Você está na página 1de 34

Competências gerais

Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar
para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar
causas, elaborar e testar
hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática
e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para
se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer
escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.

Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos
humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do
planeta.

Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e
capacidade para lidar com elas.

Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação,fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização
da diversidade de indivíduos e
de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.

Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos,
sustentáveis e solidários.
Competências específicas de Ciências humanas

Compreender a si e ao outro como identidades diferentes, de forma a exercitar o respeito à diferença em uma sociedade plural e promover os direitos humanos.

Analisar o mundo social, cultural e digital e o meio técnico-científico-informacional com base nos conhecimentos das Ciências Humanas, considerando suas variações de significado no
tempo e no espaço, para intervir em situações do cotidiano e se posicionar diante de problemas do mundo contemporâneo.

Identificar, comparar e explicar a intervenção do ser humano na natureza e na sociedade, exercitando a curiosidade e propondo ideias e ações que contribuam para a transformação
espacial, social e cultural, de modo a participar efetivamente das dinâmicas da vida social.

Interpretar e expressar sentimentos, crenças e dúvidas com relação a si mesmo, aos outros e às diferentes culturas, com base nos instrumentos de investigação das Ciências Humanas,
promovendo o acolhimento e a valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer
natureza.

Comparar eventos ocorridos simultaneamente no mesmo espaço e em espaços variados, e eventos ocorridos em tempos diferentes no mesmo espaço e em espaços variados.

Construir argumentos, com base nos conhecimentos das Ciências Humanas, para negociar e defender ideias e opiniões que respeitem e promovam os direitos humanos e a consciência
socioambiental, exercitando a responsabilidade e o protagonismo voltados para o bem comum e a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Utilizar as linguagens cartográfica, gráfica e iconográfica e diferentes gêneros textuais e tecnologias digitais de informação e comunicação no desenvolvimento do raciocínio espaço-
temporal relacionado a localização, distância, direção, duração, simultaneidade, sucessão, ritmo e conexão.
Competências específicas de Ensino religioso

Conviver com a diversidade de crenças, pensamentos, convicções, modos de ser e viver.

Conhecer os aspectos estruturantes das diferentes tradições/movimentos religiosos e filosofias de vida, a partir de pressupostos científicos, filosóficos, estéticos e éticos.

Compreender, valorizar e respeitar as manifestações religiosas e filosofias de vida, suas experiências e saberes, em diferentes tempos, espaços e territórios.

Reconhecer e cuidar de si, do outro, da coletividade e da natureza, enquanto expressão de valor da vida.

Analisar as relações entre as tradições religiosas e os campos da cultura, da política, da economia, da saúde, da ciência, da tecnologia e do meio ambiente.

Debater, problematizar e posicionar-se frente aos discursos e práticas de intolerância, discriminação e violência de cunho religioso, de modo a assegurar os direitos humanos no
constante exercício da cidadania e da cultura de paz.
Competências específicas de Linguagens

Compreender as linguagens como construção humana, histórica, social e cultural, de natureza dinâmica, reconhecendo-as e valorizando-as como formas de significação da realida
expressão de subjetividades e identidades sociais e culturais.

Conhecer e explorar diversas práticas de linguagem (artísticas, corporais e linguísticas) em diferentes campos da atividade humana para continuar aprendendo, ampliar suas
possibilidades de participação na vida social e colaborar para a construção de uma sociedade mais justa, democrática e inclusiva.

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, para se expressar e partilhar informações, experiências, id
sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao diálogo, à resolução de conflitos e à cooperação.

Utilizar diferentes linguagens para defender pontos de vista que respeitem o outro e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em
local, regional e global, atuando criticamente frente a questões do mundo contemporâneo.

Desenvolver o senso estético para reconhecer, fruir e respeitar as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, inclusive aquelas pertencentes ao patrimôn
cultural da humanidade, bem como participar de práticas diversificadas, individuais e coletivas, da produção artístico-cultural, com respeito à diversidade de saberes, identidades
culturas.

Compreender e utilizar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares), para
comunicar por meio das diferentes linguagens e mídias, produzir conhecimentos, resolver problemas e desenvolver projetos autorais e coletivos.
Competências específicas de Matemática

Reconhecer que a Matemática é uma ciência humana, fruto das necessidades e preocupações de diferentes culturas, em diferentes momentos históricos, e é uma ciência viva, que
contribui para solucionar problemas científicos e tecnológicos e para alicerçar descobertas e construções, inclusive com impactos no mundo do trabalho.

Desenvolver o raciocínio lógico, o espírito de investigação e a capacidade de produzir argumentos convincentes, recorrendo aos conhecimentos matemáticos para compreender e atuar
no mundo.

Compreender as relações entre conceitos e procedimentos dos diferentes campos da Matemática (Aritmética, Álgebra, Geometria, Estatística e Probabilidade) e de outras áreas do
conhecimento, sentindo segurança quanto à própria capacidade de construir e aplicar conhecimentos matemáticos, desenvolvendo a autoestima e a perseverança na busca de
soluções.

Fazer observações sistemáticas de aspectos quantitativos e qualitativos presentes nas práticas sociais e culturais, de modo a investigar, organizar, representar e comunicar informações
relevantes, para interpretá-las e avaliá-las crítica e eticamente, produzindo argumentos convincentes.

Utilizar processos e ferramentas matemáticas, inclusive tecnologias digitais disponíveis, para modelar e resolver problemas cotidianos, sociais e de outras áreas de conhecimento,
validando estratégias e resultados.

Enfrentar situações-problema em múltiplos contextos, incluindo-se situações imaginadas, não diretamente relacionadas com o aspecto prático-utilitário, expressar suas respostas e
sintetizar conclusões, utilizando diferentes registros e linguagens (gráficos, tabelas, esquemas, além de texto escrito na língua materna e outras linguagens para descrever algoritmos,
como fluxogramas, e dados).

Desenvolver e/ou discutir projetos que abordem, sobretudo, questões de urgência social, com base em princípios éticos, democráticos, sustentáveis e solidários, valorizando a
diversidade de opiniões de indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza.

Interagir com seus pares de forma cooperativa, trabalhando coletivamente no planejamento e desenvolvimento de pesquisas para responder a questionamentos e na busca de
soluções para problemas, de modo a identificar aspectos consensuais ou não na discussão de uma determinada questão, respeitando o modo de pensar dos colegas e aprendendo com
eles.
Competências específicas de Ciências da natureza

Compreender as Ciências da Natureza como empreendimento humano, e o conhecimento científico como provisório, cultural e histórico.

Compreender conceitos fundamentais e estruturas explicativas das Ciências da Natureza, bem como dominar processos, práticas e procedimentos da investigação científica, de modo a
sentir segurança no debate de questões científicas, tecnológicas, socioambientais e do mundo do trabalho, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade
justa, democrática e inclusiva.

Analisar, compreender e explicar características, fenômenos e processos relativos ao mundo natural, social e tecnológico (incluindo o digital), como também as relações que se
estabelecem entre eles, exercitando a curiosidade para fazer perguntas, buscar respostas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das Ciências da
Natureza.

Avaliar aplicações e implicações políticas, socioambientais e culturais da ciência e de suas tecnologias para propor alternativas aos desafios do mundo contemporâneo, incluindo
aqueles relativos ao mundo do trabalho.

Construir argumentos com base em dados, evidências e informações confiáveis e negociar e defender ideias e pontos de vista que promovam a consciência socioambiental e o respeito
a si próprio e ao outro, acolhendo e valorizando a diversidade de indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza.

Utilizar diferentes linguagens e tecnologias digitais de informação e comunicação para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos e resolver problemas
das Ciências da Natureza de forma crítica, significativa, reflexiva e ética.

Conhecer, apreciar e cuidar de si, do seu corpo e bem-estar, compreendendo-se na diversidade humana, fazendo-se respeitar e respeitando o outro, recorrendo aos conhecimentos das
Ciências da Natureza e às suas tecnologias.

Agir pessoal e coletivamente com respeito, autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, recorrendo aos conhecimentos das Ciências da Natureza para tomar
decisões frente a questões científico-tecnológicas e socioambientais e a respeito da saúde individual e coletiva, com base em princípios éticos, democráticos, sustentáveis e solidários.
Competências específicas de Língua Portuguesa

Reconhecer o texto como lugar de manifestação e negociação de sentidos, valores e ideologias.

Compreender a língua como fenômeno cultural, histórico, social, variável, heterogêneo e sensível aos contextos de uso, reconhecendo-a como meio de construção de identidades de
seus usuários e da comunidade
a que pertencem.

Apropriar-se da linguagem escrita, reconhecendo-a como forma de interação nos diferentes campos de atuação da vida social e utilizando-a para ampliar suas possibilidades de
participar da cultura letrada, de construir conhecimentos (inclusive escolares) e de se envolver com maior autonomia e protagonismo na vida social.

Ler, escutar e produzir textos orais, escritos e multissemióticos que circulam em diferentes campos de atuação e mídias, com compreensão, autonomia, fluência e criticidade, de modo
a se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos, e continuar aprendendo.

Compreender o fenômeno da variação linguística, demonstrando atitude respeitosa diante de variedades linguísticas e rejeitando preconceitos linguísticos.

Empregar, nas interações sociais, a variedade e o estilo de linguagem adequados à situação comunicativa, ao(s) interlocutor(es) e ao gênero do discurso/gênero textual.

Analisar informações, argumentos e opiniões manifestados em interações sociais e nos meios de comunicação, posicionando-se ética e criticamente em relação a conteúdos
discriminatórios que ferem direitos humanos e ambientais.

Selecionar textos e livros para leitura integral, de acordo com objetivos, interesses e projetos pessoais (estudo, formação pessoal, entretenimento, pesquisa, trabalho etc.).

Envolver-se em práticas de leitura literária que possibilitem o desenvolvimento do senso estético para fruição, valorizando a literatura e outras manifestações artístico-culturais como
formas de acesso às dimensões lúdicas, de imaginário e encantamento, reconhecendo o potencial transformador e humanizador da experiência com a literatura.

Mobilizar práticas da cultura digital, diferentes linguagens, mídias e ferramentas digitais para expandir as formas de produzir sentidos (nos processos de compreensão e produção),
aprender e refletir sobre o mundo e realizar diferentes projetos autorais.
Competências específicas de Arte

Explorar, conhecer, fruir e analisar criticamente práticas e produções artísticas e culturais do seu entorno social, dos povos indígenas, das comunidades tradicionais brasileiras e de
diversas sociedades, em distintos tempos e espaços, para reconhecer a arte como um fenômeno cultural, histórico, social e sensível a diferentes contextos e dialogar com as
diversidades.

Compreender as relações entre as linguagens da Arte e suas práticas integradas, inclusive aquelas possibilitadas pelo uso das novas tecnologias de informação e comunicação, pelo
cinema e pelo audiovisual, nas
condições particulares de produção, na prática de cada linguagem e nas suas articulações.

Pesquisar e conhecer distintas matrizes estéticas e culturais – especialmente aquelas manifestas na arte e nas culturas que constituem a identidade brasileira –, sua tradição e
manifestações contemporâneas, reelaborando-as nas criações em Arte.

Experienciar a ludicidade, a percepção, a expressividade e a imaginação, ressignificando espaços da escola e de fora dela no âmbito da Arte.

Mobilizar recursos tecnológicos como formas de registro, pesquisa e criação artística.

Estabelecer relações entre arte, mídia, mercado e consumo, compreendendo, de forma crítica e problematizadora, modos de produção e de circulação da arte na sociedade.

Problematizar questões políticas, sociais, econômicas, científicas, tecnológicas e culturais, por meio de exercícios, produções, intervenções e apresentações artísticas.

Desenvolver a autonomia, a crítica, a autoria e o trabalho coletivo e colaborativo nas artes.

Analisar e valorizar o patrimônio artístico nacional e internacional, material e imaterial, com suas histórias e diferentes visões de mundo.
Competências específicas de Educação Física

Compreender a origem da cultura corporal de movimento e seus vínculos com a organização da vida coletiva e individual.

Planejar e empregar estratégias para resolver desafios e aumentar as possibilidades de aprendizagem das práticas corporais, além de se envolver no processo de ampliação do acervo
cultural nesse campo.

Refletir, criticamente, sobre as relações entre a realização das práticas corporais e os processos de saúde/doença, inclusive no contexto das atividades laborais.

Identificar a multiplicidade de padrões de desempenho, saúde, beleza e estética corporal, analisando, criticamente, os modelos disseminados na mídia e discutir posturas consumistas e
preconceituosas.

Identificar as formas de produção dos preconceitos, compreender seus efeitos e combater posicionamentos discriminatórios em relação às práticas corporais e aos seus participantes.

Interpretar e recriar os valores, os sentidos e os significados atribuídos às diferentes práticas corporais, bem como aos sujeitos que delas participam.

Reconhecer as práticas corporais como elementos constitutivos da identidade cultural dos povos e grupos.

Usufruir das práticas corporais de forma autônoma para potencializar o envolvimento em contextos de lazer, ampliar as redes de sociabilidade e a promoção da saúde.

Reconhecer o acesso às práticas corporais como direito do cidadão, propondo e produzindo alternativas para sua realização no contexto comunitário.

Experimentar, desfrutar, apreciar e criar diferentes brincadeiras, jogos, danças, ginásticas, esportes, lutas e práticas corporais de aventura, valorizando o trabalho coletivo e o
protagonismo.
Competências específicas de Língua Inglesa

Identificar o lugar de si e o do outro em um mundo plurilíngue e multicultural, refletindo, criticamente, sobre como a aprendizagem da língua inglesa contribui para a inserção do
sujeitos no mundo globalizado, inclusive no que concerne ao mundo do trabalho.

Comunicar-se na língua inglesa, por meio do uso variado de linguagens em mídias impressas ou digitais, reconhecendo-a como ferramenta de acesso ao conhecimento, de amplia
das perspectivas e de possibilidades para a compreensão dos valores e interesses de outras culturas e para o exercício do protagonismo social.

Identificar similaridades e diferenças entre a língua inglesa e a língua materna/outras línguas, articulando-as a aspectos sociais, culturais e identitários, em uma relação intrínseca
língua, cultura e identidade.

Elaborar repertórios linguístico-discursivos da língua inglesa, usados em diferentes países e por grupos sociais distintos dentro de um mesmo país, de modo a reconhecer a divers
linguística como direito e valorizar os usos heterogêneos, híbridos e multimodais emergentes nas sociedades contemporâneas.

Utilizar novas tecnologias, com novas linguagens e modos de interação, para pesquisar, selecionar, compartilhar, posicionar-se e produzir sentidos em práticas de letramento na l
inglesa, de forma ética, crítica e responsável.

Conhecer diferentes patrimônios culturais, materiais e imateriais, difundidos na língua inglesa, com vistas ao exercício da fruição e da ampliação de perspectivas no contato com
diferentes manifestações artístico-culturais.
Competências específicas de Geografia

Utilizar os conhecimentos geográficos para entender a interação sociedade/natureza e exercitar o interesse e o espírito de investigação e de resolução de problemas.

Estabelecer conexões entre diferentes temas do conhecimento geográfico, reconhecendo a importância dos objetos técnicos para a compreensão das formas como os seres humanos
fazem uso dos recursos da natureza ao longo da história.

Desenvolver autonomia e senso crítico para compreensão e aplicação do raciocínio geográfico na análise da ocupação humana e produção do espaço, envolvendo os princípios de
analogia, conexão, diferenciação, distribuição, extensão, localização e ordem.

Desenvolver o pensamento espacial, fazendo uso das linguagens cartográficas e iconográficas, de diferentes gêneros textuais e das geotecnologias para a resolução de problemas que
envolvam informações geográficas.

Desenvolver e utilizar processos, práticas e procedimentos de investigação para compreender o mundo natural, social, econômico, político e o meio técnico-científico e informacional,
avaliar ações e propor perguntas e soluções (inclusive tecnológicas) para questões que requerem conhecimentos científicos da Geografia.

Construir argumentos com base em informações geográficas, debater e defender ideias e pontos de vista que respeitem e promovam a consciência socioambiental e o respeito à
biodiversidade e ao outro, sem preconceitos de qualquer natureza.

Agir pessoal e coletivamente com respeito, autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, propondo ações sobre as questões socioambientais, com base em
princípios éticos, democráticos, sustentáveis e solidários.
Competências específicas de História

Compreender e problematizar os conceitos e procedimentos norteadores da produção historiográfica.

Compreender acontecimentos históricos, relações de poder e processos e mecanismos de transformação e manutenção das estruturas sociais, políticas, econômicas e culturais ao
longo do tempo e em diferentes espaços para analisar, posicionar-se e intervir no mundo contemporâneo.

Compreender a historicidade no tempo e no espaço, relacionando acontecimentos e processos de transformação e manutenção das estruturas sociais, políticas, econômicas e culturais,
bem como problematizar os significados das lógicas de organização cronológica.

Elaborar questionamentos, hipóteses, argumentos e proposições em relação a documentos, interpretações e contextos históricos específicos, recorrendo a diferentes linguagens e
mídias, exercitando a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos, a cooperação e o respeito.

Identificar interpretações que expressem visões de diferentes sujeitos, culturas e povos com relação a um mesmo contexto histórico, e posicionar-se criticamente com base em
princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Analisar e compreender o movimento de populações e mercadorias no tempo e no espaço e seus significados históricos, levando em conta o respeito e a solidariedade com as
diferentes populações.

Produzir, avaliar e utilizar tecnologias digitais de informação e comunicação de modo crítico, ético e responsável, compreendendo seus significados para os diferentes grupos ou
estratos sociais.
Língua Portuguesa

COMPONENTE ANO/FAIXA CAMPOS DE ATUAÇÃO PRÁTICAS DE LINGUAGEM OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção
de textos (EF67LP01) Analisar a estrutura e funcionamento
Língua 6º, 7º Campo Leitura dos hiperlinks em textos noticiosos publicados
Portug uesa jornalístico/midiático Caracterização do campo
jornalístico e relação entre os na Web e vislumbrar possibilidades de uma
gêneros em circulação, mídias e escrita hipertextual.
práticas da cultura digital

(EF67LP02) Explorar o espaço reservado ao leitor


nos jornais, revistas, impressos e on-line, sites
noticiosos etc., destacando notícias,
Língua Campo fotorreportagens, entrevistas, charges, assuntos,
6º, 7º Leitura Apreciação e réplica temas, debates em foco, posicionando-se de
Portug uesa jornalístico/midiático maneira ética e respeitosa frente a esses textos
e opiniões a eles relacionadas, e publicar
notícias, notas jornalísticas, fotorreportagem de
interesse geral nesses espaços do leitor.

Língua Campo (EF67LP03) Comparar informações sobre um


6º, 7º Leitura Relação entre textos mesmo fato divulgadas em diferentes veículos e
Portug uesa jornalístico/midiático mídias, analisando e avaliando a confiabilidade.

Língua 6º, 7º Campo Leitura Estratégia de leitura Distinção de (EF67LP04) Distinguir, em segmentos
Portug uesa jornalístico/midiático fato e opinião descontínuos de textos, fato da opinião
enunciada em relação a esse mesmo fato.

(EF67LP05) Identificar e avaliar


Estratégia de leitura: teses/opiniões/posicionamentos explícitos e
Língua 6º, 7º Campo Leitura identificação de teses e argumentos em textos argumentativos (carta de
Portug uesa jornalístico/midiático argumentos leitor, comentário, artigo de opinião, resenha
Apreciação e réplica crítica etc.), manifestando concordância ou
discordância.

(EF67LP06) Identificar os efeitos de sentido


Língua 6º, 7º Campo Leitura Efeitos de sentido provocados pela seleção lexical, topicalização de
Portug uesa jornalístico/midiático elementos e seleção e hierarquização de
informações, uso de 3ª pessoa etc.

(EF67LP07) Identificar o uso de recursos


persuasivos em textos argumentativos diversos
Língua 6º, 7º Campo Leitura Efeitos de sentido (como a elaboração do título, escolhas lexicais,
Portug uesa jornalístico/midiático construções metafóricas, a explicitação ou a
ocultação de fontes de informação) e perceber
seus efeitos de sentido.

(EF67LP08) Identificar os efeitos de sentido


devidos à escolha de imagens estáticas,
sequenciação ou sobreposição de imagens,
definição de figura/fundo, ângulo, profundidade
Língua 6º, 7º Campo Leitura Efeitos de sentido Exploração da e foco, cores/tonalidades, relação com o escrito
Portug uesa jornalístico/midiático multissemiose (relações de reiteração, complementação ou
oposição) etc. em notícias, reportagens,
fotorreportagens, foto-denúncias, memes, gifs,
anúncios publicitários e propagandas publicados
em jornais, revistas, sites na internet etc.
(EF67LP09) Planejar notícia impressa e para
circulação em outras mídias (rádio ou TV/vídeo),
tendo em vista as condições de produção, do
texto – objetivo, leitores/espectadores, veículos
e mídia de circulação etc. –, a partir da escolha
do fato a ser noticiado (de relevância para a
Língua Campo Estratégias de produção: turma, escola ou comunidade), do levantamento
6º, 7º Produção de textos planejamento de textos de dados e informações sobre o fato – que pode
Portug uesa jornalístico/midiático informativos envolver entrevistas com envolvidos ou com
especialistas, consultas a fontes, análise de
documentos, cobertura de eventos etc.–, do
registro dessas informações e dados, da escolha
de fotos ou imagens a produzir ou a utilizar etc.
e a previsão de uma estrutura hipertextual (no
caso de publicação em sites ou blogs noticiosos).
(EF67LP10) Produzir notícia impressa tendo em
Textualização, tendo em vista vista características do gênero – título ou
suas condições de produção, as manchete com verbo no tempo presente, linha
fina (opcional), lide, progressão dada pela ordem
características do gênero em
Língua 6º, 7º Campo Produção de textos questão, o estabelecimento de decrescente de importância dos f atos, uso de 3ª
Portug uesa jornalístico/midiático coesão, pessoa, de palavras que indicam precisão –, e o
estabelecimento adequado de coesão e produzir
adequação à norma-padrão e o
uso adequado de ferramentas notícia para TV, rádio e internet, tendo em vista,
de edição além das características do gênero, os recursos
de mídias disponíveis e o manejo de recursos de
(EF67LP11) e Planejar
captação variados,
edição de resenhas, vlogs, vídeos e
áudio ee vídeos
imagem.
podcasts e textos de
apresentação e apreciação próprios das culturas
juvenis (algumas possibilidades: fanzines,
fanclipes, e-zines, gameplay, detonado etc.),
dentre outros, tendo em vista as condições de
produção do texto – objetivo,
leitores/espectadores, veículos e mídia de
Língua Campo Estratégias de produção: circulação etc. –, a partir da escolha de uma
6º, 7º Produção de textos planejamento de textos produção ou evento cultural para analisar – livro,
Portug uesa jornalístico/midiático argumentativos e apreciativos filme, série, game, canção, videoclipe, fanclipe,
show, saraus, slams etc. – da busca de
informação sobre a produção ou evento
escolhido, da síntese de informações sobre a
obra/evento e do elenco/seleção de aspectos,
elementos ou recursos que possam ser
destacados positiva ou negativamente ou da
roteirizaçãoProduzir
(EF67LP12) do passoresenhas
a passo docríticas,
gamevlogs,
para
vídeos,
posteriorpodcasts
gravação variados e produções e gêneros
dos vídeos.
próprios das culturas juvenis (algumas
possibilidades: fanzines, fanclipes, e-zines,
gameplay, detonado etc.), que
Língua 6º, 7º Campo Produção de textos Textualização de textos apresentem/descrevam e/ou avaliem produções
Portug uesa jornalístico/midiático argumentativos e apreciativos culturais (livro, filme, série, game, canção, disco,
videoclipe etc.) ou evento (show, sarau, slam
etc.), tendo em vista o contexto de produção
dado, as características do gênero, os recursos
das mídias envolvidas e a textualização
adequada dos textos e/ou produções.

(EF67LP13) Produzir, revisar e editar textos


publicitários, levando em conta o contexto de
produção dado, explorando recursos
multissemióticos, relacionando elementos
Língua 6º, 7º Campo Produção de textos Produção e edição de textos verbais e v isuais, utilizando adequadamente
Portug uesa jornalístico/midiático publicitários estratégias discursivas de persuasão e/ou
convencimento e criando título ou slogan que
façam o leitor motivar-se a interagir com o texto
produzido e se sinta atraído pelo serviço, ideia
ou produto em questão.
(EF67LP14) Definir o contexto de produção da
entrevista (objetivos, o que se pretende
conseguir, porque aquele entrevistado etc.),
levantar informações sobre o entrevistado e
sobre o acontecimento ou tema em questão,
preparar o roteiro de perguntar e realizar
entrevista oral com envolvidos ou especialistas
Língua Campo Planejamento e produção de relacionados com o fato noticiado ou com o
6º, 7º Oralidade tema em pauta, usando roteiro previamente
Portug uesa jornalístico/midiático entrevistas orais elaborado e formulando outras perguntas a
partir das respostas dadas e, quando for o caso,
selecionar partes, transcrever e proceder a uma
edição escrita do texto, adequando-o a seu
contexto de publicação, à construção
composicional do gênero e garantindo a
relevância das informações mantidas e a
continuidade temática.
(EF67LP15) Identificar a proibição imposta ou o
direito garantido, bem como as circunstâncias de
sua aplicação, em artigos relativos a normas,
Língua Campo de atuação na Estratégias e procedimentos de regimentos escolares, regimentos e estatutos da
6º, 7º Leitura leitura em textos legais e
Portug uesa vida pública normativos sociedade civil, regulamentações para o
mercado publicitário, Código de Def esa do
Consumidor, Código Nacional de Trânsito, ECA,
Constituição, dentre outros.

(EF67LP16) Explorar e analisar espaços de


reclamação de direitos e de envio de solicitações
(tais como ouvidorias, S AC, canais ligados a
órgãos públicos, plataformas do consumidor,
Contexto de produção, plataformas de reclamação), bem como de
textos pertencentes a gêneros que circulam
Língua Campo de atuação na circulação e recepção de textos nesses espaços, reclamação ou carta de
6º, 7º Leitura e práticas relacionadas à defesa
Portug uesa vida pública de direitos e à participação reclamação, solicitação ou carta de solicitação,
como forma de ampliar as possibilidades de
social produção desses textos em casos que remetam
a reivindicações que envolvam a escola, a
comunidade ou algum de seus membros como
forma de seAnalisar,
(EF67LP17) engajar na buscado
a partir decontexto
solução dede
problemas apessoais,
produção, forma dedos outros e coletivos.
organização das cartas de
solicitação e de reclamação (datação, forma de
início, apresentação contextualizada do pedido
Relação entre contexto de ou da reclamação, em geral, acompanhada de
produção e características explicações, argumentos e/ou relatos do
composicionais e estilísticas dos problema, fórmula de finalização mais ou menos
Língua 6º, 7º Campo de atuação na Leitura gêneros (carta de solicitação, cordata, dependendo do tipo de carta e
Portug uesa vida pública carta de reclamação, petição on- subscrição) e algumas das marcas linguísticas
line, carta aberta, abaixo- relacionadas à argumentação, explicação ou
assinado, proposta etc.) relato de fatos, como forma de possibilitar a
Apreciação e réplica escrita fundamentada de cartas como essas ou
de postagens em canais próprios de reclamações
e solicitações em situações que envolvam
questões relativas à escola, à comunidade ou a
algum dos seus membros.

(EF67LP18) Identificar o objeto da reclamação


Língua Campo de atuação na Estratégias, procedimentos de e/ou da solicitação e sua sustentação, explicação
6º, 7º Leitura leitura em textos
Portug uesa vida pública reivindicatórios ou propositivos ou justificativa, de forma a poder analisar a
pertinência da solicitação ou justificação.

(EF67LP19) Realizar levantamento de questões,


problemas que requeiram a denúncia de
Língua Campo de atuação na Estratégia de produção: desrespeito a direitos, reivindicações,
6º, 7º Produção de textos planejamento de textos
Portug uesa vida pública reivindicatórios ou propositivos reclamações, solicitações que contemplem a
comunidade escolar ou algum de seus membros
e examinar normas e legislações.

Língua Campo das práticas de Leitura (EF67LP20) Realizar pesquisa, a partir de


6º, 7º Curadoria de informação recortes e questões definidos previamente,
Portug uesa estudo e pesquisa usando fontes indicadas e abertas.

(EF67LP21) Divulgar resultados de pesquisas por


Língua 6º, 7º Campo das práticas de Produção de textos Estratégias de escrita: meio de apresentações orais, painéis, artigos de
Portug uesa estudo e pesquisa textualização, revisão e edição divulgação científica, verbetes de enciclopédia,
podcasts científicos etc.

Língua Campo das práticas de Produção de textos Estratégias de escrita: (EF67LP22) Produzir resumos, a partir das notas
6º, 7º e/ou esquemas feitos, com o uso adequado de
Portug uesa estudo e pesquisa textualização, revisão e edição paráfrases e citações.

(EF67LP23) Respeitar os turnos de fala, na


participação em conversações e em discussões
Língua Campo das práticas de Oralidade ou atividades coletivas, na sala de aula e na
6º, 7º Conversação espontânea escola e formular perguntas coerentes e
Portug uesa estudo e pesquisa adequadas em momentos oportunos em
situações de aulas, apresentação oral, seminário
etc.

(EF67LP24) Tomar nota de aulas, apresentações


orais, entrevistas (ao vivo, áudio, TV, vídeo),
Língua 6º, 7º Campo das práticas de Oralidade Procedimentos de apoio à identificando e hierarquizando as informações
Portug uesa estudo e pesquisa compreensão Tomada de nota principais, tendo em vista apoiar o estudo e a
produção de sínteses e reflexões pessoais ou
outros objetivos em questão.

(EF67LP25) Reconhecer e utilizar os critérios de


organização tópica (do geral para o específico,
do específico para o geral etc.), as marcas
Língua Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Textualização Progressão linguísticas dessa organização (marcadores de
6º, 7º ordenação e enumeração, de explicação,
Portug uesa estudo e pesquisa temática definição e exemplificação, por exemplo) e os
mecanismos de paráfrase, de maneira a
organizar mais adequadamente a coesão e a
progressão temática de seus textos.

(EF67LP26) Reconhecer a estrutura de


Língua 6º, 7º Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Textualização hipertexto em textos de divulgação científica e
Portug uesa estudo e pesquisa proceder à remissão a conceitos e relações por
meio de notas de rodapés ou boxes.

(EF67LP27) Analisar, entre os textos literários e


entre estes e outras manifestações artísticas
Língua 6º, 7º Campo artístico-literário Leitura Relação entre textos (como cinema, teatro, música, artes visuais e
Portug uesa midiáticas), referências explícitas ou implícitas a
outros textos, quanto aos temas, personagens e
recursos literários e semióticos

(EF67LP28) Ler, de forma autônoma, e


compreender – selecionando procedimentos e
estratégias de leitura adequados a diferentes
objetivos e levando em conta características dos
gêneros e suportes –, romances infantojuvenis,
contos populares, contos de terror, lendas
Língua 6º, 7º Campo artístico-literário Leitura Estratégias de leitura Apreciação brasileiras, indígenas e af ricanas, narrativas de
Portug uesa e réplica aventuras, narrativas de enigma, mitos, crônicas,
autobiografias, histórias em quadrinhos, mangás,
poemas de forma livre e fixa (como sonetos e
cordéis), vídeo-poemas, poemas visuais, dentre
outros, expressando avaliação sobre o texto lido
e estabelecendo preferências por gêneros,
temas, autores.

Reconstrução da textualidade (EF67LP29) Identificar, em texto dramático,


Língua 6º, 7º Campo artístico-literário Leitura Efeitos de sentidos provocados personagem, ato, cena, fala e indicações cênicas
e a organização do texto: enredo, conflitos,
Portug uesa pelos usos de recursos
linguísticos e multissemióticos ideias principais, pontos de vista, universos de
ref erência.

(EF67LP30) Criar narrativas ficcionais, tais como


contos populares, contos de suspense, mistério,
terror, humor, narrativas de enigma, crônicas,
histórias em quadrinhos, dentre outros, que
utilizem cenários e personagens realistas ou de
Língua Construção da textualidade fantasia, observando os elementos da estrutura
6º, 7º Campo artístico-literário Produção de textos narrativa próprios ao gênero pretendido, tais
Portug uesa Relação entre textos como enredo, personagens, tempo, espaço e
narrador, utilizando tempos verbais adequados à
narração de fatos passados, empregando
conhecimentos sobre diferentes modos de se
iniciar uma história e de inserir os discursos
direto e indireto.

(EF67LP31) Criar poemas compostos por versos


livres e de forma fixa (como quadras e sonetos),
utilizando recursos visuais, semânticos e
Língua 6º, 7º Campo artístico-literário Produção de textos Construção da textualidade sonoros, tais como cadências, ritmos e rimas, e
Portug uesa Relação entre textos poemas visuais e vídeo-poemas, explorando as
relações entre imagem e texto verbal, a
distribuição da mancha gráfica (poema visual) e
outros recursos visuais e sonoros.

Língua Todos os campos de (EF67LP32) Escrever palavras com correção


6º, 7º Análise linguística/semiótica Fono-ortografia ortográfica, obedecendo as convenções da
Portug uesa atuação língua escrita.

Língua 6º, 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Elementos notacionais da escrita (EF67LP33) Pontuar textos adequadamente.
Portug uesa atuação

Língua 6º, 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia (EF67LP34) Formar antônimos com acréscimo de
Portug uesa atuação prefixos que expressam noção de negação.

Língua 6º, 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia (EF67LP35) Distinguir palavras derivadas por
Portug uesa atuação acréscimo de afixos e palavras compostas.

(EF67LP36) Utilizar, ao produzir texto, recursos


Língua 6º, 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Coesão de coesão referencial (léxica e pronominal) e
Portug uesa atuação sequencial e outros recursos expressivos
adequados ao gênero textual.

(EF67LP37) Analisar, em diferentes textos, os


Língua Todos os campos de efeitos de sentido decorrentes do uso de
6º, 7º Análise linguística/semiótica Sequências textuais recursos linguístico-discursivos de prescrição,
Portug uesa atuação causalidade, sequências descritivas e expositivas
e ordenação de eventos.

(EF67LP38) Analisar os efeitos de sentido do uso


Língua 6º, 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Figuras de linguagem de figuras de linguagem, como comparação,
Portug uesa atuação metáfora, metonímia, personificação, hipérbole,
dentre outras.

(EF69LP01) Diferenciar liberdade de expressão


Língua Campo Apreciação e réplica de discursos de ódio, posicionando-se
6º; 7º; 8º; 9º Leitura contrariamente a esse tipo de discurso e
Portug uesa jornalístico/midiático Relação entre gêneros e mídias vislumbrando possibilidades de denúncia
quando for o caso.

(EF69LP02) Analisar e comparar peças


publicitárias variadas (cartazes, folhetos,
outdoor, anúncios e propagandas em diferentes
mídias, spots, jingle, vídeos etc.), de forma a
perceber a articulação entre elas em campanhas,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Leitura Apreciação e réplica as especificidades das várias semioses e mídias,
Portug uesa jornalístico/midiático Relação entre gêneros e mídias a adequação dessas peças ao público-alvo, aos
objetivos do anunciante e/ou da campanha e à
construção composicional e estilo dos gêneros
em questão, como forma de ampliar suas
possibilidades de compreensão (e produção) de
textos pertencentes a esses gêneros.

(EF69LP03) Identificar, em notícias, o fato


central, suas principais circunstâncias e
eventuais decorrências; em reportagens e
fotorreportagens o fato ou a temática retratada
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Leitura Estratégia de leitura: apreender e a perspectiva de abordagem, em entrevistas os
Portug uesa jornalístico/midiático os sentidos globais do texto
principais temas/subtemas abordados,
explicações dadas ou teses defendidas em
relação a esses subtemas; em tirinhas, memes,
charge, a crítica, ironia ou humor presente.

(EF69LP04) Identificar e analisar os efeitos de


sentido que fortalecem a persuasão nos textos
publicitários, relacionando as estratégias de
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Leitura Efeitos de sentido persuasão e apelo ao consumo com os recursos
Portug uesa jornalístico/midiático linguístico-discursivos utilizados, como imagens,
tempo verbal, jogos de palavras, figuras de
linguagem etc., com vistas a fomentar práticas
de consumo conscientes.

(EF69LP05) Inferir e justificar, em textos


multissemióticos – tirinhas, charges, memes, gifs
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Leitura Efeitos de sentido etc. –, o efeito de humor, ironia e/ou crítica pelo
Portug uesa jornalístico/midiático uso ambíguo de palavras, expressões ou imagens
(EF69LP06)
ambíguas, de Produzir
clichês, ede
publicar
recursosnotícias,
iconográficos,
fotodenúncias, fotorreportagens, reportagens,
de pontuaçãomultimidiáticas,
reportagens etc. infográficos,
podcasts noticiosos, entrevistas, cartas de leitor,
comentários, artigos de opinião de interesse
local ou global, textos de apresentação e
apreciação de produção cultural – resenhas e
outros próprios das formas de expressão das
culturas juvenis, tais como vlogs e podcasts
culturais, gameplay, detonado etc.– e cartazes,
anúncios, propagandas, spots, jingles de
Relação do texto com o contexto campanhas sociais, dentre outros em várias
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Produção de textos mídias, vivenciando de forma significativa o
de produção e experimentação papel
Portug uesa jornalístico/midiático de repórter, de comentador, de analista,
de papéis sociais de crítico, de editor ou articulista, de booktuber,
de vlogger (vlogueiro) etc., como forma de
compreender as condições de produção que
envolvem aProduzir
(EF69LP07) circulação textos
dessesemtextos
diferentes
e poder
participarconsiderando
gêneros, e vislumbrar possibilidades
sua adequaçãode ao
participação
contexto produção
nas práticas
e circulação
de linguagem
– os do
campo jornalístico
enunciadores envolvidos,
e do campo
os objetivos,
midiáticoo de
gênero,
forma
o suporte,
éticaaecirculação
responsável,-, aolevando-se
modo (escrito
em ou
consideração
oral; imagem estática
o contexto ou da
emWeb
movimento
2.0, queetc.),
amplia
à
a possibilidade
variedade linguística
de circulação
e/ou semiótica
desses textos
apropriada
e
a“funde”
esse contexto,
os papéisà deconstrução
leitor e autor,
da textualidade
de
consumidor eàsprodutor.
relacionada propriedades textuais e do
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Produção de textos Textualização gênero), utilizando estratégias de planejamento,
Portug uesa jornalístico/midiático
elaboração, revisão, edição, reescrita/redesign e
avaliação de textos, para, com a ajuda do
professor e a colaboração dos colegas, corrigir e
aprimorar as produções realizadas, fazendo
cortes, acréscimos, reformulações, correções de
concordância, ortografia, pontuação em textos e
editando imagens, arquivos sonoros, fazendo
cortes, acréscimos, ajustes, acrescentando/
alterando efeitos, ordenamentos etc.
(EF69LP08) Revisar/editar o texto produzido –
notícia, reportagem, resenha, artigo de opinião,
dentre outros –, tendo em vista sua adequação
ao contexto de produção, a mídia em questão,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Produção de textos Revisão/edição de texto características do gênero, aspectos relativos à
Portug uesa jornalístico/midiático informativo e opinativo textualidade, a relação entre as diferentes
semioses, a formatação e uso adequado das
ferramentas de edição (de texto, foto, áudio e
vídeo, dependendo do caso) e adequação à
norma culta.

(EF69LP09) Planejar uma campanha publicitária


sobre questões/problemas, temas, causas
significativas para a escola e/ou comunidade, a
partir de um levantamento de material sobre o
Planejamento de textos de tema ou evento, da definição do público-alvo, do
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Produção de textos texto ou peça a ser produzido – cartaz, banner,
Portug uesa jornalístico/midiático peças publicitárias de folheto, panfleto, anúncio impresso e para
campanhas sociais
internet, spot, propaganda de rádio, TV etc. –, da
ferramenta de edição de texto, áudio ou vídeo
que será utilizada, do recorte e enfoque a ser
dado, das estratégias de persuasão que serão
utilizadas etc.

