados como positivos (ying) e negativos • CRUDÍVORO: Ovo-lacto-vegetarianismo não cozido
(yang). Dieta formada por dez níveis (do –3 ao 7), na qual (afirmam desnaturação dos alimentos pela cocção).
os alimentos animais vão sendo eliminados gradualmente Comporta os alimentos de origem vegetal, mais o leite e
a cada nível, sendo que os níveis mais altos pressupõem seus derivados, os ovos e o mel, admitindo como
eliminação também de água, frutas e hortaliças; exceção de alimentos cozidos o pão e os biscoitos.

Pirâmide vegetariana
Vegetarianismo
aos
(recomendado

• RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS

qNão existem ainda dados suficientes indicando para


o grupo de veganos ou de vegetarianos necessidades
B12

nutricionais diferentes daquelas observadas em


Suplementos de vitamina

populações ocidentais.
vegetarianos estritos).

qO planejamento dietético deve, portanto, obedecer


as recomendações nutricionais preconizadas pelo
Institute of Medicine (DRIs).

3
Vegetarianismo Vegetarianismo
• Características da dieta vegetariana • Características da dieta vegetariana

qBaixo teor de gordura saturada, colesterol e qMaior ingestão de CHO complexos (Diabetes,
proteína animal obesidade).

qMaior concentração de folato qMaior ingestão de fibras alimentares (Diabetes,

qMaior concentração de vitaminas antioxidantes obesidade, dislipidemias, Ca de cólon).

(Vitamina C, E, carotenóides e fitoquímicos). qMenores chances de lesão renal

qMenor ingestão de sódio (pressão arterial) qMenor consumo de energia (obesidade, diabetes)

qMaior ingestão de potássio

Vegetarianismo Considerações Nutricionais


× Aspectos negativos Se estes alimentos Nutrientes limitantes da Incluir estes
forem excluídos dieta alimentos, se
possível
A adequação das dietas vegetarianas,
assim como de outros tipos de dietas, é Carnes, peixes e aves Proteína, ferro, energia, Leite e produtos

julgada pela variedade de alimentos zinco, ac. Fólico, vit B12, lácteos, grãos,
que as compõem. Quanto menor a tiamina, ac. Graxos vegetais e
diversificação, menores são as chances essenciais leguminosas
de que todos os nutrientes sejam Leite e derivados Proteína, energia, cálcio, vit. Vegetais, extrato de
fornecidos. B12, Vit. D, Riboflavina soja fortificado com
cálcio.

Considerações Nutricionais Considerações Nutricionais


• Ferro ↔ Maior problema da dieta vegetariana • Vitamina B 12 ↔ também é um problema
qEncontrada em alimentos de origem animal.
qFerro não-heme
qFontes melhores: carnes.
Menor biodisponibilidade (fibras e fitatos)
qOutras fontes: laticínios e ovos.
Mais sensível aos facilitadores e inibidores da
qAmerican Dietetic Association ↔ Suplementação ou
absorção alimentos enriquecidos.
qVitamina C: consumo maior em dietas qNecessidade pequena
vegetarianas qArmazenamento
qAnemia: frequência maior entre vegetarianos. qRedução da absorção com a idade

4
Considerações Nutricionais Considerações Nutricionais
• Zinco • É possível ter uma dieta equilibrada ↔ sem deficiências
qDietas vegetarianas ↔ Baixo teor e baixa nutricionais
biodisponibilidade ↔ Grande [ ] de fitatos qConhecimento
qRisco de deficiência qAcompanhamento nutricional
qOutros aspectos comuns aos vegetarianos: ↑
consumo de frutas e vegetais, ↓ consumo de
tabaco e álcool, ↑ AF.
• Ácidos graxos qNa gestação, lactação e infância ↔ pode
qDHA – ácido docosahexaenóico (peixes) acarretar maiores complicações ↔ necessidades
elevadas ↔ comprometer o crescimento

