Você está na página 1de 69

Prospecção Tecnológica

Estudos Prospectivos e
a Importância para setores intensivos em
P&D
Estudos Prospectivos

Envolvem o processo sistemático de analisar e


produzir julgamentos sobre características de
tecnologias emergentes, rotas de desenvolvimento e
impactos potenciais no futuro.

Incorporam uma grande variedade de métodos de


prospecção.

O processo sistemático, também conhecido como


Estudo Prospectivo, pode ser realizado por um ou pela
combinação de diversos métodos de prospecção.
Estudos Prospectivos

Os Estudos Prospectivos podem envolver múltiplos


métodos ou técnicas, quantitativos e qualitativos, de
modo a se obter a complementaridade buscando
compensar as possíveis deficiências trazidas pelo uso
de técnicas ou métodos de prospecção isolados.

http://www.cgee.org.br/prospeccao/ acessado em:31/03/21017


Estudos Prospectivos

Estes estudos são conduzidos de


modo a construir conhecimento,
ou seja, buscam agregar valor às
informações do presente, de modo
a transformá-las em conhecimento
e subsidiar os tomadores de
decisão e os formuladores de
políticas destacando rumos e
oportunidades para os diversos
atores sociais.
As atividades de prospecção estão estreitamente
vinculadas ao planejamento estratégico.
Estudos Prospectivos

No que se refere ao desenvolvimento científico e


tecnológico, os estudos prospectivos têm sido
considerados fundamentais para promover a criação e
organizar sistemas de inovação que respondam aos
interesses da sociedade.
Estudos Prospectivos
Os Estudos Prospectivos podem ser divididos em três grandes
grupos:

 Estudos de Futuro (Estudos usando métodos de cenários,


roadmapping etc.);

 Inteligência Competitiva (Processo sistemático de coleta,


tratamento, análise e disseminação da informação sobre os
ambientes competitivo, concorrencial e organizacional,
visando subsidiar o processo decisório e atingir as metas
estratégicas da organização);

 Inteligência Tecnológica (Processo sistemático de coleta,


tratamento, análise e disseminação de informações sensíveis
sobre os desenvolvimentos científicos e tecnológicos
externos à organização que podem afetar sua posição
competitiva).
Fonte: Coelho, G.M., Inteligência Tecnológica. Fundação Dom Cabral, Maio 2012. 143 slides. Apresentação em Power-point.
Objetivos de estudos prospectivos
• Monitorar áreas econômicas, tecnológicas, sociais e ambientais.
• Identificar oportunidades ou ameaças futuras segundo as forças que
orientam o futuro (desejável e indesejável).
• Identificar oportunidades e necessidades mais relevantes para
pesquisas futuras, estabelecendo prioridades.
• Construir futuros, antecipando e entendendo o percurso das
mudanças tecnológicas.
• Promover a circulação de informação e de conhecimento estratégico
para a inovação.
• Prospectar os impactos das pesquisas atuais e da política
tecnológica.
• Descobrir novas demandas sociais, novas possibilidades e novas
ideias.
• Subsidiar o processo de tomada de decisão em C&T&I.
Para que realizar estudos
prospectivos?
Identificar tecnologia, fontes de licenciamento, novos
mercados etc.

Identificar oportunidades:
 parceiros, fornecedores, mercados, demandas, balanças
comerciais, melhores condições de aquisição da tecnologia,
tecnologias alternativas etc.

Identificar padrões:
 países, anos, tecnologias, tipo de produtos, evolução das
tecnologias, fundamentos para investimento, rumos
tecnológicos, estágio da tecnologia, redes de interação
(inventores, atores e instituições, tecnologias) etc.
Para que realizar estudos
prospectivos?
Fazer previsões
 mudanças tecnológicas, novos produtos, potenciais rotas
para aperfeiçoamento em produtos e processos existentes
etc.

Alcançar ou manter segurança Jurídica


 análise de validade (está disponível no Brasil, evitando
litígios), fortalecimento de negociações etc.