(EF69LP10) Produzir notícias para rádios, TV ou


vídeos, podcasts noticiosos e de opinião,
Oralidade entrevistas, comentários, vlogs, jornais
*Considerar todas as habilidades radiofônicos e televisivos, dentre outros
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo dos eixos leitura e produção que Produção de textos jornalísticos possíveis, relativos a fato e temas de interesse
Portug uesa jornalístico/midiático se referem a textos ou orais pessoal, local ou global e textos orais de
produções orais, em áudio ou apreciação e opinião – podcasts e vlogs
vídeo noticiosos, culturais e de opinião, orientando-se
por roteiro ou texto, considerando o contexto de
produção e demonstrando domínio dos gêneros.

Oralidade (EF69LP11) Identificar e analisar


*Considerar todas as habilidades posicionamentos defendidos e refutados na
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo dos eixos leitura e produção que Produção de textos jornalísticos escuta de interações polêmicas em entrevistas,
Portug uesa jornalístico/midiático se referem a textos ou orais discussões e debates (televisivo, em sala de aula,
produções orais, em áudio ou em redes sociais etc.), entre outros, e se
vídeo posicionar frente a eles.

(EF69LP12) Desenvolver estratégias de


planejamento, elaboração, revisão, edição,
reescrita/ redesign (esses três últimos quando
não for situação ao vivo) e avaliação de textos
Oralidade orais, áudio e/ou vídeo, considerando sua
adequação aos contextos em que foram
*Considerar todas as habilidades produzidos, à forma composicional e estilo de
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo dos eixos leitura e produção que Planejamento e produção de
Portug uesa jornalístico/midiático se referem a textos ou textos jornalísticos orais gêneros, a clareza, progressão temática e
variedade linguística empregada, os elementos
produções orais, em áudio ou relacionados à fala, tais como modulação de voz,
vídeo
entonação, ritmo, altura e intensidade,
respiração etc., os elementos cinésicos, tais
como postura corporal, movimentos e
gestualidade significativa, expressão facial,
contato de olho com plateia etc.

Participação em discussões orais (EF69LP13) Engajar-se e contribuir com a busca


Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Oralidade de temas controversos de de conclusões comuns relativas a problemas,
Portug uesa jornalístico/midiático interesse da turma e/ou de temas ou questões polêmicas de interesse da
relevância social turma e/ou de relevância social.

(EF69LP14) Formular perguntas e decompor,


com a ajuda dos colegas e dos professores,
Participação em discussões orais tema/questão polêmica, explicações e ou
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Oralidade de temas controversos de argumentos relativos ao objeto de discussão
Portug uesa jornalístico/midiático interesse da turma e/ou de para análise mais minuciosa e buscar em fontes
relevância social diversas informações ou dados que permitam
analisar partes da questão e compartilhá-los com
a turma.

Participação em discussões orais (EF69LP15) Apresentar argumentos e contra-


Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Oralidade de temas controversos de argumentos coerentes, respeitando os turnos de
Portug uesa jornalístico/midiático interesse da turma e/ou de fala, na participação em discussões sobre temas
relevância social controversos e/ou polêmicos.

(EF69LP16) Analisar e utilizar as formas de


composição dos gêneros jornalísticos da ordem
do relatar, tais como notícias (pirâmide invertida
no impresso X blocos noticiosos hipertextuais e
hipermidiáticos no digital, que também pode
Língua Campo contar com imagens de vários tipos, vídeos,
6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica Construção composicional gravações de áudio etc.), da ordem do
Portug uesa jornalístico/midiático argumentar, tais como artigos de opinião e
editorial (contextualização, defesa de
tese/opiniãoPerceber
(EF69LP17) e uso deeargumentos)
analisar os recursos
e das
entrevistas:e apresentação
estilísticos semióticos dose gêneros
contextualização
jornalísticos
do
eentrevistado
publicitários,
e do
os aspectos
tema, estrutura
relativos
pergunta
ao e
resposta etc.da informação em notícias, como a
tratamento
ordenação dos eventos, as escolhas lexicais, o
efeito de imparcialidade do relato, a morfologia
do verbo, em textos noticiosos e
argumentativos, reconhecendo marcas de
pessoa, número, tempo, modo, a distribuição
dos verbos nos gêneros textuais (por exemplo,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Análise linguística/semiótica Estilo as formas de pretérito em relatos; as formas de
Portug uesa jornalístico/midiático presente e futuro em gêneros argumentativos;
as formas de imperativo em gêneros
publicitários), o uso de recursos persuasivos em
textos argumentativos diversos (como a
elaboração do título, escolhas lexicais,
construções metafóricas, a explicitação ou a
ocultação de fontes de informação) e as
estratégias de persuasão e apelo ao consumo
com os recursos
(EF69LP18) Utilizar,
linguístico-discursivos
na escrita/reescritautilizados
de textos
(tempo verbal, jogos
argumentativos, recursos
de palavras,
linguísticos
metáf
queoras,
imagens). as relações de sentido entre
marquem
parágrafos e enunciados do texto e operadores
Língua Campo de conexão adequados aos tipos de argumento e
6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica Estilo à forma de composição de textos
Portug uesa jornalístico/midiático argumentativos, de maneira a garantir a coesão,
a coerência e a progressão temática nesses
textos (“primeiramente, mas, no entanto, em
primeiro/segundo/terceiro lugar, finalmente, em
conclusão” etc.).

(EF69LP19) Analisar, em gêneros orais que


envolvam argumentação, os efeitos de sentido
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Análise linguística/semiótica Efeito de sentido de elementos típicos da modalidade falada,
Portug uesa jornalístico/midiático como a pausa, a entonação, o ritmo, a
gestualidade e expressão facial, as hesitações
etc.

(EF69LP20) Identificar, tendo em vista o


contexto de produção, a forma de organização
dos textos normativos e legais, a lógica de
hierarquização de seus itens e subitens e suas
partes: parte inicial (título – nome e data – e
Reconstrução das condições de ementa), blocos de artigos (parte, livro, capítulo,
produção e circulação e seção, subseção), artigos (caput e parágrafos e
Língua Campo de atuação na adequação do texto à incisos) e parte final (disposições pertinentes à
6º; 7º; 8º; 9º Leitura construção composicional e ao sua implementação) e analisar efeitos de sentido
Portug uesa vida pública estilo de gênero causados pelo uso de vocabulário técnico, pelo
(Lei, código, estatuto, código, uso do imperativo, de palavras e expressões que
reg imento etc.) indicam circunstâncias, como advérbios e
locuções adverbiais, de palavras que indicam
generalidade, como alguns pronomes
indefinidos, de forma a poder compreender o
caráter imperativo, coercitivo e generalista das
leis e de outras
(EF69LP21) Posicionar-se
formas deem regulamentação.
relação a
conteúdos veiculados em práticas não
institucionalizadas de participação social,
sobretudo àquelas vinculadas a manifestações
artísticas, produções culturais, intervenções
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo de atuação na Leitura Apreciação e réplica urbanas e práticas próprias das culturas juvenis
Portug uesa vida pública que pretendam denunciar, expor uma
problemática ou “convocar” para uma
reflexão/ação, relacionando esse
texto/produção com seu contexto de produção e
relacionando as partes e semioses presentes
para a construção de sentidos.

(EF69LP22) Produzir, revisar e editar textos


reivindicatórios ou propositivos sobre problemas
que afetam a vida escolar ou da comunidade,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo de atuação na Produção de textos Textualização, revisão e edição justificando pontos de vista, reivindicações e
Portug uesa vida pública detalhando propostas (justificativa, objetivos,
ações previstas etc.), levando em conta seu
contexto de produção e as características dos
gêneros em questão.

(EF69LP23) Contribuir com a escrita de textos


normativos, quando houver esse tipo de
demanda na escola – regimentos e estatutos de
organizações da sociedade civil do âmbito da
Língua Campo de atuação na atuação das crianças e jovens (grêmio livre,
6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos Textualização, revisão e edição clubes de leitura, associações culturais etc.) – e
Portug uesa vida pública de regras e regulamentos nos vários âmbitos da
escola – campeonatos, festivais, regras de
convivência etc., levando em conta o contexto
de produção e as características dos gêneros em
questão.
(EF69LP24) Discutir casos, reais ou simulações,
submetidos a juízo, que envolvam (supostos)
desrespeitos a artigos, do ECA, do Código de
Defesa do Consumidor, do Código Nacional de
Trânsito, de regulamentações do mercado
publicitário etc., como forma de criar
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo de atuação na Oralidade Discussão oral familiaridade com textos legais – seu
Portug uesa vida pública vocabulário, formas de organização, marcas de
estilo etc. -, de maneira a facilitar a
compreensão de leis, fortalecer a defesa de
direitos, fomentar a escrita de textos normativos
(se e quando isso for necessário) e possibilitar a
compreensão do caráter interpretativo das leis e
as várias perspectivas que podem estar em jogo.

(EF69LP25) Posicionar-se de forma consistente e


sustentada em uma discussão, assembleia,
reuniões de colegiados da escola, de
Língua Campo de atuação na agremiações e outras situações de apresentação
6º; 7º; 8º; 9º Oralidade Discussão oral de propostas e defesas de opiniões, respeitando
Portug uesa vida pública as opiniões contrárias e propostas alternativas e
fundamentando seus posicionamentos, no
tempo de fala previsto, valendo-se de sínteses e
propostas claras e justificadas.

(EF69LP26) Tomar nota em discussões, debates,


palestras, apresentação de propostas, reuniões,
como forma de documentar o evento e apoiar a
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo de atuação na Oralidade Registro própria fala (que pode se dar no momento do
Portug uesa vida pública evento ou posteriormente, quando, por
exemplo, for necessária a retomada dos
assuntos tratados em outros contextos públicos,
como diante dos representados).

(EF69LP27) Analisar a forma composicional de


textos pertencentes a gêneros normativos/
jurídicos e a gêneros da esfera política, tais como
propostas, programas políticos (posicionamento
quanto a diferentes ações a serem propostas,
objetivos, ações previstas etc.), propaganda
Língua Campo de atuação na Análise de textos política (propostas e sua sustentação,
6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica legais/normativos, propositivos posicionamento quanto a temas em discussão) e
Portug uesa vida pública e reivindicatórios textos reivindicatórios: cartas de reclamação,
petição (proposta, suas justificativas e ações a
serem adotadas) e suas marcas linguísticas, de
forma a incrementar a compreensão de textos
pertencentes a esses gêneros e a possibilitar a
produção deObservar
(EF69LP28) textos mais
os mecanismos
adequados e/ou
de
fundamentados
modalização adequados
quando isso
aos textos
for requerido.
jurídicos, as
modalidades deônticas, que se referem ao eixo
da conduta (obrigatoriedade/permissibilidade)
como, por exemplo: Proibição: “Não se deve
fumar em recintos fechados.”; Obrigatoriedade:
“A vida tem que valer a pena.”; Possibilidade: “É
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo de atuação na Análise linguística/semiótica Modalização permitido a entrada de menores acompanhados
Portug uesa vida pública de adultos responsáveis”, e os mecanismos de
modalização adequados aos textos políticos e
propositivos, as modalidades apreciativas, em
que o locutor exprime um juízo de valor (positivo
ou negativo) acerca do que enuncia. Por
exemplo: “Que belo discurso!”, “Discordo das
escolhas deRefletir
(EF69LP29) Antônio.” “Felizmente,
sobre a relação o buraco
entre os
ainda não causou acidentes mais graves.”
contextos de produção dos gêneros de
divulgação científica – texto didático, artigo de
divulgação científica, reportagem de divulgação
científica, verbete de enciclopédia (impressa e
Reconstrução das condições de digital), esquema, infográfico (estático e
Língua Campo das práticas de Leitura produção e recepção dos textos animado), relatório, relato multimidiático de
6º; 7º; 8º; 9º e adequação do texto à
Portug uesa estudo e pesquisa campo, podcasts e vídeos variados de divulgação
construção composicional e ao científica etc. – e os aspectos relativos à
estilo de gênero construção composicional e às marcas linguística
características desses gêneros, de forma a
ampliar suas possibilidades de compreensão (e
produção) de textos pertencentes a esses
gêneros.

(EF69LP30) Comparar, com a ajuda do professor,


conteúdos, dados e informações de diferentes
fontes, levando em conta seus contextos de
Língua Campo das práticas de Leitura produção e referências, identificando
6º; 7º; 8º; 9º Relação entre textos coincidências, complementaridades e
Portug uesa estudo e pesquisa contradições, de forma a poder identificar
erros/imprecisões conceituais, compreender e
posicionar-se criticamente sobre os conteúdos e
informações em questão.

(EF69LP31) Utilizar pistas linguísticas – tais como


“em primeiro/segundo/terceiro lugar”, “por
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo das práticas de Leitura Apreciação e réplica outro lado”, “dito de outro modo”, isto é”, “por
Portug uesa estudo e pesquisa exemplo” – para compreender a hierarquização
das proposições, sintetizando o conteúdo dos
textos.

(EF69LP32) Selecionar informações e dados


Estratégias e procedimentos de relevantes de fontes diversas (impressas,
digitais, orais etc.), avaliando a qualidade e a
Língua Campo das práticas de Leitura leitura Relação do verbal com utilidade dessas fontes, e organizar,
6º; 7º; 8º; 9º outras semioses
Portug uesa estudo e pesquisa Procedimentos e gêneros de esquematicamente, com ajuda do professor, as
informações necessárias (sem excedê-las) com
apoio à compreensão ou sem apoio de ferramentas digitais, em
quadros, tabelas ou gráficos.

(EF69LP33) Articular o verbal com os esquemas,


infográficos, imagens variadas etc. na
(re)construção dos sentidos dos textos de
divulgação científica e retextualizar do discursivo
Estratégias e procedimentos de para o esquemático – infográfico, esquema,
Língua Campo das práticas de Leitura leitura Relação do verbal com tabela, gráfico, ilustração etc. – e, ao contrário,
6º; 7º; 8º; 9º outras semioses
Portug uesa estudo e pesquisa Procedimentos e gêneros de transformar o conteúdo das tabelas, esquemas,
infográficos, ilustrações etc. em texto discursivo,
apoio à compreensão como forma de ampliar as possibilidades de
compreensão desses textos e analisar as
características das multissemioses e dos gêneros
em questão.

(EF69LP34) Grifar as partes essenciais do texto,


tendo em vista os objetivos de leitura, produzir
marginálias (ou tomar notas em outro suporte),
Estratégias e procedimentos de sínteses organizadas em itens, quadro sinóptico,
Língua Campo das práticas de Leitura leitura Relação do verbal com quadro comparativo, esquema, resumo ou
6º; 7º; 8º; 9º outras semioses resenha do texto lido (com ou sem
Portug uesa estudo e pesquisa Procedimentos e gêneros de comentário/análise), mapa conceitual,
apoio à compreensão dependendo do que for mais adequado, como
forma de possibilitar uma maior compreensão
do texto, a sistematização
(EF69LP35) Planejar textosde
de conteúdos
divulgaçãoe
informações
científica, a partir
e da elaboração de esquema
que considere as pesquisas feitas anteriormente,
de notas e sínteses de leituras ou de registros de
experimentos ou de estudo de campo, produzir,
revisar e editar textos voltados para a divulgação
do conhecimento e de dados e resultados de
pesquisas, tais como artigo de divulgação
Consideração das condições de científica, artigo de opinião, reportagem
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo das práticas de Produção de textos produção de textos de científica, verbete de enciclopédia, verbete de
Portug uesa estudo e pesquisa divulgação científica enciclopédia digital colaborativa , infográfico,
Estratégias de escrita relatório, relato de experimento científico, relato
(multimidiático) de campo, tendo em vista seus
contextos de produção, que podem envolver a
disponibilização de informações e
conhecimentos em circulação em um formato
mais acessível para um público específico ou a
divulgação de conhecimentos advindos de
pesquisas bibliográficas,
(EF69LP36) Produzir, revisar
experimentos
e editar textos
científicos
e estudospara
voltados de campo
a divulgação
realizados.
do conhecimento e
de dados e resultados de pesquisas, tais como
artigos de divulgação científica, verbete de
Língua Campo das práticas de Produção de textos Estratégias de escrita: enciclopédia, infográfico, infográfico animado,
6º; 7º; 8º; 9º podcast ou vlog científico, relato de
Portug uesa estudo e pesquisa textualização, revisão e edição experimento, relatório, relatório multimidiático
de campo, dentre outros, considerando o
contexto de produção e as regularidades dos
gêneros em termos de suas construções
composicionais e estilos.

(EF69LP37) Produzir roteiros para elaboração de


vídeos de diferentes tipos (vlog científico, vídeo-
Língua Campo das práticas de Produção de textos minuto, programa de rádio, podcasts) para
6º; 7º; 8º; 9º Estratégias de produção divulgação de conhecimentos científicos e
Portug uesa estudo e pesquisa resultados de pesquisa, tendo em vista seu
contexto de produção, os elementos e a
construção composicional dos roteiros.

(EF69LP38) Organizar os dados e informações


pesquisados em painéis ou slides de
apresentação, levando em conta o contexto de
produção, o tempo disponível, as características
do gênero apresentação oral, a multissemiose,
Língua Campo das práticas de Oralidade Estratégias de produção: as mídias e tecnologias que serão utilizadas,
6º; 7º; 8º; 9º planejamento e produção de ensaiar a apresentação, considerando também
Portug uesa estudo e pesquisa apresentações orais elementos paralinguísticos e cinésicos e
proceder à exposição oral de resultados de
estudos e pesquisas, no tempo determinado, a
partir do planejamento e da definição de
diferentes formas de uso da fala – memorizada,
com apoio da leitura ou fala espontânea.

(EF69LP39) Definir o recorte temático da


entrevista e o entrevistado, levantar
informações sobre o entrevistado e sobre o
tema da entrevista, elaborar roteiro de
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo das práticas de Oralidade Estratégias de produção perguntas, realizar entrevista, a partir do roteiro,
Portug uesa estudo e pesquisa abrindo possibilidades para fazer perguntas a
partir da resposta, se o contexto permitir, tomar
nota, gravar ou salvar a entrevista e usar
adequadamente
(EF69LP40) as informações obtidas,
de de
acordo comAnalisar, em gravações
os objetivos estabelecidos.
seminários, conferências rápidas, trechos de
palestras, dentre outros, a construção
composicional dos gêneros de apresentação –
abertura/saudação, introdução ao tema,
apresentação do plano de exposição,
desenvolvimento dos conteúdos, por meio do
encadeamento de temas e subtemas (coesão
temática), síntese final e/ou conclusão,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Construção composicional
Elementos paralinguísticos e encerramento –, os elementos paralinguísticos
Portug uesa estudo e pesquisa cinésicos Apresentações orais (tais como: tom e volume da voz, pausas e
hesitações – que, em geral, devem ser
minimizadas –, modulação de voz e entonação,
ritmo, respiração etc.) e cinésicos (tais como:
postura corporal, movimentos e gestualidade
significativa, expressão facial, contato de olho
com plateia, modulação de voz e entonação,
sincronia da fala com ferramenta de apoio etc.),
(EF69LP41)
para melhor Usar adequadamente
performar apresentações ferramentas
orais eno
de apoio a apresentações orais, escolhendo
campo da
usando tiposdivulgação
e tamanhos do conhecimento.
de fontes que
permitam boa visualização, topicalizando e/ou
organizando o conteúdo em itens, inserindo de
Língua Usar adequadamente
Campo das práticas de Análise linguística/semiótica ferramentas forma adequada imagens, gráficos, tabelas,
6º; 7º; 8º; 9º de apoio a
Portug uesa estudo e pesquisa apresentações orais formas e elementos
(EF69LP42) Analisar gráficos, dimensionando a
quantidade de textoa(econstrução
imagem) por composicional
slide,
dos textos pertencentes a gêneros relacionados
àusando progressivamente
divulgação de conhecimentos:e de forma
título,harmônica
(olho),
recursos mais
introdução, sofisticados
divisão do texto como efeitos de
em subtítulos,
transição, slides mestres, layouts personalizados
imagens ilustrativas de conceitos, relações, ou
etc.
resultados complexos (fotos, ilustrações,
esquemas, gráficos, infográficos, diagramas,
figuras, tabelas, mapas) etc., exposição,
contendo definições, descrições, comparações,
enumerações, exemplificações e remissões a
conceitos e relações por meio de notas de
rodapé, boxes ou links; ou título,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Construção composicional e
estilo Gêneros de divulgação contextualização do campo, ordenação temporal
Portug uesa estudo e pesquisa científica ou temática por tema ou subtema, intercalação
de trechos verbais com fotos, ilustrações, áudios,
vídeos etc. e reconhecer traços da linguagem
dos textos de divulgação científica, fazendo uso
consciente das estratégias de impessoalização
da linguagem (ou de pessoalização, se o tipo de
publicação e objetivos assim o demandarem,
como em alguns
(EF69LP43) Identificar
podcastse utilizar
e vídeos
os modos
de divulgação
de
científica), 3ª
introdução depessoa,
outras presente
vozes no texto
atemporal,
– citação
recurso
literal e àsua
citação,
formatação
uso deevocabulário
paráfrase –, as pistas
técnico/especializado
linguísticas responsáveis etc.,
porcomo
introduzir
forma no de texto
aampliar
posiçãosuas
do autor
capacidades
e dos outros
de compreensão
autores citados
e
Língua Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Marcas linguísticas produção de
(“Segundo X;textos
De acordo
nesses
com gêneros.
Y; De minha/nossa
6º; 7º; 8º; 9º parte, penso/amos que”...) e os elementos de
Portug uesa estudo e pesquisa Intertextualidade normatização (tais como as regras de inclusão e
formatação de citações e paráfrases, de
organização de referências bibliográficas) em
textos científicos, desenvolvendo reflexão sobre
o modo como a intertextualidade e a
retextualização ocorrem nesses textos.

(EF69LP44) Inferir a presença de valores sociais,


culturais e humanos e de diferentes visões de
Língua Reconstrução das condições de mundo, em textos literários, reconhecendo
6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura produção, circulação e recepção nesses textos formas de estabelecer múltiplos
Portug uesa Apreciação e réplica olhares sobre as identidades, sociedades e
culturas e considerando a autoria e o contexto
social e histórico de sua produção.

(EF69LP45) Posicionar-se criticamente em


relação a textos pertencentes a gêneros como
quarta-capa, programa (de teatro, dança,
exposição etc.), sinopse, resenha crítica,
comentário em blog/vlog cultural etc., para
Língua Reconstrução das condições de selecionar obras literárias e outras
6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura produção, circulação e recepção manifestações artísticas (cinema, teatro,
Portug uesa Apreciação e réplica exposições, espetáculos, CD´s, DVD´s etc.),
diferenciando as sequências descritivas e
avaliativas e reconhecendo-os como gêneros
que apoiam a escolha do livro ou produção
cultural e consultando-os no momento de fazer
escolhas, quando for o caso.

(EF69LP46) Participar de práticas de


compartilhamento de leitura/recepção de obras
literárias/ manifestações artísticas, como rodas
de leitura, clubes de leitura, eventos de
Língua Reconstrução das condições de contação de histórias, de leituras dramáticas, de
6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura produção, circulação e recepção apresentações teatrais, musicais e de filmes,
Portug uesa Apreciação e réplica cineclubes, festivais de vídeo, saraus, slams,
canais de booktubers, redes sociais temáticas
(de leitores,Analisar,
(EF69LP47) de cinéfilos,
em textos
de música
narrativos
etc.), dentre
outros, tecendo,
ficcionais, as diferentes
quandoformas
possível,
de comentários
composição
de ordemdeestética
próprias cada gênero,
e afetiva
os recursos coesivos
que constroem a passagem do tempo e
articulam suas partes, a escolha lexical típica de
cada gênero para a caracterização dos cenários e
dos personagens e os efeitos de sentido
decorrentes dos tempos verbais, dos tipos de
discurso, dos verbos de enunciação e das
Reconstrução da textualidade e variedades linguísticas (no discurso direto, se
Língua compreensão dos efeitos
6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura de sentidos provocados pelos houver) empregados, identificando o enredo e o
Portug uesa foco narrativo e percebendo como se estrutura a
usos de recursos linguísticos e narrativa nos diferentes gêneros e os efeitos de
multissemióticos sentido decorrentes do foco narrativo típico de
cada gênero, da caracterização dos espaços
físico e psicológico e dos tempos cronológico e
psicológico, das dif erentes vozes no texto (do
narrador, de personagens em discurso direto e
indireto), do uso de pontuação expressiva,
palavras e expressões conotativas e processos
figurativos e do uso de recursos linguístico-
gramaticais Interpretar,
(EF69LP48) próprios a cada
em poemas,
gênero narrativo.
efeitos
Reconstrução da textualidade e produzidos pelo uso de recursos expressivos
Língua compreensão dos efeitos sonoros (estrofação, rimas, aliterações etc),
6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura de sentidos provocados pelos semânticos (figuras de linguagem, por exemplo),
Portug uesa usos de recursos linguísticos e gráfico- espacial (distribuição da mancha gráfica
multissemióticos no papel), imagens e sua relação com o texto
verbal.

(EF69LP49) Mostrar-se interessado e envolvido


pela leitura de livros de literatura e por outras
produções culturais do campo e receptivo a
textos que rompam com seu universo de
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Leitura Adesão às práticas de leitura expectativas, que representem um desafio em
Portug uesa relação às suas possibilidades atuais e suas
experiências anteriores de leitura, apoiando-se
nas marcas linguísticas, em seu conhecimento
sobre os gêneros e a temática e nas orientações
dadas pelo professor.

(EF69LP50) Elaborar texto teatral, a partir da


adaptação de romances, contos, mitos,
narrativas de enigma e de aventura, novelas,
biografias romanceadas, crônicas, dentre outros,
indicando as rubricas para caracterização do
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Produção de textos Relação entre textos cenário, do espaço, do tempo; explicitando a
Portug uesa caracterização física e psicológica dos
personagens e dos seus modos de ação;
reconfigurando a inserção do discurso direto e
dos tipos de narrador; explicitando as marcas de
variação linguística (dialetos, registros e jargões)
e retextualizando o tratamento da temática.

(EF69LP51) Engajar-se ativamente nos processos


de planejamento, textualização, revisão/ edição
e reescrita, tendo em vista as restrições
Consideração das condições de temáticas, composicionais e estilísticas dos
produção
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Produção de textos Estratégias de produção: textos pretendidos e as configurações da
Portug uesa situação de produção – o leitor pretendido, o
planejamento, textualização e suporte, o contexto de circulação do texto, as
revisão/edição
finalidades etc. – e considerando a imaginação, a
estesia e a verossimilhança próprias ao texto
literário.

(EF69LP52) Representar cenas ou textos


dramáticos, considerando, na caracterização dos
personagens,
(EF69LP53) Lerosemaspectos
voz altalinguísticos
textos literários
e
paralinguísticos
diversos – comodas contos
falasde(timbre
amor, edetomhumor,
de voz,
de
suspense,
pausas e hesitações,
de terror; crônicas
entonação líricas,
e
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Oralidade Produção de textos orais expressividade,
humorísticas, críticas;
variedades
bem como
e registros
leituras orais
Portug uesa
linguísticos),(compartilhadas
capituladas os gestos e os deslocamentos
ou não com o no
espaço cênico,
professor) de livros
o figurino
de maiore a maquiagem
extensão, como e
elaborandonarrativas
romances, as rubricas deindicadas
enigma, pelo
narrativas
autorde
por
meio do cenário,
aventura, literatura da infantojuvenil,
trilha sonora e –da
exploração dos modos
contar/recontar histórias de tanto
interpretação.
da tradição oral
(causos, contos de esperteza, contos de animais,
contos de amor, contos de encantamento,
piadas, dentre outros) quanto da tradição
literária escrita, expressando a compreensão e
interpretação do texto por meio de uma leitura
ou fala expressiva e fluente, que respeite o
ritmo, as pausas, as hesitações, a entonação
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo artístico-literário Oralidade Produção de textos orais indicados tanto pela pontuação quanto por
Portug uesa Oralização outros recursos gráfico-editoriais, como negritos,
itálicos, caixa-alta, ilustrações etc., gravando
essa leitura ou esse conto/reconto, seja para
análise posterior, seja para produção de
audiobooks de textos literários diversos ou de
podcasts de leituras dramáticas com ou sem
efeitos especiais e ler e/ou declamar poemas
diversos, tanto de forma livre quanto de f orma
fixa (como quadras, sonetos, liras, haicais etc.),
empregando os recursos linguísticos,
paralinguísticos e cinésicos necessários aos
efeitos de sentido pretendidos, como o ritmo e a
entonação, o emprego de pausas e
prolongamentos, o tom e o timbre vocais, bem
como eventuais recursos de gestualidade e
pantomima que convenham ao gênero poético e
à situação de compartilhamento em questão.
manipulações do estrato sonoro da linguagem,
obtidos por meio da estrofação, das rimas e de
figuras de linguagem como as aliterações, as
assonâncias, as onomatopeias, dentre outras, a
postura corporal e a gestualidade, na
declamação de poemas, apresentações musicais
Recursos linguísticos e e teatrais, tanto em gêneros em prosa quanto
Língua 6º; 7º; 8º; 9º semióticos que operam nos
Portug uesa Campo artístico-literário Análise linguística/semiótica textos pertencentes aos gêneros nos gêneros poéticos, os efeitos de sentido
decorrentes do emprego de figuras de
literários linguagem, tais como comparação, metáfora,
personificação, metonímia, hipérbole,
eufemismo, ironia, paradoxo e antítese e os
efeitos de sentido decorrentes do emprego de
palavras e expressões denotativas e conotativas
(adjetivos, locuções adjetivas, orações
subordinadas adjetivas etc.), que funcionam
como modificadores, percebendo sua função na
caracterização dos espaços, tempos,
personagens e ações próprios de cada gênero
narrativo. Reconhecer as variedades da língua
(EF69LP55)
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Variação linguística
Portug uesa atuação falada, o conceito de norma-padrão e o de
preconceito linguístico.

Língua Todos os campos de (EF69LP56) Fazer uso consciente e reflexivo de


6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica Variação linguística regras e normas da norma-padrão em situações
Portug uesa atuação de fala e escrita nas quais ela deve ser usada.

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção (EF07LP01) Distinguir diferentes propostas
de textos editoriais – sensacionalismo, jornalismo
Língua 7º Campo Leitura investigativo etc. –, de forma a identificar os
Portug uesa jornalístico/midiático Caracterização do campo
jornalístico e relação entre os recursos utilizados para impactar/chocar o leitor
que podem comprometer uma análise crítica da
gêneros em circulação, mídias e notícia e do fato noticiado.
práticas da cultura digital

Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção (EF07LP02) Comparar notícias e reportagens
de textos sobre um mesmo fato divulgadas em diferentes
Língua 7º Campo Leitura mídias, analisando as especificidades das mídias,
Portug uesa jornalístico/midiático Caracterização do campo
jornalístico e relação entre os os processos de (re)elaboração dos textos e a
convergência das mídias em notícias ou
gêneros em circulação, mídias e reportagens multissemióticas.
práticas da cultura digital

Língua Todos os campos de (EF07LP03) Formar, com base em palavras


7º Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia primitivas, palavras derivadas com os prefixos e
Portug uesa atuação sufixos mais produtivos no português.

Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe (EF07LP04) Reconhecer, em textos, o verbo
Portug uesa atuação como o núcleo das orações.

(EF07LP05) Identificar, em orações de textos


Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe lidos ou de produção própria, verbos de
Portug uesa atuação predicação completa e incompleta: intransitivos
e transitivos.

Língua Todos os campos de (EF07LP06) Empregar as regras básicas de


7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe concordância nominal e verbal em situações
Portug uesa atuação comunicativas e na produção de textos.

(EF07LP07) Identificar, em textos lidos ou de


Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe produção própria, a estrutura básica da oração:
Portug uesa atuação sujeito, predicado, complemento (objetos direto
e indireto).

(EF07LP08) Identificar, em textos lidos ou de


Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe produção própria, adjetivos que ampliam o
Portug uesa atuação sentido do substantivo sujeito ou complemento
verbal.

(EF07LP09) Identificar, em textos lidos ou de


Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe produção própria, advérbios e locuções
Portug uesa atuação adverbiais que ampliam o sentido do verbo
núcleo da oração.

(EF07LP10) Utilizar, ao produzir texto,


Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe conhecimentos linguísticos e gramaticais: modos
Portug uesa atuação e tempos verbais, concordância nominal e
verbal, pontuação etc.

(EF07LP11) Identificar, em textos lidos ou de


produção própria, períodos compostos nos quais
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe duas orações são conectadas por vírgula, ou por
Portug uesa atuação conjunções que expressem soma de sentido
(conjunção “e”) ou oposição de sentidos
(conjunções “mas”, “porém”).

(EF07LP12) Reconhecer recursos de coesão


Língua Todos os campos de ref erencial: substituições lexicais (de
7º Análise linguística/semiótica Semântica Coesão substantivos por sinônimos) ou pronominais (uso
Portug uesa atuação de pronomes anafóricos – pessoais, possessivos,
demonstrativos).

(EF07LP13) Estabelecer relações entre partes do


texto, identificando substituições lexicais (de
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Coesão substantivos por sinônimos) ou pronominais (uso
Portug uesa atuação de pronomes anafóricos – pessoais, possessivos,
demonstrativos), que contribuem para a
continuidade do texto.

Língua Todos os campos de (EF07LP14) Identificar, em textos, os ef eitos de


7º Análise linguística/semiótica Modalização sentido do uso de estratégias de modalização e
Portug uesa atuação argumentatividade.
Língua Portuguesa
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC
COMPONENTE ANO/FAIXA CAMPOS DE ATUAÇÃO PRÁTICAS DE LINGUAGEM OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES COMENTÁRIO POSSIBILIDADES PARA O CURRÍCULO

A habilidade consiste em aprender que, no ambiente virtual, um texto pode


Na elaboração do currículo, é recomendável que a análise da escrita hipertextual
apresentar, seja no corpo do texto, seja na página em que figura, links que levam a seja acompanhada de um trabalho com procedimentos e estratégias próprios da
Reconstrução do contexto de outros conteúdos. Uma notícia, por exemplo, pode remeter a outras notícias e a
produção, circulação e recepção reportagens anteriores, inserindo-se em uma série de textos jornalísticos sobre um leitura em ambiente digital, visando a uma formação de um leitor capaz de não
de textos (EF67LP01) Analisar a estrutura e funcionamento perder o f oco da leitura, quando definido previamente, em meio a tantas
Língua 6º, 7º Campo Leitura dos hiperlinks em textos noticiosos publicados mesmo fato; ou um link pode levar o leitor a outros textos de destaque do dia. possibilidades. Por exemplo: tomar decisão sobre que link acessar ou não,
Portug uesa jornalístico/midiático Caracterização do campo Assim, matérias noticiosas se inserem em diferentes redes de relações. A análise considerando o objetivo de leitura. É importante estudar como viabilizar o acesso
jornalístico e relação entre os na Web e vislumbrar possibilidades de uma sugerida pode ser associada a pequenos exercícios voltados à produção de
gêneros em circulação, mídias e escrita hipertextual. hipertextos, em que será necessário que o aluno defina, em um texto produzido dos alunos à internet: por meio de parcerias, oferecer rede wi-fi para conexão de
aparelhos móveis pessoais ou aparelhos móveis da escola conectados à internet ou,
práticas da cultura digital por ele, palavras-chave que levarão a outros links, observando a relevância e a
relação dos textos que decidir linkar ao seu, a fim de vislumbrar essa possibilidade ainda, buscar espaços públicos ou privados que ofereçam rede wi-fi gratuita para
de escrita, como prevê a habilidade. serem espaços eleitos para aulas f ora do ambiente escolar.

(EF67LP02) Explorar o espaço reservado ao leitor


nos jornais, revistas, impressos e on-line, sites Esta habilidade favorece uma participação mais qualificada do adolescente nos Na elaboração do currículo, ao propor esta habilidade, sugerindo que os leitores
noticiosos etc., destacando notícias,
Língua Campo fotorreportagens, entrevistas, charges, assuntos, espaços jornalísticos/midiáticos citados. Supõe investir em habilidades voltadas à publiquem notícias e outros gêneros de interesse do público que frequenta esses
análise de textos de gêneros próprios desse campo — dos mais informativos aos espaços, pode-se propor atividades que conduzam à tomada de decisão quanto a
6º, 7º Leitura Apreciação e réplica temas, debates em foco, posicionando-se de
Portug uesa jornalístico/midiático maneira ética e respeitosa frente a esses textos mais argumentativos —, na curadoria de textos fidedignos. Pode ser articulada com não compartilhar textos duvidosos e/ou denunciar o tratamento ético e
e opiniões a eles relacionadas, e publicar a produção de textos orais e escritos, visto que faz referência ao posicionamento desrespeitoso que determinado veículo ou jornalista/autor tenha dado ao
do leitor f rente ao que lê/escuta. tema/assunto/fato.
notícias, notas jornalísticas, fotorreportagem de
interesse geral nesses espaços do leitor.

Para viabilizar as práticas de leitura necessárias ao desenvolvimento desta


habilidade convém que os currículos locais prevejam formas de acesso a textos
Trata-se de uma habilidade complexa que consiste em:1. analisar os efeitos de jornalísticos de diferentes jornais e revistas, impressos ou digitais. A comparação de
(EF67LP03) Comparar informações sobre um sentido produzidos pelos recursos linguísticos usados;2. apurar informações, notícias que se referem a um mesmo fato ou assunto, relatado de formas
Língua 6º, 7º Campo Leitura Relação entre textos desenvolvendo procedimentos de curadoria;3. e posicionar-se em relação aos diferentes, pode ser uma primeira forma de realizar essa reflexão sobre
Portug uesa jornalístico/midiático mesmo fato divulgadas em diferentes veículos e
mídias, analisando e avaliando a confiabilidade. enfoques dados aos fatos/assuntos veiculados, produzindo textos escritos ou parcialidade/imparcialidade em textos dessa esfera. A progressão, tanto vertical
orais.Pode ser articulada ao trabalho com a habilidade que sugere a comparação quanto horizontal, pode apoiar-se: a) no tipo de veículo ou mídia abordado; b) nos
das propostas editoriais dos jornais (EF07LP01). procedimentos de curadoria a serem explorados; c) no grau de complexidade dos
gêneros e textos previstos; d) no nível de autonomia que se pretende levar o aluno
a atingir em cada etapa.

Diferenciar f ato de opinião supõe habilidades de análise de marcas de subjetividade Na elaboração do currículo, prever habilidades que associem este trabalho à
discussão de temas e fatos do universo de interesse dos alunos pode mobilizá-los
Língua 6º, 7º Campo Leitura Estratégia de leitura Distinção de (EF67LP04) Distinguir, em segmentos que o autor escolhe deixar no texto, como "pistas" que possibilitam identificar o para o exercício implicado na habilidade. Antes de lidarem com textos de circulação
Portug uesa jornalístico/midiático fato e opinião descontínuos de textos, fato da opinião que é apreciação e o que é fato. Por exemplo, o uso de adjetivos (inadmissível, social, por exemplo, pode-se apresentar um fato e promover uma discussão em
enunciada em relação a esse mesmo fato. louvável), advérbios (obviamente) e modos e tempos verbais, verbos modais
(poder/dever etc.) podem ser "pistas" do exercício de modalização do autor. que os alunos se posicionem sobre ele e, em seguida, refletir sobre em que os
textos que construíram para opinar são diferentes do fato em si.