Considerações Nutricionais Considerações Nutricionais


• Recomendações para otimização da • Recomendações...
biodisponibilidade de nutrientes em dietas
vegetarianas 5. Enfatizar o consumo de frutas frescas e de vegetais
folhosos verdes.
1. Enfatizar variedade na dieta, especialmente de 6. Evitar o consumo de alimentos ricos em cálcio e ferro na
mesma refeição.
alimentos com elevada densidade de micronutrientes.
7. Enfatizar o consumo de alimentos ricos em vitamina C
2. Incluir grande variedade de leguminosas, inclusive na
junto com as refeições.
forma de brotos.
8. Avaliar, regularmente, a ingestão de ferro, zinco, cálcio e
3. Incluir o consumo de alimentos fermentados à base de fitato com o auxílio de tabelas de composição de
soja. alimentos.
4. Selecionar frutas secas para a sobremesa. 9. Usar alimentos fortificados com ferro e zinco se houver
recomendação de um profissional da área de nutrição.

DIETA MACROBIÓTICA DIETA MACROBIÓTICA


• Idealizada pelo japonês Georges Oshawa • Classificação dos alimentos:
• Yin (-)
Excesso de energia Yin = apatia, depressão, dificuldade de
• Macrobiótica = Longa vida concentração.
• Yang (+)
• Padrão alimentar ligado à uma filosofia de vida que envolve Excesso de energia Yang = irritabilidade, tensão, nervosismo.
a parte espiritual; e constitui um protesto contra a sociedade
industrializada e prioriza os alimentos em sua forma cozida.
As duas energias devem ser equilibradas

• Se baseia em cereais integrais (arroz integral), legumes e


vegetais (cozidos no vapor) como uma forma de manter a
saúde física e espiritual.

5
DIETA MACROBIÓTICA DIETA MACROBIÓTICA
• Características da dieta:
• Alimentos Yin: centeio, aveia, milho, cevada, berinjela,
tomate, pimenta, pepino, espinafre, alcachofra, abóboras, q↑ teor de fibras, minerais e vitaminas
cogumelos, ervilhas, beterraba, alho, couve-flor, lentilhas, q ↓ teor de lipídeos
pescado, porco, vaca, iogurte, natas, manteiga, margarinas,
frutos, mel, açúcares, café, vinho, cerveja, chá verde, q Gordura predominantemente insaturada
pimenta, refrigerantes. q ↑ teor de fitoquímicos
q ↓ teor de sódio
• Alimentos Yang: arroz, trigo, alface, repolho, alho-porro,
grão-de-bico, rabanete, nabo, cebola, salsa, cenoura, agrião, q ↑ teor de potássio
linguado, atum, salmão, camarão, sardinhas, pato, peru,
ovos, leite, queijos, amêndoa, azeitonas, óleos vegetais não Não leva em consideração as recomendações nutricionais.
refinados, alecrim, vinagre, mostarda, baunilha, açafrão, sal
marinho não refinado.

DIETA MACROBIÓTICA Dieta low carb x high fat


• Baixa incidência de:
q Doenças cardiovasculares
q Obesidade
q Dislipidemias
q Hipertensão Arterial
q Diabetes
q Constipação intestinal
q Câncer de intestino

• Maior risco de deficiência de: Vitamina B12, Ferro e


Cálcio

Paleo Low carb


• Quantidade e qualidade de
CHO; • Quantidade de CHO;
• Sem industrializados; • Todas as gorduras são
• CHO de vegetais e frutas. iguais;
• Grãos como trigo, aveia e • Permitido processados;
soja, são eliminados; • Variação da dieta da PTN;
• Gorduras “naturais”; • Sem restrição aos laticínios
• Relação ômega-6/ômega-3 fermentados (leite é restrito
era de 1:1 a 2:1; pela lactose);
Frutos do mar = fontes de • Restrição de legumes;