Realizar monitoramento
 concorrentes, rastreamento da capacidade tecnológica,
áreas tecnológicas etc.
Para que realizar estudos
prospectivos?
E ainda:
 Identificar ameaças e oportunidades;
 Avaliar de forma objetiva a posição competitiva atual e futura
da empresa;
 Reduzir a incerteza na tomada de decisão;
 Prever as grandes mudanças estruturais da indústria e
prevenir surpresas tecnológicas;
 Ter melhor perspectiva da capacidade atual e futura do
concorrente e de suas intenções;
 Ganhar vantagem competitiva pela redução do tempo de
reação;
 Melhorar o planejamento de curto, médio e longo prazos.
Inovação no mundo
Empresas são classificadas quanto ao seu grau de inovação
e também em relação aos seus gastos em PD&I.

2016 Global Innovation 1000 Study


Inovação no mundo
 Nem sempre maiores gastos, refletem em resultados
(curto, médio e longo prazos).
Aprovação de novos
medicamentos

Gastos em P&D
http://www.ncpa.org/pub/ib158

Na área farmacêutica, o aumento no custo de P&D não se refletiu em


um aumento proporcional na aprovação de novas drogas
A importância da prospecção tecnológica
em setores intensivos de PD&I

Várias empresas de grande porte utilizam ferramentas de


prospecção para planejar os seus investimentos.

https://www.orbit.com/
http://patentbolt.typepad.com/.a/6a0168e68320b0970c016767c2abc4970b-pi
Empresas mais inovadoras e gastos em PD&I

Setores pesquisados:
• Indústria,
• Eletricidade e gás
• Serviços selecionados (edição
e gravação e edição de música;
telecomunicações;
atividades dos serviços de
tecnologia da informação;
tratamento de dados,
hospedagem na Internet e
outras atividades relacionadas;
serviços de arquitetura e
engenharia,
testes e análises técnicas; e
pesquisa e desenvolvimento)

http://www.pintec.ibge.gov.br/d
ownloads/PUBLICACAO/PUB
LICA%C3%87%C3%83O%20
PINTEC%202014.pdf
Exemplo da Braskem
Roadmap de matérias primas renováveis
 O potencial da biologia industrial ou white biotechnology;
 As restrições ambientais ao uso de matérias primas fósseis;
 A orientação das estratégias empresariais.

• Por meio de discussões internas foram levantados os “drivers”,


ou elementos direcionadores do mercado, para a indústria
baseada em tecnologias renováveis.
http://jovensbraskem.com.br/Portal/Principal/Arquivos/BraskemNewss/Imagens/704.jpg
Fonte: Teixeira, 2013
Portfólio Internacional de tecnologias da Embrapa Cerrados - visa orientar
as linhas de pesquisa da carteira de projetos de P&D da Embrapa
Cerrados.

Prospecção de mercado para as tecnologias semiacabadas da Rede


Passitec (uso de passiflora silvestre como ingrediente ou matéria-prima de
alimentos) - entendimento do mercado e das características das empresas
do setor.

Análise de conteúdo para identificação do comportamento e necessidades


de agricultores locais - realizado na região do DF e identificada a
percepção do grupo quanto a conservação de recursos hídricos e uso
sustentável da água.

Exemplos apresentados mostram a preocupação com as linhas


de pesquisa a serem desenvolvidas, mercado para uma
determinada área de desenvolvimento e análise regional de
demandas.

Ferramentas para compor o planejamento estratégico da empresa.


Atividade prospectiva na área de energia
(óleo, gás, termelétricas, energias renováveis,
meio ambiente e desenvolvimento sustentável).

Utilizou combinação de:


cenários múltiplos, técnica Delphi e tehnological roadmapping.
Exemplo da Petrobrás - Metodologia geral
Fase 1: Definição de Objetivos e Grade Analítica - entrevistas
estruturadas com gestores e especialistas do Centro de
Pesquisas.