Na elaboração do currículo, é possível prever uma progressão tanto na seleção dos


(EF67LP05) Identificar e avaliar gêneros argumentativos propostos como na complexidade dos textos dos variados
Esta habilidade diz respeito tanto às situações de leitura quanto às de produção de gêneros. Independentemente do tipo de progressão que se decida propor, é
Estratégia de leitura: teses/opiniões/posicionamentos explícitos e textos, na medida em que identificar e avaliar teses, opiniões e posicionamentos
Língua 6º, 7º Campo Leitura identificação de teses e argumentos em textos argumentativos (carta de sobre o que se lê/ouve são essenciais ao posicionamento crítico que se expressa importante que os alunos tenham acesso a exemplares dos gêneros que tratem de
Portug uesa jornalístico/midiático argumentos leitor, comentário, artigo de opinião, resenha em textos orais e escritos sobre o que foi lido/escutado. Nos 6º e 7º anos, há a questões controversas ou de objetos culturais (no caso da resenha crítica e do
comentário, especialmente) com os quais tenham familiaridade e possam mobilizar
Apreciação e réplica crítica etc.), manifestando concordância ou expectativa de que os alunos possam reconhecer, analisar e se posicionar em conhecimentos prévios para apoiá-los, tanto na avaliação de posições e
discordância. relação aos textos argumentativos de terceiros.
argumentos nos textos de terceiros quanto na manifestação de discordância, visto
que não é possível avaliar nem posicionar-se a respeito do que não se conhece.

Na elaboração do currículo, sugere- se que o desenvolvimento da habilidade


aconteça, sobretudo, na leitura e no estudo comparativo de textos, avaliando-se os
Esta habilidade implica em reconhecer os efeitos de sentido provocados por efeitos de sentido decorrentes das diferentes escolhas. Por exemplo, se tomarmos
(EF67LP06) Identificar os efeitos de sentido
Língua 6º, 7º Campo Leitura Efeitos de sentido provocados pela seleção lexical, topicalização de recursos léxicos empregados em textos do campo jornalístico/midiático. Para isso, duas manchetes como "Edifício é invadido na periferia de São Paulo" e "População
Portug uesa jornalístico/midiático elementos e seleção e hierarquização de deve-se analisar a coerência desses efeitos tanto em relação às intenções ocupa prédio abandonado", é possível analisar os valores ideológicos que
presumidas do texto quanto à finalidade do gênero e características dos espaços de orientaram as escolhas lexicais e sintáticas em cada uma delas e, dessa maneira,
informações, uso de 3ª pessoa etc. circulação do texto. compreender a posição implícita do veículo no qual cada uma foi publicada. Esse
exercício possibilita a realização de uma leitura crítica. A progressão da habilidade
pode se dar pela complexidade dos textos.

(EF67LP07) Identificar o uso de recursos Na elaboração do currículo, é importante considerar que identificar o uso de
recursos persuasivos implica a capacidade de distinguir os traços característicos do
persuasivos em textos argumentativos diversos Esta habilidade envolve a observação e o reconhecimento do modo como os discurso persuasivo. Por exemplo, reconhecer a força que um argumento de
Língua 6º, 7º Campo Leitura Efeitos de sentido (como a elaboração do título, escolhas lexicais,
Portug uesa jornalístico/midiático construções metafóricas, a explicitação ou a recursos linguísticos ou de outras linguagens são usados para construir os discursos autoridade usado para sustentar uma opinião pode trazer ao texto. A progressão
persuasivos em textos argumentativos. do desenvolvimento desta habilidade pode ser marcada pelo grau de complexidade
ocultação de fontes de informação) e perceber da seleção dos textos argumentativos e pela variedade dos gêneros propostos,
seus efeitos de sentido.
dentre eles, comentários, crônicas, artigos de opinião, charges, propagandas etc.

Na elaboração do currículo, como a descrição da habilidade faz referência a


(EF67LP08) Identificar os efeitos de sentido Esta habilidade refere-se à abordagem dos gêneros jornalísticos e publicitários diferentes gêneros, dentre eles, alguns nos quais predomina a imagem em
devidos à escolha de imagens estáticas,
sequenciação ou sobreposição de imagens, citados, considerando o diálogo entre as linguagens que compõem cada um desses detrimento do texto verbal, como em f otorreportagens, foto-denúncias, memes e
gêneros de textos. Estudar a relação entre o texto verbal que compõe uma notícia e muitos anúncios publicitários, será necessário propor um estudo mais aprofundado
definição de figura/fundo, ângulo, profundidade
Língua 6º, 7º Campo Leitura Efeitos de sentido Exploração da e foco, cores/tonalidades, relação com o escrito a(s) foto(s) selecionada(s) para compor essa notícia pode levar à percepção das dos recursos próprios da fotografia, como os citados. Uma articulação com Arte,
Portug uesa jornalístico/midiático multissemiose (relações de reiteração, complementação ou escolhas feitas nessa composição e dos efeitos de sentido que isso produz: por por exemplo, pode promover um desenvolvimento produtivo para ambos. Também
exemplo, se a notícia se refere a um acontecimento envolvendo uma personalidade será possível definir uma progressão na proposição dos gêneros a serem
oposição) etc. em notícias, reportagens,
fotorreportagens, foto-denúncias, memes, gifs, e é acompanhada de uma foto dessa personalidade, o modo como a imagem é trabalhados em cada ano. Por exemplo, pode-se começar abordando a fotografia
"captada" pode fazer com que ela pareça vítima, dissimulada ou culpada de algo — em notícias, reportagens e anúncios publicitários para, em seguida, propor abordar
anúncios publicitários e propagandas publicados imagem que pode reiterar ou se contrapor ao que é noticiado. os gêneros em que a imagem predomina e é potencialmente o que produz
em jornais, revistas, sites na internet etc. significados.
(EF67LP09) Planejar notícia impressa e para Na elaboração do currículo, sugere- se considerar que a habilidade (conexa à
circulação em outras mídias (rádio ou TV/vídeo), EF67LP10) se articule às de revisão de textos e às de análise linguística e semiótica,
tendo em vista as condições de produção, do sendo estas últimas fundamentais para avaliar a adequação dos recursos que se
texto – objetivo, leitores/espectadores, veículos pretende utilizar em relação aos efeitos de sentido intencionados, o que constitui
e mídia de circulação etc. –, a partir da escolha uma marca do gênero notícia. Uma progressão suposta, que pode ser explorada, é
do fato a ser noticiado (de relevância para a Esta habilidade trata do processo implicado na prática de produzir notícias. Refere- em relação às mídias selecionadas: produzir uma notícia impressa e uma notícia
Língua Campo Estratégias de produção: turma, escola ou comunidade), do levantamento se a procedimentos e ações necessários para planejar um texto, considerando as para rádio ou TV implica domínio de recursos de linguagens diferenciados e mais ou
6º, 7º Produção de textos planejamento de textos de dados e informações sobre o fato – que pode condições de produção e circulação, decisões quanto ao fato/assunto e seu recorte menos complexos. Planejar para uma ou outra mídia, em um ou outro gênero,
Portug uesa jornalístico/midiático informativos envolver entrevistas com envolvidos ou com e os objetivos, além do uso de procedimentos e estratégias de curadoria de também implica o uso de gêneros secundários, ou seja, aqueles mais elaborados,
especialistas, consultas a fontes, análise de informação. diferenciados: planejar, por exemplo, uma notícia para TV envolve a produção de
documentos, cobertura de eventos etc.–, do um roteiro específico, que sinalize as entradas e articulações entre texto verbal e
registro dessas informações e dados, da escolha não verbal (efeitos sonoros, perspectiva da câmera, cortes de imagens etc.). Além
de fotos ou imagens a produzir ou a utilizar etc. disso, considerando-se que a habilidade envolve dois anos do ciclo, pode-se pensar
e a previsão de uma estrutura hipertextual (no em elaboração
Na propor habilidades
do currículo,
que orientem
sugere- seoconsiderar
planejamento
que em
a habilidade
colaboração
(conexa
(alunos
à e
caso de publicação em sites ou blogs noticiosos). professor), se
EF67LP09) progredindo
articula, ainda,
para às
a autonomia
de revisãonode ato
textos
de planejar
e às de análise
a notícia.
linguística e
(EF67LP10) Produzir notícia impressa tendo em semiótica, sendo essas últimas fundamentais para avaliar a adequação dos recursos
vista características do gênero – título ou usados em relação aos efeitos de sentidos intencionados, o que constitui uma
Textualização, tendo em vista marca do gênero notícia. Uma progressão suposta, que pode ser explorada na
suas condições de produção, as manchete com verbo no tempo presente, linha A habilidade trata do processo implicado na prática de produzir notícias e está
fina (opcional), lide, progressão dada pela ordem articulada à (EF69LP06), no que se refere à necessidade de planejar o texto a ser organização dos currículos, é em relação às mídias selecionadas: produzir uma
características do gênero em notícia impressa e uma notícia para rádio ou TV implica domínio de recursos de
Língua 6º, 7º Campo Produção de textos questão, o estabelecimento de decrescente de importância dos f atos, uso de 3ª produzido. Para a elaboração do texto, conforme orienta esta habilidade, é preciso linguagens diferenciados e mais ou menos complexos. A produção para uma ou
Portug uesa jornalístico/midiático coesão, pessoa, de palavras que indicam precisão –, e o considerar o modo como se organiza a notícia e os recursos das diferentes
estabelecimento adequado de coesão e produzir linguagens que podem ser usadas (a verbal, a imagética – imagens estáticas e em outra mídia, em um ou outro gênero, também implica o uso de gêneros
adequação à norma-padrão e o secundários, ou seja, aqueles mais elaborados, diferenciados: produzir uma notícia
uso adequado de ferramentas notícia para TV, rádio e internet, tendo em vista, movimento presentes em fotos, vídeos, infográficos etc. que compõem o gênero), para TV envolve a criação de um roteiro específico, que sinalize as entradas e
de edição além das características do gênero, os recursos tendo em vista a textualização (construção do texto). articulações entre texto verbal e não verbal (efeitos sonoros, perspectiva da
de mídias disponíveis e o manejo de recursos de
(EF67LP11) Planejar
captação variados,
e edição de resenhas, vlogs,
áudio ee vídeos
imagem. vídeos e câmera, cortes de imagens etc.). Além disso, considerando-se que a habilidade
podcasts e textos de envolve dois anos do ciclo, pode-se pensar em propor habilidades que orientem o
apresentação e apreciação próprios das culturas planejamento em colaboração (alunos e professor), progredindo para a autonomia
juvenis (algumas possibilidades: fanzines, Na elaboração
no ato do currículo,
de produzir a noticia.deve-se considerar que a seleção de gêneros de
fanclipes, e-zines, gameplay, detonado etc.), A habilidade contempla uma das operações do processo de produção de textos – o natureza opinativa/argumentativa para esses anos se caracteriza por gêneros
dentre outros, tendo em vista as condições de planejamento, que deve ser realizado considerando o contexto de produção constituídos por múltiplas linguagens e mais voltados às práticas do universo
produção do texto – objetivo, (interlocutores, intencionalidades etc.). Planejar, nesses gêneros, envolve: seleção cultural juvenil e de entretenimento. Nesses gêneros, a elaboração dos argumentos
leitores/espectadores, veículos e mídia de de fato/assunto/objeto cultural a ser tratado, curadoria de informação, elaboração é orientada por apreciações estéticas sobre os produtos culturais, sempre pautadas
Língua Campo Estratégias de produção: circulação etc. –, a partir da escolha de uma de esquema do texto a ser produzido parte a parte. Diferentemente dos textos por valores éticos e envolvendo habilidades de análise dos recursos linguísticos e
6º, 7º Produção de textos planejamento de textos produção ou evento cultural para analisar – livro, noticiosos, aqui, trata-se de planejar textos que exigem posicionamento crítico; a semióticos próprios desses gêneros. É possível uma progressão horizontal (vários
Portug uesa jornalístico/midiático argumentativos e apreciativos filme, série, game, canção, videoclipe, fanclipe, preparação de argumentos; a escolha do movimento argumentativo e outras gêneros "visitados") e/ou vertical (alguns gêneros que se repetirão) na escolha dos
show, saraus, slams etc. – da busca de habilidades próprias de gêneros argumentativos. Vale enfatizar a importância de se gêneros para os dois anos, orientada por critérios locais. Recomenda-se investir nos
informação sobre a produção ou evento considerar como objeto de apreciação produtos representativos das culturas gêneros multimodais (vlogs, e-zines, por exemplo). Há, aqui, oportunidade de
escolhido, da síntese de informações sobre a juvenis. Recomenda-se que o tratamento ético em relação à inf ormação e o trabalho interdisciplinar com as habilidades (EF 67EF01) e (EF67EF02), da Educação
obra/evento e do elenco/seleção de aspectos, posicionamento crítico em relação a ela devem ser foco de discussão nesse caso. Física, no que se refere a experimentação, observação, produção e crítica
elementos ou recursos que possam ser especificamente no caso dos jogos eletrônicos.
destacados positiva ou negativamente ou da Na elaboração do currículo, é interessante considerar que a seleção de gêneros de
roteirizaçãoProduzir
(EF67LP12) do passoresenhas
a passo docríticas,
gamevlogs,
para natureza opinativa/argumentativa para esses anos se caracteriza por gêneros
vídeos,
posteriorpodcasts
gravação variados e produções e gêneros
dos vídeos.
próprios das culturas juvenis (algumas A habilidade envolve os procedimentos de produção de textos – definir contexto de constituídos por múltiplas linguagens e mais voltados às práticas do universo
produção, planejar, produzir e revisar –, com a diferença de que se tratam de cultural juvenil e de entretenimento. Nesses gêneros, a elaboração dos argumentos
possibilidades: fanzines, fanclipes, e-zines, gêneros argumentativos do campo jornalístico-midiático, que exigem é orientada por apreciações estéticas sobre os produtos culturais, sempre pautadas
gameplay, detonado etc.), que
Língua Campo Textualização de textos posicionamento crítico, a preparação de argumentos, a escolha do movimento
apresentem/descrevam e/ou avaliem produções argumentativo por valores éticos e envolvendo habilidades de análise dos recursos linguísticos e
6º, 7º Produção de textos e outras habilidades próprias de gêneros argumentativos. Vale semióticos próprios desses gêneros. É possível buscar uma progressão horizontal
Portug uesa jornalístico/midiático argumentativos e apreciativos culturais (livro, filme, série, game, canção, disco, enfatizar a importância de se considerar como objeto de apreciação produtos (vários gêneros "visitados") e/ou vertical (alguns gêneros que se repetirão) na
videoclipe etc.) ou evento (show, sarau, slam
etc.), tendo em vista o contexto de produção representativos das culturas juvenis. Recomenda-se que o tratamento ético em escolha dos gêneros para os dois anos, orientada por critérios locais. Recomenda-se
relação à informação e o posicionamento crítico em relação a ela devem ser foco investir nos gêneros multimodais (vlogs, e-zines, por exemplo). Há, aqui,
dado, as características do gênero, os recursos de discussão nesse caso. oportunidade de trabalho interdisciplinar com as habilidades (EF67EF01) e
das mídias envolvidas e a textualização
adequada dos textos e/ou produções. (EF67EF02), da Educação Física, no que se refere a experimentação, observação,
produção e crítica especificamente no caso dos jogos eletrônicos.

(EF67LP13) Produzir, revisar e editar textos Na elaboração do currículo, recomenda-se discutir a relação entre as esferas
publicitários, levando em conta o contexto de publicitária e jornalística, conforme sinalizado nas orientações relativas à leitura.
Sugere-se uma progressão ao longo dos 4 anos finais, considerando os gêneros
produção dado, explorando recursos Esta habilidade refere-se à produção de textos como um processo que envolve
multissemióticos, relacionando elementos etapas diferentes e mobiliza variadas habilidades, como (1) as relativas à curadoria arrolados e a maior ou menor familiaridade dos/as alunos/as com um ou outro.
Língua 6º, 7º Campo Produção de textos Produção e edição de textos verbais e v isuais, utilizando adequadamente de inf ormação e à produção de roteiros e enquetes para pesquisa, considerando o Além do trabalho articulado com profissionais que usam aplicativos de edição de
textos, da disponibilização desses aplicativos para os/as alunos/as e do
Portug uesa jornalístico/midiático publicitários estratégias discursivas de persuasão e/ou contexto de produção definido, e a esquematização (o esboço) do texto, parte a investimento no trabalho colaborativo, recomenda-se articular as propostas com a
convencimento e criando título ou slogan que parte. ; (2) as habilidades voltadas à aplicação dos recursos linguísticos e
façam o leitor motivar-se a interagir com o texto semióticos, na elaboração e revisão dos gêneros publicitários. exploração dos documentos reguladores (campo da vida pública) da propaganda e
publicidade, com vistas ao desenvolvimento de uma postura ética em relação à
produzido e se sinta atraído pelo serviço, ideia esfera publicitária. Do ponto de vista didático, é indicado que os currículos
ou produto em questão.
(EF67LP14) Definir o contexto de produção da contemplem um estudo das principais características dos gêneros selecionados.
entrevista (objetivos, o que se pretende
conseguir, porque aquele entrevistado etc.),
levantar informações sobre o entrevistado e Esta habilidade trata do processo implicado na produção de entrevistas: planejar Na elaboração do currículo, é possível propor uma progressão que contemple, em
sobre o acontecimento ou tema em questão, (seleção de fato/assunto, escolha do gênero, curadoria de informação etc.),
preparar o roteiro de perguntar e realizar produzir (elaboração do texto, recorrendo aos recursos das diferentes linguagens e um ano, o trabalho com a entrevista feita oralmente para ser transcrita e
entrevista oral com envolvidos ou especialistas retextualizada e, em outro, o trabalho com entrevistas que deverão ser finalizadas
aos aplicativos necessários, em caso de textos em áudio e vídeo) e, implicitamente, em áudio e em vídeo, envolvendo o uso de aplicativos de captação e edição de
Língua Campo Planejamento e produção de relacionados com o fato noticiado ou com o revisar (avaliar a adequação do texto, considerando o contexto em que circulará, e
6º, 7º Oralidade tema em pauta, usando roteiro previamente realizar ajustes necessários, com ou sem aplicativos). A habilidade também refere- imagem e som. Também podem ser previstas entrevistas que aconteçam ao vivo —
Portug uesa jornalístico/midiático entrevistas orais elaborado e formulando outras perguntas a o que supõe um preparo que envolve ensaios e simulações que ajudem os alunos a
se a entrevistas que são coletadas em áudio e depois transcritas e retextualizadas avaliarem a qualidade das questões propostas no roteiro — se elas possibilitam ou
partir das respostas dadas e, quando for o caso, como entrevista escrita, o que supõe, no processo de retextualização
selecionar partes, transcrever e proceder a uma ("transformação" de um texto oral em um texto escrito), uma revisão voltada para não ao entrevistador ir além de uma resposta "sim" ou "não". Há, aqui,
edição escrita do texto, adequando-o a seu oportunidade de trabalho interdisciplinar com a habilidade (EF07LI02), da Língua
eliminação de elementos próprios das situações de fala, como a repetição de certas Inglesa, no que se refere à condução de entrevistas.
contexto de publicação, à construção palavras (como né, aí), a oscilação e reformulação etc.
composicional do gênero e garantindo a
relevância das informações mantidas e a
continuidade temática. A habilidade consiste em distinguir o que é proibição imposta do que são direitos
garantidos e compreender os contextos de aplicação da norma ou direito em textos Na elaboração do currículo, é possível estabelecer progressão entre os anos
(EF67LP15) Identificar a proibição imposta ou o jurídicos, normativos e reguladores elaborados para diferentes âmbitos da vida em previstos com base na seleção dos textos que serão propostos para leitura. Por
direito garantido, bem como as circunstâncias de sociedade. A esta habilidade, articulam-se as de análise das características dos exemplo, esta habilidade pode ser articulada ao trabalho com os gêneros da esfera
sua aplicação, em artigos relativos a normas,
Língua Campo de atuação na Estratégias e procedimentos de regimentos escolares, regimentos e estatutos da gêneros da natureza indicada, que passam, por exemplo, pelo reconhecimento de publicitária, de modo que a seleção das regulamentações do mercado publicitário e
6º, 7º Leitura leitura em textos legais e como se organizam (os títulos, capítulos, artigos, parágrafos, incisos etc.), dos do Código de Defesa do Consumidor seja destinada para os anos correspondentes.
Portug uesa vida pública normativos sociedade civil, regulamentações para o recursos linguísticos usados para identificar o que é proibição e o que é direito (que Do mesmo modo, as habilidades relativas ao trabalho com carta de reclamação e
mercado publicitário, Código de Def esa do
Consumidor, Código Nacional de Trânsito, ECA, usoimplica observar a linguagem jurídica e o vocabulário recorrente — por exemplo, de solicitação podem ser integradas à abordagem desta habilidade. Vale a pena
de palavras como garantia, direito, obrigação ou o uso predominante do tempo destacar a relevância de textos como o ECA e a Constituição, que podem ser
Constituição, dentre outros. presente do indicativo e, em menor frequência, do futuro do indicativo, e os efeitos previstos para exploração de recortes diferentes nos dois anos.
de sentido provocados por esses usos).
(EF67LP16) Explorar e analisar espaços de
reclamação de direitos e de envio de solicitações
(tais como ouvidorias, S AC, canais ligados a
órgãos públicos, plataformas do consumidor, Na elaboração do currículo, é recomendável que se criem condições para o
Contexto de produção, plataformas de reclamação), bem como de Esta habilidade consiste em conhecer as características dos espaços de circulação conhecimento dos espaços referidos, assim como dos textos dos gêneros que neles
textos pertencentes a gêneros que circulam de gêneros que impliquem a solicitação e/ou reclamação de direitos, a participação
Língua Campo de atuação na circulação e recepção de textos nesses espaços, reclamação ou carta de na vida da comunidade, do estado ou país — e textos que possibilitem essas ações circulam. Nesse estudo, é de grande relevância o levantamento das características
6º, 7º Leitura e práticas relacionadas à defesa e procedimentos convencionados para a apresentação das solicitações e/ou
Portug uesa vida pública de direitos e à participação reclamação, solicitação ou carta de solicitação, —, o que permite aos alunos que organizem o seu discurso (oral ou escrito) reclamações. A progressão pode se dar tanto pelo modo de tratamento do
como forma de ampliar as possibilidades de utilizando recursos adequados aos interlocutores, com vistas a atingir seus
social produção desses textos em casos que remetam objetivos. É habilidade fundamental para o exercício da cidadania. conteúdo — por frequentação ou para aprofundamento — quanto pela
complexidade dos textos.
a reivindicações que envolvam a escola, a
comunidade ou algum de seus membros como
forma de seAnalisar,
(EF67LP17) engajar na buscado
a partir decontexto
solução dede
problemas apessoais,
produção, forma dedos outros e coletivos.
organização das cartas de
solicitação e de reclamação (datação, forma de
início, apresentação contextualizada do pedido Para viabilizar a análise das solicitações e reclamações mencionadas, convém que
Relação entre contexto de ou da reclamação, em geral, acompanhada de Esta é uma habilidade que vincula a leitura analítica de cartas de solicitação e de os currículos prevejam:a) o levantamento e a discussão de questões polêmicas
produção e características explicações, argumentos e/ou relatos do locais;b) o debate a seu respeito;c) a eleição de critérios, no decorrer dos debates,
composicionais e estilísticas dos problema, fórmula de finalização mais ou menos reclamação à produção posterior de textos dos mesmos gêneros. Seu foco é a para analisar-se a pertinência de reclamações e solicitações.Pode-se definir a
Língua Campo de atuação na gêneros (carta de solicitação, cordata, dependendo do tipo de carta e análise tanto da forma de organização dessas cartas quanto de seus mecanismos abordagem dos dois gêneros nos dois primeiros anos; ou prever um gênero para
6º, 7º Leitura argumentativos. E está diretamente relacionada à capacidade de (re)construção
Portug uesa vida pública carta de reclamação, petição on- subscrição) e algumas das marcas linguísticas dos sentidos do texto e de sua coesão e coerência, em aspectos como a ordem de cada ano. A progressão pode pautar-se, ainda, pelas operações envolvidas na
line, carta aberta, abaixo- relacionadas à argumentação, explicação ou habilidade (identificar/analisar); pelos procedimentos de pesquisa e debate
assinado, proposta etc.) relato de fatos, como forma de possibilitar a apresentação das informações e ideias e a sua "costura". O que envolve o estudo necessários à análise; pelo grau de complexidade dos gêneros e textos a serem
de dif erentes tipos de organizadores textuais, com ênfase nos argumentativos.
Apreciação e réplica escrita fundamentada de cartas como essas ou lidos; pelo foco na leitura/análise ou na produção de texto; pelo nível de autonomia
de postagens em canais próprios de reclamações que o aluno deverá atingir a cada etapa.
e solicitações em situações que envolvam
questões relativas à escola, à comunidade ou a
algum dos seus membros.
O desenvolvimento dessa habilidade, nos currículos, demanda a definição de
gêneros argumentativos capazes de veicular a) solicitação e b) reclamação, como as
Trata-se de uma habilidade complexa que envolve duas operações distintas: cartas mencionadas na habilidade EF67LP17. Para viabilizar a análise dessas
solicitações e reclamações, convém que os currículos prevejam:a) o levantamento e
(EF67LP18) Identificar o objeto da reclamação identificar e analisar, em textos reivindicatórios, a pertinência de reclamações ou a discussão de questões polêmicas locais;b) o debate a seu respeito;c) a eleição de
Língua Campo de atuação na Estratégias, procedimentos de e/ou da solicitação e sua sustentação, explicação pedidos. Supõe, portanto, a capacidade de:a) diferenciar “partes” essenciais do
6º, 7º Leitura leitura em textos conteúdo desses textos: o objeto da reclamação ou do pedido, de um lado, e o/s critérios, no decorrer dos debates, para analisar-se a pertinência de reclamações e
Portug uesa vida pública reivindicatórios ou propositivos ou justificativa, de forma a poder analisar a argumento/s que os valida/m, de outro;b) reconhecer a pertinência da reclamação ou solicitações.Pode-se definir a abordagem dos dois gêneros nos dois primeiros anos;
pertinência da solicitação ou justificação. prever um gênero para cada ano.A progressão pode pautar- se, ainda, pelas
ou do pedido, considerando-se o contexto de produção: quem e para quem se operações envolvidas na habilidade (identificar/analisar); pelos procedimentos de
reclama/solicita, quais os interesses em jogo etc.
pesquisa e debate necessários à análise; pelo grau de complexidade dos gêneros e
textos a serem lidos; pelo nível de autonomia que o aluno deverá atingir a cada
etapa.

A habilidade refere-se à investigação de problemas que levarão à produção de Na elaboração do currículo, é possível propor uma progressão para os dois anos
indicados, em relação ao gênero a ser selecionado. Há articulação entre habilidades
(EF67LP19) Realizar levantamento de questões, gêneros reivindicatórios ou propositivos. Entre esta habilidade, prevista para o 6º e desse campo e do campo de práticas de estudo e pesquisa, quando as práticas
problemas que requeiram a denúncia de o 7º ano, e a habilidade (EF89LP21), prevista para os dois últimos anos, e que
Língua Campo de atuação na Estratégia de produção: desrespeito a direitos, reivindicações, também f az referência ao levantamento de questões ou problemas, há uma deste último campo mobilizam habilidades que envolvem tomada de notas,
6º, 7º Produção de textos planejamento de textos sínteses de leituras, elaboração de entrevistas, enquetes etc. Há, aqui,
Portug uesa vida pública reivindicatórios ou propositivos reclamações, solicitações que contemplem a progressão suposta, (1) nos procedimentos envolvidos na investigação e na
comunidade escolar ou algum de seus membros ampliação de alcance do público; (2) na geração de dados e na função deles para a oportunidade de trabalho interdisciplinar com as habilidades (EF69AR15),
e examinar normas e legislações. (EF69AR33), da Arte; e (EF67EF17), da Educação F ísica, no que se refere à
produção de gêneros mais ou menos complexos. Supõe a leitura analítica de textos compreensão crítica de diferentes pontos de vista sobre temas controversos e de
normativos e legais. relevância social.

Na elaboração do currículo, é importante considerar que esta habilidade se articula


com habilidades definidas para o campo da vida pública no que se refere ao
A habilidade refere-se à curadoria de informação no campo das práticas de estudo cuidado com a curadoria de informação. Aqui também, procedimentos como grifar,
e pesquisa. Supõe o desenvolvimento das diferentes dimensões do pensamento fazer anotações, bem como produções de textos que apoiem a compreensão como
Língua Campo das práticas de Leitura (EF67LP20) Realizar pesquisa, a partir de científico, crítico e criativo. Por exemplo, para realizar uma pesquisa científica, é resumos, esquemas etc., serão importantes no processo de compreensão dos
6º, 7º Curadoria de informação recortes e questões definidos previamente,
Portug uesa estudo e pesquisa usando fontes indicadas e abertas. necessário pensar no objeto a ser investigado, no recorte temático (com textos selecionados durante a pesquisa. Embora não especificado na habilidade,
elaboração de questões e hipóteses) que orientará a busca e seleção de convém que cuidados com a verificação da fidedignidade das f ontes também
informações que podem solucionar um problema proposto etc. estejam no foco do trabalho proposto.Há, ainda, oportunidade para o trabalho
interdisciplinar com a habilidade (EF06MA33), da Matemática, associada ao
planeamento e coleta de dados para realização de pesquisas.

Na elaboração do currículo, uma vez a proposição de pesquisa envolvendo as


diferentes áreas pode acontecer no interior de projetos integradores, a divulgação
Esta habilidade se ref ere à apropriação de diferentes modos de divulgar pesquisas de resultados pode culminar em feiras de ciências ou em eventos de fechamento
(EF67LP21) Divulgar resultados de pesquisas por realizadas. Supõe o estudo das especificidades dos gêneros e da adequação de um do ano, possibilitando formas de divulgação que envolvam toda a comunidade
Língua 6º, 7º Campo das práticas de Produção de textos Estratégias de escrita: meio de apresentações orais, painéis, artigos de ou outro ao contexto de produção, com destaque para a natureza dos resultados, escolar. Esses eventos podem ser planejados entre várias escolas de uma mesma
Portug uesa estudo e pesquisa textualização, revisão e edição divulgação científica, verbetes de enciclopédia, as intencionalidades e o público provável. Envolve as operações de planejamento, cidade ou de regiões diferentes no interior de um determinado estado. Por
podcasts científicos etc. produção e revisão do texto no gênero escolhido (apresentação, painel, artigo etc) exemplo, pode-se prever a criação de site ou blog em que se concentre a
para divulgar os resultados. produções dos dois anos, que podem variar no gênero, visto que esses espaços
suportam várias mídias. Do ponto de vista didático, é indicado que os currículos
contemplem um estudo das principais características dos gêneros selecionados.

Na elaboração do currículo, vale considerar que os gêneros sugeridos na descrição


da habilidade são conhecidos por gêneros de apoio à compreensão de textos.
Esta habilidade supõe (1) capacidades de leitura para estudo (uso de grifos,
produção de marginálias, notas, esquemas) e mobilização de capacidades de leitura Comumente, são meios para se chegar a uma outra produção (a principal) ou para
Língua Campo das práticas de Produção de textos Estratégias de escrita: (EF67LP22) Produzir resumos, a partir das notas como inferências e generalizações, (2) planejamento, produção e revisão de um o estudo de apropriação de conceitos que serão aplicados em outros contextos.
6º, 7º e/ou esquemas feitos, com o uso adequado de Recomenda-se que o trabalho com habilidades que favorecem o desenvolvimento
Portug uesa estudo e pesquisa textualização, revisão e edição paráfrases e citações. gênero de apoio à compreensão de textos lidos/conceitos. Na textualização
(elaboração do texto), promove o aprendizado de modos de incorporar ao texto as desta habilidade e dos gêneros nela implicados seja realizado em todos os
vozes de outros. componentes e áreas do currículo. Promover momentos de planejamento
integrado envolvendo profissionais de todas as áreas para se prepararem para
práticas em comum potencializará o aprendizado pelos/as alunos/as.

Na elaboração do currículo, vale considerar que a participação mais qualificada


(EF67LP23) Respeitar os turnos de fala, na como audiência (parte do público a que se dirige um apresentador ou debatedor)
participação em conversações e em discussões Esta habilidade supõe a participação nas diferentes situações orais propostas na implica a capacidade de identificar as informações mais relevantes, fazer
Língua Campo das práticas de Oralidade ou atividades coletivas, na sala de aula e na BNCC e se articula com todos os campos de atuação. Visa a uma participação, nas disso,inferências sobre o que é dito e relacioná-las a outras informações para, a partir
6º, 7º Conversação espontânea escola e formular perguntas coerentes e elaborar perguntas sobre possíveis dúvidas ou se posicionar e argumentar
Portug uesa estudo e pesquisa adequadas em momentos oportunos em interações, de um lado mais respeitosas e éticas, de outro, mais qualificadas (a esse em relação ao que foi dito. As anotações resultantes da tomada de notas podem
respeito, ver EF89LP27).
situações de aulas, apresentação oral, seminário servir de apoio, nessas situações. É importante garantir que essa participação
etc. qualificada seja solicitada frequentemente e que sejam propostos momentos de
avaliação da turma sobre essas participações, no sentido de aprimorá-las.

Na elaboração do currículo, pode ser proposta uma progressão quanto à situação


(EF67LP24) Tomar nota de aulas, apresentações em que a tomada de notas é solicitada: a partir de materiais gravados, até ser
orais, entrevistas (ao vivo, áudio, TV, vídeo), Nesta habilidade, a tomada de notas tem como finalidade principal o registro
Língua Campo das práticas de Oralidade Procedimentos de apoio à identificando e hierarquizando as informações pessoal visando a reflexões pessoais sobre o registrado. Supõe a capacidade de proposto para ser realizada durante as interações (reuniões, aulas, apresentações
6º, 7º orais, seminários etc.). A progressão também pode ser pensada em termos de
Portug uesa estudo e pesquisa compreensão Tomada de nota principais, tendo em vista apoiar o estudo e a identificar informações relevantes e sintetizá-las em notas de modo coerente, modos de organização dessa tomada de notas: uso de setas, itens, abreviaturas,
produção de sínteses e reflexões pessoais ou garantindo a possibilidade de retomada das ideias pelo(a) seu(sua) autor(a).
outros objetivos em questão. pequenos esquemas etc., que podem ser compartilhados entre os colegas, em
momentos a serem planejados pelo professor.

Esta habilidade refere-se tanto ao reconhecimento de critérios utilizados na


organização interna dos textos (dividir o texto em tópicos que permitam a Na elaboração do currículo, convém considerar que esta habilidade envolve tanto
(EF67LP25) Reconhecer e utilizar os critérios de compreensão do tema/assunto; utilizar uma ordem e uma hierarquia ao apresentá- leitura, quanto produção de textos. Na leitura — em especial na leitura
organização tópica (do geral para o específico,
do específico para o geral etc.), as marcas los no texto; estabelecer as relações adequadas entre as informações), quanto à colaborativa —, o estudo do texto possibilita o reconhecimento dos critérios
identificação das marcas linguísticas empregadas para tanto: em primeiro/segundo empregados na organização dos tópicos, assim como a identificação das marcas
Língua Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Textualização Progressão linguísticas dessa organização (marcadores de lugar; isto é, ou seja, por exemplo; para finalizar/concluindo etc. Além disso, refere- linguísticas utilizadas para tanto. A produção dos textos próprios oferece a
6º, 7º ordenação e enumeração, de explicação,
Portug uesa estudo e pesquisa temática se à compreensão dos mecanismos de paráfrase (dizer o mesmo que foi dito
definição e exemplificação, por exemplo) e os anteriormente, oportunidade de emprego dos aspectos estudados. A progressão pode ter como
de outra forma, em uma explicação, por exemplo), identificando as critério a complexidade dos textos organizados nos gêneros propostos; o grau de
mecanismos de paráfrase, de maneira a marcas linguísticas utilizadas para apresentá-la (dito de outra forma/em outras aprofundamento do tratamento a ser dado aos aspectos selecionados para cada
organizar mais adequadamente a coesão e a
progressão temática de seus textos. palavras). Esses aspectos contribuem para que o texto seja coeso e coerente. Esta ano; e o nível de autonomia do aluno ao realizar o trabalho (em colaboração —
habilidade refere-se, ainda, ao emprego dos aspectos indicados na elaboração dos coletivo, em grupos e/ou duplas — e de modo autônomo).
textos próprios. Na elaboração do currículo, pode-se considerar que o desenvolvimento desta
habilidade demanda propor práticas permanentes e regulares de leitura de textos
de divulgação científica em ambientes digitais. É recomendável uma atividade
interdisciplinar, com vistas a contemplar todas as áreas de conhecimento, de modo
Estreitamente associada à leitura, esta habilidade envolve o reconhecimento da que, de um lado, o professor de Língua Portuguesa possa colaborar com os demais,
no sentido de orientar, por exemplo, o ensino de procedimentos de leitura e de
estrutura do hipertexto em gêneros de divulgação científica veiculados em produção desses textos, e, de outro, os demais professores possam colaborar com
(EF67LP26) Reconhecer a estrutura de ambientes digitais, assim como a capacidade de acessar e articular textos
Língua Campo das práticas de Análise linguística/semiótica Textualização hipertexto em textos de divulgação científica e periféricos, como notas de rodapé e boxes, com o texto principal. Consiste em o de Língua Portuguesa, orientando-o quanto aos recursos das linguagens
6º, 7º específicas (cartografia, gráficos/infográficos, simulações, por exemplo) usados na
Portug uesa estudo e pesquisa proceder à remissão a conceitos e relações por compreender que notas de rodapé e boxes mantém relações de
meio de notas de rodapés ou boxes. complementaridade e/ou contraponto com o texto principal, compondo com ele construção de sentidos dos textos. É condição para isso a programação de estudos
um todo solidário. Supõe, ainda, que a análise empreendida na leitura de e planejamentos coletivos. O acesso à Internet e/ou a computadores também é
relevante. A progressão, seja vertical, seja horizontal, pode tomar como referência:
hipertextos em ambiente digital pode favorecer a produção destes. (a) a ênfase na leitura de estudo prévia ou na observação e análise de sua
organização; (b) o grau de complexidade, tanto dos gêneros e textos a serem
trabalhados quanto dos temas abordados e das estruturas de hipertexto
correspondentes;
Na (c) o nível ade
elaboração do currículo, autonomiapode
progressão a serser
conquistado
formuladapelo
com aluno a cada
base nos
etapa. propostos, definindo, por exemplo, que serão trabalhadas as relações de
Esta habilidade refere-se ao estudo comparado de obras literárias entre si e delas gêneros
com outras manif estações de arte: a análise das relações interdiscursivas e intertextualidade entre textos de mesmo gênero (o diálogo entre dois romances ou
intertextuais (os diálogos) entre esses diferentes textos. Muitas obras literárias poemas), para, em seguida, propor um estudo comparado entre um romance
(EF67LP27) Analisar, entre os textos literários e clássicas, por exemplo, sofrem adaptações para produções em outras linguagens, literário e um filme, uma peça ou novela, cujo roteiro f oi criado a partir do
entre estes e outras manifestações artísticas
Língua (como cinema, teatro, música, artes visuais e como Dom Casmurro, de Machado de Assis, que inspirou HQs, canções e romance. Esses estudos comparados podem ser associados a habilidades que
6º, 7º Campo artístico-literário Leitura Relação entre textos minisséries contemporâneas, por exemplo, ou canções que inspiraram a produção coloquem em foco a percepção de que diferentes linguagens "combinadas"
Portug uesa midiáticas), referências explícitas ou implícitas a
outros textos, quanto aos temas, personagens e de contos (como as canções de Chico Buarque que inspiraram um livro de contos). produzem diferentes sentidos, mesmo partindo de uma mesma história ou ideia.
recursos literários e semióticos Essa habilidade de identificar e analisar os diálogos estabelecidos entre os vários Supõe, portanto, o estudo dos recursos dessas diferentes linguagens usados na
produtos culturais favorece a ampliação de repertório, que contribui para que os construção dos sentidos.Há, aqui, oportunidade para o trabalho interdisciplinar
alunos estabeleçam mais relações entre os textos e, portanto, construam mais com as habilidades (EF69AR30) e (EF69AR32), da Arte, no que se refere à
sentidos sobre o que leem. exploração, análise e criação de diálogos entre textos literários e outras
manifestações, de diferentes linguagens artísticas.
(EF67LP28) Ler, de forma autônoma, e
compreender – selecionando procedimentos e
estratégias de leitura adequados a diferentes
objetivos e levando em conta características dos A habilidade refere-se a procedimentos e estratégias que podem ser usados para
gêneros e suportes –, romances infantojuvenis, compreender e apreciar diferentes gêneros literários, considerando as suas marcas
contos populares, contos de terror, lendas
Língua específicas. Esse tipo de leitura favorece a fruição literária — que significa ler sem
Estratégias de leitura Apreciação brasileiras, indígenas e af ricanas, narrativas de qualquer
6º, 7º Campo artístico-literário Leitura compromisso com avaliações ou apresentações formais sobre o lido.
Portug uesa e réplica aventuras, narrativas de enigma, mitos, crônicas,
autobiografias, histórias em quadrinhos, mangás, Entretanto, cabe lembrar que, para fruir melhor o texto, é essencial ter vivenciado
poemas de forma livre e fixa (como sonetos e o experiências prazerosas de leitura e conversa sobre textos desses gêneros, em que
caráter criativo dos discursos literário
cordéis), vídeo-poemas, poemas visuais, dentre
outros, expressando avaliação sobre o texto lido
e estabelecendo preferências por gêneros,
temas, autores.