ômega 3 (alimentados com • Frutas: grau de restrição Dieta low carb high fat corta ou reduz
algas). dependente do paciente.
drasticamente o consumo de frutas.
• Sem laticínios;
• Restrição de legumes; LOW CARB à definição?!
Alegação = CHO, na forma de frutose!
• Semelhante à dieta
mediterrânea, sem grãos. 20g à 120g CHO/dia
40% do VET de CHO

6
Frutose e Insulina Frutas e Hortaliças
­­­Frutose
• Ricos em fitoquímicos: mais de 5000 já foram isolados.
¯ oxidação e ­ esterificação de ácidos graxos em TG Nem todos os efeitos são conhecidos!
Lipidogênese/dislipidemia
• Consumo de fitoquímicos é ¯

EROs
• Potencial Antioxidante, Anti-inflamatório
Gordura ectópica (anormal) Hiperuricemia
• Modulação Hormonal Nutricional
Dano na sinalização • Modulação Estética
Metabólitos lipídicos Danos na
insulínica • Envelhecimento Saudável
vasodilatação
• Modulação Esportiva

Resistência à insulina
LIU et al. J of Food Science. Vol 78,S1, 2013.; WALSH et al. Am J Clin Nutr, 2007. 86(6):1687-93.
(Fonte: Adaptado de Tappy & Lê, citado por NAVES, 2010)

The effect of two energy-restricted diets, a low-


fructose diet versus a moderate natural fructose diet, on weight
loss and metabolic syndrome parameters: a randomized
controlled trial.
N = 131
Dieta com baixa ingestão de frutose. VET de fruta: 60Kcal + 665Kcal
cereais.
Dieta com moderada ingestão de frutose (frutas). VET de fruta: 480Kcal +
280Kcal de cereais.

CHO: 823Kcal
PTN: 227Kcal
LIP: 441Kcal
VET: 1500Kcal

O grupo que consumiu mais FRUTAS perdeu 38% mais peso do o grupo
que consumiu menos frutas (4,07Kg contra 2,94Kg de gordura).

MADERO M, ARRIAGA JC, JALAL D e cols, Metabolism. 2011


Nov;60(11):1551-9.

7
- Mulheres eutróficas e obesas; n=245
- Acompanhamento: 1 ano

- Grupos:

- Lower fat, higher CHO (20% lip, 65% CHO) - 7.7Kg - 5,9Kg - 7Kg
- Lower CHO, higher fat (45% CHO, 35% lip)
- Walnut-rich, higher fat, lower CHO (35% Lip, 45%
CHO)

Que tipo de dieta é mais eficaz?


Hipolipídica ou hipoglicídica?

Intervenção de 2 anos
n = 322 obesos, 86% homens de meia idade (52 anos)

Dieta Hipolipídica e Hipocalórica: baseada no guideline da


American Heart Association. VET: 1500kcal para mulheres e
1800kcal para homens; sendo 30% LIP, 10% ácidos graxos
saturados e 300mg colesterol. Incentivo ao consumo de grãos
de baixa quantidade de lipídeos, vegetais, frutas e legumes.
Limite: consumo de doces

Dieta mediterrânea: hipocalórica, de 1500Kcal para mulheres e


1800Kcal para homens. Rica em vegetais, pobre em carnes.
Até 35% LIP (azeite de oliva – 30-45g e nuts – 5-7
unidades/dia).

Dieta Low-carb: 20g CHO/dia durante 2 meses e após


feriados, com acréscimo gradual máximo até 120g/dia. Sem
limites de calorias, proteínas e lipídios. Incentivo ao consumo
de vegetais e ácidos graxos não saturados/trans. Baseada na
dieta Atkins.