Fase 2: Pré-prospecção - levantamento das informações


necessárias à prospecção; resultados desta fase: (i) conjunto de
estudos pré-prospectivos e exemplos reais de technology roadmaps
na área de energia e (ii) um melhor entendimento das principais
questões que seriam avaliadas pelo painel virtual de especialistas na
Fase 3. Nessa fase: utilizadas ferramentas de análise de patentes.

Fase 3: Prospecção - questionário baseado em Delphi

Fase 4: Construção dos Technological Roadmaps.


● Empresa fundada em 1971, hoje do grupo Whirlpool;

● Detém 1277 patentes concedidas em diversos países;

● Maior depositante no INPI (residente) em 2015;

● Utiliza monitoramento tecnológico realizado através de consultorias;

● Parceria com UFSC (34 anos) através de diversos laboratórios, entre


outros centros de pesquisa (USP, UNICAMP, IPT, UFU, UFMG).

● Depósitos junto ao INPI:

Ano Patente de invenção Modelo de utilidade Desenho Industrial

2013 96 14 25

2014 102 11 29

2015 90 10 26
http://www.embraco.com/Default.aspx?tabid=160
Fonte: Uchoa, Balliano, 2016
Estudos Prospectivos

http://us.blackberry.com/content/dam/blackberry-com/images/smartphones/2016_Classic_Overview/classic-compare-
os.png/jcr:content/renditions/original

Touchscreen, teclado virtual.


Métodos e Técnicas de Prospecção
Métodos e Técnicas de Prospecção

As diferentes abordagens, métodos e


técnicas de prospecção precisam ser vistas
como um meio
para aperfeiçoar a atividade prospectiva
e seus resultados, ou seja, responder
adequadamente às indagações quanto ao
futuro, em seus diversos níveis e interesses.
Classificação dos Métodos de
Prospecção
Métodos e técnicas tendem a diferir em abordagens e
em habilidades requeridas. Podem ser classificados
como "hard" (quantitativos, empíricos, numéricos) ou
"soft" (qualitativos, baseados em julgamentos ou
refletindo conhecimentos tácitos).

Quantitativos Qualitativas
bases de dados e técnicas opinião de especialistas
estatísticas (extrapolação (painel Delphi, técnicas de
de tendências, análises criatividade etc.)
bibliométricas)
Classificação dos Métodos de
Prospecção

Outra classificação possível é avaliar


se tais métodos e técnicas
tendem a ser "normativos“ ou "exploratórios" .

Normativos Exploratórios
Iniciando o processo com Iniciando o processo a
uma nítida percepção da partir do estudo/exploração
necessidade futura das capacidades
tecnológicas existentes
Classificação dos Métodos de Prospecção
Métodos e técnicas podem ser classificados
de acordo com as seguintes famílias:

 Monitoramento e Sistemas de Inteligência;


 Métodos Estatísticos e Análises de Tendências;
 Opinião de Especialistas;
 Cenários;
 Criatividade;
 Sistemas de Avaliação e Decisão;
Métodos Descritivos e Matrizes, Modelagem e Simulação.

Porter et al. (1991, 2004), Skumanich & Sibernagel (1997)


MONITORAMENTO
E SISTEMAS DE
INTELIGÊNCIA
Monitoramento
e Sistemas de Inteligência

 Segundo Porter et al. (1991), o monitoramento não é


uma técnica de prospecção. No entanto, provê o pano de
fundo necessário no qual a prospecção se baseia.
 É fundamental para qualquer prospecção.
 Em geral, no monitoramento ou implementação de
sistemas de informação são buscadas diversas as fontes
de informação.