6º, 7º Leitura

6º, 7º Produção de textos

6º, 7º Produção de textos

6º, 7º Análise linguística/semiótica Fono-ortografia

6º, 7º Análise linguística/semiótica (EF67LP33) Pontuar textos adequadamente.

6º, 7º Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia

6º, 7º Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia

6º, 7º Análise linguística/semiótica Coesão

6º, 7º Análise linguística/semiótica Sequências textuais

6º, 7º Análise linguística/semiótica Figuras de linguagem

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura Efeitos de sentido

6º; 7º; 8º; 9º Leitura Efeitos de sentido

6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos

6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos Textualização


(EF69LP08) Revisar/editar o texto produzido – Na elaboração do currículo, recomenda-se que seja proposto: (1) trabalho
notícia, reportagem, resenha, artigo de opinião, articulado com profissionais responsáveis pelas salas de informática, com
dentre outros –, tendo em vista sua adequação Esta habilidade consiste na revisão e/ou edição de textos diversos, que deve se conhecimento de aplicativos e ferramentas de edição; (2) a necessidade de se
ao contexto de produção, a mídia em questão, orientar sempre por critérios de adequação da produção ao contexto recorrer a ferramentas gratuitas de edição de imagens, áudios e textos impressos. É
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Produção de textos Revisão/edição de texto características do gênero, aspectos relativos à (interlocutores, intencionalidade, gênero, espaços/mídias em que circulará etc.), recomendável propor, ainda, o trabalho colaborativo nos processos de
Portug uesa jornalístico/midiático informativo e opinativo textualidade, a relação entre as diferentes levando em conta, também, o uso das ferramentas de edição variadas em recursos revisão/edição entre os/as alunos/as e entre alunos e professores. Em muitos
semioses, a formatação e uso adequado das e complexidade, em caso de gêneros multissemióticos (como as produções em casos, os adolescentes têm maior familiaridade com o uso de tecnologias digitais, o
ferramentas de edição (de texto, foto, áudio e vídeo, por exemplo). que pode colocar o professor no lugar de quem tem mais a aprender do que a
vídeo, dependendo do caso) e adequação à ensinar. Recomenda-se que a equipe de gestão pedagógica preveja reflexões a esse
norma culta. respeito, junto à equipe docente.

(EF69LP09) Planejar uma campanha publicitária Na elaboração do currículo, recomenda-se discutir a relação entre as esferas
sobre questões/problemas, temas, causas publicitária e jornalística, conforme sinalizado nas orientações relativas à leitura.
significativas para a escola e/ou comunidade, a
partir de um levantamento de material sobre o Esta habilidade refere-se à produção de textos como um processo que envolve Sugere-se uma progressão ao longo dos 4 anos finais, considerando os gêneros
arrolados e a maior ou menor familiaridade dos/as alunos/as da região com um ou
Planejamento de textos de tema ou evento, da definição do público-alvo, do etapas diferentes: definir contexto de produção, planejar, produzir e revisar. outro. Além do trabalho articulado com profissionais que usam aplicativos de
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Produção de textos texto ou peça a ser produzido – cartaz, banner, Destina- se ao procedimento de planejar o texto, que implica a curadoria de
Portug uesa jornalístico/midiático peças publicitárias de folheto, panfleto, anúncio impresso e para informação e a produção de roteiros e enquetes para pesquisa, considerando o edição de textos, da disponibilização desses aplicativos para os/as alunos/as e do
campanhas sociais investimento no trabalho colaborativo, recomenda-se articular as propostas com a
internet, spot, propaganda de rádio, TV etc. –, da contexto de produção definido, e a esquematização (o esboço) do texto, parte a exploração dos documentos reguladores (campo da vida pública) da propaganda e
ferramenta de edição de texto, áudio ou vídeo parte, levando em conta as especificidades do gênero da campanha publicitária.
que será utilizada, do recorte e enfoque a ser publicidade, com vistas ao desenvolvimento de uma postura ética em relação à
esfera publicitária. Do ponto de vista didático, é indicado que os currículos
dado, das estratégias de persuasão que serão contemplem um estudo das principais características dos gêneros selecionados.
utilizadas etc.
Na elaboração do currículo, é interessante considerar que esta habilidade demanda
seleção e progressão dos gêneros listados, do ponto de vista das mídias, das
(EF69LP10) Produzir notícias para rádios, TV ou habilidades mobilizadas e do gênero em questão (dos mais informativos aos mais
vídeos, podcasts noticiosos e de opinião,
Oralidade entrevistas, comentários, vlogs, jornais Esta habilidade supõe o trabalho com as etapas de produção de notícias: opinativos). Em oralidade, a produção de entrevistas (6º a 9º) e reportagem
multimídia (8º e 9º) já estão previstas. Os demais gêneros da lista poderão ser
*Considerar todas as habilidades radiofônicos e televisivos, dentre outros planejamento, produção e revisão processual e final (em casos em que os textos distribuídos ao longo dos quatro anos: para 6º e 7º anos, gêneros que se realizam
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo dos eixos leitura e produção que Produção de textos jornalísticos possíveis, relativos a fato e temas de interesse são gravados previamente). Para o planejamento, será necessário considerar a
Portug uesa jornalístico/midiático se referem a textos ou orais pessoal, local ou global e textos orais de mídia em que o gênero se realizará (uma notícia para TV, rádio ou ambiente em áudio, que implicam uso de aplicativos menos complexos; para 8º e 9º anos,
gêneros que envolvem o uso de aplicativos de vídeos. Também é possível
produções orais, em áudio ou apreciação e opinião – podcasts e vlogs digital), para que o roteiro seja feito considerando os recursos próprios da mídia em selecionar gêneros que façam uso das várias mídias e abordar gradativamente os
vídeo noticiosos, culturais e de opinião, orientando-se jogo.
por roteiro ou texto, considerando o contexto de recursos dessas mídias. Por exemplo, para 6º e 7º anos, entrevistas em áudio e
comentários em vídeo; para 8º e 9º anos, entrevistas e mesas de debate em áudio
produção e demonstrando domínio dos gêneros. e em vídeo. Inicialmente, sugere-se que questões locais sejam prioridade sobre as
globais.
Na elaboração do currículo, o exercício de identificar e analisar pode começar com
materiais previamente gravados (debates, entrevistas etc.). Em seguida, pode-se
prever participações face a face ou a distância, mediadas pela tecnologia, em
Oralidade (EF69LP11) Identificar e analisar situações variadas, como discussões, participação em debates, palestras e reuniões.
Esta habilidade supõe a escuta e a produção de textos orais, sempre considerando Nesses casos, a habilidade de identificar e analisar é "solicitada" enquanto o outro
*Considerar todas as habilidades posicionamentos defendidos e refutados na o contexto. Essas operações cognitivas mobilizam habilidades de análise e de uso
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo dos eixos leitura e produção que Produção de textos jornalísticos escuta de interações polêmicas em entrevistas, de recursos linguísticos e semióticos, como o reconhecimento da posição assumida fala, tendo em vista uma resposta imediata. Articular essa habilidade com as que
Portug uesa jornalístico/midiático se referem a textos ou orais discussões e debates (televisivo, em sala de aula, pelo outro, o movimento argumentativo usado (se negocia com ou refuta outros; envolvem tomada de notas — começando com material gravado, que pode ser
revisto indefinidamente, para depois fazê-lo no ato da interação — favorecerá uma
produções orais, em áudio ou em redes sociais etc.), entre outros, e se se apenas defende sua própria posição), a entonação dada ao que se fala, que resposta mais qualificada de quem escuta. tentar para a seleção e progressão dos
vídeo posicionar frente a eles. sinaliza a apreciação sobre o que se fala etc.
gêneros listados para a produção de textos orais. Há, aqui, oportunidade de
trabalho interdisciplinar com as habilidades (EF 69AR15), (69AR33), da Arte; e
(EF67EF17), da Educação Física, no que se refere à compreensão crítica de
(EF69LP12) Desenvolver estratégias de diferentes
Na elaboraçãopontos de vista sobre
do currículo, temas controversos
é importante e de relevância
diferenciar situações em que social.
apenas
planejamento, elaboração, revisão, edição, oralizamos um texto escrito, como em geral acontece nos noticiários de TV ou
reescrita/ redesign (esses três últimos quando rádio, das situações em que se planeja o texto e se produz materiais de apoio à fala
não for situação ao vivo) e avaliação de textos mas, efetivamente, o texto só se realiza na interação (como acontece em um
Oralidade orais, áudio e/ou vídeo, considerando sua Esta habilidade consiste em trabalhar, em todas as propostas de produção de debate). Cada situação determina suas estratégias de planejamento, elaboração,
adequação aos contextos em que foram revisão, edição, reescrita/redesign e avaliação dos textos. Por exemplo: se a
*Considerar todas as habilidades textos orais, as etapas da produção, começando pelo planejamento,
produzidos, à forma composicional e estilo de análise do contexto de produção (o que se quer dizer, para quem, com que a partir da proposta é a produção de um programa noticioso em vídeo, será necessário, depois
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo dos eixos leitura e produção que Planejamento e produção de
Portug uesa jornalístico/midiático se referem a textos ou textos jornalísticos orais gêneros, a clareza, progressão temática e de definido o fato/assunto: (1) usar câmeras de captação de vídeo e áudio e de
variedade linguística empregada, os elementos finalidade e como dizer). Considerando os gêneros que podem ser gravados e aplicativos de edição do material gravado; (2) após pesquisa e seleção de
produções orais, em áudio ou relacionados à fala, tais como modulação de voz, de assistidos/ouvidos posteriormente, é preciso prever o ensino/aprendizagem de uso informações, produzir roteiros com indicações do texto a ser lido pelo
vídeo aplicativos de captação e edição de áudio e imagem.
entonação, ritmo, altura e intensidade, âncora/jornalista, das entradas de entrevistas ou outras imagens gravadas. Já na
respiração etc., os elementos cinésicos, tais produção de um programa noticioso para rádio, haverá variação dos recursos para
como postura corporal, movimentos e captação,
Na elaboraçãograu
do de detalhamento
do currículo, sugere- sedaque
notícia
esta(que, para rádio,
habilidade em geral,aéprojetos
seja vinculada menor),
gestualidade significativa, expressão facial, da presença ou não
interdisciplinares, de efeitos
como sonoros de fundo
os de intervenção social,etc.
que Atentar
também para seleção e
mobilizam
contato de olho com plateia etc. progressão dos gêneros listados para a produção de textos orais.
habilidades do campo da vida pública (no estudo da questão problema/tema, caso
ela envolva o conhecimento de normas e leis, por exemplo) e de práticas de estudo
e pesquisa (como a realização de enquetes para coletar dados a serem tratados e
Esta habilidade refere-se à participação dos alunos em discussões de temas usados na formulação de argumentos para apoiar uma posição assumida). Pode,
também, ser mobilizada em um debate deliberativo sobre alguma questão do
Participação em discussões orais (EF69LP13) Engajar-se e contribuir com a busca controversos que sejam de seu interesse e/ou tenham relevância social. Articula-se convívio escolar e associada às habilidades próprias de situações orais como essa,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Oralidade de temas controversos de de conclusões comuns relativas a problemas, com habilidades do campo da vida pública e também das práticas de estudo e
Portug uesa jornalístico/midiático interesse da turma e/ou de temas ou questões polêmicas de interesse da pesquisa, visto que conduz os alunos a se inteirar de problemas e temas de seu que implicam tomada de notas, uso de recursos de entonação, ritmo, expressão
facial e corporal etc. Nos currículos locais, para motivar o engajamento do
relevância social turma e/ou de relevância social. entorno imediato e mediato, investigá-los para compreendê-los e tomar uma adolescente, pode ser prevista uma progressão que, inicialmente, mobilize os
posição em discussões a respeito.
alunos para problemas do seu entorno imediato — turma, escola, comunidade,
bairro, cidade — passando para problemas da natureza mais ampla, mas que, ainda
assim,
Na guardemdo
elaboração relação comsugere-
currículo, questões locais.
se que estaHá, aqui, oportunidade
habilidade de trabalho
seja vinculada a projetos
interdisciplinar com as habilidades
interdisciplinares, (EF69AR15), (69AR33), da Arte; e (EF67EF17), da
Educação Física, nocomo os refere
que se de intervenção social,
à compreensão que também
crítica mobilizam
de diferentes pontos de
habilidades
vista do campo
sobre temas da vida pública
controversos (no estudo
e de relevância da questão problema/tema, caso
social.
ela envolva o conhecimento de normas e leis, por exemplo) e de práticas de estudo
(EF69LP14) Formular perguntas e decompor, Esta habilidade refere-se à participação dos alunos em discussões de temas e pesquisa (como a realização de enquetes para coletar dados a serem tratados e
com a ajuda dos colegas e dos professores, controversos que sejam de seu interesse e/ou tenham relevância social. Articula-se usados na formulação de argumentos para apoiar uma posição assumida). Pode
com habilidades do campo da vida pública e também das práticas de estudo e também ser mobilizada em um debate deliberativo sobre alguma questão do
Participação em discussões orais tema/questão polêmica, explicações e ou pesquisa, visto que conduz os alunos a se inteirar de problemas e temas de seu convívio escolar e associada às habilidades próprias de situações orais como essa,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Oralidade de temas controversos de argumentos relativos ao objeto de discussão
Portug uesa jornalístico/midiático interesse da turma e/ou de para análise mais minuciosa e buscar em fontes posição entorno imediato e mediato, investigá-los para compreendê-los e tomar uma que implicam tomada de notas, uso de recursos de entonação, ritmo, expressão
em discussões a respeito. Como envolve a busca de informação em fontes facial e corporal etc. Nos currículos locais, para motivar o engajamento do
relevância social diversas informações ou dados que permitam variadas, também se conecta às habilidades de curadoria da informação, que adolescente pode ser prevista uma progressão que, inicialmente, mobilize os
analisar partes da questão e compartilhá-los com
a turma. implica saber diferenciar sites e/ou fontes confiáveis de não confiáveis, por alunos para problemas do seu entorno imediato — turma, escola, comunidade,
exemplo. bairro, cidade — passando para problemas da natureza mais ampla, mas que, ainda
assim,
Na guardemdo
elaboração relação comsugere-
currículo, questões locais.
se que estaHá, aqui, oportunidade
habilidade de trabalho
seja vinculada a projetos
interdisciplinar com as habilidades
interdisciplinares, (EF69AR15), (EFque
69AR33), damobilizam
Arte; e (EF67EF17),
da Educação Física,como os se
no que de refere
intervenção social,
à compreensão também
crítica de diferentes pontos de
habilidades
vistaenvolva do campo
sobre temas da vida pública
controversos (no estudo
e de relevância da questão problema/tema, caso
social.
Esta habilidade refere-se à participação dos alunos em discussões de temas ela o conhecimento de normas e leis, por exemplo) e de práticas de estudo
controversos que sejam de seu interesse e/ou tenham relevância social. Essa e pesquisa (como a realização de enquetes para coletar dados a serem tratados e
habilidade se articula com habilidades do campo da vida pública e também das usados na formulação de argumentos para apoiar uma posição assumida). Pode
práticas de estudo e pesquisa, visto que conduz os alunos a se inteirar de também ser mobilizada em um debate deliberativo sobre alguma questão do
Participação em discussões orais (EF69LP15) Apresentar argumentos e contra-
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Oralidade de temas controversos de argumentos coerentes, respeitando os turnos de problemas e temas de seu entorno imediato e mediato, investigá-los para convívio escolar e associada às habilidades próprias de situações orais como essa,
Portug uesa jornalístico/midiático interesse da turma e/ou de fala, na participação em discussões sobre temas compreendê-los e tomar uma posição em discussões a respeito. Também é conexa que implicam tomada de notas, uso de recursos de entonação, ritmo, expressão
a habilidades de identificação e análise dos movimentos argumentativos que se facial e corporal etc. Nos currículos locais, para motivar o engajamento do
relevância social controversos e/ou polêmicos. pode adotar em uma situação de argumentação (sustentar, refutar, negociar), dos adolescente pode ser prevista uma progressão que, inicialmente, mobilize os
tipos de argumentação (exemplificação, autoridade etc.) e dos recursos linguísticos alunos para problemas do seu entorno imediato — turma, escola, comunidade,
usados na apresentação e articulação desses argumentos, bem como de modos de bairro, cidade — passando para problemas da natureza mais ampla, mas que, ainda
participação respeitosa e ética, em situações de debate. assim, guardem relação com questões locais. Há, aqui, oportunidade de trabalho
interdisciplinar
Na elaboração com
do as habilidades
currículo, (EF69AR15),
recomenda-se (EF 69AR33),
propor, aocrítica
longodeda Arte;
dos anos,eum
(EF67EF17),
estudode
da Educação Física, no que se refere à compreensão diferentes pontos
(EF69LP16) Analisar e utilizar as formas de baseado
vista sobrenatemas
comparação entre textos
controversos do mesmosocial.
e de relevância gênero e de gêneros distintos. No
composição dos gêneros jornalísticos da ordem primeiro caso, a intenção é propiciar a compreensão do que é típico do gênero em
do relatar, tais como notícias (pirâmide invertida estudo. No segundo, pretende-se o estabelecimento de semelhanças, o que
no impresso X blocos noticiosos hipertextuais e permite tanto a reiteração das características identificadas no momento anterior,
hipermidiáticos no digital, que também pode O foco desta habilidade está no estudo da forma de composição dos gêneros quanto o reconhecimento de características específicas, o que remete às
Língua Campo contar com imagens de vários tipos, vídeos, jornalísticos narrativos e argumentativos, assim como de entrevistas. Implica possibilidades linguístico-textuais e ao estilo do autor. O desenvolvimento da
6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica Construção composicional gravações de áudio etc.), da ordem do relacionar as formas de composição do gênero mencionadas na habilidade às habilidade requer práticas de leitura, produção e análise de textos, nas quais seja
Portug uesa jornalístico/midiático argumentar, tais como artigos de opinião e especificidades do campo de atuação em que circulam, assim como aos temas e possível relacionar as formas de composição do gênero mencionadas às
editorial (contextualização, defesa de finalidades dos gêneros e às peculiaridades da mídia em que são publicadas. especificidades do campo de atuação em que circulam, aos temas e finalidades dos
tese/opiniãoPerceber
(EF69LP17) e uso deeargumentos)
analisar os recursos
e das gêneros e às peculiaridades da mídia em que são publicadas. A progressão pode se
entrevistas:e apresentação
estilísticos semióticos dose gêneros
contextualização
jornalísticos
do dar tanto pelo modo de tratamento do conteúdo (por frequentação ou para
eentrevistado
publicitários,
e do
os aspectos
tema, estrutura
relativos
pergunta
ao e aprofundamento) quanto pela complexidade dos textos previstos para as práticas
resposta etc.da informação em notícias, como a
tratamento de leitura e produção. Sugere-se um trabalho colaborativo (coletivo mediado pelo
ordenação dos eventos, as escolhas lexicais, o professor, e em grupo/duplas), que progrida para o autônomo.
efeito de imparcialidade do relato, a morfologia Na elaboração do currículo, convém que o desenvolvimento da atividade venha
sempre associado a práticas de leitura e/ou produção de textos dos gêneros
do verbo, em textos noticiosos e jornalísticos e publicitários previstos. É possível desmembrar a habilidade, ainda,
argumentativos, reconhecendo marcas de
pessoa, número, tempo, modo, a distribuição Esta é uma habilidade bastante complexa, cujo foco são as características, o nas duas operações implicadas (perceber/analisar), assim como nos gêneros
funcionamento e os recursos — linguísticos e semióticos — próprios de gêneros (jornalísticos/publicitários) e/ou nos recursos linguísticos e semióticos neles
dos verbos nos gêneros textuais (por exemplo,
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Análise linguística/semiótica Estilo as formas de pretérito em relatos; as formas de jornalísticos narrativos e argumentativos. Envolve, ainda, duas operações distintas envolvidos. O desenvolvimento desta habilidade só pode se fazer, de forma
Portug uesa jornalístico/midiático e sucessivas: perceber e analisar os efeitos de sentido produzidos pelos recursos
presente e futuro em gêneros argumentativos; linguísticos adequada, no interior de atividades de leitura e/ou produção de textos desses
e semióticos mencionados, assim como pelas estratégias persuasivas gêneros, planejadas de forma a garantir que todos os vetores referidos estejam não
as formas de imperativo em gêneros
publicitários), o uso de recursos persuasivos em em jogo, de modo que se possa identificar intencionalidades variadas presentes em só contemplados, mas articulados entre si. Esses mesmos fatores podem pautar a
textos argumentativos diversos (como a textos desses gêneros. progressão curricular, combinados com outros, como o grau de complexidade dos
gêneros e textos programados e o grau de autonomia que se pretende levar o
elaboração do título, escolhas lexicais, aluno a atingir em cada etapa. A sistematização e o ensino da terminologia técnica
construções metafóricas, a explicitação ou a
ocultação de fontes de informação) e as só são recomendados se ocorrerem depois da compreensão do aspecto estudado.
estratégias de persuasão e apelo ao consumo
com os recursos
(EF69LP18) Utilizar,
linguístico-discursivos
na escrita/reescritautilizados
de textos
(tempo verbal, jogos
argumentativos, recursos
de palavras,
linguísticos
metáf
queoras, Na elaboração do currículo, é importante prever situações de revisão processual e
imagens). as relações de sentido entre
marquem final do texto, para avaliar: (a) se as expressões utilizadas para ligar trechos do
parágrafos e enunciados do texto e operadores A habilidade envolve o uso de recursos textuais que estabeleçam relações texto garantem o estabelecimento das relações necessárias para a compreensão
de conexão adequados aos tipos de argumento e tratamentoadequadas entre as partes do texto, de modo a conferir-lhe legibilidade e adequada do que se quer dizer; (b) se a progressão das ideias garante que não se
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Análise linguística/semiótica Estilo adequado do conteúdo (discussão da questão polêmica,
Portug uesa jornalístico/midiático à forma de composição de textos perca o "fio da meada" do conteúdo temático. A progressão pode se dar pela
argumentativos, de maneira a garantir a coesão, posicionamento assumido e razões apresentadas para tanto). Esta habilidade é complexidade do texto e do gênero, pelo grau de autonomia do aluno ao realizar a
a coerência e a progressão temática nesses necessária para estabelecer-se a progressão e a unidade temática — o "fio da atividade e, especialmente por se tratar de habilidade que abrange do 6º ao 9º ano,
meada" — do texto, assim como sua coesão e coerência.
textos (“primeiramente, mas, no entanto, em pelo tratamento dado ao conteúdo, que pode ser por frequentação ou para
primeiro/segundo/terceiro lugar, finalmente, em aprofundamento.
conclusão” etc.).

Na elaboração do currículo, é interessante considerar que o estudo do discurso oral


(EF69LP19) Analisar, em gêneros orais que implica a criação de condições que o possibilitem, como: gravações em vídeo para
Trata-se de habilidade que consiste em analisar os recursos típicos da fala do ponto serem analisadas; discussão coletiva a respeito das impressões de cada aluno a
envolvam argumentação, os efeitos de sentido de vista dos efeitos de sentido que, em uma dada situação comunicativa, podem respeito dos efeitos de sentido produzidos pelos elementos empregados na f ala;
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo Análise linguística/semiótica Efeito de sentido de elementos típicos da modalidade falada,
Portug uesa jornalístico/midiático como a pausa, a entonação, o ritmo, a provocar sobre a argumentação pretendida. Requer a observação dos recursos participação em situações comunicativas orais diversas, com o intuito de estudar a
linguísticos em jogo e dos efeitos de sentido que produzem em diferentes situações performance do enunciador. A progressão pode se dar: (a) pela complexidade do
gestualidade e expressão facial, as hesitações de comunicação. texto e do gênero; (b) pelo grau de autonomia do aluno ao realizar as atividades; (c)
etc.
pelo tratamento dado ao conteúdo, que pode ser por frequentação ou para
aprofundamento.
(EF69LP20) Identificar, tendo em vista o
contexto de produção, a forma de organização
dos textos normativos e legais, a lógica de
hierarquização de seus itens e subitens e suas Na elaboração do currículo, é necessário considerar que, para desenvolver esta
partes: parte inicial (título – nome e data – e habilidade, é importante reconhecer as especificidades da esfera jurídica em que os
Reconstrução das condições de ementa), blocos de artigos (parte, livro, capítulo,
produção e circulação e Esta habilidade refere-se ao reconhecimento das especificidades dos textos
seção, subseção), artigos (caput e parágrafos e normativos textos mencionados são produzidos e circulam. Seria pertinente prever, ao longo
e legais, marcados por um conteúdo de caráter coercitivo ou de todo o segundo segmento, um estudo sistemático e progressivo sobre o campo
Língua Campo de atuação na adequação do texto à incisos) e parte final (disposições pertinentes à
6º; 7º; 8º; 9º Leitura construção composicional e ao sua implementação) e analisar efeitos de sentido normativo: como se organizam? que recursos linguísticos são comuns nesses da vida pública: Quem são os atores envolvidos? Quais os interesses dessa esfera?
Portug uesa vida pública estilo de gênero causados pelo uso de vocabulário técnico, pelo gêneros de textos? Além da presença de verbos no imperativo, advérbios ou Que gêneros do discurso são produzidos nessa esfera? Quais suas finalidades de
(Lei, código, estatuto, código, locuções, pode ser observado o uso de verbos e substantivos que trazem uma carga contratos, leis, regulamentos, estatutos, autorização de funcionamento, medida
uso do imperativo, de palavras e expressões que semântica com esse caráter, como dever/poder/ser, obrigação/direito/garantia etc. provisória, editais, dentre outros gêneros? De modo geral, são gêneros que
reg imento etc.) indicam circunstâncias, como advérbios e normatizam e regulamentam direitos e deveres do cidadão nos mais variados
locuções adverbiais, de palavras que indicam
generalidade, como alguns pronomes papéis sociais e saber ler esses textos é fundamental para a vida pública.
indefinidos, de forma a poder compreender o
caráter imperativo, coercitivo e generalista das
leis e de outras
(EF69LP21) Posicionar-se
formas deem regulamentação.
relação a
conteúdos veiculados em práticas não Na elaboração do currículo, é necessário considerar que o desenvolvimento dessa
institucionalizadas de participação social, Esta habilidade supõe um trabalho de reconhecimento dessas práticas no entorno, habilidade pode favorecer a participação dos jovens em movimentos de bairros,
sobretudo àquelas vinculadas a manifestações na região e/ou em localidades remotas, bem como de análise das suas centros culturais comunitários etc., que promovem práticas culturais locais que se
artísticas, produções culturais, intervenções constituem como formas de resistência e de defesa de direitos de diferentes
Língua Campo de atuação na especificidades por meio do estudo dos recursos das diferentes linguagens em que naturezas. Exemplos dessas manifestações são os saraus, as rodas de rap ou as
urbanas e práticas próprias das culturas juvenis se
6º; 7º; 8º; 9º Leitura Apreciação e réplica constituem os gêneros envolvidos, o que dará subsídios ao aluno para formar
Portug uesa vida pública que pretendam denunciar, expor uma opiniões sobre seus conteúdos. Por exemplo: o grafitar, como uma prática de batalhas de slam que acontecem nas periferias, cujo objetivo é promover o direito
problemática ou “convocar” para uma à cultura, em que se leem poemas, crônicas e se cantam raps de autoria, com
reflexão/ação, relacionando esse letramento, se caracteriza pelo quê? Que recursos utiliza e como pode usá-los para conteúdos críticos em relação a algum aspecto da realidade. É recomendável que a
fazer a crítica?
texto/produção com seu contexto de produção e escola acolha, problematize e legitime essas práticas e favoreça o empoderamento
relacionando as partes e semioses presentes dos jovens para uma atuação cada vez mais qualificada.
para a construção de sentidos.

Na elaboração do currículo, pode-se considerar que a prática de reivindicar direitos


(EF69LP22) Produzir, revisar e editar textos ou propor soluções para problemas favorece o engajamento dos/as alunos/as em
Relacionada às habilidades (EF67LP19) e (EF89LP21), esta habilidade se refere à questões de interesse público, em especial do seu entorno imediato. A implantação
reivindicatórios ou propositivos sobre problemas realização de uma investigação das necessidades da escola e/ou da comunidade de projetos de intervenção pode favorecer essa prática e possibilita o
que afetam a vida escolar ou da comunidade,
Língua Campo de atuação na para levantamento de questões, prioridades e problemas relevantes que levarão à desenvolvimento dessa habilidade em contextos significativos para os/as alunos/as.
6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos Textualização, revisão e edição justificando pontos de vista, reivindicações e produção colaborativa de textos reivindicatórios. Essa investigação fornecerá Projetos que integrem as diferentes áreas mobilizam uma gama de conhecimentos
Portug uesa vida pública detalhando propostas (justificativa, objetivos, elementos para planejar ações e dará contexto para as produções de textos. As e habilidades, potencializando aprendizagens. Como já sinalizado em outros
ações previstas etc.), levando em conta seu
habilidades relativas à produção de textos argumentativos também são
contexto de produção e as características dos mobilizadas. momentos, garantir tempos e espaços para o planejamento integrado é uma forma
de viabilizar a elaboração de projetos dessa natureza. Do ponto de vista didático, é
gêneros em questão. indicado que os currículos contemplem um estudo das principais características dos
gêneros selecionados.

(EF69LP23) Contribuir com a escrita de textos Na elaboração do currículo, recomenda-se incorporar práticas como assembleias de
normativos, quando houver esse tipo de alunos com caráter deliberativo e formação de grupos de trabalho para organização
demanda na escola – regimentos e estatutos de
organizações da sociedade civil do âmbito da Esta habilidade supõe a escrita colaborativa de textos normativos diretamente de eventos, como os citados na descrição das habilidades. Essas práticas também
favorecem vivências de leitura e de produção de textos variados, como atas de
Língua Campo de atuação na atuação das crianças e jovens (grêmio livre, relacionados às práticas escolares, com seus atores previstos. Escritas dessa reunião, estatutos e regulamentos.Do ponto de vista didático, é indicado que os
6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos Textualização, revisão e edição clubes de leitura, associações culturais etc.) – e natureza implicam uma atuação protagonista dos/as alunos/as na apropriação do
Portug uesa vida pública de regras e regulamentos nos vários âmbitos da espaço escolar em diferentes dimensões e favorecem uma participação que currículos contemplem um estudo das principais características dos gêneros
selecionados. Há, ainda, oportunidade de trabalho interdisciplinar com a habilidade
escola – campeonatos, festivais, regras de envolve direitos e responsabilidades. (EF67EF09), da Educação Física, no que se refere à compreensão e contribuição
convivência etc., levando em conta o contexto
de produção e as características dos gêneros em com textos normativos e regramentos de convívio que viabilizem a participação de
todos na prática de exercícios físicos.
questão.
(EF69LP24) Discutir casos, reais ou simulações, Na elaboração do currículo, recomenda-se que todas as situações de interação oral
submetidos a juízo, que envolvam (supostos) nesse campo (vida pública) sejam vinculadas a projetos interdisciplinares, para
desrespeitos a artigos, do ECA, do Código de garantir a abordagem de maior número de documentos normativos e reguladores.
Defesa do Consumidor, do Código Nacional de Diante da lista aberta desses documentos, é possível propor projetos diferenciados
Trânsito, de regulamentações do mercado Esta habilidade supõe a participação em situações (como discussões coletivas e em para cada ano. Por exemplo, em uma discussão sobre meio ambiente e
publicitário etc., como forma de criar consumismo, pode-se propor a análise de uma propaganda, associando-a à leitura
Língua Campo de atuação na familiaridade com textos legais – seu grupos, debates) em que esteja em foco analisar casos sob a ótica da legalidade e do Código Nacional do Consumidores, ao ECA e ao Código Brasileiro de Auto-
6º; 7º; 8º; 9º Oralidade Discussão oral do direito. É pressuposto dessas situações o conhecimento e a compreensão de
Portug uesa vida pública vocabulário, formas de organização, marcas de textos legais e normativos que servirão tanto para analisar o caso quanto para regulamentação Publicitária. Propor exercícios de retextualização desses textos,
estilo etc. -, de maneira a facilitar a como a reescrita de um artigo de lei em linguagem informal, pode colaborar para a
compreensão de leis, fortalecer a defesa de elaborar argumentos sólidos que apoiem a sua análise. interpretação deles. É recomendável que o ECA seja um documento revisitado ao
direitos, fomentar a escrita de textos normativos longo dos quatro anos, dada a sua relevância. Há, ainda, oportunidade de trabalho
(se e quando isso for necessário) e possibilitar a interdisciplinar com a habilidade (EF67EF09), da Educação Física, no que se refere à
compreensão do caráter interpretativo das leis e compreensão e contribuição com textos normativos e regramentos de convívio que
as várias perspectivas que podem estar em jogo. viabilizam a participação de todos na prática de exercícios físicos.

(EF69LP25) Posicionar-se de forma consistente e Na elaboração do currículo, é interessante considerar que, em participações face a
sustentada em uma discussão, assembleia,
reuniões de colegiados da escola, de Esta habilidade supõe a participação em diferentes situações orais, em que se face ou a distância, mediadas pela tecnologia, em situações variadas, como
espera o posicionamento crítico em relação à questão em foco. O uso de recursos discussões, participação em debates, palestras e reuniões, enquanto o outro fala,
Língua Campo de atuação na agremiações e outras situações de apresentação
6º; 7º; 8º; 9º Oralidade Discussão oral de propostas e defesas de opiniões, respeitando linguísticos e semióticos (outras linguagens), como de palavras que explicitam a quem está na escuta analisa o que é dito e planeja uma resposta imediata. Articular
Portug uesa vida pública posição assumida (se de oposição ou negociação, por exemplo) e o uso de
as opiniões contrárias e propostas alternativas e entonação essa habilidade com as que sugerem o procedimento de tomada de notas,
que deixe em evidência a apreciação do falante em relação ao que é começando por fazê-lo com material gravado, que pode ser revisto
fundamentando seus posicionamentos, no
tempo de fala previsto, valendo-se de sínteses e dito são algumas das competências mobilizadas. indefinidamente, para depois fazê-lo no ato da interação, favorecerá uma resposta
propostas claras e justificadas. mais qualificada de quem escuta.

Na elaboração do currículo, é válido levar em consideração que a tomada de notas


(EF69LP26) Tomar nota em discussões, debates, como registro é considerada um gênero de apoio à compreensão do ouvido,
palestras, apresentação de propostas, reuniões, Esta habilidade supõe o trabalho com a tomada de notas para diferentes fins: (1) assistido. Como procedimento, está vinculada a diferentes situações, em qualquer
como forma de documentar o evento e apoiar a campo de atuação. É comum em práticas como debates, palestras, reuniões, aulas
Língua Campo de atuação na para alimentar outras produções escritas com a finalidade de documentar
própria fala (que pode se dar no momento do processos e suas variantes em outras mídias. Supõe a capacidade de identificar informações
6º; 7º; 8º; 9º Oralidade Registro e resultados de reuniões, tais como atas e notas de reunião; (2) para
Portug uesa vida pública evento ou posteriormente, quando, por registro pessoal, visando a reflexão sobre o registrado; (3) como apoio à fala relevantes e sintetizá-las em notas, de modo coerente, garantindo a possibilidade
exemplo, for necessária a retomada dos de retomada das ideias pelo(a) seu(sua) autor(a). Pode ser proposta uma
assuntos tratados em outros contextos públicos, durante a participação em situações orais como discussões, debates, seminários. progressão que indique tanto a variação dos objetivos da tomada de notas, quanto
como diante dos representados). a situação em que ela é solicitada — se a partir de materiais gravados ou se
durante as interações (reuniões, aula etc.).
(EF69LP27) Analisar a forma composicional de Na elaboração do currículo, é recomendável que o desenvolvimento de leitura e
textos pertencentes a gêneros normativos/
jurídicos e a gêneros da esfera política, tais como produção de textos dessa natureza tenha como contexto inicial as produções e
questões locais. Já que esta habilidade é proposta para todos os anos, é possível,
propostas, programas políticos (posicionamento por exemplo, prever uma progressão para que a cada ano se abordem programas
quanto a diferentes ações a serem propostas,
objetivos, ações previstas etc.), propaganda Trata-se de habilidade de leitura para estudo das especificidades dos textos políticos de uma esf era diferente. Também para os textos reivindicatórios, é
normativos jurídicos e reivindicatórios, visando à produção de textos dessa possível selecionar um gênero para cada ano, procurando articulá-los aos textos
Língua Campo de atuação na Análise de textos política (propostas e sua sustentação,
6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica legais/normativos, propositivos posicionamento quanto a temas em discussão) e natureza, essenciais para a vida pública, especialmente em situações de defesa ou normativos jurídicos trabalhados. Por exemplo, a petição pode estar associada a
Portug uesa vida pública e reivindicatórios textos reivindicatórios: cartas de reclamação, de debates sobre direitos do cidadão. Supõe-se o estudo desses gêneros no que diz um trabalho com propostas e programas políticos de partidos que estão no poder:
respeito ao conteúdo — como pode se organizar e ser construído com os recursos depois de analisar um programa político, pode-se chegar à constatação de que é
petição (proposta, suas justificativas e ações a
serem adotadas) e suas marcas linguísticas, de linguísticos adequados, tendo em vista os objetivos pretendidos. necessário organizar uma petição pública para exercer pressão junto aos
forma a incrementar a compreensão de textos governantes quanto a alguma ação prometida e não cumprida, de acordo com o
programa político. Cabe enfatizar, ainda, que a natureza dos textos reivindicatórios
pertencentes a esses gêneros e a possibilitar a mobilizará habilidades propostas no campo jornalístico/midiático, visto que esses
produção deObservar
(EF69LP28) textos mais
os mecanismos
adequados e/ou
de
fundamentados
modalização adequados
quando isso
aos textos
for requerido.
jurídicos, as textos supõem o uso da argumentação.
Na elaboração do currículo, tal como apontado para a habilidade (EF89LP16),
modalidades deônticas, que se referem ao eixo sugere-se que o desenvolvimento se dê tanto por meio da leitura de estudo,
da conduta (obrigatoriedade/permissibilidade)
como, por exemplo: Proibição: “Não se deve Esta habilidade amplia a (EF89LP16). Além de identificar recursos empregados em doquanto das atividades de revisão. A progressão pode se dar: (a) pela complexidade
texto e do gênero; (b) pelo tipo de tratamento didático — por frequentação (aos
fumar em recintos fechados.”; Obrigatoriedade: textos dos gêneros citados que representam valores e posições, abrange gêneros/textos) ou para aprofundamento; (c) pelo grau de autonomia do aluno (em
“A vida tem que valer a pena.”; Possibilidade: “É modalidades deônticas, como "É proibido pisar na grama", "Saia, agora!", "Se
Língua Campo de atuação na Análise linguística/semiótica Modalização permitido a entrada de menores acompanhados quiser, pode usar o meu carro". Envolve reconhecer os recursos linguísticos colaboração — coletiva, em grupos, em duplas — e de modo autônomo); (d) e,
6º; 7º; 8º; 9º especialmente por se tratar de habilidade que abrange do 6º ao 9º ano, pelo
Portug uesa vida pública de adultos responsáveis”, e os mecanismos de empregados nesses casos, compreender os efeitos de sentido produzidos por eles e tratamento dado ao conteúdo — mais ou menos complexo, mais ou menos
modalização adequados aos textos políticos e analisar a coerência desses efeitos tanto com as intenções de significação
propositivos, as modalidades apreciativas, em pretendidas, quanto com a especificidade do gênero, considerando o campo de aprofundado, mais ou menos implicado à realidade cotidiana do aluno. Há, aqui,
oportunidade de trabalho interdisciplinar com a habilidade (EF67EF09), da
que o locutor exprime um juízo de valor (positivo atuação, finalidade e espaço de circulação. Educação Física, no que se refere a compreensão e contribuição com textos
ou negativo) acerca do que enuncia. Por
exemplo: “Que belo discurso!”, “Discordo das normativos e regramentos de convívio que viabilizem a participação de todos na
prática de exercícios físicos.
escolhas deRefletir
(EF69LP29) Antônio.” “Felizmente,
sobre a relação o buraco
entre os
ainda não causou acidentes mais graves.”
contextos de produção dos gêneros de
divulgação científica – texto didático, artigo de
divulgação científica, reportagem de divulgação Na elaboração do currículo, para desenvolver esta habilidade, é altamente
recomendável envolver diferentes áreas de conhecimento, uma vez que cada uma
científica, verbete de enciclopédia (impressa e Esta habilidade promove o desenvolvimento de capacidades de leitura relativas à delas possui terminologia e recursos linguísticos próprios. Ler um infográfico de
Reconstrução das condições de digital), esquema, infográfico (estático e compreensão e apreciação dos textos, considerando o contexto de produção de
Língua Campo das práticas de Leitura produção e recepção dos textos animado), relatório, relato multimidiático de textos de divulgação científica: interlocutores envolvidos, intencionalidades uma reportagem sobre uma descoberta arqueológica, por exemplo, é diferente de
6º; 7º; 8º; 9º e adequação do texto à ler um texto do mesmo gênero sobre a variação do IDH ou do custo de vida de uma
Portug uesa estudo e pesquisa campo, podcasts e vídeos variados de divulgação relativas ao gênero selecionado e apreciações implícitas e explícitas sobre o tema determinada localidade ao longo de um período específico. O fato de a natureza
construção composicional e ao científica etc. – e os aspectos relativos à tratado, observáveis pela análise dos recursos das linguagens utilizadas. Esta
estilo de gênero construção composicional e às marcas linguística habilidade favorece habilidades de produção de textos dessa esfera. dos conhecimentos ser diversa, no exercício de uma inferência, por exemplo, leva o
aluno a analisar (na leitura) ou mobilizar (na produção) recursos de linguagens
características desses gêneros, de forma a comumente usados nas diferentes áreas de conhecimentos.
ampliar suas possibilidades de compreensão (e
produção) de textos pertencentes a esses
gêneros.