8
Questões que levam as pessoas a aumentarem a
procura por intervenções nutricionais ”da moda”...

Ambiente construído

Mais toxinas

Quadro 2.1 Principais contaminantes do mundo Ocidental para o organismo humano


DDT (dicloro-difenil-tricloroetano)
Aldrina, dieldrina e endrina
POPs Clordano e heptacloro
(poluentes Hexaclorobenzeno (HCB)
orgânicos Mirex
persistentes) Toxafeno
Dioxinas e furanos – incineração de papel, produção de PVC
PCBs (bifenilas policlorinadas) – capacitores e instalações antigas
Agrotóxicos
Alumínio
Metais pesados (Mercúrio, Chumbo, cádmio, zinco)
HAP (hidrocarbonetos aromáticos policíclicos) – queima de gasolina e
óleo diesel

Trato gastrintestinal
Outros
Ftalatos – plásticos e PVC
contaminantes
Nonilfenol e Octilfenol – detergentes, cosméticos, emulsificantes
ambientais
Bisfenol A – plásticos, adesivos, papéis para fax, tubulações, painéis de
carros
Pesticidas – fungicidas, inseticidas, herbicidas

Ação direta do meio Parabenos – cosméticos e pastas dentárias


Radiações ionizantes – telefone celular

ambiente Peróxidos – formados em processos tecnológicos


Aminas heterocíclicas – exposição de alimentos a altas temperaturas
Hidrocarbonetos aromáticos heterocíclicos – combustão e pirólise de
carvão. Churrasco
Bromatos – conservação de pães, refrigerantes e sorvetes.
Contaminantes Ciclamato de sódio – adoçante. Carcinogênico. Percegoni, N., Nunes, O papel do TGI na
alimentares Corantes artificiais destoxificação. In: detoxificação. Ed
Nitritos e Nitratos – manutenção de coloração de carnes. Interação com
Rubio, 2016
aminas formando nitrosaminas cancerígenas
BHT (Butylated Hydroxytoluene) – antioxidante usado na conservação
de alimentos. Ação nefrotóxica e hepatotóxica
Dióxido de enxofre – manutenção de cor e preservação de frutas

Dieta detox???

Reações hepáticas de detoxificação e principais nutrientes requeridos em cada etapa


Fonte: adaptado de Liska, Lyon & Jones, 2006. Percegoni, N., Nunes, R.M., 2016.

9
§ Estratégia nutricional planejada e programada por tempo
determinado

§ JI: 8 horas, 12 horas, 18 horas, 24 horas...

JEJUM INTERMITENTE § Realizado 1x, 2x ou 3x/semana

§ Efeitos se baseiam na expressão de fatores transcricionais como


SIRT-1 e CPT-1, envolvidos com o aumento da capacidade
antioxidante e oxidação de gorduras.

§ Estudos recentes tem mostrado maior expressão desses fatores no


JI de 12 horas. Ex: faz-se a última refeição no dia anterior, (o jantar),
e em seguida, dorme-se por no mínimo 8hs e realiza-se a próxima
refeição 12hs, o almoço

§ Basicamente não se realiza café da manhã e lanche da manhã


PRIVAÇÃO ALIMENTAR (JEJUM)
§ Efeitos do JI: maior oxidação de gorduras, diminuição de LDL-c,
redução dos níveis de insulina, modulação da inflamação
é CORTISOL

> >
JI funciona? Oxida gordura? Tem o mesmo efeito em
todos? Qual o tempo de realização? 12 horas 6 horas 3 horas

DEPENDE!!! TIMOFEEVA, J. Comp. Neurol., 441: 71, 2001


ESTRATÉGIA CÍCLICA à PROGRAMADA!!!