Fonte: CGEE. Prospecção. Disponível em: http://www.cgee.org.br/prospeccao/ Acesso em julho de 2016


Monitoramento
e Sistemas de Inteligência

 Baseia-se na coleta de informação externa à


organização, a fim de diminuir a aleatoriedade da
informação que flui para a organização e fornecer
alertas antecipados para os gestores sobre mudanças
nas condições externas.
 Ex.: Prospecção por meio de patentes, artigos
científicos
Prospecção por meio de patentes
 É uma das ferramentas de monitoramento e sistemas de
inteligência
 É uma potente ferramenta de apoio à decisão por:
– Ser uma fonte confiável de informação
– Ter padronização
 Permite identificar:
– tecnologias relevantes
– parceiros
– nichos de mercado para atuação
– inovações incrementais
– movimentos de concorrência
Monitoramento
e Sistemas de Inteligência

 Alguns objetivos do monitoramento :


– Identificar eventos científicos, técnicos ou sócio-econômicos
importantes para a organização
– Definir ameaças potenciais para a organização, implícitas
nesses eventos
– Identificar oportunidades para a organização envolvidas nas
mudanças no ambiente
– Alertar a direção sobre tendências que estão convergindo,
divergindo, ampliando, diminuindo ou interagindo

Fonte: CGEE. Prospecção. Disponível em: http://www.cgee.org.br/prospeccao/ Acesso em julho de 2016


Monitoramento
e Sistemas de Inteligência
 As principais fontes
– revistas
– patentes
– catálogos
– artigos científicos etc.

 Para direcionar melhor as buscas, o monitoramento


pode incluir entrevistas com especialistas e outras
informações não bibliográficas ou documentais.
Monitoramento
e Sistemas de Inteligência
 Algumas maneiras de fazer o monitoramento :
– Monitoramento pontual: realizado em resposta a uma
demanda específica.
– Monitoramento regular: feito em períodos regulares, por
exemplo uma vez por ano, para atualizar estudos já
realizados.
– Monitoramento sistemático: coleta, análise e
disseminação contínua de dados de interesse estratégico
de uma organização ou de um grupo de atores.
Monitoramento
e Sistemas de Inteligência

Métodos Estatísticos podem ser usados no


monitoramento e sistemas de inteligência, por
exemplo:
– Bibliometria
– Análise de Correlação
– Análise de Impacto Cruzado
– Demografia
– Análise de Risco
Monitoramento & Sistemas de
Inteligência
Pontos Fortes Pontos Fracos
• Fornece uma grande quantidade de • Pode resultar no excesso de
informação de um diversificado informação, com resultando em dados
número de fontes. não seletivos e não analisados.

• Pode ser usada no início da • Como as informações, por si, estão


prospecção, como contextualização mais relacionadas ao passado e ao
inicial do tema e, ao final, como presente, só a análise delas pode dar
forma de manter os temas críticos a perspectiva do futuro.
permanentemente atualizados.
ANÁLISE DE TENDÊNCIAS
Análise de Tendências

 Método é baseado na hipótese de que os padrões do


passado serão mantidos no futuro, portanto é indicada
para análises de curto prazo.
 Utiliza técnicas matemáticas e estatísticas para
extrapolar séries temporais para o futuro, p. ex:
Extrapolação de Tendência.
 Coleta-se informação sobre uma variável ao longo do
tempo e essa informação é extrapolada para um ponto
no futuro.
Fonte: CGEE. Prospecção em C,T&I. Disponível em:
http://www.cgee.org.br/prospeccao/index.php?operacao=Exibir&serv=textos/texto_exib&tex_id=1. acesso em julho 2016
Tendências
Pontos Fortes Pontos Fracos
• Fornece previsões substanciais, • Requer dados históricos consistentes
baseadas em parâmetros e coletados ao longo de um período
quantificáveis. razoável de tempo.

• É particularmente precisa no curto • Só funciona para parâmetros


prazo. quantificáveis.

• É vulnerável a mudanças bruscas e


descontinuidades.