Na elaboração do currículo, é importante considerar que, no campo das práticas de


(EF69LP30) Comparar, com a ajuda do professor, estudo e pesquisa, comparar informações entre diferentes fontes é essencial para o
conteúdos, dados e informações de diferentes
fontes, levando em conta seus contextos de A habilidade implica mobilizar/desenvolver estratégias e ferramentas de curadoria: desenvolvimento das diversas dimensões do pensamento científico. O trabalho
busca e seleção de fontes confiáveis, uso de recursos de apoio à compreensão — com projetos integrados interdisciplinares poderá potencializar o desenvolvimento
Língua Campo das práticas de Leitura produção e referências, identificando como tomada de notas, produção de esquemas etc. —, bem como análise das dessas dimensões. É possível propor a progressão no grau de ajuda dada pelo
6º; 7º; 8º; 9º Relação entre textos coincidências, complementaridades e
Portug uesa estudo e pesquisa contradições, de forma a poder identificar informações e generalizações, visando à formulação de apreciações éticas e professor (com vistas à construção da autonomia do aluno) e na complexidade do
estéticas expressas em textos de gêneros diversos (comentários, reportagens de que comparar (quantidade e tipos de fontes, tipos de gêneros a comparar — dos
erros/imprecisões conceituais, compreender e divulgação, resenhas críticas etc.). predominantemente verbais aos multimidiáticos), que procedimentos, estratégias e
posicionar-se criticamente sobre os conteúdos e
informações em questão. ferramentas usar, considerando os gêneros selecionados para o ano, e em que
gêneros os alunos tecerão suas apreciações a cada ano.

(EF69LP31) Utilizar pistas linguísticas – tais como Na elaboração do currículo, é necessário considerar que, embora esta habilidade
“em primeiro/segundo/terceiro lugar”, “por A observação das pistas linguísticas referidas na habilidade pode favorecer a figure no campo das práticas de estudo e pesquisa, na BNCC, também é requerida
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Campo das práticas de Leitura Apreciação e réplica outro lado”, “dito de outro modo”, isto é”, “por percepção das informações, ideias e/ou argumentos que o autor considera mais na leitura de textos de outros campos, em especial os dissertativo-argumentativos.
Portug uesa estudo e pesquisa exemplo” – para compreender a hierarquização relevantes, bem como a identificação de ideias centrais e periféricas, orientando na Nesse sentido, pode-se propor o seu desenvolvimento do sexto ao nono ano. A
das proposições, sintetizando o conteúdo dos produção de resumos, esquemas, gráficos etc. articulação com a leitura de gêneros e textos de graus crescentes de complexidade
textos. pode ser um bom critério para a progressão curricular.

Na elaboração do currículo, é importante levar em conta que, no campo das


práticas de estudo e pesquisa, comparar informações entre diferentes fontes é
(EF69LP32) Selecionar informações e dados essencial para o desenvolvimento das diversas dimensões do pensamento
Estratégias e procedimentos de relevantes de fontes diversas (impressas,
digitais, orais etc.), avaliando a qualidade e a
A habilidade implica mobilizar/desenvolver estratégias e ferramentas de curadoria: científico. O trabalho com projetos integrados interdisciplinares poderá
busca e seleção de fontes confiáveis, uso de recursos de apoio à compreensão — potencializar o desenvolvimento dessas dimensões. É possível prever a progressão
Língua Campo das práticas de Leitura leitura Relação do verbal com utilidade dessas fontes, e organizar, como tomada de notas, produção de esquemas etc. —, bem como análise das no grau de ajuda dada pelo professor (com vistas à construção da autonomia do
6º; 7º; 8º; 9º outras semioses
Portug uesa estudo e pesquisa Procedimentos e gêneros de esquematicamente, com ajuda do professor, as informações e generalizações, visando à formulação de apreciações éticas e aluno) e na complexidade do que comparar (quantidade e tipos de fontes, tipos de
informações necessárias (sem excedê-las) com estéticas expressas em textos de gêneros diversos (comentários, reportagens de gêneros a comparar — dos predominantemente verbais aos multimidiáticos), que
apoio à compreensão ou sem apoio de ferramentas digitais, em divulgação, resenhas críticas etc.). procedimentos, estratégias e ferramentas usar, considerando os gêneros
quadros, tabelas ou gráficos. selecionados para o ano, e em que gêneros os alunos tecerão suas apreciações a
cada ano.Há, aqui, oportunidade para o trabalho interdisciplinar com a habilidade
(EF06LI09), no que se refere a identificar informações precisas em textos.

(EF69LP33) Articular o verbal com os esquemas,


infográficos, imagens variadas etc. na Esta habilidade supõe relacionar as partes verbais (texto verbal), não-verbais
(re)construção dos sentidos dos textos de (imagens) e híbridas (imagens e textos verbais de um infográfico, por exemplo) que
divulgação científica e retextualizar do discursivo compõem um texto de divulgação, identificando a relação de sentidos que
Estratégias e procedimentos de para o esquemático – infográfico, esquema, estabelecem entre as partes. Um gráfico, por exemplo, pode complementar uma
Língua Campo das práticas de Leitura leitura Relação do verbal com tabela, gráfico, ilustração etc. – e, ao contrário, informação dada pelo texto escrito, ou um esquema ou uma ilustração podem
6º; 7º; 8º; 9º outras semioses
Portug uesa estudo e pesquisa Procedimentos e gêneros de transformar o conteúdo das tabelas, esquemas, exemplificar a informação verb
infográficos, ilustrações etc. em texto discursivo,
apoio à compreensão como forma de ampliar as possibilidades de
compreensão desses textos e analisar as
características das multissemioses e dos gêneros
em questão.

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos

6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos

6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos Estratégias de produção

6º; 7º; 8º; 9º Oralidade

6º; 7º; 8º; 9º Oralidade Estratégias de produção

6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica

6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica

6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica

6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura

6º; 7º; 8º; 9º Leitura Adesão às práticas de leitura

6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos Relação entre textos

6º; 7º; 8º; 9º Produção de textos

6º; 7º; 8º; 9º Oralidade Produção de textos orais

6º; 7º; 8º; 9º Oralidade


manipulações do estrato sonoro da linguagem, recursos verbais constitutivos do texto literário (figuras de linguagem, ritmo, rimas
obtidos por meio da estrofação, das rimas e de etc.), visando a identificação dos efeitos de sentido que produzem; c) prever, para o
figuras de linguagem como as aliterações, as
assonâncias, as onomatopeias, dentre outras, a processo de declamação de poemas ou de contação de histórias, a identificação
O foco desta habilidade está no reconhecimento, pelo aluno, da interação que se dos recursos extraverbais e cênicos que poderiam ser necessários para a
postura corporal e a gestualidade, na estabelece entre os aspectos linguísticos que constituem os textos do campo interpretação dos textos; d) orientar, no caso da leitura dramática ou
declamação de poemas, apresentações musicais
Recursos linguísticos e e teatrais, tanto em gêneros em prosa quanto artístico-literário — organizados em prosa ou em verso (poemas, contos, textos representação de textos teatrais, o estudo prévio do texto e a leitura atenta das
Língua 6º; 7º; 8º; 9º semióticos que operam nos teatrais etc.) — e os recursos paralinguísticos (voz, gestos e movimentação) que rubricas, para que a representação seja adequada ao indicado no texto, garantindo
Portug uesa Campo artístico-literário Análise linguística/semiótica textos pertencentes aos gêneros nos gêneros poéticos, os efeitos de sentido podem/devem ser mobilizados na oralização deles (declamações, representações, uma compreensão mais fiel às intenções de significação presumidas. A progressão
decorrentes do emprego de figuras de
literários linguagem, tais como comparação, metáfora, leituras dramáticas etc.), de modo a preservar seus efeitos de sentido, por meio da vertical e horizontal pode tomar como critérios os aspectos linguísticos e
prática frequente e sistemática de leitura, estudo e oralização de textos do campo paralinguísticos a serem estudados a cada momento; a sequenciação entre estudo
personificação, metonímia, hipérbole, literário. prévio do texto/planejamento/execução da apresentação oral; o grau de
eufemismo, ironia, paradoxo e antítese e os
efeitos de sentido decorrentes do emprego de complexidade do gênero ou texto a ser analisado; o nível de autonomia a ser
conquistado pelo aluno a cada etapa, quer da análise, quer da prática de oralização.
palavras e expressões denotativas e conotativas Na elaboração
Há, do currículo,
aqui, oportunidade para devido à importância do tema
o trabalho não só para a análise
(adjetivos, locuções adjetivas, orações linguística/semiótica, mas também parainterdisciplinar com
o domínio crítico as habilidades
e consciente da língua,
subordinadas adjetivas etc.), que funcionam Reconhecer e combater o preconceito linguístico pressupõe a capacidade de (EF69AR30)
deve-se e (EF69AR32),
considerar da Arte, no que se
que oliterários
desenvolvimento refere
desta à exploração,
habilidade análise e criação
de diálogos entre textos e outras manifestações, desediferentes
estende pelos
linguagens
como modificadores, percebendo sua função na perceber não só as semelhanças e diferenças entre as variedades da língua falada artísticas.
quatro anos finais do ensino fundamental. Convém que: (a) cada variedade seja
caracterização dos espaços, tempos, como, ainda, o prestígio social associado à escrita e, em particular, à norma- padrão. tratada em termos de adequação aos seus contextos de uso; (b) abordem-se as
personagens e ações próprios de cada gênero Esta é uma habilidade fundamental, relacionada a todas as demais que envolvem o normas de prestígio, inclusive a norma-padrão, como variedades sociais entre
narrativo. Reconhecer as variedades da língua
(EF69LP55) domínio de normas urbanas de prestígio e/ou se referem a expressar-se, oralmente outras, explicitando-se as circunstâncias particulares em que são requeridas; (c)
Língua 6º; 7º; 8º; 9º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Variação linguística ou por escrito, "com correção". Seu desenvolvimento demanda convívio cotidiano sejam sempre feitas associações à construção de conhecimentos específicos sobre
Portug uesa atuação falada, o conceito de norma-padrão e o de com a variação linguística (no tempo, no espaço e na v ida social), de forma que o o fenômeno da variação linguística (noções e conceitos básicos da sociolinguística).
preconceito linguístico.
aluno possa perceber as características principais de cada variedade e sua A progressão, tanto horizontal quanto vertical, pode pautar-se pelo tipo de variação
adequação ao contexto de origem. Só assim ele poderá compreender a linguística a ser estudada (histórica/geográfica/social/estilística), pela noção ou
legitimidade da diversidade linguística e ultrapassar a perspectiva cientificamente conceito a ser focalizado e pelo grau de complexidade dos gêneros e textos
equivocada da variação como desvio ou erro, de forma a combater a discriminação selecionados para estudo a cada momento. Há, aqui, oportunidade de trabalho
pela língua. interdisciplinar com as habilidades (EF07LI22) e (EF07LI23), da Língua Inglesa, no
que se refere ao reconhecimento de variedades linguísticas refutando
preconceitos.
Na elaboração do currículo, o desenvolvimento desta habilidade (uso consciente e
reflexivo de regras e normas da norma-padrão) demanda um trabalho comparativo
Esta habilidade se ref ere ao uso da norma-padrão nas situações, gêneros e textos com normas e regras de outras variedades da língua, possibilitando explorar a ideia
em que ela é requerida. Seu desenvolvimento é indissociável tanto do estudo da de adequação/inadequação da variedade usada ao contexto de produção do texto
variação linguística quanto da compreensão dos valores socialmente atribuídos às escrito ou falado e, ainda, combater preconceitos linguísticos. Também é
Língua Todos os campos de (EF69LP56) Fazer uso consciente e reflexivo de diferentes variedades. Ela demanda o envolvimento frequente e sistemático do importante enfatizar que as criações literárias podem ser material rico para
6º; 7º; 8º; 9º Análise linguística/semiótica Variação linguística regras e normas da norma-padrão em situações aluno em práticas públicas e formais de leitura e/ou produção de textos, orais e/ou reflexões sobre adequação do uso ao contexto, visto que, não raro, subvertem
Portug uesa atuação de fala e escrita nas quais ela deve ser usada. escritos, em que a "correção" deve ser observada. Exemplos de situações orais regras e normas da norma-padrão para produzir efeitos de sentido, como trazer
formais: palestras, seminários, apresentações orais, debates. Exemplos de para o texto outras variedades da língua, para manter coerência com a construção
situações escritas formais: entrevistas, notícias, artigo de divulgação científica, de certa personagem e/ou contexto social. A progressão do ensino pode pautar-se
reportagem multimidiática. pelas diferentes regras ou normas selecionadas para estudo, pelo grau de
complexidade dos gêneros e textos previstos e pelo nível de autonomia que se
pretenda levar o aluno a conquistar a cada etapa.

Na elaboração do currículo, é importante considerar que, ao diferenciar as


propostas editoriais, é preciso refletir sobre a relação entre elas e o público a que
Reconstrução do contexto de Esta habilidade implica analisar como as escolhas de palavras e outros recursos
produção, circulação e recepção (EF07LP01) Distinguir diferentes propostas semióticos (imagens, cores, fontes de letra etc.) ajudam a produzir sentidos. se destina cada jornal ou programa. Prever comparações entre jornais televisivos
de textos editoriais – sensacionalismo, jornalismo Também possibilita o desenvolvimento de um olhar crítico sobre esse campo de mais "populares" e "policialescos" (que podem ser mais próximos do universo
Língua 7º Campo Leitura investigativo etc. –, de forma a identificar os familiar dos alunos) e jornais transmitidos no início da manhã ou da tarde, de
Portug uesa jornalístico/midiático Caracterização do campo atuação, uma vez que, por meio da análise de primeiras páginas, das escolhas do
jornalístico e relação entre os recursos utilizados para impactar/chocar o leitor que vira manchete e do modo como são formuladas, por exemplo, é possível emissoras diferentes, possibilita explorar as diferenças de linguagem e de
que podem comprometer uma análise crítica da perceber a que tipo de jornalismo se dedica o jornal ou programa — o que
gêneros em circulação, mídias e notícia abordagem, relacionando-as aos públicos a que se destinam. É importante prever a
e do fato noticiado. investigação de jornais e programas feitos para adolescentes. Discutir o que move
práticas da cultura digital contribui para a percepção de que não existe jornalismo neutro. esses veículos a fazerem um jornalismo diferenciado para cada público leitor é
fundamental para construir um olhar crítico sobre o campo.

Na elaboração do currículo, pode-se pensar em, no caso de haver jornais, rádios e


Reconstrução do contexto de
produção, circulação e recepção (EF07LP02) Comparar notícias e reportagens Comparar o modo como os diferentes jornais e mídias abordam um mesmo fato redes de TV locais, elegê-los para comparações antes de acessar outros jornais
de textos sobre um mesmo fato divulgadas em diferentes envolve analisar escolhas linguísticas e semióticas, com o objetivo de inferir-se a regionais e de grande circulação. Isso tornará o trabalho mais significativo para os
Língua 7º Campo Leitura mídias, analisando as especificidades das mídias, visão de cada um deles. Esta habilidade também implica conhecer os recursos de alunos, uma vez que os textos farão referência a fatos e assuntos da localidade,
Portug uesa jornalístico/midiático Caracterização do campo
jornalístico e relação entre os os processos de (re)elaboração dos textos e a linguagem próprios de cada mídia, de modo que o aluno possa perceber as mais próximos e passíveis de serem "verificados" mais facilmente, em caso de
convergência das mídias em notícias ou
gêneros em circulação, mídias e reportagens diferenças entre uma notícia impressa e uma radiofônica ou televisiva, por "versões contraditórias" entre os veículos. O trabalho com diferentes mídias
multissemióticas. exemplo, conhecimentos que serão importantes para a produção de textos. também supõe ter recursos disponíveis na sala de aula: TV, DVD, computador ou
práticas da cultura digital aparelhos móveis, assinatura de jornais e revistas e acesso à internet.

Na elaboração do currículo, convém que o desenvolvimento desta habilidade venha


sempre associado a práticas de leitura, produção ou oralidade, de forma que o
aluno possa observar esses processos em ação e refletir sobre como são produtivos
e criativos. Portanto, a apropriação desses mecanismos pelo aluno é o seu foco, e
Esta é uma habilidade fundamental para a compreensão dos processos não a memorização da terminologia gramatical correspondente. Jogos de invenção
(EF07LP03) Formar, com base em palavras derivacionais de formação das palavras. O foco está na compreensão e no uso de palavras derivadas por prefixação e/ou sufixação, com o objetivo de refletir
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Léxico/morfologia sobre a significação resultante, podem ser muito produtivos. Exemplo: formação de
Portug uesa atuação primitivas, palavras derivadas com os prefixos e adequado de prefixos e de sufixos. Pressupõe conhecimentos prévios relativos a grupos que experimentem criar palavras usando os afixos estudados e depois
sufixos mais produtivos no português. classes de palavras e às categorias gramaticais a que elas se associam. (Relaciona-se
com a habilidade EF07LP35). desafiando os demais a explicitar os recursos usados e os sentidos resultantes (Por
exemplo, o que significa "imexível"?). Propostas de produção de textos criativos,
como os literários e os publicitários, por exemplo, também podem propiciar
situações adequadas para esse estudo. A progressão curricular pode apoiar-se no
tipo de mecanismo a ser estudado (prefixação/sufixação) assim como no grau de
complexidade dos gêneros e textos mobilizados.
Na elaboração do currículo, recomenda-se que o desenvolvimento desta habilidade
não se constitua como um fim em si mesmo, mas sim que contribua para uma
O foco desta habilidade é a identificação do núcleo da oração, considerada como compreensão global, por parte do aluno, do papel da sintaxe no funcionamento da
uma unidade básica da organização sintática do texto. Está, portanto, diretamente língua. Isso significa propor atividades que associem essas análises à leitura e à
Língua Todos os campos de (EF07LP04) Reconhecer, em textos, o verbo relacionada ao desenvolvimento de outras habilidades de análise com foco na produção de textos, com foco nos efeitos de sentido que as estruturas sintáticas
7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe sintaxe da oração e do período. Ela requer observar a organização sintática do texto estudadas podem produzir.Atividades lúdicas, em que os alunos possam explorar
Portug uesa atuação como o núcleo das orações. e refletir a respeito do papel dela na construção da textualidade e na produção de livremente diferentes alternativas de estruturação de um "mesmo" enunciado,
efeitos de sentido. Envolve, ainda, um trabalho prévio com classes de palavras e identificando os efeitos de sentido assim produzidos, podem contribuir
com as funções e categorias gramaticais associadas a cada uma delas. significativamente para a percepção e compreensão da natureza e do
funcionamento dos mecanismos sintáticos em jogo. A progressão horizontal pode
apoiar-se no grau de complexidade dos gêneros e textos programados para estudo.

O foco desta habilidade é a identificação de verbos transitivos e intransitivos em


orações de textos lidos ou próprios. Está, portanto, diretamente relacionada ao Na elaboração do currículo, recomenda-se que o trabalho com esta habilidade não
(EF07LP05) Identificar, em orações de textos desenvolvimento de outras habilidades de análise com foco na sintaxe da oração e se constitua como um fim em si mesmo, mas que contribua para uma compreensão
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe lidos ou de produção própria, verbos de do período (especialmente EF07LP04 e EF07LP07). Requer a observação da global, por parte do aluno, do papel da sintaxe no funcionamento da língua. Isso
Portug uesa atuação predicação completa e incompleta: intransitivos organização sintática do texto e reflexões a respeito do papel dela na construção da significa propor atividades que associem essas análises à leitura e à produção de
e transitivos. textualidade e na produção de efeitos de sentido. Envolve, ainda, um trabalho textos, com foco nos efeitos de sentido que as estruturas sintáticas estudadas
prévio com classes de palavras e com as funções e categorias gramaticais podem produzir.
associadas a cada uma delas.

Na elaboração do currículo, para um exercício reflexivo voltado para o uso da


língua, convém que o estudo dos conhecimentos linguísticos mencionados seja
realizado em contextos de uso, e não em atividades isoladas. Por essa razão,
sugere-se que o estudo das concordâncias nominal e verbal venha sempre: (a)
Esta habilidade tem foco no domínio das concordâncias nominal e verbal, nas
situações públicas e formais de comunicação oral e de produção de textos em que programado para situações de comunicação em que a norma-padrão é requerida;
(EF07LP06) Empregar as regras básicas de a norma-padrão é requerida. S eu desenvolvimento demanda a participação (b) associado ao planejamento da fala e à produção e revisão de textos, assim como
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe à análise, com vistas a compreender os efeitos de sentido produzidos por este ou
Portug uesa atuação concordância nominal e verbal em situações frequente e sistemática do aluno nas situações referidas, assim como o estudo aquele uso. Recomenda-se, ainda, articular esta habilidade com as de análise de
comunicativas e na produção de textos. prévio ou concomitante dos dois tipos de concordância, das classes de palavras
(nome e verbo) e das categorias gramaticais nelas envolvidas. (É um gravações de palestras, debates etc., para as produções orais. (A progressão
vertical deve considerar o desenvolvimento de EF07LP06 no ano anterior). A
desdobramento de EF06LP06, à qual está, portanto, diretamente relacionada). progressão horizontal pode adotar, como critérios, (a) os tópicos a serem
abordados a cada momento (concordância nominal/concordância verbal); (b) o
grau de complexidade dos gêneros e textos previstos; (c) o grau de autonomia que
se pretende levar o aluno a atingir em cada etapa.
Na elaboração do currículo, recomenda-se que o desenvolvimento desta habilidade
não se constitua como um fim em si mesmo, mas que contribua para uma
Esta habilidade se ref ere à identificação da estrutura básica da oração em textos compreensão global, por parte do aluno, do papel da sintaxe no funcionamento da
lidos ou próprios. Está, portanto, diretamente relacionada ao desenvolvimento de língua. Isso significa propor atividades que associem essas análises à leitura e à
(EF07LP07) Identificar, em textos lidos ou de todas as demais habilidades de análise com f oco na sintaxe da oração e do período. produção de textos, com foco nos efeitos de sentido que podem se associar às
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe produção própria, a estrutura básica da oração: Requer a observação da organização sintática do texto e reflexões a respeito do estruturas sintáticas em estudo. Atividades lúdicas, em que os alunos possam
Portug uesa atuação sujeito, predicado, complemento (objetos direto papel dela na construção da textualidade e na produção de efeitos de sentido, a explorar livremente diferentes alternativas de estruturação de um "mesmo"
e indireto). partir do reconhecimento e diferenciação de sujeito, predicado e complementos. enunciado, podem contribuir significativamente para a percepção e compreensão
Envolve, ainda, um conhecimento prévio de classes de palavras e das funções e da natureza e do funcionamento dos mecanismos sintáticos em jogo. A progressão
categorias gramaticais associadas a cada uma delas. horizontal pode apoiar-se no constituinte oracional a ser abordado a cada etapa
(sujeito/predicado/objeto direto/objeto indireto) e/ou no grau de complexidade
dos gêneros e textos programados para estudo.

Na elaboração do currículo, recomenda-se que o desenvolvimento desta habilidade


Esta habilidade se ref ere à identificação do papel dos adjetivos na ampliação de não se constitua como um fim em si mesmo, mas que contribua para uma
sentidos do núcleo do sujeito ou dos complementos verbais. Está, portanto, compreensão global, por parte do aluno, do papel da sintaxe no funcionamento da
língua. Isso significa propor atividades que associem essas análises à leitura e à
(EF07LP08) Identificar, em textos lidos ou de diretamente relacionada ao desenvolvimento de todas as demais habilidades de produção de textos, com foco nos efeitos de sentido que podem se associar às
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe produção própria, adjetivos que ampliam o análise com foco na sintaxe da oração e do período (especialmente EF 07LP09).
Portug uesa atuação sentido do substantivo sujeito ou complemento Requer a observação da organização sintática do texto e reflexões a respeito do estruturas sintáticas em estudo. Atividades lúdicas, em que os alunos possam
explorar livremente diferentes alternativas de estruturação de um "mesmo"
verbal. papel dela na construção da textualidade e na produção de efeitos de sentido. enunciado, podem contribuir significativamente para a percepção e compreensão
Envolve, ainda, um trabalho prévio com classes de palavras e com as funções e
categorias gramaticais associadas a cada uma delas. da natureza e do funcionamento dos mecanismos sintáticos em jogo. A progressão
horizontal pode apoiar-se no grau de complexidade dos gêneros e textos
programados para estudo.

Na elaboração do currículo, recomenda-se que o desenvolvimento desta habilidade


não se constitua como um fim em si mesmo, mas que contribua para uma
O foco desta habilidade é a identificação do papel dos advérbios e locuções compreensão global, por parte do aluno, do papel da sintaxe no funcionamento da
adverbiais na ampliação de sentidos do núcleo do predicado oracional. Está, língua. Isso significa propor atividades que associem essas análises à leitura e à
(EF07LP09) Identificar, em textos lidos ou de portanto, diretamente relacionada ao desenvolvimento de todas as demais produção de textos, com foco nos efeitos de sentido que podem se associar às
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Morfossintaxe produção própria, advérbios e locuções habilidades de análise com foco na sintaxe da oração e do período (especialmente estruturas sintáticas em estudo. Atividades lúdicas, em que os alunos possam
Portug uesa atuação adverbiais que ampliam o sentido do verbo EF 07LP08). Requer a observação da organização sintática do texto e reflexões a explorar livremente diferentes alternativas de estruturação de um "mesmo"
núcleo da oração. respeito do papel dela na construção da textualidade e na produção de efeitos de enunciado, podem contribuir significativamente para a percepção e compreensão
sentido. Envolve, ainda, um conhecimento prévio de classes de palavras e das da natureza e do funcionamento dos mecanismos sintáticos em jogo. A progressão
funções e categorias gramaticais associadas a cada uma delas. horizontal pode apoiar-se no grau de complexidade dos gêneros e textos
programados para o estudo (vale considerar, ainda, a articulação desta habilidade
com EF07LP08).

Na elaboração do currículo, convém que o desenvolvimento da habilidade venha


sempre associado a práticas de leitura e/ou produção de textos dos mais diversos
gêneros e campos de atuação. Recomenda-se, ainda, que as atividades propostas
Esta habilidade se ref ere à mobilização de conhecimentos linguísticos e gramaticais definam os conhecimentos a serem abordados considerando os tópicos já previstos
(EF07LP10) Utilizar, ao produzir texto, específicos na produção de textos de qualquer campo de atuação ou gênero.
Língua Todos os campos de para anos anteriores, e que evitem a perspectiva do "erro gramatical", em favor de
conhecimentos linguísticos e gramaticais: modos Requer discussões sobre variação linguística e práticas de leitura e/ou produção de uma
7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe abordagem baseada na adequação do uso. A habilidade representa uma
Portug uesa atuação e tempos verbais, concordância nominal e textos, especialmente em situações públicas e formais. Pressupõe, ainda, domínio progressão vertical (em relação à EF06LP11), na medida em que é uma retomada
verbal, pontuação etc. e/ou estudo conexo de tópicos de análise linguística como os mencionados. das mesmas operações e dos mesmos conteúdos. A progressão horizontal pode
(Estreitamente relacionada a EF69LP56 e a EF06LP11).
adotar como critério os tópicos a serem abordados a cada momento, o grau de
complexidade dos gêneros e textos previstos e o grau de autonomia do aluno
pressuposto na execução da tarefa.

Na elaboração do currículo, para reflexão e análise linguística/semiótica, é


necessário que o estudo dos tópicos gramaticais envolvidos seja realizado em
O foco desta habilidade (diretamente relacionada à apreensão da organização contextos de uso, e não em atividades isoladas. Por essa razão, sugere-se que esses
sintática do texto) está na identificação e classificação de períodos compostos por conteúdos sejam propostos sempre vinculados à leitura, à produção e à revisão,
(EF07LP11) Identificar, em textos lidos ou de
produção própria, períodos compostos nos quais coordenação aditiva ou adversativa, tanto sindéticas (com conectivos) quanto com vistas à compreensão de seu papel na (re)construção do texto e na produção
Língua Todos os campos de assindéticas (conectadas por vírgulas). Requer a observação da organização
duas orações são conectadas por vírgula, ou por sintática de ef eitos de sentido determinados. Recomenda-se: (a) que o foco do trabalho seja
7º Análise linguística/semiótica Morfossintaxe do texto, reflexões a respeito e identificação de períodos compostos por a resolução de problemas de compreensão e manutenção da legibilidade do texto,
Portug uesa atuação conjunções que expressem soma de sentido coordenação sindética e assindética, além de apreender o princípio de sua considerando-se as intenções de significação; (b) que a compreensão de cada
(conjunção “e”) ou oposição de sentidos
(conjunções “mas”, “porém”). organização interna e as relações de sentido o que implica perceber seu papel na aspecto anteceda a sistematização; (c) que a metalinguagem seja empregada de
(re)construção dos sentidos do texto. Envolve, ainda, um conhecimento prévio de modo que o aluno compreenda o que se diz. Ao longo do ano, a progressão pode
classes de palavras e funções e categorias gramaticais associadas a cada uma delas. apoiar-se seja no foco da identificação da oração coordenada (aditiva/adversativa;
assindética/sindética), seja na complexidade dos gêneros e textos programados
para o desenvolvimento da habilidade.
Na elaboração do currículo, o desenvolvimento desta habilidade pode organizar-se
com base em dois pontos articulados: 1) resolver um problema de
compreensão/redação decorrente da presença e/ou emprego de recursos de
Esta habilidade tem como foco o reconhecimento de dois recursos básicos de coesão referencial; 2) sistematizar o conhecimento discutido na etapa anterior (1).
Sugere-se que as atividades sejam organizadas com base em práticas de leitura e
(EF07LP12) Reconhecer recursos de coesão coesão referencial: as substituições lexicais e as pronominais. Trata-se de uma produção, focalizando as diferentes possibilidades de referenciação no processo de
habilidade essencial para a (re)construção do texto e para a conquista de níveis
Língua Todos os campos de ref erencial: substituições lexicais (de coesão, considerando a legibilidade do texto, as intenções de significação e as
7º Análise linguística/semiótica Semântica Coesão substantivos por sinônimos) ou pronominais (uso superiores de proficiência em escrita, em qualquer campo de atuação e em possibilidades de compreensão do interlocutor. É importante observar, também, a
Portug uesa atuação qualquer gênero. Implica atividades diversificadas e sistemáticas de leitura e
de pronomes anafóricos – pessoais, possessivos, produção substituição lexical por hiperônimos, bastante comum, e a ocorrência de elipse.
e pressupõe conhecimentos prévios sobre substantivos e pronomes,
demonstrativos). Recomenda-se, ainda, que a metalinguagem só seja empregada depois de
assim como sobre as categorias gramaticais a que essas classes de palavras estão compreendido o aspecto em foco. A progressão ao longo do ano pode apoiar-se no
associadas. tipo de recurso selecionado para estudo (substituição sinonímica/substituição
pronominal) e no grau de complexidade dos gêneros e textos envolvidos nas
práticas previstas. Sugere-se, inicialmente, um trabalho colaborativo (coletivo e em
grupos/duplas),
Na elaboração do que
currículo,
progridao desenvolvimento
para o autônomo. desta habilidade pode organizar-se
com base em dois pontos articulados: 1) resolver um problema de
compreensão/redação decorrente da presença e/ou emprego de recursos de
Esta habilidade tem como foco o (re)estabelecimento de relações entre partes do substituições lexicais; 2) sistematizar o conhecimento discutido na etapa anterior
(EF07LP13) Estabelecer relações entre partes do texto. Trata-se de uma habilidade essencial para a (re)construção do texto e para a (1). Sugere-se que as atividades sejam organizadas com base em práticas de leitura
texto, identificando substituições lexicais (de conquista de níveis superiores de proficiência em escrita, em qualquer campo de e produção, f ocalizando as diferentes possibilidades de referenciação no processo
Língua 7º Todos os campos de Análise linguística/semiótica Coesão substantivos por sinônimos) ou pronominais (uso atuação e em qualquer gênero. Seu desenvolvimento adequado só se dá no interior de coesão e considerando a legibilidade do texto, as intenções de significação e as
Portug uesa atuação de pronomes anafóricos – pessoais, possessivos, de atividades diversificadas e sistemáticas de leitura e produção. Pressupõe possibilidades de compreensão do interlocutor. Recomenda-se que a
demonstrativos), que contribuem para a conhecimentos prévios sobre substantivos e pronomes, além de categorias metalinguagem só seja empregada depois de compreendido o aspecto em foco. A
continuidade do texto. gramaticais a que essas classes de palavras estão associadas (e relaciona-se com a progressão ao longo do ano pode apoiar-se no tipo de recurso selecionado para
habilidade EF07LP12). estudo (substituição sinonímica/substituição pronominal) e no grau de
complexidade dos gêneros e textos envolvidos nas práticas previstas. Sugere-se,
inicialmente, um trabalho colaborativo (coletivo e em grupos/duplas), que progrida
para o autônomo.
Na elaboração do currículo, o desenvolvimento desta habilidade pode organizar-se
com base em dois pontos articulados: 1) resolver problemas de compreensão
decorrentes da presença de estratégias de modalização ou argumentação, também
O foco desta habilidade está na identificação de estratégias argumentativas e de relevantes para (re)estabelecer a progressão temática; 2) sistematizar o
modalização, em textos dos mais diversos gêneros, relacionados a qualquer campo conhecimento discutido na etapa anterior (1). Recomenda-se que sua programação
Língua Todos os campos de (EF07LP14) Identificar, em textos, os ef eitos de de atuação. Trata-se de uma habilidade necessária à compreensão (a) das atitudes curricular se faça por propostas de leitura e/ou produção de textos em que as
7º Análise linguística/semiótica Modalização sentido do uso de estratégias de modalização e que o locutor/escritor pode assumir em relação àquilo que diz (estratégias de estratégias de modalização e/ou de argumentação sejam necessárias à eficácia do
Portug uesa atuação argumentatividade. modalização), como parte de seu ponto de vista particular; (b) dos recursos de que texto. Convém, portanto, que a metalinguagem só seja empregada depois de
ele se vale para convencer ou persuadir o ouvinte/leitor. (É condição necessária compreendido o(s) texto(s) e o aspecto em foco. A progressão horizontal pode
para o desenvolvimento da habilidade EF08LP16). apoiar-se no tipo de estratégia visada (modalização/argumentação) e no grau de
complexidade dos gêneros e textos selecionados para o estudo. Sugere-se,
inicialmente, um trabalho colaborativo (coletivo e em grupos/duplas), que progrida
para o autônomo.
Arte

COMPONENTE ANO/FAIXA UNIDADES TEMÁTICAS OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES

(EF69AR01) Pesquisar, apreciar e analisar formas distintas das artes visuais


tradicionais e contemporâneas, em obras de artistas brasileiros e estrangeiros de
diferentes épocas e em diferentes matrizes estéticas e culturais, de modo a
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Contextos e práticas ampliar a experiência com diferentes contextos e práticas artístico-visuais e
cultivar a percepção, o imaginário, a capacidade de simbolizar e o repertório
imagético.

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Contextos e práticas (EF69AR02) Pesquisar e analisar diferentes estilos visuais, contextualizando-os no
tempo e no espaço.

(EF69AR03) Analisar situações nas quais as linguagens das artes visuais se


integram às linguagens audiovisuais (cinema, animações, vídeos etc.), gráficas
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Contextos e práticas (capas de livros, ilustrações de textos diversos etc.), cenográficas, coreográficas,
musicais etc.

(EF69AR04) Analisar os elementos constitutivos das artes visuais (ponto, linha,


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Elementos da linguagem forma, direção, cor, tom, escala, dimensão, espaço, movimento etc.) na
apreciação de diferentes produções artísticas.

(EF69AR05) Experimentar e analisar diferentes formas de expressão artística


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Materialidades (desenho, pintura, colagem, quadrinhos, dobradura, escultura, modelagem,
instalação, vídeo, fotografia, performance etc.).

(EF69AR06) Desenvolver processos de criação em artes visuais, com base em


temas ou interesses artísticos, de modo individual, coletivo e colaborativo,
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Processos de criação fazendo uso de materiais, instrumentos e recursos convencionais, alternativos e
digitais.

(EF69AR07) Dialogar com princípios conceituais, proposições temáticas,


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Processos de criação repertórios imagéticos e processos de criação nas suas produções visuais.

(EF69AR08) Diferenciar as categorias de artista, artesão, produtor cultural,


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Sistemas da linguagem curador, designer, entre outras, estabelecendo relações entre os profissionais do
sistema das artes visuais.

(EF69AR09) Pesquisar e analisar diferentes formas de expressão, representação e


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Contextos e práticas encenação da dança, reconhecendo e apreciando composições de dança de
artistas e grupos brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas.

(EF69AR10) Explorar elementos constitutivos do movimento cotidiano e do


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Elementos da linguagem movimento dançado, abordando, criticamente, o desenvolvimento das formas da
dança em sua história tradicional e contemporânea.

(EF69AR11) Experimentar e analisar os fatores de movimento (tempo, peso,


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Elementos da linguagem fluência e espaço) como elementos que, combinados, geram as ações corporais e
o movimento dançado.

(EF69AR12) Investigar e experimentar procedimentos de improvisação e criação


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação do movimento como fonte para a construção de vocabulários e repertórios
próprios.