CUIDADOS: IMPORTÂNCIA DA INGESTÃO


§ Não realizar atividade física nos dias de jejum: ↓ de energia ALIMENTAR DE 3 EM 3 HORAS
§ Pessoa precisa ter bons hábitos: comer CHO de ↓ IG, ↑ PTN, Chás..
§ Não implica necessariamente em perda de massa magra!!! (PASQUALI R. 9th International Congress on Obesity, Brasil, 2002)

Cortisol – Manutenção da glicose plasmática Cortisol


Estresse

JEJUM Centros Hipotálamo – CRH Crônico


cerebrais (hormônio liberador Agudo
PROLONGADO (excesso de glicocorticóides / jejum)
superiores corticótrofico)

Córtex Hipófise Anterior -


Cortisol Adrenal ACTH
Degradação de
proteínas teciduais
­ CRH (Efeito anorexígeno) ­ Gordura abdominal
(gliconeogênese) Resistência à insulina
Proteólise muscular
Mobilização de ­ Neoglicogênese Resistência à leptina
Ac graxos livres ­ lipólise ­ NPY
Estímulo hepático Obesidade
do tec adiposo
de enzimas para
síntese da glicose
(Dallman e cols, 2004)

10
E o jejum intermitente??? E o jejum intermitente???
• ­ Ghrelina
• ­ colecistoquinina???
• ¯ insulinemia e regulação da glicemia
• Jejum = ¯ T3???

• Melhor regulação do apetite?


• Maior perda de peso?

- Períodos de balanço energético negativo durante as intervenções de perda de


peso podem atenuar as respostas adaptativas à restrição calórica e, aumentar a
eficiência de perda de peso???

- Revisão sistemática: 40 publicações com humanos de qualquer idade ou IMC

Jejum intermitente parece produzir efeitos semelhantes à restrição de energia


contínua na redução do peso corporal, massa gorda, massa livre de gordura e
homeostase da glicose e pode reduzir o apetite.

- Não atenua outras respostas adaptativas a restrição de energia ou melhora a


eficiência de perda de peso

- Jejum pode representar uma opção válida, mas não superior em resultados à
restrição calórica contínua!

Dietas de muito baixa caloria são vantajosas????

Perda de peso = redução na atividade de T3 livre


– mecanismo adaptativo “poupador” de energia!

Dietas muito restritivas = efeito sanfona!


(redução progressiva de T 3 livre e da secreção de
T 4 geram menor TMB + menor estimulação de
UCPs)

(Mentuccia e cols., 2002 )

11
§ Em termos de risco de câncer, não há evidência humana até o
momento, mas estudos em animais encontraram diminuição na
incidência de linfoma, maior sobrevivência após a inoculação do
Am J Clin Nutr 2007;86:7–13. Printed in USA. © 2007 American Society for Nutrition
tumor e taxas mais baixas de proliferação de vários tipos celulares.

§ Risco de diabetes à estudos em animais de ADF encontraram menor


incidência de diabetes e menores concentrações de glicose e insulina
em jejum. § As descobertas em animais sugerem que o ADF pode efetivamente
modular vários fatores de risco, evitando assim doenças crônicas e
§ Os ensaios humanos até o momento relataram maior absorção de que o ADF pode modular o risco de doença em uma extensão
glicose mediada por insulina, mas nenhum efeito sobre a glicemia em semelhante à da RC.
jejum ou as concentrações de insulina.

§ Em termos de risco de doença cardiovascular, os dados de ADF de à Mais pesquisas são necessárias para estabelecer
animais apresentam concentrações mais baixas de colesterol total e definitivamente as consequências do ADF.
triacilgliceróis, menor frequência cardíaca, melhora da resposta
cardíaca ao infarto do miocárdio e menor pressão arterial.

O’Flanagan et al. BMC Medicine (2017) 15:106


Então, como deve ser a dieta?

Perda de peso eficaz

- Restrição calórica?
- Como é uma dieta equilibrada?
- Variedade alimentar OBRIGADO!
- Terapia antioxidante e anti-inflamatória Arthur da Silva Gomes
- Índice glicêmico e CG Mestre em Saúde e Nutrição - UFOP
- CBAs Doutor em Ciências Biomédicas – UFF
-Suplementação? Associado do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional

12

Você também pode gostar