• Pode ser perigosa quando se faz


projeções de longo prazo.
OPINIÃO DE ESPECIALISTAS
Opinião de Especialistas

 Trata-se da construção de uma visão do futuro baseada


na informação e lógica de indivíduos com extraordinária
familiaridade com o tema em questão.
 Métodos mais usados:
– Método Delphi: exemplo de sucesso de método estruturado,
baseado na opinião de especialistas
– Painéis de especialistas
– Entrevistas
– Encontros de debates
– Surveys
SANTOS, M. de M. et al. Prospecção de tecnologias de futuro: métodos, técnicas e abordagens. Parcerias Estratégicas,
n.19. Brasília: CGEE, 2004.
Opinião de Especialistas

 Esse método tem seus limites estabelecidos nas


percepções dos especialistas consultados, no que eles
percebem como factível, de acordo com a imaginação e
crenças deles.
 É usado sempre que a informação não puder ser
quantificada ou quando os dados históricos não estão
disponíveis ou não são aplicáveis.
 Porém quando há dados históricos, a opinião de
especialistas pode e pode ser usada como uma forma de
complementar as informações obtidas e de captação de
conhecimentos tácitos, sinais fracos e insights.
SANTOS, M. de M. et al. Prospecção de tecnologias de futuro: métodos, técnicas e abordagens. Parcerias Estratégicas,
n.19. Brasília: CGEE, 2004.
Opinião de Especialistas

Algumas técnicas para coleta de opiniões de


especialsitas:
 Delphi (iterative survey)
 Focus Groups, Panels; Workshops
 Interviews
 Participatory Techniques
Delphi
 Metodologia de trabalho em grupo que busca a convergência de
opiniões, e tem as seguintes características:
– Anonimato
– Interação
– Feedback controlado
– Mais de uma rodada
 O método inclui votação repetida dos mesmos indivíduos com a
idéia de que isso permitirá melhores julgamentos
– A cada rodada, a coordenação contabiliza as respostas, apresenta os
resultados parciais e demanda aos especialistas que revejam suas
opiniões à luz da opinião agregada.
 Cada participante pode fornecer então um novo julgamento,
mudando ou não de opinião.
 O processo se repete até que se atinja um "estado estacionário",
normalmente depois de 3 ou 4 rodadas.
Surveys
 Método mais comum de solicitar informações de grupos de
especialistas quando encontros pessoais são difíceis.
 O método é popular porque é relativamente rápido,
razoavelmente fácil e barato.
 Pressuposto básico: considerar que a avaliação do grupo
tem maior probabilidade de ser correta do que as
opiniões individuais.
 As perguntas devem ser formuladas de forma clara e
concisa, sem ambiguidades e em um vocabulário
conhecido e amigável para os que vão responder.
– Algumas perguntas são abertas, permitindo que o
respondente se expresse livremente.
Opinião de Especialistas
Pontos Fortes Pontos Fracos
• Permite a identificação de muitos • Muitas vezes é difícil identificar os
modelos e percepções internalizados especialistas.
pelos especialistas que os tornam
explícitos. • Muitas vezes as projeções que os
especialistas fazem são erradas ou
• Permite que a intuição encontre preconceituosas
espaço na prospecção.
• Ás vezes as opiniões são ambíguas e
• Incorpora à prospecção aqueles que divergentes entre especialistas da
realmente entendem da área que mesma área.
está sendo prospectada.
CENÁRIOS
Cenários

 São definidos como instrumento para ordenar


percepções sobre ambientes futuros alternativos,
sobre as quais as decisões atuais se basearão.
(Schwartz, apud Oliveira, 2001)
 São um conjunto de histórias plausíveis de futuro,
utilizados para estimular a imaginação de
possibilidades de futuro. (Porter et al, 1991)
 Incorporam incerteza.
 Podem ser descritivos ou normativos.

Fonte: CGEE. Prospecção em C,T&I. Disponível em:


http://www.cgee.org.br/prospeccao/index.php?operacao=Exibir&serv=textos/texto_exib&tex_id=1. acesso em julho 2016
Cenários

 Recurso útil, no processo de planejamento estratégico


participativo, para:
– sintonizar as visões de futuro dos decisores, tornando
explícitas as premissas em que baseiam suas decisões;
– configurar evoluções prováveis do ambiente externo;
– antecipar ameaças e oportunidades.