(EF69AR13) Investigar brincadeiras, jogos, danças coletivas e outras práticas de


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação dança de diferentes matrizes estéticas e culturais como referência para a criação e
a composição de danças autorais, individualmente e em grupo.

(EF69AR14) Analisar e experimentar diferentes elementos (figurino, iluminação,


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação cenário, trilha sonora etc.) e espaços (convencionais e não convencionais) para
composição cênica e apresentação coreográfica.

(EF69AR15) Discutir as experiências pessoais e coletivas em dança vivenciadas na


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação escola e em outros contextos, problematizando estereótipos e preconceitos.

(EF69AR16) Analisar criticamente, por meio da apreciação musical, usos e funções


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas da música em seus contextos de produção e circulação, relacionando as práticas
musicais às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica,
econômica, estética e ética

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas (EF69AR17) Explorar e analisar, criticamente, diferentes meios e equipamentos
culturais de circulação da música e do conhecimento musical.

(EF69AR18) Reconhecer e apreciar o papel de músicos e grupos de música


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas brasileiros e estrangeiros que contribuíram para o desenvolvimento de formas e
gêneros musicais.

(EF69AR19) Identificar e analisar diferentes estilos musicais, contextualizando-os


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas no tempo e no espaço, de modo a aprimorar a capacidade de apreciação da
estética musical.

(EF69AR20) Explorar e analisar elementos constitutivos da música (altura,


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Elementos da linguagem intensidade, timbre, melodia, ritmo etc.), por meio de recursos tecnológicos
(games e plataformas digitais), jogos, canções e práticas diversas de
composição/criação, execução e apreciação musicais.

(EF69AR21) Explorar e analisar fontes e materiais sonoros em práticas de


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Materialidades composição/criação, execução e apreciação musical, reconhecendo timbres e
características de instrumentos musicais diversos.

(EF69AR22) Explorar e identificar diferentes formas de registro musical (notação


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Notação e registro musical musical tradicional, partituras criativas e procedimentos da música
contemporânea), bem como procedimentos e técnicas de registro em áudio e
audiovisual.

(EF69AR23) Explorar e criar improvisações, composições, arranjos, jingles, trilhas


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Processos de criação sonoras, entre outros, utilizando vozes, sons corporais e/ou instrumentos
acústicos ou eletrônicos, convencionais ou não convencionais, expressando ideias
musicais de maneira individual, coletiva e colaborativa.

(EF69AR24) Reconhecer e apreciar artistas e grupos de teatro brasileiros e


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Contextos e práticas estrangeiros de diferentes épocas, investigando os modos de criação, produção,
divulgação, circulação e organização da atuação profissional em teatro.

(EF69AR25) Identificar e analisar diferentes estilos cênicos, contextualizando-os


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Contextos e práticas no tempo e no espaço de modo a aprimorar a capacidade de apreciação da
estética teatral.

(EF69AR26) Explorar diferentes elementos envolvidos na composição dos


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Elementos da linguagem acontecimentos cênicos (figurinos, adereços, cenário, iluminação e sonoplastia) e
reconhecer seus vocabulários.

(EF69AR27) Pesquisar e criar formas de dramaturgias e espaços cênicos para o


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação
acontecimento teatral, em diálogo com o teatro contemporâneo.

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação (EF69AR28) Investigar e experimentar diferentes funções teatrais e discutir os
limites e desafios do trabalho artístico coletivo e colaborativo.

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação (EF69AR29) Experimentar a gestualidade e as construções corporais e vocais de
maneira imaginativa na improvisação teatral e no jogo cênico.

(EF69AR30) Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos


dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação
personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e
considerando a relação com o espectador.

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Contextos e práticas (EF69AR31) Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social,
cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Processos de criação (EF69AR32) Analisar e explorar, em projetos temáticos, as relações processuais
entre diversas linguagens artísticas.

(EF69AR33) Analisar aspectos históricos, sociais e políticos da produção artística,


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Matrizes estéticas e culturais problematizando as narrativas eurocêntricas e as diversas categorizações da arte
(arte, artesanato, folclore, design etc.).

(EF69AR34) Analisar e valorizar o patrimônio cultural, material e imaterial, de


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Patrimônio cultural culturas diversas, em especial a brasileira, incluindo suas matrizes indígenas,
africanas e europeias, de diferentes épocas, e favorecendo a construção de
vocabulário e repertório relativos às diferentes linguagens artísticas.

(EF69AR35) Identificar e manipular diferentes tecnologias e recursos digitais para


Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Arte e tecnologia acessar, apreciar, produzir, registrar e compartilhar práticas e repertórios
artísticos, de modo reflexivo, ético e responsável.
Arte
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC
COMPONENTE ANO/FAIXA UNIDADES TEMÁTICAS OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES COMENTÁRIO POSSIBILIDADES PARA O CURRÍCULO
Na elaboração do currículo, é possível considerar que o desenvolvimento desta habilidade pode ser
beneficiado pelo aperfeiçoamento de outras habilidades, de investigação e formulação de perguntas
e produção nas artes visuais. Pode-se, também, explicitar algumas formas das artes visuais
(EF69AR01) Pesquisar, apreciar e analisar formas tradicionais e contemporâneas a serem pesquisadas, apreciadas e analisadas, inclusive aquelas mais
distintas das artes visuais tradicionais e relevantes para o contexto local. A pesquisa, a apreciação e a análise das manifestações
Pesquisar, apreciar e analisar estão relacionados à investigação, avaliação e fruição de produções
contemporâneas, em obras de artistas contemporâneas em sua pluralidade possibilita a percepção de novas formas de expressão e sua
brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas e artísticas visuais de todos os tempos e de diversas culturas (com obras que não sejam apenas de relação com outras linguagens da arte. No currículo de referência, é possível sugerir a realização de
tradição e matrizes europeias, mas contemplando, também, diferentes tradições e matrizes, como a
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Contextos e práticas em diferentes matrizes estéticas e culturais, de africana, a oriental, a indígena, a arte da América Latina, a arte popular, entre outras), possibilitando conversas sobre as investigações. Para isso, pode-se propor habilidades relativas à realização de
modo a ampliar a experiência com diferentes curadorias educativas a fim de selecionar e organizar imagens de obras de arte de diversas matrizes
contextos e práticas artístico-visuais e cultivar a sua compreensão e ressignificação e a expansão da capacidade de simbolização, articulada com a culturais para apreciação dos alunos, assim como incentivar e ampliar as pesquisas, propondo para
percepção, o imaginário, a capacidade de sensibilidade, a percepção e a imaginação. os estudantes o levantamento de impressões, questionamentos e informações sobre as obras de
simbolizar e o repertório imagético. artes visuais em apreciação. Esta habilidade dialoga com as habilidades (EF69AR02) e (EF69AR03). Há
a oportunidade, também, de relacionar com o artigo 26-A da Lei 9.394 (Lei de Diretrizes e Bases da
Educação), enfatizando a pesquisa, a apreciação e a análise das artes visuais de matriz afro-brasileira
e indígena nos currículos.

Na elaboração do currículo, é possível propor o desenvolvimento de habilidades específicas de


investigação e formulação de perguntas sobre os tempos e espaços de cada momento do surgimento
Nesta habilidade, pesquisar e analisar consistem em investigar e explorar diferentes manifestações de uma nova forma de expressão nas artes visuais, relacionando-os e contextualizando-os. Pode-se
artísticas visuais ao longo da história antiga, média, moderna e contemporânea, em diversas contextualizar a habilidade explicitando estilos relevantes para o contexto local. Pode-se, também,
(EF69AR02) Pesquisar e analisar diferentes culturas, para compreender os momentos históricos e socioculturais ao longo das diferentes
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Contextos e práticas estilos visuais, contextualizando-os no tempo e histórias das artes, descrevendo os diferentes estilos visuais em uma conjuntura e compreendendo desdobrar a habilidade prevendo outras, progressivamente mais complexas, ano a ano. No entanto,
é importante que os diferentes estilos não sejam apresentados em uma ordem cronológica e
no espaço. as razões de cada surgimento de novas formas de expressão, acompanhadas dos avanços evolutiva de obras selecionadas em busca de um sentido de progresso. As propostas de pesquisa e
tecnológicos. A leitura não-linear e comparativa amplia o potencial de compreensão de cada período
e facilita ao aluno estabelecer uma relação com suas investigações e pesquisa. análise podem ser realizadas sob uma variedade de recortes, com temporalidades, temas e
enunciados diferentes e, muitas vezes, justapostos. Esta habilidade dialoga com as habilidades
(EF69AR01) e (EF69AR03).

Na elaboração do currículo, é possível propor habilidades que explicitam as características dos


elementos das artes visuais que incorporam recursos audiovisuais, assim como os elementos das
artes visuais que são incorporados nas peças gráficas, nas cenografias, nas coreografias etc. Pode-se
(EF69AR03) Analisar situações nas quais as Analisar, aqui, significa examinar para identificar e formular perguntas e hipóteses sobre a
linguagens das artes visuais se integram às apropriação das linguagens das artes visuais por outras linguagens, como nos meios tecnológicos – propor, além da análise, a experimentação, pois esta é a chave para a percepção e a compreensão
sobre as múltiplas possibilidades em artes visuais. Pode-se, também, propor aprendizagens
linguagens audiovisuais (cinema, animações, vídeo e filme –, como acontece em videoinstalações ou em projeções no espaço expositivo; ou o
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Contextos e práticas vídeos etc.), gráficas (capas de livros, ilustrações diálogo entre artes visuais e a criação de peças gráficas e com recursos do teatro, dança e música, progressivamente mais complexas ano a ano, como apreciar e analisar, investigar, testar e criar,
integrando artes visuais e linguagens audiovisuais. Esta habilidade dialoga com as habilidades
de textos diversos etc.), cenográficas, tais como elementos cenográficos, coreográficos e musicais, como acontece nas performances, (EF69AR01) e (EF69AR02). Há, aqui, oportunidade para o trabalho interdisciplinar com as habilidades
coreográficas, musicais etc. happening e intervenção urbana.
(EF69LP05) e (EF67LP08), da Língua Portuguesa, no que se refere à identificação, análise e
justificativa de situações em que diferentes linguagens são integradas, como textos multissemióticos
e artes visuais, por exemplo.

Na elaboração do currículo, é possível aprofundar a habilidade propondo a observação dos


elementos constitutivos das artes visuais em matérias/meios presentes na arte contemporânea,
como nas linguagens audiovisual, tecnológica e digital. A investigação do suporte e procedimentos
em cada produção artística, principalmente audiovisuais, tecnológicas e digitais, contribui para a
(EF69AR04) Analisar os elementos constitutivos
das artes visuais (ponto, linha, forma, direção, Analisar se refere a pesquisar, identificar e formular hipóteses de forma crítica. O desenvolvimento percepção e compreensão das novas características que os elementos constitutivos das artes visuais
da habilidade possibilita a continuidade na compreensão dos elementos constitutivos das artes assumem. Pode-se propor, também, a experimentação com uma nova forma de expressão antes da
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Elementos da linguagem cor, tom, escala, dimensão, espaço, movimento visuais e a ampliação gradativa das alterações que ocorrem conforme o material e o meio em que a identificação e análise dos elementos visuais, para ampliar o interesse de investigação e a interação
etc.) na apreciação de diferentes produções obra é realizada. por parte dos alunos. Rodas de conversa sobre os suportes e os procedimentos em cada linguagem
artísticas.
e, consequentemente, a presença da característica e o papel dos elementos constitutivos facilitam a
compreensão. Pode-se, também, propor aprendizagens progressivamente mais complexas ano a
ano, como identificar e analisar, investigar, testar e criar com os elementos constitutivos das artes
visuais.

Na elaboração do currículo, é possível aprofundar o desenvolvimento da habilidade propondo a


Para experimentar e analisar as diferentes formas de expressão artística, é importante identificar,
testar e elaborar perguntas e hipóteses sobre elas no que se refere ao suporte (base onde a obra é experimentação e análise das linguagens tecnológicas e digitais de forma explícita. A liberdade em
(EF69AR05) Experimentar e analisar diferentes pesquisar e escolher meios e suportes para uma produção amplia os processos individuais e o
formas de expressão artística (desenho, pintura, realizada), à matéria (materiais utilizados na realização), às ferramentas específicas em sua comprometimento na busca de soluções, por isso, pode-se propor, também, a realização de testes e
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Materialidades colagem, quadrinhos, dobradura, escultura, realização (instrumentos e equipamentos para a produção) e aos procedimentos para a execução do criações no desmembramento desta habilidade, indicando, ano a ano, processos mais autônomos e
trabalho (maneiras de utilizar os materiais na criação), observando a diferença entre os elementos
modelagem, instalação, vídeo, fotografia, constitutivos nas materialidades convencionais e não-convencionais. Também se torna importante complexos para o aluno. As instalações, os vídeos, as performances, as intervenções públicas, entre
performance etc.). outros, hoje reconhecidas como ações da arte contemporânea, ampliam o potencial das
compreender a imaterialidade relacionada às obras no formato digital, tais como fotografia digital, experiências, reflexões e análise das inúmeras formas de expressão e a possibilidade de interação
audiovisual, vídeo, arte computacional etc.
com as outras linguagens da arte.

Na elaboração do currículo, é possível desmembrar a habilidade em outras progressivamente mais


complexas, ano a ano, que explicitem a realização de pesquisas em novas formas de expressão,
materiais e suportes, inclusive com oportunidades de desenvolvimento de processos individuais e
coletivos, e o comprometimento na busca de soluções. É preciso assegurar que as propostas de
(EF69AR06) Desenvolver processos de criação Desenvolver significa evoluir e aprimorar processos de criação. O desenvolvimento da habilidade traz
em artes visuais, com base em temas ou a oportunidade de o aluno ampliar seu pensamento criativo em arte, compreender o seu fazer em processo de criação sejam flexíveis o suficiente para favorecer diferentes construções, de acordo
com os processos individuais e do grupo de alunos. Ao dar liberdade na definição de uma linguagem
interesses artísticos, de modo individual, coletivo artes visuais e refletir sobre novas proposições estéticas com fluência, flexibilidade e singularidade. A
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Processos de criação e colaborativo, fazendo uso de materiais, possibilidade de desenvolver trabalhos em diferentes linguagens, com diversos materiais, suportes e para desenvolver um trabalho a partir de um tema proposto, coloca-se o desafio da pesquisa,
investigação, busca de soluções e realização de um trabalho com perspectiva processual. Pode-se,
instrumentos e recursos convencionais, procedimentos, proporciona a escolha de espaços e meios, coloca o aluno em novos desafios e ainda, propor aprendizagens relacionadas à comunicação e discussões sobre os processos de criação.
alternativos e digitais. possibilita novas investigações.
A reflexão sobre o percurso, as dificuldades e os resultados, em que o aluno tem voz, possibilitam a
conversa sobre as investigações e experiências realizadas, propiciando a construção de uma
narrativa própria, sendo oportunidade para valorizar o olhar e pensamento autônomo e singular.
Esta habilidade dialoga com as habilidades (EF69AR05) e (EF69AR07).
A apreciação e o estudo de obras de arte e de processos de criação vão compondo um repertório
que tem natureza imagética, conceitual, temática etc. Dialogar, neste caso, tem o sentido de
desenvolver um fazer múltiplo, estabelecendo relações com o repertório do aluno. Por exemplo:
utilizar a cor em desenho ou pintura não é somente aprender as cores primárias, secundárias ou Na elaboração do currículo, é possível propor que experiências e reflexões como estímulo a múltiplas
apreciações ocorram simultaneamente, ampliando o diálogo singular do percurso que cada aluno
saber misturá-las; pode ser, também, perceber que uma cor se modifica pela proximidade com outra
(EF69AR07) Dialogar com princípios conceituais, ou se transforma no jogo de luz e sombra. Essas relações somente são possíveis a partir da leitura do desenvolve, seu embasamento e as possibilidades de trabalhar a partir do repertório construído. É
fundamental perceber que o foco desta habilidade não é a releitura de obras de artistas estudados –
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Processos de criação proposições temáticas, repertórios imagéticos e elemento cor em obras de arte e o estudo e experimentação com escalas acromáticas (do branco ao a imposição de um modelo para ser imitado –, mas o favorecimento do exercício da liberdade de
processos de criação nas suas produções visuais. preto) ou monocromáticas (uma só cor). Esses princípios sobre a cor vão integrar o conceito cor, criação e o encontro com si próprio. A construção de repertório por parte do aluno inspira as
oferecendo possibilidades de novas proposições temáticas e a ampliação e utilização do repertório
imagético dos alunos em suas produções artísticas. Assim, espera-se do aluno compreender e possibilidades de novas criações em seu percurso singular. Esta habilidade dialoga com as
habilidades (EF69AR01), (EF69AR02) e (EF69AR06).
estabelecer relações em suas produções visuais, percebendo os princípios conceituais que as
embasam, as possibilidades novas de proposições temáticas e a ampliação e utilização dos
repertórios imagéticos já construídos.

Na elaboração do currículo, é possível propor experiências voltadas à montagem de exposição na


Diferenciar os trabalhos realizados por cada profissional envolvido no sistema das artes visuais escola, perpassando a pesquisa com a seleção do tema/assunto, a curadoria na seleção das obras
(EF69AR08) Diferenciar as categorias de artista, aprofunda a habilidade desenvolvida nos anos iniciais do Ensino Fundamental (EF15AR07), que narram o tema proposto, a produção cultural na busca dos recursos necessários para a
artesão, produtor cultural, curador, designer,
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes visuais Sistemas da linguagem complexificando-a, porque propõe ao aluno, além de reconhecer, também diferenciar categorias, o viabilização da proposta, a montagem, conforme orientações do curador, as ações educativas de
entre outras, estabelecendo relações entre os que contribui para a identificação de vínculos e conexões entre esses criadores e seus trabalhos, preparação do visitante e monitoria. A elaboração do material de comunicação e os registros do
profissionais do sistema das artes visuais.
desde a criação até a exposição de uma obra de arte. trabalho realizado ampliam a vivência. Esta habilidade pode ser trabalhada em conjunto com a
habilidade (E15AR07).

Na elaboração do currículo, é possível propor, simultaneamente, pesquisas sobre as formas de se


(EF69AR09) Pesquisar e analisar diferentes Esta habilidade consiste em pesquisa e análise, que dependem de que o aluno tenha acesso e possa expressar em dança em culturas e contextos diversos por meio de registros visuais da dança, tanto
formas de expressão, representação e em ambiente virtual como em imagens fotográficas. Há oportunidade, também, de relacionar com o
encenação da dança, reconhecendo e fruir da dança em diversas matizes culturais, possibilitando a articulação e compreensão das formas artigo 26-A da Lei 9.394 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), que prevê conteúdos referentes à
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Contextos e práticas apreciando composições de dança de artistas e de expressão, representação e encenação da dança, em diferentes contextos e momentos da história e cultura afro-brasileira e indígena nos currículos. Esta habilidade aprofunda o
história. Essa pesquisa amplia as possibilidades de construção de repertório corporal e a
grupos brasileiros e estrangeiros de diferentes compreensão de movimentos e formas diferentes de se expressar em cada proposição. desenvolvimento da habilidade (EF15AR08). Há, aqui, oportunidade de trabalho interdisciplinar com
épocas. a habilidade (EF89EF12), da Educação Física, no que se refere à experimentação e fruição de diversos
tipos de dança.

Na elaboração do currículo, pode-se propor explicitamente, na redação da habilidade, que os


movimentos cotidianos sejam observados para a formulação de perguntas, como o porquê daquele
(EF69AR10) Explorar elementos constitutivos do Um grande recurso de aprendizagem do aluno está em observar e explorar movimentos gesto, o que levou a pessoa a movimentar-se daquela forma, qual a reação que aquele gesto pode
movimento cotidiano e do movimento dançado, espontâneos do cotidiano em um espaço e tempo determinados. Essa observação leva, ao mesmo causar em outras pessoas, qual sentimento aquele gesto comunica etc. Desse modo, pretende-se
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Elementos da linguagem abordando, criticamente, o desenvolvimento das tempo, às possibilidades de transformação estético-artística desse movimento para a criação de que o aluno reconheça a potencialidade expressiva do gesto, do movimento cotidiano, para
formas da dança em sua história tradicional e movimentos expressivos, alterando o tempo e o espaço, expressando um novo significado. Essa transformar isso em dança. A reflexão sobre as dificuldades e os resultados na transformação para
contemporânea. percepção auxilia o aluno na compreensão da dança contemporânea. criação de movimentos expressivos a partir dos movimentos espontâneos observados consolida a
construção de repertório singular e embasa os processos criativos. Esta habilidade dialoga com a
habilidade (EF69AR11).

Na elaboração do currículo, é possível propor experiências e análises dos fatores do movimento e,


consequentemente, a dinâmica que estes podem gerar à dança, se reconhecidos e combinados,
Experimentar para perceber e avaliar as possibilidades de ações corporais e movimento dançantes proporcionando sensações diferenciadas a cada movimento dançado. Os fatores do movimento não
(EF69AR11) Experimentar e analisar os fatores depende de compreender os fatores estruturantes do movimento, relacionando: 1. o tempo ao devem ser entendidos ou aplicados de forma isolada, porque eles se relacionam o tempo todo em
de movimento (tempo, peso, fluência e espaço) pulso, ritmo, duração, intensidade, velocidade e as ações de começo, intervalo e encerramento; 2. o inúmeras interações. Portanto, pode-se trabalhar com diversas relações entre eles a cada
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Elementos da linguagem
como elementos que, combinados, geram as peso aos movimentos de subida e descida, considerando a força necessária; 3. a fluência dos proposição. Relacionar os fatores estruturantes do movimento e o conhecimento e a compreensão
ações corporais e o movimento dançado. movimentos contidos ou com liberdade de expressão; 4. o espaço à dimensão ocupada quando se do potencial de seu corpo e do espaço que o aluno se propõe a ocupar auxilia na construção de um
estica ao máximo os membros do corpo, em todas as direções. processo autoral em dança. Esta habilidade dialoga com a habilidade (EF69AR10). Há, aqui,
oportunidade para o trabalho interdisciplinar com a habilidade (EF67EF08), da Educação Física, no
que se refere à experimentação e análise de fatores do movimento.

Esta habilidade consiste em fazer e refazer, testar e explorar com a finalidade de construir Na elaboração do currículo, é possível explicitar os fatores do movimento no texto da habilidade. O
(EF69AR12) Investigar e experimentar vocabulário e repertório próprio e, assim, ter uma base para os procedimentos de improvisação e
procedimentos de improvisação e criação do criação de movimentos expressivos, inspirados ou não em manifestações de dança. Na acesso a manifestações de dança de outras culturas e o permanente exercitar-se em novas
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação movimento como fonte para a construção de contemporaneidade, são muitos os métodos e procedimentos que desenvolvem a improvisação. Por investigações permitem ao aluno a criatividade singular em improvisações, sem deslizar por uma
simples repetição de movimentos pré-estabelecidos por coreografias prontas. Esta habilidade
vocabulários e repertórios próprios. exemplo, o trabalho com o movimento expressivo, desencadeando a improvisação considerando dialoga com (EF69AR13), (EF69AR14) e (EF69AR15).
fatores como espaço, tempo, fluência e peso.

(EF69AR13) Investigar brincadeiras, jogos, Na elaboração do currículo, é possível propor, explicitamente, o desenvolvimento de habilidades
danças coletivas e outras práticas de dança de Investigar significa experimentar e pesquisar por meio de vivência em jogos, brincadeiras e muitas progressivamente mais complexas, ano a ano, voltadas à investigação e criação a partir dos
outras formas práticas de dança, o que amplia a construção de um repertório singular. O uso dessas movimentos vivenciados, propiciando ao aluno a aprendizagem e o autoconhecimento pela
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação diferentes matrizes estéticas e culturais como práticas como referência possibilita a criação e a composição de uma coreografia autoral, de maneira experiência. Esta habilidade dialoga com as habilidades (EF69AR12), (EF69AR14) e (EF69AR15). Há,
referência para a criação e a composição de
danças autorais, individualmente e em grupo. individual ou em grupos. aqui, oportunidade de trabalho interdisciplinar com a habilidade (EF67EF13), da Educação Física, no
que se refere à investigação de diferentes tipos de danças.

Na elaboração do currículo, é possível explicitar, no texto da habilidade, os elementos na criação e


Analisar e experimentar se referem a pesquisar, observar e explorar. A criação, produção e produção artística da dança, bem como destacar, no modificador da habilidade, a intenção de que o
(EF69AR14) Analisar e experimentar diferentes aluno aprenda a compreender o significado de um trabalho coletivo, colaborativo, inerente às artes
elementos (figurino, iluminação, cenário, trilha apresentação nas linguagens das artes do corpo – teatro e dança – são, geralmente, coletivas, do corpo – teatro e dança coreográfica. Ter acesso à extensão de todos os trabalhos que envolvem
envolvendo diferentes áreas e profissionais. Experimentar e analisar o potencial de cada uma –
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação sonora etc.) e espaços (convencionais e não uma apresentação possibilita compreender a diferenciação de cada elemento, na análise das
convencionais) para composição cênica e direção, iluminação, figurino, cenário, trilha sonora –, assim como das características dos diferentes possibilidades dos espaços convencionais e não-convencionais. Também é possível propor,
espaços para apresentação, amplia e consolida a expressão de uma composição cênica e
apresentação coreográfica. apresentação coreográfica. gradativamente, o contato com profissionais responsáveis por cada elemento da produção, tornando
mais presentes as partes que compõem uma apresentação coreográfica. Esta habilidade dialoga com
as habilidades (EF9AR12), (EF69AR13) e (EF69AR15).

Na elaboração do currículo, é possível propor a inserção gradativa de vários momentos que


possibilitem ao aluno refletir sobre seu fazer mediado pelo professor. O currículo também pode
possibilitar apreciações de momentos da narrativa histórica da dança, avaliadas
preconceituosamente em sua época, possibilitando momentos de troca entre os alunos mediados
Discutir (no sentido de dialogar, descrever, escutar e argumentar) sobre as vivências individuais e pelo professor. Registros gravados e/ou filmados dos diversos fazeres viabilizam a construção de
(EF69AR15) Discutir as experiências pessoais e singularidades no expressar-se e na percepção de repetições estereotipadas, ampliando uma
coletivas em dança vivenciadas na escola e em coletivas experimentadas em dança possibilita a observação e reflexão dos alunos sobre as próprias identidade criativa. As complementações com apreciações correspondentes aos exercícios
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Dança Processos de criação outros contextos, problematizando estereótipos expressões ao caracterizar uma pessoa ou um enredo: movimentos, gestos, entonação de voz,
trejeitos etc. A mediação do professor permite evitar colocações estereotipadas e preconceituosas, trabalhados possibilitam ampliar as formas individuais de se expressar. Esta habilidade dialoga com
e preconceitos. desenvolvendo autoconhecimento e autocrítica por parte do aluno. as habilidades (EF9AR12), (EF69AR13) e (EF69AR14). Há, aqui, oportunidade de trabalho
interdisciplinar com as habilidades (EF67EF17) e (EF89EF14), da Educação Física, no que se refere à
problematização de estereótipos e preconceitos relacionados a práticas corporais; e com as
habilidades (EF69LP01), (EF69LP11), (EF69LP13), (EF69LP14), (EF69LP15), (EF06LP01), (EF67LP19), da
Língua Portuguesa, e (EF67EF17), da Educação Física, no que se refere à compreensão crítica de
diferentes pontos de vista sobre temas controversos e de relevância social.

Na elaboração do currículo, é possível explicitar habilidades ligadas à apreciação de manifestações


musicais específicas e a pesquisa sobre o contexto em que ocorreram sua criação e produção,
(EF69AR16) Analisar criticamente, por meio da Esta habilidade consiste em avaliar os papéis e aplicações da música, ampliando o exercício da ampliando a possibilidade dos alunos de estabelecer conexões entre os porquês de cada
apreciação musical, usos e funções da música escuta e a análise atenta de materiais sonoros de diversos períodos e momentos sociais brasileiros e manifestação, principalmente as que trabalham questões sociais e culturais. O professor provocador
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas em seus contextos de produção e circulação, pode relacionar as apreciações a experiências, propondo fazeres musicais com os instrumentos
relacionando as práticas musicais às diferentes de outros países. Assim, amplia-se a compreensão crítica da razão de cada uma das expressões de formais ou alternativos, existentes na escola ou improvisados. Nesta habilidade, amplia-se o
categorias, como pop, samba, MPB, hip-hop, rap, rock, jazz, Techno etc., analisando os diferentes
dimensões da vida social, cultural, política, gêneros e estabelecendo relações entre suas funções e contexto social e de circulação. experimentar ao basear a compreensão de expressar um contexto social. Há oportunidade, também,
histórica, econômica, estética e ética de estabelecer relação com o artigo 26-A da Lei 9.394 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), que
propõe conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e indígena nos currículos. Esta
habilidade dialoga com as habilidades (EF9AR17), (EF69AR18) e (EF69AR19).

Na elaboração do currículo, é possível explicitar, no texto das habilidades ou em orientações


metodológicas, de forma ampla e contextualizada, as inúmeras possibilidades de espaços de criação,
Esta habilidade consiste em conhecer, investigar e avaliar criticamente meios e equipamentos ensaios e apresentação para uma maior compreensão e percepção dos alunos sobre as
(EF69AR17) Explorar e analisar, criticamente, culturais diversos, refletindo sobre seus usos e funções. Um mesmo local pode ser compreendido potencialidades dos três níveis. O universo da música, amplamente explorado pela mídia, traz, às
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas diferentes meios e equipamentos culturais de
como lugar de aprendizagem, propiciando os ensaios e reflexões, ou como lugar de apresentação vezes, informações equivocadas em relação à função e ao potencial de cada lugar do sistema da
circulação da música e do conhecimento musical, de razão e função diferenciada, midiática ou social. Hoje, as ruas fazem parte dos meios e linguagem. É possível propor o acesso a registros musicais que possibilitem a percepção das
musical.
equipamentos de aprendizagem e apresentação. diferenças no uso de um mesmo espaço em diferentes contextos: no desenvolvimento musical, com
ou sem a interação do público, no registro ou na transmissão em mídias. Esta habilidade dialoga com
as habilidades (EF9AR16), (EF69AR18) e (EF69AR19).

Esta habilidade consiste em identificar, apreciar, caracterizar e avaliar a criação singular de um Na elaboração do currículo, é possível propor conhecer, por vídeos de apresentações e
(EF69AR18) Reconhecer e apreciar o papel de profissional ou uma banda, o que dá ênfase, independentemente das escolhas musicais, aos documentários de diversos momentos significativos no desenvolvimento musical, a importância do
músicos e grupos de música brasileiros e processos de criação significativos que envolvem pesquisa, persistência e um contínuo exercitar do trabalho de um artista ou de uma banda. Esta habilidade pode ser trabalhada paralelamente à
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas
estrangeiros que contribuíram para o desenvolvimento musical, que leva a transformações e invenções. Contextualizar o surgimento de habilidade (EF69AR17), permitindo a compreensão e separação entre desenvolvimento musical e
desenvolvimento de formas e gêneros musicais. um gênero musical e a contribuição de um músico ou grupo de músicos amplia a compreensão sobre construção midiática de um gênero musical. Esta habilidade dialoga também com as habilidades
a música e seus processos de criação. (EF69AR16) e (EF69AR19).

Na elaboração do currículo, é possível propor múltiplas vivências musicais e momentos de


apreciação musical de diversos estilos, explicitando habilidades e/ou orientações didático-
Esta habilidade consiste em conhecer, identificar e analisar estilos musicais distintos de modo crítico metodológicas de comparação entre gêneros musicais de contextos e culturas diferenciados ou de
(EF69AR19) Identificar e analisar diferentes e contextualizado, para ampliar o repertório. A construção desse repertório está relacionada à momentos históricos passados. Também é possível explicitar habilidades voltadas à investigação das
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Contextos e práticas estilos musicais, contextualizando-os no tempo e
no espaço, de modo a aprimorar a capacidade apreciação e investigação de um maior número de estilos musicais, permitindo perceber as transformações que a música sofreu ao longo do século XX, desde a inclusão do silêncio, dos ruídos e
diferenciações a partir de uma escuta atenta dos sons, uma vez que estes estão na base da educação os recursos da tecnologia como componentes possíveis de serem transformados em música. O aluno
de apreciação da estética musical. musical. necessita desses múltiplos acessos para formar uma bagagem musical e compreender suas opções a
partir de um conhecimento, e não apenas um hábito familiar. Esta habilidade dialoga com as
habilidades (EF69AR16), (EF69AR17) e (EF69AR18).

Na elaboração do currículo, é possível propor a percepção dos elementos do som em continuidade


(EF69AR20) Explorar e analisar elementos
aos exercícios da escuta desenvolvidos na habilidade (EF15AR14), nos Anos Iniciais. A aprendizagem
constitutivos da música (altura, intensidade, Investigar, observar e avaliar por meio de jogos, canções e práticas diversas de composição, criação, dos elementos da música ganha significado no fazer musical e na apreciação. A exploração desses
timbre, melodia, ritmo etc.), por meio de execução e apreciação musicais aprofundam e consolidam a percepção dos parâmetros do som,
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Elementos da linguagem recursos tecnológicos (games e plataformas introduzidos nos Anos Iniciais da Arte: altura (sons agudos e graves); duração (longos e curtos); elementos em diversos recursos por meio de jogos e canções amplia a vivência e inspira as práticas
digitais), jogos, canções e práticas diversas de intensidade (fortes e fracos); timbres (a voz do instrumento ou pessoa) e os elementos básicos da de composição e criação musical. Esta habilidade pode apoiar a compreensão das habilidades
(EF69AR16), (EF69AR17), (EF69AR18) e (EF69AR19) propostas em Contextos e Práticas, no momento
composição/criação, execução e apreciação música: o ritmo, a melodia e a harmonia. em que possibilita a compreensão individual de cada elemento do som e da música nos diversos
musicais.
gêneros musicais. Esta habilidade embasa a habilidade (EF69AR21).

Na elaboração do currículo, é possível explicitar, no texto das habilidades, grupos de instrumentos a


serem explorados e analisados, sobretudo em relação ao timbre de cada instrumento. Exemplos
desses grupos são: Membranofones: instrumentos que produzem som pela vibração de uma
membrana, como os tambores, cuícas, surdos, pandeiros, tímpanos, caixa, tamborim etc. Idiofones:
(EF69AR21) Explorar e analisar fontes e materiais Esta habilidade refere-se à escuta, investigação e análise da forma que os instrumentos emitem o instrumentos que produzem som pela própria vibração, como triângulos, agogôs, pratos, reco-recos,
sonoros em práticas de composição/criação, som. O contínuo exercício para ampliar a escuta permite a percepção dos diversos timbres de voz, ganzás, chocalhos, caxixis etc. Aerofones: instrumentos que produzem som por meio da vibração do
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Materialidades execução e apreciação musical, reconhecendo ar, ou seja, sopro: flautas, clarinetas, pífanos, saxofones etc. Cordofones: instrumentos que
timbres e características de instrumentos sons corporais e de instrumentos musicais. Conhecer os grandes grupos dos instrumentos e sua produzem som por meio da vibração de suas cordas, como violão, cavaquinho, violino, rabeca,
constituição amplia o repertório do aluno.
musicais diversos. harpa, berimbau etc. Existem também os instrumentos elétricos e eletrônicos. Além disso,
momentos simultâneos de exploração e análise de fontes e materiais sonoros permitem ao aluno
desenvolver a escuta e o reconhecimento dos inúmeros timbres e sua diferenciação conforme sua
origem. A relação entre o experimentar e o apreciar, mediados pelo professor, leva o aluno a ampliar
suas experiências. Esta habilidade dialoga com a habilidade (EF69AR23).

Na elaboração do currículo, considere que os diversos tipos de registros (convencionais, não-


convencionais, auditivos e audiovisuais) possibilitam ao aluno a compreensão do som, silêncio e
A habilidade consiste em conhecer, identificar e investigar notações musicais convencionais e não- ruído por meio do pensamento visual. Os aprendizados com os registros em áudio e audiovisual (o
(EF69AR22) Explorar e identificar diferentes convencionais, o que está relacionado a registros gráficos do som. A notação musical convencional celular pode ser a ferramenta, por exemplo) permite a escuta repetidamente, potencializando a
formas de registro musical (notação musical
possui uma pauta com cinco linhas e quatro espaços, em que são anotadas as notas musicais. A apreciação musical. Desenhar o som, com elementos básicos das artes visuais, transformando-os em
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Notação e registro musical tradicional, partituras criativas e procedimentos notação não-convencional está relacionada ao registro dos sons graficamente, utilizando desenhos, signos gráficos, amplia e consolida o registro de duração, timbres, altura, intensidade e o
da música contemporânea), bem como
procedimentos e técnicas de registro em áudio e elementos das artes visuais, fonemas ou palavras (onomatopeias). A habilidade ressalta também a questionamento sobre a presença múltipla dos elementos do som em uma mesma música. Os
importância de procedimentos, equipamentos e técnicas de registros sonoros de áudio e registros não-convencionais ampliam os exercícios nos processos de criação. A notação musical em
audiovisual. audiovisuais. sua pauta com cinco linhas e quatro espaços em que são anotadas as notas musicais permitem o
registro convencional. As gravações em áudio e vídeo permitem o registro de audiovisuais. Esta
habilidade dialoga com a habilidade (EF15AR16).

Na elaboração do currículo, é possível estimular experiências múltiplas, de modo que o aluno possa
(EF69AR23) Explorar e criar improvisações, vivenciar todos os recursos relacionados à materialidade dos sons e da música. Instrumentos e
composições, arranjos, jingles, trilhas sonoras, Explorar significa investigar, experimentar, fazer e refazer, ampliando as possibilidades de criar recursos sonoros em suas improvisações possibilitam a identificação de um processo criativo
entre outros, utilizando vozes, sons corporais improvisações entre as inúmeras formas e recursos de expressão musical, convencionais ou não- singular. Os processos de criação devem ser compreendidos como experimentação musical ampla e
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Música Processos de criação e/ou instrumentos acústicos ou eletrônicos, convencionais. Isso possibilita a compreensão das características e finalidades de cada uma e amplia com liberdade, sem a preocupação com o resultado final, o que permitirá ao aluno identificar a sua
convencionais ou não convencionais, as possibilidades de o aluno identificar o seu fazer musical. Para isso, é importante que haja melhor maneira de se expressar. Para ampliar os processos criativos do aluno, é possível relacionar
expressando ideias musicais de maneira encorajamento para esse fazer musical, sem medo e inibição, com respeito e valorização. as experiências propostas com a apreciação de diferentes músicos ou músicas, locais e universais.
individual, coletiva e colaborativa. Esta habilidade dialoga com as habilidades (EF69AR16), (EF69AR17), (EF69AR18) e (EF69AR19) de
contextos e práticas.

Na elaboração do currículo, é possível iniciar o desenvolvimento da habilidade pela aproximação dos


alunos com artistas e grupos teatrais que sejam referência, primeiramente local ou regional, para,
posteriormente, investigar referências no teatro brasileiro e estrangeiro que possibilitem o
(EF69AR24) Reconhecer e apreciar artistas e Esta habilidade pressupõe ter acesso e avaliar artistas e grupos de teatro diversos na finalidade de reconhecimento pela interação. É importante, para cada referência selecionada, investigar o
compreender os dois lados do teatro: o teatro visto por dentro, investigando os modos de criação e processo de montagem de um espetáculo teatral do repertório do artista ou grupo, assim como sua
grupos de teatro brasileiros e estrangeiros de expressão; e o teatro para ser visto, investigando os modos de produção, divulgação e circulação. produção, divulgação e circulação. Ao mesmo tempo, cada referência escolhida oferece a
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Contextos e práticas diferentes épocas, investigando os modos de
criação, produção, divulgação, circulação e Além disso, também diz respeito à atuação dos diferentes profissionais que são envolvidos em toda a oportunidade de os alunos conhecerem a atuação dos profissionais do trabalho teatral. O processo
trajetória de uma encenação teatral, passando pelas etapas da concepção, produção e pode ser ampliado pela projeção de vídeos de espetáculos teatrais de diversas matizes culturais,
organização da atuação profissional em teatro. apresentação. leitura de críticas e debate entre os alunos, mediados pelo professor. Esta habilidade dialoga com a
habilidade (EF69AR125). Há oportunidade, também, de relacionar com o artigo 26-A da Lei 9.394 (Lei
de Diretrizes e Bases da Educação), que propõe conteúdos referentes à história e cultura afro-
brasileira e indígena nos currículos.

Na elaboração do currículo, é possível propor acesso a diferentes estilos teatrais, o que possibilita a
comparação entre eles e seus modos de encenação, por meio de registros visuais, tanto em
Identificar e analisar dizem respeito a observar, reconhecer e examinar. Esta habilidade propõe a ambiente virtual como em imagens fotográficas. O acesso a referências deve ser amplo,
(EF69AR25) Identificar e analisar diferentes ampliação de repertório, promovendo a apreciação e objetivando o reconhecimento de diferentes
possibilitando a comparação entre as matizes culturais e a forma de expressão nos diversos
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Contextos e práticas estilos cênicos, contextualizando-os no tempo e estilos teatrais, além de sua interpretação de acordo com determinada conjuntura. Exemplos de momentos históricos. O aluno necessita desses múltiplos acessos para ter referências em suas
no espaço de modo a aprimorar a capacidade de estilos são: Realista, Tragédia clássica, Tragédia Moderna, Comédia Clássica, Comédia Moderna, Não-
apreciação da estética teatral. realistas, Farsa, Melodrama, Teatro de Revista, Peças Didáticas, Teatro Contemporâneo, entre criações e poder formar um repertório, sua bagagem cultural. Há oportunidade, também, de
relacionar com o artigo 26-A da Lei 9.394 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), que propõe
outros. conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e indígena nos currículos. Esta habilidade
dialoga com a habilidade (EF69AR24).

Na elaboração do currículo, pode-se propor desafios diferenciados com os jogos teatrais, permitindo
(EF69AR26) Explorar diferentes elementos A criação, produção e apresentação teatral são, geralmente, coletivas, envolvendo diferentes áreas e ao aluno desenvolver a percepção de elementos do teatro em espaços diferenciados, envolvendo: 1.
profissionais. Explorar significa identificar e investigar os elementos que compõem a encenação e a contribuição do figurino e adereços na montagem de um personagem; 2. a participação do cenário
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Elementos da linguagem envolvidos na composição dos acontecimentos suas especificidades na linguagem teatral, o que amplia a percepção e a análise do espetáculo na condução da cena; 3. os efeitos da iluminação nas expressões de diferentes emoções; 4. a
cênicos (figurinos, adereços, cenário, iluminação teatral. Vivenciar e compreender o potencial de cada área – direção, iluminação, figurino, adereços, tonalidade das vozes na construção de narrativas, diálogos e/ou monólogos. A participação em um
e sonoplastia) e reconhecer seus vocabulários.
sonoplastia, cenário – permite conhecer os vocabulários específicos do universo teatral. maior número de jogos teatrais amplia o repertório e o vocabulário do aluno. Esta habilidade dialoga
com a habilidade (EF69AR30).

Na elaboração do currículo, é interessante considerar que os jogos teatrais também se constituem


em um desafio na transformação dos ambientes, demarcando um local que se tornará espaço da
A habilidade diz respeito a investigar, explorar e elaborar inventivamente. O experimentar, ao fazer e
(EF69AR27) Pesquisar e criar formas de refazer exercícios de criação, pesquisando e criando, amplia e consolida a investigação nas formas de ação teatral. Esses exercícios podem ocorrer na sala de aula, na escola ou em ambientes externos. O
dramaturgias e espaços cênicos para o dramaturgia como possibilidades de transformação de um local físico em espaço cênico. O espaço exercício pode envolver elementos naturais do lugar ou a ausência deles, levando à inclusão de
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação novos elementos. Do mesmo modo, a investigação da dramaturgia pode ser por meio da
acontecimento teatral, em diálogo com o teatro utilizado pelo teatro contemporâneo também busca a aproximação do público, abrindo para a improvisação para a criação textual colaborativa, assim como o texto dramático mais convencional
contemporâneo. encenação interativa e a produção de textos coletivos, e essa relação de diálogo deve ser
estabelecida. pode ser investigado na linguagem do teatro contemporâneo. Locais de convívio da escola – pátio,
quadra de esporte, corredores, entre outros – podem ser propícios para os exercícios de interação
com o público. Esta habilidade dialoga com as habilidades (EF69AR28), (EF69AR29) e (EF69AR30).

Esta habilidade diz respeito a examinar, vivenciar, explorar e debater sobre dois modos de fazer a Na elaboração do currículo, é possível propor ações a partir de notícias de jornais ou de investigação
construção do espetáculo teatral: a criação coletiva e o processo colaborativo. A criação coletiva e o de acontecimentos na cidade como disparadores para a investigação e experimentação, tanto da
(EF69AR28) Investigar e experimentar diferentes processo colaborativo têm em comum a tomada de decisões com horizontalidade, ou seja, não há criação coletiva como do processo colaborativo. Nessa experiência, é importante o aluno perceber
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação funções teatrais e discutir os limites e desafios um “diretor” que tudo decide e escolhe o que e como será feito o espetáculo. Na criação coletiva, quais são as semelhanças e diferenças nos procedimentos desses dois processos. Para isso, também
do trabalho artístico coletivo e colaborativo. todos fazem tudo, enquanto, no processo colaborativo, cada um contribui com sua habilidade e é interessante o acesso a material audiovisual sobre coletivos teatrais que trabalham de forma
repertório cultural. A investigação a partir da experimentação permite ao aluno compreender os coletiva ou colaborativa. Esta habilidade dialoga com as habilidades (EF69AR27), (EF69AR29) e
modos coletivizados e de diretriz dialógica de fazer teatro. (EF69AR30).

(EF69AR29) Experimentar a gestualidade e as Na elaboração do currículo, considere que, quanto à construção de expressividades gestual e vocal, o
Experimentar consiste em investigar e explorar a expressividade gestual, corporal e vocal. Os jogos aluno pode experimentar: 1. a construção vocal por meio de onomatopeias, blablação, palavras,
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação construções corporais e vocais de maneira teatrais e propostas de improvisação são exemplos de formas que possibilitam potencializar a frases e gestos sonoros; 2. a gestualidade na construção de gestos cotidianos e não-cotidianos com
imaginativa na improvisação teatral e no jogo imaginação e criar narrativas para o exercício dessas expressividades. intenções dramáticas; 3. o gesto, com frases gestuais e outros modos de experimentação. Esta
cênico.
habilidade dialoga com as habilidades (EF69AR27), (EF69AR28) e (EF69AR30).

Na elaboração do currículo, é preciso considerar que conceber e elaborar uma criação teatral reúne
todos os aprendizados realizados nos diversos jogos teatrais em que foram experimentados a
gestualidade, o vocal, o diálogo cênico, o gesto e a caracterização de um personagem e, também, a
(EF69AR30) Compor improvisações e percepção da potencialidade dos diversos elementos (cenário, figurino, iluminação, adereços) que
acontecimentos cênicos com base em textos compõem a cena teatral. O desenvolvimento progressivo da habilidade ao longo dos anos pode
A habilidade consiste em conceber e elaborar a criação teatral a partir de textos dramáticos partir da habilidade de improvisação a partir de um texto dramático e pode chegar à livre criação de
dramáticos ou outros estímulos (música, convencionais ou estímulos sonoros, imagéticos ou de objetos, entre outros, o que necessita de uma cena. A reflexão sobre as conquistas em cada experimentação, mediadas pelo professor, amplia
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Teatro Processos de criação imagens, objetos etc.), caracterizando
personagens (com figurinos e adereços), cenário, múltiplas experimentações. Compor a caracterização de um personagem passa por compreender a confiança do aluno em sua forma de expressão. Esta habilidade pode dialogar com as habilidades
todos os elementos que constituem a cena teatral: cenário, figurino, iluminação, adereços. (EF69AR26), (EF69AR27), (EF69AR28) e (EF69AR29). Há, aqui, oportunidade de trabalho
iluminação e sonoplastia e considerando a interdisciplinar com as habilidades (EF69LP50), (EF69LP52) e (EF67LP29), da Língua Portuguesa, no
relação com o espectador.
que se refere à composição de improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos
dramáticos e outros estímulos; e com as habilidades (EF69LP54) e (EF67LP27), da Língua Portuguesa,
associadas à exploração, análise e criação de diálogos entre textos literários e outras manifestações,
de diferentes linguagens artísticas.

Na elaboração do currículo, como a ludicidade da arte abre janelas para abordar temas sociopolíticos
e culturais, a ação pode ser gradativa, partindo da experiência em exercícios com um foco
Esta habilidade diz respeito a elevar as práticas artísticas como ferramentas propositoras de reflexão determinado, seguido por desenvolvimento de múltiplos focos interligados e podendo chegar a uma
(EF69AR31) Relacionar as práticas artísticas às sobre dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética, e propõe a manifestação pública, prevendo a participação do público, exercitando a improvisação por parte dos
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Contextos e práticas diferentes dimensões da vida social, cultural, identificação, seleção e integração de diversos elementos e recursos, incluindo informações da alunos e amparada nas pesquisas realizadas. Os temas sociopolíticos e culturais são amplos e
política, histórica, econômica, estética e ética. mídia, para possibilitar experiência, pesquisa e análise ao trabalhar artisticamente temas, e em demandam pesquisa interdisciplinar para os alunos se sentirem preparados para o desenvolvimento
espaço que permita dialogar com assuntos da vida contemporânea. de uma manifestação artística em todas as suas etapas. A proposta pode partir da seleção de uma
situação local ou da região, possibilitando observação e pesquisa presencial exercitando a escuta e a
construção de um olhar preceptivo.

Na elaboração do currículo, a seleção de uma linguagem da arte e/ou a unificação de elementos e


recursos de diferentes linguagens da arte propiciam ao aluno a percepção do potencial das
manifestações artísticas diante dos problemas da contemporaneidade e de sua comunidade. As
(EF69AR32) Analisar e explorar, em projetos
Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Processos de criação temáticos, as relações processuais entre diversas Esta habilidade propõe a avaliação, a experimentação e o estudo das possibilidades de utilização de intervenções artísticas, ações que acontecem de surpresa e interrompem a rotina, podem provocar
recursos de mais de uma linguagem da arte em um mesmo trabalho. interação do público participante. É possível, ainda, propor rodas de conversa mediadas pelo
linguagens artísticas. professor, para o aluno expressar e consolidar sua percepção em relação a uma obra com intenção
de interatividade. Também é possível se emb

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Matrizes estéticas e culturais

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Patrimônio cultural

Arte 6º; 7º; 8º; 9º Artes integradas Arte e tecnologia


Educação Física

COMPONENTE ANO/FAIXA UNIDADES TEMÁTICAS OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES

(EF67EF01) Experimentar e fruir, na escola e fora dela, jogos eletrônicos diversos,


Educação Física 6º; 7º Brincadeiras e jogos Jogos eletrônicos valorizando e respeitando os sentidos e significados atribuídos a eles por
diferentes grupos sociais e etários.

(EF67EF02) Identificar as transformações nas características dos jogos eletrônicos


Educação Física 6º; 7º Brincadeiras e jogos Jogos eletrônicos em função dos avanços das tecnologias e nas respectivas exigências corporais
colocadas por esses diferentes tipos de jogos.

Esportes de marca Esportes de


precisão (EF67EF03) Experimentar e fruir esportes de marca, precisão, invasão e técnico-
Educação Física 6º; 7º Esportes
Esportes de invasão combinatórios, valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo.
Esportes técnico-combinatórios

Esportes de marca Esportes de


(EF67EF04) Praticar um ou mais esportes de marca, precisão, invasão e técnico-
Educação Física 6º; 7º Esportes precisão combinatórios oferecidos pela escola, usando habilidades técnico-táticas básicas e
Esportes de invasão
Esportes técnico-combinatórios respeitando regras.

Esportes de marca Esportes de


precisão (EF67EF05) Planejar e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e
Educação Física 6º; 7º Esportes táticos, tanto nos esportes de marca, precisão, invasão e técnico-combinatórios
Esportes de invasão como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar de forma específica.
Esportes técnico-combinatórios

Esportes de marca Esportes de


precisão (EF67EF06) Analisar as transformações na organização e na prática dos esportes
Educação Física 6º; 7º Esportes
Esportes de invasão em suas diferentes manifestações (profissional e comunitário/lazer).
Esportes técnico-combinatórios

Esportes de marca Esportes de


(EF67EF07) Propor e produzir alternativas para experimentação dos esportes não
Educação Física 6º; 7º Esportes precisão disponíveis e/ou acessíveis na comunidade e das demais práticas corporais
Esportes de invasão
Esportes técnico-combinatórios tematizadas na escola.

(EF67EF08) Experimentar e fruir exercícios físicos que solicitem diferentes


Educação Física 6º; 7º Ginásticas Ginástica de condicionamento capacidades físicas, identificando seus tipos (força, velocidade, resistência,
físico
flexibilidade) e as sensações corporais provocadas pela sua prática.

(EF67EF09) Construir, coletivamente, procedimentos e normas de convívio que


Ginástica de condicionamento
Educação Física 6º; 7º Ginásticas físico viabilizem a participação de todos na prática de exercícios físicos, com o objetivo
de promover a saúde.

Educação Física 6º; 7º Ginásticas Ginástica de condicionamento (EF67EF10) Diferenciar exercício físico de atividade física e propor alternativas
físico para a prática de exercícios físicos dentro e fora do ambiente escolar.

(EF67EF11) Experimentar, fruir e recriar danças urbanas, identificando seus


Educação Física 6º; 7º Danças Danças urbanas elementos constitutivos (ritmo, espaço, gestos).

(EF67EF12) Planejar e utilizar estratégias para aprender elementos constitutivos


Educação Física 6º; 7º Danças Danças urbanas das danças urbanas.

(EF67EF13) Diferenciar as danças urbanas das demais manifestações da dança,


Educação Física 6º; 7º Danças Danças urbanas valorizando e respeitando os sentidos e significados atribuídos a eles por
diferentes grupos sociais.

(EF67EF14) Experimentar, fruir e recriar diferentes lutas do Brasil, valorizando a


Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil própria segurança e integridade física, bem como as dos demais.

(EF67EF15) Planejar e utilizar estratégias básicas das lutas do Brasil, respeitando o


Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil colega como oponente.

(EF67EF16) Identificar as características (códigos, rituais, elementos técnico-


Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil
táticos, indumentária, materiais, instalações, instituições) das lutas do Brasil.

(EF67EF17) Problematizar preconceitos e estereótipos relacionados ao universo


Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil das lutas e demais práticas corporais, propondo alternativas para superá-los, com
base na solidariedade, na justiça, na equidade e no respeito.

Práticas corporais de Práticas corporais de aventura (EF67EF18) Experimentar e fruir diferentes práticas corporais de aventura
Educação Física 6º; 7º aventura urbanas urbanas, valorizando a própria segurança e integridade física, bem como as dos
demais.

Práticas corporais de Práticas corporais de aventura (EF67EF19) Identificar os riscos durante a realização de práticas corporais de
Educação Física 6º; 7º
aventura urbanas aventura urbanas e planejar estratégias para sua superação.

Práticas corporais de Práticas corporais de aventura (EF67EF20) Executar práticas corporais de aventura urbanas, respeitando o
Educação Física 6º; 7º patrimônio público e utilizando alternativas para a prática segura em diversos
aventura urbanas espaços.

Práticas corporais de Práticas corporais de aventura (EF67EF21) Identificar a origem das práticas corporais de aventura e as
Educação Física 6º; 7º possibilidades de recriá-las, reconhecendo as características (instrumentos,
aventura urbanas
equipamentos de segurança, indumentária, organização) e seus tipos de práticas.
Educação Física
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC
COMPONENTE ANO/FAIXA UNIDADES TEMÁTICAS OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES COMENTÁRIO POSSIBILIDADES PARA O CURRÍCULO

Na elaboração do currículo, é importante organizar práticas significativas e reflexivas acerca dos


Experimentar jogos eletrônicos significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas jogos eletrônicos, de modo que os alunos reconheçam seus sentidos e potenciais riscos para um
pela experiência corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. O fruir se relaciona às estilo de vida ativo, crítico e tolerante. Nesse processo, pode-se propor que os alunos compartilhem
aprendizagens que permitem ao aluno desfrutar da realização de uma determinada prática corporal sobre os jogos eletrônicos que conhecem e praticam e quais as sensações ao praticá-los. É
(EF67EF01) Experimentar e fruir, na escola e fora ou apreciá-la quando realizada por outros. Jogos eletrônicos são aquelas modalidades de jogos que interessante que o currículo proponha momentos nos quais os alunos comparem as sensações nas
Educação Física 6º; 7º Brincadeiras e jogos Jogos eletrônicos dela, jogos eletrônicos diversos, valorizando e se utilizam de tecnologia de um computador e podem ser jogados em celulares, tablets, práticas dos jogos eletrônicos com aquelas experimentadas em outros tipos de jogos menos
respeitando os sentidos e significados atribuídos computadores pessoais ou em equipamentos criados mais especificamente para esse uso, chamados sedentários e discutir sobre as preferências pessoais. Uma possibilidade de organização da
a eles por diferentes grupos sociais e etários. de consoles. Valorizar e respeitar sentidos e significados atribuídos a eles por diferentes grupos habilidade por anos pode seguir um critério de complexidade dos jogos, partindo de jogos com
sociais e etários significa compreender que os jogos eletrônicos são potencialmente aderentes em objetivos mais simples e jogados individualmente, até jogos onde os alunos sejam oponentes ou que
termos comportamentais e que as pessoas se utilizam dessas práticas como forma de diversão, atuem em conjunto para um objetivo em comum. Há, aqui, oportunidade de trabalho interdisciplinar
educação ou por razões profissionais. com as habilidades (EF69LP06), (EF67LP11) e (EF67LP12), da Língua Portuguesa, no que se refere à
experimentação, observação, produção e crítica de jogos eletrônicos.

Identificar as transformações nas características dos jogos eletrônicos significa compreender que Na elaboração do currículo, é possível aprofundar o estudo acerca da influência da tecnologia sobre
nossos movimentos. É interessante explicitar habilidades que permitam que os alunos reconheçam
essas práticas acompanharam a evolução das tecnologias, inicialmente sendo praticados em
equipamentos específicos para esse fim, com imagens simples, que limitavam os tipos de jogos que, por um lado, a evolução da tecnologia trouxe facilidades para nossa vida, mas, por outro, teve
como consequência um estilo de vida menos ativo. Um exemplo disso é o uso dos jogos eletrônicos
(EF67EF02) Identificar as transformações nas disponíveis e utilizando consoles conectados por fios aos joysticks e ao televisor, passando a ser substituindo atividades de maior movimento em momentos de lazer. A crítica a esse comportamento
características dos jogos eletrônicos em função disponíveis em aparelhos portáteis, como tablets e celulares, com imagens gráficas de alta resolução levou à evolução dos jogos eletrônicos, que passaram a ser produzidos com o intuito de estimular o
Educação Física 6º; 7º Brincadeiras e jogos Jogos eletrônicos dos avanços das tecnologias e nas respectivas e com variados tipos de jogos que podem ser praticados individual ou coletivamente utilizando
exigências corporais colocadas por esses conexões sem fios. Deve-se compreender também que eles sofreram modificações no seu modo de envolvimento corporal dos usuários, como os que utilizam sensores de movimento. Uma
possibilidade de progressão desta habilidade pode considerar o estudo das características e tipos de
diferentes tipos de jogos. prática, inicialmente com jogos com pouca modificação para jogos com maior envolvimento
corporal. Jogos eletrônicos são aquelas modalidades de jogos que se utilizam de tecnologia de um jogos eletrônicos sedentários ou com pouco movimento para jogos eletrônicos que utilizam sensores
de movimento que obrigam seus jogadores a se movimentar. Há, aqui, oportunidade de trabalho
computador e podem ser jogados em celulares, tablets, computadores pessoais ou em interdisciplinar com as habilidades (EF69LP06), (EF67LP11) e (EF67LP12), da Língua Portuguesa, no
equipamentos criados mais especificamente para este uso, chamados de consoles. que se refere à experimentação, observação, produção e crítica de jogos eletrônicos.
Experimentar os esportes significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas pela
experiência corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. O fruir se relaciona às
aprendizagens que permitem ao aluno desfrutar da realização de uma determinada prática corporal
ou apreciá-la quando realizada por outros. Os esportes de marca se caracterizam por comparar os
resultados registrados em segundos, metros ou quilos; os esportes de precisão, pelo ato de Na elaboração do currículo, pode-se propor visitas a clubes, associações ou outras entidades locais
arremessar ou lançar um objeto, procurando acertar ou aproximá-lo de um alvo específico; os que promovam modalidades dos esportes de marca, precisão, invasão e técnico-combinatórios e
Esportes de marca Esportes de (EF67EF03) Experimentar e fruir esportes de esportes de invasão, por comparar a capacidade de uma equipe introduzir ou levar uma bola (ou dialogar com os profissionais que atuam nessas modalidades sobre a importância do trabalho
precisão marca, precisão, invasão e técnico- outro objeto) a uma meta ou setor da quadra/campo defendida pelos adversários, protegendo, coletivo e do protagonismo na prática das modalidades. Outra possibilidade seria a de investigar se
Educação Física 6º; 7º Esportes
Esportes de invasão combinatórios, valorizando o trabalho coletivo e simultaneamente, o próprio alvo, meta ou setor do campo; e os esportes técnico-combinatórios são existem pessoas do convívio dos alunos que praticam ou praticaram essas modalidades e convidá-los
Esportes técnico-combinatórios o protagonismo. quando o resultado da ação motora é comparado à qualidade do movimento segundo padrões para uma visita à escola. Uma possibilidade de organização da habilidade por anos pode propor que
técnico-combinatórios. O trabalho coletivo ocorre quando um grupo de pessoas se dedica a realizar se parta de modalidades individuais para coletivas ou de modalidades com regras e movimentos
uma tarefa, como nos esportes coletivos, e possibilita troca de experiências, ajuda mútua, mais simples para as mais complexas.
aprendizagem de novas habilidades motoras e compartilhamento de decisões. O protagonismo
prevalece nas modalidades individuais, como no salto em distância e no tiro ao alvo, mas é
importante também nos esportes coletivos, visto que o aluno deve se empenhar em realizar a sua
função para
Praticar os esportes
o bem coletivo.
significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas pela
experiência corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. Os esportes de marca se Na elaboração do currículo, pode-se propor que os alunos pesquisem sobre as modalidades,
caracterizam por comparar os resultados registrados em segundos, metros ou quilos; os esportes de investigando sua origem, regras e materiais necessários para a sua prática. Para utilizar habilidades
precisão, pelo ato de arremessar ou lançar um objeto, procurando acertar ou aproximá-lo de um técnico-táticas das modalidades, é importante que os alunos identifiquem: 1- Habilidades motoras:
Esportes de marca Esportes de (EF67EF04) Praticar um ou mais esportes de alvo específico; os esportes de invasão, por comparar a capacidade de uma equipe introduzir ou são todos os movimentos que aprendemos, são incorporados e podem ser utilizados em tarefas cada
marca, precisão, invasão e técnico- levar uma bola (ou outro objeto) a uma meta ou setor da quadra/campo defendida pelos vez mais específicas. 2- Capacidades físicas: são características que nossos movimentos apresentam
Educação Física 6º; 7º Esportes precisão combinatórios oferecidos pela escola, usando adversários, protegendo, simultaneamente, o próprio alvo, meta ou setor do campo; e os esportes e que podem ser aprimoradas, como a força muscular, a coordenação motora, a agilidade, o
Esportes de invasão
Esportes técnico-combinatórios habilidades técnico-táticas básicas e respeitando técnico-combinatórios são quando o resultado da ação motora é comparado à qualidade do equilíbrio e a velocidade. 3- Táticas: são métodos necessários para se atingir um objetivo e, em
regras. movimento segundo padrões técnico-combinatórios. Usar habilidades técnico-táticas básicas relação aos jogadores, envolvem, entre outras coisas, as funções que realizam em uma partida. Uma
significa se apropriar de aprendizagens sobre os principais movimentos requisitados nas possibilidade de organização da habilidade por anos pode propor que se iniciem as aprendizagens
modalidades e sobre como se posicionar nos espaços e tomar decisões durante uma situação de comelaboração
Na modalidades
do currículo,
que fazempode-se
parte dopropor
contexto
quesocial
os alunos
dos alunos
pesquisem
para sobre
modalidades
as modalidades,
menos familiares
jogo. Respeitar as regras significa compreender que as normas e regras são estabelecidas para a eles.
investigando sua origem, regras e materiais necessários para a sua prática. Para que se consiga
garantir a segurança e equidade entre os participantes. elaborar estratégias para resolver os desafios técnico-táticos das modalidades, é importante que os
Planejar e utilizar estratégias refere-se ao conhecimento originado pela observação e análise das alunos identifiquem as necessidades de movimentos para as práticas, como: 1- Habilidades motoras:
próprias experiências corporais e daquelas realizadas por outros. Trata-se de um ato intencional,
orientado a formular e empregar estratégias de observação e análise para: (a) resolver desafios são todos os movimentos que aprendemos, são incorporados e podem ser utilizados em tarefas cada
vez mais específicas. O currículo deve propor situações de aprendizagem nas quais os alunos
peculiares à prática realizada; (b) apreender novas modalidades; (c) adequar as práticas aos
interesses e às possibilidades próprios e aos das pessoas com quem se compartilha a sua realização. consigam observar, experimentar e refletir sobre as habilidades motoras necessárias para as práticas
(EF67EF05) Planejar e utilizar estratégias para das modalidades e o que precisam fazer para solucionar os desafios que se apresentam. 2-
Esportes de marca Esportes de solucionar os desafios técnicos e táticos, tanto Solucionar os desafios técnicos e táticos significa que os alunos devem, mediante situações nas quais Capacidades físicas: são características que nossos movimentos apresentam e que podem ser
precisão nos esportes de marca, precisão, invasão e se deparam com dificuldades em realizar os movimentos requisitados nas modalidades ou como se aprimoradas, como a força muscular, a coordenação motora, a agilidade, o equilíbrio e a velocidade.
Educação Física 6º; 7º Esportes posicionar nos espaços e tomar decisões durante uma situação de jogo, compartilhar sugestões para
Esportes de invasão técnico-combinatórios como nas modalidades que consigam superá-las. Os esportes de marca se caracterizam por comparar os resultados São atributos muito importantes para a aptidão física e para a saúde, que se evidenciam durante a
Esportes técnico-combinatórios esportivas escolhidas para praticar de forma prática de determinada modalidade. Em um jogo de basquete, por exemplo, a pouca coordenação
registrados em segundos, metros ou quilos; os esportes de precisão, pelo ato de arremessar ou
específica. lançar um objeto, procurando acertar ou aproximá-lo de um alvo específico; os esportes de invasão, motora compromete o quicar da bola no chão. A partir da identificação dessa dificuldade, pode-se
propor atividades que aprimorem essa capacidade física. 3 - Táticas: são métodos necessários para
por comparar a capacidade de uma equipe introduzir ou levar uma bola (ou outro objeto) a uma se atingir um objetivo e, em relação aos jogadores, envolvem, entre outras coisas, as funções que
meta ou setor da quadra/campo defendida pelos adversários, protegendo, simultaneamente, o realizam em uma partida. Pode-se criar momentos de discussão nos quais os alunos dialogam sobre
próprio alvo, meta ou setor do campo; e os esportes técnico-combinatórios são quando o resultado
da ação motora é comparado à qualidade do movimento segundo padrões técnico-combinatórios. os objetivos do jogo e sobre como podem organizar-se dentro de suas possibilidades e limitações
individuais, propondo novas organizações táticas. Uma possibilidade de organização da habilidade
Na elaboração do currículo, pode-se apresentar aos alunos as diversas definições de esporte
por anos pode
utilizadas propor
no Brasil, queorigem
a sua se iniciem as aprendizagens
e o seu significado. Umcom modalidades
exemplo que fazem
é o "Manifesto parte do
Mundial do
contexto social dos alunos para modalidades menos familiares a eles.
Analisar as transformações na organização e na prática dos esportes significa compreender que a Esporte", criado pela UNESCO, e que divide o esporte em esporte educacional, voltado para crianças
prática corporal caracteriza-se originalmente pela comparação de um determinado desempenho e adolescentes em idade escolar (fundamental e médio), esporte de participação, praticado no
Esportes de marca Esportes de (EF67EF06) Analisar as transformações na tempo livre, em situações de lazer e com finalidade de bem-estar físico e psicológico, e esporte de
precisão organização e na prática dos esportes em suas entre indivíduos ou grupos (adversários), regida por um conjunto de regras formais, alto rendimento, que são as práticas fundamentadas na competição, com regras e normas rígidas e
Educação Física 6º; 7º Esportes institucionalizadas por organizações (associações, federações e confederações esportivas), as quais
Esportes de invasão diferentes manifestações (profissional e com o objetivo de superação, competição e vitória. Uma possibilidade de organização da habilidade
Esportes técnico-combinatórios comunitário/lazer). definem as normas de disputa e promovem o desenvolvimento das modalidades em todos os níveis por anos segundo um critério de complexidade seria iniciar com aprendizagens sobre as
de competição. Com o passar do tempo, passou-se a utilizar o termo esporte para definir uma série
de atividades no contexto de lazer, da educação e da saúde. aproximações do esporte com o jogo, que permite a adaptação de regras e espaços e um caráter
mais informal, até o estudo do esporte formal, como uma manifestação cultural de grande impacto
em nossa sociedade, que é orientada para a competição, exclusão dos menos hábeis,
profissionalismo, treinamento exaustivo e regras rígidas.

Na elaboração do currículo, uma dimensão importante a se abordar é a relação entre as ações


motoras e os espaços criados a partir da interação pessoa em movimento e ambiente. Ao
realizarmos ações motoras em ambientes, criamos espaços em que podemos nos adaptar,
Propor e produzir alternativas, nesta habilidade, refere-se às aprendizagens que possibilitam ao
transformar ou controlar o local de acordo com nossa necessidade. Portanto, as ações
Esportes de marca Esportes de (EF67EF07) Propor e produzir alternativas para aluno ter condições de realizar, de forma autônoma, uma determinada prática corporal, não só compreendidas pela presente habilidade podem ser contextualizadas pelo currículo local por meio
durante as aulas, como também para além delas. Ao experimentar os esportes e outras práticas
Educação Física 6º; 7º Esportes precisão experimentação dos esportes não disponíveis corporais, como jogos, brincadeiras, danças, ginásticas e lutas na escola, os alunos devem dialogar da orientação à observação e registro dos espaços públicos disponíveis no entorno da escola, nos
Esportes de invasão e/ou acessíveis na comunidade e das demais sobre quais não praticam e não observam pessoas praticando nos espaços que frequentam e, quais podem ser propostas intervenções para adaptação e prática dos esportes aprendidos na
Esportes técnico-combinatórios práticas corporais tematizadas na escola. escola. Podem ser propostos encontros entre agentes do poder público, líderes comunitários e a
baseados nas características desses espaços, dialogar sobre soluções que possam fazer outras escola, propondo soluções sobre como utilizar esses espaços para que esses esportes possam se
pessoas praticá-los.
tornar acessíveis à comunidade. Uma possibilidade de organização da habilidade por anos pode
propor que os alunos se organizem inicialmente para produzir alternativas de práticas nos espaços
disponíveis
Na no entorno
elaboração da escola,
do currículo, ampliandopode
esta habilidade essasser
ações para outros
aprofundada ambientes
propondo da comunidade.
relações entre as
capacidades físicas, que são características que nossos movimentos apresentam e que podem ser
aprimoradas, como a força muscular, a resistência muscular, a flexibilidade, o equilíbrio a velocidade,
Experimentar significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas pela experiência e as estruturas corporais, como ossos, músculos, articulações, coração, pulmões e o cérebro e o
corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. O fruir se relaciona às aprendizagens que sistema nervoso. É interessante que os alunos relacionem um determinado exercício, como uma
corrida de média ou longa distância, às capacidades físicas solicitadas, como a resistência
(EF67EF08) Experimentar e fruir exercícios físicos permitem ao aluno desfrutar da realização de uma determinada prática corporal ou apreciá-la cardiorrespiratória e a força muscular, às principais estruturas corporais utilizadas, como músculos,
que solicitem diferentes capacidades físicas, quando realizada por outros. Exercícios físicos são tipos de atividades físicas orientadas para um
Educação Física 6º; 7º Ginásticas Ginástica de condicionamento identificando seus tipos (força, velocidade, determinado fim e, no caso da habilidade, se relacionam com a aptidão física. As capacidades físicas ossos e articulações das pernas e o coração e os pulmões na captação e transporte de oxigênio. Um
físico ponto importante de os currículos locais evidenciarem constitui a importância do aprimoramento
resistência, flexibilidade) e as sensações são características que nossos movimentos apresentam e que podem ser aprimoradas com o
corporais provocadas pela sua prática. treinamento. As sensações provocadas pelo exercício físico dependem da intensidade, modalidade das capacidades físicas para realizar tarefas em situações do cotidiano, como a resistência muscular
de exercício e do nível de condicionamento dos praticantes, e podem incluir ofegância, fadiga ou para subir escadas ou um terreno íngreme ou a força muscular para carregar uma mochila, uma
sacola de compras ou varrer o chão da casa. Uma possibilidade de aumento da complexidade da
sudorese. habilidade pode propor o estudo de modalidades de exercícios que trabalhem capacidades físicas
isoladamente para exercícios combinando capacidades físicas. Há, aqui, oportunidade para o
trabalho interdisciplinar com a habilidade (EF69AR11), da Arte, no que se refere à experimentação e
análise de fatores do movimento.
O construir coletivamente a que a habilidade se refere é um processo que demanda outras Na elaboração do currículo, as aprendizagens necessárias para incluir a participação de todos na
habilidades, como conhecer e experimentar os diferentes tipos de exercícios e compreender as prática de exercícios com o objetivo de promover a saúde devem enfatizar processos que levem os
características dessa prática corporal. Exercícios físicos são tipos de atividades físicas orientadas para alunos a: a) Compreenderem a relação entre exercício físico e saúde, identificando as principais
(EF67EF09) Construir, coletivamente, um determinado fim e, no caso da habilidade, se relacionam com a aptidão física. Procedimentos e capacidades físicas e estruturas corporais envolvidas nesses processos. b) Reconhecerem que
procedimentos e normas de convívio que
Ginástica de condicionamento normas de convívio que viabilizem a participação de todos na prática de exercícios físicos significa existem diferenças de condicionamento físico entre eles e propor atividades que sejam adequadas a
Educação Física 6º; 7º Ginásticas físico viabilizem a participação de todos na prática de que os alunos devem propor práticas respeitando as características individuais, nível de todos. Uma possibilidade de aumento da complexidade da habilidade pode propor o estudo de
exercícios físicos, com o objetivo de promover a condicionamento e gosto pessoal de cada aluno. Os exercícios físicos recomendados para a modalidades de exercícios que trabalhem capacidades físicas isoladamente para exercícios
saúde.
promoção da saúde para esta faixa etária devem ser de intensidade moderada a vigorosa e incluir combinando capacidades físicas. Há, aqui, oportunidade de trabalho interdisciplinar com as
exercícios aeróbicos e exercícios resistidos (exercícios realizados contra uma resistência, o que pode habilidades (EF69LP23), (EF69LP24), (EF69LP28) e (EF67LP15), da Língua Portuguesa, no que se
ser feito com o próprio corpo ou com a utilização de pesos). refere
Na elaboração
à compreensão
do currículo,
e contribuição
é importante
compropor
textos normativos
aprendizagens
e regramentos.
que diferenciem a atividade física,
que constitui qualquer movimento realizado pelos músculos esqueléticos, produzindo um gasto
energético acima do repouso, e o exercício físico, que é um tipo de atividade física que consiste em
movimentos corporais programados, estruturados e sistematicamente repetitivos que têm objetivos
específicos, como melhorar o condicionamento físico para a saúde ou desempenho esportivo. Os
currículos locais podem propor temas de interesse dos estudantes, como observar e registrar as
Diferenciar exercício físico de atividade física demanda compreender essas duas manifestações. atividades que fazem no seu dia a dia, observando se são fisicamente ativos, e diferenciando quais
(EF67EF10) Diferenciar exercício físico de Atividades físicas são qualquer movimento corporal utilizando os músculos esqueléticos. O exercício são atividades físicas de quais são exercícios físicos. Por exemplo, alguns alunos permanecem mais
físico é um tipo de atividade física orientado para um determinado fim, como melhorar o tempo em atividades sedentárias, outros caminham bastante, ajudam os familiares nas tarefas de
Educação Física 6º; 7º Ginásticas Ginástica de condicionamento atividade física e propor alternativas para a desempenho físico de um atleta ou aprimorar a aptidão física para a saúde. Propor alternativas para casa ou praticam uma modalidade esportiva de modo sistematizado. A partir dessa observação,
físico prática de exercícios físicos dentro e fora do
ambiente escolar. a prática de exercícios físicos dentro e fora do ambiente escolar significa que os alunos devem se pode-se discutir sobre a importância de ser fisicamente ativo, quais são as capacidades físicas
apropriar dos conhecimentos sobre tipos de exercício físico e possibilidades de praticá-los fora do importantes para a saúde e como desenvolver essas capacidades utilizando locais e meios
ambiente escolar, como, por exemplo, correr, fazer séries de abdominais ou flexões de braços. disponíveis no seu dia a dia de forma segura. Além disso, pode-se aprofundar a habilidade
relacionando as capacidades físicas às estruturas corporais envolvidas no exercício — por exemplo,
na capacidade cardiorrespiratória, há o envolvimento conjunto das estruturas dos músculos, coração
e pulmões. Uma possibilidade de organização da habilidade por anos pode partir de ações criadas
pelos alunos para aumentar a quantidade de atividade física realizada por eles diariamente,
ampliando para sugestões para a comunidade escolar, como pais, professores e demais funcionários
Experimentar significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas pela experiência da escola
Na elaboração
e, a seguir,
do currículo,
para a sugere-se
comunidadequeem
osgeral.
alunos identifiquem a presença das capacidades físicas
corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. O fruir se relaciona às aprendizagens que durante as práticas das danças. Além do ritmo, que é um elemento constituinte das danças, outras
capacidades, como a coordenação motora, o equilíbrio, a agilidade, a flexibilidade, entre outras,
(EF67EF11) Experimentar, fruir e recriar danças permitem ao aluno desfrutar da realização de uma determinada prática corporal ou apreciá-la estão presentes nas práticas. A experimentação das danças deve ser incentivada como fator de
quando realizada por outros. Danças urbanas são modalidades de danças que surgiram em guetos e
Educação Física 6º; 7º Danças Danças urbanas urbanas, identificando seus elementos centros urbanos, em geral praticadas em espaços públicos, fora de ambientes formais. Os elementos ampliação de repertório motor dos alunos e como oportunidade de se conhecer diferentes
constitutivos (ritmo, espaço, gestos). manifestações culturais da prática corporal. Além disso, o estudo do elemento constituinte espaço
constitutivos das danças são: (1) ritmo, que é um movimento que ocorre com uma recorrência
regular; (2) espaço, que refere-se ao ambiente físico no qual nos movimentamos em uma relação de possibilita interações com o componente curricular de Geografia. Uma possibilidade de organização
interação, adaptação e transformação; e (3) gesto, que é o movimento aliado a um significado, que da habilidade por anos segundo um critério de complexidade pode ser desenvolvida promovendo
aprendizagens sobre o percurso histórico das danças urbanas, partindo-se das suas modalidades
constitui a expressão daquilo que é observado nos movimentos de quem dança. originais para aquelas que são praticadas nos dias de hoje.