CENÁRIOS
Cenários

Técnicas para construção de cenários:


 Field Anomaly Relaxation Methods (FAR)
 Cenários
 Scenario-Simulation
Cenários
Pontos Fortes Pontos Fracos
• Apresentam retratos ricos e • Algumas vezes são mais fantasia do
complexos dos futuros possíveis. que prospecção, quando se identifica
o futuro desejado sem considerar as
• Incorporam uma grande variedade restrições e barreiras que se tem que
de informações qualitativas e ultrapassar para chegar até lá.
quantitativas produzidas através de
outros métodos de prospecção.

• Incorporam elementos que permitem


ao decisor definir a ação
CRIATIVIDADE
Criatividade
Técnicas para busca de dados criativos em
estudos de prospecção:
 Brainstorming
 Creativity Workshops
 Science Fiction Analysis
 TRIZ
 Vision Generation
Criatividade
 Deve estar presente em todos os estudos prospectivos
– evita visões pré-concebidas de problemas e situações
– encoraja um novo padrão de percepção.

 É um meio de ampliar a habilidade de visualizar futuros alternativos.

 Alguns métodos contribuem para aprimorar esta característica


naqueles que trabalham com prospecção ou gestão de tecnologia.

Fonte: UNIVERSIA. Noticias. Emprego. 5 dicas para impulsionar sua criatividade. Disponível em:
http://noticias.universia.com.br/carreira/noticia/2015/09/11/1131090/5-dicas-impulsionar-criatividade.html. Acesso em julho de 2016
Criatividade
 5 elementos chave nessas técnicas :
– Fluência: habilidade de gerar ideias em grande volume
– Flexibilidade: habilidade de transformar conceitos
familiares em novas formas ou mudar de velhos
conceitos para novos
– Originalidade: habilidade de ter ideias fora do comum
– Percepção (awareness): habilidade de imaginar e
perceber conexões e relações não óbvias
– Vigor (drive): motivação e força para realizar

Fonte: CGEE. Prospecção em C,T &I. Métodos e Técnicas. Disponível em:


http://www.cgee.org.br/prospeccao/index.php?operacao=Exibir&serv=textos/topicos/texto_exib&tto_id=4&tex_id=1. Acesso em julho de 2016
Criatividade
Pontos Fortes Pontos Fracos
• Aumenta a habilidade de visualizar • O coordenador ou líder do grupo deve
futuros alternativos ter capacidade de condução do
processo para evitar descaminhos.
• Diminui as visões preconcebidas dos
problemas ou situações Se mal conduzido, pode levar à
futurologia e descrédito do processo.
• Encoraja a criação de um novo
padrão de percepção.

• É excelente para ser


usado no início do processo.
SISTEMAS DE AVALIAÇÃO E
DECISÃO
Sistemas de Avaliação e Decisão
 O processo de tomada de decisão inclui a busca de
reduzir a incerteza e as dúvidas sobre determinadas
alternativas, e de permitir a escolha mais acertada
possível em relação ao futuro.
 Métodos de avaliação e decisão incluem o tratamento de
múltiplos pontos de vista e sua aplicação permite
priorizar ou reduzir os vários fatores que devem ser
levados em consideração.
 Ex.: Hierarquias analíticas (AHP) e Árvores de relevância

Fonte: CGEE. Prospecção em C,T &I. Métodos e Técnicas. Disponível em:


http://www.cgee.org.br/prospeccao/index.php?operacao=Exibir&serv=textos/topicos/texto_exib&tto_id=4&tex_id=1. Acesso em julho de 2016
Sistemas de Avaliação e Decisão
Pontos Fortes Pontos Fracos
• Ajudam a reduzir a incerteza no • Reduzem, mas não eliminam a
processo decisório. incerteza no processo decisório.

• Auxiliam no estabelecimento de
prioridades quando há um número
grande de variáveis a serem
analisadas.