Na elaboração do currículo, sugere-se que os alunos identifiquem a presença das capacidades físicas
Planejar e utilizar estratégias refere-se ao conhecimento originado pela observação e análise das durante as práticas das danças. Além do ritmo, que é um elemento constituinte das danças, outras
próprias experiências corporais e daquelas realizadas por outros. Trata-se de um ato intencional, capacidades, como a coordenação motora, o equilíbrio, a agilidade, a flexibilidade, entre outras,
orientado a formular e empregar estratégias de observação e análise para: (a) resolver desafios estão presentes nas práticas. A experimentação das danças deve ser incentivada como fator de
peculiares à prática realizada; (b) apreender novas modalidades; (c) adequar as práticas aos ampliação de repertório motor dos alunos e como oportunidade de se conhecer diferentes
(EF67EF12) Planejar e utilizar estratégias para interesses e às possibilidades próprios e aos das pessoas com quem se compartilha a sua realização. manifestações culturais da prática corporal. Os alunos devem planejar estratégias para aprender os
Educação Física 6º; 7º Danças Danças urbanas aprender elementos constitutivos das danças Os elementos constitutivos das danças são: (1) ritmo, que é um movimento que ocorre com uma elementos constitutivos das danças urbanas, propondo-se, por exemplo, visitas a locais onde pessoas
urbanas. recorrência regular; (2) espaço, que refere-se ao ambiente físico no qual nos movimentamos em uma praticam essas modalidades de danças para observar os movimentos dos praticantes, convidar um
relação de interação, adaptação e transformação; e (3) gesto, que é o movimento aliado a um praticante de danças urbanas para uma visita e oficina na escola ou assistir a vídeos com tutoriais e
significado, que constitui a expressão daquilo que é observado nos movimentos de quem dança. apresentações de danças urbanas. Além disso, o estudo do elemento constituinte espaço possibilita
Danças urbanas são modalidades de danças que surgiram em guetos e centros urbanos, em geral interações com o componente curricular de Geografia. Uma possibilidade de organização da
praticadas em espaços públicos, fora de ambientes formais. habilidade por anos pode seguir um critério de complexidade dos movimentos exigidos nas danças
urbanas.

Na elaboração do currículo, a orientação do trabalho com esta habilidade pode ser realizada
Diferenciar as danças urbanas das demais manifestações da dança significa que os alunos devem retomando as modalidades de dança aprendidas ao longo dos anos anteriores e comparando-as com
vivenciar os diferentes tipos de danças e as danças urbanas, identificando seus elementos as danças urbanas: sua origem e os movimentos que surgiram a partir da sua criação, o significado
(EF67EF13) Diferenciar as danças urbanas das constitutivos e características presentes nessas modalidades, para, então, poder compará-las. As para aqueles que inicialmente praticavam a modalidade e o seu significado nos dias atuais, os
danças urbanas são modalidades de danças que surgiram em guetos e centros urbanos, em geral movimentos dos praticantes em comparação com outras modalidades de dança, as letras das
Educação Física 6º; 7º Danças Danças urbanas demais manifestações da dança, valorizando e praticadas em espaços públicos, fora de ambientes formais. Valorizar e respeitar sentidos e músicas e as vestimentas utilizadas pelos dançarinos, o ambiente físico (espaço) no qual é praticada
respeitando os sentidos e significados atribuídos
a eles por diferentes grupos sociais. significados atribuídos a eles por diferentes grupos sociais significa compreender que as danças etc. Uma possibilidade de organização da habilidade por anos segundo um critério de complexidade
urbanas foram criadas em locais onde viviam pessoas de grupos minoritários e que, com o passar do pode ser desenvolvida promovendo aprendizagens sobre o percurso histórico das danças urbanas,
tempo, foram criadas diversas modalidades de danças urbanas praticadas por diferentes grupos partindo-se das suas modalidades originais para aquelas que são praticadas nos dias de hoje. Há,
sociais. aqui, oportunidade de trabalho interdisciplinar com a habilidade (EF69AR13), da Arte, no que se
refere à investigação de diferentes tipos de danças.

Na elaboração do currículo, pode-se propor o estudo das lutas nos seguintes aspectos: 1) A
compreensão histórica das lutas no Brasil, no que diz respeito a quais são as modalidades típicas
Experimentar significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas pela experiência brasileiras, quais foram introduzidas no país ao longo dos anos e como elas se manifestam nos dias
corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. O fruir se relaciona às aprendizagens que de hoje. 2) A identificação das regras e normas de segurança para a prática das lutas, visto que
(EF67EF14) Experimentar, fruir e recriar permitem ao aluno desfrutar da realização de uma determinada prática corporal ou apreciá-la grande parte das lutas pressupõem contato físico entre os praticantes. 4) As habilidades motoras
diferentes lutas do Brasil, valorizando a própria
Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil segurança e integridade física, bem como as dos quando realizada por outros. Lutas do Brasil, na habilidade, referem-se àquelas praticadas pelo necessárias para a prática das modalidades, como socar, chutar, segurar, agarrar ou empurrar. Todas
território brasileiro, porém, em esferas sociais menos familiares aos alunos. Valorizar a própria elas demandam uma técnica específica, que varia de acordo com a modalidade estudada. 5) As
demais.
segurança e integridade física, bem como as dos demais, refere-se às aprendizagens sobre normas capacidades físicas presentes nas lutas, como a força muscular, a resistência muscular e a potência
de segurança, que incluem questões relativas ao espaço, como, por exemplo, o tipo de solo (areia, muscular, que podem ser aprimoradas com as práticas das lutas. Uma possibilidade de organização
gramado, piso duro), materiais (colchões para amortecer quedas ou utilização de luvas) etc. da habilidade por anos segundo um critério de complexidade pode ser desenvolvida promovendo
aprendizagens sobre as lutas que os alunos praticam para lutas que observam no ambiente social no
qual estão inseridos.
Na elaboração do currículo, pode-se propor o estudo das lutas nos seguintes aspectos: 1) A
compreensão histórica das lutas no Brasil, no que diz respeito a quais são as modalidades típicas
Planejar e utilizar estratégias refere-se ao conhecimento originado pela observação e análise das brasileiras, quais foram introduzidas no país ao longo dos anos e como elas se manifestam nos dias
próprias experiências corporais e daquelas realizadas por outros. Trata-se de um ato intencional, de hoje.2) A identificação das regras e normas de segurança para a prática das lutas, visto que
orientado a formular e empregar estratégias de observação e análise para: (a) resolver desafios grande parte das lutas pressupõem contato físico entre os praticantes. 4) As habilidades motoras
peculiares à prática realizada; (b) apreender novas modalidades; (c) adequar as práticas aos necessárias para a prática das modalidades, como socar, chutar, segurar, agarrar ou empurrar. Todas
(EF67EF15) Planejar e utilizar estratégias básicas interesses e às possibilidades próprios e aos das pessoas com quem se compartilha a sua realização.
elas demandam uma técnica específica que varia de acordo com a modalidade estudada. 5) As
Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil das lutas do Brasil, respeitando o colega como Lutas do Brasil, na habilidade, refere-se àquelas praticadas pelo território brasileiro, porém, em capacidades físicas presentes nas lutas, como a força muscular, a resistência muscular e a potência
oponente.
esferas sociais menos familiares aos alunos. Respeitar o colega como oponente significa muscular, que podem ser aprimoradas com as práticas das lutas. Pode-se propor visitas a centros
compreender que as lutas propõem a oposição entre indivíduos e objetivo centrado no corpo da esportivos, clubes, associações ou outras instituições que promovem as lutas no contexto local para
outra pessoa. Desse modo, devem respeitar as normas da modalidade e discutir sobre que os alunos observem e dialoguem com técnicos e praticantes sobre possibilidades de se praticar
procedimentos de prática que considerem a inclusão de todos com segurança. as lutas adaptando-as às suas características. Uma possibilidade de organização da habilidade por
anos segundo um critério de complexidade pode ser desenvolvida promovendo aprendizagens sobre
as lutas que os alunos praticam para lutas que observam no ambiente social no qual estão inseridos.
Na elaboração do currículo, a orientação a ser dada para o trabalho com esta habilidade pode propor
aprendizagens nas quais deve-se identificar as características das lutas do Brasil, como: 1) A sua
Identificar as características das lutas do Brasil refere-se a aprendizagens sobre alguns de seus origem, quais as pessoas que as praticam e a sua evolução ao longo do tempo; 2) Quais as principais
elementos: a) códigos: condutas que devem assumir durante as práticas; B) rituais: elementos regras das lutas, como encostar as costas do oponente no chão ou retirá-lo de um determinado
específicos que fazem parte da luta, como cumprimentar o adversário e o juiz antes do espaço; 3) Os objetivos das lutas, por exemplo, se são disputadas como forma de entretenimento, de
(EF67EF16) Identificar as características (códigos,
enfrentamento; c) elementos técnico-táticos: são movimentos específicos que os praticantes devem celebração ou ritual, como em algumas lutas indígenas; 4) Quais as habilidades motoras utilizadas
rituais, elementos técnico-táticos, indumentária,
Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil dominar, como os rolamentos, técnicas de projeção e técnicas de imobilização no judô; d) nas lutas, como o empurrar, agarrar, arrastar ou puxar; 5) Quais as capacidades físicas solicitadas
materiais, instalações, instituições) das lutas do
indumentária: são as vestimentas utilizadas, como o quimono no karatê; e) materiais: equipamentos durante as lutas, como a força muscular, a resistência muscular e o equilíbrio; 6) Qual o ambiente
Brasil.
utilizados pelos lutadores, como luvas, protetores de boca, protetores de cabeça etc.; d) instalações: físico no qual é praticada, como ringue, tatame, espaços abertos ou fechados; 7) Quais as
locais de disputa, como tatames ou ringues. Lutas do Brasil, na habilidade, refere-se àquelas vestimentas dos praticantes, como luvas, protetores, quimonos, e a sua utilidade durante as lutas.
praticadas pelo território brasileiro, porém, em esferas sociais menos familiares aos alunos. Uma possibilidade de organização da habilidade por anos segundo um critério de complexidade
pode ser desenvolvida promovendo aprendizagens sobre as características das lutas que os alunos
Na elaboração do currículo, é interessante que os alunos identifiquem que o preconceito parte de
praticam para lutas que observam no ambiente social no qual estão inseridos.
uma opinião ou conceito formado antes de se terem os conhecimentos adequados sobre o assunto.
Pode-se, desse modo, propor aprofundamentos sobre algumas leis que possibilitam reflexões sobre
os direitos dos brasileiros, o Estatuto do Índio ou o Estatuto da Igualdade Racial ou a Declaração
Universal dos Direitos Humanos. Os alunos devem reconhecer que as lutas e demais práticas
(EF67EF17) Problematizar preconceitos e Problematizar preconceitos e estereótipos significa fazer questionamentos e reflexões relacionados corporais são manifestações da cultura corporal de movimento a que todo cidadão tem direito.
ao universo das lutas e demais práticas, como esportes, danças, jogos e brincadeiras e ginásticas, Podem-se propor visitas a instituições locais que promovam lutas ou convidar praticantes de lutas da
estereótipos relacionados ao universo das lutas
e demais práticas corporais, propondo observando que são praticados de formas diferentes de acordo com a sua origem e o ambiente localidade para uma visita à escola e promover diálogos com os alunos, investigando quais as
Educação Física 6º; 7º Lutas Lutas do Brasil social no qual se manifestam, e que o contato com práticas de culturas diferentes pode gerar principais situações de preconceito ou estigmatização aos praticantes das modalidades e alternativas
alternativas para superá-los, com base na situações de não aceitação e intolerância. As aprendizagens sobre as origens das práticas corporais e para superá-las. Uma possibilidade de organização da habilidade por anos pode propor inicialmente
solidariedade, na justiça, na equidade e no o seu significado para aqueles que as praticam constituem elementos importantes para se discutir e a investigação e proposição de combate a preconceitos nas lutas, ampliando, em anos posteriores,
respeito.
debater soluções para a superação de injustiça e preconceitos expressos nessas manifestações. para outras práticas corporais. Há, aqui, oportunidade de trabalho interdisciplinar com a habilidade
(EF69AR15), da Arte, no que se refere à problematização de estereótipos e preconceitos
relacionados a práticas corporais. Há, também, oportunidade de trabalho interdisciplinar com as
habilidades (EF69LP01), (EF69LP11), (EF69LP13), (EF69LP14), (EF69LP15), (EF06LP01), (EF67LP19), da
Língua Portuguesa; e (EF69AR33), da Arte, no que se refere à compreensão crítica de diferentes
Experimentar significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas pela experiência pontos
Na elaboração
de vistado
sobre
currículo,
temasécontroversos
possível explorar
e de relevância
aprendizagens
social.
sobre os princípios dos esportes de
corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. O fruir se relaciona às aprendizagens que
permitem ao aluno desfrutar da realização de uma determinada prática corporal ou apreciá-la aventuras, que surgiram como alternativa aos esportes tradicionais, com modalidades onde não há
regras que delimitam a sua prática. Os praticantes buscam descobrir soluções e superar seus
quando realizada por outros. As práticas corporais de aventura urbana exploram formas de
experimentação corporal em ambientes urbanos, centradas nas perícias e proezas provocadas pelas próprios limites ao executar uma manobra ou transpor um obstáculo. Os currículos podem propor
(EF67EF18) Experimentar e fruir diferentes situações de aprendizagens que permitam a identificação dessas características durante a sua
Práticas corporais de Práticas corporais de aventura práticas corporais de aventura urbanas, situações de imprevisibilidade que se apresentam quando o praticante interage com um ambiente prática, como, por exemplo, em uma sequência sobre a modalidade de aventura urbana de Parkour,
Educação Física 6º; 7º aventura urbanas valorizando a própria segurança e integridade desafiador. Valorizar a própria integridade física e as dos demais significa reconhecer que, como as pode-se: 1) Analisar o ambiente e os percursos possíveis de serem realizados; 2) Propor percursos de
práticas corporais de aventura não possuem regras ou normas de conduta, os participantes devem
física, bem como as dos demais. utilizar os conhecimentos sobre si, sobre os materiais a serem utilizados e sobre o ambiente no qual acordo com a própria habilidade; 3) Discutir sobre como aprimorar as habilidades motoras e
capacidades físicas necessárias para superar desafios mais complexos;4) Propor o aumento dos
irão se movimentar para criar suas próprias práticas, tomando cuidado com o bem-estar de todos.
Por exemplo, durante uma prática de skate, os alunos que não têm contato com o equipamento desafios de acordo com o próprio desenvolvimento. Uma possibilidade de organização da habilidade
por anos pode propor inicialmente a investigação e proposição de práticas de aventura urbana que
devem procurar formas de práticas seguras, como andar inicialmente sentados, apoiando na parede conhecem ou praticam para aquelas que não fazem parte do seu contexto social.
ou com o auxílio dos colegas.

Na elaboração do currículo, deve-se propor aprendizagens aos alunos sobre as práticas de aventura
Identificar os riscos significa reconhecer que as práticas corporais de aventura urbana possuem uma
urbanas que permitam a eles identificar as estratégias necessárias para identificar e controlar os
característica de incerteza quanto a modos de prática e quanto a objetivos a serem atingidos, possíveis riscos, que podem incluir os locais no qual serão realizadas as práticas, quem irá participar,
portanto, é uma prática onde os riscos estão presentes e devem ser gerenciados. As práticas
corporais de aventura urbana exploram formas de experimentação corporal em ambientes urbanos, quais habilidades motoras são requisitadas para as atividades e quais os materiais e recursos
(EF67EF19) Identificar os riscos durante a disponíveis. De posse dessas informações, os alunos devem discutir coletivamente sobre maneiras
centradas nas perícias e proezas provocadas pelas situações de imprevisibilidade que se apresentam
Práticas corporais de Práticas corporais de aventura realização de práticas corporais de aventura de se realizar as práticas de modo que todos possam participar com segurança, como, por exemplo,
Educação Física 6º; 7º quando o praticante interage com um ambiente desafiador. Os reconhecimentos dos riscos na
aventura urbanas urbanas e planejar estratégias para sua criar obstáculos de diferentes tamanhos ou criar situações de desafio de níveis variados para que
presença dessas práticas corporais devem servir de base para discutir quais modalidades serão
superação. possam praticar as modalidades escolhidas de acordo com as suas habilidades. À medida que
realizadas e quais principais ações motoras estão presentes na sua realização. A partir dessa análise,
progridem, podem escolher desafios de maior dificuldade. Uma possibilidade de organização da
devem estabelecer coletivamente medidas para superar os riscos, como utilizar equipamentos de habilidade por anos pode propor inicialmente a investigação do risco e a proposição de estratégias
segurança, realizar as práticas com auxílio dos colegas ou organizar as práticas de acordo com as
habilidades dos praticantes. de segurança de práticas de aventura urbana que conhecem ou praticam para aquelas que não
fazem parte do seu contexto social.
Na elaboração do currículo, é importante que os alunos aprendam os conceitos de patrimônio
Executar significa se apropriar de aprendizagens que só podem ser acessadas pela experiência público, que são bens que estão à disposição da coletividade e não se referem apenas a bens
corporal, ou seja, devem ser efetivamente vivenciadas. As práticas corporais de aventura urbana materiais. A Lei de Ação Popular nº 4.717/65 define patrimônio público, em seu artigo 1º, parágrafo
exploram formas de experimentação corporal em ambientes urbanos, centradas nas perícias e 1º, como o conjunto de bens e direitos de valor econômico, artístico, estético, histórico ou turístico.
proezas provocadas pelas situações de imprevisibilidade que se apresentam quando o praticante Uma das classificações de bens públicos são os "bens de uso comum do povo", que incluem os rios,
(EF67EF20) Executar práticas corporais de interage com um ambiente desafiador. Patrimônio público é um conjunto de bens à disposição da mares, estradas, ruas e praças, entre outros. O currículo deve propor reflexões sobre a noção de
Práticas corporais de Práticas corporais de aventura aventura urbanas, respeitando o patrimônio população e que deve ser utilizado com um senso de coletividade e preservação. Utilizar alternativas patrimônio público como um conjunto de bens e direitos que pertence a todos e não a um
Educação Física 6º; 7º
aventura urbanas público e utilizando alternativas para a prática para práticas seguras significa considerar os seguintes elementos: a) Qual prática será realizada; b) determinado indivíduo ou entidade. Pode-se propor visitas a bens públicos para que os alunos
segura em diversos espaços. Quem irá realizar essa prática; c) Quais habilidades motoras são requisitadas para as práticas; d) Qual
observem, analisem e vivenciem modalidades de aventuras urbanas nesses espaços, propondo
o local de realização das práticas; e) Quais os materiais e recursos disponíveis. A partir da análise práticas que sejam seguras tanto para si mesmos como para os seus frequentadores, e que
desses elementos, os alunos devem refletir sobre maneiras de realização das práticas de aventuras preservem o bem público para que outras pessoas possam usufruir desses locais. Uma possibilidade
urbanas nos espaços públicos disponíveis, analisando os riscos tanto para si mesmos como para os de organização da habilidade por anos pode propor inicialmente as práticas nos bens públicos no
frequentadores e propondo soluções para uma prática segura. entorno da escola, ampliando para a observação e proposição de práticas em locais que os alunos
frequentam
Na elaboração
nodoseucurrículo,
dia a dia.é interessante que se proponham aprendizagens sobre as práticas
corporais de aventura urbana que incluam: 1) A sua origem, quais as pessoas que as praticavam, a
sua evolução ao longo do tempo e quais as pessoas que as praticam atualmente; 2) Quais os
Identificar a origem das práticas corporais de aventura significa compreender que essas princípios das práticas, como a ausência de regras e a superação de limites; 3) Quais as habilidades
manifestações surgiram da vontade de superar obstáculos impostos pela natureza, resultando em
motoras requeridas para a sua prática e como podemos aprendê-las e aprimorá-las; 4) Quais as
(EF67EF21) Identificar a origem das práticas modalidades de práticas não convencionais. Recriar é um processo que demanda uma série de capacidades físicas solicitadas durante a sua prática, como o equilíbrio, a agilidade, o tempo de
corporais de aventura e as possibilidades de outras aprendizagens e que, nesta habilidade, pressupõe que os alunos reconheçam suas
Práticas corporais de Práticas corporais de aventura recriá-las, reconhecendo as características características, como: a) Instrumentos: materiais utilizados para as práticas, como bicicleta, skate, reação e a flexibilidade; 5) Qual o ambiente físico no qual são praticadas, como rua, parque, local
Educação Física 6º; 7º com obstáculos, espaços abertos ou fechados; 7) Quais as vestimentas dos praticantes, como luvas,
aventura urbanas (instrumentos, equipamentos de segurança, cordas, pranchas de surfe; b) Equipamentos de segurança: capacete, luvas, colete salva-vidas,
capacetes, óculos, joelheiras, e a sua utilidade durante a prática; 8) Quais as principais práticas
indumentária, organização) e seus tipos de joelheiras, entre outros; c) Indumentária: vestimentas apropriadas para as práticas, como bermudas corporais de aventura urbana que existem atualmente e como recriá-las adaptando os espaços e
práticas. largas para a prática do skate ou calçados reforçados para o montanhismo; d) Organização: refere-se
materiais disponíveis. Uma possibilidade de organização da habilidade por anos pode propor
a possíveis classificações das práticas, como, por exemplo, o ambiente físico no qual são realizadas inicialmente aprendizagens sobre as práticas que podem adaptar na escola para práticas que
(água, ar, terra).
utilizem os espaços disponíveis no entorno da escola, partindo para a solicitação de que alunos
observem e compartilhem outros locais que frequentam e que têm potencial para as práticas,
discutindo sobre como realizá-las nesses ambientes.
Língua Inglesa

COMPONENTE ANO/FAIXA EIXO UNIDADES TEMÁTICAS OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES

(EF07LI01) Interagir em situações de intercâmbio


Funções e usos da língua inglesa:
Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Interação discursiva convivência e colaboração em oral para realizar as atividades em sala de aula,
sala de aula de forma respeitosa e colaborativa, trocando
ideias e engajando-se em brincadeiras e jogos.

Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Interação discursiva Práticas investigativas (EF07LI02) Entrevistar os colegas para conhecer
suas histórias de vida.

Estratégias de compreensão de
(EF07LI03) Mobilizar conhecimentos prévios
Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Compreensão oral textos orais: conhecimentos para compreender texto oral.
prévios

(EF07LI04) Identificar o contexto, a finalidade, o


Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Compreensão oral Compreensão de textos orais de assunto e os interlocutores em textos orais
cunho descritivo ou narrativo presentes no cinema, na internet, na televisão,
entre outros.

(EF07LI05) Compor, em língua inglesa, narrativas


Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Produção oral Produção de textos orais, com orais sobre fatos, acontecimentos e
mediação do professor personalidades marcantes do passado.

(EF07LI06) Antecipar o sentido global de textos


Compreensão geral e específica: em língua inglesa por inferências, com base em
Língua Inglesa 7º Eixo leitura Estratégias de leitura leitura rápida (skimming, leitura rápida, observando títulos, primeiras e
scanning) últimas frases de parágrafos e palavras-chave
repetidas.

Compreensão geral e específica: (EF07LI07) Identificar a(s) informação(ões)-chave


Língua Inglesa 7º Eixo leitura Estratégias de leitura leitura rápida (skimming, de partes de um texto em língua inglesa
scanning) (parágrafos).

Construção do sentido global do (EF07LI08) Relacionar as partes de um texto


Língua Inglesa 7º Eixo leitura Estratégias de leitura
texto (parágrafos) para construir seu sentido global.

(EF07LI09) Selecionar, em um texto, a


Língua Inglesa 7º Eixo leitura Práticas de leitura e pesquisa Objetivos de leitura informação desejada como objetivo de leitura.

Leitura de textos digitais para (EF07LI10) Escolher, em ambientes virtuais,


Língua Inglesa 7º Eixo leitura Práticas de leitura e pesquisa textos em língua inglesa, de fontes confiáveis,
estudo para estudos/pesquisas escolares.

(EF07LI11) Participar de troca de opiniões e


Língua Inglesa 7º Eixo leitura Atitudes e disposições favoráveis Partilha de leitura informações sobre textos, lidos na sala de aula
do leitor ou em outros ambientes.

Estratégias de escrita: pré- Pré-escrita: planejamento de (EF07LI12) Planejar a escrita de textos em função
Língua Inglesa 7º Eixo escrita produção escrita, com mediação do contexto (público, finalidade, layout e
escrita e escrita
do professor suporte).

(EF07LI13) Organizar texto em unidades de


Estratégias de escrita: pré- Escrita: organização em sentido, dividindo-o em parágrafos ou tópicos e
Língua Inglesa 7º Eixo escrita parágrafos ou tópicos, com subtópicos, explorando as possibilidades de
escrita e escrita mediação do professor organização gráfica, de suporte e de formato do
texto.

Produção de textos escritos, em (EF07LI14) Produzir textos diversos sobre fatos,


Língua Inglesa 7º Eixo escrita Práticas de escrita formatos diversos, com acontecimentos e personalidades do passado
mediação do professor (linha do tempo/ timelines, biografias, verbetes
de enciclopédias, blogues, entre outros).

(EF07LI15) Construir repertório lexical relativo a


Eixo conhecimentos verbos regulares e irregulares (formas no
Língua Inglesa 7º Estudo do léxico Construção de repertório lexical passado), preposições de tempo (in, on, at) e
linguísticos
conectores (and, but, because, then, so, before,
after, entre outros).

Língua Inglesa 7º Eixo conhecimentos Estudo do léxico Pronúncia (EF07LI16) Reconhecer a pronúncia de verbos
linguísticos regulares no passado (-ed).

Língua Inglesa 7º Eixo conhecimentos Estudo do léxico Polissemia (EF07LI17) Explorar o caráter polissêmico de
linguísticos palavras de acordo com o contexto de uso.

Eixo conhecimentos Passado simples e contínuo (EF07LI18) Utilizar o passado simples e o passado
Língua Inglesa 7º linguísticos Gramática (formas afirmativa, negativa e contínuo para produzir textos orais e escritos,
interrogativa) mostrando relações de sequência e causalidade.

Língua Inglesa 7º Eixo conhecimentos Gramática Pronomes do caso reto e do (EF07LI19) Discriminar sujeito de objeto
linguísticos caso oblíquo utilizando pronomes a eles relacionados.

(EF07LI20) Empregar, de forma inteligível, o


Língua Inglesa 7º Eixo conhecimentos Gramática Verbo modal can (presente e verbo modal can para descrever habilidades (no
linguísticos passado)
presente e no passado).

Eixo dimensão A língua inglesa como língua (EF07LI21) Analisar o alcance da língua inglesa e
Língua Inglesa 7º intercultural A língua inglesa no mundo global na sociedade os seus contextos de uso no mundo globalizado.
contemporânea

(EF07LI22) Explorar modos de falar em língua


Língua Inglesa 7º Eixo dimensão Comunicação intercultural Variação linguística inglesa, refutando preconceitos e reconhecendo
intercultural a variação linguística como fenômeno natural
das línguas.

(EF07LI23) Reconhecer a variação linguística


Língua Inglesa 7º Eixo dimensão Comunicação intercultural Variação linguística como manifestação de formas de pensar e
intercultural
expressar o mundo.
Língua Inglesa
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC
COMPONENTE ANO/FAIXA EIXO UNIDADES TEMÁTICAS OBJETOS DE CONHECIMENTO HABILIDADES COMENTÁRIO POSSIBILIDADES PARA O CURRÍCULO

Interagir em situações de intercâmbio oral significa comunicar-se em uma interação Na elaboração do currículo, esta habilidade pode ser desenvolvida por meio de
(EF07LI01) Interagir em situações de intercâmbio social, tendo a oportunidade de vivência oral com o idioma . Realizar atividades de atividades de interação oral, e de brincadeiras (que vão desde jogos tradicionais
Funções e usos da língua inglesa: forma respeitosa e colaborativa diz respeito a utilizar a língua oral com um ou mais
Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Interação discursiva convivência e colaboração em oral para realizar as atividades em sala de aula, indivíduos, objetivando o cumprimento de uma mesma tarefa coletivamente, de como o jogo da velha, forca, bingo de palavras, jogos de tabuleiro do tipo “snakes
sala de aula de forma respeitosa e colaborativa, trocando maneira respeitosa, em que haja ajuda mútua. A habilidade prevê, ainda, que essa and ladders” ) até passatempos (como palavras cruzadas, caça-palavras, “encontre
ideias e engajando-se em brincadeiras e jogos. interação aconteça em contextos descontraídos de bate-papo, jogos ou as diferenças”, entre outros) . É possível, ainda, destacar a potencialidade da
brincadeiras. habilidade para exercitar a empatia, o diálogo e a cooperação.

Na elaboração do currículo, podem ser sugeridos momentos de interação dirigida,


centrada em perguntas e respostas previamente planejadas. Inicialmente, essa
Entrevistar pressupõe utilizar a língua inglesa para fazer perguntas e coletar interação deve contemplar perguntas sobre a história de vida dos estudantes (por
informações sobre o interlocutor em interação oral. A habilidade amplia o exemplo, (“Where were you born? “ In Fortaleza. ”, “When did you start school?”
Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Interação discursiva Práticas investigativas (EF07LI02) Entrevistar os colegas para conhecer fortalecimento dos laços de amizade do grupo, uma vez que dá a oportunidade In 2007”. “Where did you live then?” In São Paulo.). Os currículos locais devem
suas histórias de vida. para que os estudantes se conheçam melhor, focando agora em aspectos da sua incentivar o uso do inglês pelos estudantes, valorizando o critério da inteligibilidade
vida passada. na interação e afastando a ideia de um modelo ideal de falante. Há, aqui,
oportunidade de trabalho interdisciplinar com as habilidades (EF69LP39) e
(EF67LP14), no que se refere à condução de entrevistas.

Na elaboração do currículo, sugere-se orientar a seleção de textos orais pertinentes


à faixa etária dos estudantes e a seus interesses, que apresentem repertório
linguístico com o qual já tenham entrado em contato ou desenvolvido
Dentre as diversas estratégias que podem ser mobilizadas para a compreensão de anteriormente, que dialoguem com um conhecimento local já construído. Nos
Estratégias de compreensão de textos orais, esta habilidade refere-se a a estratégia que antecede a escuta e se currículos, esta habilidade pode dialogar com as habilidades do eixo leitura, tais
(EF07LI03) Mobilizar conhecimentos prévios
Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Compreensão oral textos orais: conhecimentos para compreender texto oral. apoia nos conhecimentos prévios. Mobilizar os conhecimentos prévios pressupõe como: (EF07LI07), (EF07LI08), (EF07LI09) e (EF07LI11), afinal, as estratégias de
prévios acionar saberes previamente adquiridos sobre o gênero, o vocabulário e/ou o compreensão de textos em inglês, sejam eles orais ou escritos, se assemelham,
assunto do texto oral selecionado para antecipar aspectos da compreensão deste. apesar das particularidades de cada uma das modalidades da língua. Esta
habilidade pode ser trabalhada de modo articulado com a do eixo conhecimento
linguístico que remete à observação da pronúncia dos verbos regulares no passado
(EF07LI16).

Na elaboração do currículo, sugere-se orientar a seleção de textos orais


pertinentes à faixa etária dos estudantes e a seus interesses, que apresentem
temas que dialoguem com um conhecimento local já construído. Esses textos
devem ser tirados de cenas de filmes conhecidos, vídeos da internet, séries de
(EF07LI04) Identificar o contexto, a finalidade, o Esta habilidade refere-se à compreensão de informações gerais do texto oral pelo televisão (adequadas à faixa etária dos estudantes), entre outras dessas mídias.
Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Compreensão oral Compreensão de textos orais de assunto e os interlocutores em textos orais reconhecimento do contexto, da finalidade, do assunto e dos interlocutores. Nos currículos, esta habilidade pode ser desenvolvida em articulação com as
cunho descritivo ou narrativo presentes no cinema, na internet, na televisão, Recomenda-se o uso de textos orais de cunho descritivo ou narrativo, presentes em habilidades do eixo leitura, tais como: (EF07LI07), (EF07LI08), (EF07LI09) e
entre outros. mídias como cinema, televisão e internet. (EF07LI11), afinal, as estratégias de compreensão de textos em inglês, sejam eles
orais ou escritos, se assemelham, apesar das particularidades de cada uma das
modalidades da língua. Ampliar o estudo do texto selecionado permite articulação
dessa habilidade com as do eixo conhecimento linguístico, como, por exemplo, a
observação da pronúncia dos verbos regulares no passado (EF07LI16).
Na elaboração do currículo, é importante orientar que a prática oral aconteça em
situações significativas de uso da língua inglesa, como, por exemplo, em
apresentações em eventos escolares, com a audiência constituída pelos colegas da
sala, ou dos membros da comunidade escolar. Os currículos locais devem destacar
a importância do desenvolvimento das habilidades do eixo conhecimentos
Compor significa produzir um texto oral autoral. A habilidade amplia a temática da linguísticos para repertoriar a produção do texto oral proposto nesta habilidade.
(EF07LI05) Compor, em língua inglesa, narrativas produção oral em língua inglesa que, no ano anterior, se concentrava na descrição Para falar sobre fatos e acontecimentos do passado, por exemplo, os estudantes
Língua Inglesa 7º Eixo oralidade Produção oral Produção de textos orais, com orais sobre fatos, acontecimentos e de assuntos familiares (gostos, preferências, família, escola) no tempo presente e, devem ter vivido experiências de uso da língua em atividades orais, e observado o
mediação do professor personalidades marcantes do passado. agora, é ampliada para narrativas sobre fatos, acontecimentos e personalidades
marcantes no tempo passado (como biografias de pessoas famosas, descrição de funcionamento em atividades de uso, análise e reflexão de textos orais e escritos
atividades realizadas no dia anterior, narração das férias passadas etc.). trabalhados anteriormente, que forneceram um repertório (por exemplo, relativo
às habilidades (EL07LI15), sobre verbos regulares e irregulares, e (EF07LI18, sobre
o uso do passado simples e passado contínuo em inglês. A progressão desta
habilidade acontece gradualmente, ao longo dos anos, com a organização das
atividades de interação oral, inicialmente em torno de assuntos familiares e por
meio de chunks (frases prontas) da língua.

(EF07LI06) Antecipar o sentido global de textos Nesta habilidade, antecipar por inferência o sentido global de um texto significa Na elaboração do currículo, sugere-se orientar a seleção de textos pertinentes à
prever o seu assunto geral por meio da leitura de elementos linguísticos simples, faixa etária dos estudantes e aos seus interesses, referentes a temas que
Compreensão geral e específica: em língua inglesa por inferências, com base em tais como títulos e palavras-chave, reconhecendo significados. Esta habilidade dialoguem com um conhecimento local já construído, e que apresentem repertório
Língua Inglesa 7º Eixo leitura Estratégias de leitura leitura rápida (skimming, leitura rápida, observando títulos, primeiras e refere-se a um procedimento importante da etapa de pré-leitura e ela amplia as linguístico com o qual os alunos já tenham entrado em contato ou desenvolvido
scanning) últimas frases de parágrafos e palavras-chave estratégias desenvolvidas no ano anterior, que se apoiavam em elementos não- anteriormente. Um trabalho integrado com Língua Portuguesa pode apoiar os
repetidas. verbais do texto para antecipar significado (como na EF6LI07). alunos no desenvolvimento desta habilidade.

Na elaboração do currículo, sugere-se orientar a seleção de textos orais, escritos,


multimodais, de diferentes gêneros, pertinentes à faixa etária dos estudantes e de
A habilidade sugere reconhecer as informações principais dos parágrafos de um interesse dos mesmos, que apresentem temas que dialoguem com um
Compreensão geral e específica: (EF07LI07) Identificar a(s) informação(ões)-chave texto. Em ano anterior, a compreensão se concentrava no assunto geral do texto conhecimento local já construído, e que apresentem repertório linguístico com o
Língua Inglesa 7º Eixo leitura Estratégias de leitura leitura rápida (skimming, de partes de um texto em língua inglesa
scanning) (parágrafos). (como na habilidade EF6LI08) e agora ela progride para uma compreensão mais qual os alunos já tenham entrado em contato ou desenvolvido anteriormente. Os
específica. textos podem remeter ainda a aspectos culturais de diferentes povos, e assim,
desenvolver outras habilidades como por exemplo aquelas relacionadas ao eixo
dimensão intercultural.

Na elaboração do currículo, sugere-se enfatizar o trabalho dessa habilidade a partir


A habilidade pressupõe que o estudante compreenda, ainda que superficialmente, da compreensão de textos escritos, multimodais em gêneros sugeridos na
o assunto principal nos parágrafos de um texto para compreender seu introdução do quadro de habilidades do 7º ano, de modo recorrente ao longo do
Construção do sentido global do (EF07LI08) Relacionar as partes de um texto ordenamento (temático, cronológico, por exemplo) para construir seu sentido ano. É recomendável, ainda, explicitar habilidade relativa a compreender os
Língua Inglesa 7º Eixo leitura Estratégias de leitura
texto (parágrafos) para construir seu sentido global. geral. . A habilidade amplia a compreensão de texto escrito que, em ano anterior, elementos que marcam o encadeamento de ideias em sequência (temática ou
estava focada na localização de informações (como na habilidade EF6LI09) e agora cronológica) , destacando que o professor deve ser uma referência para mostrar
exige uma compreensão geral da leitura. aos estudantes como esse encadeamento é apresentado no texto. Nos currículos,
esta habilidade pode ser articulada com as habilidades (EF7LI06) e (EF7LI07).

Na elaboração do currículo, pode-se explicitar habilidade relativa a selecionar


Esta habilidade refere-se à localização e seleção de informações específicas no
texto, orientadas por um objetivo de leitura (por exemplo, para pesquisar um textos escritos cujas temáticas estejam articuladas com a ideia da língua inglesa,
(EF07LI09) Selecionar, em um texto, a informação para um projeto de pesquisa). Por exemplo, quando a finalidade da como instrumento que amplia as possibilidades de acesso ao conhecimento e à
Língua Inglesa 7º Eixo leitura Práticas de leitura e pesquisa Objetivos de leitura informação desejada como objetivo de leitura. ação de ler diz respeito a identificar características de um personagem em um texto compreensão dos valores e interesses de outras culturas. Além disso, sugere-se que
narrativo, o aluno deve procurar por adjetivos que estejam próximos ao seu nome, sejam contemplados textos de gêneros escritos multimodais que circulam nos
diversos campos e esferas sociais, bem como o desenvolvimento de projetos de
relacionando esses elementos e concluindo o objetivo da leitura. pesquisa integrados com conteúdos de outros componentes curriculares.

É esperado que o aluno saiba identificar fontes confiáveis para buscar textos
informativos em inglês publicado em ambientes virtuais. Para o desenvolvimento Na elaboração do currículo, pode-se explicitar habilidades como mapear sites
Leitura de textos digitais para (EF07LI10) Escolher, em ambientes virtuais, desta habilidade, é necessário que o aprendiz saiba quais características específicas interessantes em inglês para pesquisa e estudo de outros componentes
Língua Inglesa 7º Eixo leitura Práticas de leitura e pesquisa textos em língua inglesa, de fontes confiáveis, curriculares, analisar e discutir aspectos relativos à segurança e privacidade na
estudo para estudos/pesquisas escolares. diferenciam fontes confiáveis de fontes não-confiáveis de pesquisa (por exemplo: o internet, confrontar dois ou mais sites que possuam informações conflitantes sobre
site tem um nome conhecido que possui credibilidade? o artigo está assinado? um tema de pesquisa (Em qual site confiar? Por quê?).
etc.).

Esta habilidade refere-se ao comportamento do leitor, e diz respeito a compartilhar Na elaboração do currículo, é possível explicitar habilidades relativas ao
informações sobre o que se leu e emitir opinião sobre o texto. meia formação de desenvolvimento da atitude e disposição favorável do leitor, por meio de
(EF07LI11) Participar de troca de opiniões e um bom leitor em inglês requer tanto o desenvolvimento da capacidade de aplicar momentos em que os estudantes possam compartilhar, de modo espontâneo e
Língua Inglesa 7º Eixo leitura Atitudes e disposições favoráveis Partilha de leitura informações sobre textos, lidos na sala de aula procedimentos de leitura quanto da atitude do leitor. Durante um ato de leitura, livre, as leituras que estão fazendo (por exemplo, de readers online, histórias em
do leitor ou em outros ambientes. esses três aspectos acontecem de forma concomitante e articulada, porém, na