Fonte: CGEE. Prospecção – Métodos e técnicas. Disponivel em:


http://www.cgee.org.br/prospeccao/index.php?operacao=Exibir&serv=textos/topicos/texto_exib&tto_id=4&tex_id=1.
Acesso em julho de 2016
ALGUNS OUTROS MÉTODOS
Métodos Descritivos e Matrizes

 Usados para ampliar a criatividade, individual ou coletiva,


a fim de possibilitar a identificação de futuros
alternativos.

 Depende da existência de especialistas, de boas séries


de dados, de boas estruturas e da compreensão da
modelagem e das tecnologias da informação e da
comunicação

 Ex.: Análise de Risco e Roadmapping

Fonte: CGEE. Prospecção em C,T&I. Disponível em:


http://www.cgee.org.br/prospeccao/index.php?operacao=Exibir&serv=textos/texto_exib&tex_id=1. acesso em julho 2016
Roadmapping
 Projeta os principais elementos tecnológicos de design e
manufatura de um produto, com estratégias para
alcançar marcos desejáveis de forma eficiente.
 São usados para suportar o planejamento estratégico
tecnológico, permitindo que os desenvolvimentos
tecnológicos sejam alinhados a tendências e drivers de
mercado.
– Uso de roadmaps no planejamento estratégico - Inclui a
dimensão estratégica, em termos de suporte da avaliação de
diferentes oportunidades ou ameaças, tipicamente no nível
de negócios.
– Uso de roadmaps no planejamento de longo prazo - Amplia
o horizonte do planejamento e é frequentemente utilizada
em foresight nacional ou regional.
Roadmapping
 Possibilita alinhar visões diferentes, buscando responder
a três questões:
– “Onde estamos?”,
– “Aonde queremos chegar?”,
– “Como chegaremos?”
 É estruturado por meio de uma visualização gráfica.

ROCHA, G. V.;MELLO, C. H. P. How to develop technology roadmaps? The case of a Hospital Automation Company.
Prod. vol. 26, n. 2, São Paulo. Apr./June 2016, Epub Nov 27, 2015
Modelagens e Simulações

 Busca identificar certas variáveis e criar modelos


computacionais, jogos ou sistemas nos quais se pode
visualizar a interação entre as variáveis ao longo do
tempo.

 Ex.: Análise de Impacto Cruzado

Fonte: CGEE. Prospecção em C,T&I. Disponível em:


http://www.cgee.org.br/prospeccao/index.php?operacao=Exibir&serv=textos/texto_exib&tex_id=1. acesso em julho 2016
Análise de Impacto Cruzado

 Considera as inter-relações existentes entre a tecnologia


em questão e outras variáveis interdependentes.

 A evolução da tecnologia analisada não é considerada


isoladamente e os eventos associados ao problema
também fazem parte da análise.
Métodos Descritivos e Matrizes;
Métodos Estatísticos; Modelagem e Simulação
Pontos Fortes Pontos Fracos
• Modelos podem exibir comportamento de • Técnicas sofisticadas podem camuflar
sistemas complexos simplesmente pela falsos pressupostos e apresentar
separação de aspectos importantes dos resultados de má qualidade.
detalhes desnecessários.
• Alguns modelos e simulações contêm
• Alguns sistemas oferecem possibilidades pressupostos essenciais que devem ser
de incorporação do julgamento humano. testados para ver sua aplicabilidade ao
estudo.
• Fornecem excelentes percepções e
análises sobre o comportamento de • Todos os modelos requerem adaptações
sistemas complexos. antes de serem usados e devem ser
validados.
• Possibilitam o tratamento analítico de
grandes quantidades de dados. • O sucesso na previsão de um
comportamento histórico não garante a
previsão bem sucedida do futuro.

• As fontes de dados usadas em data e text


mining devem ter um certo grau de
padronização para que a análise não
induza a erros.
Perguntas?

Você também pode gostar